Você está na página 1de 70

DANIEL MARTINS PEREIRA PAULO DE TARSO CAMILLO DE CARVALHO BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA FILIPE ABDALLA DOS REIS NAILA CAMPOS SOARES ÉRICA MARTINHO SALVADOR LARAIA

MANUAL PARA ELABORAÇÃO DE MONOGRAFIAS E TRABALHOS DE CONCLUSÃO DE CURSO

CAMPO GRANDE, MS

2008

© 2008 Editora Uniderp

Proibida a reprodução total ou parcial por qualquer meio de impressão, em forma idêntica, resumida ou modificada, em língua portuguesa ou qualquer outro idioma. Depósito Legal na Biblioteca Nacional Impresso no Brasil 2006.

Legal na Biblioteca Nacional Impresso no Brasil 2006. Reitora Profa. Ana Maria Costa de Sousa Vice-Reitor

Reitora Profa. Ana Maria Costa de Sousa Vice-Reitor Prof. Guilherme Marback Neto Pró-Reitor Administrativo Prof. Marcos Lima Verde Guimarães Júnior Pró-Reitor de Extensão Prof. Ivo Arcângelo Vendrúsculo Busato Pró-Reitora de Graduação Profa. Heloísa Helena Gianotti Pereira Pró-Reitor de Pesquisa e Pós-Graduação Prof. Raimundo Martins Filho

Conselho Editorial Ademir Kleber Morbeck de Oliveira - UNIDERP Edson Machado de Souza - IESB José da Cruz Machado - UFLA Juan Luiz Mascaró - UFRGS Marcos Rezende Morandi - UNIDERP Maria Alice Höfling - UNICAMP Maysa de Oliveira Brum Bueno - UNIDERP Roberto Claudio Frota Bezerra - CNE Roberto Macedo - USP Silvio Favero - UNIDERP Wilson Ayach - UNIDERP

Diretora-geral Maysa de Oliveira Brum Bueno Assessor Técnico Aloizo Rodrigues dos Santos Revisão Edmara Moraes Veloso Lúcia Helena Paula do Canto Rúbia de Oliveira Vasques Produção de Arte Adalberto Sousa Alex Joboji Daniel Neves Kátia Barbosa Ricardo Rojas Auxiliares Administrativos Aline da Silva Nogueira Eliane da Silva Lima

Bibliotecária - Consultora ad hoc Regina Cláudia da Silva Fiorin

Capa, projeto gráfico e diagramação Kátia Barbo

Dados Internacionais de Catalogação na Publicação (CIP)

Ficha catalográfica elaborada pela Biblioteca Central da UNIDERP

P49m

Pereira, Daniel Martins et al.

Manual para elaboração de monografias e trabalhos de conclusão de curso. / Daniel Martins Pereira et al. -- Campo Grande, MS: Ed. UNIDERP, 2008.

56p.: color.

76 p.: color.

Inclui Bibliografia

ISBN: 978-85-7704-139-8

1. Metodologia científica 2. Normalização bibliográfica I. Carvalho, Paulo de Tarso Camillo de II. Silva, Baldomero Antonio Kato da III. Reis, Filipe Abdalla dos IV. Laraia, Èrica Martinho Salvador V. Soares, Naila Campos VI. Título.

CDD 21.ed. 001.42

AUTORES

DANIEL MARTINS PEREIRA Mestre em Saúde e Desenvolvimento na Região Centro-Oeste pela Universidade Federal de Mato Grosso do Sul. Professor da disciplina de Introdução à Pesquisa Científica da Universidade Anhanguera – Uniderp.

PAULO DE TARSO CAMILLO DE CARVALHO Doutor em Ortopedia e Traumatologia Reabilitação pela Universidade de São Paulo. Professor da Universidade Anhanguera – Uniderp.

BALDOMERO ANTONIO KATO DA SILVA Mestre em Ciências da Saúde pelo Programa Multi–Institucional de Pós-Graduação em Ciências da Saúde, Convênio Rede Centro–Oeste UnB/UFG/UFMS. Professor da disciplina de Trabalho Final de Graduação da Universidade Anhanguera – Uniderp.

FILIPE ABDALLA DOS REIS Mestre em Bioengenharia pela Universidade do Vale do Paraíba. Professor da disciplina de Metodologia da Pesquisa Científica no Curso de Pós-Graduação em Fisioterapia Hospitalar da Universidade Anhanguera - Uniderp.

NAILA CAMPOS SOARES Mestre em Pediatria pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, Botucatu, SP. Professora da Universidade Anhanguera – Uniderp.

ÉRICA MARTINHO SALVADOR LARAIA Especialista em Fisioterapia Ortopédica e Traumatológica pelo Centro Universitário Católico Salesiano Auxilium, Lins, SP. Professora da Universidade Anhanguera – Uniderp.

REVISORES

REGINA CLÁUDIA DA SILVA FIORIN Bibliotecária Responsável da Universidade Anhanguera – Uniderp.

ELIETE MARTINS CARDOSO DE CARVALHO Núcleo de Projetos Especiais da Universidade Anhanguera – Uniderp.

LUCIANA APARECIDA NUNES Núcleo de Projetos Especiais da Universidade Anhanguera – Uniderp.

AGRADECIMENTO

À Professora Dra. Ana Maria Costa Souza pelo incentivo à elaboração desta obra. Sua confiança na relevância deste projeto foi, indubitavelmente, o impulso que nos permitiu sua conclusão.

PREFÁCIO

A construção de um trabalho científico tem sido alvo constante de indagações de

“como fazer?”, “qual a formatação mais adequada?”, “existem regras padronizadas para

elaboração monográfica?”.

Dentro deste contexto, muito se tem falado sobre a necessidade de uma obra que

possa, com praticidade e clareza, nortear a formatação de trabalhos científicos acadêmicos

dentro de um conceito de pesquisa cujo elemento central deve ser sempre o

questionamento sistemático e crítico, levando a uma intervenção coerente, ética e racional.

Se encarada desta forma, a pesquisa científica certamente contribuirá ao enriquecimento

do processo educacional.

Este manual é dedicado especialmente ao contexto acadêmico e norteia a

estruturação do trabalho científico, apresentando de forma clara e em coerente seqüência

os conceitos normalmente empregados na formatação final dos mesmos.

Pretende-se, através da padronização e execução de normas, auxiliar o indivíduo

na construção de seu relatório de pesquisa, apresentando para tal objetivo informações

suficientes, padronizadas e organizadas de forma harmoniosa e concisa.

Esta obra foi elaborada com objetivo de proporcionar praticidade no manuseio

dos trabalhos acadêmicos, tornando mais simples a inclusão do acadêmico no mundo da

investigação científica e na produção de documentos suficientemente úteis no contexto

social em que se insere a universidade.

Dr. Paulo de Tarso Camillo de Carvalho Universidade Anhanguera - Uniderp, Campo Grande, MS

SUMÁRIO

1

INTRODUÇÃO

15

2

ESTRUTURA

16

2.

1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

16

2.

1. 1 Capa

16

2.

1. 2 Folho de Rosto

17

2.

1. 3 Verso da Folha de Rosto

17

2.

1. 4 Errata

18

2.

1. 5 Folha de Aprovação

18

2.

1. 6 Dedicatória(s)

19

2.

1. 7 Agradecimento(s)

19

2.

1. 8 Epígrafe

19

2.

1. 9 Resumo na língua vernácula

19

2.

1. 10 Resumo na língua estrangeira

20

2.

1. 11 Listas de ilustrações, tabelas, quadros, abreviaturas e siglas

20

2.

1. 12 Sumário

20

2.

2 ELEMENTOS TEXTUAIS

21

2.

2. 1 Introdução

21

2.

2. 2 Desenvolvimento

21

2.

2. 3 Conclusão

22

2.

3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

22

2.

3. 1 Referências

22

2.

3. 2 Apêndice(s)

22

2.

3. 3 Anexo(s)

23

2.

3. 4 Índice(s)

23

2.

3. 5 Glossário

24

3

INSTRUÇÕES DE APRESENTAÇÃO TEXTUAL

25

3.

1 REDAÇÃO E ESPACEJAMENTO

25

3.

2 MARGENS

25

3.

3 NUMERAÇÃO DE SEÇÕES

26

3.

4 PAGINAÇÃO

26

3.

5 ILUSTRAÇÕES

27

3.

6 EQUAÇÕES E FÓRMULAS

28

3.

7 TABELAS

29

4

CITAÇÕES

31

4.

1 CITAÇÃO DIRETA

32

4.

2 CITAÇÃO INDIRETA

33

4.3 CITAÇÃO DE CITAÇÃO

34

4.

4 CITAÇÃO DE FONTES INFORMAIS

35

4.

4. 1 Informação verbal

35

4.

4. 3 Em fase de impressão

36

4.

4. 4 Para enfatizar trechos da citação

36

4.

5 NOTAS

37

4.

6 SISTEMAS DE CHAMADA

37

4.

6. 1 Sistema autor-data

38

4.

6. 1. 1 Citação com um autor

38

4.

6. 1. 2 Com dois ou três autores, menciona-se o sobrenome de todos na ordem em que

38

4. 6. 1. 3 Com mais de três autores, deve ser citado somente o sobrenome do primeiro

39

4. 6. 1. 4 Com coincidência de sobrenomes de autores, acrescentam-se as iniciais de seus

39

4. 6. 1. 5 Com diversos documentos do mesmo autor e ano, são distinguidas pela adição de

40

letras minúsculas do alfabeto

prenomes: se mesmo assim existir coincidência, colocam-se os prenomes por extenso

autor, seguido da expressão et

aprecem na publicação

4. 6. 1. 6 As citações indiretas de diversos documentos da mesma autoria, publicados em

anos diferentes e mencionados simultaneamente, tem as suas datas separadas por vírgula40

4. 6. 1. 7 As citações indiretas de diversos documentos de vários autores, mencionados

simultaneamente, devem ser separadas por ponto-e-vírgula, em ordem alfabética

4. 6. 1. 8 Citação com publicações anônimas, deve ser mencionada pela primeira palavra do

40

título, seguida de reticências e do ano de publicação

41

4.

6. 1. 9 Citação de entidades coletivas

41

4.

6. 1. 10 Citação de eventos, como: congressos, conferências, seminários, etc., menciona-

se o nome completo do evento

41

4.

6. 2 Sistema numérico de citação

42

5 REFERÊNCIAS

43

5.

1 LIVRO

43

5.

1. 1 Livro considerado no todo

43

5.

1. 1. 1 Quando a obra tiver apenas um autor

43

5.

1. 1. 2 Quando a obra tiver até três autores, mencionar todos os nomes na ordem de

aparecimento na publicação, separados por ponto e vírgula

44

5.

1. 1. 3 Quando a obra tiver mais de 3 autores

44

5.

1. 1. 4 Nomes de autores com sufixos (Júnior, Neto, Filho, etc.)

45

5.

1. 1. 5 Mesmo(s) autor(es) com mais de uma obra referenciada

45

5.

1. 1. 6 Obra constituída de vários trabalhos ou contribuintes

46

5.

1. 1. 7 Obra de autoria desconhecida

46

5.

1. 1. 8 Teses, dissertações e trabalhos acadêmicos

46

5.

1. 1. 9 Entidades coletivas, governamentais, públicas, empresas, congressos, seminários,

simpósios e outros

 

47

5.

1. 2 Livro considerado em parte

 

47

5.

1. 2. 1 Capítulo de livro de autoria diferente da obra

 

47

5.

2

REFERÊNCIAS

DE

PUBLICAÇÕES

SERIADAS

(REVISTA,

JORNAL

OU

OUTRA

PUBLICAÇÃO COM PERIODICIDADE

 

48

5.

2. 1 Publicação seriada considerada em parte

 

48

5.

2. 2 Artigo e/ou matéria de periódico

 

48

5.

2. 4 Artigo de jornal

49

5.

2. 5 Artigo de jornal em formato eletrônico

49

5.

3 REFERÊNCIA DE EVENTO

50

5.

3. 1 Evento considerado no todo

50

5.

3. 2 Trabalho apresentado no evento

50

5.

3. 3 Trabalho apresentado no evento em formato eletrônico

51

5.

4 PATENTE

51

5.

5 DOCUMENTO JURÍDICO

51

5.

5. 1 Decreto ou lei

52

5.

5. 2 Constituição federal

52

5.

5. 3 Emenda constitucional

52

5.

5. 4 Medida provisória

53

5.

5. 5 Portarias, deliberações e resoluções

53

5.

5. 6 Jurisprudência

54

5.

5. 7 Documento jurídico em meio eletrônico

54

5.

6 IMAGEM EM MOVIMENTO

54

5.

7 DOCUMENTO ICONOGRÁFICO

55

5.

8 DOCUMENTO CARTOGRÁFICO

55

5.

9 DOCUMENTO SONORO

56

5.

10 DOCUMENTO TRIDIMENSIONAL

56

REFERÊNCIAS

58

 

ANEXOS

61

1 INTRODUÇÃO

A crescente produção acadêmica da Universidade Anhanguera – Uniderp demanda a contínua busca por elementos que padronizem a apresentação gráfica dos trabalhos elaborados pelos acadêmicos. A preocupação com o aspecto visual, como: capa, papel, margens, diagramação, etc., dos trabalhos produzidos no ambiente universitário, deixou de ser somente prerrogativa estética. Para isso, há necessidade da adoção de padrões que possibilitem e garantam a apresentação dos trabalhos científicos, bem como o desenvolvimento lógico do seu conteúdo, além do reconhecimento, possibilitando a ideal comunicação, compreensão e utilização dessas produções pela comunidade interna e externa. O presente manual visa oferecer o suporte básico de normas, para que o acadêmico possa de forma competente executar as tarefas exigidas para a elaboração dos trabalhos acadêmicos, como o Trabalho de Conclusão de Curso. Vale ressaltar que a velocidade de acesso às informações e inovações tecnológicas demanda o acesso hábil às informações normativas, devendo possibilitar a capacitação, para o correto gerenciamento do número de informações a que estamos expostos. Como instrumento de auxílio para elaboração dos trabalhos acadêmicos, este manual não abordou exaustivamente todas as normas, porém possibilita, pela menção destas no corpo do trabalho, que sejam consultadas no ambiente da biblioteca ou pelo acesso via internet. Com esta abordagem básica e objetiva, esperamos contribuir com as necessidades da Comunidade Acadêmica, no que tange à elaboração dos trabalhos acadêmicos, em especial dos Trabalhos de Conclusão de Curso.

2 ESTRUTURA

Segundo a ABNT (NBR – 14724): o trabalho de conclusão de curso – TCC se caracteriza por ser um documento que representa o resultado de estudo, devendo expressar conhecimento do assunto escolhido, que deve ser obrigatoriamente emanado da disciplina, módulo, estudo independente, curso, programa e outros ministrados. Deve ser feito sob a coordenação de um orientador. A estrutura de um trabalho acadêmico compreende: elementos pré-textuais, elementos textuais e elementos pós-textuais (ANEXO A).

2. 1 ELEMENTOS PRÉ-TEXTUAIS

2. 1. 1 Capa

Elemento obrigatório, que fornece a proteção física do trabalho, além de ser o primeiro fator de identificação do mesmo (ANEXO B). As informações são transcritas na seguinte ordem:

a) nome da instituição, curso e departamento (opcional), (alinhado à margem superior da página);

b) nome do autor;

c) título;

d) subtítulo, se houver;

e) número de volumes (quando mais de um, constar em cada capa a especificação do respectivo volume);

f) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado;

g) ano da entrega.

2. 1. 2. Folha de rosto

Elemento obrigatório, que contém os elementos essenciais e indispensáveis para a identificação do trabalho (ANEXO C). Os elementos devem figurar na seguinte ordem:

a) nome do autor: responsável intelectual do trabalho;

b) título;

c) subtítulo: se houver, deve ser evidenciada a sua subordinação ao título principal, precedido de dois-pontos;

d) número de volumes (se houver mais de um, deve constar em cada folha de rosto a especificação do respectivo volume);

e) natureza (trabalho de conclusão de curso e outros) e objetivo (aprovação em disciplina, grau pretendido e outros); nome da instituição a que é submetido;

f) nome do orientador e, se houver, do co-orientador;

g) local (cidade) da instituição onde deve ser apresentado;

h) ano de depósito (da entrega).

2. 1. 3 Verso da folha de rosto

No verso da folha de rosto deve constar:

Ficha catalográfica: conjunto de elementos de descrição técnica do documento de acordo com o Código de Catalogação Anglo-Americano, a ser elaborada pelo autor juntamente com o Serviço de Biblioteca, que, utilizando-se de

tabelas específicas da área, fornecerá o número de chamada e descritores

relacionados ao seu assunto.

2. 1. 4 Errata

Elemento opcional que deve ser inserido logo após a folha de rosto (ANEXO

D), constituído pela referência do trabalho e pelo texto da errata e disposto da

seguinte maneira:

Exemplo:

Folha

32

Linha

3

2. 1. 5 Folha de aprovação

ERRATA

Onde se lê publiacao

Leia-se

publicação

Elemento obrigatório, constituído pelos seguintes itens (ANEXO E):

a) nome do autor do trabalho;

b) título do trabalho e subtítulo (se houver);

c) natureza;

d) nome da instituição a que é submetido;

e) data e aprovação;

f) nome, titulação e assinatura dos componentes da banca examinadora e

instituições a que pertencem.

2.

1. 6 Dedicatória(s)

Elemento opcional, colocado após a folha de aprovação. Geralmente é composto de um texto curto, em que o autor dedica seu trabalho a alguém (ANEXO F).

2. 1. 7 Agradecimento(s)

Menciona o reconhecimento da participação de pessoas e instituições na confecção do trabalho (ANEXO G).

2. 1. 8 Epígrafe

Elemento opcional, colocado após os agradecimentos, onde o autor apresenta uma citação de um trecho em prosa que de certa forma embasou a construção do trabalho, seguida da indicação da autoria (ANEXO H).

2. 1. 9 Resumo na língua vernácula

Item obrigatório, constituído de uma seqüência de frases concisas e objetivas e não de uma simples enumeração de tópicos, redigidos em parágrafo único, não ultrapassando 500 palavras, precedido da referência do documento e seguido, logo abaixo, das palavras-chave e/ou descritores, mencionados conforme a NBR 6028. Sugere-se ressaltar os objetivos, métodos empregados, resultados e conclusões (ANEXO I).

2.

1. 10 Resumo na língua estrangeira

Elemento obrigatório, com as mesmas características do resumo em língua vernácula, digitado em folha separada (em inglês Abstract, em espanhol Resumem, em francês Résumé, por exemplo). Deve ser seguido das palavras representativas do conteúdo do trabalho, isto é, palavras-chave e/ou descritores, na língua (ANEXO J).

2. 1. 11 Listas de ilustrações, tabelas, quadros, abreviaturas e siglas

Elemento opcional, elaborado de acordo com a ordem apresentada no texto, com cada item designado por seu nome específico, acompanhado do respectivo número da página. Relação de tabelas, gráficos, fórmulas, lâminas, figuras (desenhos, gravuras, mapas, fotografias). É recomendado que sejam feitas listas separadas para cada tipo em particular (ANEXOS L, M, N).

2. 1. 12 Sumário

Elemento obrigatório, que indica e enumera as principais divisões, seções e outras partes do trabalho, na mesma ordem e grafia em que estas aparecem no texto, acompanhadas do respectivo número da página. Havendo mais de um volume, em cada um deve constar o sumário completo do trabalho, conforme a NBR 6027.

É importante diferenciar-se sumário de índice, que é uma lista organizada em ordem alfabética de matérias, nomes de pessoas, de fatos, acontecimentos, que aparece no final de publicações, com indicações de sua localização no texto (ANEXO O).

2. 2 ELEMENTOS TEXTUAIS

Elemento do trabalho constituído de três partes fundamentais: introdução, desenvolvimento e conclusão.

2. 2. 1 Introdução

Parte inicial do texto, onde devem constar a delimitação do assunto tratado, objetivos da pesquisa e outros elementos necessários para situar o tema do trabalho.

2. 2. 2 Desenvolvimento

Parte principal do texto, que contém a exposição ordenada e pormenorizada do assunto. Divide-se em seções e subseções que variam em função da necessidade para se descrever e melhor esclarecer as informações e procedimentos que compõem o trabalho. É preciso ressaltar o cuidado de não perder a unidade lógica de abordagem determinada pela estrutura e proposta do trabalho.

2.

2. 3 Conclusão

Parte final do texto, na qual se apresentam conclusões correspondentes aos objetivos ou hipótese.

2. 3 ELEMENTOS PÓS-TEXTUAIS

2. 3. 1 Referências

Elemento obrigatório, que padroniza os elementos descritivos, retirados de um documento, que permite sua identificação individual. A referência é constituída de elementos essenciais e, quando necessário, acrescida de elementos complementares. As referências devem ser organizadas em ordem alfabética, caso as citações no texto obedeçam ao sistema autor-data, ou conforme aparecem no texto, quando utilizado o sistema numérico de chamada.

2. 3. 2 Apêndice(s)

Elemento opcional, que consiste em um texto ou documento elaborado pelo autor, a fim de complementar sua argumentação. São identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos títulos.

Exemplo:

APÊNDICE A – Avaliação da neo-formação óssea após sete dias de irradiação com laser.

APÊNDICE B – Avaliação da neo-formação óssea após 14 dias de irradiação com laser.

2. 3. 3 Anexo(s)

Elemento opcional, composto por um texto ou documento não elaborado

pelo autor, que serve de fundamentação, comprovação e ilustração. São

identificados por letras maiúsculas consecutivas, travessão e pelos respectivos

títulos.

Exemplo:

ANEXO A – Questionário genérico de avaliação de qualidade de vida “medical outcomes study 36-item short-form health survey (SF-36)”.

ANEXO B – Questionário “International Consultation on Incontinence Questionnaire – Short Form (ICIQ – SF)”.

2. 3. 4 Índice(s)

Elemento opcional, que consiste em lista de palavras ou frases ordenadas

alfabeticamente (autor, título ou assunto) ou sistematicamente (ordenação por

classes, numérica ou cronológica), que localiza e remete para as informações

contidas no texto.

2. 3. 5 Glossário

Elemento opcional, composto por lista alfabética das palavras ou expressões técnicas de uso restrito, ou pouco conhecidas, utilizadas no texto, acompanhadas das respectivas definições.

3 INSTRUÇÕES DE APRESENTAÇÃO TEXTUAL

3. 1 REDAÇÃO E ESPACEJAMENTO

A digitação do trabalho deve ser feita em programa editor de textos, com a utilização de um só lado do papel, texto justificado, letra tamanho 12 e fonte arial em todo o trabalho com exceção das notas de rodapé, que devem ser apresentadas no tamanho de letra número 10, sejam impressos em papel branco tamanho padrão A4 (210x297 mm), em espaço entre linhas de 1,5 cm, com exceção das referências, resumo, citação textual longa (mais de três linhas), notas de rodapé, natureza do trabalho, que devem ser escritas com espaço simples. Títulos e capítulos são escritos em caixa-alta. Títulos de subseções levam maiúsculas apenas nas letras iniciais das principais palavras. O título da subseção deve ser separado do texto que os precede, assim como do texto que os sucede por dois espaços simples.

3. 2 MARGENS

Recomenda-se:

Esquerda: 3,0 cm

Direita: 2,0 cm

Superior: 3,0 cm

Inferior: 2,0 cm

3.

3 NUMERAÇÃO DE SEÇÕES

Para evidenciar a sistematização do conteúdo do trabalho, deve-se adotar a numeração progressiva para as seções do texto de acordo com a NBR 6024. As seções e subseções de um trabalho acadêmico devem ser numeradas utilizando-se algarismos arábicos, em uma seqüência lógica. Os títulos das seções primárias, por serem as principais divisões, devem se iniciar em folha distinta. O indicativo de uma seção é o número ou grupo numérico anteposto a cada seção e que permite sua localização imediata.

Exemplo:

1 INTRODUÇÃO

1.1 INTRODUÇÃO À FISIOTERAPIA

1.1.1 Fisioterapia nas disfunções musculoesqueléticas 1.1.1.1 Síndromes miotendíneas

2 OBJETIVOS

2.1 OBJETIVO GERAL

2.2 OBJETIVOS ESPECÍFICOS

3. 4 PAGINAÇÃO

São contadas, mas não numeradas, todas as páginas pré-textuais a partir da folha de rosto. A capa é o único elemento da estrutura do documento que não é contado e nem numerado.

A numeração deve aparecer a partir da primeira folha da parte textual (INTRODUÇÃO), em algarismo arábico, no canto superior direito da folha, a 2 cm da borda superior. No caso do trabalho ser constituído de mais de um volume, deve ser mantida uma única seqüência de numeração das folhas, do primeiro ao último volume. Havendo apêndice e anexo, as suas folhas devem ser numeradas de maneira contínua e sua paginação deve dar seguimento à do texto principal.

3. 5 ILUSTRAÇÕES

As ilustrações compreendem desenhos, esquemas, fluxogramas, fotografias, gráficos, mapas, organogramas, plantas, quadros, retratos e outros. Sua identificação aparece na parte inferior, precedida da palavra designada, seguida de seu número de ordem de ocorrência no texto, em algarismos arábicos, do respectivo título e legenda explicativa de forma breve e clara, dispensando consulta ao texto, e da fonte. A ilustração deve ser inserida o mais próximo possível do trecho a que se refere, conforme o projeto gráfico.

Kgf

Exemplo:

11

10

9

8

7

6

5

4

3

2

1

0

Grupo 1

Grupo 2

Gráfico 1. Força de preensão palmar. Valores médios em Kgf (quilograma força).

(n=35)

3. 6 EQUAÇÕES E FÓRMULA(S)

Aparecem destacadas no texto, de modo a facilitar sua leitura. Na seqüência

normal do texto, é permitido o uso de uma entrelinha maior que comporte seus

elementos (expoentes, índices e outros). Quando destacadas do parágrafo são

centralizadas e, se necessário, deve-se numerá-las. Quando fragmentadas em mais

de uma linha, por falta de espaço, devem ser interrompidas antes de igualdade ou

depois dos sinais de adição, subtração, multiplicação e divisão.

Exemplo:

x2 + y2 = z2 (1)

(x2 + y2)/5 = n (2)

3. 7 TABELAS

Tabela é o conjunto de dados estatísticos, dispostos em determinada ordem

de classificação, cuja finalidade básica é resumir ou sintetizar dados.

Toda tabela deve ter significado próprio, dispensando consultas ao texto e

estar o mais próximo possível do trecho a que se refere.

O título deve ser precedido pela palavra Tabela (apenas com a inicial T

maiúscula), seu número de ordem em algarismos arábicos e um hífen.

As tabelas podem ser numeradas consecutivamente por capítulo ou no

documento como um todo. Quando a numeração for feita por capítulo, o número

do capítulo deve ser precedido do número de ordem da tabela e um ponto.

Nunca são fechadas por linhas laterais verticais. Quando ocupar mais de

uma página, não deve ser delimitada na parte inferior, repetindo-se o cabeçalho na

página seguinte; neste caso os cabeçalhos devem conter a palavra continua ou

continuação.

Exemplos:

Tabela 1 – Análise histológica das colorações HE e AgNOR em relação à espessura dos septos alveolares, congestão de vasos e capilares e pontos NORs por célula. Valores expressos em média±dp. (n=12)

Variáveis

Grupo

Grupo

Valor de

CONTROLE

HIPERÓXIA

“p”

Espessura dos septos alveolares (µm)

0,38±0,1

0,62±0,2

*<0,0001

Congestão (+)

1,75±0,5

2,17±0,8

0,1998

Pontos NOR por célula (dots)

1,00±0,4

1,80±0,4

*0,0064

Nota: (*) p<0,05.

Ou

Tabela 1 do capítulo 5:

Tabela 1. 5 – Características da população estudada. (n=35)

Variáveis

Valores

Sexo (freqüência) Masculino

10 (28,6%)

Feminino

25 (71,4%)

Idade (anos)

71,4±5,4

4 CITAÇÕES

É a menção, no texto, de uma informação compreendida de outra fonte, formatada de acordo com a NBR 10520. Como regra geral de apresentação, deve-se especificar no texto a(s) página(s), volume(s), tomo(s) ou seção(ões) da fonte consultada, nas citações diretas. Este(s) deve(m) seguir a data, separado(s) por vírgula e precedido(s) pelo termo, que o(s) caracteriza, de forma abreviada. Nas citações indiretas, a indicação da(s) página(s) consultada(s) é opcional. Quanto a sua localização, as citações podem aparecer no texto ou em notas de rodapé. As chamadas pelo sobrenome do autor, pela instituição, responsável ou título incluído na sentença devem ser em letras maiúsculas e minúsculas e, quando estiverem entre parênteses, devem ser letras maiúsculas (CAIXA ALTA).

Exemplos:

“O objetivo da avaliação é definir os problemas do paciente corretamente” (MIDDLETON, 2002, p. 3).

Churchill Júnior e Peter (2003, p. 27) descrevem que “no setor dinâmico das telecomunicações, por exemplo, a análise ambiental é essencial para a sobrevivência”.

4. 1 CITAÇÃO DIRETA

É a transcrição (reprodução na íntegra) de parte da obra consultada, conservando-se a grafia, pontuação, idioma, etc. As citações diretas, no texto, de até três linhas, devem estar contidas entre aspas duplas, incorporadas ao parágrafo. As aspas simples são utilizadas para indicar citação no interior da citação.

Exemplo:

Para Collins e Hansell (2002, p. 19) as radiografias de tórax “são indicadas em quaisquer condições em que haja suspeitas de uma anormalidade pulmonar”.

Ou

A citação com menos de 4 linhas é colocada entre “aspas duplas”

com menos de 4 linhas é colocada entre “aspas duplas” “As radiografias de tórax são indicadas
com menos de 4 linhas é colocada entre “aspas duplas” “As radiografias de tórax são indicadas
com menos de 4 linhas é colocada entre “aspas duplas” “As radiografias de tórax são indicadas

“As radiografias de tórax são indicadas em quaisquer condições em que haja suspeitas de uma anormalidade pulmonar” (COLLINS; HANSELL, 2002, p. 19).

anormalidade pulmonar” (COLLINS; HANSELL, 2002, p. 19). Autor em CAIXA ALTA, data, página As citações diretas,

Autor em CAIXA ALTA, data, página

As citações diretas, no texto, com mais de três linhas, devem ser destacadas com recuo de 4 cm da margem esquerda, com letra menor que a do texto utilizado e sem as aspas. No caso de documentos datilografados, deve-se observar apenas o recuo.

Exemplo:

A teleconferência permite ao indivíduo participar de um encontro nacional ou regional sem a necessidade
A
teleconferência permite ao indivíduo participar de um
encontro nacional ou regional sem a necessidade de deixar seu
local de origem. Tipos comuns de teleconferência incluem o uso
da televisão, telefone, e computador. Através de áudio-
conferência, utilizando a companhia local de telefone, um sinal
de
áudio pode ser emitido em um salão de qualquer dimensão
(NICHOLS, 1993, p. 181).
Espaçamento: simples
Tamanho da fonte: 10
Recuo: 4,0 cm

Autor em CAIXA ALTA, data, página

Ao omitir palavras ou partes de um texto, estas devem ser substituídas por

reticências entre colchetes [

Exemplo:

].

“A hipertensão arterial [

],

desenvolve lesão em vasos e órgãos-alvos”

(SOCIEDADE BRASILEIRA DE HIPERTENSÃO, 2006, p. 2).

4. 2 CITAÇÃO INDIRETA

É o texto criado com base na obra de autor consultado, em que se reproduz o conteúdo e idéias do documento original; dispensa o uso de aspas duplas.

Exemplo:

O estresse oxidativo é causado por um desequilíbrio entre o sistema antioxidante e as espécies
O
estresse
oxidativo
é
causado
por
um
desequilíbrio
entre
o
sistema
antioxidante e as espécies reativas de oxigênio (FERREIRA; MATSUBARA, 1997).

4. 3 CITAÇÃO DE CITAÇÃO

Citação direta ou indireta de um texto em que não se teve acesso ao original.

Indicar, no texto, o sobrenome do(s) autor(es) do documento não

consultado, seguido da data, da expressão latina apud (citado por) e do sobrenome

do(s) autor(es) do documento consultado e data.

Exemplo:

De acordo com 1 Oliveira Filho e Tebexreni (2004 apud SCHOR, 2004), o uso

do teste ergométrico também está indicado para indivíduos com intenção de

iniciar a prática de exercícios vigorosos.

Ou

O uso do teste ergométrico também está indicado para indivíduos com

intenção de iniciar a prática de exercícios vigorosos (OLIVEIRA FILHO;

TEBEXRENI, 2004 apud SCHOR, 2004).

Incluir a citação da obra consultada nas Referências.

SHOR, N. (Editor). Cardiologia: guias de medicina ambulatorial e hospitalar. São Paulo: Manole, 2004. 734 p.

Mencionar em nota de rodapé a referência do trabalho não consultado.

1 OLIVEIRA FILHO; TEBEXRENI, A. S. Teste ergométrico. In: SCHOR, N. (Editor) Cardiologia: guias de medicina ambulatorial e hospitalar. São Paulo: Manole, 2004. Cap. 4, p. 59-71.

34 | Página

4. 4 CITAÇÃO DE FONTES INFORMAIS

4. 4. 1 Informação verbal

Quando se tratar de dados obtidos por informação verbal (palestras,

debates, comunicações, etc.), indicar, entre parênteses, a expressão informação

verbal, mencionando-se os dados disponíveis, em nota de rodapé.

Exemplo: No texto

O novo

(informação verbal) 1 .

medicamento

estará

disponível

até

o

final

deste

semestre

No rodapé da página.

1 Notícia fornecida por John A. Smith no Congresso Internacional de Engenharia Genética, em Londres, em outubro de 2001.

4. 4. 2 Trabalho em fase de elaboração

Na citação de trabalho em fase de elaboração, deve ser mencionado o fato,

indicando-se os dados disponíveis, em nota de rodapé.

Exemplo: No texto

Os poetas selecionados contribuíram para a consolidação da poesia do Rio

Grande do Sul, séculos XIX e XX (em fase de elaboração) 1 .

No rodapé da página.

1

Poetas

rio-grandenses,

EDIPUCRS, 2002.

de

autoria

de

Elvo

4. 4. 3 Em fase de impressão

Clemente,

a

ser

editado

pela

Trabalhos em fase de impressão devem ser mencionados na lista final de

Referências.

Exemplo:

PAULA, F. C. E. et al. Incinerador de resíduos líquidos e pastosos. Revista de Engenharia e Ciências Aplicadas, São Paulo, v. 5, 2001. No prelo.

4. 4. 4 Para enfatizar trechos da citação

Para enfatizar trechos da citação, deve-se destacá-los indicando esta

alteração com a expressão grifo nosso entre parênteses, após a chamada da

citação, ou grifo do autor caso o destaque já faça parte da obra consultada.

Exemplo:

"[

morais, misérias, verdadeiras ameaças à sociedade" (SOUTO, 1916, p. 46, grifo

para que não tenha lugar à produção de degenerados, quer physicos quer

]

nosso).

4.

5 NOTAS

São observações ou esclarecimentos, cujas inclusões no texto são feitas pelo autor do trabalho. Inclui dados obtidos por fontes informais, tais como:

informação verbal, pessoal, trabalhos em fase de elaboração ou não consultados diretamente. São classificadas em:

notas de referência: notas que indicam fontes consultadas ou remetem a outras partes da obra onde o assunto foi abordado;

notas de rodapé: indicações, observações ou aditamentos ao texto feitos pelo autor, tradutor ou editor, podendo também aparecer na margem esquerda ou direita da mancha gráfica;

notas explicativas: notas usadas para comentários, esclarecimentos ou explanações, que não possam ser incluídos no texto. Devem ser digitadas em fontes menores, dentro das margens, ficando separadas do texto por um espaço simples de entrelinhas e por filete de aproximadamente 3 cm, a partir da margem esquerda.

Exemplo:

1 Veja-se como exemplo desse tipo de abordagem o estudo de Netzer (1976).

4. 6 SISTEMAS DE CHAMADA

As citações devem ser indicadas no texto por um dos sistemas de chamada:

autor-data;

numérico.

A indicação da referência completa pode ser apresentada em nota de rodapé

ou em lista própria ao final do trabalho (recomendado). O importante é que o

pesquisador escolha no início do trabalho o sistema mais adequado e o siga até o

final.

Os elementos constitutivos da citação incluem: autoria (pessoal,

institucional ou entrada pela primeira palavra do título em caso de autoria

desconhecida) e ano de publicação. No caso das citações diretas, incluir também

a(s) página(s).

4. 6. 1 Sistema autor-data

4. 6. 1. 1 Citação com um autor

Exemplos:

] [

Ou

(VIEIRA, 2004).

Vieira (2004), pesquisando [

]

4. 6. 1. 2 Com dois ou três autores, menciona-se o sobrenome de todos na ordem

em que aparecem na publicação.

Indicar os sobrenomes dos autores entre parênteses, separados por ponto e

vírgula (;). Separar os sobrenomes dos autores citados pela letra e, quando fora

dos parênteses.

38 | Página

Exemplos:

] [

Ou

(GUYTON; HALL, 2002).

Segundo o conceito de Guyton e Hall (2002), [

]

4. 6. 1. 3 Com mais de três autores, deve ser citado somente o sobrenome do

primeiro autor, seguido da expressão et al.

Exemplos:

] [

Ou

(VASAN et al., 2001).

Vasan et al., (2001), assinalam que [

]

4. 6. 1. 4 Com coincidência de sobrenomes de autores, acrescentam-se as iniciais

de seus prenomes: se mesmo assim existir coincidência, colocam-se os prenomes

por extenso.

Exemplos:

[

]

(BARBOSA, C., 1958).

[

]

(BARBOSA, O., 1959).

Ou

[

]

(BARBOSA, Cássio, 1965).

[

]

(BARBOSA, Celso, 1965).

4. 6. 1. 5 Com diversos documentos do mesmo autor e ano, são distinguidas pela adição de letras minúsculas do alfabeto.

Exemplos:

] [

Ou

(GOMES, 2005a).

Segundo Gomes (2005a), [

]

[

]

(GOMES, 2005b).

Segundo Gomes (2005b), [

]

4. 6. 1. 6 As citações indiretas de diversos documentos da mesma autoria, publicados em anos diferentes e mencionados simultaneamente, tem as suas datas separadas por vírgula.

Exemplos:

(DREYFUSS, 1989, 1991, 1995) (CRUZ; CORREA; COSTA, 1998, 1999, 2000)

4.

mencionados simultaneamente, devem ser separadas por ponto-e-vírgula, em

autores,

6.

1.

7

As

citações

indiretas

de

diversos

documentos

de

vários

ordem alfabética.

Exemplos:

que determina uma PO 2 traqueal durante a inspiração de 149,2 mmHg (AIRES, 1999; GUYTON; HALL, 2002; WEST, 2002).

[

]

Ou

Aires (1999), Guyton e Hall (2002) e West (2002), referem [ PO 2 traqueal durante a inspiração de 149,2 mmHg.

]

que determina uma

4.

6. 1. 8 Citação com publicações anônimas, deve ser mencionada pela primeira

palavra do título, seguida de reticências e do ano de publicação.

Exemplos:

[

] (EPIDEMIOLOGIA

Ou

,

2001).

De acordo com a publicação Epidemiologia [

]

(2001), estima-se em [

]

4. 6. 1. 9 Citação de entidades coletivas.

Exemplos:

] [

Ou

(UNIVERSIDADE ANHANGUERA - UNIDERP, 2008).

Universidade Anhanguera - Uniderp (2008), [

]

4. 6. 1. 10 Citação de eventos, como: congressos, conferências, seminários, etc.,

menciona-se o nome completo do evento.

Exemplos:

(ENCONTRO NACIONAL DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA PARA O HOMEM DO SÉCULO XXI, 2005).

[

]

Ou

Para os trabalhos apresentados no Encontro Nacional de Iniciação Científica para o Homem do Século XXI (2005), [ ]

4. 6. 2 Sistema numérico de citação

Neste sistema, a indicação da fonte deve ser feita por uma numeração única e consecutiva, em algarismos arábicos, remetendo à lista de referências ao final do trabalho, do capítulo ou da parte, na mesma ordem em que aparecem no texto. Não se deve iniciar a numeração das citações a cada página. A indicação da numeração pode ser feita entre parênteses, alinhada ao texto, ou situada pouco acima da linha do texto em expoente à linha do mesmo, após a pontuação que fecha a citação.

Exemplos:

O’Connor et al., “verificaram aumento na pressão arterial sistólica [ ]”. 28 Ou O’Connor et
O’Connor et al., “verificaram aumento na pressão arterial sistólica [
]”.
28
Ou
O’Connor et al., “verificaram aumento na pressão arterial sistólica [
]”.
(28)
Ou
O’Connor et al., “verificaram aumento na pressão arterial sistólica [
]”.
[28]

5 REFERÊNCIAS

As referências foram normalizadas de acordo com a Associação Brasileira

de Normas Técnica (ABNT), NBR 6023.

As referências podem ter uma ordenação alfabética, cronológica e

sistemática (por assunto). Entretanto, sugerimos a adoção da ordenação alfabética

ascendente.

5. 1 LIVRO

Fazem parte deste tipo de referência, os livros, guias, catálogos, dicionários,

trabalhos acadêmicos, etc.

5. 1. 1 Livro considerado no todo

5. 1. 1. 1 Quando a obra tiver apenas um autor.

SOBRENOME, Prenome do autor (iniciais ou por extenso). Título : subtítulo. Indicação de responsabilidade se

SOBRENOME, Prenome do autor (iniciais ou por extenso). Título: subtítulo. Indicação de responsabilidade se houver (org.; trad.; rev.; coord. etc). Edição. Local

de publicação (cidade): Editora, data. Paginação.

se houver (org.; trad.; rev.; coord. etc). Edição. Local de publicação (cidade): Editora, data. Paginação.

Exemplo:

CHIAVENATO, I. Introdução à teoria da administração. 5 ed. Rio de Janeiro:

Campus, 1999. 920 p.

5.

1. 1. 2 Quando a obra tiver até 3 autores, mencionar todos os nomes na ordem

de aparecimento na publicação, separados por ponto e vírgula.

SOBRENOME, Prenome(s) do primeiro autor (iniciais ou por extenso); SOBRENOME, Prenome(s) do segundo autor (iniciais ou por extenso); SOBRENOME, Prenome(s) do terceiro autor (iniciais ou por extenso). Título:

subtítulo. Indicação de responsabilidade se houver (org.; trad.; rev.; coord. etc).

Edição. Local de publicação (cidade): Editora, data. Paginação.

 

Exemplo:

SCARSO FILHO, J.; BARRETO, M. A.; TUNES, V. R. Planejamento Estético,

Cirúrgico e Protético em Implantodontia. São Paulo: Artes Médicas, 2001. 172

p.

5.

1. 1. 3 Quando a obra tiver mais de 3 autores.

SOBRENOME, Prenome(s) do primeiro autor (iniciais ou por extenso) et al. Título:

subtítulo. Indicação de responsabilidade se houver (org.; trad.; rev.; coord. etc).

Edição. Local de publicação (cidade): Editora, data. Paginação.

 

Exemplos:

GODÊ, A. V. et al. Implantes osseointegrados: aplicações intra-orais. São Paulo:

Pancast, 2000. 314 p.

ou

GODÊ, A. V.; SILVA,

osseointegrados: aplicações intra-orais. São Paulo: Pancast, 2000. 314 p.

A.

R.;

SILVA,

A.

C.

B.

R.;

JAYME,

S.

J.

Implantes

5.

1. 1. 4 Nomes de autores com sufixos (Júnior, Neto, Filho, etc).

SOBRENOME, INCLUINDO O SUFIXO, Prenome(s) do autor (iniciais ou por extenso). Título: subtítulo. Edição. Local de publicação (cidade): Editora, data.

Paginação.

Exemplo:

SCARSO FILHO, J.; BARRETO, M. A.; TUNES, V. R. Planejamento Estético,

Cirúrgico e Protético em Implantodontia. São Paulo: Artes Médicas, 2001. 172

p.

5.

1. 1. 5 Mesmo(s) autore(s) com mais de uma obra referenciada.

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título da obra: subtítulo. Edição. Local de publicação (cidade): Editora, data. Paginação.

*.

Título da obra: subtítulo. Edição. Local de publicação (cidade): Editora,

data. Paginação.

* composto por traço baixo em um total de 6 toques.

Exemplos:

SANTOS, J. Q. Fertilização e poluição: Reciclagem agro–florestal de resíduos orgânicos. Lisboa: Edição de Autor, 1995.

Fertilização: Fundamentos da utilização dos adubos e correctivos. 2. ed.

Lisboa: Europa-América, 1996.

5.

1. 1. 6 Obra constituída de vários trabalhos ou contribuintes.

SOBRENOME, Prenome(s) do responsável (iniciais ou por extenso) (Coord.).Título da obra: subtítulo. Edição. Local de publicação (Cidade): Editora, data. Paginação.

Exemplos:

BARDUCHI, A. L. J.; PICCOLI, A. P. B. (Orgs.). Desenvolvimento pessoal e profissional. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2008. 230 p.

MICHIELIN, F. (Coord.). Doenças do coração. Caxias do Sul, RS: Robe Editorial,

2003. 1395 p.

5. 1. 1. 7 Obra de autoria desconhecida.

PRIMEIRA palavra do título em maiúscula: subtítulo. Edição. Local de publicação (Cidade): Editora, data. Paginação.

Exemplo:

DIAGNÓSTICO do setor editorial brasileiro. São Paulo: Câmara Brasileira do Livro,

1993. 64 p.

5. 1. 1. 8 Teses, dissertações e trabalhos acadêmicos.

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es). Título. Local, data. Paginação. Tese, dissertação ou trabalho acadêmico (grau) – Curso, Instituição.

Exemplo:

OLIVEIRA, L. B. Análise da função respiratória através da ventilometria e manovacuometria em pacientes submetidos à cirurgia abdominal alta. Campo Grande, MS, 2004. 70 p. Trabalho de conclusão de curso – Curso de Fisioterapia, Universidade para o Desenvolvimento do Estado e da Região do Pantanal.

5. 1. 1. 9 Entidades coletivas, governamentais, públicas, empresas, congressos, seminários, simpósios e outros.

ENTIDADE POR EXTENSO EM MAIÚSCULAS. Título: subtítulo. Edição. Local de publicação (cidade): Editora, data. Paginação.

Exemplo:

UNIVERSIDADE DE SÃO PAULO. Catálogo de teses da Universidade de São Paulo: São Paulo, 1993. 467 p.

5. 1. 2 Livro considerado em parte

5. 1. 2. 1 Capítulo de livro de autoria diferente da obra.

SOBRENOME(S) da parte referenciada, Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título da parte referenciada. In: SOBRENOME, Prenome(s) do autor (ou editor, etc) (iniciais ou por extenso) da obra. Título. Edição. Local: Editora, data. Cap., página inicial e final do capítulo.

Exemplo:

ROSA, W. C. M.; LIMA, V. C. Cateterismo cardíaco. In: SHOR N. (Editor). Cardiologia: guias de medicina ambulatorial e hospitalar. São Paulo: Manole, 2004. Cap. 8, p. 161-177.

5. 2 REFERÊNCIAS DE PUBLICAÇÕES SERIADAS (REVISTA, JORNAL OU OUTRA PUBLICAÇÃO COM PERIODICIDADE)

5. 2. 1 Publicação seriada considerada em parte

TÍTULO DA PUBLICAÇÃO SERIADA. Local de publicação: Editora (entidade responsável se não constar no título), ano do primeiro volume e, se a publicação cessou, também do último. Periodicidade. ISSN

Exemplo:

NATURE. London-GB: Macmillan Magazines, 1869. Semanal. ISSN 0028-0836.

5. 2. 2 Artigo e/ou matéria de periódico

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título do artigo: subtítulo. Título do periódico (revista), Local de publicação (cidade), volume, fascículo (número), paginação inicial e final do artigo, período e data.

Exemplo:

CARVALHO, P. T. C.; MAZZER, N.; REIS, F. A.; BELCHIOR, A. C. G.; SILVA, I. S. Analysis of the influence of low-power HeNe laser on the healing of skin wounds in diabetic and non-diabetic rats. Acta Cirúrgica Brasileira, São Paulo, v. 21, n. 3, p. 177-183, 2006.

5. 2. 3 Artigo e/ou matéria de periódico em formato eletrônico

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título do artigo: subtítulo. Título do periódico (revista), Local de publicação (cidade), volume, fascículo (número), mês, ano. Disponível em: <Endereço eletrônico>. Acesso em: dia/mês/ano.

48 | Página

Exemplo:

LAMEIRA, V. J.; BERTRAND, H. Ethics, corruption, governance and emerging markets. Revista eletrônica de administração, Porto Alegre, RS, v. 14, n. 1, 2008. Disponível em: <http://read.adm.ufrgs.br/>. Acesso em: 18/07/2008.

5. 2. 4 Artigo de jornal

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título da matéria: subtítulo. Título do Jornal, Local de publicação (cidade), data. Seção, caderno ou parte do jornal, paginação inicial e final do artigo ou matéria.

Exemplo:

JABOR, A. Carta ao Governador do Rio. Jornal o Povo. Fortaleza, CE, 25 jul. 2008. Caderno A, p 1.

5. 2. 5 Artigo de jornal em formato eletrônico

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título da matéria: subtítulo. Título do Jornal, Local de publicação (cidade), data (dia/mês abreviado/ano). Disponível em: <endereço eletrônico>. Data de acesso.

Exemplo:

GARCIA, A. O trabalho escravo no Brasil. Bom dia Brasil, 26 mai. 2008. Disponível em: <http://bomdiabrasil.globo.com/Jornalismo/BDBR/0,,AA168186

6-3685,00ALEXANDRE+GARCIA+COMENTA+O+TRABALHO+ESCRAVO+NO+

BRASIL.html>. Acesso em: 22 jul. 2008.

5. 3 REFERÊNCIA DE EVENTO

5. 3. 1 Evento considerado no todo

NOME DO EVENTO, numeração em arábico se houver, ano, local do evento (cidade). Título do documento (Anais, Atas, Resumos). Local de publicação:

Editora, data.

Exemplo:

ENCONTRO NACIONAL DE INOVAÇÃO CIENTÍFICA PARA O HOMEM DO SÉCULO XXI, 4, 2005, Campo Grande – MS. Anais do I Encontro Nacional de Inovação Científica para o Homem do Século XXI. Campo Grande, MS: UNIDERP, 2005.

5. 3. 2 Trabalho apresentado no evento

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título do trabalho apresentado. In: TÍTULO DO EVENTO, numeração do evento em arábico (se houver), ano, local do evento (cidade). Título do documento (Anais, Atas, Resumos). Local de publicação (cidade): Editora, data. Página inicial e final da parte referenciada.

Exemplo:

ROSA, A. S.; PEREIRA, D. M. Relação da capacidade funcional entre atletas de futsal e sedentários. In: ENCONTRO NACIONAL DE INOVAÇÃO CIENTÍFICA PARA O HOMEM DO SÉCULO XXI, 4, 2005, Campo Grande, MS. Anais do I Encontro Nacional de Inovação Científica para o Homem do Século XXI. Campo Grande, MS: UNIDERP, 2005. p. 703–712.

5. 3. 3 Trabalho apresentado no evento em formato eletrônico

SOBRENOME(S), Prenome(s) do(s) autor(es) (iniciais ou por extenso). Título do trabalho apresentado. In: TÍTULO DO EVENTO, numeração do evento em arábico (se houver), ano, local do evento (cidade). Título do documento (Anais, Atas, Resumos). Local de publicação (cidade): Editora, data. Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em: data (dia/mês abreviado/ano).

Exemplo:

SABROZA, P. C. Globalização e saúde: impacto nos perfis epidemiológicos das populações. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE EPIDEMIOLOIGA, 4., 1998, Rio de Janeiro. Anais eletrônicos. Rio de Janeiro: ABRASCO, 1998. Mesa-redonda. Disponível em: <http://www.abrasco.com.br/epirio98/>. Acesso em: 17 jan. 1999.

5. 4 PATENTE

NOME DA ENTIDADE RESPONSÁVEL. Autor. Título. Número da patente, datas (do período de registro).

Exemplo:

EMBRAPA. Unidade de Apoio, Pesquisa e Desenvolvimento de Instrumentação Agropecuária (São Carlos, SP). Paulo Estevão Cruvinel. Medidor digital multissensor de temperatura para solos. BR n. PI8903105-9, 26 jun. 1989, 30 maio 1995.

5. 5 DOCUMENTO JURÍDICO

São inclusas legislação, jurisprudência e doutrina.

5.

5. 1 Decreto ou lei

LOCAL (País, Estado ou Cidade). Título (legislação número, data). Ementa. Indicação da publicação oficial, local, volume, número, páginas, dia, mês, ano. seção, parte (se houver).

Exemplos:

BRASIL. Lei n. 9.394, de 20 de dezembro de 1996. Estabelece as Diretrizes da Educação Nacional. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, v. 134, n. 248, 23 dez. 1996.

BRASIL. Decreto-Lei n. 2.423, de 7 de abril de 1988. Estabelece critérios para pagamento de gratificações e vantagens pecuniárias aos titulares de cargos e empregos da Administração Federal direta e autárquica e dá outras providências. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, v. 126, n. 66, p. 6009, Brasília, 8 abr. 1988. Seção 1.

5. 5. 2 Constituição federal

LOCAL (País, Estado ou Cidade). Constituição (data de promulgação). Título. Local: Editor, Ano de publicação. Número de páginas ou volumes. Notas.

Exemplo:

BRASIL. Constituição (1988). Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília – DF: Senado, 1988.

5. 5. 3 Emenda constitucional

PAÍS. Constituição (ano). Emenda constitucional n., data. Título (natureza da decisão ou ementa). Título da Publicação, Local (cidade), v., p., mês e ano.

Exemplo:

BRASIL. Constituição (1988). Emenda constitucional n. 9, de 9 de novembro de

1995. Lex. Legislação federal e marginalia, São Paulo, v. 59, p. 1966, out./dez.

1995.

5. 5. 4 Medida provisória

PAÍS. Medida provisória n., data. A decisão da Medida. Publicação, local, data (dia, mês e ano). Seção, p.

Exemplo:

BRASIL. Medida provisória n. 1.569-9, de 11 de dezembro de 1997. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Poder Executivo, Brasília, 14 dez. 1997. Seção 1, p. 29514.

5. 5. 5 Portarias, deliberações e resoluções

AUTORIA. (Entidade Coletiva). Ementa. Tipo de documento, número e data (dia, mês, ano). Título da Publicação, Local, v., p., mês e ano.

Exemplo:

BRASIL. Conselho Nacional de Educação. Institui Diretrizes Curriculares Nacionais do Curso de Graduação em Fisioterapia. Resolução CNE/CES n. 04, de 19 de fevereiro de 2002. Diário Oficial da União, Brasília, p. 11, mar. 2002. seção I.

5.

5. 6 Jurisprudência

Jurisdição e órgão judiciário competente, título (natureza da decisão ou ementa) e número, partes envolvidas (se houver) relator, local, data e dados da publicação.

Exemplo:

BRASIL. Superior Tribunal de Justiça. Hábeas-corpus n. 181.636-1, 6ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo, Brasília, 6 de dezembro de 1994. Lex: jurisprudência do STJ e Tribunais Regionais Federais, São Paulo, v. 10, n. 103, p. 236-240, mar. 1998.

5. 5. 7 Documento jurídico em meio eletrônico

LOCAL (País, Estado ou Cidade). Título (legislação número, data). Ementa. Indicação da publicação oficial, local, volume, número, páginas, dia, mês, ano. seção, parte (se houver). Disponível em: <endereço eletrônico>. Acesso em:

dia/mês abreviado/ ano.

Exemplo:

BRASIL. Lei n. 9.887, de 7 de dezembro de 1999. Altera a legislação tributária federal. Diário Oficial da República Federativa do Brasil, Brasília, 8 dez. 1999. Disponível em: <http://www.in.gov.br/mp_leis/leis_texto.asp?Id=LEI%209887>. Acesso em: 22 dez. 1999.

5. 6 IMAGEM EM MOVIMENTO

Inclui filmes, videocassetes, DVD, entre outros.

TÍTULO. Diretor. Produtor. Local (cidade): Produtora, data. Especificação do suporte em unidades físicas.

Exemplo:

CENTRAL do Brasil. Direção: Walter Salles Júnior. Produção: Martire de Clermont- Tonnerre e Arthur Cohn. Intérpretes: Fernanda Montenegro; Marília Pêra; Vinicios de Oliveira; Sônia Lira; Othon Bastos; Matheus Nachtergaele e outros. Roteiro:

Marcos Bernstein, João Emanuel Carneiro e Walter Salles Júnior. [S.I.]: Le Studio Canal; Riofilme; MACT Productions, 1998. 1 bobina cinematográfica (106 min), son., color., 35 mm.

5. 7 DOCUMENTO ICONOGRÁFICO

Inclui pintura, gravura, ilustração, fotografia, desenho técnico, diapositivo, diafilme, material estereográfico, transparência, cartaz, etc.

SOBRENOME(S) DO(S) AUTOR(ES), Prenome(s) (iniciais ou por extenso). Título (Quando não existir, deve-se atribuir uma denominação ou a indicação sem título, entre colchetes). Data. Especificação do suporte. Notas complementares.

Exemplo:

KOBAYASHI, K. Doenças dos xavantes. 1980. 1 fotografia, color., 16 cm x 56 cm.

5. 8 DOCUMENTO CARTOGRÁFICO

Inclui mapa, atlas, globo, fotografia aérea, imagem de satélite, etc.

AUTORIA. Título: subtítulo. Local: Editora, data, designação específica e escala.

Exemplo:

BRASIL e parte da América do Sul: mapa político, escolar, rodoviário, turístico e regional. São Paulo: Michalany, 1981. 1 mapa, color., 79 cm x 95 cm. Escala

1:600.000.

5. 9 DOCUMENTO SONORO

Inclui disco, CD (compact disc), cassete, rolo, entre outros.

COMPOSITOR(ES) OU INTÉRPRETE(S). Título. Local (cidade): gravadora (ou equivalente), data e especificações do suporte.

Exemplo:

FAGNER, R. Revelação. Rio de Janeiro: CBS, 1988. 1 cassete sonoro (60 min.), 3 ¾ pps. Estéreo.

5. 10 DOCUMENTO TRIDIMENSIONAL

Inclui

esculturas,

maquetes,

objetos

e

suas

representações

(fósseis,

esqueletos, objetos de museu, animais empalhados, monumentos entre outros).

SOBRENOME(S) DO(S) AUTOR(ES), Prenome(s) (iniciais ou por extenso). Título (Quando não existir, deve-se atribuir uma denominação ou a indicação sem título, entre colchetes). Data. Especificação do objeto.

Exemplo:

DUCHAMP, M. Escultura para viajar. 1918. 1 escultura variável, borracha colorida e cordel. Original destruído. Cópia por Rihard Hamilton, feita por ocasião da retrospectiva de Duchamp na Tate Gallery (Londres) em 1966. Coleção Arturo Schwarz. Tradução de: Sculpture for travelling.

REFERÊNCIAS

ARAÚJO, C. B. Z.; DAL MORO, E. L.; FIGUEIRA, K. C. N. Trabalhos monográficos:

normas técnicas e padrões. 2. ed. Campo Grande: UNIDERP, 2003. 189 p

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NB-6024: informação e documentação: numeração progressiva das seções de um documento escrito:

apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 3 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 10520: informação e documentação: citações em documentos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. 7 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 14724: informação e documentação: trabalhos acadêmicos: apresentação. Rio de Janeiro, 2002. 7 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6023: informação e documentação – referências – elaboração. Rio de Janeiro, 2002. 24 p. Disponível

em:<http://www.unb.br/ciord/informacoes/defesa/abnt_nbr6023_2002_referen

cia.pdf>. Acesso em: 22 jul. 2008.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6027: informação e documentação: sumário: apresentação. Rio de Janeiro, 2003. 2 p.

ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6028: resumos:

procedimentos. Rio de Janeiro, 1990. 2 p.

CASTILHO, M. A. Roteiro para elaboração de monografia em ciências jurídicas. 3. ed. São Paulo: Sugestões Literárias, 2002. 130 p.

FUNARO, V. M. B. O. (Coord.). Diretrizes para apresentação de Teses e Dissertações da USP: documento eletrônico ou impresso. São Paulo: SIBi/USP, 2003. 98 p.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Normas de apresentação tabular. 3. ed. Rio de Janeiro, 1993.

MAGALHÃES, M. L.; CARDIN, T. M. S.; FILETTI, J.; ROSAS, F. S.; MENDONÇA, R. M. Normas e padrões para apresentação de trabalhos acadêmicos e científicos da Unoeste. Coordenação de Cecília Guarnieri Denari. Presidente Prudente – SP:

UNOESTE, 2001. 94 p.

MARTINS, G. A. Manual para elaboração de monografias e dissertações. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2002. 134 p.

MARTINS, G. A.; LINTZ, A. Guia para elaboração de monografias e trabalhos de conclusão de curso. São Paulo: Atlas, 2000. 108 p.

ANEXOS

ANEXO A – CHECK LIST - ESTRUTURA DO DOCUMENTO

ANEXO A – CHECK LIST - ESTRUTURA DO DOCUMENTO Figura 1 . Check list da estrutura

Figura 1. Check list da estrutura do trabalho.

ANEXO B – MODELO CAPA

ANEXO B – MODELO CAPA 62 | Página

ANEXO C – FOLHA DE ROSTO

ANEXO C – FOLHA DE ROSTO 63 | Página

ANEXO D – ERRATA

ANEXO D – ERRATA 64 | Página

ANEXO E – FOLHA DE APROVAÇÃO

ANEXO E – FOLHA DE APROVAÇÃO 65 | Página

ANEXO F – MODELO DE DEDICATÓRIA

ANEXO F – MODELO DE DEDICATÓRIA 66 | Página

ANEXO G – MODELO DE AGRADECIMENTOS

ANEXO G – MODELO DE AGRADECIMENTOS 67 | Página

ANEXO H – MODELO DE EPÍGRAFE

ANEXO H – MODELO DE EPÍGRAFE 68 | Página

ANEXO I – MODELO DE RESUMO

ANEXO I – MODELO DE RESUMO 69 | Página

ANEXO J – MODELO DE ABSTRACT

ANEXO J – MODELO DE ABSTRACT 70 | Página

ANEXO L – MODELO DE LISTA DE ILUSTRAÇÃO

ANEXO L – MODELO DE LISTA DE ILUSTRAÇÃO 71 | Página

ANEXO M – MODELO DE LISTA DE TABELA

ANEXO M – MODELO DE LISTA DE TABELA 72 | Página

ANEXO N – MODELO DE LISTA DE SIGLAS

ANEXO N – MODELO DE LISTA DE SIGLAS 73 | Página

ANEXO O – MODELO DE SUMÁRIO

ANEXO O – MODELO DE SUMÁRIO 74 | Página