Você está na página 1de 14

DIÁRIO DE BORDO

ESCOLA: EEFM LICEU PROF. JOSÉ TELES DE CARVALHO


PROJETO: IMPACTOS SÓCIO-AMBIENTAIS CAUSADOS PELA TRANSNORDESTINA NO
MUNICÍPIO DE BREJO SANTO-CE
ORIENTADOR: RONNIELLE CABRAL ROLIM
ALUNOS: FRANCISCO RIKLILLY DE ARAÚJO E LUAN BELÉM DE SÁ

06.02.09

Seleção com o escopo dos alunos


baseada nos seguintes critérios: notas,
participação, frequência e desenvoltura.

23.02.09

Planejamento e delimitação do tema


a ser abordado: Impactos Sócio-Ambientais
Causados Pela Transnordestina no Município
de Brejo Santo-CE.

Ações a serem desenvolvidas:


coletar e analisar os principais impactos
(positivos e negativos) do empreendimento,
fotografar e registrar todos os procedimentos.

1
11.03.09

Entrevista aos moradores do Renê


Lucena I e II. Aplicação de um questionário
sócio-cultural com o intuito de coletar o
máximo de informações precisas dos
impactos sociais da implantação das obras
da Transnordestina em relação ao cotidiano
dos moradores.

Apenas dois moradores se


demonstraram preocupados com a
construção das passagens molhadas nas
Entrevista com moradores
proximidades, pois acreditam que as
mesmas reterão água causando inundações
aos terrenos e suas casas.

Passagem molhada em construção

Açude ao lado da passagem molhada

2
04.04.09

1ª Trilha Ecológica na mata para


realizar levantamento da flora e fauna locais.
Foram realizadas um total de 14 trilhas com
duração aproximada de quatro horas e meia
cada para percorrer toda segmento de mata
urbana e rural em estudo com os alunos do
1ºD da unidade: EEFM Liceu Prof. José
Teles de Carvalho.

2ª Trilha Ecológica com o Colégio


Padre Viana com os alunos do Ensino
Fundamental realizada uma semana após o 1ºD – Liceu José Teles de Carvalho
início da primeira trilha.

Mais de 520 fotos tiradas pelo


orientador, alunos e pelas turmas convidadas
a conhecer, preservar e respeitar o meio
ambiente. Além de realizar coleta e
condicionamento apropriado de todo o lixo
produzido pelos alunos e por terceiros
deixado.

7ºB – Colégio Padre Viana

3
17.05.09

Filmagem da explosão que faz parte


do processo de terraplanagem. Esta foi
realizada em um local seguro e protegido
contra possíveis pedregulhos a uma
distância de 300m e com zoom de 4x na
câmera Canon SD450.

Todo poeira produzida pelas


explosões recaem sobre a comunidade os
dois Bairros Renê Lucena e a vegetação
local modificando sua coloração. Antes da explosão

Os moradores reclamam muito da


poeira, uma vez que as casas têm que ser
varridas várias vezes por dia.

Durante a explosão

28.05.09

Entrevista aos moradores do Alto da


Bela Vista diretamente impactados pelas
obras em questão. Suas casas foram
edificadas em um grande bloco rochoso de
composição arenítica. Alguns entrevistados
reclamaram da magnitude das explosões,
pois estas além de causar grandes vibrações
provocam rachaduras em paredes e foros
em seus bens.

Parede e foro rachados

4
20.06.09

Visita a Nascença e a Cacimbinha


para análise do perfil da quantidade de água
e qualidade, ambos visuais.

Também fora feita buscas a


fotografias antigas e sua posterior
digitalização para melhor comparação (no
intervalo de 1994 e 2009) para melhor
entendimento.
Nascença 1994

Nascença 2009

Cacimbinha 2009

5
05.07.09

4ª Trilha Ecológica com a visita a


Lagoa do Mato I com o objetivo de realizar
uma breve conexão entre a flora e fauna em
relação com as da zona urbana. Além de
colher informações dos moradores a respeito
dos impactos causados pela Transnordestina
no seu cotidiano. Veja o gráfico.

Uma unidade escolar denominada,


CEI Raimundo Gonçalves de Sousa foi
demolida e seus alunos transferidos para a Lagoa do Mato I
passagem da linha férrea em suas
proximidades.

CEI Raimundo Gonçalves de Sousa

6
12.07.09

Realização de 5ª Trilha Ecológica


com alunos do 9ºC do LICEU para conhecer
o bioma local (Caatinga), Cemitério Indígena,
as vertentes d’água (Nascença e
Cacimbinha), as comunidades do Renê
Lucena I e II e o Alto da Bela Vista.

As trilhas possibilitam um contato


direto do aluno com o bioma local
possibilitando que estes percebam a riqueza
da área em estudo afetada diretamente pelas
1ºA – Liceu José Teles de Carvalho
obras da Transnordestina.

Vegetação local

Desmatamento

7
19.07.09

Entrevista aos moradores mais


afastados do canteiro de obras:

• Zona Urbana: Bairro São Francisco


(2Km de distâncias);
• Zona Rural: Sítio São Felipe (8Km de
distâncias a mais de 300m de
altitude).

Entrevista com moradores

29.07.09

Pesquisa bibliográfica na Biblioteca


Municipal a respeito dos primeiros
habitantes de nossa região, Índios Kariris.

Biblioteca Municipal

8
31.07.09

Localizar e fotografar artefatos


indígenas, tais como: panelas de barro,
machadinhas variadas e esferas rochosas
que serviam para triturar folhas, raízes e
sementes.

Os artigos mais importantes


encontrados foram levados para a Capital do
Estado, os demais estão sobre os cuidados
de alguns poucos moradores do município e
Panela Indígena. FONTE: morador
do Museu da Pedra do Urubu.

Machadinha Indígena. FONTE: morador

9
Machadinha. FONTE: Museu da Pedra do Urubu

Machadinha. FONTE: Museu da Pedra do Urubu

Esfera Indígena. FONTE: morador

01.08.09

Realização da 7ª Trilha Ecológica


com o escopo de percorrer todo o trajeto de
estudo do trabalho (desde a zona urbana até
a zona rural) dentro do canteiro de obras da
Transnordestina em dia de domingo (obras
paradas).

Devido o caráter arenítico as rochas


que sofreram o processo de terraplanagem
demonstram pontos visíveis de infiltrações.
Esta ocorre pela ação da gravidade em Transnordestina
direção a Nascença, Cacimbinha e demais
localidades situadas em áreas de maior

10
declive.

Prática de crime ambiental: neste


mesmo dia foi possível flagrar a ação
antrópica de derrubada da mata nativa por
um morador local para a produção do carvão
vegetal artesanal através das denominadas,
carvoeiras. Ainda foi possível ver a caça a
aves e répteis com armas rústicas para
alimentação e o comercio; e observar e
fotografar as antigas pedreiras de onde eram
extraídas centenas de paralelepípedos
utilizados para pavimentação das vias
públicas.
Infiltrações nas paredes

Carvoeiras: produção de carvão vegetal

02.08.09

Produção da maquete, uma


verdadeira réplica de todo o complexo em
estudo visando reproduzir as mesmas
dimensões para efeito de estudo
representativo.

Confecção da Maquete

11
09.08.09

Análise e interpretação de todos os


dados colhidos nas entrevistas para a
produção dos gráficos e quantificar os
principais impactos absorvidos pelas
populações locais, pelo meio ambiente e
como estes reagem a tais impactos.

Conclui-se que os impactos


negativos superam por muito os positivos,
este último é produzido pelo aquecimento
temporário da economia local.

Já os negativos são: poeira,


vibrações, ruídos, marginalidade,
prostituição, desequilíbrio ecológico,
corredores ecológicos, futura redução hídrica
das vertentes d’água, perda do legado
cultural indígena e potencialização das ações
antrópicas sobre o bioma local restante.

11.08.09

Intensa divulgação do trabalho em


sites especializados na internet:

• Divulgação do trabalho no site:


www.jovemcientista.hd1.com.br
• Publicação do trabalho no site da
escola: www.liceubs.org
• Criação de vídeos postados no
YouTube:
http://www.youtube.com/user/Demo
nth
• Publicação das principais fotos do
trabalho no site do Panoramio: http://www.jovemcientista.hd1.com.br
http://www.panoramio.com/user/214
7047

12
Além de publicar no site Jovem
Cientista os dois insetos de extrema
curiosidade para desperta o interesse de
entomólogo na busca de sua classificação
taxonômica de ambos.

Quilópodes

Inseto

14.08.09

Apresentação do trabalho para o


corpo docente, alunos e membros da
comunidade na EEFM LICEU PROFESSOR
JOSÉ TELES DE CARVALHO.

Comprovou-se a hipótese de que


os impactos negativos superam por muito os
impactos positivos justificados desde fatores
sócio-culturais os aspectos técnicos da obra.
E que os resultados convergem para uma
demonstração intrínseca entre grau de
Apresentação ao público
escolaridade das comunidades citadas em
relação com a conservação da qualidade
ambiental e consequentemente a de

13
qualidade de vida.

Apresentação ao público

14