Universidade Federal de Santa Catarina

Centro de Ciências Físicas e Matemáticas
Departamento de Química
Relatório da aula prática de Físico-Química
“Determinaço da concentraço micelar crítica de um
sur!actante"
Rodri#o $van %rim
&ernardo Della 'iustina
M(nica )lves )#uiar
Sandro *opereis
Florianópolis+ ,- de a.ril de /00-1
Resumo
2s sur!actantes so mol3culas muito interessantes e muito estudadas por suas
características 4nicas+ sua capacidade de diminuir a tenso super!icial de lí5uidos como
a á#ua e remover e!icientemente compostos apolares 6#ordura+ etc17 com o au8ílio da
á#ua !oram amplamente usados pelas ind4strias de produtos de limpe9a e :i#iene e
antes mesmo de e8istirem tais ind4strias os sa.;es 65ue tam.3m so sur!actantes7 <á
eram produtos caseiros a partir da reaço da #ordura com .ases !ortes como o =a2>1
) ind4stria de medicamentos tam.3m vem o.servando essas propriedades :á
.astante tempo+ desde o <á renomado anti-#ases lu!tal at3 os recentes estudos da
utili9aço de micelas para transportar !ármacos1 %or essas e outras características os
sur!actantes so to mencionados na literatura1
)trav3s deste e8perimento iremos determinar a tenso super!icial da á#ua e da
soluço do sur!actante dodecilsul!ato de sódio 6SDS7 em várias concentraç;es para
podermos con!irmar a aço deste tipo de produto e entender seu !uncionamento1
Dados 2.tidos
%ara o teste da determinaço da tenso super!icial !oi utili9ado o tensi(metro de
Do =ou?1 Foram lidas as tens;es super!iciais em duplicata da á#ua e das soluç;es do
sur!actante dodecilsul!ato de sódio nas se#uintes concentraç;es@ ,+0mM+ /+0mM+
A+0mM+ B+CmM+ C+CmM+ D+CmM e ,0+0mM1 2s resultados o.tidos constam na ta.ela ,1
Ea.ela ,@ Resultados o.tidos no tensi(metro de Do =ou?1
Eu.o Concentraço 6em mM7 Eenso super!icial 6em
dinaFcm7
Su.stGncia
, ,+0 BH+0 BH+C SDS
/ /+0 B,+0 B,+C SDS
A A+0 AH+C AH+0 SDS
B B+C AI+0 AI+0 SDS
C C+C AH+0 AH+0 SDS
D D+C AH+0 AH+/C SDS
- ,0+0 B0+0 B0+0 SDS
H J -/+C -A+0 á#ua
Eratamento de dados
Com os valores o.tidos nas leituras !oram !eitas as m3dias para serem plotadas
em um #rá!ico de disperso KL con!orme !i#ura ,1 )trav3s da e8trapolaço nesse
#rá!ico+ pode-se o.ter o valor da concentraço micelar crítica 6CMC7 5ue !icou em
AH+CdinaFcm 6tu.o AM concentraço de AmM71 )s m3dias esto na ta.ela /1
Ea.ela /@ M3dias dos resultados o.tidos1
Eu.o M3dia 6em dinaFcm7
,
BH+/C
/
B,+/C
A
AH+/C
B
AI
C
AH
D
AH+/C
-
B0
H
-/+-C
Fi#ura ,@ 'rá!ico do ln da tenso super!icial 6em dinaFcmM?7
versus m3dias das concentraç;es 6em mMM871
%ara determinar a área transversal e!etiva N+ do sur!actante na monocamada
adsorvida na super!ície da á#ua+ !oi usada a concentraco de ,mM+ ou se<a+ ,O,0
-D
molFcm
A
1 Foi utili9ada tam.3m para o cálculo desta área a e5uaço de adsorço de
'i..s 6e5uaço ,7 como se#ue a.ai8o@
P Q -NOREOln c 6e5uaco ,7
2nde@
P Q Eenso super!icialM
N Q área transversal e!etivaM
R Q constante universal dos #asesM
E Q temperatura a.solutaM
c Q concentraco do lí5uido1
Ro#o@ BH+C Q - N OB,,+DOln ,O,0
-D
N QS- B,,+DO6-,A+H/7T F BH+C
N Q ,,-+/H U
/
Fmol3cula
Foi calculado tam.3m o coe!iciente an#ular da porço linear da reta como se#ue
a.ai8o1 Como a reta se apresentou de !orma linear !oi utili9ada a e5uaço da variaço de
? so.re variaço de 8 6e5uaço /71
m Q V? F V8 6e5uaço /7
m Q ,0 F -,+,0
m Q -I+0I
Discusso de Resultados
2s resultados o.tidos neste teste !oram satis!atórios1 2.servaram-se as duas
retas da lin:a de tendência como descrito na literatura e atrav3s destas pode-se calcular
o coe!iciente an#ular da primeira reta 6porço linear imediatamente antes da
descontinuidade7+ e o CMC atrav3s da e8trapolaço no #rá!ico de disperso lo#aritmo
natural da concentraço versus tenso super!icial1
2s resultados dos cálculos #erais do e8perimento se apresentam na ta.ela A1
Ea.ela A@ Resultados #erais dos cálculos do e8perimento
CMC do sur!actante
SDS
Coe!iciente an#ular da
retaO
Wrea transversal e!etiva
AH+C dinaFcm -I+0I ,,-+/H U
/
Fmol3cula
O coe!iciente an#ular da porço linear imediatamente anterior X descontinuidade1
Questionário
,7 De!ina tenso super!icial e tenso inter!acial1
Uma mol3cula no interior de um lí5uido está so. e!eito das !orças de atraço ou
repulso pelas outras mol3culas 5ue a circundam+ por3m a !orça resultante 3
praticamente nula1 Yá uma mol3cula na super!ície do lí5uido rece.e as mesmas !orças de
atraço e repulso a.ai8o só 5ue essas !orças no so compensadas+ pois no e8istem
mol3culas acima+ acarretando em uma !orça resultante para .ai8o1 Zsse !en(meno 3
c:amado de tenso super!icial1
) tenso inter!acial re!ere-se a misturas 5ue ten:am duas ou mais !ases1 )
e8plicaço teórica 3 a mesma da tenso super!icial+ só 5ue ao inv3s da super!ície da
mistura essa tenso ocorre na 9ona onde os dois lí5uidos di!erentes se encontram e
como eles so di!erentes as !orças inter-moleculares entre os dois no se anularo+
acarretando em resultantes di!erentes de 9ero1
/7 Dê e8emplos de su.stGncias 5ue aumentem a tenso super!icial da á#ua1
) tenso super!icial pode ser aumentada com os sais i(nicos1 Zsses sais+ 6e81
=aCl7+ aumentam a tenso super!icial+ devido ao !ato de 5ue os íons dissolvidos+ em
virtude das atraç;es íon-dipolo+ tendem a pu8ar as mol3culas da á#ua para o interior da
soluço1 Sendo assim+ criando uma nova super!ície+ 3 necessária a reali9aço de um
tra.al:o adicional contra as !orças inter-moleculares1

A7 Como so constituídos e como se classi!icam os sur!actantes[ Dê e8emplos1
2s sur!actantes so constituídos de uma porço polar 6ca.eça polar7 e de uma
porço apolar 6cauda apolar7 e se classi!icam em@
Sur!actantes )ni(nicos@ Cu<a ca.eça polar tem um íon carre#ado ne#ativamente
como o dodecil sul!ato de sódio1
Sur!actantes Cati(nicos@ Cu<a ca.eça polar tem um íon carre#ado positivamente
como o al5uil trimetil am(nio1
Sur!actantes =eutros@ Cu<a ca.eça 3 polar+ mas no tem caráter i(nico como o
Sur!actantes \]itteri(nicos@ Cu<a ca.eça polar apresenta tanto íons carre#ados
positivamente 5uanto ne#ativamente como o propanesul!onato 6>%S71
B7 Desen:e uma estrutura para a micela1
C7 Como a#em os 8ampus e condicionadores[
2s 8ampus têm em sua composiço sur!actantes ani(nicos para solu.ili9ar e
retirar a oleosidade e a su<eira 5ue !ica aderida no ca.elo+ por3m as car#as ne#ativas da
ca.eça polar da mol3cula !ormam comple8os estáveis com polímeros neutros ou com
proteínas+ constituintes dos ca.elos1 )pós o uso do 8ampu o ca.elo !ica carre#ado
eletrostaticamente devido X repulso entre as mol3culas do sur!actante li#adas a
5ueratina1
Yá o condicionador 3 composto por sur!actantes cati(nicos+ cu<os no se li#am ao
ca.elo e so capa9es de remover as mol3culas do sur!actante ani(nico do 8ampu1
=eutrali9ando assim as car#as eletrostáticas 5ue se li#am ao ca.elo após a aplicaço de
8ampu1
D7 Discuta as aplicaç;es do lu!tal para uso m3dico+ na diminuiço da tenso super!icial1
6ve<a a .ula do rem3dio71
2 Ru!tal corresponde a um medicamento anit#ases 5ue tem como princípio ativo
a dimeticona1 Zle atua no est(ma#o e no intestino+ diminuindo a tenso super!icial dos
lí5uidos di#estivos+ causando o rompimento das .ol:as #asosas 5ue retêm os #ases 5ue
so posteriormente eliminados pelo or#anismo1
-7 ^isite a pá#ina 5mc]e. e leia os arti#os /, e /-1 Faça a e8periência /, e responda o
e8ercício da aula1
Respostas dos e8ercícios@
,7 2 primeiro sur!actante 3 ani(nico pois apresenta car#a ne#ativa+ o se#undo 3
cati(nico por causa de sua car#a positiva e o terceiro 3 neutro1
/7 ) mol3cula cu<a ca.eça tem um átomo de !ós!oro em sua composiço 3 um
sur!actante+ dissociando-se em ácido !raco numa soluço a5uosa1
A7 )ssinale as alternativas verdadeiras@
• 2s sur!actantes diminuem a tenso super!icial da á#ua1 6^7
• 2s sur!actantes so insol4veis em á#ua1 6F7
• Z8istem micelas em uma soluço a5uosa em 5ual5uer concentraço do
sur!actante1 6F7
• )s micelas somente se !ormam após a CMC1 6^7
• 2s sur!actantes so capa9es de dissolver mol3culas de #ordura1 6^7
B7 Qual a!irmaço a.ai8o está incorreta@
• ) adiço de sur!actante aumenta a condutividade el3trica da á#ua1
• ) CMC pode ser estimada com e8perimentos de medida de
condutividade ou tenso super!icial1
• 2s sur!actantes cati(nicos no so sol4veis em á#ua1 6$ncorreta7
• Uma soluço de sur!actante neutro no apresenta condutividade el3trica
apreciável1
H7 Descreva outro m3todo 5ue poderia ser usado para determinar a tenso super!icial1
) tenso super!icial poderia ser medida atrav3s da comparaço da medida de
condutividade el3trica do lí5uido com e sem sur!actante+ pois com o #rá!ico da
condutividade pode-se encontrar pontos 5ue tam.3m seriam encontrados na medida
com o tensi(metro+ como a CMC1
I7 Descreva o 5ue ocorre com a distri.uiço de íons em inter!aces carre#adas+ se#undo
o modelo de Stern1 De!ina plano de cisal:amento e potencial 9eta1
2 modelo de Stern+ tam.3m 3 con:ecido como modelo da dupla camada di!usa+
3 o mais aceito atualmente1 Supondo 5ue uma super!ície de partícula coloidal dispersa
em um meio a5uoso+ por e8emplo+ so.re a 5ual se adsorvem cátions1 Com isso+ ocorre a
!ormaço de uma re#io com nítida car#a positiva e isso ori#ina um potencial
denominado potencial de =emst ou eletrotermondinGmico1 2s íons 5ue provocam esse
potencial so c:amados de íons determinantes1 Como resultado do dese5uilí.rio
decorrente do ac4mulo de car#as positivas na5uela re#io+ o.serva-se um leve ac4mulo
de Gnions+ caracteri9ando uma camada de solvataço+ !ortemente aderida X super!ície da
partícula+ denominada plano de cisal:amento e apresenta+ ainda+ potencial el3trico
positivo1 2s íons responsáveis pela car#a desta re#io so denominados contra-íons e o
potencial el3trico resultante c:amado de potencial el3trocin3tico ou potencial 9eta1
,07 Que tipos de resíduos 5uímicos !oram #erados neste e8perimento e como !oram
tratados ou arma9enados1 Z8pli5ue1
2s resíduos #erados !oram as soluç;es de á#ua e dodecil sul!ato de sódio+ 5ue
puderam ser descartados na pia sem pro.lemas1
Conclus;es
)s su.stGncias sur!actantes so diminuidoras da tenso super!icial1 Fa9endo uma
comparaço+ para a á#ua+ de acordo com o e8perimento a tenso 3 -/+-C dinaFcm e para
a menor concentraco reali9ada com o SDS 6,+0 mM7 a tenso 3 BH+/C dinaFcm1 ^isto
isso+ o estudo dos sur!actantes 3 e8tremamente importante+ pois 3 amplamente utili9ado
em diversas áreas do con:ecimento :umano1
)l3m disso+ tam.3m o.teve-se a área transversal N do sur!actante na
monocamada adsorvida na super!ície da á#ua 6N Q ,,-+/H U
/
Fmol3cula7+ 5ue 3 uma
propriedade especí!ica de cada sur!actante1
&i.lio#ra!ia
)E_$=S+ %1*1 Fisico-5uímica1 D1 ed Rio de <aneiro@ REC+ ,III

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful