Você está na página 1de 16

APRESENTAÇÃO DO MODELO DE

AUTO-AVALIAÇÃO DA BE

Escola Secundária de Maximinos


AUTO-AVALIAR A BE

 Porquê?

 Para quê?

 Como?

 Quem?
BIBLIOTECA ESCOLAR DO SÉCULO XXI
 As bibliotecas escolares no contexto da mudança

A biblioteca escolar tem passado por


transformações assinaláveis resultantes da
evolução do paradigma tecnológico e das
implicações profundas no acesso, uso e
comunicação da Informação. Neste contexto,
passaram de espaços organizados com recursos
destinados ao acesso da informação e ao lazer a
espaços de trabalho e de construção do
conhecimento.
PORQUÊ DE UM MODELO DE AVALIAÇÃO
PARA AS BIBLIOTECAS ESCOLARES

 Facultar um instrumento pedagógico e de


melhoria contínua que permita aos órgãos
directivos e aos coordenadores avaliar o trabalho
da biblioteca escolar e o impacto desse trabalho
no funcionamento global da escola e nas
aprendizagens dos alunos e identificar as áreas de
sucesso e aquelas que, por apresentarem
resultados menores, requerem maior
investimento, determinando, nalguns casos, uma
inflexão das práticas. e ideias-chave - Modelo de
Auto-Avaliação das BE - Gabinete da Rede de
Bibliotecas Escolares pp. 1-5
IDEIAS-CHAVE

 Noção de valor

 Qualidade e eficácia da BE

 Utilização flexível (com adaptação à realidade de


cada escola e de cada BE)

 Exequível e facilmente integrável nas


práticas de gestão
DOMÍNIOS E SUBDOMÍNIOS
O modelo organiza-se em quatro domínios e num conjunto de
indicadores sobre os quais assenta o trabalho da biblioteca
escolar.

A B
Apoio ao desenvolvimento Leituras e Literacias
Curricular
A.1 Articulação curricular da BE com as
estruturas pedagógicas e os docentes
A.2. Desenvolvimento da literacia da
informação

C D
Gestão da Biblioteca Escolar Projectos, Parcerias e
Actividades Livres e de
D.1. Articulação da BE com a Escola/
Abertura à Comunidade
Agrupamento. Acesso e serviços prestados pela BE
C.1. Apoio a actividades livres, extra-curriculares
D.2. Condições humanas e materiais para a
e de enriquecimento curricular
prestação dos serviços
C.2. Projectos e parcerias
D.3. Gestão da colecção/da informação
AUTO-AVALIAÇÃO

 Ciclo de auto-avaliação estrutura-se em 4 anos.

 Em cada ano é seleccionado um ou mais

domínios como objecto de avaliação.

 No final do ciclo de avaliação, todos os domínios

estão avaliados.
EVIDÊNCIAS
 Recolha de dados que comprovem a qualidade e
eficácia.
 Recolha de dados com o propósito de ajudar a BE a
identificar o caminho que deve seguir com vista à
melhoria do seu desempenho.
 Práticas sistemáticas de recolha de dados,
associadas ao trabalho do dia a-dia é útil para
informar a prática diária ou fornecer informação
acerca de determinada questão chave para a qual
procuramos melhoria ou solução.
EVIDÊNCIAS
Dados a recolher:
• Documentos estruturantes da Escola: Projecto
Educativo, PCE, PCT, PT; da BE: Plano de Actividades,
Regimento, Regulamento
• Actas de reunião (Equipa BE, NAC, Departamentos, …),
relatos de actividades, blogue da BE
http://esmaxbib.blogspot.com/.
• Estatísticas produzidas pelo sistema da BE, ficha do
utilizador da Esmaxbib, …
• Registos de observação, entrevistas, questionários
EVIDÊNCIAS

− A recolha de dados deve ser feita de forma


sistemática, ao longo do ano e incidir sobre os
vários níveis de escolaridade.

− Amostra representativa – abranger a


diversidades de alunos da escola/agrupamento e
abranger a diversidade de docentes da
escola/agrupamento.
APLICAÇÃO DE INSTRUMENTOS
 Professores:

20% do total

 Alunos:

10% do total (abarcando todos os anos de escolaridade)


Deve-se procurar :
− Abranger a diversidade de alunos e professores na
escola

− Recolher dados em diferentes momentos do ano


lectivo
PERFIS DE DESEMPENHO
Nível Descrição
4 (Excelente) A BE é bastante forte neste domínio. O trabalho
desenvolvido é de grande
qualidade e com um impacto bastante positivo.
3 (Bom) A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste
domínio mas ainda é
possível melhorar alguns aspectos.
2 (Satisfatório) A BE começou a desenvolver trabalho neste
domínio, sendo necessário
melhorar o desempenho para que o seu impacto
seja mais efectivo.
1 (Fraco) A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho
neste domínio, o seu impacto é
bastante reduzido, sendo necessário intervir com
urgência.
METODOLOGIA A SEGUIR

 Perfil da BE

 Seleccionar o domínio

 Recolher evidências

 Identificar o perfil de desempenho

 Registar a auto-avaliação no relatório final

 Reformular plano de acção com vista ao


melhoramento do desempenho da BE
RESULTADOS

 Divulgados e discutidos nos órgãos de gestão


pedagógica . Esses resultados têm impacto no
processo de planificação e na gestão, obrigando a
que se defina o rumo da BE (identificação de
oportunidades e constrangimentos, definição de
objectivos e linhas orientadoras do plano de
acção, com a participação de todos, recolha
sistemática de informação e a metodologias de
controlo)
AUTO-AVALIAÇÃO

 Elaboração do Relatório

 Construção do Plano de Acção para


Melhoria

 Discussão e aprovação em CP

 Divulgação dos resultados à comunidade


NÍVEIS DE PARTICIPAÇÃO DA ESCOLA
 Todos os órgãos/elementos da escola são
chamados a participar:
Conselho Geral, Direcção, Conselho Pedagógico,
Departamentos Curriculares, Professor
Bibliotecário, equipa da BE, Coordenador
Concelhio, RBE, Alunos, Associação de Pais,
SPO, funcionários, autarquia, Biblioteca
Municipal