Você está na página 1de 7

Prova 1 de FA573-Laboratório de Máquinas Agrícolas

Turma A - Segundo semestre de 2008 – 02 de outubro de 2008

R.A.:__________________________________

Nome: ____________________________________________________

Parte Teórica:

1-Faça um esboço do sistema de admissão de um motor ciclo otto, e de um motor ciclo


diesel?(0,5)

2- Dado o diagrama de marchas no anexo 4, encontre:

a) A velocidade de translação do trator na Marcha 1L;(0,25)


b)O torque disponível na roda motora nesta marcha (Importante: Considere eficiência
global do sistema motor/transmissão/Reduções/Diferecial/Redução final como de
80%).(0,25)
a)
i=260 v=0,72 m/s ou 2,6 km/h

b)
Pmotor=Tmotor*wmotor 60000(w)=Tmotor*240,8554(rad/s) Tmotor=249,16 N.m

Resolução 1:
Troda=Tmotor*i*ef Troda=249,16*260*0,8=51825,3 N.m

3-Considerando um trator 2 WD hipotético com 60 kW de potência a rotação nominal de


2300 rpm, com diâmetro da roda motora de 785 mm e supondo que tenha as curvas de
desempenho do anexo 2, as curvas de isoconsumo do anexo3 e o diagrama de marchas do
anexo 4, encontre o ponto ótimo de operação para um semeadora de 6 linhas de arraste
operando a 8 km/h (ábaco de tração, anexo 1), considere o KWE necessário para operar a
semeadora de 19255 w, e uma patinagem nas condições especificadas de 15%, especifique
a que rotação o motor do trator deve funcionar, a marcha de operação (trabalhe com o
grupo M), quanto de torque é necessário ao motor para operar tal máquina, e qual é o
torque disponível no trator? (3,0)
A semeadura é uma operação que exige relativamente pouca energia, portanto não é
preciso utilizar toda a potência disponível da máquina, sendo interessante economizar
combustível, assim em função do anexo 3 deve-se localizar a operação na ilha de menor
consumo determinada pela isolinha de consumo específico de 220 g/kWh, nesta faixa de
rotações tem-se o menor consumo possível. Para início de cálculos será considerada a
rotação de 75% de rotação relativa a rotação nominal, 1725 rpm.
Considerando a questão 2, tem-se que a potência disponibilizada no eixo é de 19255
W, levando-se em conta a velocidade de operação de 8km/h 2,22m/s, e o perímetro da
circunferência do pneu com raio de 785 mm conforme anexo 4, tem-se: P=2*π*0,785=4,93
m, portanto a cada rotação do pneu gera-se uma translação da máquina de 4,93m, o que é
equivalente a 0,45 rotações/segundo, mas existe a patingem de 15%, significando que para
o trator transladar a velocidade 2,22m/s é necessário que os pneus girem
0,45+0,45*0,15=0,517 rotações/s=3,25 rad/s.
Dado que P=T*w, tem-se que 19255=T*3,25 T=5924N.m, que é o torque
necessário no eixo traseiro, se considerarmos que o exercício especificou o Grupo M, e que
a velocidade de trabalho é de 8km/h com patinagem de 15% o que implica em rotação de
3,25 rad/s=31 rpm no eixo, é possível selecionar a marcha de trabalho em função da
redução 1725/31=i=55,6, fazendo-se a análise das marchas do grupo M pelo anexo 4,
tem-se a marcha 4M que tem uma relação de redução de
i=(24/24)*(36/22)*(45/8)*(63/11)= 52,7, o que subentende uma rotação na roda de 32,8
rpm quando o motor estiver a 1725, portanto para ter uma rotação de 31 rpm o motor deve
estar a 1634 rpm que segundo o anexo 3 está dentro da ilha de mínimo consumo,
principalmente porque o torque necessário ao motor é 5924/52,7=112 N.m, que é muito
abaixo do torque disponível máximo no motor de 280 N.m, e abaixo do torque à potência
nominal de 250 N.m.
Portanto w=1630 rpm, Marcha 4M, torque necessário ao motor 112 N.m,
torque disponível 280 N.m

4-. (1,0)

Parte Prática

1-Na aula prática sobre motores diesel foi mostrado um mecanismo responsável pelo
controle automático de injeção de combustível:
a)Faça um esboço deste mecanismo.(1,0)

2-Na aula prática de transmmissões foi apresentado um diferencial desmontado, explique


seu funcionamento, imagine o mesmo montado em um VW Fusca fazendo uma curva para
a direita (Dica: lembre-se das engrenagens satélites e da aranha).(1,0)

Ao se realizar uma curva para a direita existe uma diferença entre os perímetros rodados
entre as rodas, ou seja, aquela que tiver raio menor terá perímetro menor,
consequentemente terá menor número de rotações, esta diferença é compensada pelas
engrenagens satélites que neste caso começam a girar sobre as engrenagens solares,
conduzidas pela aranha, a rotação das engrenagens satélite é exatamente igual a diferença
de rotação entre as rodas, é por isso que quando uma roda desliza sem atrito, e a outra
ficando parada, a rotação desta roda é o dobro da rotação do pinhão.

3-Na aula de tratores o experimento constitui-se na operação do mesmo com uma grade
niveladora de discos, modelo offset de arraste. Cada operador realizou um curva no sentido
horário e outra no sentido anti-horário.

a)Sabendo-se que existe um sentido correto de fazer a curva, qual era o sentido correto na
grade utilizada?(1,0)

Sentido anti-horário.

b)Dado que seja feita a curva no sentido errado, quais os dois principais efeitos no sistema
trator/implemento/solo?(1,0)

1-Como a curva é realizada contra o sentido vetorial do corte do solo pelos discos (ângulo
de corte sendo arrastado), o ultimo disco forma um sulco profundo, o que ocasionará um
canal preferencial para a água formando uma valeta e assim erosão.

2-Como a grade está sendo operada de forma errada, o trator tem que dispender mais
energia, gastando mais combustível.
4- (1,0)

Anexo 1
Anexo 2
Anexo 3

Anexo 3

Anexo 3

Anexo 4

Anexo 4.

Raio 850 mm