Você está na página 1de 5

OFICINA DE FORMAÇÃO: Práticas e Modelos de Auto – Avaliação das Bibliotecas Escolares

Outubro a Dezembro de 2009

PLANO DE WORKSHOP
1. Designação do Workshop: Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar – caminhar para o sucesso

2. Formadora
Anabela da Conceição Costa anabelacosta2@hotmail.com
(Professora Bibliotecária da Escola Básica 2,3 de Condeixa-a-Nova – Agrupamento de Escolas de Condeixa-a-
Nova)

3. Destinatários da acção de formação


Elementos do Conselho Pedagógico e do Conselho Geral

4. Fundamentos do Workshop
A partir do século XX, a par e como consequência da acelerada mutação aos mais diversos níveis na
sociedade ocidental, assistiu-se a uma crescente solicitação de resposta aos sistemas educativos. Na verdade,
como afirma Estrela, (1999, p. 9) é nos “momentos de crise que as sociedades tomam maior consciência da
importância da educação como factor de desenvolvimento e equilíbrio sociais”. Nessa medida, a atenção recai
sobre os professores como os grandes promotores da qualidade de ensino.

No entanto, a qualidade do ensino não é um conceito fácil de definir, uma vez que encerra diversas tensões
entre “valores, interesses e posturas epistemológicas”(Estrela, 1999, p. 10), que atravessam os tempos e
“modas”. Tem-se assistido, ao nível das Ciências da Educação, a uma discussão em torno dos referenciais ou
critérios de qualidade do ensino que possibilitem orientar o desempenho docente e, em consequência,
sustentar a sua apreciação, tendo como objectivo final benefícios para a aprendizagem dos discentes. Esta
discussão fez emergir, nem sempre numa linha de continuidade, diversos modelos ou paradigmas.

Hoje em dia, situados numa amálgama de paradigmas educacionais que se confundem e de pluralismos de
todas as naturezas, vive-se um campo fértil para o debate, que apesar de poder seguir vários percursos,
Berliner (1988) considera imprescindível, que nele não se perca de vista, como não raras vezes acontece, o
“What works?” (o que funciona para que os alunos aprendam), apontando a importância dos professores
conseguirem adequar as técnicas que dominam às situações concretas em que se estão inseridos. Nesta
perspectiva, torna-se premente que as escolas apliquem mecanismos de auto-avaliação que lhe permitam
regular a acção educativa das escolas e das suas estruturas pedagógicas.

Falar de qualidade do ensino, no presente, não pode deixar de lado a importância da missão da Biblioteca
escolar e consequentes reflexos da mesma nas modificações positivas (…) nas atitudes, valores e conhecimento
dos utilizadores (texto base da sessão 3, p. 4). Desta maneira e tal como demonstram diversos estudos
internacionais, avaliar os serviços prestados pela BE é também crucial, pois a monitorização sistemática,
através da recolha de evidências, evidence based practice, permitirá delinear planos de acção, que potenciando
os pontos fortes e corrigindo as fragilidades na sua actuação, contribuam para tornar a Biblioteca Escolar o
Centro de aprendizagem e de promoção de sucesso que se deseja.

Foi nesse sentido que a RBE lançou o Modelo de Auto-avaliação das Bibliotecas Escolares. Este instrumento de
gestão, procura clarificar os parâmetros de avaliação da qualidade da Biblioteca Escolar, apoiada em
evidências a dar a conhecer à comunidade educativa, numa tentativa de promover a reflexão partilhada do
que é a BE e o que se pretende que esta seja.

Decorrendo do acima exposto, o presente workshop: “Modelo de Auto-avaliação da Biblioteca Escolar –


caminhar para o sucesso”, pretende apoiar o Agrupamento e as suas Bibliotecas Escolares na aplicação do
modelo de auto-avaliação, proporcionando: a conceptualização sobre o modelo; um contexto facilitador da
construção de instrumentos de trabalho a aplicar nas escolas; momentos de reflexão e de problematização das
práticas.

5. Objectivos do Workshop
Domínio Afectivo Domínio Cognitivo
1. Disponibilizar-se para pensar o ensino e a missão 1. Consciencializar-se da necessidade de
da Biblioteca escolar a partir de diferentes implementar nas escolas uma gestão baseada na
documentos e realidades; melhoria contínua, através da aplicação de
2. Interagir, dentro do grupo de formação, na dispositivos eficazes de auto-avaliação;
discussão de saberes e de práticas; 2. Reflectir sobre o conceito e a missão da biblioteca
3. Envolver-se na mudança de práticas. escolar, no contexto social e educacional presente;
3. Reconhecer a importância da auto-avaliação da
BE;
4. Adquirir conhecimentos essenciais à aplicação do
modelo de auto-avaliação das BE;
5. Reflectir sobre as oportunidades e
constrangimentos na aplicação do modelo de auto-
avaliação das BEs, na realidade do Agrupamento;
6. Envolver-se na aplicação do modelo de auto-
avaliação das Bibliotecas Escolares, numa
perspectiva de gestão participada.

2
6. Conteúdos do Workshop
O Workshop terá a duração de cinco horas, distribuídas por três módulos. Incidirá sobre os seguintes
conteúdos:
Módulo I – A auto-avaliação nas escolas:
1.1. Conceptualização;
1.2. A avaliação enquanto instrumento de melhoria das práticas.

Módulo II –O modelo de auto-avaliação da Biblioteca Escolar:


2.1. Biblioteca Escolar: conceito e missão;
2.2. Articulação entre a auto-avaliação da Biblioteca Escolar e a avaliação da escola;
2.3. O modelo de auto-avaliação da BE: objectivos e conceitos implicados;
2.4. Organização estrutural e funcional do modelo;
2.5. Integração/ aplicação do modelo nas escolas;
2.6. Práticas de aplicação: oportunidades e constrangimentos;

Módulo III – Níveis de participação da escola na aplicação do Modelo


3.1. Que níveis de participação para a implementação da mudança?;
3.2. Calendário para implementação do modelo de auto-avaliação.

7. Metodologia(s) a utilizar : Workshop


O desenvolvimento da acção assenta na interacção entre a formadora e os formandos, utilizando-se, para tal,
diversas metodologias.
Módulos Metodologia
Módulo I – A auto-avaliação nas escolas - Exposição através de powerpoint;
Módulo II –O modelo de auto-avaliação da - Brainstorming;
Biblioteca Escolar -Apresentação e discussão dos documentos da
sessão.
Módulo III – Níveis de participação da escola na - Reflexão em trabalho de pequeno grupo em torno
aplicação do Modelo dos conteúdos abordados nos módulos I e II;
- Preenchimento das grelhas sobre os níveis de
participação da comunidade na aplicação do
modelo;
- Apresentação e discussão dos trabalhos em
grande grupo;
- Definição conjunta de calendário de
implementação do modelo;
- Avaliação do trabalho desenvolvido ao longo do
Workshop.

3
8. Recursos:
- Sala com mesas para trabalho de grupo
- Exemplar do Modelo de Auto-Avaliação;
- Apresentação em Powerpoint;
- Computadores e videoprojector;
- Grelhas de registo (níveis de participação da comunidade na aplicação do modelo);
- Documento de Trabalho com grelha tipo para calendarização da aplicação;
- Questionário para avaliação do workshop.
-
9. Calendarização: (total: 5 horas)
Sessão Presencial: 5 Horas (uma tarde de 4ª feira, a desenvolver das 14:00 horas às 19:00 horas)
• 14:00 h. - 15 h. - Apresentação do workshop; inscrição dos participantes na disciplina da Biblioteca
Escolar, disponível na plataforma de blended learning Moodle do Agrupamento; breve exemplificação prática
do modo de trabalho na plataforma do Agrupamento e abordagem da 1ª parte do Módulo I – (A auto-
avaliação nas escolas: pontos 1.1; 1.2);
• 15:00 h. – 16:30 – Abordagem do Módulo II– (O modelo de auto-avaliação da Biblioteca Escolar:
pontos 2.1 a 2.7);
• 16:30 h. – 17:00 h. - Pausa para café;
• 17:00 h. – 18:00 h. – Abordagem do Módulo III – (Níveis de participação da escola na aplicação do
Modelo) – Prática reflexiva em pequeno grupo acerca dos níveis de participação esperada de cada membro
da comunidade, com vista à implementação da mudança prevista no modelo de Auto-Avaliação;
• 18:00 h. – 19: 00 h. – Apresentação dos trabalhos de grupo e pequeno debate, visando a delineação de
soluções para ultrapassar os constrangimentos detectados e aferição de calendário de implementação do
modelo. Avaliação do trabalho desenvolvido ao longo do Workshop.

10. Avaliação dos formandos


Apenas feita em termos de presença e participação no workshop. Será distribuído um certificado de
participação.

11. Avaliação da acção de formação


a) Pelos formandos, através da resposta a um questionário anónimo, elaborado para o efeito. No
entanto, de forma a poder corrigir em tempo útil qualquer inconveniente, será solicitado aos
formandos que, no decurso do workshop, sempre que considerem oportuno, exprimam a sua opinião
sobre o funcionamento do mesmo.
b) Pela formadora, através da elaboração de um relatório final, tendo como referenciais o tratamento dos
questionários dos participantes no workshop e o desenvolvimento das práticas, no contexto do
mesmo.

4
12. Bibliografia
1. Bibliografia constante do projecto
Berliner, D. C. (1998). Implications of studies of expertise in pedagogy for teacher education and evaluation.
In: The 1988 ETS Invitational Conference. Directions for Teacher Assessment: proceedings of
Princeton. New Jersey: Educational Testing Service, 39-67.
Estrela, M. T. (1999). Da (im)possibilidade actual de definir critérios de qualidade da formação de professores.
Psicologia, Educação e Cultura, vol III, nº 1, 9-30.
Texto da sessão 3. (2009). O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: problemáticas e conceitos implicados.
<http://forumbibliotecas.rbe.min-edu.pt/course/view.php?id=91> [06/11/2009]

2. Outra Bibliografia a utilizar


Eisenberg, Michael & Miller, Danielle (2002) “This Man Wants to Change Your Job”, School Library Journal.
9/1/2002 <http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA240047.html> [08/11/2009]
Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares - Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: Instrumentos
de recolha de dados. Disponível em URL: http://www.rbe.min-
edu.pt/np4/?newsId=427&fileName=Modelo__Instrumentos2009.doc [07.11.2009]
IFLA/UNESCO – Manifesto da Biblioteca Escolar. Lisboa: Ministério da educação - Gabinete da Rede de
Bibliotecas Escolares, 1999 [em linha].
McNicol, Sarah (2004) Incorporating library provision in school self-evaluation. Educational Review, 56 (3),
287-296. (Disponível na plataforma Moodle) [06.11.2009]
Todd, Ross (2008) “The Evidence-Based Manifesto for School Librarians”. School Library Journal. 4/1/2008.
<http://www.schoollibraryjournal.com/article/CA6545434.html> [06/11/09].

Coimbra, 09 de Novembro de 2009


____________________________________________
(Assinatura)