Você está na página 1de 10

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosMESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO Luís de Picado Santos (picsan@civil.ist.utl.pt) Pavimentos

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL VIAS DE COMUNICAÇÃO

MESTRADO INTEGRADO EM ENGENHARIA CIVIL

VIAS DE COMUNICAÇÃO

Luís de Picado Santos (picsan@civil.ist.utl.pt)

Pavimentos de Infraestruturas de Transportes

caracterização e funcionamento

11/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 22/19/19

PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 22/19/19

22/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS RODOVIÁRIOS FLEXÍVEIS Misturas Betuminosas AGE SEMI-RÍGIDOS Misturas Betuminosas Base Hidráulica AGE

PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS

FLEXÍVEIS Misturas Betuminosas AGE
FLEXÍVEIS
Misturas
Betuminosas
AGE

SEMI-RÍGIDOS

FLEXÍVEIS Misturas Betuminosas AGE SEMI-RÍGIDOS Misturas Betuminosas Base Hidráulica AGE RÍGIDOS Misturas

Misturas

Betuminosas

Base Hidráulica

AGE

RÍGIDOS Misturas Hidráulicas AGE
RÍGIDOS
Misturas
Hidráulicas
AGE

33/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 44/19/19

PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 44/19/19

44/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS FLEXÍVEIS + = 55/19/19

PAVIMENTOS FLEXÍVEIS

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS FLEXÍVEIS + = 55/19/19

+

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS FLEXÍVEIS + = 55/19/19

=

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS FLEXÍVEIS + = 55/19/19

55/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS RÍGIDOS + = 66/19/19

PAVIMENTOS RÍGIDOS

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS RÍGIDOS + = 66/19/19

+

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS RÍGIDOS + = 66/19/19
Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS RÍGIDOS + = 66/19/19

=

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS RÍGIDOS + = 66/19/19

66/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 77/19/19

PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS RODOVIÁRIOS 77/19/19

77/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosFunção do leito do pavimento 88/19/19

Função do leito do pavimento

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos Função do leito do pavimento 88/19/19

88/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS FERROVIÁRIOS 99/19/19

PAVIMENTOS FERROVIÁRIOS

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS FERROVIÁRIOS 99/19/19

99/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosPAVIMENTOS FERROVIÁRIOS 1010/19/19

PAVIMENTOS FERROVIÁRIOS

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos PAVIMENTOS FERROVIÁRIOS 1010/19/19

1010/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos• FLEXÍVEIS (runway e taxiway) • RÍGIDOS (placa de estacionamento) PAVIMENTOS AEROPORTUÁRIOS Misturas Betuminosas

• FLEXÍVEIS

(runway e taxiway)

• RÍGIDOS

(placa de estacionamento)

PAVIMENTOS AEROPORTUÁRIOS

(placa de estacionamento) PAVIMENTOS AEROPORTUÁRIOS Misturas Betuminosas AGE Misturas Hidráulicas AGE 1111/19/19
(placa de estacionamento) PAVIMENTOS AEROPORTUÁRIOS Misturas Betuminosas AGE Misturas Hidráulicas AGE 1111/19/19

Misturas

Betuminosas

AGE

Misturas

Hidráulicas

AGE

1111/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosOrganização • Definição das acções • Adopção duma estrutura DIMENSIONAMENTO • Comparação do estado de

Organização

Definição das acções

Adopção duma estrutura

DIMENSIONAMENTO

Comparação do estado de deformação resultante com o

que os materiais suportam

Ajustamento da estrutura ou dos materiais

Estrutura Final

1212/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosEvolução DIMENSIONAMENTO Até II GG (anos 40 do século 20) dimensionamento empírico Na II GG

Evolução

DIMENSIONAMENTO

Até II GG (anos 40 do século 20) dimensionamento empírico

Na II GG dimensionamento semi-empírico (método de CBR em aeródromos estendido à rede rodoviária)

Tabelas de cálculo de tensão-deformação para relacionar com a necessidade de espessura (cálculo complexo pouco aplicável)

Finais anos dos anos 50 do século 20: ensaio rodoviário AASHO à escala real.

Com base no ensaio AASHO vários métodos (ábacos e catálogos) expeditos foram adoptados pelas administrações em todo o mundo

Anos 80 do século 20 desenvolvimento de métodos empírico-mecanicistas (Shell, Nottingham, Asphalt Institute, Manual da AASHTO, etc) dando oriegem a tabelas de aplicação e depois nos anos 90 a software apropriado. Muito baseados em comportamentos elástico-lineares.

Até aos dias de hoje essas metodologias são aplicadas na prática, tendo-se introduzido alguns melhoramentos. São as metodologias aceites em Portugal.

A tentativa mais séria de introduzir um método empirico-mecanicista que integre a experiência e a investigação dos últimos 30 anos é o Mechanistic-Empirical Pavement Design Guide (MEPDG) da AASHTO. Provavelmente será utilizado em todo o mundo nós próximos 5 anos, com as adaptações feitas a cada país.

1313/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosFuncionamento da estrutura DIMENSIONAMENTO Berma ou talude Precipitação P p w ττττ t ∆∆∆∆T Camadas

Funcionamento da estrutura

DIMENSIONAMENTO

Berma ou talude

Funcionamento da estrutura DIMENSIONAMENTO Berma ou talude Precipitação P p w ττττ t ∆∆∆∆T Camadas
Precipitação P p w ττττ t ∆∆∆∆T Camadas ligadas εεεε t Camadas granulares εεεε z
Precipitação
P
p
w
ττττ t
∆∆∆∆T
Camadas ligadas
εεεε t
Camadas granulares
εεεε z
w
Fundação

1414/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosDIMENSIONAMENTO Critérios de Ruína: fadiga Berma ou talude P p ττττ t ∆∆∆∆T Camadas ligadas

DIMENSIONAMENTO

Critérios de Ruína: fadiga

Berma ou talude

P p ττττ t ∆∆∆∆T Camadas ligadas εεεε t Camadas granulares εεεε z w Fundação
P
p
ττττ t
∆∆∆∆T
Camadas ligadas
εεεε t
Camadas granulares
εεεε z
w
Fundação

Precipitação

w
w
P 10000 ε t 1000 50% x P 100 1 100 10000 1000000 100000000 N
P
10000
ε
t
1000
50% x P
100
1
100
10000
1000000
100000000
N

Vida à fadiga N

Ensaio de extensão controlada

T P b h δ a L-2a a L
T
P
b
h
δ
a
L-2a
a
L

Método da Shell

εεεε

t =

(0,856.Vb

+

1,08).E

0,36

.N

0,2

εεεε t - extensão de tracção (adimensional) N - número de eixos padrão Vb - percentagem volumétrica de betume no volume total E - módulo de deformabilidade da mistura betuminosa (em Pa).

1515/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosDIMENSIONAMENTO Critérios de Ruína: deformação permanente Berma ou talude P Precipitação p w ττττ t

DIMENSIONAMENTO

Critérios de Ruína: deformação permanente

Berma ou talude

P Precipitação p w ττττ t ∆∆∆∆T Camadas ligadas εεεε t 2,0 1,8 1,6 Camadas
P
Precipitação
p
w
ττττ t
∆∆∆∆T
Camadas ligadas
εεεε t
2,0
1,8
1,6
Camadas granulares
1,4
εεεε z
1,2
1,0
0,8
0,6
w
0,4
0,2
Fundação
0,0
0
10
20
30
40
50
60
70
80
90
100
110
120
Tempo de ensaio (minutos)
Deformação acumulada (mm)

Método da Shell

ε z

= K

s

. N

0,25

80

εεεε z - extensão vertical de compressão no topo do solo de fundação (adimensional) N 80 - número de eixos padrão K s – parâmetro que depende da probabilidade de sobrevivência atribuída no âmbito do dimensionamento do pavimento. Toma o valor de 2,8x10 -2 para 50% de probabilidade de sobrevivência, 2,1x10 -2 para 85% e 1,8x10 -2 para 95%.

1616/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosDIMENSIONAMENTO Organigrama nº de eixos padrão na vida útil, Np Velocidade mód. de def. do

DIMENSIONAMENTO

Organigrama

nº de eixos padrão na vida útil, Np Velocidade mód. de def. do solo fun.
nº de eixos
padrão na
vida útil,
Np
Velocidade
mód. de def.
do solo fun.
e da sub-base
Temperatura
de serviço no
pavimento
média dos
veículos
pesados
mód. de def.
da mistura
Composição
das misturas
betuminosas
escolha da
geometria
Análise
ε
Fadiga
t
rodado padrão
Nf (fadiga)
Danos de
admissível
fadiga
extensão
BET
ε
Nf
t
(Np/Nf)
tracção inst.
e de
ext. vert.
S-B
deformação
Deformação Permanente
permanente
Nd (def. per.)
admissível
ε
instalada
d
ε
SF
dp
(Np/Nd)
Nd
análise
sim
ESTRUTURA FINAL
económica
não
sim
não

1717/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e GeorrecursosDIMENSIONAMENTO Dimensionamento Expedito MACOPAV ASPHALT INSTITUTE Camadas betuminosas Sub-base g. (20 cm) BASE

DIMENSIONAMENTO

Dimensionamento Expedito

MACOPAV

ASPHALT INSTITUTE

Dimensionamento Expedito MACOPAV ASPHALT INSTITUTE Camadas betuminosas Sub-base g. (20 cm) BASE BETUMINOSA
Camadas betuminosas Sub-base g. (20 cm) BASE BETUMINOSA Camadas betuminosas Camadas betuminosas BETUMINOSAS Base
Camadas
betuminosas
Sub-base g.
(20 cm)
BASE BETUMINOSA
Camadas
betuminosas
Camadas
betuminosas
BETUMINOSAS
Base granular
(20 cm)
Sub-base g.
(20 cm)
Número de eixos-padrão de 80 kN

BASE GRANULAR

Sub-base g. (20 cm) Número de eixos-padrão de 80 kN BASE GRANULAR (MPa)deformabilidadedemódulo, E s f

(MPa)deformabilidadedemódulo,

E sf

1818/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos DIMENSIONAMENTO Dimensionamento Expedito 1919/19/19

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos

DIMENSIONAMENTO

Dimensionamento Expedito

Departamento de Engenharia Civil Arquitectura e Georrecursos DIMENSIONAMENTO Dimensionamento Expedito 1919/19/19

1919/19/19