Você está na página 1de 24

14/11/2012

Universidade Federal do ABC BC1309BC1309 TermodinâmicaTermodinâmica AplicadaAplicada ProfaProfa.ProfaProfa

Universidade Federal do ABC

BC1309BC1309

TermodinâmicaTermodinâmica AplicadaAplicada

ProfaProfa.ProfaProfa Dra.Dra.Dra.Dra. AnaAnaAnaAna MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

ana.neto@ufabc.edu.brana.neto@ufabc.edu.brana.neto@ufabc.edu.brana.neto@ufabc.edu.br

CiclosCiclos dede PotênciaPotência aa VaporVapor

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

aa VaporVapor BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CiclosCiclos dede PotênciaPotência aa VaporVapor

CicloCiclo RankineRankine -- Definição;Definição;

DiagramaDiagrama TT--ss parapara oo CicloCiclo Rankine;Rankine;

BalançosBalanços dede MassaMassa ee EnergiaEnergia parapara umum CicloCiclo Rankine;Rankine;

ParâmetrosParâmetros PrincipaisPrincipais dede Operação;Operação;

CicloCiclo RankineRankine comcom Reaquecimento;Reaquecimento;

CicloCiclo RankineRankine Regenerativo.Regenerativo.

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

IdealIdeal BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal

É o ciclo ideal das usinas de potência a vapor.

Não envolve nenhuma irreversibilidade interna.

Consiste em quatro processos:

Compressão isoentrópica em uma bomba;

Fornecimento de calor a pressão constante em uma caldeira;

Expansão isoentrópica em uma turbina;

Rejeição de calor a pressão constante em um condensador.

 

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal TurbinaTurbina aa vaporvapor 11 WW TT GeradorGerador dede VaporVapor 22
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
TurbinaTurbina aa vaporvapor
11
WW TT
GeradorGerador dede VaporVapor
22
CondensadorCondensador
(combustível)(combustível)
QQ HH == mm cc PCIPCI
QQ LL
BombaBomba
44
33
WW BB
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal

A água entra na bomba no estado 3 como líquido saturado.

É comprimida de maneira isoentrópica até a pressão de operação da caldeira.

isoentrópica até a pressão de operação da caldeira. A água entra na caldeira como líquido comprimido

A água entra na caldeira como líquido comprimido (estado 4) e sai como vapor superaquecido (estado 1).

O vapor d’água superaquecido entra na turbina, onde ocorre a expansão isoentrópica e produção de trabalho.

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto   CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal  
 

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal

 

Nesse

processo,

a

pressão

e

a

temperatura caem

até

os

valores do

estado 2, no qual o vapor (mistura) entra no condensador.

estado 2, no qual o vapor (mistura) entra no condensador.

O

vapor

é

condensado

a

pressão

constante.

Calor é rejeitado para um meio de resfriamento (lago, rio, atmosfera).

 

Água deixa o condensador como líquido saturado (estado 3) e entra na bomba completando o ciclo.

 

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

  BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

DiagramaDiagrama TT--ss

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

TT--ss BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss TT 11 qq ee ww turbinaturbina,, ss 44 ww
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss
TT
11
qq ee
ww turbinaturbina,, ss
44
ww bombabomba,, ee
33
22
qq ss
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss TT 11 WW 44 33 22 ss
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss
TT
11
WW
44
33
22
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss TT 11 QQ HH 44 33 22 ss
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss
TT
11
QQ HH
44
33
22
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss TT 11 44 33 22 ss QQ LL
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal –– DiagramaDiagrama TT--ss
TT
11
44
33
22
ss
QQ LL
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
BalançoBalanço dede MassaMassa ee dede EnergiaEnergia
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal Equação de conservação da massa: n n dm ∑ ∑ vc m
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
Equação de conservação da massa:
n
n
dm
vc
m &
m &
=
e
s
dt
i
=
1
i
=
1
Equação de conservação da energia (1ª lei da Termodinâmica):
n
2
n
2
V
V
dE
Q &
W &
+
m &
e
s
vc
h
+
+ gz
 −
m &
h
+
+ gz
 =
vc
vc
e
e
e
s
s
s
2
2
dt
i
=
1
i
=
1
HipótesesHipóteses adotadasadotadas::
RegimeRegime permanentepermanente;;
VariaçãoVariação nulanula dede energiaenergia cinéticacinética ee potencialpotencial
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
Equação de conservação da massa:
m &
m
&
=
0
e
s
Equação de conservação da energia (1ª lei da Termodinâmica):
&
Q
W &
+
m h
&
m h
&
=
0
vc
vc
e
e
s
s
(q&
− q&
) + (w&
− w&
) = h
− h
e
s
e
s
s
e
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal

11

11
11 GeradorGerador dede VaporVapor (Caldeira):(Caldeira): & Q + m h & − m h & =
GeradorGerador dede VaporVapor (Caldeira):(Caldeira): & Q + m h & − m h & =
GeradorGerador dede VaporVapor (Caldeira):(Caldeira):
&
Q
+ m h
&
− m h
&
= 0
H
4
4
1
1
m &
− m
&
= 0
4
1

GeradorGerador dede VaporVapor

− m & = 0 4 1 GeradorGerador dede VaporVapor (combustível)(combustível) QQ H H == mm

(combustível)(combustível) QQ HH == mm cc PCIPCI

44

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

c PCIPCI 44 BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal TurbinaTurbina aa vaporvapor 11 WW TT TurbinaTurbina aa VaporVapor & − W
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
TurbinaTurbina aa vaporvapor
11
WW TT
TurbinaTurbina aa VaporVapor
&
W
+
m h
&
m h
&
=
0
T
1
1
2
2
22
m &
m
&
=
0
1
2
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal CondensadorCondensador Q + m h & − m h & = 0
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
CondensadorCondensador
Q
+
m h
&
m h
&
=
0
L
2
2
3
3
22
CondensadorCondensador
m &
m
&
=
0
2
3
QQ LL
33
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
BombaBomba
&
W
+
m h
&
m h
&
=
0
b
3
3
4
4
m &
m
&
=
0
3
4
BombaBomba
44
33
WW BB
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal TurbinaTurbina aa vaporvapor 11 WW TT GeradorGerador dede VaporVapor 22
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
TurbinaTurbina aa vaporvapor
11
WW TT
GeradorGerador dede VaporVapor
22
CondensadorCondensador
(combustível)(combustível)
QQ HH == mm cc PCIPCI
QQ LL
BombaBomba
44
33
WW BB
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
Para cada equipamento, temos:
GeradorGerador dede VaporVapor (Caldeira)(Caldeira)::
CondensadorCondensador
&
Q
+
m h
&
m h
&
=
0
Q
+
m h
&
m h
&
=
0
H
4
4
1
1
L
2
2
3
3
m &
m
&
=
0
m &
m
&
=
0
4
1
2
3
TurbinaTurbina aa VaporVapor
BombaBomba
&
&
W
+
m h
&
m h
&
=
0
W
+
m h
&
m h
&
=
0
T
1
1
2
2
b
3
3
4
4
m &
m
&
=
0
m &
m
&
=
0
1
2
3
4
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal Assim, é possível definir a eficiência de um ciclo Rankine ideal: &
CicloCiclo RankineRankine IdealIdeal
Assim, é possível definir a eficiência de um ciclo Rankine ideal:
&
W
η =
&
Q
H
Onde:
W &
=
W &
W &
T
b
Q
=
m PCI
&
H
c
PCI: poder calorífico inferior do combustível (kJ/kg)
m c : vazão mássica de combustível (kg/s)
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
ComoComo aumentaraumentar aa eficiênciaeficiência dodo
CicloCiclo Rankine?Rankine?
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

ParâmetrosParâmetros dede OperaçãoOperação

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

ParâmetrosParâmetros dede OperaçãoOperação

Usinas de potência a vapor são as responsáveis pela produção da maior parte da energia elétrica do mundo.

Portanto, ganhos de eficiência térmica podem significar uma grande economia na necessidade de combustível, e conseqüentemente, ganhos ambientais.

Há três maneiras de aumentar a eficiência térmica:

Superaquecendo o vapor (aumento de T H med );

Aumentando a pressão da caldeira (aumento de T H med );

Diminuindo a pressão do condensador (diminuição de T L med ).

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

DiminuiçãoDiminuição dada PressãoPressão nono CondensadorCondensador TT PP cc ss
DiminuiçãoDiminuição dada PressãoPressão nono CondensadorCondensador
TT
PP cc
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
InfluênciaInfluência nana EficiênciaEficiência dodo CicloCiclo
Diminuição da pressão no condensador:
0,280
0,275
0,270
0,265
0,260
0,255
0,250
0,04
0,05
0,06
0,07
0,08
0,09
0,10
pressão no condensador (bar)
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
eficiência de 1º Lei (%)

14/11/2012

InfluênciaInfluência nana PotênciaPotência LíquidaLíquida dodo CicloCiclo Diminuição da pressão no condensador:
InfluênciaInfluência nana PotênciaPotência LíquidaLíquida dodo CicloCiclo
Diminuição da pressão no condensador:
1000
975
950
925
900
0,04
0,05
0,06
0,07
0,08
0,09
0,10
pressão no condensador (bar)
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
trabalho específico (kW/kg)
DiminuiçãoDiminuição dada PressãoPressão nono CondensadorCondensador É possível diminuir a pressão do
DiminuiçãoDiminuição dada PressãoPressão nono CondensadorCondensador
É possível diminuir a pressão do condensador abaixo da pressão
atmosférica.
Entretanto, essa diminuição tem efeitos colaterais:
cria a possibilidade da infiltração de ar
ambiente para o interior do condensador;
TT
PP cc
aumenta a umidade do vapor nos estágios
finais da turbina;
ss
a presença de grandes quantidades de umidade é altamente
indesejada nas turbinas, pois diminui sua eficiência e provoca
erosão de suas pás.
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

AumentoAumento dada TemperaturaTemperatura nana CaldeiraCaldeira TT PP gg PP cc ss
AumentoAumento dada TemperaturaTemperatura nana CaldeiraCaldeira
TT
PP gg
PP cc
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
InfluênciaInfluência nana EficiênciaEficiência dodo CicloCiclo
Aumento da temperatura no gerador de vapor (caldeira):
0,285
0,280
0,275
0,270
0,265
0,260
0,255
0,250
400
425
450
475
500
525
550
575
600
625
temperatura vapor (°C)
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
Eficiência de 1º Lei (%)

14/11/2012

InfluênciaInfluência nana PotênciaPotência LíquidaLíquida dodo CicloCiclo Aumento da temperatura no gerador de
InfluênciaInfluência nana PotênciaPotência LíquidaLíquida dodo CicloCiclo
Aumento da temperatura no gerador de vapor (caldeira):
1200
1150
1100
1050
1000
950
900
400
425
450
475
500
525
550
575
600
625
temperatura vapor (°C)
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
trabalho específico (kJ/kg)
AumentoAumento dada TemperaturaTemperatura nana CaldeiraCaldeira É possível aumentar a temperatura do vapor e,
AumentoAumento dada TemperaturaTemperatura nana CaldeiraCaldeira
É possível aumentar a temperatura do vapor e, conseqüentemente,
aumentar a eficiência térmica.
Além disso, esse aumento diminui o conteúdo de umidade do
vapor na saída da turbina.
TT
PP gg
Porém, a temperatura em que o vapor
poderá ser aquecido é limitada por
considerações metalúrgicas (T máx = 620°C).
PP cc
Possível solução é o desenvolvimento
de novos materiais.
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

AumentoAumento dada PressãoPressão dada CaldeiraCaldeira TT PP gg PP cc ss BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana
AumentoAumento dada PressãoPressão dada CaldeiraCaldeira
TT
PP gg
PP cc
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
InfluênciaInfluência nana EficiênciaEficiência dodo CicloCiclo
Aumento da pressão no gerador de vapor (caldeira):
0,30
0,28
0,26
0,24
0,22
0,20
20
40
60
80
100
120
140
160
180
200
220
240
260
pressão vapor (bar)
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
eficiência de 1º Lei (%)

14/11/2012

InfluênciaInfluência nana PotênciaPotência LíquidaLíquida dodo CicloCiclo Aumento da pressão no gerador de vapor
InfluênciaInfluência nana PotênciaPotência LíquidaLíquida dodo CicloCiclo
Aumento da pressão no gerador de vapor (caldeira):
975
950
925
900
875
850
825
800
775
750
725
0
20
40
60
80
100
120
140
160
180
200
220
240
260
pressão vapor (bar)
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
Trabalho especifico (kW/kg)

AumentoAumento dada PressãoPressão dada CaldeiraCaldeira

 

É possível aumentar a pressão da caldeira e, conseqüentemente, aumentar a eficiência térmica.

Porém, o conteúdo de umidade aumenta.

 

Esse efeito colateral pode ser resolvido pelo reaquecimento do vapor.

Alternativas:

Superaquecer

o

vapor

antes

dele

entrar

na

turbina

(há

limitações

metalúrgicas);

Expandir o vapor da turbina em dois estágios e reaquecê-lo entre eles.

 
 

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

  BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine comcom ReaquecimentoReaquecimento

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
CicloCiclo RankineRankine comcom ReaquecimentoReaquecimento 11 WW T2T2 WW T1T1 22 QQ HH =m=m cc PCIPCI
CicloCiclo RankineRankine comcom ReaquecimentoReaquecimento
11
WW T2T2
WW T1T1
22
QQ HH =m=m cc PCIPCI
QQ LL
44
33
WW BB
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine RegenerativoRegenerativo

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

CicloCiclo RankineRankine RegenerativoRegenerativo

Aumentar a temperatura do líquido que sai da bomba (água de alimentação), antes que ele entre na caldeira.

Um processo prático de regeneração é realizado pela extração de vapor da turbina em diversos pontos.

A regeneração não apenas melhora a eficiência do ciclo, mas também oferece um meio conveniente de desaerar a água de alimentação, evitando a corrosão da caldeira.

a água de alimentação, evitando a corrosão da caldeira. BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine RegenerativoRegenerativo

QQ H H =m=m c c PCIPCI 11 WW TT 22 QQ LL TrocadorTrocador dede

QQ HH =m=m cc PCIPCI

11
11

11

11
11
11
WW TT 22 QQ LL
WW TT
22
QQ LL
QQ H H =m=m c c PCIPCI 11 WW TT 22 QQ LL TrocadorTrocador dede CalorCalor
QQ H H =m=m c c PCIPCI 11 WW TT 22 QQ LL TrocadorTrocador dede CalorCalor

TrocadorTrocador dede CalorCalor

33 WW BB
33
WW BB

44

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

33 WW BB 44 BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

CicloCiclo RankineRankine RealReal

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

RealReal BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

CicloCiclo RankineRankine RealReal TT PerdaPerda dede pressãopressão nono ger.ger. dede vaporvapor 11
CicloCiclo RankineRankine RealReal
TT
PerdaPerda dede pressãopressão nono ger.ger. dede vaporvapor
11
IrreversibilidadeIrreversibilidade
geradagerada nana bombabomba
44
33
22
ss
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto
ExercíciosExercícios
BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

14/11/2012

ExercíciosExercícios

1) Considere uma usina de potência a vapor de água operando segundo um ciclo de Rankine ideal. O vapor entra na turbina a 5 MPa e 350ºC e é condensado no condensador à pressão de 75 kPa. Determine a eficiência térmica desse ciclo. (0,2867)

2) Considere uma usina a vapor de água operando segundo o ciclo de Rankine ideal. Vapor entra na turbina a 5 MPa e 450ºC e o condensador opera a 10 kPa. Determine (a) a eficiência térmica dessa usina; b) a eficiência térmica se o vapor for superaquecido a 600 ºC em vez de 450ºC, e c) a eficiência térmica se a pressão da caldeira for elevada até 15 MPa enquanto a temperatura na entrada da turbina é mantida a 600ºC. a) 0,3692; b) 0,3924; c) 0,4303

3) Utilizando os dados do exemplo 1, qual seria a eficiência térmica desse ciclo se as eficiências isentrópicas da bomba e da turbina fossem 60% e 85%, respectivamente. (0,2545)

BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto

(0,2545) BC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_AnaBC1309_Ana MariaMariaMariaMaria PereiraPereiraPereiraPereira NetoNetoNetoNeto 24