Você está na página 1de 20

CENTRO FEDERAL DE EDUCAÇÃO TECNOLÓGICA DE PELOTAS CURSO SUPERIOR DE TECNOLOGIA EM AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL ACIONAMENTOS HIDRÁULICOS E PNEUMÁTICOS PROF.: CLÁUDIO MACHADO

CIRCUITO HIDRÁULICO (Cálculos e descrição do funcionamento)

Ricardo Garcia Jeske Ricardo Prediger

Pelotas, 14 de dezembro de 2007.

INTRODUÇÃO

Este relatório tem como objetivo geral apresentar um esquema hidráulico e demonstrar os cálculos utilizados para a determinação dos componentes, assim como as especificações técnicas dos mesmos e por fim explicar o seu funcionamento. As simulações foram efetuadas no software Automation Studio 5.0

MODELO

INTRODUÇÃO Este relatório tem como objetivo geral apresentar um esquema hidráulico e demonstrar os cálculos utilizados

ESPECIFICAÇÃO

Cilindro A

Cilindro B

Força de avanço: 100.000 N

Força de avanço: 500.000 N

Força de recuo:

5.000 N

Velocidade de recuo: 0,1 m/s

DETERMINAÇÃO DOS CILINDROS Inicialmente analisou-se a força de avanço do Cilindro B, por ser a de maior intensidade. O modelo escolhido foi o Cilindro Hidráulico Tipo CDT3/CGT3, por tratar-se do modelo mais simples disponível e consequentemente o mais barato.

DETERMINAÇÃO DOS CILINDROS Inicialmente analisou-se a força de avanço do Cilindro B , por ser a

Pressão Nominal: 160 bar Pressão Estática de teste: 240 bar

Para não expor o cilindro ao seu limite máximo, os cálculos foram feitos com 80% de sua capacidade. Pressão Nominal 20% = Pressão de Operação = 128 bar

N P  1 bar  100.000 F A m 2 N 500.000 A N 12.800.000
N
P 
1
bar 
100.000
F A
m
2
N
500.000 A N
12.800.000
m
2

A

500.000

N

12.800.000

N

2

m

->

A  390,62cm
A  390,62cm

2

Analisando a tabela, a maior área disponível é de

A 0,0390625 m A 314,16cm

2

2

Foi escolhido então o Cilindro Hidráulico Tipo CDH2/CGH2 , por fornecer êmbolo com a área necessária.

Foi escolhido então o Cilindro Hidráulico Tipo CDH2/CGH2, por fornecer êmbolo com a área necessária.

Foi escolhido então o Cilindro Hidráulico Tipo CDH2/CGH2 , por fornecer êmbolo com a área necessária.

Pressão Nominal: 250 bar Pressão Estática de teste: 375 bar

Pressão Nominal 20% = Pressão de Operação = 200 bar

Cilindro A

Força de avanço: 100.000 N

Força de recuo:

5.000 N

 

P

F

1

bar

100.000

N

 

A

2

m

 

20.000.000

N

100.000 N

 

m

2

A

A

100.000 N

 

2

  • m ->

 

A 0,005m

2

20.000.000 N

 

Analisando a tabela,

A  50cm 2 A  50,26cm 2 A b  30,63cm 2 a F 
A  50cm
2
A
50,26cm
2
A
b 
30,63cm
2
a
F  p
.A
 p
.A
a
a
b
b

A pressão de recuo pode ser considerada sendo

  • p 0,5bar

100.000

N p

a

.0,005026

m

2

50000

N

2

m

.0,003063m

2

p a

100.153,15 0,005026 m N

2

->

p

a 19927009 ,55

Pa

p a  199,27 bar
p a  199,27 bar

Cilindro B

Força de avanço: 500.000 N Velocidade de recuo: 0,1 m/s

 

P

F

1

bar

100.000

N

 

A

2

m

20.000.000

N

500.000 N

 

m

2

A

A

500.000 N

2

  • m ->

 

A 0,025m

2

20.000.000 N

 
A  250cm 2 A  254,47cm 2 A b  131,75cm 2 a Analisando a
A  250cm
2
A
254,47cm
2
A
b 
131,75cm
2
a
Analisando a tabela,
F  p
.A
 p
.A
p  0,5bar
a
a
b
b
N
500.000
N p
.0,025447
m
2
50000
.0,013175m
2
a
m
2
500.658,75 0,025447 m N
p
a  19674568 ,71
Pa
p a
2
->
p a  196,75 bar
p a  196,75 bar
6
6

Bomba

Retorno com V = 0,1 m/s

->

Analisando a tabela,

L Q  79,1 min
L
Q  79,1
min

Não há bomba no catálogo que forneça essa vazão. Então,

L 79,1 min L Q   39,55  bombas 2 2 min
L
79,1
min
L
Q
39,55
 bombas
2
2
min

Seguindo o mesmo critério utilizado para os atuadores, usamos este valor como sendo 80% da capacidade de vazão da bomba. Portanto,

X

100%

39,55

L

80%

min

Q

49,4375

  • L Cada Bomba

min

O modelo escolhido foi a Bomba de Engrenamento externo Tipo AZPZ, Série 1x, por atender a vazão e pressão necessária.

Bomba Retorno com V = 0,1 m/s -> Analisando a tabela, L Q  79,1 min
Bomba Retorno com V = 0,1 m/s -> Analisando a tabela, L Q  79,1 min

Analisando a tabela,

L Q  48,6 min
L
Q  48,6
min

à 200bar e 1750rpm

8
8
8

A vazão,

Q 25,9

3

cm Rot

, com V = 1750 rpm

3

m

dm

3

0,

3

cm

025

3

mm

9

1L  1dm 3
1L  1dm
3

Q 45,325LPM Q 2*45,325LPM

LPM Litros por Minutos

Como serão utilizados 2 motores,

Q Total 90,65 LPM

Válvulas Limitadoras de Pressão

VCP-NF (Válvula Controladora de Pressão Normalmente Fechada)

Optou-se pela Válvula Limitadora de Pressão Pilotada Tipo DB(W)

...

W65

A vazão, Q  25,9 3 cm Rot , com V = 1750 rpm 3 m
10

Válvulas Limitadoras de Vazão

VCV (Válvula Controladora de Vazão)

Optou-se pela Válvula estranguladora da vazão com retorno livre Tipo MK

Válvulas Limitadoras de Vazão VCV (Válvula Controladora de Vazão) Optou-se pela Válvula estranguladora da vazão com
Válvulas Limitadoras de Vazão VCV (Válvula Controladora de Vazão) Optou-se pela Válvula estranguladora da vazão com
Válvulas Limitadoras de Vazão VCV (Válvula Controladora de Vazão) Optou-se pela Válvula estranguladora da vazão com
12
12

Válvula Direcional

O circuito possui uma VCD 4/3 CF (Válvula de Controle Direcional, 4 vias e 3 posições, Centro Fechado). O tipo escolhido foi a Válvula Direcional 4/3 e 4/2 Acionamento Manual Tipo

4WMM16

Válvula Direcional O circuito possui uma VCD 4/3 – CF (Válvula de Controle Direcional, 4 vias

Modelo escolhido

Válvula Direcional O circuito possui uma VCD 4/3 – CF (Válvula de Controle Direcional, 4 vias
14

ANÁLISE DO FUNCIONAMENTO 1° Caso:

Inicialmente foi feita a análise com a VCD fechada.

ANÁLISE DO FUNCIONAMENTO 1° Caso: Inicialmente foi feita a análise com a VCD fechada. Nesta situação,

Nesta situação, somente as vias em vermelho estão com pressão, pois a posição em que se encontra a VCD impede a passagem do óleo para as demais vias. A VCP-NF 01 é acionada automaticamente com a própria pressão elevada, evitando o rompimento das mangueiras, assim como também os motores. Ela foi dimensionada e regulada de tal forma que não permita que a pressão nas vias ultrapasse

250bar.

Quando a pressão atinge um valor próximo a 240bar, a VCP_NF 01 é acionada e faz com que o óleo que está sendo bombeado retorne para o reservatório.

2° Caso:

Ao se mover a VCD para a esquerda, faz-se com que o fluxo de óleo se desloque

para as demais vias representadas em vermelho.

2° Caso: Ao se mover a VCD para a esquerda, faz-se com que o fluxo de

A haste do Cilindro Amove-se com pressão constante de aproximadamente

200bar.

A VCP-NF 02 impede que o fluxo de óleo se desloque para o “Cilindro B” antes que a haste do “Cilindro A” tenha chegado ao final de curso. Isto se dá porque ela foi regulada para ser acionada automaticamente quando a pressão chegar próximo a 215bar. A pressão só chegará a tal valor quando cessar o movimento no “Cilindro A”, pois como mencionado anteriormente, o movimento se dá com pressão constante de aproximadamente 200bar.

3° Caso:

Dando seqüência ao movimento anterior, quando a haste do Cilindro A chega ao fim de curso, a pressão se eleva e então a VCP-NF 02 é acionada.

O deslocamento da haste no Cilindro aproximadamente 215bar. B se dá com pressão constante de
O deslocamento da haste no Cilindro
aproximadamente 215bar.
B
se
dá com pressão
constante de

E por fim, nesta situação, cessados todos movimentos, a pressão se estabiliza em todas as mangueiras, aqui representadas em vermelho.

E por fim, nesta situação, cessados todos movimentos, a pressão se estabiliza em todas as mangueiras,

4° Caso:

Agora se deslocou a VCD para o outro lado. Neste momento, o fluxo de óleo é direcionado para o “Cilindro A” e para o “Cilindro B”. Mas no “Cilindro A” o movimento de recuo se dá mais rapidamente, pois não há nada que limite a vazão do óleo até a câmara do cilindro. Já no “Cilindro B”, a vazão do óleo é limitada pela VCV, que é regulada de forma a controlar a vazão de óleo a qual será direcionada até o

cilindro, controlando assim a velocidade de recuo.

4° Caso: Agora se deslocou a VCD para o outro lado. Neste momento, o fluxo de