Você está na página 1de 47

MATEMÁTICA

45
MATEMÁTICA

PROBABILIDADE

46
MATEMÁTICA

47
MATEMÁTICA

48
MATEMÁTICA

49
MATEMÁTICA

3.2.2 - Variáveis Contínuas: são aquelas variáveis


NOÇÕES que podem assumir quaisquer valores num intervalo de
observação.
ESTATÍSTICA Ex.: idade, peso, estatura, rendimentos, notas, etc.

VARIÁVEIS E ATRIBUTOS 4. Pesquisa Estatística: A pesquisa estatística de uma


NÍVEIS DE MEDIDA DE UMA VARIÁVEL. População pode ser feita através de dois processos: censo
e amostragem.
1. Estatística: é a ciência que se preocupa com a
coleta, análise, interpretação e apresentação dos dados e 4.1 - Censo: É a coleta exaustiva das informações das
tem como objetivo fundamental, o estudo de Populações "N" unidades da População.
para fins de decisão, cabendo-lhe planejar experiência, 4.2 - Amostragem: É a coleta de informações de parte
visando obter, com a máxima rapidez e mínimo de custos, da População, de tamanho "n", mediante métodos
resultados capazes de permitir realizar conclusões com adequados de seleção destas unidades.
grande grau de precisão. Possui duas grandes divisões:
Descritiva e Indutiva. Amostra: Amostra, em Estatística, é uma parte da
População convenientemente selecionada de acordo com
1.1 - Estatística Descritiva: é aquela que se preocupa uma regra ou plano.
com a coleta, elaboração, análise, interpretação e Estimação: Consiste em calcular, a partir dos dados
apresentação dos dados relativos a uma determinada da amostra, os correspondentes valores da respectiva
População. População.
Parâmetros: São medidas calculadas a partir das
1.2 - Estatística Indutiva (inferência estatística): é variáveis de uma População. (médias, variâncias, desvio
aquela que, a partir dos dados de uma amostra, pretende padrão, etc.)
fundamentar a tomada de decisão sobre a população de Estimadores ou estatísticas: São medidas calculadas
origem. a partir de uma amostra. (médias, variâncias, desvio
padrão, etc.)
2. População: população ou Universo é todo o
conjunto, finito ou infinito, que possui ao menos uma Parâmetros
característica em comum entre todos os seus elementos µ - média
componentes. s2 - Variância
Ex.: Alunos da Universidade "X". s - desvio padrão
δ - coeficiente de variabilidade de Pearson.
2.1 - População Finita: é aquela em que é possível
enumerar todos os seus elementos componentes.
Ex.: produção mensal de parafusos de uma Empresa "X".

2.2 - População Infinita: é aquela em que não é


possível enumerar todos os seus elementos componentes.
Ex.: Os astros existentes no Universo.

Observação: uma População finita pode, mediante


processos operacionais, ser transformada em população
infinita.
Ex.: Retirar as fichas de uma urna e, depois de cada x - Média
extração, repô-las. S2 - Variância
s - Desvio Padrão
3. Características de uma População - Dividem-se δ - Coeficiente de Variabilidade de Pearson
em Atributos e Variáveis.
4.3 - Experimento Aleatório
3.1 - Atributos: são aquelas características da
População que não podem ser medidas. Estatística - Ciência e Método
Ex.: Religião, cor, estado civil, nacionalidade, etc.
São várias as definições propostas à Estatística como
3.2 - Variáveis: são aquelas características da ciência, dentre elas, a que apresentamos no item 1 -
População que podem ser medidas. Dividem-se em Estatística Descritiva.
Discretas e Contínuas. Pelo enfoque de ciência e método, a Estatística é vista
como um conjunto de conhecimentos exatos e racionais,
3.2.1 - Variáveis Discretas: são aquelas variáveis que relativos às causas das realizações e deduzidas pela
podem assumir somente valores particulares (inteiros) demonstração.
num intervalo de observação.
Ex.: número de filhos, número de gols numa partida de Método é a ordem ou conjunto de processos que
futebol, número de automóveis, etc. devem ser estabelecidos para, através da investigação,
atingir determinado objetivo.

50
MATEMÁTICA

1973 160
Se, no estudo de um acontecimento, não se podem 1974 230
obter os resultados através da experiência, o método Fonte: Dados hipotéticos
científico tem por objetivo simplificar os dados colhidos
sobre complexidade de causas e fatores de difícil, se não 6.1.2 - Série estatística Geográfica: é aquela série em
impossível, controle, que afetam de maneira sensível o que se verifica a variação do fenômeno em relação ao
fenômeno tomando o nome de método estatístico ou espaço geográfico ou à região.
EXPERIMENTO ALEATÓRIO. Ex.: Produção da utilidade “k”

Os métodos experimental ou aleatório e estatístico, Rio Grande do Sul 1974


tanto podem ser empregados juntos como separadamente, REGIÃO TONELADAS
no estudo de um fenômeno, bastando para isso sua A 200
exigência. B 50
C 120
A partir dessas considerações, pode-se definir a D 400
estatística com outro enfoque: E 300
Fonte: Dados Hipotéticos
"Estatística é o método de estudo representativo e
analítico dos elementos dos fenômenos que se apresentam 6.1.3 - Série estatística especificativa: é aquela série
em grande número, para sua subseqüente interpretação". em que se verifica a variação do fenômeno em relação a
espécie ou à qualidade.
II - DISTRIBUIÇÃO DE FREQÜÊNCIA -
Representações tabulares e práticas Ex.: Produção da utilidade “k”
Rio Grande do Sul 1974
5. ORGANIZAÇÃO DOS DADOS CEREAL TONELADAS
ESTATÍSTICOS
A 200
B 210
5.1 - Tabular: é a apresentação dos dados estatísticos
C 150
através das tabelas.
D 160
5.2 - Gráfica: é a apresentação dos dados sob a forma
Fonte: Dados Hipotéticos
de gráficos.
6.1.4 - Série estatística mista: é aquela série que
6. Série Estatística: é toda e qualquer coleção de
resulta da combinação das séries estatísticas temporal,
dados estatísticos, referidos a uma mesma ordem de
geográfica e especificativa. Recebe a denominação
classificação. Dividem-se em: Série de dados não
conforme as variações do fenômeno que ocorre.
grupados e Série de dados grupados.
Ex.: série geográfica - Temporal
6.1 - Série de dados não grupados - É a série
Produção de Utilidade “k”
estatística onde as variações do fenômeno são
Brasil 1973/74
apresentadas de acordo com a época a que se referem, ao
Toneladas
espaço onde se observa ou a qualidade ou a espécie do
fenômeno. Ano Norte Sul
Região
6.2 - Série de dados grupados - É a série estatística Sul 30 40
onde o tempo, o espaço geográfico, a espécie ou a Norte 60 70
qualidade permanecem constantes e o fenômeno é Sudeste 50 30
agrupado em subintervalos do intervalo total observado. Fonte: Dados hipotéticos
Existem dois tipos de Distribuição de freqüências: por
intervalos e por pontos.
As séries de dados não grupados podem ser: Temporal,
Cronológica, Histórica, Geográfica, Territorial,
Especificativa ou qualitativa e mista.

6.1.1 - Série estatística temporal: é aquela série em


que se verifica a variação do fenômeno em relação ao Ex.: série especificativa - Geográfica
tempo. Produção de Cereais
Rio Grande do Sul 1974
Ex.: Produção da utilidade “k” Toneladas
Ano Norte Sul
Rio Grande do Sul 1970/4 Região
ANO TONELDAS A 18 50
1970 200 B 20 60
1971 210 C 30 40
1972 250 D 40 20

51
MATEMÁTICA

Fonte: Dados hipotéticos 6. Limite superior de classe - É o valor até o qual são
contadas as observações dentro da classe.
6.2 - SÉRIES ESTATÍSTICAS DE DADOS Símbolo: 1s
AGRUPADOS Ex: 1s3 = 7 U.M. (limite superior da 3ª classe é 7 U.M.)
São as séries estatísticas em que o tempo, espaço,
qualidade ou a espécie permanecem constantes e as 7. Amplitude de classe - É a diferença existente entre
variações do fenômeno são agrupadas em subintervalos o 1s e o 1i.
ou pontos do intervalo total observado. Ex: h = 1i - 1i = 2 U.M. (a amplitude é a mesma para
As séries agrupadas podem ser de dois tipos: todas as classes)

6.2.1 - Distribuição de freqüências por intervalos: 8. Freqüência simples ou absoluta de classe - É o


As variações do fenômeno são agrupados por intervalos. número de observações da variável contada dentro da
(Somente para variáveis contínuas) classe.
Símbolo: fi
Exemplo: Rendimentos mensais dos empregados da
Ex: f3 = 45 empregados (freqüência simples da 3ª classe é
Empresa “x” em unidades monetárias
(1 UM = R$ 1.000,00) 45 empregados).
POA-JULHO/94
UNIDADES NÚMERO DE Fi fri xi fixi 9. Freqüência acumulada ou absoluta da classe - É
MONETÁRIAS EMPREGADO o número de observação da variável contado a partir da
S primeira classe até uma classe qualquer.
1 |----- 3 17 17 0,085 2 34 Símbolo: Fi
3 |----- 5 30 47 0,150 4 120
5 |----- 7 45 92 0,225 6 270 Ex: Fi = f1 + f2 + f3 _ ... + fn
7 |----- 9 52 144 0,260 8 416
9 |----- 11 36 180 0,180 10 360 10. Freqüência relativa de classe - É a relação
11 |-----| 13 20 200 0,100 12 240 existente entre a freqüência simples de classe e a soma
∑ 200 - 1,000 - 1440 das freqüências simples.
Fonte: Dados hipotéticos Símbolo: fri
Em relação à série estatística anterior, temos: fri = fi : ∑fi ou fri = fi / ∑ fi
Elementos característicos de uma Distribuição de Ex: fr3 = 0,225 ou 22,5% (freqüência relativa da 3ª classe
freqüências por intervalos:
é de 22,5%).
1. Limite Inferior da D.F. - É o valor a partir do qual
são contadas as observações da distribuição. 11. Ponto médio de classe - É a média aritmética
Símbolo: Li calculada entre o limite inferior de classe e o seu limite
superior.
Exemplo: Li = 1 U.M. Símbolo: x
xi = 1i + 1s
2. Limite superior da D.F. - É o valor até o qual são
contadas as observações da distribuição. 2
Símbolo: LS Ex: x3 = 6 U.M.
Exemplo: LS = 13 U.M.
6.2.2 - Distribuição de freqüências por pontos: é
3. Amplitude da D.F. - É a diferença existente entre uma série de dados agrupados na qual o número de
Ls e Li, ou seja H = LS - Li observações da variável está relacionado com um ponto
Símbolo: H real.
Ex: H = 13 - 1 = 12 U.M.
Ex: número de Dependentes por empregados da Empresa
4. Classes da D.F. - São os subintervalos nos quais "X"
são contadas as observações da variável. Símbolo do nº de
classes: m Rio Grande do Sul
Ex: 6 classes (tabela acima) Março/1975
Nº DE Nº DE
Observação: para se determinar o número de classes de DEPENDENTES EMPREGADOS
uma distribuição podemos utilizar a relação de Sturges: m 0 40
= 1+3,322 . log N (N: nº de informações). 1 50
2 30
5. Limite inferior de classe - É o valor a partir do 3 20
qual são contadas as observações dentro da classe. 4 10
Símbolo: 1i ∑ 150
Ex: li3 = 5 U.M. (limite inferior da 3ª classe é 5 U.M.) Fonte: Dados hipotéticos

52
MATEMÁTICA

Observação: as distribuições de freqüências por pontos que foi observado. Como exemplo, tem-se a parte
são características das variáveis discretas. superior da tabela onde está indicado:

6.2.3 - Representação gráfica PRODUÇÃO BRASILEIRA DE ALGUNS PRODUTOS


(a) Para as distribuições de freqüências por intervalos, - 1957/1958
utilizamos, principalmente, o gráfico do tipo histograma
(Gráfico 1).
(b) Para as distribuições de freqüências por pontos, b) Linha - É a parte da tabela que contém uma série
utilizamos, principalmente, o gráfico de linhas (Gráfico horizontal de informações. Como exemplo, na tabela tem-
2). se:

GRÁFICO 1
Rendimentos mensais dos empregados da Empresa “x” Mamona 31.780 24.946
em unidades monetárias (1U.M. = R$ 1.000,00)
Porto Alegre Julho/94
c) Coluna - É a parte da tabela que contém uma série
vertical de informações. Como exemplo, na tabela tem-se:

1957
42 3906
31 780
14 897

d) Casa ou Célula - É a parte da tabela formada pelo


cruzamento de uma linha com uma coluna. Na tabela tem-
se:

31.780

e) Corpo - É a parte da tabela composta de linhas e


GRÁFICO 2 colunas;
Número de dependentes por empregados da Empresa “x” f) Cabeçalho - É a parte da tabela na qual é designada
s/a a natureza do conteúdo de cada linha, a saber, é o
Rio Grande do Sul - Março/1975 conjunto de casas ou células que formam a parte superior
do corpo da tabela. Na tabela tem-se:

QUANTIDADES
PRODUTOS TONELADAS
1957 1968

g) Coluna Indicadora - É a coluna que contém as


discriminações correspondentes aos valores distribuídos
pelas colunas numéricas. No exemplo, tabela é a coluna
que contém os produtos:

PRODUTOS
Açúcar-de-cana...........
Mamona.....................
Manteiga de cacau......

h) Rodapé - É o espaço aproveitado em seguida ao


fecho da tabela onde são colocadas as notas de natureza
informativa (Fonte, Notas e Chamadas). No exemplo,
7. NORMAS PARA APRESENTAÇÃO TABULAR DE tabela, é a parte:
DADOS
Tabela - De modo geral tem-se a destacar em uma
tabela ou quadro: Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística
a) Título - É a parte superior da tabela, na qual se
indicam a natureza do fato estudado, o local e a época em

53
MATEMÁTICA

i) Fonte - É a informação colocada no rodapé da


tabela referindo-se à entidade que organizou ou forneceu Propriedades da Média Aritmética Simples:
os dados expostos. No exemplo:
Fonte: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística 1º - A média aritmética simples é um valor contido
entre o menor valor observado e o maior.
j) Notas e Chamadas - São as informações, em
linguagem concisa, colocadas no rodapé da tabela. em (min < µ < máx)
seguida à indicação da fonte, quando a matéria contida na
tabela exige esclarecimentos. A nota é usada para 2º - A soma dos desvios, contados em relação à média
conceituação ou esclarecimento geral e a chamada para aritmética simples, é igual a zero. ∑di = zero
esclarecer certas minúcias em relação a casas, linhas e
colunas. Quando houver mais de uma nota, elas devem Obs.: desvios: di = (Xi - µ ) - dados não agrupados
ser numeradas em algarismos romanos e as chamadas em
algarismos arábicos, elevados e entre parênteses. Entre os
textos das notas, e também os textos das chamadas, di = fi (xi - µ ) - dados agrupados
devem-se colocar ponto e traço com exceção da última
nota e da última chamada que são seguidos de ponto final. Ex.: 1) Dados não agrupados

Normas do I.B.G.E. para representação tabular - Notas do aluno “X”


(Da publicação do I.B.G.E. Conselho Nacional de abril/setembro de 1975
Estatística 1959). meses Xi Xi - µ = di
abril 10 10 - 7 = 3
A XVII Assembléia Geral do Conselho Nacional de maio 8 8-7=1
Estatística baixou, a 21 de junho de 1957, a Resolução nº junho 7 7-7=-
707, dando consolidação, em caráter experimental, às julho 4 4 - 7 = -3
disposições normativas para a apresentação tabular da agosto 6 6 - 7 = -1
estatística brasileira. A matéria, por força da mesma setembro 7 7-7=-
Resolução, foi submetida à apreciação dos órgãos ∑ 42 ZERO
técnicos interessados no assunto. Posteriormente, foi Fonte: Dados hipotéticos
elaborado um parecer sobre as sugestões apresentadas,
aprovado pela Junta Executiva Central e a seguir Ex.: 2) Dados Grupados
encaminhado aos órgãos integrantes do sistema estatístico
brasileiro, para exame prévio. Finalmente, foi aprovada, Salários dos Empregados da Empresa ABC S.A.
pela XVIII Assembléia Geral, a 10 de julho de 1958, a
Resolução nº 731, que deu vigência definitiva às citadas UNIDADES fi Xi fiXi Xi - µ fi(Xi -
normas, ora reproduzidas, com as alterações que lhes MONETÁRIAS µ )
foram introduzidas.
2 |------ 6 30 4 120 4 - 19 = -15 -450
6 |----- 10 35 8 280 8 - 19 = -11 -385
III - MEDIDAS DE POSIÇÃO (TENDÊNCIA
10 |----- 14 40 12 480 12 - 19 = -7 -280
CENTRAL)
14 |----- 18 60 16 960 16 - 19 = -3 -180
(Média, moda, mediana, quartis, decis e percentis)
18 |----- 22 120 20 2.400 20 - 10 = 1 120
22 |----- 26 190 24 4.560 24 - 19 = 5 950
7.1 Medidas de Tendência Central - (Promédios de
26 |-----| 30 25 28 700 28 - 19 = 9 225
1ª ordem) - São aquelas medidas estatísticas que
sintetizam em si os valores das variáveis de um conjunto ∑ 500 - 9.500 - zero
observado. Fonte: Dados hipotéticos

7.1.1 - Média Aritmética Simples - É uma medida 7.1.2 - Moda - A moda (também conhecida como
estatística que representa os valores das variáveis de um norma ou tipo dominante) é a informação que se verifica
conjunto observado. O seu valor se obtém da seguinte com maior freqüência.
maneira: soma-se os valores da variável e divide-se pelo
número de elementos considerado nesta soma. Símbolo: Embora a idéia de valor mais freqüente date de época
µ ou x anterior, não se empregou em Estatística, senão a partir de
1894, quando K. Pearson generalizou seu conceito.
Dados não agrupados: (Cálculo Simplificado da
média) (a) A moda para dados não agrupados
Sem dificuldade nenhuma podemos identificar a
µ = ∑ Xi = 42 = nota 7 (Ex 1) moda, que anotamos por -Mo-, em um conjunto de dados
N 6 não agrupados, bastando para isso verificar o valor que
aparece o maior número de vezes.
Dados grupados:
Exemplo: seja X = {1, 2, 3, 4, 4, 4, 5, 5, 7}
µ = ∑ fi Xi = 9.500 = 19 U.M. (Ex 2)
N 500

54
MATEMÁTICA

Neste conjunto, o elemento 4, aparece 3 vezes, médio da classe modal, no caso 85 Km/h, é conhecida
enquanto os demais aparecem com menor freqüência, como moda bruta.
portanto, ele, o elemento 4 é a moda do conjunto.
Para o cálculo da moda ajustada para esta distribuição,
É fácil deduzir-se que um conjunto de informações, pelas relações anteriormente expostas, temos:
pode possuir mais de uma moda ou mesmo não possuí-la.
No caso de que um conjunto possua apenas uma moda, li = 90; H = 10; fi = 22 fi+1 = 16, logo pela relação de
ele é dito unimodal: se possuir duas modas, será bimodal Czuber, temos:
e assim por diante, embora possa generalizar-se o termo
multimodal. Quando nenhum elemento de um conjunto,
aparecer com freqüência maior que os demais, não
existirá moda, e o conjunto será chamado de antimodal.
Mo = 80 + 10
[ 22 - 11 .
2.22-(11+16) ]= 80 + 10
[ ]
11 .
17

Exemplos: = 80 + 6,47 Km/H Mo = 86,47 Km/h


(a) Se X = {1, 2, 3, 4, 5}, não existe moda; conjunto Podemos interpretar o resultado de 86,47 Km/h, como
antimodal; sendo a velocidade verificada em maior número de vezes
(b) Se X = {1, 2, 2, 2, 3, 4, 5}, Mo = 2, conjunto na experiência.
unimodal;
(c) Se X = {1, 2, 2, 3, 4, 4, 5}, existem 2 modas, M o = 2 e 7.1.3 Mediana - A mediana, anotada por Me, pode ser
definida como aquele valor que supere até o máximo de
Mo = 4, logo conjunto será conhecido como bimodal. 50% das informações e, simultaneamente seja superado,
no máximo, pelos outros 50%.
OBSERVAÇÃO: o conceito de moda deixa a desejar
quando o número de informações é pequeno, por tal Em outras palavras, a mediana é a medida
razão, os exemplos acima, devem ser encarados sob o correspondente a posição central de um conjunto de
aspecto puramente didático. informações. Evidentemente, este conjunto deverá ser
ordenado (de forma crescente ou decrescente), a fim de
(b) A moda para dados agrupados que se possa ler ou calcular o seu valor mediano.
Nas distribuições de freqüência, a moda não é
percebida tão facilmente como no caso dos dados não (a) A mediana para dados não agrupados
agrupados. As relações mais usuais para o cálculo da
moda para dados agrupados, são atribuídas a Czuber e a (a1) Quando o número de dados for ímpar (N #2n), é
King. (estudaremos somente a 1ª). suficiente ordená-los e ler o valor central para se
Para expô-la, é necessário que se identifique os seguintes identificar a mediana.
elementos: Exemplo: se X = {1, 4, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 10} a mediana
Mo = moda será: Me = 6.
li = limite inferior da classe modal
(a2) Quando o número de informações for par (N =
h = intervalo de classe
2n), a mediana será a medida correspondente a média
fi = freqüência absoluta máxima
aritmética dos valores centrais.
fi - l = freqüência anterior à máxima.
fi + l = freqüência posterior à máxima. Exemplo: se X = {1, 4, 4, 5, 6, 7, 8, 9}, a mediana será
Isto posto, poderemos calcular a moda, pela relação: a medida correspondente a média aritmética dos valores
centrais.

Mo = li + h
[ fi - fi - i .
2fi - (fi - 1 + fi + 1) ] Exemplo: se X = {1, 4, 4, 5, 6, 7, 8, 9}, a mediana
será: Me = 5 + 6 = 5,5
2
Para exemplificar, vamos considerar a tabela abaixo
que registra a velocidade de 70 motocicletas: (b) A mediana para dados agrupados
Em se tratando de dados agrupados (distribuições de
Velocidade (Km/h) Nº de motos (fi) freqüências) a mediana será definida por:
50 |----- 60 6

[ ]
60 |----- 70 9 N - Fi-1 Se N for par e;
70 |----- 80 11 Me = li + h 2 .
80 |----- 90 22 fi
90 |----- 100 16

[ ]
100 |----- 110 4 N+1 - Fi-1 Se N for ímpar, onde;
110 |----- 120 2 Me = li + h 2 .
å 70 fi

Olhando para a tabela acima verificamos, de imediato, N = número de informações


que a distribuição possui apenas uma moda, e que ela está h = intervalo de classe
contida na 4ª classe, chamada classe modal. O ponto

55
MATEMÁTICA

fi = freqüência absoluta simples da classe que contém OBSERVAÇÕES:


a mediana
Fi-1 = freqüência absoluta acumulada da classe que é 1. Além do já citado verifica-se a importância,
utilidade, vantagens e desvantagens de utilização entre a
imediatamente anterior à classe da mediana. mediana e a moda:
Retomando nosso exemplo das velocidades das (a) MEDIANA: Me
motocicletas, temos:
1. É a medida separatriz
2. É uma medida definida e exata.
Velocidades (Km/h) fi Fi 3. É de fácil compreensão.
50 |----- 60 6 6 4. Apresenta facilidade em seus cálculos.
5. Não depende de cada valor da série, a não ser em
60 |----- 70 9 15
70 |----- 80 11 26 casos cuja alteração de valor, o torne maior ou menor do
que o da mediana (quartil) já calculada.
80 |----- 90 22 48
90 |----- 100 16 64 6. Não se apresenta com valores aproximados em
várias amostras representativas de um fenômeno.
100 |----- 110 4 68
110 |-----| 120 2 70 7. Em certos casos servem para cálculos posteriores.
8. Serve para análise comparativa.
å 70 -
(b) MODA: Mo
Como N = 70, aplica-se N/2=35. Como a informação
situada no 35º lugar está localizada na 4º classe, esta será 1. É medida de posição.
a classe da mediana. Para obtenção da mediana, verifica- 2. É de fácil compreensão.
se que: 3. Pode não existir em uma série ou apresentar-se mais
do que uma vez em outras.

[ ] [
4. Não é rigorosamente definida e exata.

]
Me = li + h N - Fi-1 = 80 + 10 35 - 26 =
2 . 22 5. Não é devidamente influenciada por todos os
fi valores de uma série.
6. Não serve para cálculos posteriores.
80 + 10 9. 7. É uma das medidas de Tendência Central de maior

[ ]
22 importância.

2. Comparações entre a média aritmética: X,


Me = 80 + 4,90 = 84,09 Km/h
mediana: Me a moda: Mo.
Me = 84,09 Km/h
A comparação entre os valores destas três medidas
Diz-se, então, que 50% das motos desenvolveram pode ser feita através da forma de apresentação dos
velocidades inferiores a 84,09 Km/h, e, conseqüentemente valores de uma série. A distribuição destes pode ser
50% delas desenvolvem velocidades superiores a 84,09 simétrica ou assimétrica.
Km/h.
Observações sobre a média, a moda e a mediana: É simétrica quando os valores dos termos de uma série
1) Como a média pode ser influenciada por valores se distribuem igualmente em torno do valor central. Caso
extremos, nem sempre pode ela representar corretamente contrário, a distribuição destas pode ser simétrica ou
um conjunto de informações. Quando isso ocorre, a assimétrica.
medida mais representativa do conjunto é a mediana. Uma série simétrica apresenta igualdade entre os
valores da média aritmética e da mediana, pode ser igual
Para exemplificar, admitamos o conjunto: X = {0, 5, ao valor da moda se o valor da freqüência central for
5, 6, 7, 8} onde se observa que o limite inferior da maior da série:
distribuição, está relativamente distante do elemento que
lhe é mais próximo. Neste conjunto µ = 5,16 e Me = 5,5 X = Me = Mo ou X = Me ≠ Mo
e, é evidente que a medida 5,5, é mais representativa do
mesmo conjunto. Uma série assimétrica apresenta desigualdade entre os
valores de X, M e Mo, podendo existir alguns casos onde
2) Para distribuição de freqüência perfeitamente há igualdade de valores das duas primeiras: X ≠ M ≠ Mo
simétricas, a relação:
ou X = µ ≠ Mo.
X - Mo = 3 (X - Me) satisfaz inteiramente, pois, nestes Se os valores são concentrados acima do ponto
central, tem-se: X > Me > Mo
casos, a média, a moda e mediana coincidem.
Se concentrados abaixo, então: X < Me < Mo
É válida, entretanto, a aplicação dessa relação como
verificação, e mesmo assim, somente quando as 3. Relação empírica entre a média, a mediana e a
distribuições possuírem uma leve assimetria. moda:

56
MATEMÁTICA

Como já registramos, para as curvas de freqüência


unimodal moderadamente inclinadas (assimétricas) vigora Observação: O primeiro quartis (Q1) abrange 25%
a relação empírica: X - Mo = 3 (X - Me) dos termos da série, o segundo quartil (Q2) 50% = M e o
Nas figuras 1 e 2, a seguir, aparecem as posições terceiro quartil (Q3) 75%.
relativas da média, da mediana e da moda para as curvas
de freqüência inclinadas para a direita e para a esquerda, (b) Cálculo para dados agrupados
respectivamente. Para curvas simétricas, como já
assinalamos, a moda e a mediana são todas coincidentes. O processo a ser empregado é o mesmo que para o
cálculo da mediana, bastando apenas no cálculo das
posições (P) considerar os denominadores, 4, 10 e 100,
respectivamente, para os quartis, decis e percentis.
Fig 1 Fig 2

Mo Me X X Me Mo

7.1.4 - Quartis, Decis e Percentis


São valores que ocupam determinados lugares de uma
série.
Seus empregos são para análise, assim como a mediana,
sendo que esta divide a distribuição em duas partes iguais,
os quartis em 4, os decis em 10 e os percentis em 100
partes iguais. Pode-se então dizer, de modo geral, que são
valores de posição de uma distribuição e que servem para
o auxílio de comparação. Os processos de cálculo de seus
valores são idênticos aos da mediana.

(a) Cálculo para dados não agrupados:


QUARTIS DECIS PERCETIS
Q1 = n + 1 D1 = n + 1 C1 = n + 1
4 10 100

Q2 = 2(n + 1) = Me D2 = 2(n + 1) C2 = 2(n + 1)


4 10 100

D5 = 5(n + 1) = Me C50 = 50(n+1) = Me


10 100

Exemplo: Calcular os quartis na seguinte série:


MERCADORIAS NÚMERO DE
TIPOS PEDIDOS
A 18
B 21
C 25
D 26
E 28
F 29
G 30 Exemplo: Calcular os quartis na seguinte série estatística:
N=7 177
PREÇO QUANTIDADE Fi
Q1 = n + 1 = 7 + 1 = 2 Q1 = 21 UNITÁRIO fi
4 4 (REAIS)
18 |----- 20 120 120
Q2 = 2(n + 1) = n + 1 = 7 + 1 = 4 Q2 = 26 = Me 20 |----- 22 150 270
4 2 2 22 |----- 24 180 450
24 |----- 26 200 650
Q3 = 3(n + 1) = 3(7 + 1) = 6 Q3 = 29 26 |----- 28 190 840
4 4 28 |-----| 30 160 1.000

57
MATEMÁTICA

∑ 1.000 - triviais, haja vista que as operações de soma, subtração,


multiplicação e divisão afetam na mesma proporção
(operação) a média aritmética.

3ª) A soma dos desvios (afastamentos) dos valores


observados em relação à média aritmética é igual a zero.

Em símbolos: ∑di = 0
Cálculo dos desvios:
(a) dados não agrupados:
di = Xi - µ = ∑di = 0
Xi: valor da variável
(b) dados agrupados:
di = fi (xi - µ ) = ∑di = 0
Xi: ponto médio de classe
A aplicação destas propriedades estão consagradas nos
testes comentados 31 a 33.

7.1.5 - Média Geométrica : Mg

A média geométrica de um conjunto de N números X1,


X2, X3 ..., XN é a raiz de ordem N (N-ésima) do produto
desses números.

Em símbolos: Mg = N X1.X2.X3.... XN

Exemplos:

1) A média geométrica dos números 2,4 e 8 é:

Mg = 3 2.4.8 = Mg 3
64 = Mg = 4

2) A média geométrica dos números 3, 6, 7 e 9 é:

Mg = 4 3.6.7.8= Mg 4
1008 = Mg = 5,63

7.1.6 - Média Harmônica: Mh

Média harmônica Mh de um conjunto de N números X1,


X2, X3, ..., XN é a recíproca da média aritmética dos
recíprocos dos números.
Mh = N .
∑(1)
X
PROPRIEDADES DA MÉDIA ARITMÉTICA
Exemplo: A média harmônica dos números 2, 4 e 8 é:
1ª) Somando-se ou subtraindo-se uma constante "k" a
todos os valores de uma série estatística "x", a nova Mh = 3 = Mh 3 = Mh = 3,43
média aritmética (y) ficará somada ou subtraída dessa 1+1+1 7
mesma constante. 2 4 8 8
(veja teste nº 38)
Em símbolos: Y = X + K => µ y = µ x + K
7.2 - Medidas de Dispersão
2ª) Multiplicando-se ou dividindo-se por uma constante
"k" todos os valores de uma série estatística "x", a nova São aquelas medidas estatísticas que medem o
média aritmética (y) ficará multiplicada ou dividida por afastamento dos valores observados em relação a uma
essa constante. medida de tendência central (normalmente em relação a
Em símbolos: Y = X : K => µ y = µ x : K média aritmética).

Observação: Estas duas propriedades da média 7.2.1 - Variância absoluta: é a média da soma dos
aritmética são, também, chamadas de propriedades quadrados dos desvios, contados em relação à média
58
MATEMÁTICA

aritmética. É um valor abstrato e o seu valor não é dado


em unidades de medida utilizada. Símbolo: σ 2 Fórmula σ : σ 2

Fórmulas: Ex.: Dados não Agrupados

Dados não agrupados: meses Xi (Xi - µ ) = di (Xi - µ )2 = d2 i Xi2


abril 10 10 - 7 =3 9 100
(a) Processo longo: σ 2 = ∑ (Xi - µ )2 maio 8 8-7=1 1 64
N junho 7 7-7=- - 49
julho 4 4 - 7 = -3 9 16
(b) Processo abreviado: σ 2 = ∑ Xi2 - µ 2
agosto 6 6 - 7 = -1 1 36
N setembro 7 7-7=- 9 49
∑ 42 zero 20 314
Dados agrupados:
Cálculo da Média:
(a) Processo longo: σ 2 = ∑ fi(Xi - µ )2 µ = ∑ Xi = 42 µ = nota 7
∑fi N 6

(b) Processo abreviado: σ 2 = ∑ fi Xi2 - µ 2


Cálculo da Variância Absoluta:
N
σ 2 = ∑ (Xi - µ )2 - σ 2 20 = 3,33 σ 2 = 3,33
7.2.2 - Desvio Padrão: É o valor positivo da raiz N 6
quadrada da variância absoluta. É uma medida estatística
que representa, em média, os afastamentos, em valores Cálculo do Desvio Padrão:
absolutos, dos elementos observados em relação a
respectiva média aritmética. É uma medida estatística que σ = σ 2
=> σ 3,33 σ = 1,82
é dada na unidade da medida utilizada: Símbolo: σ notas

Ex.: Dados Grupados


Salários dos Empregados da Empresa ABC S.A.
junho/1975

U. MONETÁRIAS fi xi fri (Xi - µ ) (Xi - µ )2 fi(Xi - µ )2 fixi2


2 |----- 6 30 4 120 4 - 10 = 15 225 6.760 480
6 |----- 10 35 8 280 8 - 19 = -11 121 4.235 2.240
10 |----- 14 40 12 480 12 - 19 = -7 49 1.960 5.760
14 |----- 18 60 16 960 16 - 19 = -3 9 540 15.360
18 |----- 22 120 20 2.400 20 - 19 = 1 1 120 48.000
22 |----- 26 190 24 4.560 24 - 19 = 5 25 4.750 109.440
26 |----- 30 25 28 700 27 - 18 = 9 81 2.025 19.600
500 - 9.500 - - 20.380 200.980
Fonte: Dados hipotéticos

Cálculo da Média:
Cálculo do Desvio Padrão:
µ = ∑fixi µ = 9.500 µ = 19 U.M.
N 500 σ = σ 2
σ = 40,76 σ =
6,38 U.M.
(a) Processo Longo: σ 2
= ∑fi(Xi - µ )2 σ 2 = 20.380
N 500
7.2.3 - Coeficiente da variabilidade de Pearson:
(b) Processo Abreviado: σ 2
= ∑fixi2 - . µ 2
= 200.880 -
192 É o quociente entre o desvio padrão e a média aritmética.
N 500 Símbolo: δ (Gama) em outras palavras, é o desvio
padrão dado em unidades da média aritmética. Expressa,
σ 2 = 40,76 em valores relativos, o afastamento dos valores em torno
da respectiva média aritmética. É uma medida estatística
que serve para comparar a homogeneidade de séries que
têm diferentes unidades de medidas.

59
MATEMÁTICA

60
RENDAS CERTAS
SISTEMAS DE AMORTIZAÇÃO
MÉTODOS DE DEPRECIAÇÃO

PLANOS DE AMORTIZAÇÃO DE EMPRÉSTIMO E FINANCIAMENTOS


CÁLCULO FINANCEIRO: CUSTO REAL EFETIVO DE OPERAÇÕES DE
FINANCIAMENTO, EMPRÉSTIMO E INVESTIMENTO
Sistema Francês com prazo de carência e pagamento dos juros
TABELA PRICE
- Taxas de Retorno
- Taxas de Retorno
- Taxas de Retorno
- Taxas de Retorno

Prazo de estocagem
da mercadoria
TESTES DE MATEMÁTICA

1 - Certa fortuna foi dividida em partes iguais entre 2 irmãos. Atualmente, a parte do 1º
esta aumentada 2/7 e a do 2º diminuída de 3/5 do valor primitivo. Sabendo-se que o 1º tem
R$ 119,04 mais do que o 29, calcular a fortuna de cada um, atualmente:
a) R$ 49,20 e R$ 25,40
b) R$ 37,80 e R$ 92,40
c) R$ 35,20 e R$ 21,40
d) R$ 53,76 e R$ 172,80
e) R$ 17,00 e R$ 12,73

2 - Paulo e Antônio tem juntos R$ 123,00 Paulo gastou 2/5 e Antônio 3/7 do que
possuíam, ficando com quantias iguais. Quanto possuía cada um?
a) Paulo R$ 60,00 e Antônio R$ 63,00
b) Paulo R$ 23,00 e Antônio R$ 100,00
c) Paulo R$ 43,00 e Antônio R$ 80,00
d) Paulo R$ 32,00 e Antônio R$ 96,00
e) Paulo R$ 32,00 e Antônio R$ 81,00

3 - Certa quantia foi distribuída entre duas pessoas em partes proporcionais a 3 e 4; a


segunda recebeu R$ 2,00 a mais que a primeira. Qual a quantia distribuída? Qual a parte de
cada pessoa?
a) R$ 14,00 R$ 18,00 R$ 6,00
b) R$ 14,00 R$ 6,00 R$ 8,00
c) R$ 2,00 R$ 8,00 R$ 16,00
d) R$ 2,00 R$ 8,00 R$ 1,20
e) R$ 14,00 R$ 5,00 R$ 9,00

4 - Dividindo-se uma quantia em partes proporcionais a 6, 9, 12 e sabendo-se que o


quíntuplo da 1ª parte mais o quádruplo da 2ª e mais o triplo da 3ª parte vale R$ 306,00
determine as partes:
a) R$ 104,00 R$ 102,00 R$ 100,00
b) R$ 106,00 R$ 100,00 R$ 100,00
c) R$ 18,00 R$ 27,00 R$ 36,00
d) R$ 25,00 R$ 20,00 R$ 36,00
e) R$ 25,00 R$ 27,00 R$ 29,00

5 - Um capital C foi distribuído em partes diretamente proporcionais a 5, 4 e 7, sendo a


terceira parte igual a R$ 22,40. O valor de C, em R$, é:
a) R$12,80;
b) R$16,00;
c) R$22,40;
d) R$51,20;
d) R$73,60

6 - Qual a razão entre os números 1,2 e 2 1/5?


a) 6 /2
b) 2/6
c) 5/5
d) 6/11
e) 6/6

7 - Um ônibus, com a velocidade média de 60 km por hora, parte as 6 horas e chega ao


seu destino as 16 horas e 30 minutos do mesmo dia. Se sua velocidade média fosse 90 km
por hora, a que horas teria chegado ao mesmo destino?
a) 13 h
b) 19 h
c) 15 h
d) 16 h
e) 14 h

8 - O lucro de R$ 180,00 de uma empresa deve ser repartido proporcionalmente entre


seus três sócios. O capital com que entrou o 2º sócio é o dobro do capital do 1º e o 3º sócio
entrou com 3/4 do capital do 2º sócio. Nestas condições, o sócio que entrou com o menor
capital recebeu:
a) R$ 60,00
b) R$ 40,00
c) R$ 35,00
d) R$ 20,00
e) R$ 15,00
9 - Duas pessoas fundaram uma firma entrando com os capitais em partes iguais. o 1º
sócio trabalhou das 8h as 12h e o 2º sócio das 14h às 7h e 30min. No fim do mês, houve um
lucro de ...... R$ 225,00. Nestas condições:
a) O 1º sócio devera receber R$ 6,00 a mais que o 2º
b) O 1º sócio deverá receber R$ 12,00 a mais que o 2º
c) O 1º sócio devera receber R$ 15,00 a mais que o 2º
d) O 1º sócio deverá receber R$ 12,50 a mais que o 2º
e) os dois sócios deverão receber quantias iguais

10 - O valor de x na proporção:
x - 2 = 5 é um número
x-4

a) inteiro negativo
b) inteiro positivo
c) positivo menor que 1.
d) negativo é maior que -1.
e) nulo.

11 - Dois sócios, ao constituírem uma sociedade, entraram respectivamente com os


capitais de R$ 56,40 e R$ 43,501. Na divisão do lucro, o primeiro recebeu mais R$ 516.00
do que o segundo o lucro de cada sócio foi de:
a) R$ 2.147,00 e R$ 1.631,00
b) R$ 2.538,00 e R$ 2.022,00
c) R$ 2.236,00 e R$ 1.740,00
d) R$ 2.452,00 e R$ 1.936,00
e) R$ 2.604,00 e R$ 2.088,00

12 - Márcia comprou um automóvel por R$ 360,00. Revendeu-o com um lucro de 20%.


Quanto ganhou?
a) R$ 70,00
b) R$ 72,00
c) R$ 74,00
d) R$ 82,00

13 - Antônio vendeu sua maquina fotográfica com um prejuízo de 17%. Quanto perdeu se
a maquina foi comprada por R$ 11,00?
a) R$ 1,87
b) R$ 1,78
c) R$ 1,58
d) R$ 1,95

14 - Alcides faz um trabalho em 8 dias e Teodoro faz o mesmo trabalho em 4 dias.


Trabalhando juntos, em quantos dias farão esse serviço?
a) 2 2/3 dias
b) 3 dias
c) 2 3/2 dias
d) 5 dias

15 - Quanto é 18% de 400?


a) 82
b) 72
c) 76
d) 94

16 - 150% de 350:
a) 520
b) 530
c) 540
d) 525

17 - Um vendedor pretende ganhar 14% sobre um artigo, que lhe custou R$ 3.000,00. Por
quanto deve vende-lo?
a) R$ 4.320,00
b) R$ 3.420,00
c) R$ 3.240,00
d) R$ 4.600,00

18 - Um batalhão de 120 soldados perdeu 30 em combate nas ilhas Malvinas. Quantos %


perdeu?
a) 20%
b) 30%
c) 22%
d) 25%

19 - A mandioca da 5% de seu peso em álcool. Quantos kg de álcool podemos extrair de


350 kg de mandioca?
a) 17 kg
b) 18 kg
c) 17,5 kg
d) 18,5 kg

20 - 200 dólares, a R$ 15,70 por dólar, eqüivalem a:


a) R$ 3.140,00
b) R$ 1.570,00
c) R$ 314.000,00
d) R$ 414,00

21 - Calcular os juros de R$ 25,00 a 80% a.a., em um ano.


a) R$ 20,00
b) R$ 80,00
c) R$ 25,00
d)R$ 15,00

22 - Calcular os juros de R$ 6,00 a 24% a.a. em 2 anos e 4 meses.


a) R$ 3,36
b) R$ 3,34
c) R$ 3,63
d) R$ 4,76

23 - Recebi um financiamento de R$ 50,00 a 12% a.a., durante 4 meses e 20 dias.


Quanto pagarei de juros?
a) R$ 2,80
b) R$ 3,00
c) R$ 2,70
d) R$ 4,00

GABARITO
1. D
2. A
3. B
4. C
5. D
6. D
7. A
8. B
9. C
10. C
11. C
12. B
13. A
14. A
15. B
16. D
17. B
18. D
19. C
20. A
21. A
22. A
23. A