Você está na página 1de 24

Não utilize este espaço

em nenhuma hipótese!

D IREITO E MPRESARIAL

PEÇA PROFISSIONAL

PEÇA PROFISSIONAL
PEÇA PROFISSIONAL
PEÇA PROFISSIONAL

João e Carlos são administradores da Snob Veículos Importados S.A., pessoa jurídica com capital social de R$ 1.500.000,00 e com domicílio na cidade de Goiânia – GO. João, acionista da companhia, no último exercício social, praticou vários atos contrários à lei e ao estatuto da sociedade empresária, além de cometer atos culposos e dolosos. Contratada empresa de auditoria, foi constatado que João causara prejuízos à referida sociedade por comprar veículo por valor superior ao de mercado, vender veículos, a prazo, a terceiros, sem cláusula de atualização monetária, por vender veículos com prejuízo, utilizar bens da sociedade para uso particular e usar recursos da companhia para manutenção de bens particulares. Carlos, amigo íntimo de João, mesmo tendo tomado conhecimento de todos os atos ilícitos perpetrados, não tomou qualquer atitude em relação aos fatos: não informou os demais dirigentes da companhia nem tentou impedir as práticas de João. Instalada assembleia geral, foi decidido que a companhia não promoveria ação de responsabilidade contra João. Contudo, Marcos e Sandoval, acionistas que representam 15% do capital social, ajuizaram ação de reparação de danos contra João e Carlos, a fim de verem reparados os prejuízos causados à Snob Veículos Importados S.A. Em sede de contestação, os réus alegaram a ilegitimidade ativa ad causam de Marcos e Sandoval; a ilegitimidade passiva de Carlos, por ele não ter praticado qualquer ato ilícito; a ilegalidade da conduta de Marcos e Sandoval, que promoverem a ação de reparação de danos a despeito da decisão da assembléia geral. Arguiram, ainda, que os pedidos insertos na petição inicial seriam incertos e indeterminados e que não teriam sido praticados quaisquer atos ilícitos por parte dos administradores. Assim, o juízo competente determinou aos autores que se manifestassem, no prazo de 10 dias.

Considerando a situação hipotética apresentada, na qualidade de advogado(a) constituído(a) por Marcos e Sandoval, elabore a peça profissional que entender cabível para a defesa dos interesses de seus clientes, abordando, com fulcro na doutrina e na jurisprudência, todos os aspectos de direito material e processual pertinentes.

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 1 –

T EXTO DEFINITIVO – P EÇA P ROFISSIONAL 1/5

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 2 –

T EXTO DEFINITIVO – P EÇA P ROFISSIONAL 2/5

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

31

32

33

34

35

36

37

38

39

40

41

42

43

44

45

46

47

48

49

50

51

52

53

54

55

56

57

58

59

60

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 3 –

T EXTO DEFINITIVO – P EÇA P ROFISSIONAL 3/5

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

61

62

63

64

65

66

67

68

69

70

71

72

73

74

75

76

77

78

79

80

81

82

83

84

85

86

87

88

89

90

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 4 –

T EXTO DEFINITIVO – P EÇA P ROFISSIONAL 4/5

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

91

92

93

94

95

96

97

98

99

100

101

102

103

104

105

106

107

108

109

110

111

112

113

114

115

116

117

118

119

120

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 5 –

T EXTO DEFINITIVO – P EÇA P ROFISSIONAL 5/5

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

121

122

123

124

125

126

127

128

129

130

131

132

133

134

135

136

137

138

139

140

141

142

143

144

145

146

147

148

149

150

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 6 –

QUESTÃO 1
QUESTÃO 1

Mário e Silas, sócios da NN Floricultura Ltda., detêm, respectivamente, 60% e 2% do capital social da sociedade. Ambos, ébrios habituais, vêm praticando atos de inegável gravidade, que colocam em risco a continuidade da empresa. Em razão disso, os demais sócios da NN Floricultura Ltda. decidiram excluí-los da sociedade.

Nessa situação hipotética, considerando que o contrato social da NN Floricultura Ltda. apenas prevê a exclusão de sócio minoritário por justa causa, responda, de forma fundamentada, se é possível a exclusão pretendida.

T EXTO DEFINITIVO – Q UESTÃO 1

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 7 –

QUESTÃO 2
QUESTÃO 2

A diretoria da pessoa jurídica Companhia Editora Educativa é composta por três pessoas. Um dos diretores, Odair, decidiu, por motivos de foro íntimo, outorgar a terceiro algumas incumbências do cargo que exerce, tais como participação nas reuniões de diretoria, tomada de decisões, bem como representação da sociedade em juízo.

Em face dessa situação hipotética, responda, de forma fundamentada, se é lícito a Odair fazer-se representar, por procurador, perante a companhia e, ainda, constituir mandatário da companhia para representá-la em juízo.

T EXTO DEFINITIVO – Q UESTÃO 2

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 8 –

QUESTÃO 3
QUESTÃO 3

A farmacêutica Daniela firmou com o Laboratório Vida Integral Ltda. contrato de trabalho cujo objeto principal era a pesquisa e invenção de medicamentos, tendo sido demitida em agosto de 2008. Em janeiro de 2009, Daniela requereu ao Instituto Nacional da Propriedade Industrial (INPI) a patente de uma invenção desenvolvida durante o período em que prestava serviços para o Laboratório Vida Integral Ltda.

Nessa situação hipotética, Daniela tem direito à referida patente? Fundamente sua resposta.

T EXTO DEFINITIVO – Q UESTÃO 3

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 9 –

QUESTÃO 4
QUESTÃO 4

A pessoa jurídica Ômega Comércio e Representação Ltda., em estado de insolvência, decidiu reunir seus credores para a renegociação global de suas dívidas, propondo um plano de recuperação extrajudicial.

Nessa situação hipotética, qual a natureza dos créditos que não poderão ser objeto do plano de recuperação extrajudicial? Fundamente sua resposta e discorra, ainda, acerca de três requisitos objetivos para a homologação em juízo do plano de recuperação extrajudicial de Ômega.

T EXTO DEFINITIVO – Q UESTÃO 4

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 10 –

QUESTÃO 5
QUESTÃO 5

O credor A requereu a decretação de falência da pessoa jurídica X, razão pela qual o sócio majoritário de X alienou bem de sua propriedade e entregou integralmente o produto da alienação ao credor B. Posteriormente, o juiz competente indeferiu o pedido de falência, tendo sido arquivado o processo.

Nessa situação hipotética, em face do disposto na Lei n.º 11.101/2005, a conduta praticada pelo sócio majoritário de X constitui fato típico? Fundamente sua resposta.

T EXTO DEFINITIVO – Q UESTÃO 5

PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR NÃO HÁ TEXTO
PARA USO EXCLUSIVO DO APLICADOR
NÃO HÁ TEXTO

1

2

3

4

5

6

7

8

9

10

11

12

13

14

15

16

17

18

19

20

21

22

23

24

25

26

27

28

29

30

UnB/CESPE – OAB

Direito Empresarial

Exame de Ordem 2008.3

Prova Prático-Profissional

– 11 –