Você está na página 1de 2

Como elaborar uma candidatura espontânea?

Definir o tipo ou tipos de trabalho que se pretende fazer-


nomeadamente o título e as competências, baseando-se em experiências
passadas ou no que conhece do sector.
Fazer uma lista das empresas que conhece que se dedicam a
actividades no sector escolhido - de modo a alargar mais o leque de
oportunidades: as empresas de menores dimensões oferecem por vezes postos
de trabalho mais interessantes, daí que não se deva restringir a procura às
grandes empresas.
Escrever uma carta de Candidatura Personalizada para cada empresa e
enviá-la com um currículo, esperando o posterior contacto.

saiba mais em: www.laranja-mecanica.com

O envio de candidaturas a empregos é uma das formas mais eficazes


de chamar a atenção para o seu potencial.
Veja como elaborar uma. Quais as partes qua a compõe, e quais as vantagens
de ser voçê a diridir-se às empresas e não o contrário.

O que é uma candidatura espontânea


Uma candidatura espontânea consiste em enviar, espontaneamente, o seu
Curriculum a uma série de empresas previamente definidas por si. Este
processo consiste numa pesquisa de empresas onde a sua experiência e/ou a
formação académica se enquadrem.

Principais objectivos da candidatura espontânea


Suscitar o interesse do empregador;
Chamar a atenção para o Curriculum Vitae;
Mostrar o seu interesse e motivação em relação ao posto de trabalho e à
empresa;
Ultrapassar a primeira etapa, a marcação de uma entrevista e, só depois, a
obtenção de um emprego.

Porque fazer uma candidatura espontânea


Uma grande percentagem dos empregos não são divulgados por anúncio. As
grandes empresas recrutam cerca de 40% do seu pessoal através das
candidaturas espontâneas.
Mostra iniciativa - o facto de enviar uma candidatura a uma empresa, sem
que isso tenha sido previamente solicitado irá mostrar ao potencial
empregador que o candidato tem capacidades para encontrar soluções para
além das mais evidentes.
Aumenta as hipóteses- semanalmente o número de anúncios compatíveis
com as suas qualificações e experiência é limitado, daí que o envio de
candidaturas espontâneas aumente bastante as possibilidades de encontrar
um emprego.
Alarga a outras áreas- quando não se possuem todas as qualificações
exigidas pelos anúncios.
Como fazer uma carta de candidatura espontânea
Uma carta de candidatura deve, pois incluir as seguintes partes com os seus
respectivos conteúdos:
Cabeçalho - deve incluir a identificação do candidato e da empresa a que se
dirige, e também a sua, que pode ser o Director de Recursos Humanos ou o
Director Geral, no caso de empresas de menor dimensão ou mais
centralizadas;
Introdução - começa por estabelecer o motivo do contacto, expressando o seu
interesse pela actividade desenvolvida pela empresa assim como pelo tipo de
trabalho que pretende fazer;
Desenvolvimento-no corpo da carta devem estar explícitas as competências,
qualificações e experiências que se adequam ao trabalho a desempenhar e a
forma como poderá desenvolver a sua actividade no contexto daquela empresa
em especial;
Conclusão - deve referir novamente a disponibilidade para ser contactado
pela empresa para qualquer prova ou entrevista mencionando a melhor forma
de estabelecer esse contacto.

saiba mais em: www.laranja-mecanica.com