Você está na página 1de 4

Mestrado em Sistemas de Energias Renováveis

Gestão Inteligente da Energias nos Edifícios

2.º Trabalho Prático

A Figura 1 representa o modelo geométrico a adotar no caso de estudo proposto. Trata-se de um edifício térreo com as seguintes principais características:

- Dimensões: 8 m x 6 m x 2,7 m;

- Envidraçados: 2 x (3 m x 2 m), orientados a nascente e a poente; -Rugosidade: ambiente urbano;

- Exposição solar do edifício: exterior e interior

- Período de simulação: 1 de Janeiro a 31 de Dezembro

- Infiltração: 0,5 RPH;

: 1 de Janeiro a 31 de Dezembro - Infiltração: 0,5 RPH; Figura 1 – Modelo

Figura 1 Modelo Geométrico a Considerar para Implementação do Trabalho Prático As soluções construtivas são as seguintes:

Parede Exterior: Parede dupla em alvenaria de tijolo perfurado de face à vista, com 0.11 m de espessura pela face exterior, caixa-de-ar com 4 cm de espessura e pano em alvenaria de tijolo vazado com 0.11 m de espessura pela face interior, rebocado numa das faces com camada de argamassa à base de cimento com 2 cm de espessura e na outra face com camada de estuque com 2 cm de espessura, com uma espessura total de 30 cm.

Cobertura Exterior: laje de betão com 20 cm de espessura com tela de impermeabilização sob painéis rígidos de isolamento térmico em poliestireno extrudido com espessura de 80 mm e godo rolado.

Envidraçados exteriores: Caixilharia de alumínio anodizado à cor natural, com vidro duplo incolor de 6 mm + (10 mm) + 4 mm e proteção solar exterior em estores de alumínio anodizado à cor natural.

As propriedades dos materiais constituintes dos elementos construtivos são definidas nos Quadros 1, 2 e 3. Os ganhos internos e os perfis de ocupação, iluminação e ativação das proteções solares estão definidos nos Quadros 5 a 7.

Quadro 1 Propriedades dos principais elementos construtivos

1 – Propriedades dos principais elementos construtivos Quadro 2 – Caraterização dos envidraçados Quadro 3

Quadro 2 Caraterização dos envidraçados

Quadro 2 – Caraterização dos envidraçados Quadro 3 – Caraterização da proteção solar Quadro 4

Quadro 3 Caraterização da proteção solar

– Caraterização dos envidraçados Quadro 3 – Caraterização da proteção solar Quadro 4 – Ganhos internos

Quadro 4 Ganhos internos

– Caraterização dos envidraçados Quadro 3 – Caraterização da proteção solar Quadro 4 – Ganhos internos

Quadro 5 Perfil diário de ocupação

Quadro 5 – Perfil diário de ocupação Quadro 6 – Perfil diário de iluminação Quadro 7

Quadro 6 Perfil diário de iluminação

de ocupação Quadro 6 – Perfil diário de iluminação Quadro 7 – Perfil diário de ativação

Quadro 7 Perfil diário de ativação das proteções solares

Quadro 6 – Perfil diário de iluminação Quadro 7 – Perfil diário de ativação das proteções

a) Tendo como ponto de partida o ficheiro Minimal.idf, (ficheiro “mínimo” para correr uma simulação, incluído na pasta ExampleFiles do programa EnergyPlus), determine a temperatura horária no edifício, no Porto, em Bragança, em Lisboa, em Évora e em Faro. Desenhe-a graficamente para os meses de Julho, Agosto e Setembro, e para os meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro.

b) Proceda à alteração dos envidraçados de vidro duplo para vidro simples incolor de 8mm. Determine agora a temperatura horária no edifício, no Porto, em Bragança, em Lisboa, em Évora e em Faro. Desenhe-a graficamente para os meses de Julho, Agosto e Setembro, e para os meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro.

c) Proceda à alteração da parede exterior dupla para parede simples em tijolo de 20 rebocada em ambas as faces. Determine agora a temperatura horária no edifício, no Porto, em Bragança, em Lisboa, em Évora e em Faro. Desenhe-a graficamente para os meses de Julho, Agosto e Setembro, e para os meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro.

d) Altere a taxa de infiltração de 0.5 RPH para 2 RPH. Determine agora a temperatura horária no edifício, no Porto, em Bragança, em Lisboa, em Évora e em Faro. Desenhe-a graficamente para os meses de Julho, Agosto e Setembro, e para os meses de Dezembro, Janeiro e Fevereiro.

e) Considere a instalação de um equipamento de climatização do tipo termostato que permite manter a temperatura do ar interior entre 20 e 27ºC, ao longo do ano. Em termos simplistas, um equipamento deste tipo permite ao utilizador definir a temperatura que deseja para um espaço, funcionando o sistema de forma contínua, sem estar condicionado por um limite de potência, de forma a manter a temperatura dentro dos limites definidos Calcule a energia de aquecimento e de arrefecimento, em kWh, fornecida ao edifício para que a zona se mantenha nas temperaturas limite definidas.

No relatório entregue apresente a resposta a cada questão, de forma isolada, e anexe listagens do programa, gráficos representativos da variação dos parâmetros em análise, e demais elementos que considere relevantes para justificação das respostas.

Viana do Castelo, Junho de 2014

António Curado