Você está na página 1de 66

Matemática Financeira p

/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 1
AULA 01: Juros simples

1. JUROS SIMPLES ............................................................................................................................... 2
1.1. Períodos da taxa .......................................................................................................................... 7
1.2. Cuidados na aplicação da fórmula de juros simples ................................................................... 8
1.3. Juros exatos, bancários e comerciais ........................................................................................ 10
1.4. Taxas equivalentes em juros simples ........................................................................................ 13
1.5. Capital, taxa e prazo médios ..................................................................................................... 15
2. QUESTÕES COMENTADAS ............................................................................................................. 18
3. RESUMO DA AULA......................................................................................................................... 53
4. LISTA DAS QUESTÕES APRESENTADAS ......................................................................................... 54
5. GABARITO ..................................................................................................................................... 65









Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 2
1. JUROS SIMPLES
A situação é a seguinte: alguém possui dinheiro hoje, mas não precisa ou não quer usá-lo.
Outra pessoa não possui dinheiro agora, mas quer ou precisa usar uma “graninha” no
momento atual. Quem tem o dinheiro hoje pode cedê-lo para a pessoa que precisa. Para
tanto, ela cobra um “aluguel”. Este aluguel são os juros.
Esta é uma maneira simplificada de entender porque pagamos juros quando pegamos
dinheiro emprestado. Estamos pagando uma remuneração para que quem nos emprestou
deixe de usar o dinheiro hoje, para poder usá-lo só depois.
Na realidade, os juros são calculados com base em vários fatores. Veja alguns deles:
• Risco: quem empresta o dinheiro está correndo um risco de não receber o dinheiro
de volta.
• Despesas para emprestar: em alguns casos existem despesas para o empréstimo.
Imagine um banco emprestando. Ele tem algumas despesas nesta operação, que
certamente são cobradas de quem pegou o dinheiro emprestado.
• Perda de valor do dinheiro: sabemos que a inflação corrói o poder de compra do
dinheiro. Obviamente, quem emprestou vai querer ter o seu poder de compra
preservado. Ele vai repassar este ônus ao emprestador.
• Custo de Oportunidade: imagine que existam outras opções de investimento. Pense,
por exemplo, que, em vez de emprestar o dinheiro, eu possa colocar na poupança. A
poupança é um investimento muito seguro. Só vou deixar de investir meu dinheiro
nela (deixando de auferir seus rendimentos), se o investimento pelo qual eu optar
me propiciar um retorno maior. Esse retorno maior tem que compensar o custo de
oportunidade que estou tendo (ou seja, o rendimento que estou deixando de
ganhar, ao não aplicar na poupança).

1.1. Fórmula de juros simples
Exemplo 1:
João empresta R$ 200,00 para Pedro, cobrando uma taxa de 1% ao mês (juros simples).
Qual o valor da dívida, depois de dez meses?

Resolução:
Pronto. Entramos em um dos problemas mais comuns de matemática financeira. A cobrança
de juros. Este tipo de problema vai nos acompanhar durante todas as aulas de matemática
financeira. A ideia é sempre a mesma. O que vai dificultando, aos poucos, são os cálculos
envolvidos.
A ideia dos juros é remunerar o capital. Pedro precisa do dinheiro hoje, mas não tem este
dinheiro. João tem o dinheiro, mas não precisa dele agora. Assim, João empresta o dinheiro
para Pedro, mas cobra uma remuneração por isto. Esta remuneração são os juros.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 3
Os juros representam uma receita (ou rendimento) para quem empresta o dinheiro e uma
despesa para quem toma emprestado.
O valor dos juros depende da taxa. Dizer que é cobrada uma taxa de 1% significa que os
juros cobrados são de:
ܬ = 1% × 200 = 0,01 × 200 = 2
Portanto, os juros são iguais a R$ 2,00.
Pois bem, passado o primeiro mês, Pedro já deve a João R$ 202,00. Deste valor, temos R$
200,00 correspondentes ao inicialmente emprestado, mais R$ 2,00 de juros.
Passa o segundo mês. Pedro continua usando o dinheiro de João. Portanto, terá que pagar
novos juros. A taxa permanece em 1%. Como calcular os juros do segundo mês?
A partir do segundo mês, temos que saber se a taxa é de juros simples ou de juros
compostos.
Quando temos juros simples, a taxa sempre incide sobre o valor inicial.
Assim, os juros do segundo mês serão, novamente, iguais a R$ 2,00.
Fica assim:
ܬ = 1%× 200 = 2
Passa o terceiro mês. E o Pedro continua com o dinheiro do João. Portanto, vai ter que
pagar mais uma remuneração. Novamente teremos uma taxa de 1%. E, como são juros
simples, novamente esta taxa incidirá sobre o valor inicialmente emprestado (R$ 200,00).
Portanto, os juros do terceiro mês serão novamente de R$ 2,00.
E assim por diante, até o décimo mês.
Ao final do décimo mês, Pedro terá que devolver os R$ 200,00 iniciais mais R$ 2,00 reais
para cada mês que passou.
Assim, Pedro terá que devolver:
200 + 10 × 2 = 220
Resposta: depois de dez meses o valor da dívida é de R$ 220,00.

Alguns nomes importantes.
A quantia inicial (=200,00) geralmente recebe um nome importante: capital inicial (C).
A quantia final (=220,00) também recebe um nome importante: montante (M).
Podemos dizer que o montante (M) é igual ao capital (C) mais os juros (J).
ܯ = ܥ + ܬ
Foi exatamente isto que aconteceu no nosso exemplo. O capital foi de 200. Os juros foram
de 20. E o montante foi 220.
Esta equação sempre vale, sejam juros simples, sejam compostos. O que vai mudar,
conforme as taxas sejam simples ou compostas, é a forma de calcular os juros.
No caso de regime simples, os juros ficam:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 4
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ
Nesta fórmula temos:
• J são os juros
• n é o número de períodos que passaram
• i é a taxa de juros
• C é o capital
E foi exatamente esta fórmula que usamos no problema acima.
Pedro teve que pagar, de juros, vinte reais.
Ou seja, Pedro teve que pagar juros de:

Então esta é a fórmula que temos que saber para juros simples:
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ
Considerando que ܯ = ܥ + ܬ, podemos obter:
ܯ = ܥ + ܬ
ܯ = ܥ + ݊ × ݅ × ܥ
Colocando C em evidência:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)


Fórmulas para juros simples:
ܯ = ܥ + ܬ (vale sempre, mesmo que sejam juros compostos)
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ (vale só para juros simples)
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅) (decorrência das duas anteriores, então é só para juros simples)

Mais alguns comentários sobre todas as parcelas vistas.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 5
O capital é a quantidade de moeda que uma pessoa tem disponível para ceder a outra
pessoa. Os problemas podem utilizar outros nomes, de mesmo significado. São eles:
principal, valor aplicado, investimento inicial. A pessoa que cede o dinheiro é o investidor.
Quem recebe o dinheiro é o tomador.
A remuneração paga pelo “empréstimo” (ou ainda, pela “cessão” do dinheiro) são os juros.
Como já dissemos, para o tomador os juros são uma despesa e para o investidor os juros são
uma receita.
O montante é o valor total da transação financeira, sendo equivalente à soma dos juros com
o capital.
A taxa de juros representa a relação entre o juro e o capital investido. No nosso exemplo, o
capital investido foi de R$ 200,00 e os juros mensais eram de R$ 2,00. Vamos fazer a relação
entre esses dois valores:
2
200
= 0,01 = 1%

Este valor acima é justamente a taxa de juros. Dizemos que a taxa de juros é de 1% ao mês.
Isto porque, a cada mês, serão pagos juros correspondentes a 1% do capital.

Exemplo 2:
Um capital no valor de R$ 1.000,00 é aplicado a uma taxa de juros simples de 3% ao mês,
durante 5 meses. Qual o valor dos juros? Qual o valor do montante?

Resolução:
Aplicação direta da fórmula. Primeiro identificamos os termos:
ܥ = 1.000
݅ = 3% = 0,03
݊ = 5
Como temos o capital e precisamos calcular os juros, vamos para a fórmula que relaciona
essas duas grandezas:
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ
ܬ = 5 × 0,03 × 1.000 = 150
Calculando o montante:
ܯ = ܥ + ܬ = 1.000 + 150 = 1.150

Exemplo 3:
Um capital desconhecido foi aplicado a uma taxa de 10% ao mês (juros simples), durante 2
meses, resultando no montante de R$ 2.400,00. Calcule o valor do capital.

Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 6
Resolução:
Como temos o montante, usamos a fórmula em que ele aparece. Há duas em que isso
ocorre:
ܯ = ܥ + ܬ
Essa fórmula não é muito útil, pois nela há duas grandezas desconhecidas (C e J). Vamos
optar pela outra fórmula do montante:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
Agora sim, a única grandeza desconhecida é o capital. Ficamos com:
2.400 = ܥ × (1 + 2 × 0,1)
2.400 = ܥ × 1,2
ܥ =
2.400
1,2
= 2.000
O capital é de R$ 2.000,00.

Exemplo 4:
Um capital de 3.000,00 é aplicado durante determinado período, a uma taxa de juros
simples 3% ao mês, resultando no montante de R$ 3.540,00. Calcule o número de meses da
aplicação.

Resolução:
Há duas opções:
1º) partimos direto para:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
3.540 = 3.000 × (1 + ݊ × 0,03)
3.540 = 3.000 + 3.000 × ݊ × 0,03
3.540 − 3.000 = 90݊
݊ =
540
90
= 6
O prazo de aplicação é 6 meses.

2ª) Primeiro calculamos os juros:
ܯ = ܥ + ܬ
3.540 = 3.000 + ܬ
ܬ = 3.540 − 3.000 = 540
Agora aplicamos a fórmula dos juros:
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 7
540 = ݊ × 0,03 × 3.000
540 = 90݊
݊ =
540
90
= 6
Exemplo 5:
Um capital de R$ 10.000,00 é aplicado durante 10 meses, a uma taxa desconhecida,
resultando no montante de R$ 15.000,00. Calcule o valor da taxa de juros simples mensal.

Resolução:
Há duas opções:
1º) partimos direto para:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
15.000 = 10.000 × (1 + ݊ × 0,03)
15.000 = 10.000 + 10.000 × 10 × ݅
15.000 − 10.000 = 100.000 × ݅
݊ =
5.0000
100.000
= 0,05
A taxa é de 5% ao mês. Detalhe interessante: como o prazo foi trabalhado em meses, a taxa
obtida também é mensal.

2ª) Primeiro calculamos os juros:
ܯ = ܥ + ܬ
15.000 = 10.000 + ܬ
ܬ = 15.000 − 10.000 = 5000
Agora aplicamos a fórmula dos juros:
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ
5000 = 10 × ݅ × 10.000
5.000 = 10.000 × ݅
݊ =
5.000
10.000
= 5%

Nos exemplos acima vimos todas as variações. As questões dão todas as grandezas, a
execção de uma (juro, montante, capital, taxa de juros ou prazo). Nossa tarefa é isolar a
grandeza de interesse e fazer o cálculo.

1.1. Períodos da taxa
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 8
A taxa de juros, nos exemplos acima, foi sempre expressa para o período de 1 mês. Dizemos
que trata-se de uma taxa mensal, ou “ao mês”.
Exemplo: capital de 100,00, aplicado a uma taxa de 2% ao mês.
Isso significa que, a cada mês, teremos juros de 2% incidindo sobre 100,00.
Essa taxa é representada assim: 2% a.m.
A sigla “a.m” significa “ao mês”.
A taxa pode vir expressa em qualquer prazo. Cada um tem uma sigla. Exemplos:
• mensal: a.m (ao mês)
• bimestral: a.b (ao bimestre)
• trimestral: a.t. (ao trimestre)
• semestral: a.s. (ao semestre)
• anual: a.a. (ao ano)
Exemplo:
1% a.m. = 1% ao mês;
2% a.a. = 2% ao ano;
3% a.b = 3% ao bimestre;
4% a.t. = 4% ao trimestre;
5% a.s. =5% ao semestre.

1.2. Cuidados na aplicação da fórmula de juros simples
De uma forma geral, o conhecimento das fórmulas acima é suficiente para resolver todas as
questões de juros simples. O cuidado que se deve ter é com as unidades. As unidades de
tempo e da taxa têm que ser coerentes. Assim, se a taxa está ao mês e o prazo está em
anos, não podemos sair aplicando a fórmula. Antes, temos que garantir que as unidades
estejam condizentes.
Temos sempre duas opções:
• podemos converter o prazo (passando-o de anos para meses, ou para dias etc.);
• podemos converter a taxa (passando uma taxa que está ao dia para outra ao mês, ao
ano, ao semestre, ao bimestre etc.)
A conversão de prazo é sempre feita por regra de três. Já a conversão da taxa depende do
regime de juros. No caso do regime de juros simples, também basta a aplicação da regra de
três. Veremos este assunto com mais detalhes nos itens seguintes.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 9

Conversão de prazo: sempre aplicar regra de três
Conversão de taxa: no caso do regime simples, aplicar regra de três.

Exemplo 6:
Um capital de 1.000,00 foi aplicado durante 6 bimestres a uma taxa de juros de 3% ao
trimestre. Calcule o montante obtido.

Resolução.
Vejam que o prazo está em bimestres e a taxa é trimestral. Antes de sair fazendo contas,
temos que igualar as unidades.

1ª opção: convertemos a taxa em bimestral. Basta aplicar regra de três:
3% --- 3 meses (=1 trimestre)
x --- 2 meses (=1 bimestre)
Agora multiplicamos cruzado:
3%× 2 = 3ݔ → ݔ = 2%
A taxa bimestral é de 2%.
Agora o prazo está em bimestres (6 bimestres) e a taxa está ao bimestre (2% ao bimestre)
Basta aplicar a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 1.000 × (1 + 6 × 0,02)
ܯ = 1.000 × (1,12)
ܯ = 1.120,00
2ª opção: convertemos o prazo para trimestres. Basta aplicar regra de três.
3 meses correspondem a 1 trimestre.
O nosso prazo é de 12 meses (=6 bimestres). A quantos trimestres isso corresponde?
3 meses --- 1 trimestre
12 meses ---- x
3ݔ = 12 × 1 → ݔ = 4 trimestres
O prazo é de 4 trimestres e a taxa é de 3% a.t.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 10
Aplicando a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 1.000 × (1 + 4 × 0,03)
ܯ = 1.000 × 1,12 = 1.120,00
A resposta foi exatamente a mesma. Tanto faz o método utilizado. Desde que haja
coerência entre as unidades da taxa e do prazo, a resposta será a mesma.

Exemplo 7:
Um capital de R$ 1.000,00 foi aplicado a uma taxa de 2% ao bimestre (juros simples)
gerando um montante de R$ 2.000,00. Calcule o prazo da aplicação em trimestres.

Resolução:
Aplicando a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
2.000 = 1.000 × (1 + ݊ × 0,02)
2.000
1.000
= 1 + 0,02݊
2 = 1 + 0,02݊
2 − 1 = 0,02݊
1 = 0,02݊
݊ =
1
0,02
= 50
Como a taxa utilizada está em bimestres, automaticamente este prazo obtido também está
em bimestres. Logo, o prazo de aplicação é de 50 bimestres. 50 bimestres, por sua vez,
corresponde a 100 meses.
Para passar esse prazo para trimestres, fazemos assim:
1 trimestre ---- 3 meses
x ---- 100 meses
3ݔ = 100 × 1 → ݔ =
100
3
= 33 +
1
3

O prazo é de cem terços de trimestre. Ou ainda, o prazo é de 33 trimestres mais um terço
de trimestre.

1.3. Juros exatos, bancários e comerciais
Quando a conversão de prazo envolver a contagem de dias, aí nós temos uma série de
detalhes a que temos que nos atentar.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 11
Considere a seguinte transformação: queremos converter um prazo de 1 ano em meses.
Como fazer?
Bem, sabemos que 1 ano tem 12 meses. É imediato. Sem dificuldades, certo? Ok, isso
aconteceu porque a conversão não envolveu o número de dias.
Considere agora outra situação. Queremos converter o prazo de 1 mês em dias. De outro
modo: quantos dias há em um mês?
Bom, agora as coisas mudam. Temos várias opções. Um mês pode ter 30 dias. Pode também
ter 31. Ou até mesmo 28. Assim como 1 ano pode ter 365 dias ou 366 (se for bissexto).
Quando a conversão de prazo envolver o número de dias, podemos ter diversas
convenções. São elas:
• juro exato: considera o ano civil (365 dias ou 366, se for bissexto)
• juro comercial ou ordinário: considera o ano comercial (360 dias); se o exercício for
omisso, consideramos juro comercial.
• juro bancário: mistura dos dois anteriores.
No juro exato, nós contamos os dias como se estivéssemos olhando um calendário. O ano
terá 365 dias (ou 366, se for bissexto). Os meses de janeiro, março, maio, julho, agosto,
outubro e dezembro terão 31 dias. Fevereiro terá 28 dias (ou 29, se o ano for bissexto). Os
demais meses terão 30 dias.
No juro comercial, consideramos que qualquer mês terá 30 dias (mesmo que seja fevereiro).
E consideramos que qualquer ano terá 360 dias.
Vejamos como fica por meio de um exemplo.

Exemplo 8:
Um capital de R$ 13.140,00 é investido a uma taxa de juros simples de 10% ao ano, do dia
21/3/5 ao dia 9/6/5. Qual o montante obtido, considerando:
a) juros exatos
b) juros comerciais
c) juros bancários

Resolução:
a) Nos juros exatos, contamos os dias como se estivéssemos consultando um calendário.
Assim, temos:
21.3.5 a 31.3.5 10 dias
1.4.5 a 30.4.5 30 dias
1.5.5 a 31.5.5 31 dias
1.6.5 a 9.6.5 9 dias
Total 80 dias
Agora podemos fazer a regra de três.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 12
Dias Ano
365 1
80 x
365
80
=
1
ݔ

Multiplicando cruzado:
ݔ × 365 = 80
ݔ =
80
365

Esse é o nosso prazo, em anos. Agora podemos aplicar a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 13.140 × ൬1 +
80
365
× 0,10൰ = 13.248
b) Nos juros comerciais, consideramos que todos os meses têm 30 dias e o ano tem 360
dias. Esta é a contagem usual. Se o exercício não disser nada, pode supor que se trata de
juros comerciais.
21.3.5 a 30.3.5 9 dias
1.4.5 a 30.4.5 30 dias
1.5.5 a 30.5.5 30 dias
1.6.5 a 9.6.5 9 dias
Total 78 dias
Agora podemos fazer a regra de três.
Dias Ano
360 1
78 x
360
78
=
1
ݔ

ݔ × 360 = 78
ݔ =
78
360

Esse é o nosso prazo, em anos. Agora podemos aplicar a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 13.140 × ൬1 +
78
360
× 0,1൰ = 13.424,70

c) Nos juros bancários, nós fazemos o seguinte. Nós contamos os dias como se estivéssemos
olhando num calendário. É exatamente a mesma contagem que vimos lá nos juros exatos.
Fica assim:
21.3.5 a 31.3.5 10 dias
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 13
1.4.5 a 30.4.5 30 dias
1.5.5 a 31.5.5 31 dias
1.6.5 a 9.6.5 9 dias
Total 80 dias
Ok, até aqui, sem novidades. O detalhe é que, na hora de fazer a regra de três,
consideramos que o ano tem 360 dias. Estranho não? Pois é. Ficou uma mistura dos dois
métodos anteriores.
Fazendo a regra de três:
Dias Ano
360 1
80 x
360
80
=
1
ݔ

ݔ × 360 = 80
ݔ =
80
360

Esse é o nosso prazo, em anos. Agora podemos aplicar a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 13.140 × ൬1 +
80
360
× 0,1 ൰ = 13.432
Observem que os juros bancários forneceram o maior montante. Isto ocorre porque esse
método dá um jeito de “esticar o prazo”. Ele coloca no denominador o menor número
possível (360). E no numerador coloca o maior número possível (aquele resultante da
contagem no calendário).
Com isso, o prazo em anos será maior que o obtido pelos demais métodos (salvo uma
raríssima exceção em que a contagem de prazo passe pelo final de fevereiro, de modo que a
contagem dos dias no calendário será menor que a contagem do ano comercial).

1.4. Taxas equivalentes em juros simples
Duas taxas são equivalentes quando, aplicadas sobre um mesmo capital, durante um
mesmo período, produzem os mesmos juros (ou os mesmos montantes).
É a equivalência de taxas que nos permite passar uma taxa que está ao ano para outra, ao
semestre (ou ao mês, ao bimestre, etc). Quando mudamos a unidade da taxa, temos que
garantir que a nova taxa obtida seja equivalente à que lhe deu origem, de forma a não
alterar o montante final.
No caso do regime simples, para achar tachas equivalentes, basta a aplicação da regra de
três. Por isso, no regime simples, as taxas equivalentes são, além disso, proporcionais ao
prazo de aplicação.

Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 14
Exemplo 9:
Uma taxa de juros simples de 4% ao bimestre equivale a qual taxa trimestral?

Resolução:
Duas taxas são equivalentes quando, aplicadas sobre um mesmo capital, durante o mesmo
tempo, produzem juros iguais.
Vimos que, no caso de juros simples, vale a regra de três.
Em 2 meses (=1 bimestre), a taxa é de 4%.
Em três meses (=1 trimestre), a taxa é de x
Taxa Meses
4% 2
x 3
4%
ݔ
=
2
3

2ݔ = 3 × 4% → ݔ = 6%
Concluímos que a taxa de 4% ao bimestre equivale à taxa de 6% ao trimestre.
Vamos fazer um teste?
Vamos aplicar R$ 1.000,00, durante um ano, num investimento que rende 4% ao bimestre
(juros simples). Qual o rendimento conseguido?
O prazo está em anos e a taxa está ao bimestre. Ainda não podemos aplicar a fórmula.
Podemos considerar que 1 ano é o mesmo que 6 bimestres.
Ficamos com:
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ
ܬ = 6 × 0,04 × 1.000
ܬ = 240
Ok, agora vamos fazer outro investimento. Aplicamos R$ 1.000,00, durante 1 ano, em um
investimento que rende 6% ao trimestre (juros simples). Qual o rendimento conseguido?
O prazo está em anos e a taxa é ao trimestre. Ainda não podemos aplicar a fórmula.
Podemos considerar que 1 ano é igual a 4 trimestres.
ܬ = ݊ × ݅ × ܥ
ܬ = 4 × 0,06 × 1.000
ܬ = 240
Os dois investimentos, a partir de um capital de R$ 1.000,00, aplicado durante 1 ano,
produzem o mesmo rendimento. Exatamente por este motivo a taxa de 4% ao bimestre é
equivalente à taxa de 6% ao trimestre.

Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 15
1.5. Capital, taxa e prazo médios
Considere que tenhamos vários investimentos. Cada um deles é feito a uma dada taxa de
juros, durante um dado prazo, a partir de capitais diferentes.
Existem situações em que estamos interessados em descobrir qual a taxa média de juros
que estamos conseguindo em nossos investimentos. O que seria essa tal taxa média? É uma
taxa que poderia substituir todas as taxas iniciais, de forma que o total dos juros não se
altere. Assim, se aplicarmos todos os nossos investimentos a uma taxa igual à taxa média, o
juro total não se altera.
Com raciocínios semelhantes, além da taxa média, podemos pensar também em capital
médio e prazo médio.
Assim, poderíamos substituir todos os capitais acima referidos por um capital único, que vá
produzir o mesmo juro da situação inicial. Este é o capital médio.
Por fim, podemos substituir todos os prazos por um prazo único, de tal forma que o juro não
se altera. Este seria o prazo médio.
Vamos ver como fica, por meio de um exemplo.

Antes de entrarmos no exemplo, vamos relembrar o que é uma média ponderada.
A média ponderada é uma variação da média aritmética. Vamos ver do que se trata por
meio de um exemplo.
Num curso, o aluno faz quatro provas. A sua nota final é a média dessas quatro provas.
Suponha que suas notas foram: 10, 9, 7, 6.
A nota final fica:
ܰܨ =
10 + 9 + 7 + 6
4
= 8
Ok, até aqui nenhuma novidade. Fizemos a média aritmética normal.
Esse mesmo aluno faz outro curso, em que são aplicadas apenas duas provas. Suas notas
são: 9,5 e 7,5.
A média aritmética dessas notas fica:
9,5 +7,5
2
= 8,5
Só que, nesse segundo curso, a nota final não é calculada simplesmente por meio da média
aritmética. Isso porque a primeira prova é de múltipla escolha. A segunda é discursiva.
Como a segunda prova é mais complicada, mais difícil, ela “vale mais”. Ela tem peso três. A
primeira prova, mais simples, tem peso 1. O que significa isso?
Significa que, na hora de calcular a nota final, a segunda prova vale três vezes mais.
A nota final, nesse segundo curso, é igual a:
ܰܨ

=
1 × 9,5 + 3 × 7,5
4
= 8
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 16
É como se a segunda prova fosse “triplicada”. É como se estivéssemos, na verdade, fazendo
uma média aritmética entre os valores 9,5; 7,5; 7,5; 7,5. Triplicamos a segunda nota porque
ela tem peso 3.
A média ponderada é calculada assim:
• multiplicamos cada nota pelo seu peso:
o 9,5 é multiplicada pelo seu peso 1
o 7,5 é multiplicada pelo seu peso 3
• somamos tudo
• dividimos pela soma dos pesos (1 + 3 = 4)
A nota final, neste segundo curso, é uma média ponderada das notas das duas provas.
Ok, visto isso, vamos ao exemplo de taxa média, capital médio e prazo médio.

Exemplo 10:
Considere os dois investimentos abaixo (todos aplicados num regime de juros simples):
R$ 100,00 aplicados durante 2 meses, a uma taxa de 2% ao mês;
R$ 200,00 aplicados durante 3 meses, a uma taxa de 1% ao mês;
Calcule:
a) a taxa média
b) o capital médio
c) o prazo médio

Resolução:
O primeiro passo é calcular qual o juro obtido com os dois investimentos. No primeiro
investimento, temos:
ܬ

= 100 × (0,02 × 2) = 4
No segundo investimento, temos:
ܬ

= 200 × (0,01 × 3) = 6
Assim, o juro total obtido é de R$ 10,00.

a) Vamos substituir todas as taxas por uma taxa i. Esta taxa i será a taxa média. Ela
produzirá, a partir dos capitais iniciais, durante os prazos estabelecidos, o mesmo juro de R$
10,00.
No primeiro investimento, agora temos um capital de 100,00, aplicado durante 2 meses, a
uma taxa i. O novo juro fica:
ܬ

′ = 100 × (݅ × 2)
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 17
No segundo investimento, agora temos um capital de 200,00, aplicado durante 3 meses, a
uma taxa i.
ܬ

′ = 200 × (݅ × 3)
Para que a i seja a taxa média, o juro total produzido deve permanecer igual a 10,00.
Ou seja:
100 × 2݅ + 200 × 3݅ = 10
800݅ = 10
݅ = 1,25%
Resposta: a taxa média é de 1,25%. É uma taxa que substitui todas as outras, produzindo o
mesmo juro total.
Se, em vez de substituirmos os valores, tivéssemos mantido as expressões originais até o
final, teríamos obtido a seguinte expressão para a taxa média:
݅ =
(100 × 2) × 2% + (200 × 3) × 1%
(100 × 2) + (200 × 3)

Ou seja, a taxa média é simplesmente uma média ponderada das taxas individuais. E os
pesos de ponderação são os produtos ܥ × ݊.

b) Vamos substituir todos os capitais por um capital único, igual a C, de tal forma que o juro
total não se altere. Este capital C será o capital médio.
No primeiro investimento, ficamos com um capital C, investido durante 2 meses, a uma taxa
de 2% ao mês.
ܬ

ᇱᇱ
= ܥ × (0,02 × 2)
No segundo investimento, ficamos com um capital C, aplicado durante 3 meses, a uma taxa
de 1% ao mês.
ܬ

ᇱᇱ
= ܥ × (0,01 × 3)
Para que C seja o capital médio, o juro total deve se manter.
ܥ × 0,04 + ܥ × 0,03 = 10
ܥ =
10
0,07
≈ 142,88
O capital médio é de R$ 142,88.
Se tivéssemos mantido as expressões originais até o final, teríamos obtido o seguinte valor
para o capital médio:
ܥ =
(0,02 × 2) × 100 + (0,01 × 3) × 200
(0,02 × 2) + (0,01 × 3)

O capital médio é uma média ponderada dos capitais individuais. Os pesos de ponderação
são os produtos ݅ × ݊.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 18
c) Vamos agora ao prazo médio. Vamos substituir todos os prazos por um prazo n, de tal
forma que o juro total não se altere. Esse será o prazo médio. Os juros ficam:
ܬ

ᇱᇱᇱ
= 100 × (݊ × 0,02) = 2݊
ܬ

ᇱᇱᇱ
= 200 × (݊ × 0,01) = 2݊
Para que o juro total não se altere, devemos ter:
2݊ + 2݊ = 10
݊ =
10
4
= 2,5
O prazo médio é de 2,5 meses.
Se tivéssemos mantido as expressões originais, teríamos chegado a:
݊ =
(0,02 × 100) × 2 + (0,01 × 200) × 3
(0,02 × 100) + (0,01 × 200)

O prazo médio é uma média ponderada dos prazos individuais, onde os pesos de
ponderação são os produtos ݅ × ܥ.

2. QUESTÕES COMENTADAS
Questão 1 SEFAZ RJ 2009 [FGV]
O valor a ser pago por um empréstimo de R$ 4.500,00, a uma taxa de juros simples de 0,5%
ao dia, ao final de 78 dias, é de:
a) R$ 6.255,00
b) R$ 5.500,00
c) R$ 6.500,00
d) R$ 4.855,00
e) R$ 4.675,50

Resolução:
O capital é de R$ 4.500,00, a taxa de juros simples é de 0,5% ao dia e o prazo é de 78 dias.
Pergunta-se o montante obtido.
Note que a taxa está ao dia e o prazo também está em dias. Já podemos aplicar a fórmula.
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 4.500 × ൬1 + 78 ×
0,5
100

ܯ = 4.500 × (1,39) = 6.255
Gabarito: A

Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 19
Questão 2 CVM 2010 [ESAF]
Qual o valor mais próximo do montante que atinge uma dívida de R$ 2.000,00, quatro
meses e meio depois, a uma taxa de juros simples de 1,5% ao mês?
a) R$ 2.115,00
b) R$ 2.092,00
c) R$ 2.090,00
d) R$ 2.105,00
e) R$ 2.120,00

Resolução:
Vejam que a taxa está ao mês (1,5% ao mês) e o período está em meses (4,5 meses).
Então já podemos aplicar a fórmula.
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 2.000 × (1 + 4,5 × 0,015) = 2.135
Gabarito: Anulado

Questão 3 IRB 2006 [ESAF]
Um capital de 1000 unidades monetárias foi aplicado durante um mês a 3% ao mês, tendo o
montante ao fim do mês sido reaplicado no segundo mês a 4% ao mês e o montante ao fim
do segundo mês sido reaplicado no terceiro mês a 5% ao mês. Indique o montante ao fim do
terceiro mês.
a) 1 170
b) 1 124,76
c) 1 120
d) 1 116,65
e) 1 110

Resolução:
São três investimentos separados.
No primeiro, o capital inicial é de 1.000, a taxa é de 3% (ao mês) e o prazo é de 1 mês.
Repare que a taxa está ao mês e o prazo também está em meses. Já podemos aplicar a
fórmula para achar o montante:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 1.000 × (1 + 1 × 0,03) = 1.000 × 1,03 = 1.030
O montante obtido foi de R$ 1.030,00.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 20
Encerrado o primeiro investimento, pegamos todo este valor (1.030) e reaplicamos em um
segundo investimento.
Portanto, para o segundo investimento, o capital inicial será de R$ 1.030,00. A taxa é de 4%
(ao mês) e o prazo é de 1 mês.
O montante obtido com o segundo investimento é:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 1.030 × (1 + 1 × 0,04) = 1.030 × 1,04 = 1.071,20
O montante obtido, ao final do segundo investimento, foi de R$ 1.071,20.

Encerrado o segundo investimento, pegamos todo este valor (1.071,20) e reaplicamos em
um terceiro investimento. Portanto, para o terceiro investimento, o capital inicial é de R$
1.071,20. A taxa é de 5% (ao mês). E o período é de 1 mês. O montante ao final do terceiro
mês fica:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 1.071,20 × (1 + 1 × 0,05) = 1.124,76
Gabarito: B

Questão 4 SEFAZ PB 2006 [FCC]
Um investidor aplica em um determinado banco R$ 10.000,00 a juros simples. Após 6
meses, resgata totalmente o montante de R$ 10.900,00 referente a esta operação e o aplica
em outro banco, durante 5 meses, a uma taxa de juros simples igual ao dobro da
correspondente à primeira aplicação. O montante no final do segundo período é igual a
(A) R$ 12.535,00
(B) R$ 12.550,00
(C) R$ 12.650,00
(D) R$ 12.750,00
(E) R$ 12.862,00

Resolução:
Primeiro investimento: o capital é de R$ 10.000,00, o prazo é de seis meses e o montante é
R$ 10.900. Precisamos calcular a taxa de juros.
ܬ = ܯ − ܥ = 10.900 − 10.000 = 900
Logo:
ܬ = ܥ݅݊
900 = 10.000 × ݅ × 6
݅ =
900
6 × 10.000
=
150
10.000
= 1,5%
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 21
Como o prazo utilizado na fórmula está em meses, esta taxa também é ao mês.
A taxa é de 1,5% ao mês.

Segundo investimento: o capital é de R$ 10.900,00, o prazo é de cinco meses, a taxa é de 3%
ao mês (o dobro da primeira aplicação). Pergunta-se o montante.
ܬ = ܥ݅݊
ܬ = 10.900 × 0,03 × 5 = 1.635
ܯ = ܥ + ܬ = 10.900 + 1.635 = 12.535
Gabarito: A

Questão 5 MPE AM 2007 [CESPE]
Julgue o item seguinte:
Considere que a quantia de R$ 3.000,00 seja aplicada à taxa de juros simples de 8% ao mês.
Nessa situação, ao final de 12 meses, o montante dessa aplicação será superior a R$
5.600,00.

Resolução.
O capital é de R$ 3.000,00, a taxa é de 8% ao mês e o prazo é de 12 meses.
Notem que a unidade da taxa (ao mês) coincide com a unidade do prazo. Quando isso
ocorre, não é necessária qualquer conversão. É só aplicar a fórmula.
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 3.000 × (1 + 0,08 × 12)
ܯ = 3.000 + 1,96
ܯ = 5.880,00
O montante é maior que 5.600,00. O item está certo.
Gabarito: certo

Questão 6 SEFAZ ES 2008 [CESPE]
Considere que os investimentos feitos na instituição financeira A são pagos a uma taxa de
juros simples de 1% ao mês, enquanto os feitos na instituição financeira B são pagos a uma
taxa de juros compostos também de 1% ao mês. Nessas condições, se o capital de R$
1.000,00 foi aplicado por um período de 3 meses em uma dessas instituições e o montante
dessa aplicação, ao final dos 3 meses, foi superior a R$ 1.030,00, é correto concluir que o
capital foi investido na instituição financeira B.

Resolução:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 22
Vamos analisar o caso da instituição A, pois juros simples são mais fáceis de serem
trabalhados.
O capital é de R$ 1.000,00, a taxa de juros é de 1% ao mês e o prazo é de 3 meses. O
montante fica:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅) = 1.000 × (1 + 3 × 0,01) = 1.030,00
Como o montante indicado na questão é superior a 1.030, concluímos que o investimento
não foi feito em A. O investimento só pode ter sido feito em B. Isto porque, quando temos
juros compostos, há incidência de juros sobre juros, o que faz com que o montante seja
maior que aquele que seria obtido no regime simples.
Gabarito: certo


Questão 7 SUSEP 2002 [ESAF]
Um capital é aplicado a juros simples durante três meses e dez dias a uma taxa de 3% ao
mês. Calcule os juros em relação ao capital inicial.
a) 9%
b) 10%
c) 10,5%
d) 11%
e) 12%

Resolução:
A taxa está ao mês (3% ao mês).
No entanto, há uma parte do prazo que está em dias (prazo de 3 meses + 10 dias).
Então ainda não podemos aplicar a fórmula. Temos que converter esses 10 dias em meses.

10 dias correspondem a 1/3 de mês. Assim, o capital foi aplicado por 3 mês + 1/3 de mês =
10/3 de mês.
3 +
1
3
=
10
3

Agora sim, podemos aplicar a fórmula.
Temos:
ܬ = ܥ × ݊ × ݅
ܬ = ܥ ×
10
3
× 0,03 = 0,1ܥ
Logo:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 23
ܬ
ܥ
= 10%
Gabarito: B

Questão 8 ANCINE 2006 [CESPE]
O cálculo financeiro é relevante, tendo em vista as tarefas de escolha de melhores opções
de uso do dinheiro. Acerca de matemática financeira, julgue os itens seguintes.
114. É 110% ao ano a taxa que, em 3 anos e 4 meses, fará quintuplicar de valor um capital
aplicado a juros simples.

Resolução.
Observem que a taxa está ao ano e o prazo é de 3 anos e 4 meses.
Para podermos aplicar as fórmulas, as unidades devem coincidir.
Vamos passar o prazo para anos.
Prazo: 3 anos + 4 meses.
Precisamos saber a quantos anos correspondem 4 meses. Basta fazer regra de três.
1 ano ---- 12 meses
x anos --- 4 meses.
Multiplicando cruzado:
4 × 1 = 12ݔ
ݔ =
4
12
=
1
3

3 meses correspondem a 1/3 de ano.
3 anos + 1/3 anos = 10/3 anos
Assim, o prazo é de dez terços de ano.
Agora sim, podemos aplicar a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
O montante é cinco vezes o capital (informação dada na questão):
5ܥ = ܥ × ൬1 +
10
3
݅൰
5 = 1 +
10
3
݅
4 =
10
3
݅
݅ =
12
10
= 1,2 = 120%
Gabarito: errado.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 24

Questão 9 ANCINE 2006 [CESPE]
Com referência à utilização da matemática financeira nas operações das empresas, julgue os
itens seguintes.
61. Ao se aplicar R$ 20.000,00 à taxa de 9% ao trimestre, durante nove meses,
considerando-se juros simples, o total de juros será de R$ 5.400,00.

Resolução
O capital é de 20.000, a taxa é de 9% ao trimestre e o prazo é de 9 meses.
Podemos converter o prazo em trimestres. 9 meses correspondem a 3 trimestres.
Assim, o prazo estará em trimestres (3 trimestres) e a taxa estará ao trimestre. Já podemos
aplicar a fórmula.
ܬ = ܥ × ݅ × ݊
ܬ = 20.000 × 3 × 0,09 = 5.400
Gabarito: certo.

Questão 10 TCU 2009 [CESPE]
Se um capital de R$ 10.000,00 for aplicado pelo período de 1 ano à taxa de juros simples de
6% ao mês, então, ao término desse período, o montante existente nessa aplicação será
superior a R$ 17.400,00.

Resolução
O prazo é de 1 ano e a taxa é de 6% ao mês.
Para que as unidades coincidam, podemos converter o período em meses. 1 ano é o mesmo
que 12 meses.
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 10.000 × (1 + ݊݅)
ܯ = 10.000 × (1 + 12 × 0,06)
ܯ = 10.000 × (1,72) = 17.200
Gabarito: errado

Questão 11 SEFAZ SP 2009 [FCC]
Uma pessoa aplicou um capital em um Banco que remunera os depósitos de seus clientes a
uma taxa de juros simples de 12% ao ano. Completando 6 meses, ela retirou o montante
correspondente a esta aplicação e utilizou R$ 20.000,00 para liquidar uma dívida nesse
valor. O restante do dinheiro, aplicou em um outro Banco, durante um ano, a uma taxa de
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 25
juros simples de 1,5% ao mês. No final do período, o montante da segunda aplicação
apresentou um valor igual a R$ 28.933,60. A soma dos juros das duas aplicações é igual a
(A) R$ 10.080,00
(B) R$ 8.506,80
(C) R$ 7.204,40
(D) R$ 6.933,60
(E) R$ 6.432,00

Resolução:
Como são dois investimentos diferentes, vou diferenciar os símbolos de capital, montante e
taxa.
M
1
, C
1
, n
1
e i
1
são o montante, o capital, o prazo e a taxa para o primeiro investimento.
M
2
, C
2
, n
2
e i
2
são o montante, o capital, o prazo e a taxa para o segundo investimento.

Primeiro investimento: o capital é desconhecido, a taxa é de 12% ao ano e o prazo é de seis
meses.
Note que a taxa está ao ano e o prazo está em meses. Não podemos aplicar a fórmula ainda.
Antes, precisamos tornar as unidades do prazo e da taxa coerentes entre si.
Vamos passar o prazo, que está em meses, para anos.
Um ano corresponde a doze meses.
Quantos anos correspondem a seis meses?
Basta fazer regra de três:
1 ano ---- 12 meses
x anos ---- 6 meses
Multiplicando cruzado:
1 × 6 = 12ݔ
ݔ =
6
12
= 0,5
O prazo é de 0,5 anos.
Agora sim já podemos aplicar a fórmula.
ܯ

= ܥ

× (1 + ݊

× ݅

)
ܯ

= ܥ

× (1 +0,5 × 0,12)
ܯ

= 1,06ܥ


Passados os seis meses, a pessoa retira R$ 20.000,00 para pagar uma dívida. A quantia
restante é:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 26
1,06ܥ

− 20.000
Esta quantia é aplicada durante um ano (=12 meses), a uma taxa de 1,5% ao mês.
O montante assim obtido foi de R$ 28.933,60.
ܯ

= ܥ

× (1 + ݊

× ݅

)
28.933,60 = (1,06ܥ

− 20.000) × (1 + 0,015 × 12)
28.933,60 = (1,06ܥ

− 20.000) × (1,18)
1,06ܥ

− 20.000 =
28.933,60
1,18
= 24.520
1,06ܥ

= 44.520
ܥ

=
44.520
1,06
= 42.000
Ou seja, a pessoa partiu de R$ 42.000,00 e obteve:
- R$ 20.000,00 usados para pagar a dívida
- R$ 28.933,60 que sobraram no final da aplicação.
Total: 48.933,60.
A diferença entre o valor total obtido e o capital inicial corresponde ao juro obtido com as
duas aplicações.
ܬ = 48.933,60 − 42.000 = 6.933,60
Gabarito: D

Questão 12 SEFAZ-RJ 2008 [FGV]
Um capital é aplicado durante 120 dias a uma taxa de juros simples ordinário de 15% ao
ano, produzindo um montante de R$ 8.400,00.
Nestas condições, o capital aplicado, desprezando os centavos, é:
a) R$ 6.500,00
b) R$ 7.850,00
c) R$ 8.017,00
d) R$ 8.820,00
e) R$ 8.000,00

Resolução:
O exercício nos dá o prazo em dias e a taxa em anos. Dessa forma, não podemos aplicar de
cara a fórmula para juros simples. Temos que colocar o prazo e a taxa nas mesmas
unidades.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 27
Vemos também que o exercício nos diz que se trata de juros simples ordinário. Isto significa
que devemos considerar que todos os 12 meses possuem 30 dias cada um e que o ano
possui 360 dias.
Vamos transformar o prazo de dias para anos.
Dias Ano
360 1
120 x
360
120
=
1
ݔ

ݔ =
120
360
=
1
3

Então nosso prazo de é 1/3 de ano e a taxa é de 15% ao ano. Agora podemos aplicar a
fórmula dos juros simples. Vejam que nos foi dado o valor do Montante (o valor final) e nos
foi pedido o valor do Capital aplicado (o capital inicial).
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
8400 = ܥ × ൬1 +
1
3
× 0,15൰
8400 = ܥ × (1 + 0,05)
ܥ =
8400
1,05
= 8000
Portanto, o capital inicial foi de R$ 8.000,00.
Gabarito: E.

Questão 13 SEFAZ PB 2006 [FCC]
Certas operações podem ocorrer por um período de apenas alguns dias, tornando
conveniente utilizar a taxa diária e obtendo os juros segundo a convenção do ano civil ou do
ano comercial. Então, se um capital de R$ 15.000,00 foi aplicado por 5 dias à taxa de juros
simples de 9,3% ao mês, em um mês de 31 dias, o módulo da diferença entre os valores dos
juros comerciais e dos juros exatos é:
a) R$ 7,50
b) R$ 15,00
c) R$ 22,50
d) R$ 30,00
e) R$ 37,50

Resolução:
Contagem pelos juros exatos:
1 mês ---- 31 dias
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 28
x meses ---- 5 dias
Multiplicando cruzado:
31ݔ = 5
ݔ =
5
31

Contagem pelos juros comerciais:
1 mês ---- 30 dias
y meses --- 5 dias
30ݕ = 5
ݕ =
5
30

A diferença entre os prazos é:
5
30

5
31
= 5 × ൬
1
30

1
31

= 5 × ൬
31 − 30
30 × 31
൰ =
5
30 × 31
=
1
186

A diferença entre os juros corresponde à incidência da taxa de 9,3% ao mês, durante o prazo
de 1/186 meses.
9,3%× 15.000 ×
1
186
=
1.395
186
= 7,5
Gabarito: A

Questão 14 ANTAQ 2009 [CESPE]
Sabendo-se que o ano de 2008 foi bissexto, conclui-se que uma quantia aplicada do dia 15
de janeiro até 10 de abril daquele ano à taxa de juros diários deve render o mesmo valor
total de juros, não importando se o cálculo for feito por meio do método de juros
comerciais ou de juros exatos.

Resolução.
Se o cálculo for feito por meio dos juros comerciais, o prazo será contado da seguinte forma:
- do dia 15 de janeiro ao dia 30 de janeiro: 15 dias
- do dia 1 de fevereiro ao dia 30 de fevereiro: 30 dias
- do dia 1 de março ao dia 30 de março: 30 dias
- do dia 1 de abril ao dia 10 de abril: 10 dias.
Total: 85 dias.

Se o cálculo for feito pelos juros exatos, temos:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 29
- do dia 15 de janeiro ao dia 31 de janeiro: 16 dias
- do dia 1 de fevereiro ao dia 29 de fevereiro: 29 dias
- do dia 1 de março ao dia 31 de março: 31 dias
- do dia 1 de abril ao dia 10 de abril: 10 dias.
Total: 86 dias
O prazo total mudou quando mudamos a forma de contagem dos dias. Com isso, haverá
diferença entre juros exatos e comerciais.
Gabarito: errado

Questão 15 BANCOP 2007 [CESPE]
Suponha que um capital C aplicado por 12 meses à taxa de juros simples de i% ao mês se
transforme em um montante de R$ 37.000,00. Esse mesmo capital aplicado à mesma taxa,
no mesmo regime de juros, mas por 6 meses se transforma em um montante de R$
31.000,00. Nessa situação, a taxa anual equivalente à taxa de i% é
A inferior a 37%.
B superior ou igual a 37% e inferior a 40%.
C superior ou igual a 40% e inferior a 43%.
D superior ou igual a 43% e inferior a 46%.
E superior ou igual a 46%.

Resolução.
O montante conseguido ao final de 6 meses é de 31.000,00.
O montante conseguido ao final de 12 meses é de 37.000,00.
ܯ
ଵଶ
= 37.000
ܯ

= 31.000

A diferença entre ambos é justamente o juro que se consegue no período de 6 meses. Logo,
num período de 6 meses o juro obtido é de:
ܬ

= 37.000 − 31.000 = 6.000
O enunciado informa que este capital, aplicado a uma taxa i ao mês, durante 6 meses, se
transforma em um montante de R$ 31.000,00.
ܥ =?
݊ = 6
݅ =?
ܯ = 31.000
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 30
Já vimos que, neste período de 6 meses, o juro é de 6.000. Com isso, podemos achar o
capital:
ܯ = ܥ + ܬ
31.000 = ܥ + 6.000
ܥ = 25.000
Agora, aplicamos a fórmula dos juros:
ܬ = ܥ × ݅ × ݊
6.000 = 25.000 × ݅ × 6
݅ =
1
25
= 4%
A taxa é de 4%. Como o prazo trabalhado foi de 6 meses, então a taxa é ao mês.
Dizemos que a taxa de juros é de 4% ao mês. Outra forma de representar isso é escrevendo
“4% a.m.”
Só que o exercício pergunta sobre a taxa anual equivalente.
Duas taxas são equivalentes quando, aplicadas sobre um mesmo capital, durante o mesmo
período de tempo, produzem o mesmo montante.
Em juros simples, para achar taxas equivalentes, basta aplicar regra de três.
Isto ocorre porque, em juros simples, a taxa é proporcional ao número de períodos.
Temos:
4% correspondem a 1 mês
Qual a taxa que corresponde a 12 meses (=1 ano)?
Fazendo a regra de três:
taxa número de meses
4% 1
x 12
As grandezas são diretamente proporcionais. Logo:
4%
ݔ
=
1
12

ݔ = 48% ao ano
Dizemos que a taxa de 4% ao mês é equivalente à taxa de 48% ao ano.
Vamos checar se elas são mesmo equivalentes.
Para tanto, considere um capital de R$ 1,00, aplicado a uma taxa de 4% ao mês, durante 12
meses. O montante obtido será:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 1 × (1 + 0,04 × 12) = 1,48
Agora, considere o mesmo capital de R$ 1,00, aplicado a uma taxa de 48% ao ano, durante 1
ano. O montante obtido será:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 31
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
ܯ = 1 × (1 + 0,48 × 1) = 1,48
O montante foi o mesmo, nos dois casos.
Por isso dizemos que as taxas em questão são equivalentes. Aplicamos o mesmo capital de
R$ 1,00, durante o mesmo período de um ano (=12 meses) e obtivemos o mesmo montante.
Gabarito: E

Questão 16 GDF SEPLAG 2009 [UNIVERSA]
Uma empresa aplicou, em uma instituição financeira, R$ 50.000,00, resgatando R$
54.000,00 quatro meses depois. Assinale a alternativa que determina a taxa de juros simples
equivalente, auferida nesta aplicação.
(A) 6% ao trimestre.
(B) 4% ao quadrimestre.
(C) 22 % ao ano.
(D) 10% ao semestre.
(E) 1,5% ao mês.

Resolução.
Dados da questão:
ܥ = 50.000,00;
ܯ = 54.000,00;
݊ = 4 (meses)
Ficamos com:
ܯ = ܥ × (1 + ݅݊)
54.000 = 50.000 ×(1 + 4݅)
1,08 = 1 + 4݅
0,08 = 4݅
݅ = 0,02
Como o prazo utilizado está em meses, a taxa obtida é mensal.
Resposta: a taxa é de 2% ao mês.
Olhando as alternativas, vemos que não há qualquer uma com 2% ao mês. Cada alternativa
apresenta um período diferente. Vamos ter que testar uma a uma.
A letra “e” diz que a taxa é de 1,5% ao mês. Isto está errado. Já vimos que a taxa ao mês é
de 2%.
(A) 6% ao trimestre.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 32
(B) 4% ao quadrimestre.
(C) 22 % ao ano.
(D) 10% ao semestre.
(E) 1,5% ao mês.
Vamos agora calcular a taxa ao trimestre.
Basta fazer uma regra de três.
Para agilizar as contas, vamos pensar assim. Quando passamos de um mês para um
trimestre, o intervalo de tempo é triplicado.
Assim, a taxa aumentará na mesma proporção (grandezas diretamente proporcionais). A
taxa também será triplicada.
Logo, a taxa ao trimestre será de:
2% × 3 = 6%(ao trimestre)
A taxa é de 6% ao trimestre, valor expresso na letra A.
Gabarito: A
Apesar de já sabermos a resposta correta, vamos testar as demais alternativas.
Para achar a taxa ao quadrimestre, basta multiplicarmos a taxa mensal por 4. A taxa ao
quadrimestre é de:
4 × 2% = 8%
A letra B está errada pois afirma que a taxa ao quadrimestre é de 4%.
Para achar a taxa ao semestre, basta multiplicarmos a taxa mensal por 6. A taxa ao semestre
é de:
6 × 2% = 12%
Finalmente, para achar a taxa ao ano, basta multiplicar por 12:
2% × 12 = 24%
Questão 17 TJ SE 2009 [FCC]
Um capital foi aplicado, a juros simples, durante um período de 20 meses. Sabendo-se que o
valor do montante no final do período foi igual a 5/4 do valor do capital inicial, tem-se que a
taxa de juros anual correspondente foi de
(A) 15%
(B) 18%
(C) 20%
(D) 24%
(E) 27%

Resolução:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 33
ܯ = ܥ × (1 + ݅݊)

4
= ܥ × (1 + ݅ × 20)
1,25ܥ = ܥ × (1 + ݅ × 20)
1,25 = 1 + 20݅
20݅ = 0,25
݅ =
0,25
20
= 1,25%
Como o prazo utilizado foi em meses, esta taxa é mensal.
Para encontrarmos a taxa anual, basta fazer regra de três.
1,25% ---- 1 mês.
x ---- 12 meses
Multiplicando cruzado:
1,25%× 12 = ݔ
ݔ = 15%
A taxa anual é de 15%.
Gabarito: A

Questão 18 MPE RS 2008 [FCC]
Uma pessoa investe em um banco um capital C, durante 9 meses, a uma taxa de juros
simples de 27% ao ano. No final do período, ela resgata todo o montante e o investe
totalmente em outro banco, a uma taxa de juros simples de 36% ao ano, durante 10 meses.
Verificando-se que o montante referente ao segundo investimento foi igual a R$ 18.759,00,
tem-se que o valor de C, em R$, é igual a
(A) 13.000,00
(B) 14.000,00
(C) 11.000,00
(D) 10.000,00
(E) 12.000,00

Resolução:
Primeiro investimento: a taxa é de 27% ao ano e o prazo é de 9 meses.
Para aplicarmos a fórmula, podemos converter a taxa anual em taxa mensal. Basta usar
regra de três.
Para reduzirmos um prazo de 12 meses para um mês, basta dividir por 12.
Assim, para passar a taxa anual para mensal, basta dividir por 12.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 34
A taxa mensal é:
27%
12
= 2,25%
A taxa é de 2,25% ao mês.
Agora podemos aplicar a fórmula:
ܯ = ܥ × (1 + ݅݊)
ܯ = ܥ × (1 + 0,025 × 9) = ܥ × 1,2025
Segundo investimento: pegamos a quantia acima, igual a 1,225C, e aplicamos a uma taxa de
36% ao ano, durante dez meses.
A taxa mensal equivalente à taxa de 36% ao ano é:
36%
12
= 3%
Ficamos com:
ܯ

= ܥ

× (1 + ݊݅)
18.759 = 1,2025ܥ × (1 + 10 × 0,03)
18.759 = 1,225ܥ × 1,3
ܥ =
18.759
1,2025 × 1,3
=
14.430
1,2025
= 12.000
Gabarito: E

Questão 19 SEFAZ-RJ 2008 [FGV]
A taxa de juros simples de 0,05% ao dia equivale à taxa semestral de:
a) 15,00%
b) 1,50%
c) 18,00%
d) 9,00%
e) 12,00%

Resolução:
No nosso exercício, temos uma taxa diária de 0,05% ao dia e queremos a taxa semestral.
Como não foi dito o tipo de juros de que estamos tratando (exato, comercial ou bancário),
mas também não nos foi dito de quais meses estamos falando (quantos dias esses meses
possuem), só podemos considerar que todos os meses têm igualmente 30 dias.
A regra é essa! Se não foi dito qual o tipo devemos considerar, o normal é usar juros
comerciais (ou ordinários).
1 dia ----- 0,05%
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 35
180 dias (1 semestre) ------ x
ݔ = 180 × 0,05% → ݔ = 9%
Ou seja, uma taxa de juros simples de 0,05% ao dia equivale a uma taxa de juros simples de
9% ao semestre.
Gabarito: D.

Questão 20 SEFAZ-RJ 2008 [FGV]
Os valores de R$ 50.000 e R$ 100.000 foram aplicados à mesma taxa de juros simples
durante 12 e 6 meses, respectivamente.
O prazo médio da aplicação conjunta desses capitais, em meses é:
a) 12
b) 8
c) 10
d) 9,2
e) 7,5

Resolução:
O prazo médio é uma média ponderada dos prazos originais. Os pesos de ponderação são os
produtos ݅ × ܥ.
݊ =
12 × (݅ × 50.000) + 6 × (݅ × 100.000)
݅ × 50.000 + ݅ × 100.000

Podemos dividir o numerador e o denominador por i.
݊ =
12 × (50.000) + 6 × (100.000)
50.000 + 100.000

Podemos dividir o numerador e o denominador por 50.000:
݊ =
12 × (1) + 6 × (2)
1 + 2
=
24
3
= 8
O prazo médio é de 8 meses.
Gabarito: B.


Questão 21 SEFAZ CE 2006 [ESAF]
Uma pessoa aplicou um capital a juro simples exato a uma taxa de 20% ao ano e ele cresceu
8% ao fim do prazo. Qual foi o prazo de aplicação do capital?
a) 144 dias
b) 146 dias
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 36
c) 150 dias
d) 153 dias
e) 155 dias

Resolução:
No juro exato, o ano tem 365 dias. Logo:
365 dias correspondem a 20%
X dias correspondem a 8%
Agora é só aplicar a regra de três.
365 dias ---- 20%
x dias --- 8%
Multiplicando cruzado:
20ݔ = 365 × 8
ݔ = 365 ×
8
20
= 146
Gabarito: B

Questão 22 SEFAZ/CE 2006 [ESAF]
Qual o capital que aplicado a juros simples à taxa de 2,4% ao mês rende R$ 1.608,00 em 100
dias?
a) R$ 20.000,00.
b) R$ 20.100,00.
c) R$ 20.420,00.
d) R$ 22.000,00.
e) R$ 21.400,00.

Resolução:
Diante da omissão da questão, vamos usar os juros comerciais.
Sabemos que a taxa é de 2,4% ao mês, o juro é de R$ 1.608,00 e o prazo é de 100 dias.
Repare que o prazo está em dias e a taxa está ao mês. Ainda não podemos aplicar a fórmula.
Vamos passar o prazo para meses.
Fazendo a regra de três:
Dias Meses
30 1
100 x
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 37
30
100
=
1
ݔ

ݔ × 30 = 100 × 1 → ݔ =
10
3

Pronto, agora o nosso prazo, em meses, é de 10/3.
Aplicando a fórmula, temos:
ܬ = ݊݅ܥ
1608 =
10
3
× 2,4%× ܥ
ܥ =
1608 × 3
10 × 2,4%
= 20.100

Gabarito: B.

Questão 23 SEFAZ SP 2009 [ESAF]
Um capital unitário aplicado a juros gerou um montante de 1,1 ao fim de 2 meses e 15 dias.
Qual a taxa de juros simples anual de aplicação deste capital?
a) 4%
b) 10%
c) 60%
d) 54%
e) 48%

Resolução:
O prazo é de 2,5 meses (=2 meses e meio), o capital é unitário, o montante é igual a 1,1.
Ficamos com:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
1,1 = 1 × (1 + 2,5݅)
2,5݅ = 1,1 − 1
݅ =
0,1
2,5

Multiplicando numerador e denominador por 4:
݅ =
0,4
10
= 4%
A taxa mensal é de 4%.
A taxa anual, portanto, é de 4% × 12 = 48%
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 38
Gabarito: E

Questão 24 AFRF 2003 [ESAF]
Os capitais de R$ 2.500,00, R$ 3.500,00, R$ 4.000,00 e R$ 3.000,00 são aplicados a juros
simples durante o mesmo prazo às taxas mensais de 6%, 4%, 3% e 1,5%, respectivamente.
Obtenha a taxa média mensal de aplicação destes capitais.
a) 2,9%
b) 3%
c) 3,138%
d) 3,25%
e) 3,5%

Resolução.
A taxa média é uma média ponderada das taxas originais. Os pesos de ponderação são os
produtos ܥ × ݊.
݅ =
6% × (2.500 × ݊) +4% × (3.500 × ݊) + 3%× (4.000 × ݊) + 1,5%× (3.000 × ݊)
2.500݊ + 3.500݊ + 4.000݊ + 3.000݊

Podemos dividir o denominador e o numerador por n:
݅ =
6% × (2.500) +4% × (3.500) + 3%× (4.000) + 1,5%× (3.000)
2.500 + 3.500 + 4.000 + 3.000

݅ =
150 + 140 +120 + 45
13.000

݅ =
455
13.000
= 3,5%
A taxa média é de 3,5%.
Gabarito: E

Questão 25 AFRF 2002-1 [ESAF]
Os capitais de R$ 2.000,00, R$ 3.000,00, R$ 1.500,00 e R$ 3.500,00 são aplicados à
taxa de 4% ao mês, juros simples, durante dois, três, quatro e seis meses,
respectivamente. Obtenha o prazo médio de aplicação destes capitais.
a) quatro meses
b) quatro meses e cinco dias
c) três meses e vinte e dois dias
d) dois meses e vinte dias
e) oito meses

Resolução:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 39
O prazo médio é uma média ponderada dos prazos individuais. Os pesos de ponderação são
os produtos ݅ × ܥ
Como as taxas são todas de 4%, no final das contas, os pesos de ponderação serão apenas
os capitais.
݊ =
2.000 × 2 + 3.000 × 3 + 1.500 × 4 +3.500 × 6
2.000 + 3.000 + 1.500 + 3.500
= 4
O prazo médio é de 4 meses.
Gabarito: A

Questão 26 AFRFB 2002 2 [ESAF]
Os capitais de R$ 7.000,00, R$ 6.000,00, R$ 3.000,00 e R$ 4.000,00 são aplicados
respectivamente às taxas de 6%, 3%, 4% e 2% ao mês, no regime de juros simples durante o
mesmo prazo. Calcule a taxa média proporcional anual de aplicação destes capitais.
a) 4%
b) 8%
c) 12%
d) 24%
e) 48%

Resolução:
A taxa média é uma média ponderada das taxas individuais. Os pesos de ponderação são os
produtos ݊ × ܥ. Como os períodos são todos iguais, os pesos de ponderação acabam sendo
apenas os capitais (C).
݅ =
7.000 × 6%+ 6.000 × 3% + 3.000 × 4%+ 4.000 × 2%
7.000 + 6.000 + 3.000 + 4.000

݅ =
420 + 180 + 120 + 80
20.000
=
800
20.000
= 4%
A taxa média é de 4% ao mês.
O exercício pediu a taxa anual. Basta multiplicar por 12 (pois um ano tem doze meses):
4% × 12 = 48%
Gabarito: E

Questão 27 AFRF 2001 [ESAF]
Os capitais de R$3.000,00, R$5.000,00 e R$ 8.000,00 foram aplicados todos no mesmo
prazo, a taxas de juros simples de 6% ao mês, 4% ao mês e 3,25% ao mês, respectivamente.
Calcule a taxa média de aplicação desses capitais.
a) 4,83% ao mês
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 40
b) 4,859% ao mês
c) 4,4167% ao mês
d) 3,206% ao mês
e) 4% ao mês

Resolução:
A taxa média é uma média ponderada das taxas individuais. Os pesos de ponderação são os
produtos ݊ × ܥ. Como os períodos são todos iguais, os pesos de ponderação acabam sendo
apenas os capitais (C).
݅ =
3.000 × 6% +5.000 × 4% + 8.000 × 3,25%
3.000 + 5.000 + 8.000

݅ =
180 + 200 + 260
16.000
=
640
16.000
= 4%
Gabarito: E

Questão 28 AFPS 2002 [ESAF]
Uma pessoa física recebeu um empréstimo de um banco comercial no valor de R$ 10.000,00
por um prazo de três meses para pagar de volta este valor acrescido de 15% de juros ao fim
do prazo. Todavia, a pessoa só pode usar em proveito próprio 75% do empréstimo, porque,
por força do contrato, usou o restante para fazer uma aplicação no próprio banco que
rendeu R$ 150,00 ao fim dos três meses. Indique qual foi a taxa efetiva de juros paga pela
pessoa física sobre a parte do empréstimo que utilizou em proveito próprio.
a) 12% ao trimestre
b) 14% ao trimestre
c) 15% ao trimestre
d) 16% ao trimestre
e) 18% ao trimestre

Resolução:
Na data em que é contratado o empréstimo, a pessoa recebe do banco a quantia de 75% de
10.000,00:
ܥ = 0,75 × 10.000 = 7.500
Ao final do empréstimo, a pessoa deve devolver ao banco 10.000, acrescidos de juros de
15% sobre 10.000,00.
15% × 10.000 = 1500
Mas a pessoa pode abater os R$ 2.500 que deixou aplicados no banco, bem como o
rendimento de R$ 150,00 da sua aplicação:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 41
Assim, a pessoa terá que devolver:
ܯ = 10.000 +1.500 − 2.500 − 150 = 8.850
Ou seja, o capital de 7.500,00 foi transformado em um montante de 8.850, no período de
um trimestre. A taxa de juros trimestral “i” é tal que:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
8.850 = 7.500 ×(1 + ݅)
1 + ݅ =
8.850
7.500
= 1,18
݅ = 18%
Gabarito: E

Questão 29 PREFEITURA DE FORTALEZA 2003 [ESAF]
Os capitais de 200, 300 e 100 unidades monetárias são aplicados a juros simples durante o
mesmo prazo às taxas mensais de 4%, 2,5% e 5,5%, respectivamente. Calcule a taxa mensal
média de aplicação destes capitais.
a) 2,5%
b) 3%
c) 3,5%
d) 4%
e) 4,5%

Resolução:
A taxa média é uma média ponderada das taxas individuais. Os pesos de ponderação são os
capitais:
݅ =
200 × 0,04 + 300 × 0,025 + 100 × 0,055
200 + 300 + 100
= 3,5%
Gabarito: C

Questão 30 SEFAZ MS 2000 [ESAF]
Três capitais são aplicados a juros simples pelo mesmo prazo. O capital de R$ 3.000,00 é
aplicado à taxa de 3% ao mês, o capital de R$ 2.000,00 é aplicado a 4% ao mês e o capital de
R$ 5.000,00 é aplicado a 2% ao mês. Obtenha a taxa média mensal de aplicação desses
capitais.
a) 3%
b) 2,7%
c) 2,5%
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 42
d) 2,4%
e) 2%

Resolução:
A taxa média é uma média ponderada das taxas individuais. Os pesos de ponderação são os
capitais (pois os prazos coincidem):
݅ =
3.000 × 0,03 + 2.000 × 0,04 + 5.000 × 0,02
3.000 + 2.000 + 5.000
= 2,7%
Gabarito: B

Questão 31 SEFAZ PI 2001 [ESAF]
Durante o mês de maio, um capital de R$ 2.000,00 foi aplicado no open market (sistema de
juros simples) a uma taxa de 30% ao mês, tendo produzido um montante de R$ 2.240,00. O
número de dias a que esse capital esteve aplicado foi de:
a) 8
b) 10
c) 12
d) 13
e) 15

Resolução:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
2.240 = 2.000 × (1 + ݊ × 0,3)
2.240
2000
= 1 + 0,03݊
0,3݊ = 1,12 − 1
݊ =
0,12
0,3
= 0,4
O prazo foi de 0,4 meses.
Precisamos converter esse prazo em dias. Basta aplicar regra de três:
30 dias --- 1 mês
x dias --- 0,4 meses
0,4 × 30 = ݔ → ݔ = 12
O prazo é de 12 dias.
Gabarito: C

Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 43
Questão 32 SUSEP 2002 [ESAF]
Um capital é aplicado a juros simples durante três meses e dez dias a uma taxa de 3% ao
mês. Calcule os juros em relação ao capital inicial.
a) 9%
b) 10%
c) 10,5%
d) 11%
e) 12%

Resolução:
10 dias correspondem a 1/3 de mês. Assim, o capital foi aplicado por 3 mês + 1/3 de mês =
10/3 de mês.
3 +
1
3
=
10
3

Temos:
ܬ = ܥ × ݊ × ݅
ܬ = ܥ ×
10
3
× 0,03 = 0,1ܥ
Logo:
ܬ
ܥ
= 10%
Gabarito: B

Questão 33 CGU 2001 [ESAF]
Um capital é aplicado a juros simples à taxa de 4% ao mês por quarenta e cinco dias. Calcule
os juros como porcentagem do capital aplicado.
a) 4%
b) 4,5%
c) 5%
d) 6%
e) 6,12%

Resolução:
Quarenta e cinco dias correspondem a um mês e meio (=1,5 meses).
ܬ = ܥ × ݊ × ݅
ܬ = ܥ × 1,5 × 0,04 = 0,06ܥ
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 44
ܬ
ܥ
= 6%
Gabarito: D

Questão 34 SEFAZ CE 2006 [ESAF]
Qual o capital que aplicado a juros simples à taxa de 2,4% ao mês rende R$ 1 608,00 em 100
dias?
a) R$ 20 000,00.
b) R$ 20 100,00.
c) R$ 20 420,00.
d) R$ 22 000,00.
e) R$ 21 400,00.

Resolução:
Sabemos que a taxa é de 2,4% ao mês, o juro é de R$ 1.608,00 e o prazo é de 100 dias.
Observem que a taxa está ao mês e o prazo está em dias. Quando isso ocorre, não podemos
aplicar a fórmula dos juros simples. Primeiro, temos que uniformizar as unidades. Vamos
passar o prazo para meses.
Fazendo a regra de três:
30 dias equivalem a 1 mês
100 dias equivalem a X.
30 ----- 1
100 ----- X
3
10
30
100
1 100 30 = = ⇒ × = × X X
Pronto, agora o nosso prazo, em meses, é de 10/3.
Aplicando a fórmula, temos:
C i n J × × =
C × × = % 4 , 2
3
10
1608
C × × = 024 , 0
3
10
1608
C × × = 008 , 0 10 1608
100 . 20
08 , 0
1608
08 , 0 1608 = = ⇒ × = C C
Gabarito: B.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 45

Questão 35 TRE SP 2012 [FCC]
Uma pessoa necessita da quantia de R$ 24.120,00 daqui a 8 meses. Se aplicar hoje o capital
de R$ 22.500,00 a juros simples, então a taxa anual para obter na data desejada exatamente
a quantia que ela necessita é
a) 9,6%.
b) 10,8%.
c) 12,0%.
d) 13,2%.
e) 14,4%.

Resolução:
No regime simples, o montante é dado por:
ܯ = ܥ × (1 + ݅݊)
Onde:
• ܯ é o montante (=24.120)
• ݅ é a taxa de juros mensal
• ݊ é o número de meses (=8)
• ܥ é o capital (=22.500)
Substituindo os valores, temos:
24.120 = 22.500 × (1 + 8݅)
24.120
22.500
= 1 + 8݅
1,072 = 1 + 8݅ → 8݅ = 0,072
8݅ = 7,2%
݅ = 7,2%÷ 8 = 0,9%
A taxa é de 0,9% ao mês. Para calcular a taxa anual, basta multiplicar por 12.
݅

= 12 × 0,9% = 10,8%

Gabarito: B

Questão 36 TRE RJ 2012 [CESPE]
Uma jovem pretende construir uma casa em um terreno de sua propriedade, necessitando,
para isso, de R$ 50.000,00. Para obter essa soma de dinheiro, ela dispõe das seguintes
opções:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 46
I Aplicar R$ 2.000,00 por mês em caderneta de poupança, cujo rendimento é de 0,7% a.m.,
realizando essa aplicação até obter a quantia necessária.

II Financiar o valor que necessita em 40 meses, pelo sistema de amortização constante
(SAC), à taxa nominal anual de 8,1%.

III Tomar de empréstimo a quantia necessária com um parente, realizando o pagamento em
40 prestações, mensais e sucessivas, pelo sistema americano de amortização, à taxa mensal
igual à da poupança.

IV Tomar de empréstimo a quantia necessária com um amigo e realizar o pagamento ao
término de 40 meses, de uma só vez, de R$ 75.000,00.

Considerando que 1,49 e 24,86 são valores aproximados para 1,0140 e (1,00723 – 1)/0,007,
é correto afirmar que, na situação hipótetica em apreço, caso a jovem escolha a opção IV, o
montante a ser pago, no regime de juros simples, corresponderá à capitalização mensal do
valor tomado emprestado a uma taxa mensal constante superior a 2%.

Resolução:
Sejam M o montante, C o capital, i a taxa de juros, n o número de meses do empréstimo e i
a taxa mensal.
Tais grandezas se relacionam do seguinte modo:
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)
75.000 = 50.000 ×(1 + 40݅)
75.000 ÷ 50.000 = (1 + 40݅)
(1 + 40݅) = 1,5
40݅ = 0,5
݅ = 1,25%
Gabarito: errado

Questão 37 SEFAZ SP 2013 [FCC]
Em 17/01/2012, uma pessoa tomou R$ 20.000,00 emprestados do Banco A, por um ano, a
juro simples, à taxa de 4% ao mês. Após certo tempo, soube que o Banco B emprestava, a
juros simples, à taxa de 3% ao mês. Tomou, então, R$ 20.000,00 emprestados do Banco B
até 17/01/2013 e no mesmo dia liquidou sua dívida com o Banco A. Em 17/01/2013, os
juros pagos aos Bancos A e B totalizaram R$ 8.200,00. O número de meses correspondente
ao prazo de segundo empréstimo é
a) 4
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 47
b) 5
c) 6
d) 7
e) 8

Resolução:
Seja “x” a quantidade de meses que a pessoa ficou com o dinheiro do banco “A”.
Nesse primeiro empréstimo, temos:
Taxa de juros (i) = 4%
Capital (C): R$ 20.000,00
Número de meses (n) = x
Para calcular os juros (J), basta multiplicar:

ܬ = ܥ × ݅ × ݊

ܬ = 20.000 × 0,04 × ݔ = 800ݔ

Seja “y” a quantidade de meses que a pessoa ficou com o dinheiro do banco “B”.
Nesse segundo empréstimo, temos:
Taxa de juros (i) = 3%
Capital (C): R$ 20.000,00
Número de meses (n) = y
Para calcular os juros (J), basta multiplicar:

ܬ = ܥ × ݅ × ݊
ܬ = 20.000 × 0,03 × ݕ = 600ݕ
O período total dos empréstimos foi um ano (=12 meses)
ݔ + ݕ = 12 → ݔ = 12 − ݕ...(I)
A soma dos juros foi R$ 8.200:
800ݔ + 600ݕ = 8.200...(II)
Substituindo (I) em (II):
800 × (12 − ݕ) +600ݕ = 8.200

9.600 − 800ݕ + 600ݕ = 8.200
−200ݕ = 8.200 − 9.600
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 48
−200ݕ = −1.400
ݕ = 7
O segundo empréstimo durou 7 meses.
Gabarito: D

Questão 38 BACEN 2009 [CESGRANRIO]
Um aplicador vai obter de resgate em um título o valor de R$ 30.000,00.
Sabendo-se que a operação rendeu juros simples de 5% ao mês, por um período de 6
meses, o valor original da aplicação foi, em reais, de
a) 21.066,67
b) 21.500,00
c) 22.222,66
d) 23.076,93
e) 23.599,99

Resolulção:
Sejam "C" o capital, "M" o montante, "i" a taxa de juros mensal e "n" o número de meses.
Temos:
ܯ = ܥ × (1 + ݅݊)
30.000 = ܥ × (1 + 0,05 × 6)
ܥ =
30.000
1,3
≈ 23.076
Gabarito: D

Questão 39 BACEN 2009 [CESGRANRIO]
Um aplicador vai obter de resgate em um título o valor de R$ 30.000,00.
Sabendo-se que a operação rendeu juros simples de 5% ao mês, por um período de 6
meses, o valor original da aplicação foi, em reais, de
a) 21.066,67
b) 21.500,00
c) 22.222,66
d) 23.076,93
e) 23.599,99

Resolução:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 49
Sejam "C" o capital, "M" o montante, "i" a taxa de juros mensal e "n" o número de meses.
Temos:
ܯ = ܥ × (1 + ݅݊)
30.000 = ܥ × (1 + 0,05 × 6)
ܥ =
30.000
1,3
≈ 23.076

Gabarito: D

Questão 40 ISS SP 2012 [FCC]
Em 05 de janeiro de certo ano, uma pessoa tomou R$ 10.000,00 emprestados por 10 meses,
a juros simples, com taxa de 6% ao mês. Após certo tempo, encontrou um outro credor que
cobrava taxa de 4% ao mês. Tomou, então, R$ 13.000,00 emprestados do segundo credor
pelo resto do prazo e, no mesmo dia, liquidou a dívida com o primeiro. Em 05 de novembro
desse ano, ao liquidar a segunda dívida, havia pago um total de R$ 5.560,00 de juros aos
dois credores. O prazo do segundo empréstimo foi
a) 6 meses.
b) 5 meses e meio.
c) 5 meses.
d) 4 meses e meio.
e) 4 meses.

Primeiro empréstimo
O capital é de 10.000,00 (C = 10.000) e a taxa de juros mensal é de 6% (i = 0,06). Com isso, o
juro mensal pago é de:
ܬ = ܥ × ݅ = 10.000 × 0,06 = 600

Segundo empréstimo
O capital é de 13.000,00 (C = 13.000) e a taxa de juros mensal é de 4% (i = 0,04). Com isso, o
juro mensal pago é de:
ܬ = ܥ × ݅ = 13.000 × 0,04 = 520
Juro total:
Seja "a" a quantidade de meses que durou o primeiro empréstimo e seja "b" a quantidade
de meses que durou o segundo empréstimo. O prazo total foi de 10 meses:
ܽ + ܾ = 10
Além disso, o juro total pago foi de R$ 5.560,00. Deste modo, se multiplicarmos o juro
mensal do primeiro empréstimo (=600) pelo seu período de duração (a), e se também
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 50
multiplicarmos o juro mensal do segundo empréstimo (=520) pelo seu prazo de duração (b),
e somarmos, obteremos justamente 5.560:
600ܽ + 520ܾ = 5.560
Temos um sistema de duas equações e duas incógnitas:

ܽ + ܾ = 10
600ܽ + 520ܾ = 5.560

Para resolver existem diversas maneiras. Podemos isolar uma incógnita em uma equação e
substituir na outra. Podemos usar determinantes. Mas aqui vou optar pelo seguinte. Vou
multiplicar a primeira equação por (-600). Assim ficaremos com:

−600ܽ − 600ܾ = −600 × 10
600ܽ + 520ܾ = 5.560

Agora somamos as duas equações:
(−600ܽ − 600ܾ) +(600ܽ + 520ܾ) = (−6.000) + (5.560)
−600ܽ +600ܽ − 600ܾ + 520ܾ = 5.560 − 6.000
−80ܾ = −440
ܾ = 440 ÷ 80 = 5,5
O segundo empréstimo durou 5,5 meses (= cinco meses e meio).
Gabarito: B

Questão 41 POLICIA FEDERAL 2004 [CESPE]
Considerando os conceitos de matemática financeira relativos ao cálculo de juros,
descontos e taxas, julgue o seguinte item.

Resolução:
No cálculo de juros exatos, considera-se a média de trinta dias para cada mês.
No cálculo de juros exatos a contagem de prazo é conforme o calendário: 31 dias para
janeiro, março, maio, julho, agosto, outubro e dezembro; 30 dias para abril, junho,
setembro e novembro; 28 dias para fevereiro (ou 29, no caso de anos bissextos).
Gabarito: errado

Questão 42 POLICIA FEDERAL 2004 [CESPE]
Considerando os conceitos de matemática financeira relativos ao cálculo de juros,
descontos e taxas, julgue o seguinte item.
Para o cálculo de juros ordinários, utiliza-se o ano de 365 dias, desconsiderando-se anos
bissextos.

Resolução:
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 51
Nos juros ordinários (ou comerciais), consideramos que cada mês tem 30 dias (ainda que
seja fevereiro), e que o ano tem 360 dias.
Gabarito: errado

Questão 43 SEFAZ AL 2002 [CESPE]
Com base no regime de juros simples, julgue o item seguinte.
Quando um capital de R$ 50.000,00 é aplicado a uma taxa de juros de 36% ao ano, pelo
prazo de 60 dias, o juro comercial obtido é inferior a R$ 2.500,00.

Resolução:
Primeiro precisamos passar o prazo para anos.
Na contagem comercial, um mês tem 30 dias e um ano tem 360 dias.
Logo, 60 dias correspondem a 1/6 de ano.
Sejam "C" o capital, "i" a taxa de juros anual, "n" o número de anos e "J" o juro.
ܬ = ܥ × ݅ × ݊
ܬ = 50.000 × 0,36 ×
1
6


ܬ = 3.000
Gabarito: errado

Questão 44 ATRFB 2006 [ESAF]
Três capitais nos valores respectivos de 100, 250 e 150 são aplicados a juros simples no
mesmo prazo às taxas de 3%, 4% e 2% ao mês, respectivamente. Obtenha a taxa média
mensal de aplicação desses capitais.
a) 3,4%
b) 3,2%
c) 3,0%
d) 2,8%
e) 2,6%

Resolução:
Sejam "i" a taxa de juros, "n" o número de períodos e "C" o capital.
A taxa média é a média ponderada das taxas individuais. Os pesos de ponderação são os
fatores ݊ × ܥ.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 52
Como os prazos são todos iguais entre si, os valores de "n" vão se cancelar, e os pesos de
ponderação podem ser expressos apenas em função dos capitais.
Logo:
ଓ̅ =
0,03 × 100 + 0,04 × 250 + 0,02 × 150
100 + 250 + 150

ଓ̅ =
3 + 10 + 3
500
= 3,2%

Gabarito: B

Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 53
3. RESUMO DA AULA
Fórmulas para juros simples:
ܯ = ܥ + ܬ
ܬ = ܥ × ݅ × ݊
ܯ = ܥ × (1 + ݊݅)

Conversão de taxas: usar regra de três
Conversão de prazo: usar regra de três.

Juros exatos: contagem pelo calendário
Juros comerciais: todos os meses têm 30 dias
Juros bancários: conta pelo calendário, mas ano tem 365 dias (mistura dos dois métodos
anteriores)

Taxa média: média ponderada das taxas individuais. Os pesos de ponderação são os
produtos ܥ × ݊
Prazo médio: Média ponderada dos prazos individuais. Os pesos de ponderação são os
produtos ݅ × ܥ
Capital médio: média ponderada dos capitais individuais. Os pesos de ponderação são os
produtos ݊ × ݅

Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 54
4. LISTA DAS QUESTÕES APRESENTADAS
Questão 1 SEFAZ RJ 2009 [FGV]
O valor a ser pago por um empréstimo de R$ 4.500,00, a uma taxa de juros simples de 0,5%
ao dia, ao final de 78 dias, é de:
a) R$ 6.255,00
b) R$ 5.500,00
c) R$ 6.500,00
d) R$ 4.855,00
e) R$ 4.675,50
Questão 2 CVM 2010 [ESAF]
Qual o valor mais próximo do montante que atinge uma dívida de R$ 2.000,00, quatro
meses e meio depois, a uma taxa de juros simples de 1,5% ao mês?
a) R$ 2.115,00
b) R$ 2.092,00
c) R$ 2.090,00
d) R$ 2.105,00
e) R$ 2.120,00
Questão 3 IRB 2006 [ESAF]
Um capital de 1000 unidades monetárias foi aplicado durante um mês a 3% ao mês, tendo o
montante ao fim do mês sido reaplicado no segundo mês a 4% ao mês e o montante ao fim
do segundo mês sido reaplicado no terceiro mês a 5% ao mês. Indique o montante ao fim do
terceiro mês.
a) 1 170
b) 1 124,76
c) 1 120
d) 1 116,65
e) 1 110
Questão 4 SEFAZ PB 2006 [FCC]
Um investidor aplica em um determinado banco R$ 10.000,00 a juros simples. Após 6
meses, resgata totalmente o montante de R$ 10.900,00 referente a esta operação e o aplica
em outro banco, durante 5 meses, a uma taxa de juros simples igual ao dobro da
correspondente à primeira aplicação. O montante no final do segundo período é igual a
(A) R$ 12.535,00
(B) R$ 12.550,00
(C) R$ 12.650,00
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 55
(D) R$ 12.750,00
(E) R$ 12.862,00
Questão 5 MPE AM 2007 [CESPE]
Julgue o item seguinte:
Considere que a quantia de R$ 3.000,00 seja aplicada à taxa de juros simples de 8% ao mês.
Nessa situação, ao final de 12 meses, o montante dessa aplicação será superior a R$
5.600,00.
Questão 6 SEFAZ ES 2008 [CESPE]
Considere que os investimentos feitos na instituição financeira A são pagos a uma taxa de
juros simples de 1% ao mês, enquanto os feitos na instituição financeira B são pagos a uma
taxa de juros compostos também de 1% ao mês. Nessas condições, se o capital de R$
1.000,00 foi aplicado por um período de 3 meses em uma dessas instituições e o montante
dessa aplicação, ao final dos 3 meses, foi superior a R$ 1.030,00, é correto concluir que o
capital foi investido na instituição financeira B.
Questão 7 SUSEP 2002 [ESAF]
Um capital é aplicado a juros simples durante três meses e dez dias a uma taxa de 3% ao
mês. Calcule os juros em relação ao capital inicial.
a) 9%
b) 10%
c) 10,5%
d) 11%
e) 12%
Questão 8 ANCINE 2006 [CESPE]
O cálculo financeiro é relevante, tendo em vista as tarefas de escolha de melhores opções
de uso do dinheiro. Acerca de matemática financeira, julgue os itens seguintes.
114. É 110% ao ano a taxa que, em 3 anos e 4 meses, fará quintuplicar de valor um capital
aplicado a juros simples.
Questão 9 ANCINE 2006 [CESPE]
Com referência à utilização da matemática financeira nas operações das empresas, julgue os
itens seguintes.
61. Ao se aplicar R$ 20.000,00 à taxa de 9% ao trimestre, durante nove meses,
considerando-se juros simples, o total de juros será de R$ 5.400,00.
Questão 10 TCU 2009 [CESPE]
Se um capital de R$ 10.000,00 for aplicado pelo período de 1 ano à taxa de juros simples de
6% ao mês, então, ao término desse período, o montante existente nessa aplicação será
superior a R$ 17.400,00.
Questão 11 SEFAZ SP 2009 [FCC]
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 56
Uma pessoa aplicou um capital em um Banco que remunera os depósitos de seus clientes a
uma taxa de juros simples de 12% ao ano. Completando 6 meses, ela retirou o montante
correspondente a esta aplicação e utilizou R$ 20.000,00 para liquidar uma dívida nesse
valor. O restante do dinheiro, aplicou em um outro Banco, durante um ano, a uma taxa de
juros simples de 1,5% ao mês. No final do período, o montante da segunda aplicação
apresentou um valor igual a R$ 28.933,60. A soma dos juros das duas aplicações é igual a
(A) R$ 10.080,00
(B) R$ 8.506,80
(C) R$ 7.204,40
(D) R$ 6.933,60
(E) R$ 6.432,00
Questão 12 SEFAZ-RJ 2008 [FGV]
Um capital é aplicado durante 120 dias a uma taxa de juros simples ordinário de 15% ao
ano, produzindo um montante de R$ 8.400,00.
Nestas condições, o capital aplicado, desprezando os centavos, é:
a) R$ 6.500,00
b) R$ 7.850,00
c) R$ 8.017,00
d) R$ 8.820,00
e) R$ 8.000,00
Questão 13 SEFAZ PB 2006 [FCC]
Certas operações podem ocorrer por um período de apenas alguns dias, tornando
conveniente utilizar a taxa diária e obtendo os juros segundo a convenção do ano civil ou do
ano comercial. Então, se um capital de R$ 15.000,00 foi aplicado por 5 dias à taxa de juros
simples de 9,3% ao mês, em um mês de 31 dias, o módulo da diferença entre os valores dos
juros comerciais e dos juros exatos é:
a) R$ 7,50
b) R$ 15,00
c) R$ 22,50
d) R$ 30,00
e) R$ 37,50
Questão 14 ANTAQ 2009 [CESPE]
Sabendo-se que o ano de 2008 foi bissexto, conclui-se que uma quantia aplicada do dia 15
de janeiro até 10 de abril daquele ano à taxa de juros diários deve render o mesmo valor
total de juros, não importando se o cálculo for feito por meio do método de juros
comerciais ou de juros exatos.
Questão 15 BANCOP 2007 [CESPE]
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 57
Suponha que um capital C aplicado por 12 meses à taxa de juros simples de i% ao mês se
transforme em um montante de R$ 37.000,00. Esse mesmo capital aplicado à mesma taxa,
no mesmo regime de juros, mas por 6 meses se transforma em um montante de R$
31.000,00. Nessa situação, a taxa anual equivalente à taxa de i% é
A inferior a 37%.
B superior ou igual a 37% e inferior a 40%.
C superior ou igual a 40% e inferior a 43%.
D superior ou igual a 43% e inferior a 46%.
E superior ou igual a 46%.
Questão 16 GDF SEPLAG 2009 [UNIVERSA]
Uma empresa aplicou, em uma instituição financeira, R$ 50.000,00, resgatando R$
54.000,00 quatro meses depois. Assinale a alternativa que determina a taxa de juros simples
equivalente, auferida nesta aplicação.
(A) 6% ao trimestre.
(B) 4% ao quadrimestre.
(C) 22 % ao ano.
(D) 10% ao semestre.
(E) 1,5% ao mês.

Questão 17 TJ SE 2009 [FCC]
Um capital foi aplicado, a juros simples, durante um período de 20 meses. Sabendo-se que o
valor do montante no final do período foi igual a 5/4 do valor do capital inicial, tem-se que a
taxa de juros anual correspondente foi de
(A) 15%
(B) 18%
(C) 20%
(D) 24%
(E) 27%
Questão 18 MPE RS 2008 [FCC]
Uma pessoa investe em um banco um capital C, durante 9 meses, a uma taxa de juros
simples de 27% ao ano. No final do período, ela resgata todo o montante e o investe
totalmente em outro banco, a uma taxa de juros simples de 36% ao ano, durante 10 meses.
Verificando-se que o montante referente ao segundo investimento foi igual a R$ 18.759,00,
tem-se que o valor de C, em R$, é igual a
(A) 13.000,00
(B) 14.000,00
(C) 11.000,00
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 58
(D) 10.000,00
(E) 12.000,00
Questão 19 SEFAZ-RJ 2008 [FGV]
A taxa de juros simples de 0,05% ao dia equivale à taxa semestral de:
a) 15,00%
b) 1,50%
c) 18,00%
d) 9,00%
e) 12,00%
Questão 20 SEFAZ-RJ 2008 [FGV]
Os valores de R$ 50.000 e R$ 100.000 foram aplicados à mesma taxa de juros simples
durante 12 e 6 meses, respectivamente.
O prazo médio da aplicação conjunta desses capitais, em meses é:
a) 12
b) 8
c) 10
d) 9,2
e) 7,5
Questão 21 SEFAZ CE 2006 [ESAF]
Uma pessoa aplicou um capital a juro simples exato a uma taxa de 20% ao ano e ele cresceu
8% ao fim do prazo. Qual foi o prazo de aplicação do capital?
a) 144 dias
b) 146 dias
c) 150 dias
d) 153 dias
e) 155 dias
Questão 22 SEFAZ/CE 2006 [ESAF]
Qual o capital que aplicado a juros simples à taxa de 2,4% ao mês rende R$ 1.608,00 em 100
dias?
a) R$ 20.000,00.
b) R$ 20.100,00.
c) R$ 20.420,00.
d) R$ 22.000,00.
e) R$ 21.400,00.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 59
Questão 23 SEFAZ SP 2009 [ESAF]
Um capital unitário aplicado a juros gerou um montante de 1,1 ao fim de 2 meses e 15 dias.
Qual a taxa de juros simples anual de aplicação deste capital?
a) 4%
b) 10%
c) 60%
d) 54%
e) 48%
Questão 24 AFRF 2003 [ESAF]
Os capitais de R$ 2.500,00, R$ 3.500,00, R$ 4.000,00 e R$ 3.000,00 são aplicados a juros
simples durante o mesmo prazo às taxas mensais de 6%, 4%, 3% e 1,5%, respectivamente.
Obtenha a taxa média mensal de aplicação destes capitais.
a) 2,9%
b) 3%
c) 3,138%
d) 3,25%
e) 3,5%
Questão 25 AFRF 2002-1 [ESAF]
Os capitais de R$ 2.000,00, R$ 3.000,00, R$ 1.500,00 e R$ 3.500,00 são aplicados à
taxa de 4% ao mês, juros simples, durante dois, três, quatro e seis meses,
respectivamente. Obtenha o prazo médio de aplicação destes capitais.
a) quatro meses
b) quatro meses e cinco dias
c) três meses e vinte e dois dias
d) dois meses e vinte dias
e) oito meses
Questão 26 AFRFB 2002 2 [ESAF]
Os capitais de R$ 7.000,00, R$ 6.000,00, R$ 3.000,00 e R$ 4.000,00 são aplicados
respectivamente às taxas de 6%, 3%, 4% e 2% ao mês, no regime de juros simples durante o
mesmo prazo. Calcule a taxa média proporcional anual de aplicação destes capitais.
a) 4%
b) 8%
c) 12%
d) 24%
e) 48%
Questão 27 AFRF 2001 [ESAF]
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 60
Os capitais de R$3.000,00, R$5.000,00 e R$ 8.000,00 foram aplicados todos no mesmo
prazo, a taxas de juros simples de 6% ao mês, 4% ao mês e 3,25% ao mês, respectivamente.
Calcule a taxa média de aplicação desses capitais.
a) 4,83% ao mês
b) 4,859% ao mês
c) 4,4167% ao mês
d) 3,206% ao mês
e) 4% ao mês
Questão 28 AFPS 2002 [ESAF]
Uma pessoa física recebeu um empréstimo de um banco comercial no valor de R$ 10.000,00
por um prazo de três meses para pagar de volta este valor acrescido de 15% de juros ao fim
do prazo. Todavia, a pessoa só pode usar em proveito próprio 75% do empréstimo, porque,
por força do contrato, usou o restante para fazer uma aplicação no próprio banco que
rendeu R$ 150,00 ao fim dos três meses. Indique qual foi a taxa efetiva de juros paga pela
pessoa física sobre a parte do empréstimo que utilizou em proveito próprio.
a) 12% ao trimestre
b) 14% ao trimestre
c) 15% ao trimestre
d) 16% ao trimestre
e) 18% ao trimestre
Questão 29 PREFEITURA DE FORTALEZA 2003 [ESAF]
Os capitais de 200, 300 e 100 unidades monetárias são aplicados a juros simples durante o
mesmo prazo às taxas mensais de 4%, 2,5% e 5,5%, respectivamente. Calcule a taxa mensal
média de aplicação destes capitais.
a) 2,5%
b) 3%
c) 3,5%
d) 4%
e) 4,5%
Questão 30 SEFAZ MS 2000 [ESAF]
Três capitais são aplicados a juros simples pelo mesmo prazo. O capital de R$ 3.000,00 é
aplicado à taxa de 3% ao mês, o capital de R$ 2.000,00 é aplicado a 4% ao mês e o capital de
R$ 5.000,00 é aplicado a 2% ao mês. Obtenha a taxa média mensal de aplicação desses
capitais.
a) 3%
b) 2,7%
c) 2,5%
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 61
d) 2,4%
e) 2%
Questão 31 SEFAZ PI 2001 [ESAF]
Durante o mês de maio, um capital de R$ 2.000,00 foi aplicado no open market (sistema de
juros simples) a uma taxa de 30% ao mês, tendo produzido um montante de R$ 2.240,00. O
número de dias a que esse capital esteve aplicado foi de:
a) 8
b) 10
c) 12
d) 13
e) 15
Questão 32 SUSEP 2002 [ESAF]
Um capital é aplicado a juros simples durante três meses e dez dias a uma taxa de 3% ao
mês. Calcule os juros em relação ao capital inicial.
a) 9%
b) 10%
c) 10,5%
d) 11%
e) 12%
Questão 33 CGU 2001 [ESAF]
Um capital é aplicado a juros simples à taxa de 4% ao mês por quarenta e cinco dias. Calcule
os juros como porcentagem do capital aplicado.
a) 4%
b) 4,5%
c) 5%
d) 6%
e) 6,12%
Questão 34 SEFAZ CE 2006 [ESAF]
Qual o capital que aplicado a juros simples à taxa de 2,4% ao mês rende R$ 1 608,00 em 100
dias?
a) R$ 20 000,00.
b) R$ 20 100,00.
c) R$ 20 420,00.
d) R$ 22 000,00.
e) R$ 21 400,00.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 62

Questão 35 TRE SP 2012 [FCC]
Uma pessoa necessita da quantia de R$ 24.120,00 daqui a 8 meses. Se aplicar hoje o capital
de R$ 22.500,00 a juros simples, então a taxa anual para obter na data desejada exatamente
a quantia que ela necessita é
a) 9,6%.
b) 10,8%.
c) 12,0%.
d) 13,2%.
e) 14,4%.
Questão 36 TRE RJ 2012 [CESPE]
Uma jovem pretende construir uma casa em um terreno de sua propriedade, necessitando,
para isso, de R$ 50.000,00. Para obter essa soma de dinheiro, ela dispõe das seguintes
opções:
I Aplicar R$ 2.000,00 por mês em caderneta de poupança, cujo rendimento é de 0,7% a.m.,
realizando essa aplicação até obter a quantia necessária.

II Financiar o valor que necessita em 40 meses, pelo sistema de amortização constante
(SAC), à taxa nominal anual de 8,1%.

III Tomar de empréstimo a quantia necessária com um parente, realizando o pagamento em
40 prestações, mensais e sucessivas, pelo sistema americano de amortização, à taxa mensal
igual à da poupança.

IV Tomar de empréstimo a quantia necessária com um amigo e realizar o pagamento ao
término de 40 meses, de uma só vez, de R$ 75.000,00.

Considerando que 1,49 e 24,86 são valores aproximados para 1,0140 e (1,00723 – 1)/0,007,
é correto afirmar que, na situação hipótetica em apreço, caso a jovem escolha a opção IV, o
montante a ser pago, no regime de juros simples, corresponderá à capitalização mensal do
valor tomado emprestado a uma taxa mensal constante superior a 2%.
Questão 37 SEFAZ SP 2013 [FCC]
Em 17/01/2012, uma pessoa tomou R$ 20.000,00 emprestados do Banco A, por um ano, a
juro simples, à taxa de 4% ao mês. Após certo tempo, soube que o Banco B emprestava, a
juros simples, à taxa de 3% ao mês. Tomou, então, R$ 20.000,00 emprestados do Banco B
até 17/01/2013 e no mesmo dia liquidou sua dívida com o Banco A. Em 17/01/2013, os
juros pagos aos Bancos A e B totalizaram R$ 8.200,00. O número de meses correspondente
ao prazo de segundo empréstimo é
a) 4
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 63
b) 5
c) 6
d) 7
e) 8

Questão 38 BACEN 2009 [CESGRANRIO]
Um aplicador vai obter de resgate em um título o valor de R$ 30.000,00.
Sabendo-se que a operação rendeu juros simples de 5% ao mês, por um período de 6
meses, o valor original da aplicação foi, em reais, de
a) 21.066,67
b) 21.500,00
c) 22.222,66
d) 23.076,93
e) 23.599,99

Questão 39 BACEN 2009 [CESGRANRIO]
Um aplicador vai obter de resgate em um título o valor de R$ 30.000,00.
Sabendo-se que a operação rendeu juros simples de 5% ao mês, por um período de 6
meses, o valor original da aplicação foi, em reais, de
a) 21.066,67
b) 21.500,00
c) 22.222,66
d) 23.076,93
e) 23.599,99
Questão 40 ISS SP 2012 [FCC]
Em 05 de janeiro de certo ano, uma pessoa tomou R$ 10.000,00 emprestados por 10 meses,
a juros simples, com taxa de 6% ao mês. Após certo tempo, encontrou um outro credor que
cobrava taxa de 4% ao mês. Tomou, então, R$ 13.000,00 emprestados do segundo credor
pelo resto do prazo e, no mesmo dia, liquidou a dívida com o primeiro. Em 05 de novembro
desse ano, ao liquidar a segunda dívida, havia pago um total de R$ 5.560,00 de juros aos
dois credores. O prazo do segundo empréstimo foi
a) 6 meses.
b) 5 meses e meio.
c) 5 meses.
d) 4 meses e meio.
e) 4 meses.
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 64
Questão 41 POLICIA FEDERAL 2004 [CESPE]
Considerando os conceitos de matemática financeira relativos ao cálculo de juros,
descontos e taxas, julgue o seguinte item.

Questão 42 POLICIA FEDERAL 2004 [CESPE]
Considerando os conceitos de matemática financeira relativos ao cálculo de juros,
descontos e taxas, julgue o seguinte item.
Para o cálculo de juros ordinários, utiliza-se o ano de 365 dias, desconsiderando-se anos
bissextos.
Questão 43 SEFAZ AL 2002 [CESPE]
Com base no regime de juros simples, julgue o item seguinte.
Quando um capital de R$ 50.000,00 é aplicado a uma taxa de juros de 36% ao ano, pelo
prazo de 60 dias, o juro comercial obtido é inferior a R$ 2.500,00.
Questão 44 ATRFB 2006 [ESAF]
Três capitais nos valores respectivos de 100, 250 e 150 são aplicados a juros simples no
mesmo prazo às taxas de 3%, 4% e 2% ao mês, respectivamente. Obtenha a taxa média
mensal de aplicação desses capitais.
a) 3,4%
b) 3,2%
c) 3,0%
d) 2,8%
e) 2,6%



Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 65
5. GABARITO
1 a
2 anulado
3 b
4 a
5 certo
6 certo
7 b
8 errado
9 certo
10 errado
11 d
12 e
13 a
14 errado
15 e
16 a
17 a
18 e
19 d
20 b
21 b
22 b
23 e
24 e
25 a
26 e
27 e
28 e
29 c
30 b
31 c
32 b
Matemática Financeira p/
Banco Central
Prof Vítor Menezes – Aula 01

Prof. Vítor Menezes www.estrategiaconcursos.com.br 66
33 d
34 b
35 b
36 errado
37 d
38 d
39 d
40 b
41 errado
42 errado
43 errado
44 b