Você está na página 1de 49

Banco de Leite Humano

Débora Henriques
Enfermeira e Coordenadora do BLH
Banco de Leite Humano
• 2012:
• 170 mil litros de leite coletados
• 175 mil doadoras
• 170 mil RNPT receptores
• 1 milhão e 900 mil atendimentos realizados:
• 1 milhão e 300 mil atendimentos individuais
• 300 mil atendimentos em grupo
• 230 mil visitas domiciliares
Banco de Leite Humano
O Banco de Leite Humano (BLH) é um serviço especializado
vinculado a um hospital de atenção materna e/ou infantil.
O Hospital dos Plantadores de Cana é referência em
gravidez de alto risco, recebendo não só de Campos dos
Goytacazes, mas da região norte fluminense, gestantes
portadoras de diabetes e hipertensão arterial, dentre
outras. Portanto, é imprescindível um Banco de Leite
Humano devidamente estruturado para atender as
necessidades nutricionais e imunológicas dos recém-
nascidos dessas mães, em sua maioria RN prematuros e
menores de 1.500g, muitas vezes com outras afecções que
aumentam seu risco de vida.
Banco de Leite Humano
O Banco de Leite Humano foi inaugurado em 17
de setembro de 2004, tem capacidade de
processamento de 6 a 8 litros de leite por dia.
Banco de Leite Humano
O BLH é responsável por ações de promoção,
proteção e apoio ao aleitamento materno e
execução de atividades de coleta da produção
lática da nutriz, seleção, classificação,
processamento, controle de qualidade e
distribuição, sendo proibida a comercialização
dos produtos por ele distribuídos
(HINRICHSEN, 2004; BRITTO, 2002; BRASIL,
2006).
Atividades do BLH
75% Assistência
25% Tecnologia de Alimentos
Atividades do BLH
Assistência
Promoção, Proteção e Apoio
Promoção, Proteção e Apoio
Campanha Comercial de TV
Campanha Comercial de TV
Entrevista para Emissoras
Regionais
Dia Mundial de Doação de
Leite Humano 2013
Semana Mundial de Doação de
Leite Humano 2013
Semana Mundial de Doação de
Leite Humano 2013
Dia da Criança
Dia da Criança
Dia da Criança
Dia da Criança
II Semana Nacional de Ciência e
Tecnologia
Tecnologia de Alimento
Ordenha
Manual Mecânica
Embalagem e Rotulagem
Utiliza-se como embalagem para
acondicionamento do leite humano
ordenhado recipiente de vidro, estéril,
com boca larga, tampa plástica
rosqueável e volume de 50 a 500 ml
(FIOCRUZ, 2003).
Embalagem e Rotulagem
Os frascos com leite humano ordenhado cru e
pasteurizado devem ser obrigatoriamente rotulados,
constando no mínimo identificação da doadora, data
e hora da primeira coleta.
Rótulos utilizados em nosso BLH
Leite retirado da mãe para
o próprio bebê
Leite de doação externa
Rótulos utilizados em nosso BLH
Leite para doação coletado
no BLH
Leite pasteurizado para
distribuição
Validade do Leite Humano
Ordenhado
• Cru refrigerado -> 12h
• Cru congelado -> 15 dias
• Pasteurizado refrigerado -> 24h
• Pasteurizado congelado -> 6 meses
Processamento do Leite Humano
Ordenhado
Etapas do processamento do leite
• Degelo
Processo controlado que visa transferir calor ao leite
humano ordenhado congelado, em quantidade
suficiente para mudança da fase sólida para a líquida,
não permitindo que a temperatura final do produto
exceda a 5°C.
O tempo necessário para degelo varia de acordo com
o volume, tipo da embalagem e o equipamento
utilizado.
Etapas do processamento do leite
Realizamos o degelo em nosso BLH em banho-
maria, regulado a 40ºC, porém este processo
também pode ser realizado em forno
microondas.
Etapas do processamento do leite
• Seleção e Classificação
A seleção compreende: condições da embalagem,
presença de sujidades, cor, off-flavor, acidez Dornic.
A classificação compreende a verificação de: período
de lactação, acidez Dornic e conteúdo energético –
crematócrito.
(FIOCRUZ, 2003; SILVA, 2004; BRASIL, 2006b)
Etapas do processamento do leite
- Condições da embalagem
Frasco de vidro com tampa de plástico;
- Presença de sujidades
Cabelo, pêlos, cílios, fragmentos de pele..., a presença de
quaisquer um destes caracterizam o leite humano como
impróprio para consumo;
Etapas do processamento do leite
- Cor
A cor do leite humano pode variar conforme os seus
constituintes. O colostro geralmente varia da cor semelhante
à agua de coco ao amarelo-alaranjado. A coloração do leite de
transição muda gradualmente, em aproximadamente duas
semanas, para um branco azulado/opaco até se tornar leite
maduro. A cor do leite maduro pode ser alterada por diversos
fatores, entre eles a dieta materna e o uso de medicações.
Exemplo¹: um leite de coloração esverdeada tem sido
associado ao uso de grandes quantidades de vegetais pela
mãe (coloração dada pela riboflavina).
Etapas do processamento do leite
Exemplo²: alguns corantes utilizados em refrigerantes, sucos e
gelatinas tem sido associados a uma coloração rósea ou
róseo-alaranjada do leite.
As oscilações entre o “vermelho-tijolo” e o marrom escuro
devem ser pesquisadas, pois podem indicar a presença de
sangue, o que representa uma não conformidade para
doação.
(FIOCRUZ, 2003; SILVA,2004)
Etapas do processamento do leite
- Off-flavor (odor)
Característica organoléptica não conforme com aroma
original do leite humano (BRASIL, 2006b).
Etapas do processamento do leite
- Acidez Dornic
A acidez do leite humano é a acidez titulável expressa em graus
Dornic.
A acidez do leite humano pode ser classificada como original e
desenvolvida. A original resulta da presença de sus
constintuintes (micelas de caseína e sais minerais), e a
desenvolvida é consequente ao crescimento bacteriano, com
produção de ácido láctico.
(ALMEIDA, NOVAK, SANDOVAL, 1998; FIOCRUZ , 2003; SILVA, 2004)
Etapas do processamento do leite
A acidez desenvolvida leva a um aumento da osmolaridade à
diminuição da biodisponibilidade do cálcio e fósforo presentes.
As bactérias fermentam a lactose do leite humano, produzindo
ácido láctico.
Considera-se normal para a acidez do leite humano qualquer
valor situado na faixa de 1 a 8 ºD.
(ALMEIDA, NOVAK, SANDOVAL, 1998; FIOCRUZ , 2003; SILVA, 2004)
Etapas do processamento do leite
- Período de Lactação
Para determinar a classificação, deve ser considerada a
informação prestada pela paciente em seu cadastro de doadora,
levando em conta a idade gestacional no momento do parto e a
idade da lactação em dias em que o leite foi coletado (ALMEIDA,
1999).
Etapas do processamento do leite
- Conteúdo energético (crematócrito)
Técnica que permite o cálculo estimado do conteúdo energético
do leite humano ordenhado (BRASIL, 2006b).
Etapas do processamento do leite
• Reenvase
É a etapa em que o leite é transportado de um recipiente para
outro, com o objetivo de uniformizar volumes e embalagens. É
realizado após o degelo, seleção e classificação do leite humano
ordenhado e antes da pasteurização (BRASIL, 2006).
Etapas do processamento do leite
• Pasteurização
É o tratamento aplicado ao leite humano, que visa a
inativação térmica de 100 % das bactérias patogênicas e
90 % de sua flora saprófita, através de um binômio
temperatura/tempo: 62,5° graus por 30 minutos a partir do
tempo de pré aquecimento (BRASIL, 2001).
Etapas do processamento do leite
• Controle deQualidade–aspectos microbiológicos
O controle de qualidade microbiológico do leite humano
ordenhado praticado pela Rede BLH-BR segue a lógica
preconizada para alimentos, que institui a utilização de
microorganismos indicadores de qualidade sanitária.
Esse controle é realizado após a pasteurização, devendo ser
aguardado seu resultado para liberação do leite para consumo.
Etapas do processamento do leite
Caso haja evidências de contaminação, o leite deve ser
desprezado e devem-se avaliar todas as etapas do processo,
desde a coleta até a sua pasteurização.
Etapas do processamento do leite
• Distribuição
É a liberação do leite humano ordenhado pasteurizado, próprio
para consumo, de acordo com os critérios de prioridade e
necessidades do receptor (RN), para posterior porcionamento.
- Critérios de prioridade, de acordo com o estoque do BLH:
1. RN prematuro ou de baixo peso, que não suga;
2. RN infectado, especialmente com enteroinfecções;
3. RN em nutrição trófica;
4. RN portador de imunodeficiência;
5. RN portador de alergia a proteínas heterólogas;
6. Casos excepcionais, a critério do médico.
Etapas do processamento do leite
Obs.¹: todo receptor deve ser obrigatoriamente cadastrado no
BLH;
Obs.²: Todo leite ordenhado distribuído pelo BLH deverá ser
obrigatoriamente pasteurizado. A distribuição de leite humano
ordenhado cru é facultada apenas nas doações de mãe para
filho.
Etapas do processamento do leite
• Porcionamento
É a etapa que ocorre após a distribuição e constitui-se na
aliquotagem do leite para o consumo (BRASIL, 2006).
Banco de Leite Humano de Campos