Você está na página 1de 11

GRUPO CABO FREE DE CONSCIENTIZAÇÃO HOMOSSEXUAL

E COMBATE A HOMOFOBIA

ESTATUTO SOCIAL

CAPÍTULO I – DA DENOMINAÇÃO, FORO E DURAÇÃO

Art.1º- O GRUPO CABO FREE DE CONSCIENTIZAÇÃO HOMOSSEXUAL E


COMBATE A HOMOFOBIA (GLBT-LAGOS) é uma Associação civil de fins
não econômicos, com sede e foro no Estado do Rio de Janeiro, na
Rua Natal n° 36,Cobertura, Palmeiras, município de Cabo Frio,
que tem como objetivo a promoção da cultura, do esporte, do
turismo, do voluntariado, de promoção de direitos estabelecidos,
construção de novos direitos e assessoria jurídica gratuita de
interesse suplementar, de promoção da ética, de paz, da
cidadania, dos direitos humanos, da democracia e de outros
valores universais. Reger-se-á pelo presente estatuto e pelos
dispositivos legais ou regulamentados que lhe forem aplicados.
Parágrafo Único: A associação poderá, mediante deliberação da
diretoria, criar sub-sedes em qualquer parte do território
nacional.

Art.2º- O GLBT-LAGOS é pessoa jurídica de direito privado,


regido pelos princípios da legalidade, impessoalidade,
moralidade, publicidade, economicidade e da eficiência, não
tendo vinculação a nenhum partido político, grupo religioso ou
qualquer organismo ou entidade cujos fins específicos não digam
respeito aos do objetivo social. O GLBT-LAGOS adotará práticas
de gestão administrativa necessárias e suficientes a coibir a
obtenção, de forma individual ou coletiva, de benefícios ou
vantagens pessoais, em decorrência da participação no respectivo
processo decisório.

Art.3º- A denominação GRUPO CABO FREE DE CONSCIENTIZAÇÃO


HOMOSSEXUAL E COMBATE A HOMOFOBIA foi aprovada na primeira
reunião da comissão provisória em 10 de julho de 2004 e
referendada na mesma data. Referindo-se à crença na pluralidade,
ou seja, aceitando as diferenças entre os seres humanos, suas
idéias, sentimentos e credos, o GLBT-LAGOS acredita que se pode
caminhar todos juntos na construção de um mundo sem preconceito
e discriminação em relação à orientação sexual de QUALQUER
PESSOA, sobretudo à orientação homossexual.

CAPÍTULO II – DAS FINALIDADES

Art. 4º- Constitui finalidade fundamental do GLBT-LAGOS


organizar, sem qualquer forma de discriminação, o maior número
possível de pessoas, em defender a liberdade de orientação
sexual de TODO E QUALQUER INDIVÍDUO, sobretudo de orientação
homossexual.
Art. 5º- Constituem finalidades específicas do GLBT-LAGOS:

A)Promover e defender os direitos humanos de Gays, Lésbicas,


bissexuais e transgêneros:

1- Conscientizar as pessoas com orientação homossexual de sua


importância como seres humanos, de seus direitos e,
principalmente, de sua liberdade de orientação homossexual;
2- Contribuir para coleta, organização e difusão de informações
e a produção de conhecimentos sobre a sexualidade humana,
sobretudo com relação à homossexualidade;
3- Conscientizar a sociedade do direito à liberdade de
orientação sexual, inclusive a homossexual;
4- Divulgar para a sociedade as finalidades, objetivos,
promoções e realizações do GLBT-LAGOS.
5- Combater qualquer discriminação por orientação sexual,
sobretudo homossexual;
6- Promover intercâmbio com outras organizações afins, em nível
nacional e internacional, bem como com entidades de defesa de
outros grupos minoritários ou entidades empenhadas na defesa
dos direitos humanos, respeitando o Artigo 2º do presente
Estatuto;
7- Auxiliar na formação de novos grupos de conscientização e
emancipação homossexual em todo o território nacional e no
exterior;
8- Promover a auto-estima dentro da comunidade homossexual,
objetivando uma melhoria na qualidade de vida;
9- Participar, apoiar e divulgar trabalhos e eventos culturais,
artísticos, literários, cívicos turísticos e desportivos ou
quaisquer outros sobre a sexualidade humana, sobretudo com
relação à homossexualidade.

b) Promover a prevenção e a assistência a AIDS e outras DST:

1 – Participar de campanhas de prevenção à AIDS/DST,


individualmente ou em parceria com outras instituições;
2 – Participar de Fóruns relativos à saúde (Comissões Municipal
e Estadual de Prevenção e Controle de DST/AIDS, Conselhos de
Saúde e outros afins);
3 – Participar em debates, encontros e entrevistas às quais
beneficiem à prevenção à DST/AIDS;
4 – Acompanhar as ações governamentais não governamentais sempre
com senso crítico tanto a nível federal, estadual e municipal;
5 – Desenvolver Projetos/Programas de prevenção e assistência à
AIDS/DST dirigido a toda comunidade conforme as possibilidades
do GLBT-LAGOS, podendo esses projetos/programa serem em conjunto
com outras organizações;
6 – Apoiar outras organizações assistenciais que ajudem pessoas
com AIDS/DST;
7 – Assessorar outros Grupos afins no sentido de formação,
aquisição de recursos e elaboração de Projetos de prevenção às
DST/AIDS;
8 – Discutir e levar à comunidade GLBT informações relacionadas
principalmente às doenças transmissíveis, dando prioridade à
AIDS/DST;
9 – Promover o marketing social do preservativo;

Parágrafo Único: Cabe à Diretoria a responsabilidade pelas


informações, assim como a forma como tais serão veiculadas.

CAPÍTULO III – DA ORGANIZAÇÃO

Seção I – DOS MEMBROS

Art.6º- São membros do GLBT-LAGOS pessoas físicas, sem


restrição, que aceitem o presente estatuto e tenham formalizado
a sua inscrição junto ao GLBT-LAGOS;
Parágrafo Único: Em quaisquer circunstâncias, somente terão
acesso às fichas de inscrição os membros da Diretoria do GLBT-
LAGOS, resguardado, assim, o direito à inviolabilidade das
informações.

Art.7º- O quadro social é composto de:


1-MEMBROS COLABORADORES
2-MEMBROS FUNDADORES
3-MEMBROS HONORÁRIOS

Parágrafo 1º- MEMBROS COLABORADORES são aqueles que tenham


participado de cinco reuniões regulares consecutivas, ou de pelo
menos oito das últimas dez anteriores à sua inscrição,
contribuindo mensalmente com uma quantia voluntária, nunca
inferior à contribuição mínima mensal.

Parágrafo 2º- REUNIÕES REGULARES são definidas como aquelas em


que são realizadas discussões dinâmicas sobre temas relacionados
com a auto-estima e a orientação sexual.

Parágrafo 3º- A CONTRIBUIÇÃO MÍNIMA MENSAL inicial está


estipulada pelo presente Estatuto em R$ 5,00 (cinco reais). Seu
valor poderá ser alterado em qualquer período pela Diretoria.

Parágrafo 4º- MEMBROS FUNDADORES são aqueles que participaram da


fundação, constando na Ata, participam regularmente das
atividades da Entidade, contribuem para o seu desenvolvimento.

Parágrafo 5º- MEMBROS HONORÁRIOS são pessoas físicas ou


jurídicas que sem participar das atividades internas da
Entidade, dão apoio financeiro, logístico ou de outro tipo,
contribuindo assim para o desenvolvimento do GLBT-LAGOS.
Art. 8º- A admissão de MEMBROS previstos no artigo 7º está
sujeita à aprovação da Diretoria.

Art. 9º- Os MEMBROS não respondem nem conjunta e nem


subsidiariamente pelas dívidas e obrigações do GLBT-LAGOS.

Art. 10º- Constituem direitos dos MEMBROS do GLBT-LAGOS:


1- Propor e discutir na Assembléia Geral;
2- Participar de qualquer evento promovido pelo GLBT-LAGOS.
3- Votar na Assembléia Geral, se for MEMBRO DA ASSEMBLÉIA
GERAL;
Art.11- Constituem deveres dos MEMBROS do GLBT-LAGOS:
1- Respeitar e fazer respeitar o presente Estatuto;
2- Participar das atividades do GLBT-LAGOS;
3- Efetuar pontualmente o pagamento das contribuições mensais,
se for MEMBRO COLABORADOR.

Art.12- Poderão ser aplicadas sanções aos MEMBROS do GLBT-LAGOS


que firam os interesses do mesmo e o presente Estatuto.

SEÇÃO II – DA ADMINISTRAÇÃO

Art.13- O GLBT-LAGOS é constituído dos seguintes órgãos:


1-Assembléia Geral;
2-Diretoria;
3-Conselho Consultivo;
4-Conselho de Ética;
3-Coordenações.

SEÇÃO III – DA ASSEMBLÉIA GERAL

Art. 14- A Assembléia Geral é o órgão máximo soberano e


deliberativo do GLBT-LAGOS, sendo constituída de todos os
MEMBROS FUNDADORES, MEMBROS DA DIRETORIA e dos CONSELHOS
CONSULTIVO e DE ÉTICA do GLBT-LAGOS, observando-se os demais
dispositivos do presente Estatuto.

Parágrafo 1º- As deliberações da Assembléia Geral serão


aprovadas por metade mais um dos votos válidos, exceto as que
modifiquem o Estatuto, que serão aprovadas por 2/3 dos votos
válidos.

Parágrafo 2º- É vedado o voto por procuração.

Parágrafo 3º- Tem o direito de voto apenas os MEMBROS FUNDADORES


e MEMBROS DA DIRETORIA e dos CONSELHOS DE ÉTICA E CONSULTIVO do
GLBT-LAGOS.
Parágrafo 4º- Aos MEMBROS que não têm voto válido não será
garantido o direito de voz.

Art. 15- A Assembléia Geral reunir-se-á ordinariamente a cada


ano por convocação da Diretoria, através de seu Diretor Sócio-
Cultural, com antecedência mínima de 15 (quinze) dias, através
de correspondências dirigidas a seus MEMBROS e de Edital afixado
na Sede do GLBT-LAGOS e no local da realização das reuniões
regulares.

Parágrafo único: Em primeira chamada a Assembléia Geral


deliberará com a presença de pelos menos 1/3 de seus MEMBROS
FUNDADORES e após trinta minutos, em segunda chamada com
qualquer número.

Art. 16- A Assembléia Geral reunir-se-á extraordinariamente por


convocação da Diretoria, ou quando solicitado por 1/3 (um terço)
de seus MEMBROS FUNDADORES, com antecedência de 15 (quinze)
dias.

Parágrafo 1º- As Assembléias Gerais Extraordinárias tratarão


exclusivamente dos assuntos que deram motivo à sua convocação.

Parágrafo 2º- Convocada a Assembléia Geral Extraordinária, os


convocadores deverão notificar ao Diretor Sócio-Cultural, para
que elabore o Edital e o divulgue com antecedência mínima de
7(sete) dias.

Art. 17- Compete à Assembléia Geral Ordinária:


1- Eleger a Diretoria respeitando o disposto nas Seções V do
presente Estatuto;

2- Conhecer e julgar os relatórios anuais e ações da Diretoria


e das Coordenações, assim como, discutir e aprovar o plano
anual de ações do GLBT-LAGOS.

3- Apreciar e julgar sobre as contas da Diretoria.

4- Deliberar sobre assuntos gerais de interesse do GLBT-LAGOS


constantes do Edital de Convocação.

Art. 18- Compete à Assembléia Geral Extraordinária:


1- Alterar total ou parcialmente o Estatuto, mediante
aprovação de metade mais um dos votos válidos;
2- Deliberar sobre a dissolução do GLBT-LAGOS;
3- Deliberar sobre a destituição de membros da Diretoria;
4- Deliberar sobre os assuntos motivadores da convocação.
SEÇÃO IV – DA DIRETORIA

Art.19- A Diretoria será eleita pela Assembléia Geral Ordinária,


por maioria simples, com mandato de 8 (oito) anos, vencendo o
mandato a cada dia 30 de setembro de cada oito anos..

Parágrafo 1º- A convocação da Assembléia Geral Ordinária deverá


ser realizada na última quinzena de agosto de cada ano.

Parágrafo 2º- Para concorrer à Diretoria devem ser formadas


chapas somente entre os MEMBROS DA ASSEMBLÉIA GERAL (DIRETORIA,
MEMBROS FUNDADORES E CONSELHOS CONSULTIVO E DE ÉTICA) as quais
deverão inscrever-se até cinco dias antes da Assembléia que
elegerá a nova Diretoria.

Art. 20- A Diretoria será composta de 6 (quatro) MEMBROS:


1- Presidente;
2- Vice-Presidente;
3- Diretor Cultural;
4- Diretor Financeiro;
5- 1º Secretário;
6- 2º Secretário;

Parágrafo 1º- Os membros da Diretoria serão eleitos por


aclamação e por voto dos membros fundadores.

Parágrafo 2º- Em caso de impedimento ou vacância de algum cargo


da Diretoria, será convocada uma Assembléia Geral Extraordinária
para eleger um substituto.

Parágrafo 3º- A renúncia de qualquer membro da Diretoria deverá


ser comunicada ao Presidente por escrito.

Parágrafo 4º- Os membros da Diretoria não respondem solidária ou


subsidiariamente pelas obrigações contraídas em nome da GLBT-
LAGOS, quando agirem dentro dos poderes que lhes são atribuídos
neste Estatuto.

Art. 21- Compete à Diretoria:

1- Convocar a Assembléia Geral Ordinária e Extraordinária;


2- Executar e fazer cumprir as decisões da Assembléia Geral;
3- Cumprir as determinações deliberadas por este órgão;
4- Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto;
5- Criar coordenações de trabalho sempre que julgar
necessário;
6- Preparar o relatório anual sobre as atividades do GLBT-
LAGOS;
7- Crias e dissolver as Coordenações do GLBT-LAGOS,
respeitando o Art. 26 do Presente Estatuto;
8- Representar o GLBT-LAGOS perante bancos e outras
instituições financeiras, com poderes específicos para
emitir, assinar e endossar cheques, ordens de pagamento,
aceitar cheques e duplicatas e ainda assinar
correspondência de autorização de débito em conta corrente.
Nesta capacidade, a Diretoria se fará representar sempre
com duas assinaturas, sendo uma obrigatoriamente do
Presidente e a outra do Diretor Financeiro.

Parágrafo Único: A Diretoria reunir-se-á quinzenalmente e


extraordinariamente sempre que julgar necessário.

Art.22- Compete ao Presidente do GLBT-LAGOS:


1- Presidir e coordenar as reuniões da Diretoria e das
Assembléias Gerais;
2- Convocar a Diretoria para reuniões Ordinárias e
Extraordinárias;
3- Gerir com o Diretor Financeiro os recursos do GLBT-LAGOS,
aprovando e assinando os documentos referentes à gestão
financeira;
4- Representar o GLBT-LAGOS em Juízo ou extra-judicialmente e
receber citação e intimação em nome do GLBT-LAGOS;
5- Assinar toda a correspondência e documentos emitidos pelo
GLBT-LAGOS;
6- Delegar poderes a outros membros da Diretoria;
7- Cumprir e fazer cumprir o presente Estatuto;
8- Gerenciar as coordenações de projetos do GLBT-LAGOS.

Art. 23- Compete ao Vice-Presidente do GLBT-LAGOS:


1- Auxiliar o Presidente e substituí-lo em seus impedimentos.
2- Elaborar as correspondências do GLBT-LAGOS;
3- Elaborar os relatórios do GLBT-LAGOS;

Art. 24- Compete ao Diretor Cultural:


1- Substituir o Presidente e o Vice-Presidente em suas faltas
e impedimentos;

2- Monitorar as atividades do GLBT-LAGOS relacionadas à sua


pasta;
3- Organizar o acervo do GLBT-LAGOS de forma a preservar a
história da entidade, da Associação Brasileira de Gays,
Lésbicas e Travestis e do movimento homossexual brasileiro,
objetivando a sua difusão comunitária e científica.

Parágrafo Único: Na falta do Diretor Financeiro, qualquer outro


membro da Diretoria poderá substituí-lo em suas funções, desde
que seja aprovado pela maioria de seus membros.
Art. 25- Compete ao Diretor Financeiro do GLBT-LAGOS:

1- Elaborar planos de arrecadação dos recursos financeiros do


GLBT-LAGOS, mantendo em ordem e em dia o livro-caixa,
cobrar e receber as mensalidades, contribuições e doações;
2- Submeter à aprovação da Diretoria os documentos relativos à
gestão financeira;
3- Exercer as funções de Diretor Financeiro;
4- Substituir o Presidente em suas ausências ou impedimentos
relativos às funções do ítem 3 do Artigo 22.

ART.26 – Compete aos 1º e 2º Secretários do GLBT-LAGOS:

1 - Secretariar as reuniões da Diretoria e Assembléia Geral e


redigir as competentes atas;
2 - Publicar todas as notícias das atividades da entidade;
- Outras julgadas necessárias

SEÇAO V – DOS CONSELHOS:

ART.27 – Os Conselhos de Ética e Consultivo serão compostos por


6 membros cada, eleitos pela Assembléia Geral;

Parágrafo 1ª - O mandato dos Conselhos de Ética e Consultivo


serão coincidentes com o mandato da Diretoria;
Parágrafo 2º - Em caso de vacância, far-se-á uma nova eleição em
Assembléia Extraordinária convocada para esse fim.

ART. 28 – Compete aos Conselhos:

Parágrafo 1º - Conselho de Ética:

a) Examinar os livros de escrituração da entidade;


b) Examinar o balancete semestral apresentado pelo
Diretor Financeiro, opinando à respeito;
c) Apreciar os balanços e relatórios anuais apresentados
pela Diretoria;
d) Opinar sobre a aquisição e alienação de bens;
e) Opinar sobre decisões de ordem administrativa, quando
consultados;
f) Julgar questões de ética na GLBT-LAGOS, ouvindo sempre
as partes envolvidas;
g) O Conselho de ética reunir-se-á sempre que necessário;
h) O Conselho de ética elaborará seu próprio Regimento
Interno, o qual será aprovado em Assembléia;
i) Os Membros do Conselho de ética tomarão posse na mesma
data de sua eleição.
j) Colaborar mensalmente com a contribuição mínima.
Parágrafo 2ª - Conselho Consultivo:

a) - Com o objetivo de assessorar os membros da GLBT-


LAGOS na consecução de seus objetivos estatutários, e
principalmente na elaboração, condução e implementação
de suas ações, campanhas e projetos, os membros
da Diretoria Executiva indicarão pessoas de
reconhecimento saber e idoneidade, nos campos de
conhecimento afins com suas atividades, para comporem
o Conselho Consultivo.

b) Os membros do Conselho Consultivo participarão


efetivamente das atividades do Grupo;
k) Colaborarão mensalmente com a contribuição mínima.

c) Deliberarão sobre questões colocadas pela Diretoria;

SEÇÃO VI – DAS COORDENAÇÕES:

ART.29 - As coordenações serão constituídas e terão funções


determinadas pela Diretoria e poderão ser modificados pela mesma
conforme a necessidade do GLBT-LAGOS.

CAPÍTULO IV – DOS RECURSOS E DO PATRIMÔNIO DO GLBT-LAGOS

Art. 30- O Patrimônio do GLBT-LAGOS será constituído de:


1- Mensalidades dos MEMBROS COLABOREADORES;
2- Doações espontâneas;
3- Contribuições de outras pessoas físicas ou jurídicas;
4- Rendas provenientes de quaisquer atividades promovidas pelo
GLBT-LAGOS.
5- Bens móveis, imóveis, obras de arte que possui ou venha a
possuir por compra, doação, legado ou outra forma legal.
Parágrafo único: Ainda que sem fins lucrativos, o GLBT-LAGOS
poderá constituir renda visando à sua aplicação na seqüência de
seus objetivos, sendo necessário o registro no livro-caixa;

Art.31- Todas as despesas e receitas do GLBT-LAGOS serão


escrituradas em livros revestidos das formalidades legais e
respeitando-se a observância dos princípios fundamentais de
contabilidade e das Normas Brasileiras de Contabilidade.

Parágrafo 1º- Será dada a publicidade, por qualquer meio eficaz,


no encerramento do exercício fiscal ao relatório de atividades e
de demonstrações financeiras da entidade, incluindo-se aí as
certidões negativas de débitos junto ao INSS e ao FGTS,
colocando-se à disposição para exame de qualquer cidadão.
Parágrafo 2º- Realizar auditoria, inclusive pro auditores
externos independentes se for o caso, da aplicação dos eventuais
recursos objeto do Termo de parceria, conforme previsto em
regulamento.

Parágrafo 3º- Realizar a prestação de contas de todos os


recursos e bens de origem pública recebidos, conforme determina
o parágrafo único do artigo 70 da Constituição Federal.

Art. 32- Os bens patrimoniais não provenientes de recursos


públicos, só poderão ser alienados por decisão de 2/3 (dois
terços) de seus MEMBROS COLABORADORES em Assembléia Geral
Extraordinária convocada para tal fim.

Parágrafo único: Os recursos obtidos com a venda de bens do


GLBT-LAGOS deverão sr imediatamente reaplicados no interesse do
GLBT-LAGOS.

Art.33- Em caso de dissolução ou extinção do GLBT-LAGOS, o


eventual patrimônio líquido remanescente será transferido a
outra pessoa jurídica, qualificada nos termos da Lei 9790, de 23
de março de 1999, que esteja registrada no Conselho Nacional de
Assistência Social e que preferencialmente tenha o mesmo
objetivo do GLBT-LAGOS.

Parágrafo 1º- As entidades a serem beneficiadas do patrimônio do


GLBT-LAGOS serão definidas na Assembléia Geral Extraordinária
convocada para discutir a dissolução do GLBT-LAGOS.

Parágrafo 2º- O acervo constituinte (livros, revistas,


documentos avulsos, etc) serão doados juntamente com todos os
demais bens.

Parágrafo 3º- Na hipótese do GLBT-LAGOS perder a qualificação


instituída pela Lei 9.790, de 23 de março de 1999, o respectivo
patrimônio disponível, adquirido com recursos públicos durante o
período em que perdurou esta qualificação, será transferido a
outra pessoa jurídica qualificada nos termos da Lei 9.790, de 23
de março de 1999, preferencialmente que tenha o mesmo objetivo
social.

Art. 34- Os cargos da Diretoria poderão ser remunerados. O GLBT-


LAGOS poderá reembolsar despesas de seus MEMBROS quando estes
estiverem representando o GLBT-LAGOS em quaisquer situações,
mediante comprovação e sujeito à aprovação pela Diretoria.

Art. 35- Qualquer trabalho pago por consultoria ou assessoria a


ser realizado por um membro do GLBT-LAGOS, deverá prever a
quantia para doação de um mínimo de 10% (dez por cento) do
recebido, respeitando-se os valores pagos praticados pelo
mercado, na região correspondente à sua área de atuação.
Art.36- O GLBT-LAGOS não concede vantagens ou benefícios de
qualquer forma ou título, a seus Diretores, Conselheiros,
Membros, Benfeitores ou equivalentes.

Art. 37- O GLBT-LAGOS aplica integralmente suas rendas, recursos


e eventual resultado operacional na manutenção e desenvolvimento
dos objetivos institucionais no território nacional.

CAPÍTULO V – DAS DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS

Art.38- O GLBT-LAGOS somente poderá ser dissolvido por decisão


de ¾ (três quartos) dos MEMBROS da Assembléia Geral convocada
para tal fim.

Art. 39- Os casos omissos serão resolvidos pela Diretoria e


referendados pela Assembléia Geral Extraordinária.

Cabo Frio, 10 de Julho de 2004.