Você está na página 1de 2

Sal de ervas

Sal de Ervas - menos sódio mais saúde.
A Organização Mundial de Saúde (OMS) recomenda que uma pessoa não consuma mais do que cinco
gramas de sal por dia. Entretanto, os brasileiros consomem, em média, 12 gramas (segundo pesquisa).
O excesso de sal na alimentação está associado a doenças do sistema circulatório, doenças coronárias e
doenças renais. O sódio, presente no sal e encontrado em alimentos preparados em casa ou
industrializados, é o vilão desta história. A quantidade de sódio presente nos alimentos
industrializados é apresentada nos rótulos seguidos da Sigla VD (Valor Desejado).
O sal de ervas pode ser uma boa solução para diminuir o consumo de sódio no dia a dia. Existem várias
receitas e combinações que podem variar de acordo com seu gosto.

Entre várias possibilidades, o Sesc São Carlos escolheu a sua. A receita é simples e rápida:
10g de manjerona seca;
10g de manjericão seco;
10g de orégano seco;
10g de salsinha seca;
100g de sal comum.
Bater tudo no liquidificador.
Existem outras possibilidades, você pode usar Tomilho, Alecrim, Hortelã, Sálvia, Coentro, Estagrão,
Açafrão, Gengibre ou Louro. Escolha quatro ervas a seu gosto e faça sua receita.
Saiba um pouco mais sobre estas ervas:
Tomilho: Versátil na cozinha, é muito saborosa. Além de tempero, pode ser usada também na decoração
do prato.
Oregano: O segredo é colocar apenas uma pitada, combinando outros ingredientes. As folhas de orégano
fresco dão ainda mais aroma ao prato.
Salsinha: Desidratada ou em folhas frescas, confere aos pratos um sabor leve e agradável.
Alecrim: A planta confere um gosto leve quando usada na preparação de carnes vermelhas ou peixes.
Pode ser usado no arroz e em sopas também, perfumando o prato e a cozinha.
Manjerona: Esta é uma planta da região do Mediterrâneo conhecida por seus usos medicinais. De gosto
suave, pode ser usado em arroz, assados, saladas e cozidos.
Manjericão: O manjericão é um tempero muito utilizado na culinária brasileira, podendo ser usado em
carnes, peixes, aves, massas e molhos.
Hortelã e Menta: Estas duas plantas são parte de um mesmo gênero. Os sabores são muito parecidos e,
ambos caem muito bem como complemento de peixes, carnes e molhos.
Louro: Caldinhos de feijão, sopa de legumes e carnes recheadas ficam com um sabor todo especial
quando acrescentamos duas ou três folhinhas de louro. Além de perfumar o prato, podem ser usada em
chás.
Sálvia: Esta erva é pouco utilizada, mas fica ótima com massas e aves. A sálvia pode ser usada tanto em
pó como as folhas inteiras.
Coentro: Muito presente nas culinárias asiáticas, do Oriente Médio e América hispânica, o coentro
também é usado na cozinha do nordeste brasileiro, no sul e sudeste do país. Sua aparência lembra a
salsinha, mas o aroma é intenso e o sabor forte e cítrico. Aplaca o sal, equilibra o aroma do peixe, "corta"
o peso da gordura nos pratos e alivia a potência de ingredientes picantes. Muito versátil, pode ser usado
das folhas até a raiz, como na cozinha tailandesa. Seu talo tem sabor mais pronunciado que as folhas.
Estagrão: Apesar de não ser muito conhecido, pode ser facilmente encontrado nas lojas de temperos ou
até em supermercados. Suas folhas são parecidas com a erva-doce. Experimentar estragão vai garantir
um sabor novo, levemente adocicado, à comida.
Açafrão: Está faltando uma cor no seu prato? Invista no açafrão. Além de proporcionar um sabor
agradável, deixa o prato mais colorido, com tom amarelado. Muito usado na culinária Mediterrânea.
Gengibre: Muito usada na culinária japonesa, o gengibre com seu sabor picante e adocicado, pode ser
usado tanto em doces como salgados, além de ser bom acompanhamento para sucos e sopas.