Você está na página 1de 13

Romanzine – Fevereiro de 2009 1

RomanZine http://romanzine.blogspot.com

EDIÇÃO Nº TRÊS: Fevereiro de 2009

Nesta Edição:

Notícia: “Minha carta para Christine Feehan”


por Jacqueline Maia

Artigo:“Robin Cook, autor romântico?”


por Jossi Borges

ROMANCE INÉDITO:
DESTINOS ENTRELAÇADOS de
Telyka Madelynne (continuação)
Romanzine – Fevereiro de 2009 2

EDITORIAL – RomanZine em ritmo de verão. Praia, sol, calor, sangue quente...


mas nem por isso deixamos de lado nosso lado, nossa veia romântica. Somos
mulheres, gostamos de sonhar, de viajar nos romances... e convido vocês a lerem a
carta interessante que Jacqueline Maia enviou para Christine Feehan... e a resposta
que obteve sobre as possíveis edições em português. Também tem a continuação de
DESTINOS ENTRELAÇADOS... Mariah, que sofreu horrores nas mãos daquele pai
impiedoso, um monstro, não um pai. Ela conseguirá superar aquilo?
Beijos!
Jossi Borges

A resposta dela também segue


abaixo, mas o fato é que ela falou
Minha carta para Christine que a Bertrand Editora, em Portugal
adquiriu os direitos do Lenda
Feehan
Sombria. Em pesquisa no Google,
aparentemente a Bertrand é
Por Jacqueline Maia representada aqui no Brasil pela
editora Record. Baseado nisso,
mandei email, que segue também
abaixo para as editoras
questionando a intenção de publicar
os livros em português, e dando
início, quem sabe, a campanha
publiquem CF em Português. Agora
é só aguardar a resposta das
editoras. Fiquem a vontade para
mandar emails as editoras também
e caso tenham alguma resposta
postem por aqui.

Os emails da Bertrand de Portugal


são:

info@bertrand.pt
leitor@bertrand.pt

E da Bertrand do Brasil,
representada pela editora Record:

rosemary@record.com.br
Por Jacqueline Maia
Prezada Christine,
Meninas,
Meu nome é Jacqueline e eu sou do
No ultimo dia 07 de fevereiro Brasil. Primeiramente, me desculpe
escrevi um email a CF falando da pelo inglês ruim, mas eu queria
minha admiração pelo trabalho dela, muito escrever pra você.
e de como eu gostaria de ver os Eu sou da cidade de Belo Horizonte,
trabalhos dela publicados no Brasil. em um estado chamado Minas
Romanzine – Fevereiro de 2009 3

Gerais. Minas gerais têm lindas a Nova Cultural, não respeitam os


cachoeiras e cidades históricas leitores.Mas esse email não tem o
construídas pelo trabalho escravo objetivo de protestar contra as
(essa foi uma época ruim em nossa editoras brasieleiras.
história). Eu estou distante da praia Eu desejo a você boas idéias e
e do mar, mas perto das muita felicidade em sua vida.
montanhas.
Eu li toda a série Cárpatos e amei as A Resposta da Christine
histórias. É maravilhoso como a
companheira muda a vida do Hello Jacqueline,
poderoso homem Cárpato. Você foi Thank you for taking the time to
muito sensível na maneira de lidar write. You English is very good. I
com os sentimentos, bons e ruins, e am very happy to know that you are
eu chorei várias vezes enquanto lia. enjoying my Dark series and that
Eu também li as histórias das Irmãs you are looking forward to reading
Drake e elas são muito divertidas. Dark Slayer. I am glad that you are
Eu ria sozinha quando me embrava also enjoying my Drake Sisters
das discussões entre o Jonas e a series. I also love that series
Hanah. because of the closeness of the
Estou aguardando ansiosamente o sisters. I assume that you are
lançamento do seu próximo livro, reading my stories in English. The
“Dark Slayer”. Quando eu li a rights to one of my books, Dark
história do Manolito comecei a Legend, was bought by a
acreditar que a Ivory não estava Portuguese publishing company,
morta. Eu acho que a história da Bertrand Editora, LDA. I do not
Ivory e do Razvann será know if it was ever published. The
maravilhosa e causará muita company might be from Portugal.
emoção. Eles são um casal muito You can always write to a Brazilian
poderoso. publishing company that you think
Eu li sua entrevista no site does a good job and ask them to
“Romantic Time at Heart” e tive translate and publish my work in
muita empatia com você porque Portuguese. You never know they
também sou muito próxima da might decide to do it.
minha família. Em seus livros você I thank you again for your letter and
sempre salienta a importância da hope that you are able to continue
família, direta ou indiretamente, eu to enjoy my work.
gostei disso.Eu acredito que o livro All the best,
“Dark Slayer” terá um encontro Christine Feehan
muito emocionante entre Razvan e
suas filhas Colby, Skyler e Lara, e Olá Jacqueline,
também Natalya, sua irmã.
Muitos fãs brasileiros querem que Obrigada por disponibilizar tempo
você publique seus livros por aqui, para escrever. Seu Inglês é muito
inclusive eu. Se isso acontecer um bom.Eu estou muito feliz que você
dia, eu desejo somente que você esteja gostando da minha série
escolhe uma boa editora, que Sombria e também gostando das
respeite e não mutile pedaços da Irmãs Drake.Eu também amo essa
sua história. Algumas editoras, séria devido a proximidade entre as
principalmente a Harlequin Brasil e irmãs.Eu suponho que vocês esteja
Romanzine – Fevereiro de 2009 4

lendo minhas histórias em inglês. Os editora se animar a publicar


direitos de um dos meus livros, Christine Feehan no Brasil.
Lenda Sombria, foram comprados
por uma editora Portuguesa,
Bertrand Editora, LDA. Eu não sei se
foi publicado. A companhia deve ser
de Portugal. Você sempre pode
Robin Cook: Autor
escrever a editores brasileiros que Romântico?
você acha que faz um bom trabalho
e pedir-lhes para traduzir e publicar Por Jossi Borges
o meu trabalho em Português.
Nunca se sabem se eles podem
decidir publicar,
Agradeço novamente a sua carta e
espero que você continue a apreciar
o meu trabalho.
Tudo de bom.
Christine Feehan
Meu email para a editora
Bertrand

Prezados,

Boa Noite!
Sou fã da obra da autora americana
Chistine Feehan e fui
informada,através de email recebido
pela autora de que a Bertrand
Editora, LDA de Portugal adquiriu os Eu gosto muito do autor Robin
direitos de publicação do livro "Dark Cook, pois seus livros de intenso
Legend", oitavo livro da Dark Serie. suspense nos levam ao “mundo
Gostaria de saber se vocês tem paralelo” da ficção médica. Não seria o
intenção de publicar essa série, e caso de um novo sub-gênero literário, a
por conseguinte, a Bertrand do ficção médica? Pelos meandros
Brasil, representada pela editora
inimagináveis de sua mente científica
Record.
Pergunto isso porque os livro desta
porém fantasiosa, o autor nos leva para
escritora tem um apelo sobrenatural dentro de hospitais maravilhosos ou
que agrada muito as leitoras sinistros, consultórios médicos com
brasileiras, e acredito que também instalações luxuosíssimas ou precárias e
as portuguesas.Como o livro não assustadoras, descobertas científicas
está disponível em português temos alucinantes e maravilhosas, ruas sinistras,
de fazer malabarismos para lê-los. cidades grandes ou rincões interioranos
dos Estados Unidos, sempre nos
Fico no aguardo do retorno de acompanhando com seu suspense
vocês. hipnótico e viciante.
Seus romances são pura
Então agora é só torcer para a adrenalina, puro mistério e aventura.
Romanzine – Fevereiro de 2009 5

Mas alguns deles nos surpreendem por


conterem alguns elementos que A história é permeada por um
constituem o elixir supremo da ficção suspense intrigante, quando Edward
feminina: O romantismo. São poucos, descobre as propriedades do fungo e cria
claro. A maioria do que li não deixa um antidepressivo potente. Porém, sua
dúvida quanto ao desenrolar meramente personalidade, ao testar o mesmo em si
aventureiro ou misterioso da trama. Mas próprio, começa a modificar-se. Coisas e
em dois de seus livros eu constatei o fatos estranhos passam a acontecer...
elemento romântico em doses leves, mas Kimberly vê-se acuada por um mistério
saborosas. terrível e por uma suspeita dolorosa: A
O livro “Risco Calculado” de que Edward tenha se transformado
(Acceptable Risk) um título pouco em uma criatura demoníaca.
romântico, por sinal, é a trama que Ao mesmo tempo, a leitura de
envolve um jovem cientista, uma antigos documentos da Salem do século
descendente de bruxa e a descoberta XVII relativos a Elizabeth a tornam mais
daquele cientista, que consiste em uma e mais curiosa a respeito do que
potentíssima droga alucinógena. acontecera à pobre mulher... e faz uma
Kimberly Stewart é a jovem surpreendent descoberta.
descendente de uma bruxa, ou melhor, E o amor? Sim, até mesmo o
de uma mulher inocente, condenada e amor de Kim e Edward é posto à prova
queimada na fogueira como bruxa, nos diante de tais descobertas aterradoras. E
Estados Unidos do século XVII. descobrimos que, afinal, diante da
Edward, o cientista, envolve-se com ambição desmesurada e do exagerado
Kimberly, e graças à sua pesquisa, tenta apego às coisas materiais, até o mais
comprovar que sua ancestral, tida como profundo amor entre um homem e uma
bruxa, foi usuária involuntária de um mulher pode fenecer... mas não a
fungo com propriedades alucinógenas, o esperança.
que causou toda a polêmica da Para quem gosta de suspense, este
“bruxaria” de livro é imperdível. Para quem gosta de
Salem. mistério e doses de um romance
Kimberly moderno e pé-no-chão, este livro é
apaixona-se por ótimo. E finalmente, tem aquela pitada
Edward, e o de sobrenatural: Esse livro tem tudo.
apoia em suas
pesquisas.
Porém, ao
descobri o
retrato de Boa leitura!
Elizabeth
Stewart no
casarão de seus ancestrais, ela
imediatamente identifica-se com a linda
mulher de cabelos negros, que sofrera
tantas torturas por pessoas fanáticas e
ignorantes, e jura limpar a mácula que
atingira o nome de sua ancestral.
Romanzine – Fevereiro de 2009 6

interrompe os pensamentos e o faz se


enternecer. A criaturinha, meio
Destinos Entrelaçados escondida pela neblina que ainda teimava
em não ceder seu lugar ao sol, parecia
Copyright © 2009 por Telyka Madelynne uma figura mitológica. Uma deusa pagã
que com seus cabelos negros em volta
(continuação) do corpo pequeno, valsava alegremente.

*** Fecha o coração a fim de não ser


tocado pela magia. A lenda brasileira da
Ricardo observa a pequena mãe das águas, com seus cabelos negros
figura que dança a margem do rio e como a água escura do rio a cobrir o
admira sua tenacidade. Depois do que corpo, vem nítida em sua mente. A
acontecera, a mocinha flertava com a imagem que vira no museu em Lisboa,
natureza como uma sacerdotisa marcada a fogo em suas retinas e seu
medieval. Mariah parecia estar se cérebro e agora se juntava a outra, de
deliciando num ritual. olhos verdes, lábios cheios e
Da janela de seus aposentos, convidativos e lhe arrancava um
protegido pela renda diáfana das espasmo de suas entranhas, fazendo com
cortinas, ele a espreitava desde que ela que seu controle fosse pelos ares. Era
iniciara seu passeio. Após estar exasperante.
enclausurada tantos dias era seu primeiro Mariah era quase criança ainda.
passeio. Já era tempo de conversar com E ele não devia sentir nada além de
ela. O médico que estava prestando piedade pela pequena criatura. Seu papel
assistência a elas, lhe dissera que Mariah era arrancá-la do pai e fazê-la conhecer a
já estava bem. Sua juventude e o bom vida e o mundo lá fora. Ser seu mentor
organismo contribuíram para a até que pudesse seguir sua vida sozinha.
recuperação. Mais tranqüilo, depois de avaliar-se com
Mabá era quem inspirava rigor, ele desce para o café da manhã.
maiores cuidados ainda. A mulher quase Vozes na sala da entrada, o faz ir ao
perecera, vítima de uma surra impiedosa. encontro de Dante.
Ferdinando mandara agredi-la, a fim de Esconde o ódio e a surpresa ao
tornar certo o ataque. O homem era um encontrá-lo na companhia de
louco, insano. Ferdinando tão cedo. O animal não
Um movimento lá embaixo, lhe visitara a filha uma única vez sequer nos
Romanzine – Fevereiro de 2009 7

dias anteriores. rapidamente se mostra interessado na


– Não suportaria ver o troca de palavras entre Dante e Ricardo.
sofrimento da coitadinha, – queixara-se - Já é um fato a união de nossas
com olhos brilhantes de lágrimas. casas, pelo casamento. Será meu sogro.
Crápula. Como pretendo me estabelecer por essas
- Doutor Ricardo, nobre amigo. terras, gostaria de lhe propor uma troca.
– Ele estende a mão logo que Ricardo se Meu Castelo em Paris por suas terras
aproxima. – Desculpe-me aparecer sem daqui. Será simbólico, pois nossas
antes fazê-lo ciente, mas como estava fortunas se agregarão mais adiante e está
explicando ao nosso caro amigo, preciso na hora de viajar um pouco, não acha?
muito da ajuda dos senhores. As famílias Apreciar as delícias que Paris oferece aos
dos rapazes que pereceram na busca de solteiros é uma dádiva, não acha?
minha filha exigem uma indenização, Atento às reações de Ferdinando, Dante
imaginem? Querem dinheiro pela nota os olhos astutos aumentarem de
morte deles e como não guardo valores tamanho já antegozando as delícias
em minha casa e a casa de Crédito está parisienses, à medida que as palavras de
fechada, gostaria que me socorresse até Ricardo fluíam.
que eu possa levantar esse valor. Sabem - Bem, – Ferdinando esfrega as
como são as coisas. Pessoas como nós mãos, uma na outra, num gesto já
temos muitos bens, mas não se levanta característico. – Pode ficar tranqüilo,
grande quantia em tão pouco tempo e doutor Ricardo. Sei que não aprecia o
eles não gostarão de esperar. lado prático dos negócios. Resolveremos
De cabeça baixa, Ricardo ouve o esses pormenores, Doutor Dante e eu.
discurso mentiroso do velho. Astuta, a Interessa-me a troca, já que tenho
raposa pedia grandes somas a Dante, pensado em sair do Brasil por uns
sem garantia alguma. Como o tempos. Viver só naquela casa imensa
combinado, ele liberava quantias cada após o casamento de minha menina será
vez mais altas, para aguçar a cobiça do horrível.
crápula que logo as perdia nas mesas de Ricardo alega causas urgentes
jogo. Algumas vezes, na companhia do para resolver e sai de perto de
próprio Dante, deixando seus bens em Ferdinando. Estava difícil suportar as
garantia aos donos das casas. Bens que mentiras deslavadas do salafrário, sem
eram resgatadas logo após sua saída. De poder revidá-las a altura.
posse de quase metade deles, Ricardo Como combinado ele se
finge condoer-se com o infortúnio. envolveria o mínimo possível com o
- O que seríamos de nós sem sua homem, restando a Dante a tarefa de
amizade, não é? É na hora de nosso suportá-lo.
infortúnio que distinguimos nossos
melhores companheiros. Dante, – ele se ***
volta para o amigo, - você tem meu
consentimento para fornecer a quantia Ao entrar no jardim, de volta do
que o senhor Ferdinando necessita. passeio à margem do rio, Mariah é
Aproveite e faça nossa proposta a ele. recebida pelo perfume das rosas. Leve
- Sobre o Castelo de Paris? – como uma borboleta caminha por entre
Dante joga a isca maior. elas, parando aqui e ali, tocando-as
- Castelo em Paris? – Ferdinando delicadamente, como a um beija-flor.
Romanzine – Fevereiro de 2009 8

Lembra-se que uma das noites consolo, o que a acalmava, pois logo ela
em que se sentia prostrada por uma se aquietava e se entregava a um sono
febre intensa, imaginara ver Ricardo mais tranqüilo.
entrar no quarto e chegar até o leito. Nas Seus olhos teimosos não se
mãos ele trazia uma rosa e a colocara no afastavam da figurinha que passeia entre
travesseiro vazio a seu lado. Na tentativa as roseiras. Analisa sua protegida que
de agradecê-lo, seus lábios doeram. aparentemente frágil e meiga assumia sua
Gentil, ele beijara-lhe a testa e lhe essência guerreira para vencer seus
dissera: - Você vai melhorar. Ficará boa desafios. Mariah seria uma boa esposa.
e ninguém mais vai te ferir. – Em Seria uma invejável mulher quando
seguida, ele pegava um pano úmido e atingisse total maturidade. Não para ele,
com muita delicadeza lhe passava pelo claro. Ricardo contém as emoções que o
rosto. Como a febre aguçava a inquietam, impiedosas. Dali a algumas
imaginação. Onde um homem ocupado horas falaria com ela e teria de ser
como ele, iria fazer o papel de um racional. Sempre se orgulhara de ser
criado? O sorriso que aflora em seu contido. Sua lógica, às vezes beirava a
rosto ao imaginar a cena se acentua frieza e o fazia ser respeitado por amigos
quando se depara com um pé de rosas e inimigos. Não podia se dar ao luxo de
totalmente amarelas. Reverente, beija se abalar mesmo diante do inusitado.
cada uma. Era o símbolo que sua mãe Uma mocinha ingênua e tímida não
lhe mostrara no sonho. Elas podiam lhe podia conflitar tanto suas emoções,
trazer o amor. jogando por terra, metas
Absorta em seus pensamentos minuciosamente elaboradas.
não nota que há poucos passos dali, Ingênua ou fada, tímida ou
meio camuflado pelas paredes de vidro feiticeira, ele procuraria não se envolver.
da estufa, Ricardo a observa, tentando Daria sua liberdade tão logo os planos
vetar a ternura que o invade, além da fossem concretizados e cuidaria para que
surpresa por sua rápida recuperação após ela seguisse um bom caminho. Sua
tanta violência. inocência poderia jogá-la nos braços de
Mariah trazia a beleza no alguém como o pai e a história de sua
espírito. Outra mulher ficaria mãe se repetir. Teria que estar atento
traumatizada de tal maneira, que levaria como um mentor, mesmo à distância.
bem mais tempo para se recuperar.
Estaria ela tão acostumada à agressão do ***
pai? Ou sua juventude e vontade de Crítica, ela se olha no espelho. A
viver não deixavam lhe macular a alma? criada de Ricardo que assumira o lugar
Não a visitara durante os dias de Mabá até sua melhora, lhe prendera
para não constrangê-la, mas no decorrer os cabelos e tentara disfarçar com pó, as
da noite quando todos dormiam, passava marcas amareladas de seu rosto. Ainda
por seus aposentos a fim de atestar sua assim, Mariah não se sentia bonita.
melhora. O sono pesado induzido pelos Gostaria de ser como as mulheres lindas
remédios que o médico ministrava, às que vira no teatro. Ricardo a olharia com
vezes era quebrado pela febre alta que a outros olhos.
fazia debater-se em sofrimentos. A mínima lembrança dele
Sentava-se a seu lado e segurava sua provoca um arrepio em seu corpo e faz
mão, tentando influir-lhe segurança e seu sangue correr rápido nas veias. A cor
Romanzine – Fevereiro de 2009 9

modifica seu rosto. Aceitaria o pedido de mal educado e se levantem para acariciar
casamento, se ele fizesse novamente, o rosto dele. À vontade de se
mas lhe falaria de seus temores. Sentia-se aconchegar, de deitar a cabeça em seu
segura e protegida só em saber que ele peito e deixar fluir sua carência, vem-lhe
estava por perto, que estava sob sua à mente.
guarda. Seria honesta com ele. Quando braços protetores
A entrada de Rosauro, com o envolvem seus ombros, abraça sua
pedido para que fosse ao encontro dele cintura com naturalidade. Ouvir as
na biblioteca, acelera as batidas de seu batidas fortes e ritmadas de seu coração
coração. Preparara-se para o momento, sob seus ouvidos, faz a emoção se
mas sente que suas emoções ainda estão alastrar por toda sua alma.
desordenadas. Um simples pedido a - Gostaria de poder ficar aqui
alvoroçava. para sempre. Obrigada. Devo-lhe minha
Antes de sair, olha com certo vida. – As palavras saem em fluxo de
desconforto para o espelho que mostra seus lábios, sem que atine.
sua figura magra. Não conseguira
preencher o belo vestido. ***
Apressada, atravessa os longos A voz baixa e trêmula que chega
corredores que a levam a outra ala da aos ouvidos de Ricardo expressa um
casa. Seus olhos registram de relance, a agradecimento, mas ressoa em seu
beleza e o luxo de cada ambiente. cérebro como uma premonição. Era
Espera que Rosauro anuncie sua como se ela dissesse. – Você é meu.
presença e logo a voz forte e grave o Não a analisa no momento, pois
responde. Respira pausadamente na Mariah se libertava de seus braços. Ao
tentativa de conter a emoção. senti-la se afastar, prende-a de volta,
Ao entrar na biblioteca ainda num gesto instintivo.
iluminada pelo sol da tarde, procura por Nota a surpresa nos olhos
ele junto à mesa. Vê-la vazia, o faz correr verdes, mas não se sente em condições
os olhos pelo ambiente. Encontra-o de liberá-la, ao contrário, ergue a mão e
parado ao lado de uma janela, fitando-a num gesto natural solta os prendedores
seriamente. de seus cabelos, deixando-os caírem
Suas pernas lhe traem como se livres até abaixo da cintura delgada.
não suportassem seu peso. A emoção Totalmente preso na magia que
criteriosamente contida durante o dia de parecia envolvê-los, ele examina o
espera, se solta como um pássaro a voar rostinho corado voltado para o seu. Os
desordenado, sem saber como bater suas lábios pequenos, cheios e entreabertos
asas ou que rumo seguir, preso ao lhe atraem como imã. Prova-os
magnetismo de algum predador. levemente, num toque como ela,
Duas semanas sem vê-lo. Suas ingênuo, suave e casto.
lembranças não foram fieis ao retratá-lo. Mariah encontra os olhos dele,
Seguro e magnético, ele a atraia, fazia negros e profundos, sondando-a.
com que cada passo leve e incerto a Mergulha em suas profundezas sem
levasse até ele. medo algum, entregando-se ao seu
Fecha os olhos por um segundo primeiro beijo.
e segura firmemente às mãos. Teme que Ricardo a beija com infinita
elas sigam a orientação de seu cérebro doçura. Os lábios que lhe eram
Romanzine – Fevereiro de 2009 10

entregues castos se surpreendem, mas - Onde achar melhor, - responde


logo se abrem escurecidos pela emoção, Mariah, quase num sussurro. A voz
para o primeiro beijo da Eva de olhos faltava-lhe. Sentia que suas poucas forças
verdes. Contem-se para não sugá-los haviam abandonado-a. Suas energias
como um sedento. Queria beber neles foram sugadas, deixando-a
toda doçura que lhe era oferecida. Eles completamente trêmula.
se abrem como uma flor para receber os - Ficaremos aqui então, –
raios quentes do sol e Ricardo não se Ricardo decide. – Estaremos seguros.
contém, suga-os com ardor, Não quero que algum criado
surpreendendo-se com a entrega bisbilhoteiro nos ouça ou interrompa.
inexperiente e sem medo. Não se assuste. – Ricardo a tranqüiliza
Sente-a estremecer em seus ao notar o medo estampar seus olhos, -
braços e a libera. Os lábios úmidos e está segura aqui comigo. – Mais uma vez
rosados largam um pequeno gemido de ele se delicia com o rubor que tinge o
protesto, que e o faz sorrir intimamente. rosto dela e a faz baixar os olhos,
Sua frágil pupila, logo sua noiva, se encabulada.
tornava forte e voraz quando dominada Gentil, puxa a cadeira, junto à
por sensações incomuns. O rosto escrivaninha para que ela se sente.
fortemente corado contrastava com os Depois de vê-la acomodada, senta-se a
olhos grandes que lhe fitavam carentes. sua frente, do outro lado da mesa.
Volta à razão. - Fiquei extremamente chocado
Imaginara uma conversa com o que te aconteceu,
demorada e cheia de explicações, mas o verdadeiramente. Não o que me foi dito.
gesto puro e ingênuo derrubara suas Estou de posse de todas as informações,
defesas, fazendo-o agir com – sem preâmbulos, ele inicia o assunto. –
inconseqüência e imaturidade. Tua recusa em aceitar meu pedido de
Gratificado com a meiguice dela, aceitara casamento desencadeou a fúria de seu
que sua mente o fizesse lhe dar um beijo pai e quase provocou sua morte. Temo
casto, mas perdera a compostura quando por sua vida.
ela lhe entregara o segundo. - E eu pela... Senhor! Por Deus!
Nunca se enganava em relação às – Mariah interrompe-o, alarmada. –
mulheres, mas essa em especial o Recusei vosso pedido exatamente por
intrigava. Escondida dentro da juventude temer por sua vida.
e da ingenuidade havia uma pequena - Como já lhe disse uma vez,
fera, mas passional, pronta para escapar repito Senhorita. Não temas por mim.
ao menor incentivo. Sei onde estou pisando. Segundo pude
Busca seu controle passando os perceber, a Senhorita não sente aversão
braços sobre os dela, soltando-os de seu por mim. O que mais pode temer ao
corpo. Para não deixá-la constrangida, desposar-me? Sairá do jugo de seu pai,
beija as mãozinhas frias, interrompendo terá vida própria. Poderá viajar, conhecer
o contato. o mundo... – Ele para de falar ao vê-la se
- Quer ir ao jardim? Precisamos levantar torcendo as mãos num gesto de
conversar, Mariah. Ou quer ficar aqui. – franco nervosismo, enquanto dá alguns
Alegra-se como um rapazola ao notar passos pelo aposento.
que voltara a ter o controle. Não - O senhor deve estar ciente da
demonstrara a emoção que sentia. história de família de minha mãe.
Romanzine – Fevereiro de 2009 11

Especialmente dela. Está? – Ela não por ele. Não sou ingrata, mas quero um
espera a resposta e continua. – Temo casamento válido, quero ter uma família.
que aconteça o mesmo comigo. Meu pai Quero ter filhos com meu marido,
está ficando louco. Ele é capaz de matar participar de uma vida que nunca tive. Se
por dinheiro e não quero ser conivente... não pode me dar isso, se acha que não
Se algo lhe acontecer. estou a sua altura e eu acredito que não...
Ricardo ouve o desabafo direto, sem Para tanto... Então não aceitarei seu
surpresa. Secretamente esperava por sua pedido. Não deixaria por menos,
honestidade. Seu instinto, que por várias desculpe-me. - Virando-lhe as costas,
vezes o ajudara a decifrar causas quase Mariah caminha para a porta.
impossíveis, não lhe enganava. Sentia - Mariah! Não terminados nossa
que podia confiar nela. conversa.
Veste-se de lógica e lhe faz mais A voz de comando entra em seu
uma vez o pedido de casamento. Ao vê- cérebro e a paralisa por segundos. Volta-
la aceitar sem delongas, conta-lhe então se para o homem ainda sentado atrás da
parte do plano, mas sem entrar muito mesa e tenta sondar-lhe o semblante. A
em detalhes. expressão inexpressiva e os olhos frios,
Ela ouve atenta cada palavra e mal lembravam o homem que lhe dera
Ricardo observa as reações espelhadas seu primeiro beijo e a induzira a
em seu rosto. A felicidade pueril e corresponder.
singela e logo a mais pura decepção. Suas pernas rebelavam contra a
Mariah, calada e de ombros curvados vontade de seu cérebro, a cada passo que
parecia carregar neles o peso dos atos do dava de volta em sua direção. Os olhos
pai. Passos já firme a levam até a janela e ainda fulguravam pelo acalorado
após admirar por longos e silenciosos discurso.
segundos, a natureza exuberante lá fora, - O que entende por um
ela se volta para ele. casamento, Mariah? Mal saiu dos
- Retiro minha palavra. Não cueiros. O que é um casamento para a
aceito seu pedido. – Ela é categórica em senhorita? A casinha de bonecas que
suas palavras, para a fragilidade de sua nunca teve? – Ricardo levanta-se
situação. Os olhos, como duas abrupto e tenta conter a fúria. Estava
esmeraldas fulgurantes brilhavam, sendo desafiado por uma fedelha
tomados de determinação. ingênua, mas caprichosa. – Tenho
Os cabelos soltos, emoldurando- quinze anos mais que você. – Ao vê-la
lhe o rosto, evidenciavam sua extrema baixar os olhos, a ira se alastra por suas
beleza. Os ombros agora eretos eram veias e faz seu sangue fremir. Ela não
desafiantes e aumentavam sua estatura, à sabia o que era a vida. – Olhe para mim.
medida que ela se aproximava, sem Tem idéia do que um homem espera de
medo. uma mulher, no casamento que quer?
- Prefiro ter todos os ossos de Uma família? – Toma brusco, o pequeno
meu corpo quebrados, minha carne já queixo em sua mão e a faz encarar-lhe. –
marcada por todas as surras que tomei Não sou homem de faz de conta,
desde que me entendo por gente, do que Senhorita. Eu exigiria muito da mulher
me casar e não ter um marido. Estou lhe que por ventura se tornar minha esposa.
assustando, Senhor? Acha que está me Exigiria mais do que estaria pronta para
fazendo um favor e tenho que ser grata me dar.
Romanzine – Fevereiro de 2009 12

- Isso eu decido... Senhor. emoções, os lábios úmidos e


Ela não se intimida, o que o intumescidos, ela era a imagem pura da
deixa surpreso e exasperado. Quase sedução. Contém-se para não provar de
sorri, diante da determinação dela. Tenta seus lábios novamente. Não a assustara.
incutir-lhe razão. – Não seria certo. É
muito nova para assumir as
complicações de um casamento da
forma que quer. Tem muito a aprender
antes disso. O que lhe ofereço, como já
disse antes, é um meio de se tornar dona
de sua vida, sem ter um verdugo em seu
caminho.
- Não quero me casar por casar,
– ela o enfrenta. – Quanto, a saber, das
complicações é só me ensinar. Se tiver
um pouco de paciência, aprenderei com
facilidade.
- Você não sabe o que está
- Serei boa esposa, – ela insiste.
falando. – Ricardo passa as mãos pelos
A voz era um sussurro.
cabelos, como se o gesto pudesse conte-
- Um casamento é bem mais que
lo, acalmá-lo. –Senhorita Mariah, a
isso.
mulher é a parte frágil de um casamento.
- Ensina-me.
A que mais é sufocada.
Ricardo a analisa por vários
- Não me quebrará pode ter
segundos antes de tomar uma decisão. -
certeza. Aprenderei... A não ser que o...
Abrace-me, – desafia-a.
A não ser que não me queira. Posso
Sem demora, ela ergue os braços
entender, mas... O que pode ser tão
e enlaça seu pescoço, sem fugir de seu
difícil? – Mariah não se deixa convencer.
olhar. O rosto estava em chamas.
Ricardo se aproxima com o semblante
- Corajosa...
carregado. Examina o rosto afogueado
Ricardo mais uma vez cola seu
pela emoção. De súbito a toma de
corpo ao dela sem esconder a excitação,
surpresa e a beija com sofreguidão,
abraçando firme a cintura fina. – Beije-
enquanto a envolve em seus braços,
me.
puxando-a para ele até seus corpos se
A timidez por segundos a vence.
colarem dos lábios ao ventre, deixando
Depois, o corpo pequeno ergue-se na
evidenciar sua masculinidade. Ela não
ponta dos pés e ela encosta os lábios nos
foge.
dele. Ao notar que não terá ajuda
Suga os lábios macios até
alguma, ela deposita um beijo no lábio
roubar-lhe o ar e penetra sua boca com a
inferior e depois no superior. A falta de
língua, buscando a dela, devassa e
retribuição a deixa indecisa. Ela se afasta
profundamente. Seu objetivo era chocá-
sem deixar de fitá-lo.
la.
O calor dos olhos negros a
Libera-a bruscamente, mas tem
envolve antes de seus lábios serem
que segurá-la nos braços a fim de não
tomados novamente. Doa-os para ele,
vê-la desabar. Com a respiração
que logo aprofunda o beijo, numa mútua
ofegante, os olhos velados pelas
Romanzine – Fevereiro de 2009 13

doação.
Envolvidos, não percebem a
porta da biblioteca se abrir e Dante
observá-los. A princípio boquiaberto,
depois desaparece com um largo sorriso
no rosto.

CONTINUA NO
PRÓXIMO NÚMERO: RomanZine 04

Expediente
RomanZine, zine de literatura romântica
Fevereiro de 2009 – edição 03
:.Elimar Machado, Jossi Borges, Laura Elias,
Ceila Sarita, Jacqueline Maia.

Formatação e arte: Jossi Borges.

Correspondência:
Jossi Borges: jossiborges@hotmail.com

Telyka Madelynne: ceila_sarita@yahoo.com.br

Laura Elias: lindaefeliz@uol.com.br

Elimar Machado:
emachadodesouza@yahoo.com.br

http://romanzine.blogspot.com/