Você está na página 1de 25

Comunicação Empresarial

na Prática
Sandra Helena Terciotti
Isabel Macarenco
Capítulo 8



Comunicação escrita nas
organizações

Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Para Izidoro Blikstein (1987), um texto poderá ser considerado
bem escrito quando:

 Obedecer às normas gramaticais.

 Primar pela clareza, sem frases ou palavras que gerem duplo
sentido.

 Primar pela polidez do discurso, por meio de formas de
tratamento adequadas ao interlocutor.
O que é necessário para escrever bem?
COMUNICAÇÃO ESCRITA
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Outros aspectos que devem ser considerados:


 Observar o tripé da comunicação escrita (tornar comum o
pensamento – persuadir – gerar resposta esperada).

 Usar o tipo de código adequado à comunicação escrita.

 Evitar ruídos, redundâncias, pleonasmos e tautologias.

 Saber “esfriar” a mensagem, ou seja, torná-la mais atraente e
persuasiva.
O que é necessário para escrever bem?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Segundo Izidoro Blikstein, quem escreve deve procurar:

 Produzir uma resposta correta.

 Tornar seu pensamento comum.

 Persuadir seu interlocutor.


• Principais motivos pelos quais a comunicação escrita pode não
produzir a “resposta certa”:

 Dificuldade de tornar o pensamento comum ao interlocutor.

 Falta de aptidão ou habilidade para persuadir o interlocutor.
O que é constitui o tripé de comunicação escrita?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Código – conjunto de regras gramaticais por meio das quais os
signos se combinam para permitir a expressão e a comunicação
entre os usuários de uma língua.


• Tipos de códigos:


 Código aberto – apresenta mais de um significado e,
consequentemente, mais de uma resposta para um mesmo
significante, por isso, permite múltiplas interpretações.

Qual é o tipo de código adequado à comunicação
escrita?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
Exemplo de código fechado:

 Código fechado – apresenta um único significado para
cada significante e, consequentemente, uma única
resposta.

 É o tipo de código que deve ser empregado nas
comunicações escritas organizacionais.
Qual é o tipo de código adequado à comunicação
escrita?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Ruídos– qualquer elemento que dificulte a comunicação e que não
seja pretendido pelo emissor.

• Os ruídos podem ser causados pelos seguintes fatores:

 Diferença de linguagem e de vocabulário entre o emissor e o
receptor.
 Diferença de repertório entre o emissor e o receptor.
 Falta de sequência de raciocínio lógico.
 Presença de ideias estereotipadas ou preconceituosas.
 Uso de canais ou veículos (e-mails, memorandos, relatórios
etc.) inadequados ao tipo de comunicação.
 Uso de redundâncias, pleonasmos, clichês e tautologias.
O que são ruídos na comunicação escrita?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• É o conjunto de conhecimentos de determinada pessoa que é
constituído por sua experiência de vida, grau de escolaridade,
atividade profissional, pelos livros que leu, filmes aos quais
assistiu etc.



Como o repertório pode comprometer a eficácia da
comunicação escrita?

• Quando o emissor não procurar conhecer bem o repertório do
receptor de sua mensagem antes de iniciar seu texto.
O que é repertório?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Caracteriza-se pela previsibilidade ou repetição do conteúdo da
mensagem, podendo ocorrer espontânea ou intencionalmente.


O que é pleonasmo?

• Também é uma forma de redundância, como repetição de
termos que, em certos casos, têm o objetivo de dar mais força
ao texto.

• Existem dois tipos de pleonasmo:

 Pleonasmo vicioso.
 Pleonasmo literário.
O que é redundância?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Pleonasmo vicioso – é caracterizado pela repetição desnecessária
de um termo na frase. É normalmente definido como “excesso de
palavras”.

• Alguns exemplos de pleonasmos viciosos:

 A grande maioria deles (se é maioria, logo, é grande).
 Cair um tombo.
 Cursar um curso.
 Sair para fora.
O que é pleonasmo?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Pleonasmo literário – é o uso do pleonasmo como figura de
linguagem para enfatizar algo em determinado texto com o
propósito, por exemplo, de acentuar sua poeticidade e de aumentar
sua força.

• Exemplos:

 “E rir meu riso e derramar meu pensamento (Soneto da
Fidelidade, de Vinicius de Moraes).

 “Eu nasci há dez mil anos atrás.” (Música homônima de Raul
Seixas).
O que é pleonasmo?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Clichês – expressões que, por serem muito repetidas pelo povo,
pela imprensa etc., tornam-se completamente banalizadas e
perdem sua força original.

• Alguns exemplos de clichês:

 Agradar a gregos e troianos.
 A hora da verdade.
 Aparar as arestas.
 Apertar os cintos.

O que são clichês?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Tautologia – caracteriza-se pelo uso de palavras diferentes para
expressar a mesma ideia.

• Algumas construções tautológicas que devem ser evitadas:
O que é tautologia?
Evitar Preferir
Abertura inaugural Abertura/Inauguração
Amanhecer o dia Amanhecer
A seu critério pessoal A seu critério
Com certeza absoluta Com certeza/Certamente
Comparecer pessoalmente Comparecer
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• “Esfriar” uma mensagem – significa torná-la mais prazerosa e
menos complexa, exigindo, portanto, menos esforço do leitor para
compreendê-la e interpretá-la.

• Esquema classificatório para tornar compreensível as diferenças
entre mensagens quentes e frias, proposto por Izidoro Blikstein
(1987):
Como esfriar a comunicação escrita para torná-la
mais atraente?
Mensagem quente Mensagem fria
Mais informação Menos informação
Mais definição Menos definição
Mais formalismo na linguagem Menos formalismo na linguagem
Mais rigidez Menos rigidez
Mais tensão Menos tensão
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Peças de comunicação classificadas como quentes:

 Artigos científicos.
 Dissertações de mestrado.
 Livros técnicos.
 Monografias.
 Teses de doutorado.
Como esfriar a comunicação escrita para torná-la
mais atraente?
Mensagem quente Mensagem fria
Mais complexidade Menos complexidade
Demanda mais esforço Demanda menos esforço
Menos atraente Mais atraente
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Peças de comunicação classificadas como frias:

 Revistas em quadrinhos.
 Revistas femininas.
 Programas de rádio.
 Programas de televisão.


• A opção por mensagens quentes e frias dependerá dos
seguintes fatores:

 Objetivos que o emissor pretende alcançar com sua
comunicação escrita.
 Repertório do receptor da mensagem.
Como esfriar a comunicação escrita para torná-la
mais atraente?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Misturar signos linguísticos (letras, frases, parágrafos) a signos
icônicos (gráficos de barra, gráficos de pizza, tabelas etc.).


• Como tornar a comunicação escrita mais atraente:

 Considerando os objetivos da mensagem.

 Considerando o repertório do leitor.

 Procurando “esfriá-la”.

 Misturando signos icônicos aos signos linguísticos.

 Tornando sua decodificação menos linear e mais icônica.
Como esfriar a comunicação escrita para torná-la
mais atraente?
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• O que é necessário para elaborar mensagens eletrônicas
bem escritas?

1. Refira-se às pessoas pelos nomes em vez de referir-se a elas
por sua função ou cargo.

2. Trate primeiramente da ação e somente depois forneça a
explicação.

3. Prefira a voz ativa à voz passiva analítica.

4. Informe ao leitor, de forma explícita e objetiva, o que deseja.

5. Prefira a ordem sintática direta (sujeito-verbo-complemento)
em lugar da transposição ou inversão da ordem natural das
palavras da oração.
E-mail
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
6. Indique com precisão dados como números, valores e índices
percentuais.

7. Também é desejável formular perguntas ao receptor de sua
mensagem.

8. Exerça a empatia e valorize a ação ou a participação do receptor
de sua mensagem.

9. Evite clichês e empregue frases curtas.

10.Evite usar jargões ou linguagem técnica.

11.Elabore o texto na 1ª pessoa do singular.

12.Não use figuras retóricas (metáforas, comparações etc.).

13.Evite o “gerundismo” (ir+ estar + gerúndio).
E-mail
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Saiba onde quer chegar

 Antes de redigir uma carta, faça um esboço listando e
organizando as principais ideias e argumentos.


• Características para elaborar uma carta:

 Declarar a ideia principal.

 Fornecer detalhes necessários.

 Fechar com um pedido cordial para uma ação específica.
Cartas
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Como elaborar uma solicitação?

 Comece pela solicitação.

 Diga por que precisa da informação e qual o seu grau de urgência.


• Como comunicar boas notícias?

 Utilize canais diretos da empresa.

 Recomendações:

 Tenha uma ideia clara do que deseja dizer e tente ser claro e
objetivo.

 Tenha em mente que está preparando o receptor de sua
mensagem para algumas informações que virão a seguir.
Cartas
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Como tornar a leitura fácil e agradável?

 Períodos e parágrafos curtos são mais fáceis de serem lidos.

 Para enfatizar as ideias principais, sublinhe as sentenças ou
enumere os pontos principais.


• Como redigir más notícias de forma indireta?

1. Suavize.

2. Indique as razões.

3. Dê a má notícia.

4. Faça um fechamento positivo.
Cartas
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Como redigir más notícias de forma direta?

1. Dê a má notícia.

2. Indique as razões.

3. Faça um fechamento positivo.


• Como ser criativo?

 Quando tiver de apresentar algum problema ao chefe, procure
vislumbrar e apontar soluções para resolvê-lo, demonstrando
iniciativa e criatividade.
Cartas
Capítulo 8
Comunicação escrita nas organizações
• Procure elaborar um currículo que lhe permita ser o mais avançado
dos concorrentes, a fim de alcançar seu objetivo.

• Construa o currículo a partir de suas competências, habilidades e
atitudes.

“Curriculum Vitae”