PSICOLOGIA DA EDUCAÇÃO

Psicologia e suas contribuições para a Educação (Educação Infantil, Alfabetização e
Formação de Professores).
Por que a Psicologia é importante para a Educação?

CONCEITOS ÁREA DE CONHECIMENTO DA PSICOLOGIA
Educação Infantil
- Estudos mostram que a criança perpassa por fases de
desenvolvimento que devem ser respeitadas e estimuladas, já que na
Educação Infantil de acordo com a teoria piagetiana, a criança
encontra-se no período Sensório-motor, onde sua atividade cognitiva
baseia-se, principalmente, na experiência imediata e direta com o
meio através dos sentidos. Ainda não simboliza eventos
internamente e não “pensa” conceitualmente, e no período Pré-
operatório ou Simbólico que se caracteriza pela capacidade da
criança em dominar a linguagem e a representação do mundo por
meio de símbolos. Por isso a criança precisa expandir seus
movimentos, explorando seu corpo e o espaço físico de forma a ter
um desenvolvimento sadio.
- Wallon contribui muito para Educação Infantil, pois nessa fase em
que a criança irá personificar seu “eu”, por isso a importância da
relação afetiva, pois criança descobre e constrói se “eu” no outro,
seu desenvolvimento ocorre com a sua interação com o meio, por
isso as ações pedagógicas que privilegiem diversas formas de
interação e comunicação da criança com o meio e com o seu grupo.
A criança precisa então ser respeitada em suas individualidades e
particularidades.

Alfabetização
- Métodos utilizados na alfabetização deixam de ser tradicionais,
com cartilhas, passando a ser dentro de uma perspectiva
construtivista, explorando o meio da criança, seus conhecimentos
prévios, sendo que os textos usados devem estar de dentro da
realidade da criança. Em Paulo Freire, se trabalha com palavras, que
ele chama de geradoras para que a criança, a partir destas palavras
que fazem parte de sua realidade, construa novas palavras
ampliando seu vocabulário. A educação não tem só a função de
ensinar a criança a decodificar códigos linguísticos, ler e escrever
precisa inserir a criança no mundo letrado, ou seja, fazer uso social
desses códigos.
- Com estudos de Emília Ferreiro sobre a Psicogênese da Língua
Escrita, é preciso conhecer os níveis conceituais linguísticos, ou
seja, níveis de escrita da criança para conhecer o amadurecimento
psicológico da mesma. Esses níveis são: pré-silábico (dividido em
fase pictórica, fase gráfica primitiva e fase pré-silábica), nível
intermediário I, nível silábico, nível intermediário II ou silábico-
alfabético e, nível alfabético. Conhecer o nível de escrita da criança
contribui muito para o planejamento do professor, pois este irá fazer
atividades diversificadas. Desse modo a educação rompe com os
rótulos dados aos seus alunos que se encontram defasados em
relação aos outros da mesma classe, pois seu nível de escrita, com a
interferência do professor, será satisfatório ao final de seu período
de alfabetização.

Formação de
Professores
- Através da teoria do desenvolvimento, o professor passa a ter um
olhar diferenciado para cada criança, respeitando sua fase de
desenvolvimento, suas estruturas cognitivas. Desse modo, irá
preparar as atividades de acordo com o nível de desenvolvimento,
aquilo que a criança é capaz de fazer com autonomia ou com a
mediação do professor ou de algum colega que já sabe. Articulando
os conhecimentos que a criança já possui com os novos
conhecimentos.
- A psicologia do desenvolvimento contribui para aperfeiçoar as
relações entre professores e alunos, mostrando a importância do
vínculo afetivo para que aprendizagem efetivamente aconteça.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful