Você está na página 1de 4
 
 

ABR./1991

EB-2121

 

Registro broca de PVC rígido, para ramal predial

ABNT-Associação Brasileira de Normas Técnicas

   

Sede:

   

Rio deJaneiro Av. Treze de Maio, 13 - 28º andar CEP 20003 - Caixa Postal 1680 Rio de Janeiro - RJ Tel.: PABX (021) 210-3122 Telex: (021) 34333 ABNT - BR EndereçoTelegráfico:

   

NORMATÉCNICA

Especificação

 

Copyright©1990,

ABNT–AssociaçãoBrasileira de NormasTécnicas

Origem: Projeto 02:009.56-020/90 CB-02 - Comitê Brasileiro de Construção Civil CE-02:009.56 - Comissão de Estudo de Instalação e Desempenho de Ramais Prediais EB-2121 - U-PVC tapping tee for building branch - Specification

Printed in Brazil/ Impresso no Brasil Todos os direitos reservados

Palavras-chave: Registro broca. PVC. Ramal predial

4 páginas

SUMÁRIO

1 Objetivo

2 Documentos complementares

3 Definições

4 Condições gerais

5 Condições específicas

6 Inspeção

7 Aceitação e rejeição

1 Objetivo

Esta Norma fixa as condições exigíveis para o recebimen- to de registros broca de PVC rígido, destinados à execução de ramal predial com tubos de PE 5 com DE 20, conforme EB-1477, em redes distribuidoras de água com tubos de PVC rígido, conforme a EB-1208 e EB-183, e tubos de polietileno de alta densidade.

2 Documentos complementares

Na aplicação desta Norma é necessário consultar:

EB-183 - Tubos de PVC rígido para adutoras e redes de água - Especificação

EB-1208 - Tubo de PVC rígido DEFOFO com junta elástica para adutoras e redes de água - Especificação

EB-1477 - Tubo de polietileno PE 5 para ligação pre- dial de água - Especificação

EB-1572 - Conexão de PVC rígido para junta mecâni-

ca para tubos de polietileno PE 5 para ligações predi- ais de água - Especificação

MB-1564 - Conexões de PVC rígido - Determinação do ponto de amolecimento Vicat - Método de ensaio

MB-1842 - Conexão de PVC rígido - Efeito sobre a água - Método de ensaio

MB-2183 - Tubo de polietileno PE 5 para ligações pre- diais de água - Verificação de estanqueidade de jun- tas mecânicas com tubos curvados a frio - Método de ensaio

MB-2184 - Tubo de polietileno PE 5 para ligações pre- diais de água - Verificação da resistência de junta me- cânica a esforço axial - Método de ensaio

MB-3398 - Registro broca de PVC rígido para ramal predial - Determinação da perda de carga - Método de ensaio

MB-3399 - Registro broca de PVC rígido para ramal predial - Verificação da resistência à pressão hidros- tática interna de longa duração - Método de ensaio

MB-3400 - Registro broca de PVC rígido para ramal predial - Verificação da estanqueidade - Método de ensaio

PB-14 - Rosca para tubos onde a vedação é feita pela rosca - Designação, dimensões e tolerância - Padro- nização

2

EB-2121/1991

3 Definições

Para os efeitos desta Norma são adotadas as definições de 3.1 a 3.4.

3.1 Diâmetro nominal de rosca (DNR)

Simples número que serve para classificar, quanto à inter- cambialidade de roscas acopláveis ao padrão da PB-14, exclusivamente as partes do registro destinadas à execu- ção da junta roscável com os demais elementos, quando roscável, da tubulação (tais como tubos, conexões, vál- vulas, outros).

3.2 Diâmetro externo (DE)

Diâmetro externo do tubo de polietileno PE 5, conforme a

EB-1477.

3.3 Ramal predial

Tubulação compreendida entre o colar de tomada ou peça de derivação e o cavalete, inclusive.

3.4 Pressão de serviço (PS)

Máxima pressão, incluindo as variações dinâmicas, que os registros podem suportar em serviço, conduzindo água potável a uma determinada temperatura.

4 Condições gerais

4.1 Materiais

4.1.1 Os registros devem ser fabricados de poli (cloreto de

vinila) não plastificado (PVC rígido), com adição de ingre- dientes, a critério do fabricante, e por processo de injeção que assegure a obtenção de produtos que atendam aos requisitos desta Norma.

4.1.2 Nas partes e vedações internas do registro, podem

ser utilizados outros materiais, tais como outros plásticos, metais e elastômeros.

4.1.3 O registro deve ser submetido ao ensaio de qualida-

de, a ser realizado pelo fabricante, no mínimo uma vez por ano, não devendo transmitir à água quantidades de Pb nem de outras substâncias, tais como Cr, As, Hg e Sn, aci- ma dos limites estabelecidos em 5.1.1.

4.1.3.1 O fabricante deve manter pelo prazo de cinco anos os resultados do referido ensaio de qualidade.

4.1.4 Os registros de uma mesma partida devem ter cor

uniforme, permitindo-se entretanto nuanças devidas à natural diferença de cor da matéria-prima.

4.2 Projeto

O projeto do registro deve prever o mencionado de 4.2.1 a 4.2.4.

4.2.1 O registro deve ser projetado para conduzir água a

(23 ± 2)°C e sob pressão de serviço de 0,75 MPa. Não deve provocar perda de carga significativa (valor máximo esta- belecido em 5.1.2) e deve bloquear a água, permanecendo estanque na pressão de serviço.

4.2.2 A perfuração da tubulação é feita através de broca

metálica, com dimensões adequadas, de modo a não apresentar perda de carga superior à prevista em 5.1.2.

4.2.3 Na montagem de fabricação dos registros, podem

ser utilizados aditivos, tais como pastas e líquidos, desde que eles não alterem a qualidade da água acima dos ní- veis admissíveis. A estanqueidade do registro não deve ser obtida pelo uso destes aditivos.

4.2.4 Os outros materiais eventualmente utilizados na fa-

bricação, conforme previsto em 4.2.3, devem ter desem- penho mecânico e resistência química ao uso de água, equivalentes aos das partes de PVC.

4.3 Juntas

4.3.1 O registro, para ser utilizado no colar de tomada, de-

ve ter uma das extremidades dotada de rosca externa aco- plável ao padrão da PB-14, com DNR 20 (ref.3/4), e a de- rivação deve ser dotada de todos os componentes para execução de uma junta mecânica com DE 20, conforme a EB-1572, para tubo de PE 5, conforme a EB-1477.

4.3.2 A derivação dotada de junta mecânica DE 20 deve ter

esta junta ensaiada conforme 5.1.3, para verificação de seu desempenho.

4.3.3 Quando da perfuração em carga, pode ser que haja

vazamento de água entre a rosca interna do corpo do re-

gistro e a parte roscada da broca. Tal vazamento deve ces- sar após a completa montagem do conjunto, isto é, após

a colocação do “cap” do conjunto.

4.4 Marcação

O registro deve trazer gravado no mínimo:

a) a marca ou identificação do fabricante;

b) o diâmetro nominal de rosca; e

c) o número desta Norma.

4.5 Unidade de compra

A unidade de compra é a peça.

5 Condições específicas

5.1 Ensaios de qualidade

5.1.1 Efeito sobre a água

Os registros, quando submetidos ao ensaio de efeito so- bre a água, conforme a MB-1842, devem satisfazer às seguintes condiçõs específicas:

a) na primeira extração, a quantidade de Pb não deve exceder 1 ppM;

b) repetindo-se mais duas vezes o ensaio, sobre os mesmos corpos-de-prova, no terceiro resultado, a quantidade de Pb na água não deve exceder 0,3 ppM; e

c) substâncias como Cr, As, Hg e Sn não devem es- tar presentes em quantidades que excedam 0,05 ppM, após a terceira extração.

EB-2121/1991

3

5.1.2

Perda de carga

ca; entretanto, por acordo entre fabricante e comprador, pode ser efetuada em outro local.

O

registro, quando submetido ao ensaio de perda de car-

     

ga, conforme a MB-3398, com vazão de (2,0 ± 0,1) m 3 /h,

6.1.2

O fabricante deve colocar à disposição do comprador

não deve apresentar perda de carga superior a 16 kPa.

ou de seu representante os equipamentos e pessoal espe- cializado para os ensaios, bem como gabaritos de contro-

5.1.3

Desempenho da junta mecânica

le, conforme sua rotina normal de controle de qualidade.

O

registro dotado, pelo menos, de uma junta mecânica de-

6.1.3

O comprador ou o seu representante deve ser avisa-

ve ser submetido ao ensaio de desempenho da junta.

do, com antecedência mínima de quinze dias úteis, da da- ta na qual têm início, normalmente, as operações de recep-

5.1.3.1

Estanqueidade

ção do material encomendado.

O

registro, quando acoplado ao tubo PE 5, da EB-1477,

6.1.4

Caso o comprador ou o seu representante não com-

curvado a frio, conforme a MB-2183, e submetido à pres- são hidrostática de 1,5 MPa, durante 3 min, à temperatura de (23 ± 2)°C, deve permanecer estanque.

pareça na data estipulada para acompanhar os ensaios de recebimento, o fabricante deve proceder aos ensaios e de- mais providências conforme o estabelecido nesta Norma.

5.1.3.2

Esforço axial

 

6.2 Exames e ensaios

 

O

registro, quando acoplado ao tubo PE 5, da EB-1477, e

6.2.1

Ensaios de qualidade

 

submetido ao esforço de tração axial de 850 N durante 1 h, conforme a MB-2184, não se deve desmontar ou romper.

Os fornecimentos de registro devem ser acompanhados de termos de garantia explícita, expedidos pelo fabrican- te, mencionando que os seus produtos cumprem os re- quisitos estabelecidos para os ensaios de qualidade, con-

5.1.4

Pressão hidrostática interna de longa duração

forme 5.1.1, 5.1.2, 5.1.3 e 5.1.4, devendo-se observar que:

Os registros, quando ensaiados de acordo com a MB-3399, à pressão de 1,5 MPa, durante 170 h, à tempe- ratura de (23 ± 2)°C, não devem apresentar sinais de rup- tura ou vazamento.

 

a)

os ensaios mencionados devem ser realizados pelo fabricante, no mínimo, uma vez por ano, caracteri- zados sobre três corpos-de-prova, sendo que to- dos devem apresentar resultado satisfatório;

5.2

Ensaios de recebimento

 

b)

no caso de, no máximo, um corpo-de-prova ser re-

5.2.1

Estanqueidade

   

provado, deve ser feito novo ensaio sobre seis cor- pos-de-prova, sendo que neste caso todos os cor-

O

registro submetido ao ensaio de estanqueidade à pres-

 

são hidrostática de 1,5 Mpa, à temperatura de (23 ± 2)°C,

 

pos-de-prova devem apresentar resultado satisfa- tório;

c) por acordo mútuo entre fabricante e comprador,

durante 5 min, conforme a MB-3400, não deve apresentar sinais de vazamentos em seus componentes.

5.2.2

Ponto de amolecimento Vicat

Os corpos-de-prova do registro, obtidos conforme 6.2.2.5, devem ter ponto de amolecimento Vicat igual ou superior

 

pode ser utilizada uma entidade independente para realizar os ensaios mencionados em 5.1; contudo,

fabricante deve ser capaz de executá-los em suas instalações; e

o

a 72°C, para carga constante entre 49 N e 50 N, quando submetidos ao ensaio conforme a MB-1564.

 

d)

fabricante deve manter os resultados de qualida- de e exibi-los ao inspetor.

o

     

6.2.2

Ensaios de recebimento

 

5.2.3

Funcionamento

     
     

6.2.2.1

A inspeção dos fornecimentos deve ser feita con-

Montar o registro broca, acoplando-o ao colar de toma- da/tubo da rede de distribuição. Acionar a broca no sentido horário, com auxílio da “chave para registro broca” até a completa perfuração do tubo, conforme instruções

forme estabelece esta Norma e limita-se aos produtos acabados.

6.2.2.2

Os lotes aceitos na inspeção, tendo em vista a ve-

do fabricante.

rificação do estipulado em 4.1, 4.2, 4.3 e 4.4, são objeto de ensaios de recebimento, conforme estabelece esta Norma.

5.2.4

Acoplamento da rosca

     
     

6.2.2.3

Todo o fornecimento deve ser dividido pelo fabri-

As amostras dos registros devem ter roscas compatíveis

cante em lotes de, no mínimo, 500 registros e, no máximo,

com a PB-14, verificadas através de padrão metálico.

10000 registros.

 

6 Inspeção

 

Nota: Inspeção em fornecimento inferior a 500 registros deve ser objeto de acordo prévio entre fabricante e comprador.

6.1

Generalidades

       
     

6.2.2.4

A quantidade da amostra para a realização dos en-

6.1.1

A inspeção do registro é normalmente feita na fábri-

saios de recebimento é fixada na Tabela.

 

4

EB-2121/1991

     

Tabela - Plano de amostragem

     
     

1ª amostragem

2ª amostragem

 

Tamanho do lote

Tamanho da

           
 

em controle

amostra

1º número

2º número

2º número

2º número

     

aceitação

 

rejeição

aceitação

rejeição

 

registros

registros

 

número de resultados negativos

   
 

500 - 10000

5

0

 

2

1

 

2

 

6.2.2.5 Para o ensaio de ponto de amolecimento Vicat, são

MB-1564.

7.2.3

Se o número de resultados negativos encontrados na

 

selecionados três registros da amostra obtida e, de cada um, são retirados dois corpos-de-prova, conforme a

primeira amostragem for superior ao primeiro número de aceitação, porém inferior ao primeiro número de rejeição, uma segunda amostragem de tamanho dado pelo plano

 

7 Aceitação e rejeição

   

deve ser retirada.

       

7.3

Segunda amostragem

     
 

7.1 Análise dos resultados dos ensaios de recebimento

         
       

7.3.1

O número de resultados negativos encontrados na

 

Os lotes serão aceitos quando cumprirem todas as exi- gências dos ensaios apresentados em 5.2, cujos resulta-

primeira e na segunda amostragem deve ser acumulado.

 

dos devem ser analisados individualmente, utilizando-se o

7.3.2

Se o número acumulado de resultados negativos for

 

plano de amostragem da Tabela, conforme descrição a seguir.

igual ou inferior ao segundo número de aceitação, o lote deve ser aceito.

 

A quantidade da amostra inspecionada em cada

ensaio deve ser igual ao tamanho da amostra dada pe-

7.1.1

7.3.3

Se o número acumulado de resultados negativos for

 

igual ou superior ao segundo número de rejeição, o lote

 

lo plano.

   

deve ser rejeitado.

       

7.4

Certificado de aprovação do material

 
 

7.1.2 A amostra com defeito ou danificada em qualquer en- saio deve ser substituída por outra, para a continuidade dos ensaios.

7.2 Primeira amostragem

Quando a aprovação do material for feita pelo comprador ou sua entidade inspetora, o certificado deve ser emitido no próprio local da inspeção, tão logo os ensaios sejam concluídos.

 

7.2.1

Se o número de resultados negativos na primeira

7.5 Prazo para recusa do material pela entidade

Quando a entidade inspetora do comprador recusar o ma-

 

amostragem for igual ou inferior ao primeiro número de aceitação, o lote deve ser aceito.

inspetora do comprador

 

7.2.2

Se o número de resultados negativos na primeira

 

amostragem for igual ou superior ao primeiro número de rejeição, o lote deve ser rejeitado.

terial, isto deve ser feito mediante documento dirigido às partes, no prazo máximo de até 48 h, com argumentos téc- nicos baseados nesta Norma.