Você está na página 1de 9
MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

RELATÓRIO DE ANÁLISE Nº 1

Assunto: Operação ARARATH Referência: IPL nº 0182/2012 SR/DPF/MT (Processo nº 7660-27.2012.4.01.3600 5ª VC/JF/MT)

1 INTRODUÇÃO

O presente relatório parcial de análise de material apreendido traz o detalhamento analítico de documentos apreendidos em 12 de novembro de 2013, na cidade de Cuiabá/MT, em decorrência do cumprimento dos mandados de busca e apreensão, emitidos pelo Juízo da 5ª Vara Federal, Seção Judiciária de Mato Grosso.

2 DO LOCAL DA APREENSÃO

Sede da empresa COMERCIAL AMAZÔNIA DE PETRÓLEO LTDA - Av. Rubens de Mendonça, 2000, salas 1204 a 1206, Edifício Centro Empresarial Cuiabá, Bosque da Saúde, Cuiabá/MT

3 DA ANÁLISE DOS MATERIAIS APREENDIDOS

Tendo em vista a grande quantidade de documentos apreendidos no interior da empresa COMERCIAL AMAZÔNIA DE PETRÓLEO LTDA, referentes a movimentações financeiras da empresa e outras vinculações suspeitas, foram selecionados documentos, cujas imagens digitalizadas foram colacionadas no presente, a fim de facilitar a visualização e compreensão dos fatos investigados. Importante esclarecer que os materiais apreendidos na sede da COMERCIAL AMAZÔNIA DE PETRÓLEO foram discriminados em mais de um auto de apreensão.

Este relatório tem o objetivo de demonstrar vínculos dos itens apreendidos com as informações decorrentes das quebras de sigilo telefônico, telemático, bancário e fiscal, bem como outras diligências e pesquisas realizadas no decorrer da presente investigação.

1

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

Na sequência, segue o detalhamento dos itens apreendidos que merecem destaque por se referirem à empresa Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda, constante do rol de devedores de GERCIO JR.

Item 20 do auto de apreensão nº 300/2013: pasta verde com a descrição “Alceu Machado, Sperb & Bonat Cordeiro sociedade de advogados” contendo documentos referentes a contratos de confissão de dívida entre as empresas SET Sociedade Educacional Tuiuti Ltda, Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda, Globo Fomento Ltda e Máximo Fomento Mercantil Ltda; Item 33 do auto de apreensão nº 300-1/2013: pasta transparente contendo diversas cópias de modelos de documentos autenticados entre as empresas AMAZONIA DE PETRÓLEO LTDA e Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda.

A quebra de sigilo bancário, devidamente autorizada pelo juízo competente, da pessoa física GERCIO MARCELINO MENDONÇA JÚNIOR e das pessoas jurídicas relacionadas a ele, revelou fortes indícios de que o grupo comandado por GERCIO JR realizou empréstimos à empresa Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda, CNPJ 15.047.806/0001-02, cujos proprietários no ano de 2006 eram José Haroldo Ribeiro Filho e José Guilherme Fonseca Dias Ribeiro.

cujos proprietários no ano de 2006 eram José Haroldo Ribeiro Filho e José Guilherme Fonseca Dias
cujos proprietários no ano de 2006 eram José Haroldo Ribeiro Filho e José Guilherme Fonseca Dias

2

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS
REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS

3

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS Os extratos colacionados acima mostram vários depósitos de

Os extratos colacionados acima mostram vários depósitos de cheques emitidos pela Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda em favor de GERCIO MARCELINO MENDONÇA JÚNIOR, GLOBO FOMENTO e COMERCIAL AMAZÔNIA DE PETRÓLEO.

Sobre essas transações financeiras, o sócio administrador da Comercial Santa Rita de Petróleo à época, José Haroldo Ribeiro Filho, quando ouvido em termo de depoimento pela Polícia Federal, na data de 27/11/2013, confirmou que tomava empréstimo da GLOBO FOMENTO e dava cheques da própria Santa Rita em garantia:

QUE tomou vários empréstimos da GLOBO FOMENTO; QUE os empréstimos eram

tomados para a Santa Rita e eram exigidos, em garantia, cheques da própria Santa Rita, no

QUE os cheques emitidos pela Santa Rita entregues à GLOBO

FOMENTO foram todos com o fim de pagar os empréstimos, pois nunca teve nenhuma relação comercial com a GLOBO, nem com GERCIO, nunca comprou, pois, nada deles (

valor do empréstimos (

“(

)

),

Dentre os documentos apreendidos, listados no item 20 do auto de apreensão nº 300-1/2013-SR/DPF/MT, consta documento intitulado “Instrumento Particular de Confissão de Dívida, Cessão de Crédito e Outras Avenças”, datado de 16/04/2007, tendo como partes:

- credores: GLOBO FOMENTO LTDA, CNPJ 04.997.312/0001-72, representada pelo sócio GERCIO MARCELINO MENDONÇA JUNIOR; e MÁXIMO FOMENTO MERCANTIL LTDA, CNPJ 06.906.945/0001-07, representada por SÉRGIO LEONARDO DE CAMPOS BRAGA, CNPJ; - devedora: Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda, CNPJ 15.047.806/0001- 02, representada pelo sócio José Haroldo Ribeiro Filho; - interveniente anuente: SET Sociedade Educacional Tuiuti Ltda, CNPJ 76.590.249/0001-66, representada pelo sócio Carlos Eduardo Rangel Santos. Pelo instrumento de confissão de dívida, a Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda confessa ser devedora da GLOBO FOMENTO no valor de R$3.166.552,45 (três milhões, cento e sessenta e seis mil, quinhentos e cinquenta e dois reais e quarenta e cinco centavos) e também devedora da MÁXIMO FOMENTO MERCANTIL no valor de

4

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

R$2.327.327,29 (dois milhões, trezentos e vinte e sete mil, trezentos e vinte e sete reais e vinte e nove centavos), totalizando o valor de R$5.493.879,74 (cinco milhões, quatrocentos e noventa e três mil, oitocentos e setenta e nove reais e setenta e quatro centavos).

e setenta e nove reais e setenta e quatro centavos). (extraído do item 20) Sobre o

(extraído do item 20)

Sobre o referido Instrumento Particular de Confissão de Dívida, Cessão de Crédito e Outras Avenças, encontra-se consignado no termo de depoimento de José Haroldo Ribeiro Filho:

QUE exibida cópia do instrumento particular de confissão de dívida, cessão de créditos

e outras avenças reconhece como o documento que consolida os valores devidos, em razão dos empréstimos, às duas factorings, GLOBO FOMENTO e MÁXIMO FOMENTO, conforme confessado no próprio documento, totalizando, respectivamente os valores de R$3.166.552,45 (três milhões, cento e sessenta e seis mil, quinhentos e cinquenta e dois reais e quarenta e cinco centavos), devidos à GLOBO, e R$2.327.327,29 (dois milhões, trezentos e vinte e sete mil, trezentos e vinte e sete reais e vinte e nove centavos), devidos à MAXIMO

FOMENTO (

“(

)

5

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

Os fatos apurados não deixam dúvidas de que as empresas GLOBO FOMENTO e MÁXIMO FOMENTO MERCANTIL, em verdade, operavam como instituição financeira clandestina, realizando empréstimos, aproveitando-se da fragilidade de terceiros. Conhecedoras dos ilícitos praticados, a GLOBO FOMENTO e a MÁXIMO FOMENTO MERCANTIL consignam, no item 3 do preâmbulo do Instrumento Particular de Confissão de Dívida, Cessão de Crédito e Outras Avenças, que a dívida no valor de R$5.493.879,74 (cinco milhões, quatrocentos e noventa e três mil, oitocentos e setenta e nove reais e setenta e quatro centavos) é relativa à capitalização para futuro aumento de capital social da Comercial Santa Rita.

futuro aumento de capital social da Comercial Santa Rita. Com relação ao item 33 do auto

Com relação ao item 33 do auto de apreensão nº 300-1/2013ª, chama a atenção o contrato de compra e venda de fundo comércio celebrado entre COMERCIAL AMAZÔNIA DE PETRÓLEO LTDA e Comercial Santa Rita de Petróleo Ltda, firmado em

21/08/2007.

Pelos termos do contrato, a Comercial Santa Rita Ltda vendeu 10 (dez) postos revendedores de combustível, pelo valor unitário de R$549.387,97 (quinhentos e quarenta e nove mil e trezentos e oitenta e sete reais e noventa e sete centavos), totalizando R$5.493.879,70 (cinco milhões, quatrocentos e noventa e três mil, oitocentos e setenta e nove reais e setenta centavos), valor semelhante ao consignado no Instrumento Particular de Confissão de Dívida, Cessão de Crédito e Outras Avenças (item 20 do auto de apreensão nº

300/2013).

A celebração de tal contrato indica que a Comercial Santa Rita não conseguiu quitar a dívida e acabou entregando 10 (dez) postos revendedores de combustível como forma de pagamento a GERCIO JR em 21/08/2007, data da constituição da COMERCIAL AMAZÔNIA DE PETRÓLEO LTDA.

6

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS

( )

REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS

7

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS

(

)

REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS

8

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA DEPARTAMENTO DE POLÍCIA FEDERAL SUPERINTENDÊNCIA REGIONAL NO ESTADO DE MATO GROSSO DELEGACIA DE REPRESSÃO A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS

A CRIMES FINANCEIROS E DESVIOS DE RECURSOS PÚBLICOS (extrato CNE) Sobre o pagamento da dívida a

(extrato CNE)

Sobre o pagamento da dívida a GERCIO JR, José Haroldo Ribeiro Filho

declarou:

QUE essa dívida confessada, foi paga mediante a entrega do fundo de comércio dos 10 (dez) postos da Santa Rita, e esse pagamento foi formalizado pelo contrato de compra e venda de fundo de comércio, datado de 21/08/2007, cuja cópia o depoente apresenta à autoridade policial nesse momento, que na verdade não é uma compra e venda, mas a dação do fundo de comércio (dos postos) em pagamento das dívidas decorrentes dos empréstimos tomados, a qual foi dada o nome de "compra e venda"; QUE inclusive, não há a entrada dos valores ali declarados no caixa da empresa Santa Rita, apensa foi dado o nome de "compra e venda" ao negócio que na verdade é o pagamento da dívida perante as duas factorings; QUE a COMERCIAL AMAZONIA DE PETRÓLEO foi constituída justamente para assumir os negócios da Santa Rita, e, inclusive, GERCIO JUNIOR usou a razão social da Santa Rita por um tempo, mas não se recorda bem por quanto tempo; QUE o Sérgio Leonardo, da MÀXIMO FOMENTO, provavelmente também foi beneficiado com o negócio, já que era um dos credores ( )”

Ao finalizar, necessário destacar a participação de SÉRGIO LEONARDO DE CAMPOS BRAGA, proprietário da MÁXIMO FOMENTO MERCANTIL LTDA, no evento.

É o relatório.

Cuiabá-MT, 03 de dezembro de 2013.

9