Você está na página 1de 7

Curso: Programa +Saber ContábilDisciplina: Contabilidade Gerencial: instrumento de decisão NT1: A contabilidade como ciência e inserida nos negócios

Disciplina: Contabilidade Gerencial: instrumento de decisãoCurso: Programa +Saber Contábil NT1: A contabilidade como ciência e inserida nos negócios Luiz Carlos de

NT1: A contabilidade como ciência e inserida nos negóciosDisciplina: Contabilidade Gerencial: instrumento de decisão Luiz Carlos de Souza Currículo UE1: Contabilidade,

Luiz Carlos de Souza

e inserida nos negócios Luiz Carlos de Souza Currículo UE1: Contabilidade, princípios e conceito OBJETIVOS

UE1: Contabilidade, princípios e conceito

OBJETIVOS Discorrer sobre a importância da ciência contábil, seu conceito e a necessidade de se fazer registro dos fatos contábeis.

e a necessidade de se fazer registro dos fatos contábeis. Para a consecução do objetivo proposto

Para a consecução do objetivo proposto alguns procedimentos devem ser considerados: primar

pela história da entidade, assim como, demonstrar o que é um patrimônio, sua constituição, ordem das

contas, complementado pela qualificação e quantificação deste patrimônio.

Colega, a contabilidade, nesse Núcleo Temático, será tratada como

ciência que se insere no mundo dos negócios. Como ciência, ela

possui regras e princípios que a conduzem a uma sistemática lógica

de registros e expedição de relatórios contábeis. Como ferramenta

de apoio aos negócios, seu principal produto é a informação,

mostrando caminhos que se desenvolvem ou não, diante das

atividades empresariais. Tudo isso tem forte impacto na tomada de

decisão sobre o empreendimento, por parte de seus gestores.

Ressalte-se que, de maneira fácil e linguagem acessível, será possível compreender o real significado do

Ressalte-se que, de maneira fácil e linguagem acessível, será possível compreender o real significado do uso da contabilidade na gestão de qualquer empreendimento, assim como, quais são os melhores procedimentos a serem utilizados em determinadas situações que envolvam registro de dados, análise e acompanhamento das atividades comerciais.

Vejamos então alguns conceitos importantes

Contabilidade é um sistema de informações destinado a prover seus usuários de dados para ajudá-los a tomar decisão.

José Carlos Marion (2003).

Da mesma forma, vejamos o que diz Nelson Gouveia:

Contabilidade é um sistema muito bem idealizado que permite registrar as transações de uma entidade que possam ser expressas em termos monetários, e informar os reflexos dessas transações na situação econômico-financeira dessa entidade em uma determinada data.

Nelson Gouveia.

Como se observa dos autores acima, a contabilidade é um sistema de informações que objetiva auxiliar na tomada de decisão. Por sua vez, é importante observar que um sistema de informação, deve contemplar os registros das operações da empresa, nas suas diversas áreas, tais como: controles de tesouraria (caixa e bancos), contas a receber, contas a pagar, estoques, recursos humanos, contas patrimoniais, receitas e despesas, produção etc., de maneira confiável, gerenciado pelo controller ou contador gerencial. Vejamos agora a importância da contabilidade.

Patrimônio

É um conjunto de bens, direitos e obrigações avaliados em moeda.
É um conjunto de bens, direitos e obrigações avaliados em moeda.

Pode-se imaginar o patrimônio da seguinte maneira:

 

Bens

PATRIMÔNIO

Direitos

Obrigações

Bens

São as coisas capazes de satisfazer às necessidades humanas e suscetíveis de avaliação econômica.
São as coisas capazes de satisfazer às necessidades humanas e
suscetíveis de avaliação econômica.

Uma entidade pode possuir três categorias de bens:

Bens de Troca : é o caso dos estoques que uma empresa

Bens de Troca: é

o

caso dos estoques que

uma empresa

adquire com objetivos de revendê-los no mercado consumidor;

Bens de Uso: são os bens usados como imobilizados na organização, contribuindo nas operações industriais e comerciais : são os bens usados como imobilizados na organização, contribuindo nas operações industriais e comerciais do empreendimento (o desgaste é mais demorado e é reconhecido na contabilidade por meio de depreciação, registrada como despesa/custo);

Bens de Consumo: por serem considerados de consumo rápido, geralmente, são contabilizados em despesas. (Por exemplo: : por serem considerados de consumo rápido, geralmente, são contabilizados em despesas. (Por exemplo:

material de limpeza, cafezinho, açúcar, material de higiene etc.).

Direitos

Constituem direitos para a empresa todos os valores que ela tiver que receber de terceiros
Constituem direitos para a empresa todos os valores que ela tiver que
receber de terceiros (clientes, os fregueses da empresa).

Na contabilidade, os direitos geralmente aparecem com o nome do elemento (Conta), seguidos da

expressão a receber.

Exemplo:

Elementos

Expressão

Duplicatas

A Receber (Clientes)

Promissórias

A Receber

Aluguéis

A Receber

Salários

A Receber

Juros

A Receber

Constituem dívidas (obrigações) para a empresa todos os valores que ela tiver que pagar para
Constituem dívidas (obrigações) para a empresa todos os valores que ela
tiver que pagar para terceiros (neste caso os fornecedores de bens e serviços).

Essas dívidas (obrigações) geralmente aparecem com o nome do elemento (conta), seguido da expressão a pagar ou a recolher. Exemplo:

Elementos

Expressão

Duplicatas

A Pagar

Promissórias

A Pagar

Aluguéis

A Pagar

Salários

A Pagar

Impostos

A Recolher

Aspectos qualitativos e quantitativos do patrimônio

Para representar quanto vale um patrimônio de uma entidade, a contabilidade precisa estar amparada em duas condições:

a) Qualificação: Qualificar nada mais é do que dar nome às contas do patrimônio, que representem dinheiro, veículos, duplicatas a pagar etc.;

b) Quantificação: Quantificar

nada

mais

é

do

que

atribuir valores

às

contas

patrimoniais, expressos em moeda (reais), para a contabilidade oficial.

Veja o seguinte exemplo da empresa “X”:

oficial. Veja o seguinte exemplo da empresa “X”: Colega, de posse das informações acima, é possível

Colega, de posse das informações acima, é possível ter a idéia do tamanho do patrimônio dessa empresa, porque ficou esclarecido em quais contas está formado o patrimônio, assim como qual é o valor dessas contas, dando a correta dimensão dos bens, direitos e obrigações (dívidas).

Disposição das contas patrimoniais

Para tornar mais fácil a compreensão do patrimônio, vamos dividi-lo em duas colunas, conforme

pode ser visto nos ensinamentos da doutrina patrimonialista. Do lado esquerdo, estão dispostas as contas

que representem bens e direitos, portanto, serão consideradas contas de ativo. Do Lado direito, as contas

que representem obrigações, perante terceiros ou sócios, proprietários, sendo consideradas contas de

passivo.

A palavra patrimônio será substituída pela expressão Balanço

Patrimonial. Logo, teremos a seguinte disposição:

Balanço Patrimonial. Logo, teremos a seguinte disposição: Como pôde ser analisado no quadro Balanço Patrimonial, a

Como pôde ser analisado no quadro Balanço Patrimonial, a somatória do ativo é de $350 mil reais,

sendo $325 mil de bens e $25 mil de direitos. No lado do passivo, as obrigações somam $43 mil. Logo, a

soma do passivo também deve ser de $350 mil reais. Desta feita, falta a quantia de $307 mil, que será

discutida em outra unidade de estudo no assunto - situação líquida patrimonial – de forma mais detalhada.

Para completar essa soma, será adicionado mais um grupo no lado do passivo, mantendo a igualdade entre

os lados. Todavia, no presente momento, nos interessa este entendimento.

Como exercício de fixação do conteúdo, observe o quadro abaixo, arraste as respostas

(botões laranjados) para a coluna “A” se é bem, direito ou obrigação. Na coluna “B” se é ativo ou

passivo.

ou obrigação. Na coluna “B” se é ativo ou passivo. Referências BANGS JR, David H. Administração

Referências

BANGS JR, David H. Administração financeira – guia prático. Nobel, 1999.

BRUNER, Robert et all. MBA – curso prático. Rio de Janeiro: Campo, 1999.

Fundação Instituto de Pesquisas Contábeis, Atuariais e Financeiras – FIPECAFI. Manual de contabilidade das sociedades anônimas. São Paulo: Atlas, 2003.

GITMANN, Lawrence J. Princípios de administração financeira. São Paulo: Harper & Row do Brasil Ltda.

IUDICÍBUS, Sérgio de. MARION, José Carlos. Manual de Contabilidade para não contadores. São Paulo: Atlas, 2003.

MARION, José Carlos. Contabilidade empresarial. São Paulo: Atlas, 2003.

MATARAZZO, Dante C. Análise financeira de balanços. 5. ed. São Paulo: Atlas, 1998.

NEVES, Silvério das. VICECONTI, Paulo E.V. Contabilidade avançada. 14. ed. São Paulo: Frase,

2005.

PÊGAS, Paulo Henrique. Manual de contabilidade tributária. Rio de Janeiro: Freitas Bastos, 2006.

RIBEIRO, Osni Moura. Contabilidade fácil. São Paulo: Saraiva, 1998.

SILBERGER, Steven. MBA em 10 lições. São Paulo: Campus, 1997.

SOUZA, Luiz Carlos de. Contabilidade ao alcance de todos – um novo método de se aprender contabilidade. 8a. tiragem. Curitiba: Juruá, 2008.

Controladoria aplicada aos pequenos negócios. Curitiba: Juruá, 2008.