Você está na página 1de 28

unesp

UNIVERSIDADE ESTADUAL PAULISTA
CAMPUS UNIVERSITÁRIO DE BAURU

FACULDADE DE ENGENHARIA DE BAURU
FACULDADE DE ARQUITETURA, ARTES E COMUNICAÇÃO
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA CIVIL
LABORATÓRIO DE CONSTRUÇÃO CIVIL

AULAS DE LABORATÓRIO
DISCIPLINA: 1662 e 3718EC2

MAT. E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I

Prof. Dr. OBEDE BORGES FARIA
Técnico ISRAEL LUIZ PEREIRA DOS SANTOS
Bauru, julho/2000
1ª revisão em julho/2003
2ª revisão em setembro/2005
3ª revisão em setembro/2008
4ª revisão em novembro/2011

2

ÍNDICE

GERAL

Programa

página

I- AGREGADOS PARA CONCRETO
1) Composição Granulométrica dos Agregados ......................................................... 3
(NBR 7217/87)
2) Massa Específica de Agregado Miúdo ou Graúdo ................................................. 9
(Método do Frasco de Chapman)
3) Massa Específica do Agregado Graúdo ............................................................... 11
(ASTM C-127/54)
4) Massa Unitária de Agregados em Estado Solto ................................................... 13
(NBR 7251/82)26
5) Massa Unitária de Agregados em Estado Compactado Seco ............................ 16
(NBR 7810/87)
II- ENSAIOS COM CONCRETO E ARGAMASSA
6) Confecção e Cura de C.P. de Concreto Cilíndricos ou Prismáticos ..................... 19
(NBR 5738/84)
7) Det. da Consistência do Concreto peloAbatimento do Tronco de Cone .............. 23
(NBR 7223/82)
8) Argamassas e concretos - determinação da resistência à compressão
de corpos-de-prova cilíndricos (NBR 5739/80) .................................................... 25

ÍNDICE DOS RELATÓRIOS
Relatório 1-A ...................................................................................... 5
Relatório 1-B ...................................................................................... 7
Relatório 2 ....................................................................................... 10
Relatório 3 ....................................................................................... 12
Relatório 4-A .................................................................................... 14
Relatório 4-B .................................................................................... 15
Relatório 5-A .................................................................................... 17
Relatório 5-B .................................................................................... 18
Relatório 6 ....................................................................................... 22
Relatório 7 ....................................................................................... 24
Relatório 8 ....................................................................................... 27

5 mm. cujos grãos passam pela peneira ABNT 4. ou a mistura de ambos. 9.8 mm." agregado constitui o material granuloso e inerte que entra na composição das argamassas e concretos". Equipamentos e materiais .075 mm" c) Agregado graúdo .3 I.peneiras da série normal (0. Objetivo: Este método fixa o modo pelo qual deve ser feita a determinação da composição granulométrica dos agregados miúdos e graúdos.3 mm. 1. ou a mistura de ambas.AGREGADOS PARA CONCRETO Definições: a) Agregado . e 76 mm). 2. (PIZARRO.8 6. 0.balança (capacidade de 20 kg) . 0.8 mm e ficam retidos na peneira ABNT 0.3 mm.8 mm" ENSAIOS DE DETERMINAÇÃO DE CONSTANTES FÍSICAS DOS AGREGADOS 1) COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA DOS AGREGADOS (NBR 7217/87) 1. .bandejas 3.2 mm.6 mm. Amostra A quantidade mínima de materiais a ser tomada é função da dimensão máxima.4 mm.escova com cerdas de nylon .peneiras intermediárias (6.5mm. 32 mm. 1976).5 3 5 10 20 30 . 19 mm. 12. b) Agregado miúdo .5 e 25 entre 32 e 38 50 entre 64 e 76 0. 38 mm. 4."Pedregulho ou Brita proveniente de rochas estáveis. 25 mm.escova com cerdas de latão . cujos grãos passam por uma peneira de malha quadrada com abertura nominal de 152 mm e ficam retidos na peneira ABNT 4.15 mm. dimensão máxima (mm) massa mínima (Kg) ≤ 4. e 50 mm) . 2.3 entre 9."areia de origem natural ou resultante do britamento de rochas estáveis.

2.1 % da massa da amostra. b) porcentagens retidas e retidas acumuladas (em números inteiros).8 mm. Resultados O certificado de ensaio deve consignar: a) massas dos grânulos retidos em cada peneira. e) o traçado da curva granulométrica do agregado e sua classificação no caso do agregado miúdo.1.2. que é a abertura da malha. Condições 6. Se o agregado fino apresentar entre 5 e 15 % de material retido na peneira de 4. 6. 7. O tempo de peneiramento é de 5 minutos. será considerado como agregado graúdo.1. Se o agregado grosso apresentar menos que 15 % de material passado pela peneira de 4. 5. da peneira a qual corresponde uma porcentagem retida acumulada igual ou imediatamente inferior a 5 %. será considerado como agregado miúdo. O material retido em cada peneira é separado e sua massa é determinada. 6.8 mm. Preparo da amostra Secar a amostra previamente ao ar 5. Procedimento 5. que é definido como sendo a soma das porcentagens acumuladas nas peneiras da série normal dividido por 100. em mm. d) a dimensão máxima do agregado.4 4. com aproximação de 0. . A amostra é a seguir peneirada através da série de peneiras. c) o módulo de finura.

...................................... Dimensão máxima: ___________ mm Módulo de finura: ___________ Observações: ................................................................................... ...................................................... .......................................... ........................... ................................................... Nº........................................ Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: .......................................................... ................................................................................................................................................................................................................................. Conclusões:............................................................................................... a tabela de granulometria juntamente com seu respectivo gráfico.................................................. Obs: do relatório deverá constar em anexo...........MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 1-A COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA DOS AGREGADOS AGREGADO MIÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: .............................................................................. .................................................... Agregado: ......................................................................................................................... ..............5 DISCIPLINA: 1662 .................................................................................................... Nº......................................... Nº.....................................................................................................

15 < 0. (mm) 1ª determ.2 0. ----------------------------------------------------------------------------------------------------------- Curva de Distribuição Granulométrica .8 2.3 1.5 9.4 1.5 6.15 0.agregado miúdo NBR7211/2005 4.5 19 25 32 38 50 76 Zona utilizável 90 porcentagem retida acumulada (%) Zona ÓTIMA 80 70 60 50 40 30 20 10 0 0.8 6.3 0.1 0.5 12.3 10 dimensão das partículas (mm) 100 . média individual acumulada Normal 4 8 16 30 50 100 50 38 32 25 19 12.6 0. 2ª determ.2 0.3 9.3 4.6 TABELA DE COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA (NBR 7217/87) Peneiras Nº ABNT Massa retida (g) Porcentagem retida (%) Abert.8 100 6.6 1 2.15 totais Interm.4 4.

.................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 1-B COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA DOS AGREGADOS AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ........................... Obs: do relatório deverá constar em anexo................................ a tabela de granulometria juntamente com seu respectivo gráfico...................................................................................................................................... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ........................................................................................................................................................................................................ Nº......... ......................................................................................................... Agregado: .................................................................................................................................. Nº. .......... Conclusões:.......................... ......................... ............................................................................................................................................ ........................................................................................ ........................... Nº........... ......................................................................................................... Dimensão máxima: ___________ mm Módulo de finura: ___________ Observações: .................................................................................................................................7 DISCIPLINA: 1662 ........ ...............................................................................................................................................

6 2.6 0.5 .8 2.8 TABELA DE COMPOSIÇÃO GRANULOMÉTRICA (NBR 7217/87) Peneiras Nº ABNT Massa retida (g) Porcentagem retida (%) Abert.3 4.3 1.5 19 25 32 38 50 76 100 porcentagem retida acumulada (%) 90 4.3 9.75 .5 (Brita 2) 70 25 -50 (Brita 3) 37.5 (Brita 0) 9.4 4.31. 2ª determ.15 < 0.2 0.5 9.3 1 10 dimensão das partículas (mm) 100 . ----------------------------------------------------------------------------------------------------------- Curva de Distribuição Granulométrica .8 6.5 . (mm) 1ª determ.5 12.15 0.3 0.25 (Brita 1) 80 19 .2 0.8 6.15 totais Interm.5 6.agregado graúdo NBR7211/2005 4.12. média acumulada individual Normal 4 8 16 30 50 100 50 38 32 25 19 12.75 (Brita 4) 60 50 40 30 20 10 0 0.4 1.1 0.

recipiente paralelepipédico .termômetro 3. Amostra . Preparo da amostra Secar o material em estufa a temperatura de 100 oC.2. 5. Procedimento 5. Relatório Calcular a massa específica. caso necessário. 6. até constância de massa. Colocar água no frasco de Chapman até a marca de 200 ml tomando-se o cuidado de não molhar a parede interna do mesmo e deixar estabilizar no banho termorregulador. Após esse período corrigir o nível.balança . 5.1. Objetivo: determinar a massa específica do agregado miúdo. Equipamentos e materiais .cronômetro .frasco de Chapman . γ= ( 500 g / cm3 Lf − 200 ) Sendo: γ : massa específica do agregado Lf : leitura final .funil .500 g de agregado 4. 2. constante importante para dosagem dos concretos e argamassas. agitar bem.9 2) MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO MIÚDO (método do frasco de Chapman) 1. girando a base do frasco sobre uma bancada de neoprene para a retirada de bolhas de ar e fazer a leitura final. Colocar 500 g do material no frasco.

............................................................................ ...........10 DISCIPLINA: 1662 .................................................................................. ......................................................................................................................................................................... ..................................... Nº..................................................... ................................................................................................................................................................................................................................. Nº...................................................................................................................................... .......................................................................................................................................................................................... ................................................................................................................................g / cm3 Observações: .......................................................................... .. γ:............MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 2 MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO MIÚDO (método do frasco de Chapman) Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ............................................................................ Conclusões:............ ...................................................................................................... ..................................................... Nº................................................ Agregado:.............................. Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: .................................................................

panos umidecidos 3. Preencher com o material o recipiente para submersão de agregados e determinar a sua massa (Mseca).2. Relatório A massa específica é dada pela relação: γ = M sec a (M saturada − M submersa ) .1. 4.balança . Mergulhar o recipiente na água até atingir a saturação do agregado e determinar sua massa submersa na balança hidrostática (Msubmersa). 4.balaça hidrostática . Objetivo: determinar a massa específica do agregado graúdo. constante importante para dosagens dos concretos. Amostra Secar previamente em estufa a temperatura de 110 ºC até constância de massa. 4. 5. Equipamentos e materiais .3. Procedimento 4. 2. Enxugar os grânulos do agregado com um pano úmido e determinar sua massa (Msaturada).recipiente para submersão de agregados .11 3) MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO GRAÚDO (método da balança hidrostática) ASTM C-127/54 1.

................................................... ........................................................................................... Agregado:.......................................................................................................................................................................................................................................................................................... ...................... ....................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... Conclusões:..................................................... ........................... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ......... ............................................................................................................................... Nº....................................... Kg/dm3 Observações: ...................................................... ...................................................................................................... .................................................................................................... ...................................................... ............. Nº................ ................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 3 MASSA ESPECÍFICA DO AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: .......................................................................................................................................................... γ= .....................................................12 DISCIPLINA: 1662 .................................................................................... Nº..................

escala .2. Objetivo: determinar a massa unitária dos agregados em estado solto. 2.3. 4. 4. Relatório A massa unitária do agregado em estado solto é obtida dividindo-se a massa do agregado pelo volume do recipiente (kg/dm3).concha ou pá . .recipiente paralelepipédico.8 50 100 volume do recipiente (dm3) 15 20 60 . Efetuar 3 determinações 5. Procedimento 4. com os seguintes valores: dimensão máxima (mm) 4.1. Preparo da amostra Secar o material previamente ao ar. Rasar o recipiente com régua biselada e determinar a sua massa. Preencher o recipiente por meio de uma concha ou pá. característica importante nas transformações dos traços em massa para volume e vice . Equipamentos e materiais .balança .agregado em quantidade suficiente 3. 4.13 4) MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO SOLTO (NBR 7251/82) 1. lançando o agregado de uma altura de 10 cm do topo do recipiente.régua biselada .versa.

.......................................................................................................... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: .................................... ..................................................................................... ...............................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 4-A MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO SOLTO AGREGADO MIÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ................................................................................. kg Volume do recipiente: ............................ ..................... Nº. Nº.......................................................................................................................................................................................... kg/dm3 Observações: ............................ ................................................................................................................................. Massa do recipiente: .................................................................... ................................................................ .. Agregado:......................................................................................................................................................................................................................... Conclusões:.............................................................................................................................14 DISCIPLINA: 1662 ................... Nº....................................................... dm3 Massa unitária em estado solto (δ δs): .............................. ............. .......................................................................................................................................................................................

..................................................................................................................... Massa do recipiente: .................................................................................................................................................................................................................................................................................................... dm3 Massa unitária em estado solto (δ δs): ...................................................................................................................................... Nº............................................ ..... .................................................................................................................................. Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ... Nº....kg/dm3 Observações: ................ .............................................................................................................................................................. ....................... Agregado:.............................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 4-B MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO SOLTO AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ................................................................................................................................................................................. Conclusões:...... ..............................15 DISCIPLINA: 1662 ....... ...................................................................................................... Nº............................. ....................................................................... ................... kg Volume do recipiente: ...............................................................................

2. . alternadamente.estufa .5 38 76 15 15 30 .3.2. Para cada camada o recipiente deve cair 50 vezes sendo. Agregados com dimensão máxima maior que 38 mm: Preencher o recipiente em três camadas iquais e compactar cada camada apoiando sobre uma superfície plana e rígida. para dosagem experimental.régua biselada .escala . 4. Relatório Calcular a massa unitária em estado compactado dividindo a massa de agregado (Kg) pelo volume do recipiente (dm3). 4. Procedimentos 4.1.16 5) MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO COMPACTADO SECO (NBR 7810/83) 1. socando 25 vezes cada camada. 25 para um lado e 25 para o outro. Efetuar três determinações.recipiente paralelepipédico com volume indicado na tabela abaixo: dimensão máxima (mm) volume do recipiente (dm3) 12.balança .bandeja . Objetivo: constante importante para efetuar transformações de massa em volume. 4. Efetuar três determinações 5. Agregados com dimensão máxima menor que 38 mm: Preencher o recipiente em três camadas iguais. inclinando-o de modo que o ponto mais alto do fundo do recipiente fique a 5 cm da superfície e deixando-o cair livremente.agregado em quantidade suficiente 3. Razar o recipiente e determinar a sua massa. Preparo da amostra Secar o material previamente em estufa a 100oC 4. Equipamentos e materiais .4. Razar o recipiente com régua biselada e determinar a sua massa.haste de compactação .

................................................................................................................................................................................................................................................ dm3  δ  Índice de vazios = 1 − c 0  × 100% γ   Massa unitária em estado compactado seco (δc0):: .. ........................................................................................................................................................................17 DISCIPLINA: 1662 ............. .............................................................................................. Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ....................................................................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 5-A MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO COMPACTADO SECO AGREGADO MIÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ...................... Massa do recipiente: ................................................................................................................................................. ......................................................................... ....................... .............................................................................................................................. Agregado: ....................................................... Nº.......................................... ......................... .. ......... ....................... Nº........ Nº. Conclusões: ......................................................................................................kg Volume do recipiente:............................................................................................................................................................................................................... kg/dm3 Observações: ................................................................................

............................................................... ..................................................................................................................................................................... Massa do recipiente: .............................................................................................. Nº...........................18 DISCIPLINA: 1662 .............................................................................................................. ...........................................................................kg  δ  Índice de vazios = 1 − c 0  × 100% γ   Volume do recipiente:.............................................................................. ..................................................... Nº.......................... .............................................. Conclusões:............................................................... ............................................................................................................................................................................. Agregado: ......................................................... ......................................................... kg/dm3 Observações: ..............................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 5-B MASSA UNITÁRIA DE AGREGADOS EM ESTADO COMPACTADO SECO AGREGADO GRAÚDO Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: .......................................... ...................................................... ...................................... ................................................................................................ Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ..................................... Nº..........dm3 Massa unitária em estado compactado seco (δ δc0):: .........................................................................................................................................................................................................

4.concreto . Dimensões . Moldagem .os moldes devem ser colocados com as geratrizes na posição vertical e se o adensamento for manual. Corpos-de-prova 3. recebendo cada camada 30 golpes da haste de compactação.placa de vidro .1.concha .gola .1. 4.enxôfre . Adensamento manual enérgico .moldes cilíndricos . recebendo cada camada 60 golpes da haste de compactação. . Corpos-de-prova cilíndricos 4.o concreto deve ser colocado no molde 15 x 30 cm em 6 camadas de altura aproximadamente igual.os corpos-de-prova devem ser moldados em local próximo daquele em que devem ser armazenados nas primeiras 24 horas. Objetivo: fixa o modo pelo qual devem ser moldados e curados corpos-de-prova cilíndricos ou prismáticos. 3. Nos concretos de abatimento maior que 60 mm o processo de adensamento deve ser manual. A moldagem dos corpos-de-prova uma vez iniciada não deve sofrer interrupção.moldes prismáticos .ENSAIOS COM CONCRETO E ARGAMASSA 6) CONFECÇÃO E CURA DE CORPOS-DE-PROVA DE CONCRETO CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS (NBR 5738/82) 1. Nos concretos de 20 a 60 mm pode ser adotado qualquer um dos processos de adensamento. uniformemente distribuídos na seção transversal. Quando a dimensão máxima do agregado for menor ou igual a 50 mm.2.óleo mineral 3.guia para capeamento . Equipamentos e materiais . Local de moldagem .3.cronômetro .os corpos-de-prova devem ter comprimento igual a duas vezes o seu diâmetro. manual enérgico ou mecânico.o adensamento pode ser manual.bandeja . deve-se utilizar o corpo-de-prova de 150 x 300 mm. 4. 2.bico de Bunsen .haste de compactação .19 II. Processo de adensamento . Nos concretos que apresentam abatimento inferior a 20 mm o processo de adensamento deve ser mecânico ou manual enérgico. o concreto deve ser colocado no molde em 4 camadas aproximadamente iguais.2.

o diâmetro da agulha deve ser menor ou igual a 1/4 do diâmetro do corpo-de-prova. o que geralmente ocorre entre 2 a 6 horas. 5.5.20 4. Observação: os mecanísmos de moldagem e cura dos corpos-de-prova destinados a ensaio de flexão devem atender a NBR 5738 (MB . Após a desmoldagem. os corpos-de-prova destinados a um laboratório devem ser transportados em caixas rígidas. e o tempo de vibração necessário para que a superfície fique plana e brilhante. Cura No laboratório. O capeamento deve ser feito com uma placa de vidro. devem ser capeados com uma fina camada de enxofre. 4.deve ser adensado em 2 camadas de altura aproximadamente igual. contendo serragem ou areia molhada. devem ser compatíveis com o equipamento a ser utilizado na obra. ou areia completamente saturada. No caso de vibrador de imersão.2). A freqüência e amplitude de vibração. Na obra. após a moldagem. os corpos-de-prova. Capeamento . Os corpos-de-prova que não satisfazerem as condições anteriores. . que ficará até o momento da desmoldagem. que desenvolvam na ocasião do ensaio uma resistência à compressão superior à resistência prevista para o concreto. previamente lubrificada. antes da desmoldagem devem ser recobertos com panos úmidos e permanecerem nos moldes pelo menos 12 horas.4.os corpos-de-prova podem ser capeados com uma fina camada consistente de pasta de cimento. A pasta deve ser preparada 2 a 4 horas antes de seu emprego. depois que o concreto tiver cessado de recalcar no interior do molde. Adensamento mecânico . os corpos-de-prova devem ser conservados em água de cal ou em câmara úmida com neblina artificial que apresente no mínimo 95 % de umidade relativa e que atinja toda a sua superfície livre.

08 kg Areia 11. o traço em massa para a betonada será: 4. realizado em 3 camadas de igual altura. POR kg DE CIMENTO 1 Cimento 1.3 Mpa . caso seja muito pouco para a betoneira: 8.56 kg Brita 1 3.645 sd = 30 + 1.0 kg Cimento 7. com 25 golpes em cada camada 19 mm Dimensão máxima do agregado graúdo 2) CARACTERÍSTICAS DOS MATERIAIS Cimento: CP V-ARI Agregado graúdo: Britas nº 1 Agregado miúdo: Areia quartzosa Resistência normal de 34 MPa (aos 7 dias) Brita de basalto Do Rio Tietê.16 kg Areia 22.8 kg Cimento 1.42 kg Areia 2.82 Brita 1 0. Portanto.26 kg Brita 1 0.77 Areia 2.426 cm3 Consumo de cimento por m3 de 424 kg Concreto (C): Definido em função da resistência desejada para o concreto Como 1 m3 = 106 cm3. ou seja: 0. em Iacanga 3) TRAÇO EM MASSA.45 água 4) TRAÇO EM MASSA PARA OS ENSAIOS (“Betonada”) Dimensões corpo-de-prova (CP_: 10 x 20 Diâmetro de 10 cm e altura de 20 cm 3 Volume de 1 CP: 1. aos 28 dias de idade 70 ± 10 mm Abatimento do tronco-cone (“slump test”).0 kg Cimento 14.21 Relatório 6 CONFECÇÃO E CURA DE CORPOS-DE-PROVA DE CONCRETO CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS 1) CARACTERÍSTICAS DO CONCRETO fck 28 = a= Dmáx= 30 MPa Resistência característica à compressão.8 litros água OBS: Estas quantidades poderão ser dobradas. é costume rodar um traço de 20% do traço anterior.0 = 33.28 kg Brita 1 1.645 x 2.571 cm Quantidade de CPs: 6 CPs Volume total de concreto: 9. para a moldagem dos 6 CPs serão necessários aproximadamente 4 kg de cimento.6 litros água Para a imprimação da betoneira. Consistência do concreto.36 litros água 5) RESISTÊNCIA ESPERADA PARA O CONCRETO (j dias de idade) f cj = f ck + 1.

................................................................. ............................................................................................................................................ .............................................................. Nº............................................ ......................................................................... .................................................................. Nº....................................................................................................................... Conclusões:............ Observações: .................................................................................................. ............ ............................ Nº............................................................................................................................................... Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: .......................................................................................... ....................................22 DISCIPLINA: 1662 ...................................................................................................................................................................................................................................................................................... .................................................... ................................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 6 CONFECÇÃO E CURA DE CORPOS-DE-PROVA DE CONCRETO CILÍNDRICOS OU PRISMÁTICOS Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ........................................................................................................................... ............................................... ..................................................................................................................

medida com régua. plana e horizontal. é retirado o complemento tronco-cônico. com o auxílio do complemento tronco-cônico. Objetivo: determinar a consistência do concreto pelo abatimento do tronco de cone (“slump test”). com velocidade constante e uniforme.23 7) DETERMINAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DO CONCRETO PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE (NBR 7223/82) 1. Procedimento 3.haste de compactação . Todas essas operações devem ser executadas. e deve ser preenchido em três camadas de altura aproximadamente iguais.2. . sem interrupção. 2. deslizando sobre os bordos do molde.4. Após o adensamento.5. No adensamento das camadas restantes. A desmontagem é efetuada elevando-se o molde pelas alças. o mesmo deve ser colocado sobre a placa metálica de base. Na camada inferior é necessário inclinar levemente a haste de compactação e efetuar cerca da metade dos golpes próximos a parede interna do molde. que deve respaldar a superfície do concreto. cuidadosamente. Cada camada deve receber. A amostra do concreto deve ser colhida de acordo com a NBR 5750 3. O excesso de concreto deve ser removido com auxílio da própria haste de compactação. Após a limpeza e umedecimento interno do molde. num tempo de (10 ± 2) segundos .1.placa metálica . 3.régua graduada . O molde deve ser fixado pelas aletas com os pés do operador. Resultados O abatimento do tronco de cone. e num período de tempo não superior a 2 minutos e 30 segundos.molde tronco cônico . é a distância em milímetros entre o plano correspondente à base superior do molde e o centro da base superior da amostra abatida.3. Equipamentos e materiais . igualmente limpa e umedecida. 25 golpes da haste de compactação uniformemente distribuídos. 4. Havendo desmoronamento total deve-se repetir o ensaio. que por sua vez deve se apoiar em superfície rígida. a haste deve penetrar até ser atingida a camada inferior subjacente.concha metálica .complemento tronco-cônico 3. na direção vertical. 3. 3. para ser adensada.

.............. .................................................................................................. ..24 DISCIPLINA: 1662 ..................................... mm Observações: ..... Cimento: .......................... Abatimento:................................................................................ .................................................................................................................................................... ....................................................................................................................................................... Traço original (em massa):........................................................................................................................................ ... ........................................................................................................................... Nº.................................... ................ ............................................................................................................................. ...................................................... Conclusões:.............................................................. Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ................................................................................................................................................................................................................... ....................................... ............................... .............................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 7 DETERMINAÇÃO DA CONSISTÊNCIA DO CONCRETO PELO ABATIMENTO DO TRONCO DE CONE Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ............................................................................................................................................................................................................................................................................ Traço corrigido: ..................................................................................................................... Nº........................................................................................................................... Nº..................................

4.paquímetro . A tensão de ruptura à compressão é obtida. devem ser ensaiados ainda úmidos. para se tornarem planas e paralelas. Cálculos 5.3.8 MPa/segundo. 4.2.DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS (NBR 5739/80) 1. As dimensões dos corpos-de-prova devem ser determinadas.máquina de ensaio . Equipamentos e materiais . 2.1 MPa.1.25 8) ARGAMASSAS E CONCRETOS . Amostra São necessários 6 corpos-de-prova de concreto para cada ensaio.panos 3. Se necessário os corpos-de-prova devem ser conservados sob panos molhados ou convenientemente recobertos. que contém referências. .guia de capeamento . de modo a se obter um ajuste uniforme. Os corpos-de-prova devem ser cuidadosamente centralizados no prato. devendo ser expressa com aproximação de 0.bico de Bunsen .3 a 0. As faces dos pratos da máquina e dos corpos-de-prova devem ser limpas antes de ensaiados.Cronômetro . dividindo-se a carga de ruptura pela área da seção transversal do corpo-de-prova. Procedimento 4.recipiente metálico para preparo do enxofre . pela média de duas leituras para cada medida. As faces devem ser capeadas com camada de enxofre não superior a 2 mm. que será anotado como carga de ruptura do corpo-de-prova. O prato rotulado superior deve ser suavemente colocado. O carregamento deve cessar tão somente quando o recuo do ponteiro de carga ficar em torno de 10 % do valor máximo alcançado. 5. Os corpos-de-prova que receberem cura úmida ou cura saturada. com uma velocidade de 0. A carga deve ser aplicada continuamente.1. Objetivo: fixa o modo pelo qual devem ser ensaiados à compressão os corpos-deprova cilíndricos de concreto. 4. a fim de evitar evaporação.

identificação do corpo-de-prova. . área da seção transversal. e informações adicionais (cimento. etc. data de moldagem. tensão de ruptura. O certificado de resultados de ensaios deverá conter as seguintes informações: a) b) c) d) e) f) g) h) procedência do corpo-de-prova. idade do corpo-de-prova.). defeitos eventuais do corpo-de-prova. agregado. data do ensaio...26 5.2.

............................................................................. Agregado miúdo: ...................... . CP 1 2 3 4 5 6 F(Kgf) fcj (Kgf/cm2) fcj (MPa) T (%) ............................ .......................27 DISCIPLINA: 1662 ............................................................................................................................................................................................................................................................................................................MATERIAIS E TÉCNICAS DE CONSTRUÇÃO I NOTA: PROFESSOR: _________________________ RELATÓRIO 8 ARGAMASSAS E CONCRETOS .....................DETERMINAÇÃO DA RESISTÊNCIA À COMPRESSÃO DE CORPOS-DE-PROVA CILÍNDRICOS Turma:___________Grupo: ___________ Componentes: ........................................ Nº................................ Cimento: ............................................................................................................................................................ Agregado graúdo:............................................................................... Traço: ............................................................. Técnico: __________________________ Data de ensaio: ___/___/___ Norma: __________________________ Objetivo: ... Nº........... Abatimento: ...................................................................................... Nº.......................................................................................................... ............................................................

....................................................................... ..................................................................................... ............................................................................................................................................................................ ................................................................................................................28 Procedência doCP: ........................................................................................... ............................................................................................................... ................................................................................. Conclusões:...................................................................................................................................................................................................................................................... ............................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... Desvio Padrão:........................................ ..................................................... ............................................................................................................................ Identificação ........................................................................................................................................... Idade: __________________________ Data de moldagem: ___/___/______ Data do ensaio: ___/___/______ Diâmetro/altura: ................................................................................................. Observações: ............................................................................ ............................................................................................................................................................................. ............................................................................................................................................. .. ............................................................................ .................................................................................... ... cm Defeitos eventuais:............................................................. Carga máxima à compressão:.......