Você está na página 1de 76
Sistema Cardiovascular
Sistema
Cardiovascular
Sistema Cardiovascular

Patologia do Sistema

Cardiovascular

Patologia Especial Veterinária 2010- 1 Josiane Bonel-Raposo

Patologia do Sistema Cardiovascular Patologia Especial Veterinária 2010- 1 Josiane Bonel-Raposo

Patologia do Sistema

Cardiovascular

Patologias Cardíacas

Patologias Vasculares

Patologia do Sistema Cardiovascular  Patologias Cardíacas  Patologias Vasculares

Sistema circulatório

o

Vasos sangüíneos: canais onde

circula o sangue

o

Coração: bomba que dá ao sangue o seu impulso para circulação

sangüíneos: canais onde circula o sangue o Coração: bomba que dá ao sangue o seu impulso

Coração Normal

Anatomia

Base

Ápice

Anatomia do Coração

Órgão muscular cônico.

Bomba com 4 câmaras e 4 válvulas.

Saco fibroblástico: o pericárdio.

e 4 válvulas . Saco fibroblástico: o pericárdio.  Lado direito  circulação pulmonar  Lado

Lado direitocirculação pulmonar

Lado esquerdocirculação sistêmica.

Coração Normal Anatomia

Ápice

Anatomia do Coração

EPICÁRDIO

MIOCÁRDIO

PERICÁRDIO

Anatomia do Coração  EPICÁRDIO  MIOCÁRDIO  PERICÁRDIO

Anatomia do Coração

EPICÁRDIO

Tecido

vasos

nervos.

fibroso,

tecido

adiposo,

sangüíneos,

linfáticos

e

Anatomia do Coração EPICÁRDIO  Tecido vasos nervos. fibroso, tecido adiposo, sangüíneos, linfáticos e

Coração Normal

Endocárdio
Endocárdio
Miocárdio
Miocárdio
Epicárdio
Epicárdio

Anatomia do Coração

MIOCÁRDIO

Camada miócitos

muscular,

composta

por

Responsáveis pela contração cardíaca e pelo sistema de condução.

 Camada miócitos muscular, composta por  Responsáveis pela contração cardíaca e pelo sistema de condução.

Coração Normal

Coração Normal
Coração Normal
Coração Normal

Anatomia do Coração

ENDOCÁRDIO

Camada

mais

revestimento

das

estendendo-se

cordões

nas

tendinosos

papilares.

interna

de

câmaras

válvulas,

músculos

e

Camada mais revestimento das estendendo-se cordões nas tendinosos papilares. interna de câmaras válvulas, músculos e

Coração Normal Fisiologia

Coração Normal Fisiologia Pequena Circulação ou Circulação Pulmonar Sangue das veias, proveniente de diversos

Pequena Circulação ou Circulação Pulmonar

Fisiologia Pequena Circulação ou Circulação Pulmonar Sangue das veias, proveniente de diversos órgãos,
Fisiologia Pequena Circulação ou Circulação Pulmonar Sangue das veias, proveniente de diversos órgãos,

Sangue das veias, proveniente de diversos órgãos, desemboca no coração (CD). Dali é enviado

aos pulmões para ser

oxigenado e retorna ao coração (CE) .

órgãos, desemboca no coração (CD). Dali é enviado aos pulmões para ser oxigenado e retorna ao

Coração Normal

Fisiologia

Coração Normal Fisiologia Grande Circulação ou Circulação Sistêmica Sangue proveniente dos pulmões que se

Grande Circulação ou Circulação Sistêmica

Fisiologia Grande Circulação ou Circulação Sistêmica Sangue proveniente dos pulmões que se encontra no coração
Fisiologia Grande Circulação ou Circulação Sistêmica Sangue proveniente dos pulmões que se encontra no coração

Sangue proveniente dos pulmões que se encontra no coração é bombeado aos órgãos do corpo. O sangue que deixa os órgãos é rico em CO2 e é conduzindo ao coração, recomeçando o ciclo.

Coração Normal Fisiologia

Coração Normal Fisiologia

Coração Normal Fisiologia
Coração Normal Fisiologia
Coração Normal Fisiologia
Coração Normal  Histologia  Constituintes  Miócitos
Coração Normal  Histologia  Constituintes  Miócitos

Coração

Normal

Histologia

Constituintes

Miócitos

Coração Normal  Histologia  Constituintes  Miócitos

Coração Normal

Histologia

Coração Normal H i s t o l o g i a
Coração Normal H i s t o l o g i a

Lesões incidentais ou

Pitt fals Cardíacas

Melanose

Nódulos de Arantius

Ossos do coração

Linfáticos do Epicárdio

Melanose ovino

Melanose – ovino
Melanose – ovino
Nódulos de Arantius Eqüinos

Nódulos de Arantius

Eqüinos

Nódulos de Arantius Eqüinos
Nódulos de Arantius Eqüinos
Osso do coração Bovinos

Osso do coração

Bovinos

Osso do coração Bovinos
Osso do coração Bovinos

Osso do coração Bovinos

Osso do coração Bovinos
Osso do coração Bovinos
Osso do coração Bovinos

Linfáticos no epicárdio

Bovinos

Linfáticos no epicárdio Bovinos
Linfáticos no epicárdio Bovinos
Linfáticos no epicárdio Bovinos

Lesões de Pouco significado

Clínico

Nódulos de fricção

Edema septal da valva tricúspide

Hemorragias subendocárdicas

Hematocistos

Cistos linfáticos

Nódulos de fricção equino

Nódulos de fricção equino

Nódulos de fricção equino
Nódulos de fricção equino
Nódulos de fricção equino
Edema septal da valva tricúspide - cão

Edema septal da valva tricúspide - cão

Edema septal da valva tricúspide - cão
Edema septal da valva tricúspide - cão
Edema septal da valva tricúspide - cão

Hemorragias subendocárdicas

Bovinos

Hemorragias subendocárdicas Bovinos
Hemorragias subendocárdicas Bovinos

Hematocisto - Bovino

Hematocisto - Bovino
Hematocisto - Bovino
Hematocisto - Bovino

Cisto linfático - Bovinos

Cisto linfático - Bovinos
Cisto linfático - Bovinos
Cisto linfático - Bovinos

Alterações pós-mortal

Alterações pós-mortal  Líquido vermelho nas cavidades  Embebição por hemoglobina  Coágulo cruórico 

Líquido vermelho nas cavidades

Embebição por hemoglobina

Coágulo cruórico

Coágulo lardáceo

“Gordura de galinha”

Líquido vermelho nas

cavidades

Líquido vermelho nas cavidades
Líquido vermelho nas cavidades
Líquido vermelho nas cavidades

Embebição por

hemoglobina

Embebição por hemoglobina
Embebição por hemoglobina
Embebição por hemoglobina

Coágulo cruórico

Coágulo cruórico
Coágulo cruórico
Coágulo cruórico

Coágulo lardáceo

Coágulo lardáceo
Coágulo lardáceo
Coágulo lardáceo

“Gordura de galinha”

“Gordura de galinha”
“Gordura de galinha”
“Gordura de galinha”
Patologias Cardíacas  Resposta à Agressão  Fisiopatologia Cardíaca  Anomalias Congênitas  Patologias

Patologias Cardíacas

Resposta à Agressão

Fisiopatologia Cardíaca

Anomalias Congênitas

Patologias do Pericárdio

Patologias do Miocárdio

Patologias do Endocárdio

Resposta do Miocárdio à Agressão  Sub-letal  Letal (Necrose)

Resposta do

Miocárdio à Agressão

Sub-letal

Letal (Necrose)

Resposta do Miocárdio à Agressão  Sub-letal  Letal (Necrose)

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão

Agressão Sub-letal

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão  Agressão Sub-letal Atrofia Hipertrofia
Padrões de Lesões e Respostas a Agressão  Agressão Sub-letal Atrofia Hipertrofia

Atrofia

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão  Agressão Sub-letal Atrofia Hipertrofia

Hipertrofia

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão  Agressão Sub-letal Atrofia Hipertrofia

Padrões de Lesões e

Respostas a Agressão

Degeneração Gordurosa

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão Degeneração Gordurosa Lipofuscinose ?
Padrões de Lesões e Respostas a Agressão Degeneração Gordurosa Lipofuscinose ?
Lipofuscinose
Lipofuscinose
Padrões de Lesões e Respostas a Agressão Degeneração Gordurosa Lipofuscinose ?
Padrões de Lesões e Respostas a Agressão Degeneração Gordurosa Lipofuscinose ?

?

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão Degeneração Gordurosa Lipofuscinose ?

Padrões de Lesões e

Respostas a Agressão

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão
Padrões de Lesões e Respostas a Agressão
Padrões de Lesões e Respostas a Agressão

Padrões de Lesões e

Respostas a Agressão

Degeneração Vacuolar
Degeneração Vacuolar

Cardiomiólise

Padrões de Lesões e Respostas a Agressão Degeneração Vacuolar Cardiomiólise

Padrões de Lesões e

Respostas a Agressão

?
?

Fisiopatologia Cardíaca

Função normal resulta na manutenção de um fluxo sangüíneo adequado:

A liberação de oxigênio e nutrientes;

A remoção do dióxido de carbono e outros metabólitos;

outros

A

distribuição

de

hormônios

e

reguladores;

Manutenção da termoregulação;

A excreção adequada da urina.

Fisiopatologia Cardíaca

Coração

normal

tem

uma

reserva

funcional de 3 a 5 vezes o necessário

que é extrapolada nas miocardiopatias e

nos "déficits funcionais".

funcional de 3 a 5 vezes o necessário  que é extrapolada nas miocardiopatias e nos

Mecanismos

compensatórios

Responsáveis cardíaco

pelo

o

adequado

débito

nas

demandas funcionais através:

Mecanismos compensatórios  Responsáveis cardíaco pelo o adequado débito nas demandas funcionais através:

Mecanismos

compensatórios

Dilatação cardíaca

Hipertrofia do miocárdio

Aumento na freqüência cardíaca

Aumento na resistência periférica

Aumento na volemia

Redistribuição do fluxo sangüíneo

cardíaca  Aumento na resistência periférica  Aumento na volemia  Redistribuição do fluxo sangüíneo

Dilatação Cardíaca

Manter o débito cardíaco em muitas

cardiopatias terminais

Permite o alongamento das fibras cardíacas

aumento da freqüência cardíaca e do volume sistólico até um limite além do qual a força contrátil diminui.

Dilatação Cardíaca

Dilatação Cardíaca
Dilatação Cardíaca
Dilatação Cardíaca

Hipertrofia do

Miocárdio

é uma resposta

a causa primária pode ser extra-cardíaca

Resposta

compensatória

de

longa

duração,

ocorre

em

situações

com

aumento

na

sobrecarga de pressão ou volume.

Hipertrofia Cardíaca Aspecto   D: ampliação da base  E: aumenta comprimento do órgão

Hipertrofia Cardíaca

Aspecto

D: ampliação da base

E: aumenta comprimento do órgão

Ambas: coração arredondado (globoso)

Aspecto   D: ampliação da base  E: aumenta comprimento do órgão  Ambas: coração

Hipertrofia Cardíaca

Concêntrica:

diminuição da luz.

espessamento

da

parede

com

Ocorre nas sobrecargas de pressão.

da parede com  Ocorre nas sobrecargas de pressão.  Excêntrica: espessamento da parede com ampliação
da parede com  Ocorre nas sobrecargas de pressão.  Excêntrica: espessamento da parede com ampliação

Excêntrica: espessamento da parede com ampliação da luz.

Ocorre nas sobrecargas de volume.

Hipertrofia Cardíaca

Hipertrofia Cardíaca Concêntrica VE

Concêntrica

VE

Hipertrofia Cardíaca Concêntrica VE
Excêntrica VE Hipertrofia Cardíaca

Excêntrica VE

Hipertrofia Cardíaca

Excêntrica VE Hipertrofia Cardíaca
Excêntrica VE Hipertrofia Cardíaca

Insuficiência Cardíaca

Conceito

É

expressão

a

cardíaca

aguda

da

Fisiopatologia

doença

Insuficiência Cardíaca

Caracterizada clinicamente por:

colapso,

perda da consciência

extrema alteração na freqüência cardíaca

pressão sangüínea com ou sem lesões orgânicas demonstráveis.

Insuficiência Cardíaca Pode ocorrer nos casos de:  Necrose do miocárdio  Fibrilação ventricular 

Insuficiência Cardíaca

Pode ocorrer nos casos de:

Necrose do miocárdio

Fibrilação ventricular

Bloqueio cardíaco arritmias

Inibição cardíaca reflexa

INSUFICIÊNCIA

CARDÍACA

Insuficiência ventrículo direito

Insuficiência ventrículo esquerdo

Congestão generalizada Hidrotórax e hidropericárdio Hidroperitôneo (ascite)
Congestão generalizada
Hidrotórax e
hidropericárdio
Hidroperitôneo (ascite)
Congestão generalizada Hidrotórax e hidropericárdio Hidroperitôneo (ascite) Congestão pulmonar Edema pulmonar

Congestão pulmonar

Edema pulmonar

Insuficiência de

Coração Direito

Causas mais comuns:
Causas mais comuns:

Lesões inflamatórias e necróticas no miocárdio Lesões valvulares: endocardite da tricúspide e estenose da pulmonar Hipertensão pulmonar: “doença das grandes

altitudes” em bovinos.

Insuficiência de Coração Direito

Insuficiência de Coração

Direito

Insuficiência de Coração Direito

Insuficiência de Coração Direito

Resulta na congestão hepática :

("fígado em noz moscada")

Retenção de sódio e água mais severa que a observada na ICE. O edema fica evidente:

edema subcutâneo ventral (bovino e eqüino) ascite (cães) hidrotórax (gatos).

Insuficiência Cardíaca

Lesões Extracardíacas

Insuficiência Cardíaca  Lesões Extracardíacas
Insuficiência Cardíaca  Lesões Extracardíacas

Fígado Noz

Moscada

Fígado Noz Moscada
Fígado Noz Moscada
Ascite

Ascite

Ascite
Insuficiência de Coração Esquerdo

Insuficiência de

Coração Esquerdo

Insuficiência de Coração Esquerdo

Insuficiência de

Coração Esquerdo

Causas mais comuns:
Causas mais comuns:

Miocardite e necrose do miocárdio

Endocardite da válvula mitral

Estenose da válvula aórtica

mais comuns:  Miocardite e necrose do miocárdio  Endocardite da válvula mitral  Estenose da

Insuficiência de Coração Esquerdo

Manifesta-se por:

Congestão

Edema pulmonar

Insuficiência de Coração Esquerdo  Manifesta-se por:  Congestão  Edema pulmonar
Insuficiência de Coração Esquerdo  Manifesta-se por:  Congestão  Edema pulmonar
Edema Pulmonar
Edema
Edema

Pulmonar

Edema Pulmonar
Edema Pulmonar
Edema
Edema

Pulmonar

Edema Pulmonar
Edema Pulmonar

Insuficiência Cardíaca Congestiva (ICC)

Desenvolve-se lentamente

gradual

Perda

de

eficiência

bombeamento cardíaco,

do

associada à sobrecarga de volume

lesão do miocárdio

defeito valvular congênito ou adquirido.

Patogenia ICC

Patogenia ICC Doença cardíaca ou sobrecarga de trabalho associada a uma doença renal, pulmonar ou vascular

Doença cardíaca ou sobrecarga de trabalho associada a uma doença renal, pulmonar ou vascular perda da reserva cardíaca

a d a r e s e r v a c a r d í a

INSUFICIÊNCIA

RETRÓGRADA

acúmulo de sangue antes da câmara insuficiente
acúmulo de sangue
antes da câmara
insuficiente

menor fluxo sangüíneo nos tecidos periféricos

Patogenia ICC

Redução do fluxo sangüíneo renal
Redução do fluxo
sangüíneo renal
Patogenia ICC Redução do fluxo sangüíneo renal hipóxia renal Retenção de sódio e água estimula a
hipóxia renal
hipóxia renal

Retenção de sódio

e água

estimula a liberação de aldosterona pelo córtex adrenal
estimula a liberação
de aldosterona pelo
córtex adrenal

aumentando a liberação de renina a partir do aparelho justaglomerular

liberação de aldosterona pelo córtex adrenal aumentando a liberação de renina a partir do aparelho justaglomerular

Patogenia ICC

Em decorrência, segue-se um aumento no volume plasmático juntamente com o surgimento do fluído formador
Em decorrência, segue-se
um aumento no volume
plasmático juntamente com
o surgimento do fluído
formador do edema
(cavidades corporais).

É possível algum mecanismo compensatório para o aumento da carga de trabalho

A hipóxia também estimula a medula a aumentar a eritropoese, ocorrendo uma policitemia
A hipóxia também
estimula a medula a
aumentar a eritropoese,
ocorrendo uma
policitemia
A hipervolemia e o aumento de viscosidade do sangue policitêmico
A hipervolemia e o
aumento de viscosidade
do sangue policitêmico
e o aumento de viscosidade do sangue policitêmico dilatação cardíaca ou hipertrofia e aumento da
dilatação cardíaca ou hipertrofia e aumento da freqüência cardíaca
dilatação cardíaca
ou hipertrofia e
aumento da
freqüência cardíaca

exerce uma carga maior sobre o coração deficiente, tendo início um ciclo vicioso de descompensação cardíaca,

levando a

morte por insuficiência cardíaca
morte por insuficiência cardíaca