Você está na página 1de 8

NORMAS ORIENTADORAS DO ESTÁGIO PROFISSIONAL DO CICLO DE ESTUDOS CONDUCENTE AO GRAU

DE MESTRE EM ENSINO DE EDUCAÇÃO FÍSICA NOS ENSINOS BÁSICOS E SECUNDÁRIO DA FADEUP

2009-2010

Zélia Matos
Estágio Profissional Normas Orientadoras

Enquadramento do Estágio Profissional (EP)

As “Normas Orientadoras do Estágio Profissional” do 2º ciclo de Estudos conducente ao grau de


Mestre em Ensino de Educação Física nos Ensinos Básico e Secundário, da Faculdade de Desporto da
Universidade do Porto, operacionalizam o Regulamento do Estágio Profissional, para o ano lectivo
2009/2010. Este documento contempla as quatro áreas de desempenho previstas no Regulamento
de Estágio Profissional:
Área 1 – “Organização e Gestão do Ensino e da Aprendizagem”,
Área 2 – “Participação na Escola”,
Área 3 – “Relações com a Comunidade”,
Área 4 – “Desenvolvimento Profissional”.
Na especificação de cada área de desempenho são contemplados os seguintes aspectos: âmbito,
objectivo geral, competências gerais a desenvolver pelos estudantes-estagiários e tarefas gerais a
realizar.
Este documento tem uma dupla preocupação: adequar-se ao novo estatuto do estudante-estagiário
e manter o fundamental do modelo do Estágio Pedagógico da Faculdade de Desporto da
Universidade do Porto.
A natureza complexa, unitária e integral do processo de ensino eaprendizagem, bem como as
características gerais da actividade do professor que decorre num contexto balizado pelas condições
gerais do sistema educativo, pelas condições locais das situações de educação e pelas condições
mais próximas da relação educativa, obrigam a uma tentativa de integração e de interligação das
várias áreas e domínios a percorrer no processo de formação e, em particular, no Estágio
Profissional, de forma a retirar o formalismo das realizações e a promover as vivências que
conduzem ao desenvolvimento da competência profissional.
A competência profissional assenta no desenvolvimento de competências pedagógicas, didácticas e
científicas, associadas a um desempenho profissional crítico e reflexivo que se apoia igualmente
numa ética profissional em que se destaca a capacidade para o trabalho em equipa, o sentido de
responsabilidade, a assiduidade, a pontualidade, a apresentação e a conduta adequadas na Escola.
Os determinantes do exercício da competência, tais como os valores, a motivação e a atitude
positiva face à profissão percorrem todas as áreas de desempenho e em todas têm de ser
trabalhados de forma sistemática.
A estrutura e funcionamento do Estágio Profissional consideram os princípios decorrentes das
orientações legais constantes do Decreto-lei nº 74/2006 de 24 de Março e o Decreto-lei nº 43/2007
de 22 de Fevereiro.

Zélia Matos 2
Estágio Profissional Normas Orientadoras

O Estágio Profissional entende-se como um projecto de formação do estudante com a integração do


conhecimento proposicional e prático necessário ao professor, numa interpretação actual da relação
teoria prática e contextualizando o conhecimento no espaço escolar. O projecto de formação tem
como objectivo a formação do professor profissional, promotor de um ensino de qualidade. Um
professor reflexivo que analisa, reflecte e sabe justificar o que faz em consonância com os critérios
do profissionalismo docente e o conjunto das funções docentes entre as quais sobressaem funções
lectivas, de organização e gestão, investigativas e de cooperação.

A pluralidade e a natureza das funções docentes remetem para a noção de polivalência e alternância
que permita um vaivém epistémico entre a teoria e a prática. Esta compreensão servirá de linha
orientadora para a elaboração do Relatório de Estágio em que a investigação/reflexão/acção se
assume como um caminho adequado.

Objectivo geral

O EP visa a integração no exercício da vida profissional de forma progressiva e orientada, em


contexto real, desenvolvendo as competências profissionais que promovam nos futuros docentes
um desempenho crítico e reflexivo, capaz de responder aos desafios e exigências da profissão.

Áreas de desempenho

Na realização das várias tarefas propostas no EP deve recorrer-se à metodologia de projecto –


Selecção/definição do problema (o que vamos fazer?), preparação e planificação do trabalho (como
vamos fazer?), avaliação intermédia (durante a fase de realização do trabalho) avaliação final (o que
é que fizemos? Que mudanças a introduzir? – avaliação dos resultados e do processo).

1) Organização e Gestão do Ensino e da Aprendizagem

Âmbito: Esta área engloba a concepção, o planeamento, a realização e a avaliação do ensino.

Objectivo: Construir uma estratégia de intervenção, orientada por objectivos pedagógicos, que
respeite o conhecimento válido no ensino da Educação Física e conduza com eficácia pedagógica o
processo de educação e formação do aluno na aula de EF.

Concepção: Projectar a actividade de ensino no quadro de uma concepção pedagógica referenciada


às condições gerais e locais da educação, às condições imediatas da relação educativa, à
especificidade da Educação Física no currículo do aluno e às características dos alunos, através de:

Concepção

Zélia Matos 3
Estágio Profissional Normas Orientadoras

1) Analisar os planos curriculares, nomeadamente as competências gerais e transversais


expressas.

2) Analisar os programas de Educação Física articulando as diferentes componentes:


finalidades, objectivos, conteúdos e indicações metodológicas.

3) Utilizar os saberes próprios da Educação Física e os saberes transversais em Educação,


necessários aos vários níveis de planeamento.

4) Ter em conta os dados da investigação em educação e ensino e o contexto cultural e social


da escola e dos alunos, de forma a construir decisões que promovam o desenvolvimento e a
aprendizagem desejáveis.

Planeamento

5) Planificar o ensino nos três níveis anual, unidade temática e aula, tendo em conta:

a. Objectivos (adequados às necessidades e diversidade dos alunos e contexto do


processo de ensino/aprendizagem);

b. Recursos;

c. Conteúdos de ensino, tarefas e estratégias adequadas ao processo ensino-


aprendizagem;

d. Prever formas de avaliar o processo de ensino/aprendizagem – momentos e formas;

e. Contemplar decisões de ajustamento.

Realização

6) Conduzir com eficácia a realização da aula, actuando de acordo com as tarefas didácticas e
tendo em conta as diferentes dimensões da intervenção pedagógica.

a. Recorrer a mecanismos de diferenciação pedagógica adequados à diversidade dos


alunos.

b. Promover aprendizagens significativas e desenvolver a noção de competência no


aluno.

c. Utilizar terminologia específica da disciplina e adequada às diferentes situações.

d. Envolver os alunos de forma activa no processo de aprendizagem e na gestão do


currículo.

e. Optimizar o tempo potencial de aprendizagem nos vários domínios, a qualidade da


instrução, o “feed-back” pedagógico, a orientação activa dos alunos, o clima, gestão
e disciplina da aula.

f. Recorrer a decisões de ajustamento.

Avaliação

7) Utilizar as diferentes modalidades de avaliação como elemento regulador e promotor da


qualidade do ensino e da aprendizagem e da avaliação do aluno.

Zélia Matos 4
Estágio Profissional Normas Orientadoras

a. Realizar as diferentes modalidades de avaliação:


b. Definir objectivos e formas de avaliação;

c. Seleccionar ou construir instrumentos de avaliação;

d. Especificar estratégias adequadas aos objectivos e tarefas a avaliar;

e. Tratar os dados com eficácia pedagógica.

f. Reflectir sobre os resultados, visando uma intervenção referenciada ao sucesso.

8) Identificar as principais características das suas turmas, destacando as particularidades


sociais e culturais, psicológicas e de aprendizagem dos seus elementos, explicitando as suas
implicações para a sua intervenção junto da mesma, seja no âmbito da actividade lectiva
seja no da direcção de turma.

9) Considerar as necessidades educativas específicas de alunos, concebendo, concretizando e


avaliando as condições mais ajustadas para a sua formação e desenvolvimento no âmbito
dos objectivos programáticos da disciplina de Educação Física.

10) Reflectir sobre a sua prática, apoiando-se na experiência, na investigação e em recursos de


desenvolvimento profissional.

Tarefas

Leccionar as aulas da turma atribuída pelo professor cooperante.

Elaborar documentos para os três níveis de planeamento (anual, unidade temática e aula)

Elaborar os planos de observação sistemática e realizar as respectivas observações .


(Mínimo: 10 aulas de cada colega estagiário; 6 aulas do Professor cooperante ou outro professor da Escola. Os
ajustamentos para os núcleos com menos ou mais de três estagiários serão feitos de acordo com os orientadores
(professor cooperante e orientador da FADEUP)

Elaborar a reflexão final escrita de cada aula e da unidade didáctica, do plano anual e das
observações realizadas.

Participar nos conselhos da turma em que realiza a PES, nas reuniões do departamento curricular e
do grupo disciplinar.

Construir e manter actualizado o portfólio.

Nota: No planeamento será utilizado o Modelo de Estrutura do Conhecimento (Vickers, 1987)

2) Participação na Escola

Âmbito: Esta área engloba todas as actividades não lectivas realizadas pelo estudante estagiário,
tendo em vista a sua integração na comunidade escolar.

Zélia Matos 5
Estágio Profissional Normas Orientadoras

Objectivo: Contribuir para a promoção do sucesso educativo, no reforço do papel do professor de


Educação Física na escola e da disciplina de Educação Física, através de uma intervenção
contextualizada, cooperativa, responsável e inovadora.

Concepção: A escola enquanto comunidade educativa e o papel cooperante do professor na


(re)construção, no desenvolvimento e na reflexão do Projecto Educativo da escola e nos projectos
disciplinares e transdisciplinares.

1) Conceber e por em prática actividades de complemento curricular na escola, garantindo a


sua estreita articulação com os objectivos da actividade curricular de EF.

2) Compreender a actividade de ensino e treino de Desporto Escolar, enquanto processo


dominantemente pedagógico.

3) Compreender o papel de director de turma na sua relação com os pares, sob o ponto de
vista administrativo e de gestão de relações humanas e enquanto responsável pela área não
disciplinar – F. Cívica.

a. Identificar, apreciar criticamente e intervir nas actividades inerentes à direcção de


turma e ao conselho de turma.

4) Participar na gestão de recursos da organização, assumindo responsabilidades na direcção e


na elaboração e coordenação de projectos de desenvolvimento organizacional.

5) Identificar e analisar criticamente a cultura da escola, fomentando o respeito pela sua


diversidade/pluralidade na promoção da integração e a socialização dos alunos.

6) Concebe, utiliza e avalia processos de promoção de estilos de vida activa e saudáveis junto
da comunidade educativa.

Tarefas:

Participar nas actividades contempladas no plano educativo do departamento curricular e do núcleo


de estágio.

Promover pelo menos uma Acção, no âmbito das actividades físicas, que facilite a integração e
sociabilização dos alunos.

Recolher e organizar a informação relativa à função de director de turma; Participar nos conselhos
da turma em que realiza a PES; Elaborar o relatório do trabalho desenvolvido no acompanhamento
da Direcção de Turma.

3) Relações com a Comunidade

Âmbito: Esta área engloba actividades que contribuam para um conhecimento do meio regional e
local tendo em vista um melhor conhecimento das condições locais da relação educativa e a
exploração da ligação escola meio.

Zélia Matos 6
Estágio Profissional Normas Orientadoras

Objectivo: Compreender e integrar as componentes mais significativas da identidade da


comunidade onde se insere a escola.

1) Conhecer as potencialidades da comunidade e da escola, visando a promoção de realizações


com relevância educativa para os alunos.

2) Desenvolver o espírito de iniciativa/criatividade pela integração de diferentes possibilidades


de intervenção que envolva as potencialidades da comunidade e da escola, visando a
promoção de realizações com relevância educativa para os alunos, quer na escola, quer fora
da escola.

3) Conceber iniciativas para a participação activa dos encarregados de educação na escola em


geral e no processo educativo dos seus educandos, em particular.

Tarefas

Caracterizar o meio nomeadamente em relação ao associativismo desportivo, cultural,


ambiental e das infra-estruturas afins à área da Educação Física e Desporto.
Elaborar um projecto que promova sinergias entre a comunidade e a escola tendo em conta a
caracterização feita.
Apresentar o projecto à comunidade educativa.
Elaborar a reflexão final escrita.

4) Desenvolvimento profissional

Âmbito: Esta área engloba actividades e vivências importantes na construção da competência


profissional, numa perspectiva do seu desenvolvimento ao longo da vida profissional, promovendo o
sentido de pertença e identidade profissionais, a colaboração e a abertura à inovação.

Objectivo: Perceber a necessidade do desenvolvimento profissional partindo da reflexão acerca das


condições e do exercício da actividade, da experiência, da investigação e de outros recursos de
desenvolvimento profissional. Investigar a sua actividade em toda a sua abrangência (criar hábitos
de investigação/reflexão/acção).

1) Partilhar os problemas e desenvolver o espírito de colaboração (em geral, na escola, no


departamento e no núcleo de estágio)

2) Desenvolver competências de argumentação e de comunicação, quer escritas quer orais.

3) Identificar problemáticas de estudo argumentando a sua pertinência prática (reportada à


sua experiência), contextual (reportada à dinâmica da escola em que se integra) e teórica
(reportada ao quadro de referências científico afim ao problema).

4) Conceber desenhos de pesquisa adequados aos problemas em estudo, situando-os no


quadro teórico de referências, identificando e justificando as decisões de ordem
metodológica, nomeadamente a operacionalização dos conceitos (variáveis) em estudo e os
processos de recolha e tratamento de informação.

Zélia Matos 7
Estágio Profissional Normas Orientadoras

5) Aplicar os procedimentos de recolha e tratamento de dados garantindo as suas qualidades


gerais de validade e fiabilidade.

6) Analisar e discutir os resultados de forma consentânea com o conhecimento teórico e


empírico actuais e/ou propõe soluções válidas para a superação do problema abordado.

7) Organizar, realizar e avaliar sessões de divulgação dos resultados das pesquisas à


comunidade escolar, garantindo a compreensão da sua oportunidade e dos procedimentos
encetados e mobilizando a participação activa dos participantes na sua discussão.

8) No desenvolvimento da actividade docente, manifestar a capacidade de cooperação com os


diferentes intervenientes, num clima de cordialidade e respeito, de entreajuda e sentido
crítico, manifestando responsabilidade, iniciativa, criatividade e adaptabilidade.

9) Conceber, utilizar e avaliar os processos de interacção entre os diferentes intervenientes no


sistema educativo fomentando o recurso às tecnologias da informação e comunicação.

10) Ser capaz de reflectir os problemas da profissão docente em geral e do professor de


Educação Física em particular, no sentido do seu desenvolvimento profissional.

11) Intervir nas diferentes dimensões da sua actividade profissional revelando uma elevada
consciência crítica social e política e assumindo a iniciativa para a promoção e
desenvolvimento da igualdade de direito e deveres, a justiça social e do exercício da
democracia.

Tarefas

Análise do sistema educativo

Projecto de Formação Individual (PFI) - Portfólio

Relatório de Estágio

Zélia Matos 8