Você está na página 1de 31

Iontoforese

Professor: Wilson Aires

É

um

meio

físico

que

se

caracteriza

pela

penetração

de

uma

substância

terapêutica na

pele

íntegra

por

intermédio

da

corrente

galvânica.

Ocorre pelos efeitos polares da corrente

unidirecional, seja ela contínua ou pulsada, não

sendo uma propriedade exclusiva da Corrente Galvânica.

ionização,

iontopenetração, dieletrólise, dieletroforese e jontoforese.

É

também

conhecida

como

Técnica de utilização

É de fundamental importância para a prática

da Iontoforese a determinação do poli

positivo ou negativo dos eletrodos e

Vantagens

Não apresenta agressões digestivas ( diferente

do medicamento oral);

Seu efeito é local;

Possível efeito geral (segundo o composto e a quantidade introduzida);

Aplicação indolor (parestesia)

Permite tratamento de longa duração.

Desvantagens

Não se pode e não se deve aplicar qualquer

tipo de medicamento;

Não é possível medir a dose exta que será aplicada.

Evitar medicamento de potente efeito geral.

Indicações

Analgesia local;

Lesões inflamatórias locais;

Vasodilatador

Vasoconstritor

Relaxante muscular

Neurotrófico local

Cicatrizante

Anti-séptico

Trombolítico

Antiedematoso

Indicações

Afecções cutâneas superficiais

Lesões dos nervos periféricos

Fraturas e contraturas

Artropatias reumáticas e traumáticas

Cicatrizes de tendência a quelóide

Celulite e obesidade (tto coadjuvante)

Contraindicações

Absoluta: alergia ou intolerância ao fámaco a ser

aplicado.

Cuidados:

áreas com tromboflebites Áreas com hematomas Gestantes Áreas isquêmicas pacientes epiléticos Áreas com alterações sensitivas

Contraindicações

Quando houver cefaléia, vertigens e colapso

circulatório;

Quando houver irritações cutâneas (alergias)

Perda da sensibilidade

Paciente com dificuldade de compreende a técnica.

AS DA CORRENTE GALVÂNICA

Técnica de aplicação

Os medicamentos podem ser tanto soluções

aquosas como cremes, gel, ou pomadas.

A medicação sempre será colocada sobre o

eletrodo ativo, no outro coloca-se gel.

Quando o fármaco estiver na forma líquida,

será colocado empapado em um material

absorvente (esponja, algodão, gaze).

Técnica de aplicação

Se

medicamento

for

gel

ou

pomada, se deposita diretamente sobre a

pele.

o

um

creme,

Os eletrodos podem ser colocados de forma

transversal, longitudinal ou sobre o mesmo plano. Neste processo somente interessa a

administração dos íons medicamentosos.

Corrente Farádica

É uma corrente de excitação de baixa frequência

(50 a 100 Hz) .

Com

duração de pulso

de

0.1

a

1ms

e com

intervalo de 20 ms que tem fins terapêuticos.

É

Corrente

corrente

estimulante que consiste em um impulso retangular-triangular com uma duração de 1 ms e

um intervalo

ms, com uma

frequência de 50 Hz.

Neofarádica:

uma

de

fase

de

19

Representação gráfica;

EFEITOS FISIOLÓGICOS

Estimula os nervos sensitivos e motores

Ocasiona contração do músculo, estimulando-o

Favorece o retorno venoso

Provoca ação metabólica muscular

Aumenta o aporte sansuíneo

Efeito Motor

A ação da corrente farádica sobre os nervos

motores provoca contração muscular que será

ainda mais potente se realizada no ponto motor.

CONTRAÇÃO MUSCULAR

Provoca trocas à nível celular.

Explicada

filamentoso.

pela

teoria

do

deslizamento

Ação sobre a circulação

Trabalho muscular

Aumento do aporte de o²

Aumento do metabolismo

Maior fluxo circulatório

Excitabilidade Farádica

O estímulo provocado pela corrente Farádica resulta

em uma contração Muscular, esta pode ser avaliada

em função Da intensidade de corrente necessária para Produzir a mesma.

Retorno

relaxamento muscular produzem sobre os vasos linfáticos e veias uma ação de “bombeamento”.

o

linfático:

contração

venoso

e

A

e

Efeitos terapêuticos

Aumento do tônus muscular

Manutenção da integridade da placa motora

Recuperação da capacidade de contração muscular

Descongestionante

Indicações

Estimulação de nervos e músculos

Paresias

Hipotonia por desuso

Fratura

Edemas

Transplante tendinoso

Contraindicações

Áreas cardíacas

Neuromas

Espasticidade

Varizes trombosadas

No eixo marca-passo

Corrente Exponencial

Corrente Exponencial

São correntes elétricas de forma gráfica ascendente e

progressiva que produzem fisicamente as

características do potencial neuromuscular e provocam estímulos motores semelhantes ao biológico.

É uma corrente estimulante de baixa frequência que,

comparada a corrente farádica se caracteriza por uma duração de pulso de maior tempo de duração.

A duração do pulso pode variar de 0.01 a 2000 ms

Representação gráfica

PRINCÍPIO DA SELEÇÃO SELETIVA

A estimulação seletiva permite atingir apenas a

musculatura lesionada, com exclusão da musculatura sadia adjacente. A musculatura lesionada possui um limiar de excitabilidade mais alto que o da musculatura

sadia.

Princípio da acomodação

Toda vez que estimulamos um complexo

neuromuscular íntegro com correntes que

tenham ascensão lenta e gradual necessitamos de intensidade pelo menos de 3 a 5 vezes maior ao que seria utilizada para uma corrente tetânica.

De outra forma, as fibras nervosas e musculares

se acomodam e passam a não responder ao estímulo, a menos que a intensidade seja mais ou

menos 3 a 5 vezes superior à de um pulso

tetânico.

Princípio da acomodação: Lei de Nerst

Isto mostra que as correntes exponenciais podem ser seletivas para os músculos desnervados, mas também estimulam os músculos normais quando a intensidade for 3 a 5 vezes superior a de um pulso tetânico. Quanto melhor funcionar a acomodação, tanto mais intensidade necessita- se para conseguir uma contração muscular com impulsos exponenciais comparados aos retangulares.

Uma descoberta importante foi a demonstração de que

qualquer nervo lesionado perde sua capacidade de

acomodação em maior ou menor intensidade, segundo a gravidade da lesão. Além disso, esta perda é quase

instantânea com a lesão e muitas vezes podemos

encontrar, antes mesmo de ser clinicamente visível, a paresia.

Ação da corrente exponencial

Estímulo neuromuscular: É uma ação comum às

correntes excitomotoras e para as correntes

exponenciais é uma estimulação neurtomuscular seletiva nos complexos neuromusculares denervados;

Aumento do fluxo sanguíneo;

Aumento do metabolismo.

Indicações

Estimular os músculo desnervado de forma

seletiva.

Fortalecimento muscular

Edemas

Lesões de nervos periféricos

Indicações

Estimulação de músculos denervados;

• Fortalecimento muscular;

• Edemas;

• Transposições tendíneas

Hipotrofia por desuso;

• Lesões de nervos periféricos

Contraindicações

São gerais para correntes elétricas:

• Área cardíaca;

• Tromboflebite e TVP;

• Fraturas instáveis;

• Marca-passo;

• Tumores, genitálias;

• Gravidez.

Técnica de aplicação

Leva-se em consideração a área-alvo;

Monopolar: Utiliza-se com eletrodos de tamanhos

diferentes. O eletrodo menor é o estimulante ou ativo. O eletrodo maior é chamado de dispersivo,

passivo ou neutro.

Bipolar: eletrodos, normalmente com o mesmo tamanho ou, quando diferentes, são muito parecidos