ANÁLISE CRÍTICA DO ESTATUTO DA IGUALDADE RACIAL

Ângela Saideles Genro, Jaqueline Fogiatto Rossi e Renata Ribas[1]
SUMÁRIO: 1. Considerações Iniciais; 2. n!lise da Justi"icati#a do $ro%eto; &. Co'ent!rios a alguns
dis(ositi#os do )statuto da Igualdade Racial; *. Conclus+o.
RESUMO: , )statuto da Igualdade Racial -.ei n/ 12.2001123 entrou e' #igor e' 22 de outubro de 2212,
tendo (or esco(o a correç+o de desigualdades 4ist5ricas na sociedade brasileira, (or 'eio do
estabeleci'ento de (ol6ticas de educaç+o, sa7de, cultura, es(orte, la8er, e trabal4o (ara a (o(ulaç+o negra,
be' co'o de"esa dos direitos das co'unidades quilo'bolas e (roteç+o de religiões de orige' a"ricana.
9o entanto, questiona:s e se, e"eti#a'ente, tal instru'ento legal ; a(to < correç+o das alegadas di"erenças
no =rasil, be' co'o se, (or#entura, a legislaç+o e' quest+o de "ato atenta < realidade da "or'aç+o social
no (a6s. >essa "or'a, cu'(re analisar se a lei e' an!lise ser! ca(a8 de atingir os "ins (retendidos ou, e'
sentido contr!rio, se (oder! acarretar at; 'es'o u' gra#a'e na dita desigualdade entre os cidad+os.
PALAVRAS-CHAVE: )statuto da Igualdade Racial ? .ei n/ 12.200112 ? >iscri'inaç+o Racial ?
>esigualdade Social.
ABSTRACT: @4e =ra8ilian Racial )qualitA Statute -Federal .aB 12.2001123 ca'e into "orce on 22
,ctober 2212 in order to reduce 4istorical inequalities in =ra8ilian societA t4roug4 t4e establis4'ent o"
educational, 4ealt4, cultural, s(ort, leisure and labour (olicies "or blacC (o(ulation as Bell as t4e de"ense
t4e co''unities "ro' quilombos and t4e "rican religions. DoBe#er, it is questionable i" t4is legal
instru'ent is able to correct t4e alleged inequalities and, bA c4ance, i" t4e legislation in question obser#es
t4e =ra8ilian social "or'ation. @4ere"ore, it is i'(ortant to analA8e i" t4e Federal .aB 12.200112 is
ca(able to reac4 t4e intended goals or, in t4e ot4er 4and, i" it could 'aCe t4e inequalities Borse a'ong
citi8ens.
KEY WORDS: Racial )qualitA Statute ? Federal .aB 12.200112 ? Racial >iscri'ination ? Social
InequalitA.
1 Con!"#$%&'# In!(!%!. 9o ano de 2222, o senador $aulo $ai' a(resentou o $ro%eto de .ei n/ &.1E0122,
o qual "oi sub'etido < Co'iss+o )s(ecial, a "i' desta a(reciar e (ro"erir (arecer sobre o re"erido
docu'ento, e' 222&. @rata:se de (ro(osta (ara i'(le'entaç+o do )statuto da Igualdade Racial, o qual
#isa < de"esa dos que so"re' (reconceito ou discri'inaç+o e' "unç+o da sua etnia, raça e1ou cor, al;' de
deter'inar outras (ro#idFncias.
(5s o trG'ite de sete anos, o (ro%eto "oi a(ro#ado (elo Congresso 9acional e' 1H de %un4o de 2212,
sendo sancionado (elo $residente .ui8 In!cio .ula da Sil#a e' 22 de %ul4o do 'es'o ano. , )statuto da
Igualdade Racial -.ei n/ 12.2001123 entrou e' #igor e' 22 de outubro de 2212, (ossuindo IJ artigos e'
sua constituiç+o. Secretaria de $ol6ticas de $ro'oç+o da Igualdade Racial alega ser o ob%eti#o do
)statuto a correç+o de desigualdades 4ist5ricas, (rinci(al'ente no que tange a concess+o e garantia dos
direitos dos descendentes de escra#os no =rasil. $ara tanto, a re"erida legislaç+o busca, e' su'a,
estabelecer (ol6ticas de educaç+o, sa7de, cultura, es(orte, la8er, e trabal4o (ara a (o(ulaç+o negra, assi'
co'o de"esa dos direitos das co'unidades quilo'bolas e (roteç+o de religiões de orige' a"ricana.
) An*+!# "% ,-.!/!(%.!0% "o P$o1#.o2 , re"erido (ro%eto ob%eti#a#a, segundo consta de sua %usti"icati#a, a
'ini'i8aç+o dos e"eitos do (reconceito sobre as (o(ulações discri'inadas. 9o entanto, da an!lise dos
dis(ositi#os da lei e' co'ento, #eri"ica:se que, e' #erdade, a 7nica (o(ulaç+o e"eti#a'ente abrangida
(elo dis(ositi#o legal ; a negra. K (oss6#el (erceber, con"or'e se denota do teLto e' quest+o, que a todo
'o'ento busca:se incessante'ente distinguir a M(o(ulaç+o brancaN e a M(o(ulaç+o negraN.
9+o obstante, a %usti"icati#a a(resentada (ara instauraç+o da legislaç+o alega que tal 'edida te' (or "i'
u'a su(osta necessidade de reescre#er a 4ist5ria da (artici(aç+o do (o#o a"ro:brasileiro na "or'aç+o da
(o(ulaç+o brasileira, atra#;s da alteraç+o de todos os li#ros re"erentes ao (o#o negro eListentes no (a6s.
@rata:se, se' d7#ida, de u'a tare"a (ratica'ente inconceb6#el. Seria de'asiado ingFnuo acreditar que ;
(oss6#el 'odi"icar a 4ist5ria de u'a naç+o t+o so'ente (or alterações nos registros bibliogr!"icos, #isto
que se trata de (rocesso considera#el'ente 'ais a'(lo do que a reali8aç+o dessas si'(les 'udanças.
9essa senda, a %usti"icaç+o da (ro(osta, ainda, buscou equi(arar a tra%et5ria da (o(ulaç+o brasileira < da
O"rica do Sul, 'arcada (elo regi'e do Apartheid. ,corre que, na realidade, %a'ais 4ou#e no =rasil
quaisquer ind6cios de u'a se(araç+o social t+o de'arcada e' ra8+o do si'(les crit;rio de MraçaN, co'o se
denota na tra%et5ria da O"rica do Sul.
>esta "eita, tais 'oti#ações a(resentadas 'ostra':se ino(ortunas ao conteLto 4ist5rico brasileiro, #isto
que o =rasil ; %usta'ente recon4ecido global'ente (ela integraç+o de sua (o(ulaç+o, inde(endente'ente
de MraçasN. l;' disso, o teLto do (ro%eto #isa#a < "or'aç+o de u'a cultura a"ro:brasileira (lena'ente
integrada e' todos os as(ectos da sociedade. 9o entanto, a a"ir'aç+o (arece "ugir < realidade social
brasileira, #isto que a cultura no nosso (a6s ; a'(la'ente not5ria (or sua di#ersidade, n+o se restringindo
t+o so'ente a u'a deter'inada orige'. $ode:se a"ir'ar que, na #erdade, as di#ersas nacionalidades que
integra' a naç+o brasileira i'(ri'e', cada u'a, sua in"luFncia na "or'aç+o cultural do (a6s,
con"igurando u'a 'edida equi#ocada atribuir < identidade nacional u'a 7nica cultura es(ec6"ica.
@al atitude acabaria, na (r!tica, (or 'itigar as nuances culturais brasileiras, e'(obrecendo nossa
identidade nacional 'arcada (ela in"luFncia de di#ersas origens. >essa "or'a, te':se que, a Fn"ase
des(ro(orcional atribu6da < eListFncia de u'a Mdiscri'inaç+oN racial (elo re"erido teLto, acaba na
realidade (or de'arcar u'a se(araç+o que, "atica'ente, n+o eListe na sociedade brasileira. ssi', ao
in#;s de se buscar u' trata'ento igualit!rio (ara a (o(ulaç+o e' geral, a legislaç+o e' (auta a(enas
tende a estabelecer, (or 'eio de nor'as legais, u'a di#is+o na sociedade at; ent+o %a'ais acentuada de tal
"or'a.
3 Co4#n.*$!o % %+5-n "!6o!.!0o "o E.%.-.o "% I5-%+"%"# R%(!%+2 o analisar a legislaç+o e'
co'ento, #eri"ica:se a eListFncia de di#ersas dis(osições dignas de indagaç+o. @ais situações, dessa "or'a,
'erece' que se eLerça a de#ida re"leL+o a seu res(eito, con"or'e ser! "eito a seguir.
)' seu artigo 1/, a .ei 12.20012212 assi' (receituaP Art. 1º: Esta Lei institui o Estatuto da Igualdade
Racial, destinado a garantir à população negra a efetivação da igualdade de oportunidades, a defesa
dos direitos tni!os individuais, !oletivos e difusos e o !ombate à dis!riminação e às demais formas de
intolerância étnica. "grifo nosso#.
K (oss6#el denotar, %! no (ri'eiro dis(ositi#o da re"erida lei, u'a not5ria contradiç+o. Qeri"ica:se que a
legislaç+o ; intitulada M)statuto da Igualdade RacialN, (or;' destina:se, con"or'e se adu8 da nor'a e'
tela, < garantia de direitos t+o so'ente da (o(ulaç+o negra. legislaç+o, dessa "or'a, e' u'a (ri'eira
an!lise, #isaria < (ro'oç+o da igualdade de todas as MraçasN, entretanto, curiosa'ente n+o reali8a qualquer
re"erFncia a outras (oss6#eis origens. Inobstante, ; de se ressaltar que a (r5(ria di#is+o da es(;cie 4u'ana
e' MraçasN %! ;, (or si s5, de'asiado discri'inat5ria.
tual'ente, n+o se 'ostra cab6#el u'a di#is+o biol5gica da (o(ulaç+o 4u'ana e' sub:es(;cies, 4i(5tese
sequer aceita do (onto de #ista cient6"ico. >esta "eita, tal du#idosa classi"icaç+o, assi', (ode ser #ista
co'o di#is+o de orde' 'era'ente social, a qual a(enas acaba (or ense%ar trata'entos (reconceituosos,
co'o se e"eti#a'ente 4ou#esse di#isões entre seres 4u'anos. creditar na eListFncia de raças ;, na
realidade, o (ressu(osto que ense%a todas as "or'as de racis'o. >e tal 'odo, qualquer de"iniç+o nesse
sentido ocasiona ainda 'ais discri'inações, e' que (ese n+o ser esta sua "inalidade (rec6(ua. Inobstante,
a re"erida quest+o le#anta outro (onto sens6#elP a cor da (ele, (ressu(osto da dita classi"icaç+o 4u'ana e'
raças, n+o ; deter'inante sequer (ara de"iniç+o da e"eti#a ancestralidade de u' indi#6duo.
9esse sentido, assi' (receitua o estudioso sobre o te'a e' an!lise, li Ra'elS2TP $ada garante que um
indiv%duo negro tenha a maior parte de seus an!estrais vindos da &fri!a. 'sso espe!ialmente verdadeiro
no (rasil, devido ao alto grau de mis!igenação. ) geneti!ista *rgio +ena ,- demonstrou isso num estudo
brilhante. .sando os mar!adores mole!ulares de origem geogr-fi!a, ele analisou o patrim/nio genti!o
de !idadãos negros da !idade mineira de 0uei1adinha e des!obriu que 234 deles tinha uma
an!estralidade predominantemente não5afri!ana, isto , maior que 674. 8onsiderando5se os bran!os de
todo o (rasil, des!obriu que 934 deles t:m ao menos 174 de an!estralidade afri!ana. $os E.A, esse
n;mero !ai para apenas 114. Ou seja, no Brasil, há brancos com ancestralidade preponderante
africana e negros com ancestralidade preponderante européia. "grifo nosso#.
Qeri"ica:se, assi', que a de"iniç+o e' raças 4u'anas a(resenta cun4o estrita'ente ideol5gico. @al criaç+o
cultural #isa so'ente a u'a di"erenciaç+o entre indi#6duos que, na #erdade, s+o iguais, de 'odo que a
re"erida di"erença %usti"ique a i'(le'entaç+o de u'a do'inaç+o entre eles. con4ecida classi"icaç+o e'
quest+o, o"icial'ente corroborada agora (ela legislaç+o e' co'ento, tende a gerar u' (reconceito
eL(l6cito entre as MraçasN, atingindo u' de(ri'ente (ata'ar de desres(eito entre tais indi#6duos, %a'ais
#isto no (a6s.
de'ais, con"or'e o %! eL(osto, ; de se ressal#ar a i'(ossibilidade de de"inir que' e"eti#a'ente
constitui a M(o(ulaç+o negraN a que se re"ere o )statuto. Consoante su(racitado, a (o(ulaç+o brasileira ;
'arcada (ela 'iscigenaç+o, e o si'(les crit;rio de cor da (ele n+o ; o su"iciente (ara de"inir a
(redo'inGncia de u'a deter'inada ancestralidade. Resta:nos, desta "eita, a indagaç+o de co'o ser!
deter'inado o enquadra'ento ou n+o de cada cidad+o dentre os bene"ici!rios da dita legislaç+o. >estaca:
se, sob o 'es'o #i;s, o dis(osto no artigo */ do )statuto da Igualdade Racial.
ssi' (receitua o re"erido dis(ositi#oP Art. <º: A parti!ipação da população negra, em !ondição de
igualdade de oportunidade, na vida e!on/mi!a, so!ial, pol%ti!a e !ultural do +a%s ser- promovida,
prioritariamente, por meio de: ' = in!lusão nas pol%ti!as p;bli!as de desenvolvimento e!on/mi!o e so!ial>
'' = adoção de medidas, programas e pol%ti!as de ação afirmativa> ''' = modifi!ação das estruturas
institu!ionais do Estado para o adequado enfrentamento e a superação das desigualdades tni!as
de!orrentes do pre!on!eito e da discriminação étnica> '? = promoção de a,ustes normativos para
aperfeiçoar o !ombate à dis!riminação tni!a e às desigualdades tni!as em todas as suas manifestaç@es
individuais, institu!ionais e estruturais> ? = eliminação dos obst-!ulos histAri!os, so!io!ulturais e
institu!ionais que impedem a representação da diversidade tni!a nas esferas p;bli!a e privada> ?' =
est%mulo, apoio e fortale!imento de ini!iativas oriundas da so!iedade !ivil dire!ionadas à promoção da
igualdade de oportunidades e ao !ombate às desigualdades tni!as, in!lusive mediante a implementação
de in!entivos e !ritrios de !ondi!ionamento e prioridade no a!esso aos re!ursos p;bli!os> ?'' =
implementação de programas de ação afirmativa destinados ao enfrentamento das desigualdades tni!as
no to!ante à edu!ação, !ultura, esporte e laBer, sa;de, segurança, trabalho, moradia, meios de
!omuni!ação de massa, finan!iamentos p;bli!os, a!esso à terra, à Custiça, e outros. +ar-grafo ;ni!o. )s
programas de ação afirmativa !onstituir5se5ão em pol%ti!as p;bli!as destinadas a reparar as distorç@es e
desigualdades so!iais e demais pr-ti!as dis!riminatArias adotadas, nas esferas p;bli!a e privada,
durante o pro!esso de formação so!ial do +a%s. "grifo nosso#
K (oss6#el (erceber, 'ais u'a #e8, que o dis(ositi#o e' an!lise reser#a as (rerrogati#as aci'a transcritas
t+o so'ente < dita M(o(ulaç+o negraN, n+o reali8ando qualquer 'enç+o ao restante da (o(ulaç+o. l;'
disso, "a8:se re"erFncia no teLto ao co'bate < c4a'ada Mdiscri'inaç+o ;tnicaN. $or;', e' nen4u'
'o'ento o re"erido )statuto eL(lica o conceito de tal ter'o utili8ado. Usual'ente, a (ala#ra MetniaN ;
e'(regada a "i' de designar u'a co'unidade 4u'ana ligada (or a"inidades lingu6sticas e culturais,
(ossuindo dentre os seus co'(onentes se'el4anças gen;ticas. ,corre que, co'o %! anterior'ente
re"erido, a cultura brasileira ; de'arcada (ela 'iscigenaç+o, n+o se (odendo "alar de u'a cultura
es(ec6"ica que (ossua in"luFncia de u' 7nico gru(o.
9+o obstante, salienta:se no#a'ente a i'(ossibilidade de de"inir, con"or'e (releciona a biologia
'oderna, (elo si'(les crit;rio de cor da (ele a carga gen;tica de u' indi#6duo. >esta "eita, conclui:se que
o )statuto da Igualdade Racial baseia:se estrita'ente no ultra(assado crit;rio de cor da (ele (ara
classi"icar os indi#6duos su(osta'ente al#o de Mdiscri'inaç+oN na sociedade brasileira. ssi', co'o se
#eri"ica do dis(ositi#o retrotranscrito, a re"erida legislaç+o (ri#ilegia t+o so'ente a (o(ulaç+o negra,
(arecendo ol#idar de outros seg'entos da sociedade brasileira, co'o se s5 esta "osse e"eti#a'ente
atingida (or (r!ticas discri'inat5rias.
de'ais, denota:se, a(5s an!lise dos dis(ositi#os conte'(lados (elo )statuto, que n+o "oi (re#ista
qualquer es(;cie de sanç+o ante ao descu'(ri'ento das deter'inações nele i'(ostas. >estarte, o di(lo'a
e' quest+o, o qual tra8 in7'eras eLigFncias a sere' atendidas (or 5rg+os estatais, be' co'o da sociedade
ci#il, (ossi#el'ente (oder! (adecer de ine"ic!cia, e' ra8+o da ausFncia de de"iniç+o de 'edidas a
garantire' a (ersecuç+o dos "ins (ro(ostos (ela legislaç+o e' co'ento.
inda, cu'(re reali8ar ressal#a no que tange a outras questões es(eci"ica'ente abordadas (elas nor'as
que co'(õe o )statuto ora e' an!lise. 9esse G'bito #eri"ica:se, do eLa'e do 'encionado teLto legal, que
o @6tulo II ? M>os >ireitos Funda'entaisN ? dedica seu Ca(6tulo I < (re#is+o de 'edidas concernentes ao
direito < sa7de. 9esse sentido, o artigo I/ da re"erida legislaç+o (re#F, de 'odo estrito, que o Mdireito <
sa7de da (o(ulaç+o negra ser! garantido (elo (oder (7blico 'ediante (ol6ticas uni#ersais, sociais e
econV'icas destinadas < reduç+o do risco de doenças e de outros agra#osN.
>enota:se, 'ais u'a #e8, que o )statuto da Igualdade Racial destinou suas iniciati#as t+o so'ente <
(o(ulaç+o negra, n+o reali8ando qualquer 'enç+o a outras (arcelas da sociedade. $oder:se:ia, (or#entura,
%usti"icar a eLclusi#idade de destinaç+o de tais 'edidas a essa (o(ulaç+o, e' es(ec6"ico, caso 4ou#esse
e"eti#a co'(ro#aç+o de que a cor da (ele in"luenciasse de algu'a "or'a na incidFncia das 'a8elas que
assola' o (a6s. ,corre que, e' realidade, no conteLto atual, (ode:se (erceber que os "atores que
real'ente (ossue' relaç+o direta co' o as(ecto da sa7de (o(ulacional s+o aqueles relati#os <s condições
de #ida a que s+o sub'etidos os indi#6duos. >esta "eita, n+o nos (arece o 'ais acertado condicionar u'a
s;rie de 'edidas, e' u'a legislaç+o, #isando < (ro'oç+o da sa7de t+o so'ente a u'a (arcela es(ec6"ica
da (o(ulaç+o, quando se sabe, e' "ace dos (receitos elencados na Constituiç+o Federal, que a garantia <
sa7de ; direito de todo e qualquer cidad+o, indistinta'ente. ,l#ida:se, ade'ais, que n+o s5 a dita
M(o(ulaç+o negraN a que se re"ere a lei de(ara:se co' as "ragilidades do siste'a de sa7de brasileiro, 'as
si' toda a sociedade, co' Fn"ase (ara os des(ri#ilegiados econo'ica'ente.
.ogo, ao 'encionar estrita'ente a (o(ulaç+o negra co'o al#o de tais 'edidas, a legislaç+o e' an!lise
reali8a (arecer a(ressado da real situaç+o do (a6s, #isto que, inde(endente'ente de qualquer ultra(assado
crit;rio de distinç+o da 4u'anidade e' raças, a (arcela da (o(ulaç+o que real'ente necessita de 'edidas
; aquela que n+o (ossui condições "inanceiras (ara tanto. legislaç+o e' co'ento, ainda, dedica
in7'eros de seus dis(ositi#os < de"iniç+o de 'edidas concernentes ao direito da (o(ulaç+o negra a "atores
co'o educaç+o, cultura, la8er e 'oradia.
Qeri"ica:se, desse 'odo, que o teLto legislati#o e' quest+o (arece t+o so'ente "risar os #alores %! tidos
(or "unda'entais, consoante o dis(osto na Wagna Carta, de 'odo a ressaltar a garantia de tais direitos <
(o(ulaç+o negra. )ntretanto, ol#ida o dis(osto no co'(Fndio nor'ati#o, no#a'ente, de que a (o(ulaç+o
negra n+o ; a 7nica (arcela da sociedade brasileira a so"rer co' a carFncia e' tais setores, que assola aos
econo'ica'ente carentes e' geral, "ator este inde(endente da coloraç+o de (ele ou qualquer outro crit;rio
si'ilar.
9+o se (ode di8er, de u' 'odo geral, que a id;ia que (er'eia o )statuto da Igualdade Racial n+o ;
lou#!#el e, ade'ais, be' intencionada. K ineg!#el que 4! desigualdade e' nosso (a6s. 9o entanto,
di"erente'ente de outros (a6ses no 'undo, a desigualdade que c4ancela a realidade brasileira est! 'uito
al;' do crit;rio da cor da (ele. , real "oco que gera toda e qualquer desigualdade no nosso (a6s reside, e'
#erdade, t+o so'ente nas condições sociais de cada indi#6duo, e n+o e' u' crit;rio 'era'ente racial.
>estarte, (ode:se ter (or relati#a'ente ingFnuo acreditar que a (ro'oç+o de tais #alores culturais
es(ec6"icos da (o(ulaç+o negra, be' co'o a reali8aç+o de 'edidas sociais #isando so'ente a esse gru(o,
(oderia e"eti#a'ente 'odi"icar o cen!rio do (a6s no que di8 res(eito < desigualdade. )' u' (a6s co'o o
=rasil, 'arcado (ela 'iscigenaç+o cultural, 'as, entretanto, assinalado ta'b;' (ela coeListFncia de
#erdadeiros abis'os sociais, a reali8aç+o de u' )statuto da Igualdade Racial n+o deiLa de ser 'edida
ad'ir!#el, 'ostrando:se, (or;', in5cua.
@rata:se, na realidade, de abordage' de u'a quest+o 6n"i'a diante da que e"eti#a'ente assola o (a6s e ;
causa de toda genu6na desigualdade e discri'inaç+oP a not5ria "alta de condições econV'icas de u'a
(arcela eL(ressi#a da (o(ulaç+o, que (ossibilite a ela usu"ruir de condições aceit!#eis de #ida. nte a atual
con%etura da sociedade brasileira, a 7nica 'edida que (oderia e"eti#a'ente acenar algu' traço de
es(erança, #isando a u'a real 'udança, teria de ir 'uito al;' do crit;rio de MraçasN. ssi', a 'edida
cab6#el (ara u' co'bate da e"eti#a discri'inaç+o que #igora no (a6s seria, na realidade, n+o a ediç+o de
u' )statuto da Igualdade Racial, baseado e' u' crit;rio (or si s5 discri'inat5rio, 'as si' a
i'(le'entaç+o de u' )statuto da Igualdade *o!ial.
7 Con(+-8o2 Inicial'ente, cu'(re consignar que o ob%eti#o do $ro%eto de .ei n/. &.1E0122 era a
i'(le'entaç+o do )statuto da Igualdade Racial, (ara a de"esa e 'ini'i8aç+o das di"erenças dos que
so"re' (reconceito ou discri'inaç+o e' "unç+o da sua etnia, raça e1ou cor, al;' de deter'inar outras
(ro#idFncias.
)ntretanto, a .ei n/. 12.220112, (ublicada e' 22 de %ul4o de 2212, que (oderia ter corroborado os >ireitos
e Garantias Funda'entais (re#istos na Carga Wagna de 1E00, indubita#el'ente acabou (or se'ear a
discri'inaç+o e reali8ar u'a distinç+o entre os cidad+os brasileiros. Isto (orque, e' realidade, da an!lise
dos dis(ositi#os legais da re"erida legislaç+o, consegui'os (erceber u'a tutela direcionada a(enas <
(o(ulaç+o a"ro:descendente, con"or'e es(osado e' lin4as anteriores, e n+o u'a (roteç+o integral a toda e
qualquer (essoa 4u'ana, con"or'e 'anda'ento constitucional.
,ra, nossa .ei Waior (receitua e' sede de (reG'bulo, co'o #alores su(re'os, dentre outros, a igualdade
de u'a sociedade "raterna, (luralista e se' (reconceitos, entretanto, o que a legislaç+o in"raconstitucional
introdu8 ; %usta'ente u'a inconceb6#el desigualdade.
de'ais, u' dos (rinc6(ios "unda'entais da Re(7blica Federati#a do =rasil ; a >ignidade da+essoa
Dumana e n+o 4! qualquer distinç+o entre tais cidad+os. $ortanto, a dis(osiç+o tendente a(enas a tutelar
u'a (arcela da (o(ulaç+o ; (or si s5 discri'inat5ria, equi#ocada e inconstitucional. l;' disso, todos os
direitos regulados (ela no#a lei, tais co'o direito < sa7de, educaç+o, es(orte, la8er, cultura, 'oradia,
trabal4o, etc., assegurados < (o(ulaç+o negra, 4! 'uito est+o igual'ente disci(linados na Constituiç+o
Federal brasileira, endereçados a toda a sociedade, restando desnecess!ria tal (roliLidade e redundGncia.
,utrossi', so'ente seria %usti"ic!#el a ediç+o dos dis(ositi#os legais e' an!lise se 4ou#esse co'(ro#aç+o
de que so'ente a cor da (ele in"luenciasse sobre'aneira nos in"ort7nios sociais, o que ; u'a in#erdade,
(ois o que real'ente (ossui rele#Gncia ; a condiç+o econV'ica de cada u', sendo esta a (recursora das
di"iculdades e di#ergFncias sociais. ssi', ainda que a iniciati#a do di(lo'a e' tela se%a lou#!#el,
(ensa'os estar (osta de "or'a equi#ocada, tendo e' #ista que engloba so'ente (arcela da (o(ulaç+o
brasileira, deiLando de lado grande (arte que necessitaria de tutela e abrangendo alguns que n+o o
necessitaria'.
>e outro lado, con"or'e retro:'encionado, esquece:se que a (o(ulaç+o co'o u' todo, 'or'ente a
des(ri#ilegiada "inanceira'ente, se de(ara co' u' siste'a de sa7de (rec!rio e que necessita de outros
i'(le'entos, e, entretanto, o teLto legal e' (auta n+o se (resta a resol#er tal situaç+o. $or "i', cabe
salientar, (ortanto, que as desigualdades circundantes do nosso (a6s #+o 'uito al;' do 'ero "ator cor da
(ele dos cidad+os, (ois as desigualdades sociais est+o e' toda (arte, n+o se restringindo si'(les'ente a
u'a caracter6stica t+o tri#ial.
ssi' co'o eListe' a"ro:descendentes abonados, 'uitos MbrancosN e Ma'arelosN n+o (ossue' '6ni'as
condições de subsistFncia e, dessa 'aneira, igual'ente necessitaria' de u' )statuto (r5(rio e' suas
de"esas.
Conclui:se, ent+o, que o "oco das di#ergFncias sociais est! nas condições sociais dos indi#6duos e n+o no
%! ultra(assado e discri'inat5rio crit;rio racial.
RE9ER:NCIAS BIBLIOGRÁ9ICAS
RW)., lil.N8o o4o $%(!.%:u'a reaç+o os que quere' nos trans"or'ar nu'a naç+o bicolor. Rio
de JaneiroP 9o#a Fronteira, 222I
Comunidades Quilombolas
As comunidades quilombolas são grupos étnico-raciais, segundo critérios de auto-
atribuição, com trajetória histórica própria, dotados de relações territoriais específicas e
com ancestralidade negra relacionada com a resistência opressão histórica sofrida,
conforme !ecreto n" #$$%&'() *ssas comunidades possuem direito de propriedade de
suas terras consagrado desde a +onstituição ,ederal de -.$$)
/m le0antamento da ,undação +ultural 1almares 2,+13 mapeou ()45# comunidades
quilombolas no 6rasil) 78 outras fontes, no entanto, que estimam cerca de 4 mil
comunidades) 1artindo dessa perspecti0a, foi criada a Agenda 9ocial :uilombola 2A9:3) ;
objeti0o é articular as ações no <mbito do =o0erno ,ederal, por meio do 1rograma 6rasil
:uilombola 216:3)
A A9: atua em ei>os relacionados ao acesso a terra, infraestrutura e qualidade de 0ida,
inclusão produti0a e desen0ol0imento local e direitos de cidadania) A gestão da A9: é
estruturada a partir do +omitê =estor ?nterministerial e tem car8ter deliberati0o e e>ecuti0o
composto por @inistérios e 9ecretarias *speciais)
Ao <mbito do 16:, no que se refere s políticas uni0ersais de segurança alimentar e
nutricional, o @inistério do !esen0ol0imento 9ocial e +ombate ,ome 2@!93 estabeleceu
metas de atendimento aos quilombolas no 1rograma de Aquisição de Alimentos 21AA3 e no
1rograma +isternas) ; objeti0o é atender mais de B mil famílias)
; @!9 também desen0ol0e projetos-piloto de +oCinhas +omunit8rias em comunidades
quilombolas) ; projeto ir8 beneficiar os estados da 6ahia, @aranhão, @inas =erais, 1ar8 e
1ernambuco) Dambém nessas localidades estão sendo realiCadas capacitações do 1AA
para que as comunidades que receberem as +oCinhas apresentem projetos ao programa)
Apoia-se ainda a consolidação de Arranjos 1roduti0os Eocais 2A1E3 das cadeias de
produtos da sociobiodi0ersidade) *sses A1Es são direcionados aos estados da 6ahia,
@aranhão, @inas =erais e 1ar8 por possuírem maior concentração de famílias
quilombolas) ;s produtos apoiados são piaça0a, babaçu, castanha, açaí, andiroba e frutos
do cerrado)
Além das ações de segurança alimentar e nutricional, o @!9 compFs o grupo de órgãos
federais que organiCou os 9emin8rios ?ntegrados de 1olíticas para +omunidades
:uilombolas, nos cinco estados brasileiros com maior concentração de quilombolas 2@inas
=erais, 6ahia, 1ernambuco, @aranhão e 1ar83) ; objeti0o foi fortalecer a implementação
do 16:, com ênfase para o controle social)

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful