Você está na página 1de 7

ALINE SILVA RAMOS

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE OXIGÊNIO (VO2)

MACAPÁ
2009
ALINE SILVA RAMOS

AVALIAÇÃO DO CONSUMO DE OXIGÊNIO (VO2)

Pesquisa apresentada como


requisito para Avaliação na
disciplina de Propedêutica
Cardiorrespiratória, ministrada pelo
Prof. Esp. Marcelo Cley Furtado,
no curso de Pós Graduação em
Fisioterapia Cardiorrespiratória.

Faculdade Seama
2009
1. INTRODUÇÃO

O corpo humano necessita de energia para manter o seu funcionamento


normal. Essa energia é gerada, em geral, através da utilização de moléculas de
oxigênio – processo aeróbio.
Quando estamos realizando um exercício físico, a atividade muscular
aumenta, assim como o metabolismo sistêmico e, com isso, aumenta a
utilização e a necessidade de oxigênio pelo corpo.
Atualmente, considera-se a ergoespirometria, ou teste cardiopulmonar de
exercício, como a melhor forma de avaliar o condicionamento físico de um
indivíduo. Este exame analisa o comportamento dos sistemas muscular,
respiratório e cardiovascular durante o exercício e, dentre as variáveis
avaliadas, uma das mais importantes é o Consumo Máximo de Oxigênio, ou
VO2 max.
Esse consumo de oxigênio pelos músculos dependerá do correto
funcionamento dos sistemas respiratório (adequada troca gasosa pulmonar),
cardiovascular (boa perfusão dos músculos em atividade) e muscular. Qualquer
problema em um destes sistemas acarretará diminuição do consumo de
oxigênio (VO2).

2. DEFINIÇÃO

O Consumo de Oxigênio (VO2), corresponde à quantidade de oxigênio que o


organismo consome durante uma determinada intensidade de exercício.
O termo Consumo Máximo de Oxigênio (VO2 máx.), ou Potência Aeróbia
Máxima, difere de VO2, pois representa a capacidade máxima que um indivíduo
tem de captar oxigênio do ar inspirado (função pulmonar), transportá-lo aos
tecidos em atividade (função cardiovascular) e utilizá-lo para gerar trabalho
(principalmente pelos músculos). Também pode ser descrito como a
capacidade do organismo em absorver, transportar, entregar e utilizar o
oxigênio nos tecidos durante o exercício. É um índice objetivo do grau de
esforço realizado pelo indivíduo.
De acordo com Power (2000), o VO2 max está relacionado com a capacidade
funcional do sistema cardiovascular em liberar sangue aos músculos em
atividade, durante o trabalho máximo ou supra-máximo prolongado, de forma a
manter a homeostasia corporal.
Estas taxas podem ser expressas por diversas unidades de medida, como:

• Litros por minuto (l/min): Segundo Adams (1994), essa unidade


demonstra o valor absoluto de VO2, pois corresponde à quantidade de oxigênio
(em litros) consumido durante o tempo de 1 minuto.
• Mililitros por quilograma por minuto (l/Kg/min): de acordo com Adams
(1994), diz respeito ao valor relativo de VO2, pois diz respeito à quantidade de
oxigênio (em mililitros) absorvido por quilograma corporal durante 1 minuto.

Para se obter o VO2 max relativo a partir do VO2 max absoluto, basta transformá-
lo em mililitros (dividir por 1.000) e depois dividir o resultado pelo peso corporal
do indivíduo.

Em geral, o VO2 de repouso está em torno de 3,5 ml/Kg/min, podendo


alcançar valores entre 60 e 70 ml/Kg/min ao término de um exercício físico
máximo em indivíduos não treinados, e no caso de atletas, este valor pode
chegar até 70 a 80 ml/Kg/min.

3. DETERMINANTES DO VO2

Vários fatores podem influenciar no consumo de oxigênio de um indivíduo,


entre eles:

• Genética (parece ser o fator mais importante, o que explica porque


alguns atletas possuem condicionamentos físicos diversos, apesar de serem
submetidos a treinamentos semelhantes);
• Funcionamento adequado dos órgãos diretamente relacionados à oferta
de oxigênio aos tecidos, especialmente coração, vasos sanguíneos e pulmões;
• Tipo e intensidade do exercício;
• Sexo (o VO2 é maior nas pessoas do sexo masculino);
• Idade (o VO2 diminui com a idade);
• Peso, altura e composição corporal (pessoas com mais massa muscular
apresentam maior VO2 ).

4. RELEVÂNCIA

O VO2 max é um índice muito utilizado e indicado para avaliar o nível de


aptidão cardiorrespiratória de um indivíduo. É considerado a melhor medida do
sistema cardiorrespiratório e da aptidão aeróbia, pois quanto maior o
condicionamento de um indivíduo, maior será o seu VO2.
Com treinamento adequado, indivíduos destreinados, com pouca aptidão
cardiorrespiratória, podem ter o seu VO2 max aumentado em até 30%. Porém,
este índice de melhora diminui no caso de indivíduos que já apresentam bom
condicionamento físico, demonstrando que o ganho de VO2 max é limitado,
podendo muitas vezes sequer aumentar.
De qualquer forma, ainda que o VO2 max não apresente um aumento
significante, continua sendo possível melhorar a performance de um indivíduo
através do desenvolvimento de outras capacidades.
Estudos relacionam o VO2 max como um dos mais fortes preditores de risco
para ocorrência de acidentes vasculares cerebrais. Além disso, a obtenção do
VO2 max, através do teste cardiopulmonar, é indispensável na indicação de
pacientes para transplante cardíaco ou cardiopulmonar ou cirurgias de
ressecção pulmonar.

5. MENSURAÇÃO DO VO2 MAX

O VO2 max pode ser mensurado de forma direta, através do ergoespirômetro,


ou de forma indireta, por meio de testes de pista.
O critério tradicional de avaliação do condicionamento cardiorrespiratório,
realizado por mensuração direta, envolve a análise de amostras do ar expirado
pelo indivíduo durante a realização de exercício em intensidade progressiva.
Isso é feito submetendo a pessoa a um teste ergométrico com cargas
crescentes e analisando as frações expiradas de oxigênio e dióxido de
carbono, além da ventilação pulmonar, durante todo o teste. Este
procedimento, conhecido como ergoespirometria, é considerado o padrão-ouro
para avaliação do VO2 max .
No entanto, como os custos com esse procedimento são altos, são
necessários equipamentos e mão-de-obra especializados para sua realização,
além de exigir maior quantidade de tempo com cada avaliado e maior
motivação dos mesmos devido a dificuldade de acesso ao teste, foram
desenvolvidos métodos indiretos para análise do VO2 max .
Os métodos indiretos utilizam equações de previsão, as quais oferecem
estimativas que são consideradas como o próximo método mais exato de
mensuração do consumo de oxigênio.
Estes métodos, em geral, fazem uma correlação entre o VO2 max medido
diretamente e um determinado teste de desempenho físico. Os testes de
campo são exemplos dessa correlação. Neles, o cálculo de VO2 max é realizado
através de equações baseadas em tempo ou distância pré-estabelecidos.
Contudo, tais testes podem ser questionados visto que muitas destas equações
são específicas para determinados grupos populacionais.
Um dos testes de campo mais utilizados para esta finalidade é o Teste de
Cooper de 12 minutos. O objetivo do teste é avaliar o condicionamento físico
do indivíduo, através da avaliação da distância percorrida durante 12 minutos.
O objetivo é que o indivíduo percorra a maior distância possível durante o
tempo determinado de 12 minutos, com marcha acelerada ou corrida, porém
sempre mantendo um ritmo constante. O teste deve ser feito em uma pista
demarcada, para facilitar o registro das distâncias percorridas.
Os resultados serão avaliados de acordo com a distância esperada que
cada indivíduo percorra neste intervalo de tempo, de acordo com o sexo e a
idade deste. As distâncias esperadas (em metros) estão resumidas na tabela
abaixo:

NÍVEL 13-19 20-29 30-39 40-49 50-59 +60 SEXO


Muito-
-2080 -1952 -1888 -1824 -1648 -1392 M
Fraco
-1600 -1536 -1504 -1408 -1344 -1248 F
2080- 1952- 1888- 1824- 1648- 1392-
Fraco M
2192 2096 2080 1984 1856 1632
1600- 1536- 1504- 1407- 1344- 1248-
F
1888 1776 1680 1568 1488 1376
2193- 2097- 2081- 1985- 1857- 1633-
Razoável M
2496 2384 2320 2224 2080 1920
1889- 1777- 1681- 1569- 1489- 1377-
F
2064 1952 1888 1776 1680 1568
2497- 2385- 2321- 2225- 2081- 1921-
Bom M
2752 2624 2496 2448 2304 2112
2065- 1953- 1889- 1777- 1681- 1569-
F
2288 2144 2064 1984 1888 1744
2753- 2625- 2497- 2449- 2305- 2113-
Excelente M
2976 2816 2704 2640 2528 2480
2289- 2415- 2065- 1985- 1889- 1745-
F
2416 2320 2224 2144 2080 1888
Superior +2992 +2832 +2720 +2656 +2544 +2496 M
+2432 +2336 +2240 +2160 +2096 +1904 F

Os resultados do Teste de Cooper podem se relacionados com o VO2 max


através de uma equação predeterminada. Uma correlação aproximada é:
VO² máx= (Dist. percorrida (metros) - 504.9) / 44.73 = VO² em ml/kg/min.

O teste deve ser interrompido quando ocorrer:


• Início de angina ou sintomas semelhantes
• Sinais de baixa perfusão, como ataxia, palidez, náusea, hipotermia
• Alteração notável do ritmo cardíaco
• Manifestações de fadiga grave
• Quando o indivíduo pedir para parar

Por estes motivos, é importante que haja a adequada monitoração dos


sinais vitais do indivíduo, principalmente freqüência cardíaca, pressão arterial e
saturação de oxigênio, antes, durante e após o teste, especialmente se o
mesmo estiver sendo realizado em cardiopatas ou pneumopatas.