Você está na página 1de 86
Curso de Fim de Dia OMD Vila Real 17 de Maio de 2010 Filomena Salazar
Curso de Fim de Dia OMD
Vila Real
17 de Maio de 2010
Filomena Salazar – Paulo Miller
Endodontia É a especialidade da Medicina Dentária responsável pelo estudo da polpa, do sistema de

Endodontia

É a especialidade da Medicina Dentária responsável pelo estudo da polpa, do sistema de canais radiculares e dos tecidos periapicais, bem como das suas patologias.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

O tratamento endodôntico está indicado, em : ▪ lesões pulpares devido a cárie, ▪ fracturas

O tratamento endodôntico está indicado, em:

lesões pulpares devido a cárie,

fracturas dentárias,

trauma dentário,

trauma ortodôntico,

lesões endo-periodontais,

necessidades protéticas,

outras patologias endodônticas.

Sendo o seu propósito manter o dente na cavidade oral e a saúde dos tecidos periapicais.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Periodontologia É a ciência que estuda e trata as doenças dos tecidos de sustentação dos

Periodontologia

É a ciência que estuda e trata as doenças dos tecidos de sustentação dos dentes Periodonto formado por gengiva, osso alveolar, cemento e ligamento periodontal.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

O dente o seu tecido pulpar e as suas estrutura de sustentação Unidade Biológica OMD

O dente o seu tecido pulpar e as suas estrutura de sustentação

o seu tecido pulpar e as suas estrutura de sustentação Unidade Biológica OMD Formação Contínua 2010
o seu tecido pulpar e as suas estrutura de sustentação Unidade Biológica OMD Formação Contínua 2010

Unidade Biológica

OMD Formação Contínua 2010

e as suas estrutura de sustentação Unidade Biológica OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo

Filomena Salazar - Paulo Miller

As lesões pulpares e periodontais são responsáveis por mais de 50%da mortalidade dos dentes. Bender

As lesões pulpares e periodontais são responsáveis por mais de 50%da mortalidade dos dentes.

Bender IB . Factors influencing radiographic appearance of bony lesions. J Endod. 1982;8:161–70.

A relação intima entre os tecidos periodontais e a polpa foi estudada por Simring e Goldberg em 1964 que detectaram uma inter-relação embrionária entre o periodonto e a polpa anatómica e funcional.

Simring M, Goldberg M. The pulpal pocket approach: Retrograde periodontitis. J Periodontol. 1964;35:22–48

É durante o desenvolvimento embrionário que se originam determinadas conexões anatómicas, que permanecem ao longo da vida.

Mandel E, Machton P, Torabinejad M. Clinical diagnosis and treatment of endodontic and periodontal lesions. Quintessence Int.

1993;24:135–9

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Existe uma íntima relação entre o periodonto e a polpa. Durante o desenvolvimento do dente
Existe uma íntima relação entre o periodonto e a polpa. Durante o desenvolvimento do dente

Existe uma íntima relação entre o periodonto e a polpa.

Durante o desenvolvimento do dente e a formação da raiz, três vias anatómicas principais de comunicação são criadas:

Foramen Apical Canais Laterais e Acessórios Túbulos dentinários
Foramen Apical
Canais Laterais e Acessórios
Túbulos dentinários

OMD Formação Contínua 2010

dentinários O M D F o r m a ç ã o C o n t

Filomena Salazar - Paulo Miller

Considerações Anatómicas OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Considerações Anatómicas
Considerações Anatómicas
É o principal acesso e o caminho mais directo de comunicação entre a polpa e

É o principal acesso e o caminho mais directo de comunicação entre a polpa e o periodonto.

As

bactérias

e

os

seus

subprodutos

inflamatórios

através

patologia periapical.

podem

foramen

do

sair

apical

facilmente

e

causar

O apex também pode servir como uma porta de entrada de subprodutos inflamatórios de bolsas periodontais profundas para a polpa.

OMD Formação Contínua 2010

de bolsas periodontais profundas para a polpa. OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

Filomena Salazar - Paulo Miller

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

: 165-203. dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34 : 165-203. dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34

Estes

qualquer lugar ao longo da raiz.

podem

estar

presentes

em

Canais acessórios e laterais permeáveis podem servir como um caminho potencial para a disseminação de bioprodutos bacterianos.

Aproximadamente 30-40% de todos os dentes têm canais laterais ou acessórios, a maioria deles são encontrados no terço apical da raiz.

a maioria deles são encontrados no terço apical da raiz. Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis,

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endodontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

: 165-203. dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34 : 165-203. dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34

Túbulos dentinários expostos em áreas de cemento visíveis podem servir como vias de comunicação entre a polpa e o ligamento periodontal.

Na raiz, os túbulos dentinários estendem- se a partir da polpa até a junção dentino- cementária. O seu tamanho varia de 1-3 mícrons de diâmetro (as bactérias e suas toxinas são de menor tamanho).

(as bactérias e suas toxinas são de menor tamanho). Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endodontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endo-

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

: 165-203. dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34 : 165-203. dontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34

Os túbulos podem ficar expostos sem a cobertura de cemento, como consequência de:

doença periodontal

procedimentos cirúrgicos

anomalias de desenvolvimento quando o cemento e o esmalte não se encontram na junção esmalte- cementária deixando áreas de dentina expostas

São exemplos dessa situação pacientes com hipersensibilidade dentinária cervical.

pacientes com hipersensibilidade dentinária cervical. Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endodontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Malformações do desenvolvimento sulco palatogengival dos incisivos superiores, geralmente começa na fossa central,
Malformações do desenvolvimento sulco palatogengival dos incisivos superiores, geralmente começa na fossa central,

Malformações do desenvolvimento

sulco palatogengival dos incisivos superiores, geralmente começa na fossa central, ultrapassa o cíngulo, e estende-se apicalmente.

Perfurações

podem resultar de lesões cariosas extensas, reabsorção, ou de erro do operador.

Fracturas verticais de raiz

podem produzir profundas bolsas periodontais e destruição localizada do osso alveolar. O local da fractura fornece uma porta de passagem de agentes irritantes do canal radicular para o ligamento periodontal.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Classificação OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Classificação
Classificação
(Simon et al. 1972)

(Simon et al. 1972)

Lesão Endodôntica Primária Lesão Periodontal Primária Lesão Endodôntica Primária com envolvimento Periodontal
Lesão Endodôntica Primária
Lesão Periodontal Primária
Lesão Endodôntica Primária com envolvimento Periodontal
secundário
Lesão Periodontal Primária com envolvimento Endodôntico secundário
LesãoCombinada Verdadeira

Simon JH, Glick DH, Frank AL. The relationship of endodontic-periodontic lesions. J Periodontol 1972;43(4):202-8.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Cárie primária ou secundária, ou trauma oclusal. Polpa necrosada. Destruição óssea apical de origem endodôntica.
Cárie primária ou secundária, ou trauma oclusal. Polpa necrosada. Destruição óssea apical de origem endodôntica.

Cárie primária ou secundária, ou trauma oclusal.Polpa necrosada. Destruição óssea apical de origem endodôntica. Destruição óssea lateral de origem endodôntica.

Polpa necrosada.Cárie primária ou secundária, ou trauma oclusal. Destruição óssea apical de origem endodôntica. Destruição óssea

Destruição óssea apical de origem endodôntica.ou secundária, ou trauma oclusal. Polpa necrosada. Destruição óssea lateral de origem endodôntica.

Destruição óssea lateral de origem endodôntica.Destruição óssea apical de origem endodôntica. Osteolíse aumentada e formação de bolsa periodontal.

Destruição óssea lateral de origem endodôntica. Osteolíse aumentada e formação de bolsa periodontal.

Osteolíse aumentada e formação de bolsa periodontal.

Osteolíse aumentada e formação de bolsa periodontal. Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or

Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or the egg? Periodontal-endodontic lesions. Perio - Periodontal Practices Today , 2007; 4(1):15-21

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Cárie primária ou secundária,   ou trauma oclusal.   Polpa necrosada.   Canal
Cárie primária ou secundária,   ou trauma oclusal.   Polpa necrosada.   Canal

Cárieprimária ou secundária,   ou

primária

ou

secundária,

 

ou

trauma oclusal.

 

Polpa necrosada. 

 

Canalacessório entre a furca e o

acessório

entre

a

furca

e

o

periodonto.

 

Destruição óssea na furca de origem endodôntica.entre a furca e o periodonto.   Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or

  Destruição óssea na furca de origem endodôntica. Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken

Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or the egg? Periodontal-endodontic lesions. Perio - Periodontal Practices Today , 2007; 4(1):15-21

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Placa bacteriana supra e sub gengival. Perda de aderência periodontal. Perda óssea de origem periodontal.

Placa bacteriana supra e sub gengival.Perda de aderência periodontal. Perda óssea de origem periodontal. Polpa pode estar vital, parcialmente ou

Perda de aderência periodontal.Placa bacteriana supra e sub gengival. Perda óssea de origem periodontal. Polpa pode estar vital, parcialmente

Perda óssea de origem periodontal.supra e sub gengival. Perda de aderência periodontal. Polpa pode estar vital, parcialmente ou necrosada. Ausência

Polpa pode estar vital, parcialmente ou necrosada.aderência periodontal. Perda óssea de origem periodontal. Ausência de cárie primária ou secundária. Schacher B,

Ausência de cárie primária ou secundária.Polpa pode estar vital, parcialmente ou necrosada. Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or

ou necrosada. Ausência de cárie primária ou secundária. Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken

Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or the egg? Periodontal-endodontic lesions. Perio - Periodontal Practices Today , 2007; 4(1):15-21

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Polpa necrosada devido a cárie primária, cárie secundária, ou trauma oclusal. Destruição óssea apical de

Polpa necrosada devido a cárie primária, cárie secundária, ou trauma oclusal.Destruição óssea apical de origem endodôntica. Destruição óssea coronal de origem periodontal. Schacher B, Haueisen

Destruição óssea apical de origem endodôntica.a cárie primária, cárie secundária, ou trauma oclusal. Destruição óssea coronal de origem periodontal. Schacher

Destruição óssea coronal de origem periodontal.oclusal. Destruição óssea apical de origem endodôntica. Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or

Destruição óssea coronal de origem periodontal. Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or the

Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or the egg? Periodontal-endodontic lesions. Perio - Periodontal Practices Today , 2007; 4(1):15-21

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

Filomena Salazar - Paulo Miller

Vias Anatómicas Não Fisiológicas OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Vias Anatómicas Não Fisiológicas OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

Vias

Anatómicas

Não

Fisiológicas

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Canais acessórios e laterais Foramen Apical Túbulos dentinários Vias Anatómicas Lesão Perfuração
Canais acessórios e laterais
Foramen Apical
Túbulos dentinários
Vias
Anatómicas
Lesão
Perfuração
Endoperiodontal
Patógenica
Restauração deficiente
Bactérias
Fungos
Reabsorção radicular
Factores
Factores
Vírus
Contribuem
Etiológicos
Trauma oclusal
Extrínsecos: corpos estranhos
Tratamento endodôntico deficiente
Não Patógenica
Intrínsecos
Malformações congénitas
Colesterol
Corpos de Russel
Cristais
Vias Anatómicas
Vias Anatómicas
Vias Anatómicas
Vias Anatómicas
Vias Anatómicas
Assim, existem descritas três vias principais, as anatómicas, implicadas no desenvolvimento das lesões endoperiodontais

Assim, existem descritas três vias principais, as anatómicas, implicadas no desenvolvimento das lesões endoperiodontais

Canais acessórios e laterais Foramen Apical
Canais acessórios e
laterais
Foramen Apical

Túbulos

Dentinários

e laterais Foramen Apical Túbulos Dentinários OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Factores etiológicos OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Factores etiológicos
Factores etiológicos

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

FACTORES ETIOLÓGICOS Patogénicos vivos Agentes Inertes Factores contribuintes Bactéria Fungos Vírus Corpos
FACTORES ETIOLÓGICOS Patogénicos vivos Agentes Inertes Factores contribuintes Bactéria Fungos Vírus Corpos
FACTORES ETIOLÓGICOS Patogénicos vivos Agentes Inertes Factores contribuintes Bactéria Fungos Vírus Corpos
FACTORES ETIOLÓGICOS
Patogénicos vivos
Agentes Inertes
Factores contribuintes
Bactéria
Fungos
Vírus
Corpos estranhos
Colesterol
Corpos de Russell
Corpos hialinos Rushton
Cristais de Charcot-Leyden
Reticulo e células epiteliais
Tratamento endodôntico deficiente
Restaurações deficientes
Traumatismos
Reabsorções
Perfurações
Mal formações congénitas

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

PROCEDIMENTOS DE FORMULAÇÃO DE DIAGÓSTICO OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
PROCEDIMENTOS DE FORMULAÇÃO DE DIAGÓSTICO
PROCEDIMENTOS
DE
FORMULAÇÃO DE DIAGÓSTICO
A recolha dos sinais e sintomas clínicos são imperativos para a formulação do Diagnóstico ,

A recolha dos sinais e sintomas clínicos são imperativos para a formulação do Diagnóstico , Prognóstico e Plano de Tratamento

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos Inspecção visual Palpação Percussão Sondagem periodontal Provas de
Procedimentos Clínicos e radiológicos Inspecção visual Palpação Percussão
Procedimentos Clínicos e radiológicos
Inspecção visual
Palpação
Percussão
Sondagem periodontal
Sondagem
periodontal
visual Palpação Percussão Sondagem periodontal Provas de vitalidade pulpar Oclusão Trajecto
Provas de vitalidade pulpar
Provas de
vitalidade pulpar
Oclusão Trajecto Radiografias fistuloso
Oclusão
Trajecto
Radiografias
fistuloso

Mobilidade

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Inspecção

visual

Procedimentos Clínicos e radiológicos Inspecção visual • Inspecção cuidadosa de lábios, mucosas ,língua,
• Inspecção cuidadosa de lábios, mucosas ,língua, palato e músculos. • Mucosa alveolar e gengiva
• Inspecção cuidadosa de lábios, mucosas ,língua,
palato e músculos.
• Mucosa alveolar e gengiva aderente em busca de
fistulas e/ou úlceras.
• Cáries ,restaurações deficientes, fissuras, fracturas
ou descolorações.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

TIPO DE DOR Pulpar Dor aguda, lancinante. Periapical   Dor surda, moedeira, contínua. Periodontal
TIPO DE DOR Pulpar Dor aguda, lancinante. Periapical   Dor surda, moedeira, contínua. Periodontal

TIPO DE DOR

Pulpar

Pulpar

Dor aguda, lancinante.

Periapical

Periapical   Dor surda, moedeira, contínua.
 

Dor surda, moedeira, contínua.

Periodontal

   

Dor surda ou ausência de dor.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

EXTRUSÃO Ausente. Pulpar Geralmente presente. Periapical Periodontal Algumas vezes presente, existe mobilidade. OMD
EXTRUSÃO Ausente. Pulpar Geralmente presente. Periapical Periodontal Algumas vezes presente, existe mobilidade. OMD

EXTRUSÃO

Ausente. Pulpar Geralmente presente. Periapical Periodontal Algumas vezes presente, existe mobilidade.
Ausente.
Pulpar
Geralmente presente.
Periapical
Periodontal
Algumas vezes presente,
existe mobilidade.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Palpação
Palpação
• Pressão digital firme sobre a mucosa contra a cortical do osso adjacente. • Uma
• Pressão digital firme sobre a mucosa contra a
cortical do osso adjacente.
• Uma resposta positiva à palpação pode indicar um
processo inflamatório perirradicular.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

TUMEFACÇÃO / EDEMA Pulpar Ausente. Periapical Localizado ou generalizado. Periodontal Localizado. OMD Formação
TUMEFACÇÃO / EDEMA Pulpar Ausente. Periapical Localizado ou generalizado. Periodontal Localizado. OMD Formação

TUMEFACÇÃO / EDEMA

Pulpar Ausente. Periapical Localizado ou generalizado. Periodontal Localizado.
Pulpar
Ausente.
Periapical
Localizado ou generalizado.
Periodontal
Localizado.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Percussão

Procedimentos Clínicos e radiológicos Percussão • Percussão vertical e horizontal de forma suave comparada com
• Percussão vertical e horizontal de forma suave comparada com dentes controle • Não indica
• Percussão vertical e horizontal de forma suave
comparada com dentes controle
• Não indica o estado da polpa
• Pode dar indicação da presença de um estado
inflamatório

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

SENSIBILIDADEÀ PERCUSSÃO Pulpar Ausente, normal. Periapical Sensível, muito sensível. Periodontal Geralmente
SENSIBILIDADEÀ PERCUSSÃO Pulpar Ausente, normal. Periapical Sensível, muito sensível. Periodontal Geralmente

SENSIBILIDADEÀ PERCUSSÃO

Pulpar Ausente, normal. Periapical Sensível, muito sensível. Periodontal Geralmente normal.
Pulpar
Ausente, normal.
Periapical
Sensível, muito sensível.
Periodontal
Geralmente normal.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Mobilidade

Procedimentos Clínicos e radiológicos Mobilidade • Aplica-se uma pressão no sentido vestíbulo-lingual com o dedo
• Aplica-se uma pressão no sentido vestíbulo-lingual com o dedo polegar e indicador e regista-se
• Aplica-se uma pressão no sentido vestíbulo-lingual
com o dedo polegar e indicador e regista-se a
mobilidade em escala.
• A mobilidade dentária é directamente proporcional
à integridade do aparelho de inserção ou extensão
da inflamação do ligamento periodontal.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Radiografias

Procedimentos Clínicos e radiológicos Radiografias • Detecta lesões de cárie, restaurações defeituosas, TER
• Detecta lesões de cárie, restaurações defeituosas, TER existentes e possíveis defeitos., estados de formação
• Detecta lesões de cárie, restaurações defeituosas, TER
existentes e possíveis defeitos., estados de formação
da raiz, obliteração de canais, reabsorções
radiculares, fracturas, radiotransparências, estado do
espaço desmodontal e perdas ósseas.
• Para o diagnóstico diferencial devem ser efectuados
Rx periapicais em vários ângulos e bitewings, podem
também ser necessários outros tipos de radiografias.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

ACHADOS RADIOGRÁFICOS Pulpar Cáries superficiais, restaurações recentes, trauma oclusal, traumatismo. Periapical
ACHADOS RADIOGRÁFICOS Pulpar Cáries superficiais, restaurações recentes, trauma oclusal, traumatismo. Periapical

ACHADOS RADIOGRÁFICOS

Pulpar Cáries superficiais, restaurações recentes, trauma oclusal, traumatismo. Periapical Cáries profundas,
Pulpar
Cáries superficiais, restaurações
recentes, trauma oclusal, traumatismo.
Periapical
Cáries profundas, restaurações extensas,
capeamento pulpar.
Periodontal
Perda de osso alveolar, cálculo subgengival.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Provas de vitalidade pulpar

Clínicos e radiológicos Provas de vitalidade pulpar • Avaliar a resposta da polpa aos diferentes estímulos.
Clínicos e radiológicos Provas de vitalidade pulpar • Avaliar a resposta da polpa aos diferentes estímulos.
• Avaliar a resposta da polpa aos diferentes estímulos. • Uma resposta anormal pode indica
• Avaliar a resposta da polpa aos diferentes
estímulos.
• Uma resposta anormal pode indica alterações
degenerativas da polpa
• A falta de resposta indica necrose pulpar.
• Uma resposta dolorosa rápida pode ser sinal de
pulpite reversível
• Uma resposta dolorosa prolongada pode ser sinal
de pulpite irreversível

Prova de frio Prova eléctrica Prova de fluxo sanguíneo Prova de cavidade

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

RESPOSTA AO FRIO Pulpar Dor retardada ou Periapical Sem resposta Periodontal Normal O M D
RESPOSTA AO FRIO Pulpar Dor retardada ou Periapical Sem resposta Periodontal Normal O M D

RESPOSTA AO FRIO

Pulpar Dor retardada ou Periapical Sem resposta Periodontal Normal
Pulpar
Dor retardada ou
Periapical
Sem resposta
Periodontal
Normal

OMD Formação Contínua 2010

Normal O M D F o r m a ç ã o C o n t
Normal O M D F o r m a ç ã o C o n t

Filomena Salazar - Paulo Miller

RESPOSTA AO TESTE PULPAR ELÉCTRICO Pulpar Diminuída, Normal ou Exacerbada Periapical Sem resposta Normal
RESPOSTA AO TESTE PULPAR ELÉCTRICO Pulpar Diminuída, Normal ou Exacerbada Periapical Sem resposta Normal

RESPOSTA AO TESTE PULPAR ELÉCTRICO

Pulpar Diminuída, Normal ou Exacerbada Periapical Sem resposta Normal Periodontal
Pulpar
Diminuída, Normal ou Exacerbada
Periapical
Sem resposta
Normal
Periodontal

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Sondagem periodontal
Sondagem
periodontal
• Importante quando se quer diferenciar uma doença periodontal de uma endodôntica. • Utiliza-se uma
• Importante quando se quer diferenciar uma doença
periodontal de uma endodôntica.
• Utiliza-se uma sonda periodontal milimétrica.
• Uma bolsa isolada e profunda com ausência de
doença periodontal pode indicar lesão de origem
endodôntica ou fractura vertical de raiz.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

SONDAGEM PERIODONTAL Pulpar Sem bolsas, nem defeitos. Periapical Defeito único profundo, trajecto fistuloso.
SONDAGEM PERIODONTAL Pulpar Sem bolsas, nem defeitos. Periapical Defeito único profundo, trajecto fistuloso.

SONDAGEM PERIODONTAL

Pulpar Sem bolsas, nem defeitos. Periapical Defeito único profundo, trajecto fistuloso. Periodontal Múltiplos
Pulpar
Sem bolsas, nem defeitos.
Periapical
Defeito único profundo, trajecto fistuloso.
Periodontal
Múltiplos defeitos, placa e cálculo
subgengival.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Trajecto fistuloso
Trajecto
fistuloso
• A lesão periodontal ou a endodôntica podem provocar uma fistula. • A identificação da
• A lesão periodontal ou a endodôntica podem provocar
uma fistula.
• A identificação da fistula não indica necessariamente
a origem do exsudado inflamatório ou o dente
afectado.
• O trajecto da fistula determina-se colocando um cone
de guta na fistula até que se encontre resistência e
faz-se um rx que vai revelar o trajecto da mesma.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Procedimentos Clínicos e radiológicos

Oclusão

Procedimentos Clínicos e radiológicos Oclusão • O estudo da oclusão dinâmica pode traduzir forças anormais de
• O estudo da oclusão dinâmica pode traduzir forças anormais de oclusão (Interferências ). •
• O estudo da oclusão dinâmica pode traduzir forças
anormais de oclusão (Interferências ).
• O teste de mordida través da técnica do rolo de
algodão pode identificar um dente que provoca dor
à mastigação podendo levar-nos a identificar uma
fractura.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Aspectos clínicos e Aspectos radiológicos OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Aspectos clínicos e Aspectos radiológicos
Aspectos clínicos
e
Aspectos radiológicos

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller
Filomena Salazar - Paulo Miller
Lesão de Origem Endodôntica Filomena Salazar - Paulo Miller Necrose Pulpar Agudização de processo periapical
Lesão de Origem Endodôntica Filomena Salazar - Paulo Miller
Lesão de Origem
Endodôntica
Filomena Salazar - Paulo Miller
Necrose Pulpar Agudização de processo periapical pré existente Testes pulpares negativos Percusão + ou –
Necrose Pulpar
Agudização de processo periapical pré
existente
Testes pulpares negativos
Percusão + ou –
Bolsa profunda e estreita
Trajecto de fistula bem definido

OMD Formação Contínua 2010

Periodontite diagnosticada Bolsas extensas com acumulação de cálculo e/ou placa Testes de vitalidade + na

Periodontite diagnosticada

Bolsas extensas com acumulação de cálculo e/ou placa

Testes de vitalidade + na maioria dos casos

Lesão de Origem Periodontal Filomena Salazar - Paulo Miller
Lesão de Origem
Periodontal
Filomena Salazar - Paulo Miller

Em caso de fistula trajecto não definido

Mobilidade +

Percussão + ou –

- Paulo Miller Em caso de fistula trajecto não definido Mobilidade + Percussão + ou –
- Paulo Miller Em caso de fistula trajecto não definido Mobilidade + Percussão + ou –

OMD Formação Contínua 2010

OMD Formação Contínua 2010 Lesão de Origem Periodontal Filomena Salazar - Paulo Miller
OMD Formação Contínua 2010 Lesão de Origem Periodontal Filomena Salazar - Paulo Miller
OMD Formação Contínua 2010 Lesão de Origem Periodontal Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

Lesão de Origem Periodontal
Lesão de Origem
Periodontal

Filomena Salazar - Paulo Miller

Polpa necrosada Lesão endodôntica crónica com supuração formação de placa na margem gengival da fistula
Polpa necrosada Lesão endodôntica crónica com supuração formação de placa na margem gengival da fistula
Polpa necrosada
Lesão endodôntica crónica com supuração
formação de placa na margem
gengival da fistula
originando periodontite marginal
Lesão Combinada
Endodôntia Primária e Periodontal Secundária
Rx com imagem radiolúcida apical e
perda óssea a nível cervical
imagem radiolúcida apical e perda óssea a nível cervical OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar -

OMD Formação Contínua 2010

imagem radiolúcida apical e perda óssea a nível cervical OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar -
imagem radiolúcida apical e perda óssea a nível cervical OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar -

Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010 Lesão Combinada Endodôntia Primária e Periodontal Secundária Filomena Salazar - Paulo
OMD Formação Contínua 2010 Lesão Combinada Endodôntia Primária e Periodontal Secundária Filomena Salazar - Paulo
OMD Formação Contínua 2010 Lesão Combinada Endodôntia Primária e Periodontal Secundária Filomena Salazar - Paulo

OMD Formação Contínua 2010

Lesão Combinada Endodôntia Primária e Periodontal Secundária
Lesão Combinada
Endodôntia Primária e Periodontal Secundária
Contínua 2010 Lesão Combinada Endodôntia Primária e Periodontal Secundária Filomena Salazar - Paulo Miller
Contínua 2010 Lesão Combinada Endodôntia Primária e Periodontal Secundária Filomena Salazar - Paulo Miller

Filomena Salazar - Paulo Miller

Perfuração acidental de raiz durante o TER ou na colocação de espigões Sintomatologia aguda Possibilidade
Perfuração acidental de raiz durante o TER ou na colocação de espigões Sintomatologia aguda Possibilidade
Perfuração acidental de raiz durante o TER ou
na colocação de espigões
Sintomatologia aguda
Possibilidade de formação de abcesso
periodontal:
Lesão Combinada
Dor
Edema
Supuração
Formação de bolsa
Mobilidade
Endodôntia Primária e Periodontal Secundária
Mobilidade Endodôntia Primária e Periodontal Secundária OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller
Filomena Salazar - Paulo Miller
Fracturas radiculares Dentes com espigões Molares com extensas restaurações Pré-molares com restaurações MOD
Fracturas radiculares Dentes com espigões Molares com extensas restaurações Pré-molares com restaurações MOD
Fracturas radiculares
Dentes com espigões
Molares com extensas restaurações
Pré-molares com restaurações MOD
extensas
Lesão Combinada
Endodôntia Primária e Periodontal Secundária
Formação de bolsas
Abcesso periodontal agudo
Secundária Formação de bolsas Abcesso periodontal agudo OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

Secundária Formação de bolsas Abcesso periodontal agudo OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

Filomena Salazar - Paulo Miller

Progressão para apical de bolsa periodontal Necrose da polpa devido a contaminação através do apex

Progressão para apical de bolsa periodontal

Necrose da polpa devido a contaminação através do apex ou de canais laterais

Consequência de tratamento periodontal:

Raspagem e curetagem cirúrgica

Existência de bolsas extensas e profundas

cirúrgica Existência de bolsas extensas e profundas Lesão Combinada Periodontal Primária e Endodôntica
cirúrgica Existência de bolsas extensas e profundas Lesão Combinada Periodontal Primária e Endodôntica
Lesão Combinada Periodontal Primária e Endodôntica Secundária
Lesão Combinada
Periodontal Primária e Endodôntica Secundária

Rx apresenta grande perda óssea

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Lesão periapical progride coronalmente e comunica com a bolsa periodontal infectada que progride apicalmente Apresenta
Lesão periapical progride coronalmente e comunica com a bolsa periodontal infectada que progride apicalmente Apresenta
Lesão periapical progride coronalmente e
comunica com a bolsa periodontal
infectada que progride apicalmente
Apresenta grande perda de
inserção e reabsorção óssea
Lesão Combinada
Verdadeira
ILAN ROTSTEIN & JAMES H. SIMON
ILAN ROTSTEIN & JAMES H. SIMON

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Prognóstico OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Prognóstico
Prognóstico
Em primeiro lugar, a avaliação e o prognóstico do tratamento dependem do correcto diagnóstico da
Em primeiro lugar, a avaliação e o prognóstico do tratamento dependem do correcto diagnóstico da

Em primeiro lugar, a avaliação e o prognóstico do tratamento dependem do correcto diagnóstico da etiologia da lesão/doença.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Factores para tomada de decisão: Vitalidade pulpar Extensão do defeito periodontal OMD Formação Contínua 2010
Factores para tomada de decisão: Vitalidade pulpar Extensão do defeito periodontal OMD Formação Contínua 2010

Factores para tomada de decisão:

Vitalidade pulpar Extensão do defeito periodontal

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

ORIGEM ENDODÔNTICA Favorável. Recuperação da lesão apical ou de furca após a realização do TER.
ORIGEM ENDODÔNTICA Favorável. Recuperação da lesão apical ou de furca após a realização do TER.
ORIGEM ENDODÔNTICA
ORIGEM ENDODÔNTICA
Favorável. Recuperação da lesão apical ou de furca após a realização do TER. Bolsa periodontal
Favorável.
Recuperação da lesão apical ou
de furca após a realização do
TER.
Bolsa periodontal ou trajecto
fistuloso desaparece
rapidamente após a conclusão
do TER se eliminado o foco
infeccioso.

OMD Formação Contínua 2010

ORIGEM PERIODONTAL
ORIGEM PERIODONTAL
Depende do estadío da doença periodontal. Eficácia do tratamento periodontal. Da resposta e cooperação do
Depende do estadío da doença
periodontal.
Eficácia do tratamento
periodontal.
Da resposta e cooperação do
paciente.

Filomena Salazar - Paulo Miller

Endodôntica Primária e Periodontal Secundária Após a conclusão com sucesso do TER. Depende da severidade
Endodôntica Primária e Periodontal Secundária Após a conclusão com sucesso do TER. Depende da severidade
Endodôntica Primária e Periodontal Secundária
Endodôntica Primária e Periodontal Secundária
Após a conclusão com sucesso do TER. Depende da severidade do envolvimento periodontal. Sucesso do
Após a conclusão com sucesso do TER.
Depende da severidade do envolvimento periodontal.
Sucesso do tratamento periodontal.
Resposta individual e colaboração do paciente.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Periodontal Primária e Endodôntica Secundária Combinadas Verdadeiras Necessitam de tratamento endodôntico +
Periodontal Primária e Endodôntica Secundária Combinadas Verdadeiras Necessitam de tratamento endodôntico +
Periodontal Primária e Endodôntica Secundária
Periodontal Primária e Endodôntica
Secundária
Combinadas Verdadeiras
Combinadas Verdadeiras
Necessitam de tratamento endodôntico + tratamento periodontal. Infecção intrapulpar promove perda do epitélio
Necessitam de tratamento endodôntico + tratamento periodontal.
Infecção intrapulpar promove perda do epitélio marginal.
Depende da severidade da doença periodontal.
Resposta dos tecidos ao tratamento periodontal.
Prognóstico mais reservado e dependente da eficácia da terapia
periodontal.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Doença Origem Endodôntica Polpa Necrosada e Foramen Apical Túbulos dentinários Periodonto v o l u
Doença Origem Endodôntica Polpa Necrosada e Foramen Apical Túbulos dentinários Periodonto v o l u
Doença Origem Endodôntica Polpa Necrosada e
Doença Origem Endodôntica
Polpa Necrosada
e
Doença Origem Endodôntica Polpa Necrosada e Foramen Apical Túbulos dentinários Periodonto v o l u ç
Foramen Apical Túbulos dentinários
Foramen Apical
Túbulos dentinários

Periodonto

e Foramen Apical Túbulos dentinários Periodonto v o l u ç ã o c l í
e Foramen Apical Túbulos dentinários Periodonto v o l u ç ã o c l í
e Foramen Apical Túbulos dentinários Periodonto v o l u ç ã o c l í
e Foramen Apical Túbulos dentinários Periodonto v o l u ç ã o c l í
v o l u ç ã o
v
o
l
u
ç
ã
o
c l í n i c o s
c
l
í
n
i
c
o
s

Bolsa Periodontal profunda mas estreita Cone de guta pela fistula + rx com várias incidências

Tratamento Endodôntico Radical Remissão da lesão

Doença Periodontal Severa periodontopatógenicos e Foramen Apical Túbulos dentinários Polpa c l í n i
Doença Periodontal Severa periodontopatógenicos e Foramen Apical Túbulos dentinários Polpa c l í n i
Doença Periodontal Severa periodontopatógenicos e
Doença Periodontal Severa
periodontopatógenicos
e
Doença Periodontal Severa periodontopatógenicos e Foramen Apical Túbulos dentinários Polpa c l í n i c
Foramen Apical Túbulos dentinários
Foramen Apical
Túbulos dentinários

Polpa

e Foramen Apical Túbulos dentinários Polpa c l í n i c o s v o
e Foramen Apical Túbulos dentinários Polpa c l í n i c o s v o
e Foramen Apical Túbulos dentinários Polpa c l í n i c o s v o
e Foramen Apical Túbulos dentinários Polpa c l í n i c o s v o
c l í n i c o s
c
l
í
n
i
c
o
s
v o l u ç ã o
v
o
l
u
ç
ã
o

Invasão Bacteriana Processo inflamatório Formação de Micro abcesso Necrose pulpar

Bolsa Periodontal Ausência de lesão de cárie Teste vitalidade negativo

Aspectos microbiológicos OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Aspectos microbiológicos
Aspectos microbiológicos
Quando existe uma necrose pulpar há uma resposta inflamatória directa do ligamento periodontal ao nível
Quando existe uma necrose pulpar há uma resposta inflamatória directa do ligamento periodontal ao nível

Quando existe uma necrose pulpar há uma resposta inflamatória directa do ligamento periodontal ao nível do foramen apical e/ou da saída dos canais acessórios.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Os produtos inflamatórios de origem pulpar, entre eles bactérias fungos e vírus, desencadeiam uma resposta
Os produtos inflamatórios de origem pulpar, entre eles bactérias fungos e vírus, desencadeiam uma resposta

Os produtos inflamatórios de origem pulpar, entre eles bactérias fungos e vírus, desencadeiam uma resposta vascular inflamatória no periodonto.

Muitos deles são semelhantes aos agentes patogénicos isolados nas infecções periodontais.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Tem sido demonstrado através de variados estudos que existem semelhanças muito significativas entre flora
Tem sido demonstrado através de variados estudos que existem semelhanças muito significativas entre flora

Tem sido demonstrado através de variados estudos que existem semelhanças muito significativas entre flora microbiológica dos canais radiculares infectados e as diversas formas de periodontite, excepto com a periodontite agressiva.

de periodontite, excepto com a periodontite agressiv a. Kobayashi T, Hayashi A, Yoshikawa R, et al.

Kobayashi T, Hayashi A, Yoshikawa R, et al. The microbial flora from root canals and periodontal pockets of non-vital teeth associated with advanced periodontitis. Int Endod J 1990;23(2):100-6.

Rupf S, Kannengieber S, Merte K, et al. Comparison of profiles of key periodontal pathogens in periodontium and endodontium. Endod Dent Traumatol

2000;16(6):269-75.

Siqueira JF Jr. Endodontic infections: concepts, paradigms, and perspectives. Oral Surg Oral Med Oral Pathol Oral Radiol Endod 2002;94(3):281-93.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

A. actinomycetemcomitans P.gingivalis OMD Formação Contínua 2010 Tannerella forsythia P.intermedia Filomena Salazar -
A. actinomycetemcomitans P.gingivalis OMD Formação Contínua 2010 Tannerella forsythia P.intermedia Filomena Salazar -

A. actinomycetemcomitans

A. actinomycetemcomitans P.gingivalis OMD Formação Contínua 2010 Tannerella forsythia P.intermedia Filomena Salazar -

P.gingivalis

A. actinomycetemcomitans P.gingivalis OMD Formação Contínua 2010 Tannerella forsythia P.intermedia Filomena Salazar -

OMD Formação Contínua 2010

Tannerella forsythia

P.gingivalis OMD Formação Contínua 2010 Tannerella forsythia P.intermedia Filomena Salazar - Paulo Miller

P.intermedia

P.gingivalis OMD Formação Contínua 2010 Tannerella forsythia P.intermedia Filomena Salazar - Paulo Miller

Filomena Salazar - Paulo Miller

Em variados casos a infecção pulpar estimula um crescimento epitelial que afecta a integridade dos
Em variados casos a infecção pulpar estimula um crescimento epitelial que afecta a integridade dos

Em variados casos a infecção pulpar estimula um crescimento epitelial que afecta a integridade dos tecidos, com maior prevalência os perirradiculares.

dos tecidos, com maior prevalência os perirradiculares. OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

dos tecidos, com maior prevalência os perirradiculares. OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
dos tecidos, com maior prevalência os perirradiculares. OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

Filomena Salazar - Paulo Miller

TRATAMENTO OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
TRATAMENTO
TRATAMENTO
Tratamento Mecânico OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Tratamento Mecânico
Tratamento Mecânico
Tratamento Endodôntico Sempre que a polpa está necrosada ou não responde aos testes de vitalidade
Tratamento Endodôntico Sempre que a polpa está necrosada ou não responde aos testes de vitalidade
Tratamento Endodôntico
Tratamento Endodôntico
Sempre que a polpa está necrosada ou não responde aos testes de vitalidade Tratamento Endodôntico
Sempre que a polpa está necrosada ou não
responde aos testes de vitalidade
Tratamento Endodôntico Radical
Medicação

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Tratamento Periodontal OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Tratamento Periodontal OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Tratamento Periodontal
Tratamento Periodontal
Tratamento Periodontal OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

ENDODÔNTICA Não existe vitalidade pulpar Fazer TER Controlar a evolução da lesão PERIODONTAL Existe vitalidade
ENDODÔNTICA Não existe vitalidade pulpar Fazer TER Controlar a evolução da lesão PERIODONTAL Existe vitalidade

ENDODÔNTICA

Não existe vitalidade pulpar Fazer TER Controlar a evolução da lesão
Não existe vitalidade pulpar
Fazer TER
Controlar a evolução da lesão

PERIODONTAL

Existe vitalidade pulpar Iniciar fase de higiene oral Trat. base periodontal Fase de Avaliação
Existe vitalidade pulpar
Iniciar fase de higiene oral
Trat. base periodontal
Fase de Avaliação
ENDODÔNTICA PRIMÁRIA PERIODONTAL SECUNDÁRIA Não existe vitalidade pulpar FazerTER Controlar a evolução da lesão
ENDODÔNTICA PRIMÁRIA PERIODONTAL SECUNDÁRIA Não existe vitalidade pulpar FazerTER Controlar a evolução da lesão

ENDODÔNTICA PRIMÁRIA PERIODONTAL SECUNDÁRIA

Não existe vitalidade pulpar FazerTER Controlar a evolução da lesão Tratamento Periodontal posterior
Não existe vitalidade pulpar
FazerTER
Controlar a evolução da lesão
Tratamento Periodontal
posterior

PERIODONTAL PRIMÁRIA ENDODÔNTICA SECUNDÁRIA

Não existe vitalidade pulpar Fazer TER e iniciar fase de higiene oral Avaliar evolução e
Não existe vitalidade pulpar
Fazer TER e iniciar fase de
higiene oral
Avaliar evolução e realizar
tratamento/terapêutica
periodontal
∆t ∆t M M TratamentoTratamento InicialInicial 0 0 ENDOENDO PERIOPERIO InstrumentaçãoInstrumentação --
∆t ∆t M M TratamentoTratamento InicialInicial 0 0 ENDOENDO PERIOPERIO InstrumentaçãoInstrumentação --
∆t ∆t
M M
TratamentoTratamento InicialInicial
0 0
ENDOENDO
PERIOPERIO
InstrumentaçãoInstrumentação -- MedicaçãoMedicação
FaseFase dada higienehigiene oraloral
NãoNão apresentaapresenta melhoriasmelhorias
1 1
ExtracçãoExtracção
ApresentaApresenta melhoriasmelhorias
Agudização dos problemas
Agudização dos problemas
2 2
TratamentoTratamento EndodônticoEndodôntico terminadoterminado
periodontais → tratamento
periodontais → tratamento
periodontal sistemático
periodontal sistemático

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

ENDO ENDO PERIO PERIO ∆t ∆t m m Tratamento endodôntico Tratamento endodôntico 0 0 terminado
ENDO
ENDO
PERIO
PERIO
∆t
∆t
m
m
Tratamento endodôntico
Tratamento endodôntico
0
0
terminado
terminado
Problemas:
Problemas:
a)
a)
Apicectomia
Apicectomia
b)
b)
Hemissecção
Hemissecção
c)
c)
Amputação
Amputação
Imagem radiográfica:
Imagem radiográfica:
X
X
6
6
Sem alteração
Sem alteração
Imagem radiográfica:
Imagem radiográfica:
Tratamento periodontal
Tratamento periodontal
Aumento da densidade
Aumento da densidade
sistemático
sistemático
óssea → aguardar
óssea → aguardar
Raspagem e alisamento radicular
Raspagem e alisamento radicular
Raspagem a céu aberto, se
Raspagem a céu aberto, se
necessário combinada com
necessário combinada com
regeneração tecidular guiada
regeneração tecidular guiada

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

∆t ∆t m m 6 6 ENDO ENDO PERIO PERIO Periodonto Periodonto X X 12
∆t
∆t
m
m
6
6
ENDO
ENDO
PERIO
PERIO
Periodonto
Periodonto
X
X
12
12
Defeito ósseo revela
Defeito ósseo revela
Clinicamente
Clinicamente
grande recuperação
grande recuperação
Sem
Sem
saudável e
saudável e
Sucesso
Sucesso
melhorias
melhorias
assinalável
assinalável
melhoria
melhoria
radiográfica
radiográfica

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

∆t ∆t m m 12 12 ENDO ENDO PERIO PERIO Extracção Extracção Defeito ósseo Defeito
∆t
∆t
m
m
12
12
ENDO
ENDO
PERIO
PERIO
Extracção
Extracção
Defeito ósseo
Defeito ósseo
Periodonto
Periodonto
X
X
18
18
totalmente curado
totalmente curado
Saudável
Saudável
SUCESSO
SUCESSO

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Tratamento farmacológico OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
Tratamento farmacológico
Tratamento farmacológico
OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller
OMD Formação Contínua 2010 Filomena Salazar - Paulo Miller

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

Combinadas Endodôntica Periodontal Quanto à Origem Diagnóstico Tratamento Endodôntico primário com
Combinadas
Endodôntica
Periodontal
Quanto à
Origem
Diagnóstico
Tratamento
Endodôntico primário com
envolvimento periodontal
secundário
diferencial
Endodôntico
COMBINADAS
Quanto ao
Tratamento
Tratamento
Combinadas
Periodontal
verdadeiras
Tratamento Combinado
Endodôntico - Periodontal
Periodontal primário com
envolvimento Endodôtico
secundário
Podemos concluir que para um bom diagnóstico e plano de tratamento o profissional deve ter

Podemos concluir que para um bom diagnóstico e plano de tratamento o profissional deve ter em mente:

1.

As várias formas de comunicação entre a polpa e o periodonto.

2.

As interacções bacterianas das espécies que podem habitar em ambos os tecidos.

3.

Todos os sinais e sintomas que possam levar a um diagnóstico diferencial.

4.

Um plano de tratamento que seja adequado ao diagnóstico formulado.

5.

Que os tratamentos conservadores mecânicos são os de eleição para a resolução dos problemas.

6.

Que o tratamento ou retratamento endodôntico nas lesões endoperiodontais combinadas verdadeiras deve ser realizado previamente ao tratamento periodontal.

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller

paulommiller@gmail.com OMD Formação Contínua 2010 filomena.salazar@cespu.pt Filomena Salazar - Paulo Miller

paulommiller@gmail.com

OMD Formação Contínua 2010

filomena.salazar@cespu.pt

Filomena Salazar - Paulo Miller

• Bergenholtz G, Hasselgren G Endodontia e Periodontia. In: Lindhe J. Tratado de Periodontia Clínica

Bergenholtz G, Hasselgren G Endodontia e Periodontia. In: Lindhe J. Tratado de Periodontia Clínica e Implantologia Oral. 3 ed. Rio de Janeiro:

Editora Guanabara Koogan; 1999. p.207–232.

Bender IB . Factors influencing radiographic appearance of bony lesions. J Endod. 1982;8:161–70. Simring M, Goldberg M. The pulpal pocket approach: Retrograde periodontitis. J Periodontol. 1964;35:22–48

Mandel E, Machton P, Torabinejad M. Clinical diagnosis and treatment of endodontic and periodontal lesions. Quintessence Int. 1993;24:135–9

Rotstein I, Simon JHS. Diagnosis, prognosis, and decision-making in the treatment of combined periodontal-endodontic lesions. Periodontol 2000 2004: 34: 165-203.

Fachin EVF, Luisi SB, Borba MG. Relação pulpoperiodontal: considerações histológicas e clínicas. JBC. 2002;3(16):63-9.

Harrington, G. W. et al. The periodontal – endodontic controversy. Periodontol 2000, v.30, p.123-130, 2002.

Armitage GC. Development of a classification system for periodontal diseases and conditions. Ann Periodontol 1999: 4: 1–6.

N. P. Kerezoudis, G. J. Siskos, V. Tsatsas Bilateral buccal radicular groove in maxillary incisors: case report International. Endodontic Journal Volume 36, Issue 12, Date: December 2003, Pages: 898-906

M. Abou-Rass, G. Bogen Microorganisms in closed periapical lesions International. Endodontic Journal Volume 31, Issue 1, Date: January 1998, Pages: 39-47

A. Halse, O. Molven, I. Fristad Diagnosing periapical lesions – disagreement and borderline cases. International Endodontic Journal Volume 35, Issue 8, Date: August 2002, Pages: 703-709

C. Hannig, C. Dullin, M. Hülsmann, G. HeidrichThree-dimensional, non-destructive visualization of vertical root fractures using flat panel volume detector computer tomography: an ex vivoin vitro case report International. Endodontic Journal Volume 38, Issue 12, Date: December 2005, Pages: 904-913

Schacher B, Haueisen H, Ratka-Krüger P. The chicken or the egg? Periodontal-endodontic lesions. Perio - Periodontal Practices Today , 2007; 4(1):15-21

OMD Formação Contínua 2010

Filomena Salazar - Paulo Miller