DINTER UFBA/UDESC

Doutoranda: Sonia Pereira Laus

Tema: A Internacionalização na Educação Superior: um estudo das Instituições
públicas do estado de Santa Catarina


O projeto tem como objeto de estudo a influência dos processos de globalização sobre
as políticas de internacionalização adotadas desde os anos 1990 pelas IES públicas de
Santa Catarina: uma Universidade federal (UFSC) e uma estadual (UDESC). Seu
problema básico é o estudo de como vem se dando o processo de definição e
implementação de estratégias políticas de internacionalização das IES públicas de Santa
Catarina.

As hipóteses ou pressupostos básicos norteadores da pesquisa são:

▪ Organizações internacionais, dentre estas, o FMI, a OMC, a ONU, a OCDE, o
Banco Mundial e a UNESCO, influenciam (através, por exemplo, de suas políticas
institucionais, indicadores e relatórios específicos) as agendas e as políticas
nacionais no campo da educação superior.

▪ As políticas e planos estratégicos de internacionalização das IES públicas
catarinenses ocorreram influenciados e em atendimento às políticas nacionais de
pós-graduação e aos programas institucionais de ensino superior que estimulam
distintos graus de internacionalização mensuráveis nas IES estudadas.

▪ Nas IES a serem analisadas em profundidade, a definição de políticas de
internacionalização obedece a uma lógica mais “instrumental” do que substantiva,
haja vista que centros, cursos e programas se internacionalizam em decorrência de
ações definidas ad hoc e de modo individualizado e não com base em um
planejamento estratégico por diretores, professores, pesquisadores e responsáveis
instrumentais

QUADRO ANALÍTICO:

O objetivo geral do projeto é analisar os contextos e os processos de definição e
implementação das estratégias institucionais de internacionalização das IES públicas de
Santa Catarina, partindo de três objetivos específicos:

1) Construir um quadro conceitual dos processos de internacionalização da educação e
sua capilarização nas instituições de ensino superior na América Latina e no Brasil,
mais particularmente;

2) Analisar as políticas e planos estratégicos institucionais visando ao processo de
internacionalização das IES públicas brasileiras e, principalmente, catarinenses;

3) Estudar detalhadamente o processo interno de construção e condução dessas
políticas desde os anos 1990, verificando a influência aí exercida pelos professores,
pesquisadores e grupos de pesquisas, bem como a existência de estruturas de gestão da
cooperação acadêmica internacional e sua posição no organograma institucional.

ESTRATÉGIA METODOLÓGICA:

A Working definition adotada nessa pesquisa, entende a internacionalização de uma
universidade como o processo de diálogo (trabalhos conjuntos, cooperação,
intercâmbio, conflitos e problemas surgidos) com outras universidades ou organizações
variadas (empresas, governos, agências internacionais, ONGs) do mundo exterior à
fronteira nacional na concepção, desenvolvimento ou implementação de suas funções
de ensino e pesquisa. Com base nessa definição, faremos uma pesquisa exploratória, de
observação, com abordagem qualitativa e utilizaremos o método do Estudo de Caso,
conforme o sugerido por YIN (1989).

A pesquisa se apoiará ainda na teoria de YIN para a aplicação de três princípios que nos
ajudarão a maximizar os resultados de nossa pesquisa.

▪O Princípio de Múltiplas Fontes de Evidências, através da análise de
documentos, de dados arquivados, e entrevistas semi-estruturadas;

▪O Princípio da Criação de um Banco de Dados do Estudo de Caso, com o
objetivo de registrar e disponibilizar posteriormente todas as evidências, dados,
documentos e reportes sobre o caso em estudo e

▪O Princípio da Manutenção de uma Cadeia de Evidências, com o objetivo de
melhorar a fidedignidade do estudo e explicitar aos futuros observadores as
evidências obtidas para as questões iniciais e como elas foram relacionadas às
conclusões.

Estas etapas ajudarão a definir quais dados são relevantes e quais, do conjunto de
indicadores utilizados, devem efetivamente ser coletados ou abandonados em busca de
outros mais compatíveis com a realidade estudada.

O estudo contemplará cinco etapas:

1- Construção do quadro conceitual, com base na literatura apontada, sobre
internacionalização da educação superior e internacionalização de uma instituição de
educação superior;

2- Reconstituição histórica do processo de internacionalização das universidades
brasileiras e seus reflexos nas IES públicas de Santa Catarina;

3- Levantamento dos indicadores nacionais e internacionais sobre a internacionalização
das atividades de ensino e pesquisa nas IES;

4- Aplicação e identificação dos indicadores citados nas IES públicas de SC;

5- Identificação das estratégias políticas que vêm sendo construídas na perspectiva de
internacionalização das IES estudadas, com a sugestão de possíveis cenários.

Essas etapas pretendem oferecer uma visão mais detalhada e complementar sobre o
quadro atual de internacionalização nas estruturas organizativas estudadas e sua
imbricação ou não com o complexo cenário da internacionalização da educação superior
e com seus diversos atores e agentes, todos com lógicas e interesses específicos.

MODELO DE ANÁLISE

Dimensões para o levantamento dos dados com base na working definition:

Procederemos ao levantamento de dados, com base nas seguintes dimensões:
institucional e organizacional, financeira e técnica (docente e discente).
Para cada uma serão utilizados preliminarmente indicadores que possam trazer
elementos sobre a busca de evidências de internacionalização nas políticas e práticas das
IES, sendo que, para cada indicador, se utilizará uma escala apropriada para a medição.