Você está na página 1de 39

AUTOR: CIRO JOSE

32. CHIQUINHO
Ê------------------- 12
LADAINHA 33. IGREJA BOM
FIM---------------- 12
34. VENHO DE
LUANDA------------ 12
1. PARANA Ê-------------------------- 4 35. TEM CAPOEIRA NO
2. MESTRE GIGANTE-------------- 4 EXTERIOR------- 13
3. PARA A RODA CAPOEIRA---- 4 36. TOCO
4. BAHIA NOSSA BERIMBAU---------------- 13
BAHIA-----------4 37. EU TENHO
5. QUEM VEM LÁ SOU EU-------- 5 AXÉ------------------- 14
6. ERA UMA NOITE SEM LUA---5 38. TEM QUE
7. CAPOEIRA É UMA DANÇA----5 TREINAR------------ 14
8. DO BATUQUEGE---------------- 5 39. ÁS VEZES ME CHAMAM DE
9. EU JÁ ANDO ENJOADO------- 6 NEGRO-----------------------------------14
10. MARINHEIRO 40. AIDÊ NEGA
SÓ----------------- 6 ÁFRICANA---------14
11. CAPOEIRA É 41. CAPOEIRA O JOGO
BELEZA---------- 6 PRATICADO---------------------------15
12. BISORO 42. CAPOEIRA NÃO SAI DA
MANGANGÁ----------- 6 MINHA
13. SALVE CABEÇA----------------------------------------15
OBALUAIÊ--------------- 7 43. CUIDADO
14. CHOROU----------------------- MOÇO----------------- 16
----- 7 44. Ê MARÉ QUE
15. CALMA VEM--------------- 16
RAPAZ------------------- 7 45. VENTO BALANÇOU A
16. MISTUROU-------------------- PALHA DO
----- 7 COQUEIRO----------------------- 16
17. NAVIO 46. E DEFESA
NEGREIRO--------------- 7 ATAQUE------------- 17
18. QUANDO QUER FICA 47. HORA
MENOR8 GRANDE/CATARINA-- 17
19. DESAPARECEU NO 48. AVISA LÁ MEU
AR-------- 8 MANO---------- 17
20. MENINO DO 49. TODA BAHIA
MATO-------------- 8 CHOROU-------- 18
21. ME LEVA MORENA 50. A CAPOEIRA------------
I------------ 9 ---------- 18
22. ME LEVA MORENA 51. QUENAVIOÉ
II---------- 9 ESSE----------------- 18
23. NA VIDA SE CAI 52. BESOURO
----------------- 9 PRETO--------------- 19
24. JOGO DA 53. CAPOEIRA DE
VIDA-------------------- 10 VERDADE------19
25. JOGANDO---------------------- 54. PARA RODA CAPOEIRA!
----- 10 ----- 19
26. ESSE GUNGA É 55. BAHIA AXÉ, AXÉ
MEU----------- 10 BAHIA------ 20
27. O 56. SINHÁ---------------------------
SORRISO------------------------ 10 ----- 20
28. ABOLIÇÃO-------------------- 57. PALMA DE
--- 11 BIMBA--------------- 20
29. MESTRE
BIMBA-------------- 11 CORRIDOS
30. POVO DE
LUANDA------------ 11
31. VEM 58. COR DE
CÁ----------------------------- 11 MISTERIO-------------- 21

2
59. MORA 88. VENENO DO
IEMANJÁ----------------- 21 COBRA------------ 25
60. ESSE NEGO É O 89. QUEM JOGOU,
CÃO----------- 21 JOGOU-------- 25
61. NEM TUDO QUE RELUZ 90. OI É TU QUE É
É OURO------------------------------------ MOLEQUE----25
21 91. OI SIM, SIM
62. MANTEIGA SIM------------------25
DERRAMOU----- 21 92. CANARINHO DA
63. SIM, SINHÁ, SIM, ALEMANHA25
SINHÔ--------21 TEM DENDÊ------------------------ 25
64. DÁ NO JOGO DE DENTRO, JOGO DE
NEGO---------------------- 21 FORA--------------------------------- ----- 25
65. CAPOEIRA TEM QUERO VER CAIR--------------- 25
MANDINGA-22 93. VENENO DO
66. E NA HORA Ê COBRA------------ 26
--------------------- 22 94. QUEM JOGOU,
67. GINGA JOGOU--------- 26
LEGAL---------------------22 95. OI É TU QUE É
LÁ VAI VIOLA------------------- 22 MOLEQUE---- 26
68. EU PISEI NA FOLHA 96. OI SIM, SIM
SECA-----22 SIM------------------26
69. VOU PEDIR LICENÇA 97. ABALOU CAPOEIRA
--------- 22 ABAL----26
70. SOU 98. CANARINHO DA
CAPOEIRA---------------- -- 22 ALEMAN-----26
71. CHÃO TICO- TEM DENDÊ--------------------- 26
TICO----------------22 JOGO DE DENTRO, JOGO DE
72. QUEM É FORA------------------------------------ 26
VOCÊ-------------------- 23 QUERO VER CAIR--------------- 26
73. PAU A PISADA DE LAMPIÃO------- 26
PEREIRA--------------------- 23 99. AVISA MEU MANO
74. MADEIRA DE -------------- 26
LEI--------------- 23 100. VALHA-ME
75. POMBA-------------------------- DEUS---------------- 26
----- 23 101. ZUM-ZUM-
76. SANTA ZUM------------------- 26
BÁRBARA--------------- 23 102. CALA BOCA
77. SANTA MARIA MÃE DE MENINO---------- 26
DEUS23 103. SALOMÉ------------------------
78. MARIMBONDO ----- 26
TRAIÇOEIRO23 104. GUNGA É MEU
79. DONA MARIA DO ------------------ 26
CAMBOA---23 105. CAMUNJÉRÉ------------------
80. OI NEGA QUE VENDE ---- 26
AÍ------ 23 106. A CANOA VIROU
81. DONA MARIA, VAI MARINH---- 27
VOCÊ---- 23 107. BEIRA MAR AUE BEIRA
82. SAI SAI M-----27
CATARINA-------------- 24 108. CHÔ MEU
83. DONA CANÁRIO------------ 27
ALICE----------------------- 24 109. ESSA COBRA TE
84. AI AI, MORDE------ 27
AIDÊ------------------------- 24 110. PAU ROLOU
85. CATARINA CAIU--------------- 27
------------------------- 24 111. TABARÉU QUE VEM DO
86. IDALINA TA ME SERTÃO-------------------------------- 27
CHAMAN----24 112. QUE BARULHO É
87. VAMOS ESSE-------- 27
EMBORA---------------- 24

3
113. A BANANEIRA 141. É DE COURO DE
-------------------- 27 BOI------------ 33
114. JOGO DE 142. FOI NO CLARÃO DA
DENTRO-------------- 28 LUA----- 33
115. VOU ME EMBORA PRA 143. MACULELÊ
ANGOLA------------------------------ 28 MARACATÚ----- 33
116. EU VI A CUTIA COM 144. OLHA POMBA
COCO NO VOÔU----------- 34
DENTE---------------------------------- 28 145. PISA
117. EU VI A CEGONHA, CABOCLO-------------------34
VOANDO 28 146. QUEBRA
118. SOU ANGOLEIRO E GEREBA--------------- 34
VENHO DE 147. BAHIA QUE TEM
ANGOLA------------------------------ 28 DENDÊ----- 34
119. MENINOVOADO------------- 148. VINHA DA BAHIA PRA
----- 28 LHE
120. É DE VER---------------------------------------34
BAMBA---------------------- 29 149. MACULE LE MARACATU
121. JOGADOR DE --- 34
CAPOEI--------- 29
122. INGAZEIRA O MACULELÊ
INGÁ------------- 29
123. TURMA
150. O BEIRA
BOA----------------------- 29
MAR--------------------- 35
124. MENINA
151. BOA------------------------------
CAPOEIRA------------ 29
----- 35
125. BEMTIVE
152. TINDOLELÊ AUÊ
JOGOU--------------- 30
CAUIZA---- 35
126. CAPOEIRA DE SAO
153. SOU DE
SALVADOR---------------------------------
ANGOLA---------------- 35
-------------- 30
154. SOU EU
127. CAPOEIRA SOU
MACULÊLÊ------------- 36
EU------------- 30
155. CLAREAR DA
128. SOU
LUA--------------- 36
CAPOEIRA------------------- 30
156. DONO DA CASA
129. BARAUNA
----------------- 36
CAIU------------------ 31
157. CORRE PRO
130. CORTA
MATO-------------- 36
CANA--------------------- 31
158. VOCÊ BEBEU
131. VOU MANDAR
JUREMA--------- 36
BUSCAR-------- 31
159. JUROU
132. ONDE VAI
VINGANÇA-------------- 36
CAIMA---------------- 32
160. MACULELÊ-------------------
133. PISA NO MASSAPÉ
----- 36
ESCORREGA------------------------- 32
161. NEGROS DA CATANGA DE
134. TOPEI QUERO VER
ARUANDA------------------------------- 36
CAIR----- 32
162. MACULELÊ ELE É
135. SANTO ANTÔNIO É
VALENTE É
PROTETOR---------------------------------
GUERREIRO---------------------------36
------------ 32
163. MACULELÊ SOU
136. A HORA E
EU------------- 37
ESSA------------------ 32
164. MACULÊLÊ
137. AI AI AI AI
MARACATU------ 37
------------------------ 32
138. CUIDADO 165. TU
MOÇO--------------- 32 MBA É CABOCO ------------ 37
139. CRUZ-CREDO, AVE 166. CABANA DE
MARIA-- 33 GUERREIRO-----37
140. COBRA
VERDE------------------- 33

4
LADAINHAS E ter no peito a esperança
De um dia meu mestre reencontrar
Lá no céu tem três estrelas
PARANA Ê Uma é Bimba, outra e Pastinha.
Outra é Mestre Gigante
Vou dizer minha mulher, Paraná Com toda sua forca e valentia (coro)
Capoeira me venceu, Paraná Ôi no sonho eu vi Cobrinha verde
Paraná ê, Paraná ê, Paraná E o famoso Mestre Paraná
Ela quis bater pé firme, Paraná Eu vi Mestre Canjiquinha
Isso não aconteceu, Paraná E o lendário Besouro Mangangá
Paraná ê, Paraná ê, Paraná Waldemar da Liberdade tocava o
Oh Paranáuê, Paraná seu berimbau
Paranáuê, Paraná Fazendo festa na chegada
Paraná ê, Paraná ê, Paraná Pra um Capoeira respeitado
Assim dera que o morro, Paraná Ero o meu mestre Gigante
Se mudou para a cidade, Paraná Que lá no céu tinha chegado
Paraná ê, Paraná ê, Paraná (coro)
é batuque todo dia, Paraná
Mulata de qualidade, Paraná BAHIA NOSSA BAHIA
Paraná ê, Paraná ê, Paraná
Vou mimbora pra Bahia, Paraná Bahia, nossa Bahia
Eu aqui não fico não, Paraná Capital é Salvador
Paraná ê, Paraná ê, Paraná Quem não conhece Capoeira
Se n‹o for essa semana, Paraná Não sabe o seu valor
é a semana que vem, Paraná Capoeira veio da África
Paraná ê, Paraná ê, Paraná Africano é quem eu sou
Dou no escondo a ponta, Paraná Outros podem aprender
Ninguém sabe desatar, Paraná General, também doutor
Paraná ê, Paraná ê, Paraná Quem desejar aprender
Eu sou braço de maré, Paraná Venha aqui em Salvador
Mas eu sou maré sem fim, Paraná Procure o Mestre Pastinha
Paraná ê, Paraná ê, Paraná Ele é o professor
MESTRE GIGANTE PARA A RODA CAPOEIRA

Foi valente capoeira Para a roda, capoeira


Partiu pra nunca, mas voltar Para, vai ter que parar.
Deixando muitas saudades Eu não paro, eu já disse que não
Que até hoje faz chorar Eu só paro essa roda se o mestre
Ensinou-me a ser guerreiro mandar (olha ê)
E o meu medo derrotar Para a roda, capoeira
A ser valente mandingueiro (coro)
A cair e a levantar Para, vai ter que parar.
Não desprezar o mais fraco (coro)
Nem o mais forte rebaixar Eu não paro, eu já disse que não
Mas o destino um dia me fez chorar (coro)
Gigante partiu pra longe Eu só paro essa roda se o meste
Foi pro céu, com Deus morar mandar (coro)
Mas a vida é assim mesmo
Eu so posso lamentar

5
QUEM VEM LÁ SOU EU Meu sangue misturou-se ao pó e as
pedras do caminho
Quem vem lá - sou eu, quem vem lá Era hora de pedir o axé do meu
- sou eu Orixá
Berimbau bateu, capoeira sou eu. E partir para o jogo da morte é
Quem vem lá sou eu, quem vem lá perder ou ganhar
sou eu (coro)
Berimbau bateu, capoeira sou eu. Dei o bote certeiro da cobra alguém
(coro) me guiou
Eu venho de longe venho de Meia lua bem dada é a morte
Itabuna E a luta acabou
Pra joga capoeira, meu nome é
Suassuna. Eu segui pela noite sem lua
Quem vem lá sou eu, quem vem lá Histórias na algibeira
sou eu (coro) Não é fácil acabar com a sorte de
Berimbau bateu, capoeira sou eu. um bom capoeira
(coro)
Sou eu, sou eu Se você não acredita me espere
Quem vem lá? (coro) num outro caminho
Mas sou eu benevruto(?) E prepara bem sua navalha
Quem vem lá? (coro) Eu não ando sozinho
Venho montando a cavalo
Quem vem lá? (coro) CAPOEIRA É UMA DANÇA
Venho fumando charuto
Quem vem lá? (coro) Prepare o espírito e o coração
Mas sou eu, sou eu, ... Porque a capoeira ,e a nossa união
E uma luta que pode matar
ERA UMA NOITE SEM LUA E uma dança que baila meu corpo
pra lá
Era uma noite sem lua E pra cá, eu falei capoeira aia...
Era uma noite sem lua,
Era uma noite sem lua Eee... Capoeira aia *

Era uma noite sem lua e eu tava E uma dança que baila meu corpo
sozinho pra lá
Fazendo de o meu caminhar o meu E pra cá, eu falei capoeira aia...
próprio caminho
Sentindo o aroma das rosas e a dor EE... Capoeira aia... *
dos espinhos
CAPOEIRA DO BATUQUEGE
De repente apesar do escuro eu
pude saber Quando eu chego no mercado
Que havia alguém me espreitando modelo.modelo
sem que nem porque Perto do amanhecer*(toda frase)
Era hora de luta e de morte, é matar (coro)
ou morrer Pois já tem muita gente me
esperando
A navalha passou me cortando era Perguntando negão o que vai fazer*
quase um carinho (coro)
Eu respondo

6
Eu só capoeira de batuquege* Ö lá vem lá vem
(coro) Marinheiro só (coro)
La, la, la, la, la uee... Lá vem ele vindo
Lauee... Marinheiro só (coro)
La, la, la, la, la uee... Todo de branco
Capoeira eu amo você Marinheiro só (coro)
(bis) Com seu bonezinho
O senzala eu amo você Marinheiro só (coro)

EU JÁ ANDO ENJOADO BISORO MANGANGÁ

Eu já ando enjoado Ooo... certo dia numa festa


De viver aqui na terra Um moleque me chamou pra jogar
Amanhã eu vou pra lua Eu que sou desconfiado
Já falei com minha mulher Pois fique a de lado a reparar
Ela então me respondeu O que tava escrito na camisa
Nós vamos se Deus quiser Era um tal de Besouro Mangangá
Lá azemos um ranchinho Ee. Ea.
Todo cheio de sapé Era um tal de Besouro Mangangá
De manhã às sete horas
Nós vamos tomar cefé CAPOEIRA É BELEZA
O que nunca acreditei
Não posso me conformar Capoeira não sai da minha cabeça
É que a lua vem do mar Capoeira não sai do coração
Tudo isso é conversa Capoeira quem joga e mandingueiro
de comer sem trabalhar Capoeira e jogo de irmão
Oh senhor amigo meu Capoeira
Veja bem o meu cantar Eee... Beleza
Quem é dono não ciuma Capoeira
Quem não é quer ciumar Eee... Tradição
Viva meu Deus Capoeira
Tem fundamento
MARINHEIRO SÓ Capoeira
E vibração
Eu não sou daqui Capoeira nasceu foi no quilombo
Marinheiro só (coro) Olha no sofrimento da senzala
Eu não tenho amor O nego cantava ladainha
Marinheiro só (coro) Enquanto a cana era cortada
Eu sou da Bahia Capoeira
Marinheiro só (coro) Eee... Beleza
De São Salvador Capoeira...
x2 Na roda de capoeira
Ö marinheiro, marinheiro Pode-se matar ou morrer
Marinheiro só (coro) Mas também se joga limpo
Quem te ensinou a nadar? O que e bonito e pra se ver
Marinheiro só (coro) Capoeira...
Foi um tombo do navio? E pra se bom capoeira
Marinheiro só (coro) Não basta só aptidão
Ou foi um balanço do mar? Tem que se entregar de alma
Marinheiro só (coro) E cantar com o coração

7
Capoeira... Só faz besteira
Acaba se dando mal
SALVE OBALUAIÊ Calma, calma rapaz
Capoeira é de negro
Salve Obaluaiê, Salve Obaluaiê Não de capataz
Que é meu santo protetor Calma, calma rapaz
Me cubra com suas palhas Capoeira é amor
E a nada terei temor Harmonia e paz
Faça de mim instrumento Lembre só de você
De harmonia e de amor A um tempo atrás
Que eu seja um bom capoeira Vamos lá devagar
Sem medo no coração Que assim não se faz
Que meu gunga toque forte
Carregado de emoção NAVIO NEGREIRO
Afastai meu inimigo
Aproximai meu irmão Navio negreiro
Que não me falte humildade Tumba flutuante
Que não me falte saúde Terra mãe distante
Que eu partilhe o que é verdade Dor e desespero
Não fique com o que me ilude Navio negreiro
Que eu cuide dos meus alunos Segue a nau errante
Me dê forças pre ensinar Singrando saudades
Salve Obaluaiê África distante
Meu Guia meu Orixá Ouça meus cantares
Navio negreiro
CHOROU Mãe que perde o filho
Rei perde rainha
Chorou na senzala o negro Povo perde o brio
Chorou Enquanto definha
Coração apertado
O negro chorou de dor MISTUROU
O negro humilhado
No canto acorrentado Berimbau chorou no terreiro
O negro é calente mas chorou Sinhazinha correu pra escutar
Na senzala acuado Berimbau falou de um guerreiro
No canto desprezado Que os negro ia libertar
Quando o chicote estalou Ele vem vestido com a noite
Guerreiro escravizado por ser As estrelas à lhe iluminar
desrespeitado Tem a força do mar nas entranhas
Mas depois se libertou E o poder dado por orixás
Sinhazinha tremeu assustada
CALMA RAPAZ Sem saber se ainda ficava ali
Berimbau então silenciou
A violência é uma falta de recurso E no terreiro apareceu Zumbi
É quando o homem faz mau uso Foi Zumbi
De todo o seu potencial Sinhazinha tombou de joelhos
Fica longe O rei negro então a possuiu
de Deus A noite fez-se fogo e o negro
Da tradição, da capoeira Assim como veio partiu
Fecha o coração Deixou a semente da raça

8
No ventre da terra Brasil Me ensinou a mandinga, de um
Misturou, misturou valente guerreiro
Quem pensar que é só branco se Ele disse para eu ter, espírito nobre
enganou mandingueiro
Misturou, misturou Menino do mato, quem te ensinou
Branco, negro e índio misturou Essa tua capoeira quem tem muito
Misturou, misturou valor
A semente da raça misturou (BIS)
Misturou, misturou
No Brasil foi que tudo misturou DESAPARECEU NO AR

QUANDO QUER FICA MENOR A roda tava repleta


Todo mundo estava lá
Meu mestre é pequenininho Eu no gunga estava alerta
Quando quer fica menor Pois meu Mestre ia jogar
Pode ser seixo miúdo E quando meu mestre joga
Ou ter o brilho do sol Meu coração joga também
Que te cega Eu vou quando ele vai
Tu procura, procura não acha E venho quando ele vem
Se "tu vem" por baixo ele voa Berimbau tava arretado
Se "tu vem" voando ele abaixa O clima tava perfeito
Meu mestre é pequenininho Tudo muito organizado
Cuidado tu pode nem vê Tudo bem, tudo direito
Que quando ele abre a ginga Os movimentos do Mestre
Derrama na roda mandinga Eram poemas no ar
E fica maior que você camará Era um artista jogando
Ié o mestre é bom A arte de se jogar
De repente veio um raio
MENINO DO MATO Sem aviso do trovão
Engasguei no berimbau
Menino do mato, quem te ensinou Traído pela emoção
Essa tua capoeira que tem muito Numa fração de segundos
valor (BIS) Eu vi meu Mestre no chão
Uma vez tava sentado, em um É que o olhar de aluno
tronco preparado É lento pra acompanhar
Rezando ave-maria e pedindo força Meu Mestre tinha sumido
aos escravos Desapareceu no ar
Quando acabei o meu pedido, veja Reapareceu sorrindo
o que me aconteceu Que é do jeito que ele faz
Me arrepiei tão diferente, foi um Era um negro roubando
espírito que me apareceu A alma do capataz
Menino do mato, quem te ensinou Esse momento jamais
Essa tua capoeira que tem muito Vai sair da minha memória
valor Eu vi meu Mestre assinando
(BIS) O seu nome na história
Foi um negro alto, com um olhar tão Vi Peixinho transformado
piedoso A maldade em brincadeira
Ele contou uma história, para mim Muito mais do que jogando
guardar segredo Sendo a própria capoeira

9
SANTA AMARO Me leva pro teu bangalô
Me leva depressa, ligeiro
Em Santo Amaro Que eu sou prisioneiro
Pelas bandas da Bahia Desse teu amor
Besouro era falado pela sua valentia Me leva morena me leva
Negro valente, era forte com touro Me leva pro teu bangalô
Usava brinco de ouro Leva me leva
Lenço preso no pescoço Me leva morena
Trazia seu berimbau e uma navalha Que eu vou
no bolso
Besouro Preto foi falado na Bahia LEVA MORENA ME LEVA II
Temido em Santo Amaro pela sua
valentia O leva morena me leva
Besouro êhhhh, Besouro ahhhh O me leva pro seu bangalô (bis)
Besouro Preto, Besouro de Oi leva morena me leva
Mangangá Que hoje faz frio amanhã faz calor
Besouro êhhhh, Besouro ahhhh (bis)
(coro) Oi leva morena me leva
No mundo inteiro Que hoje sou capoeira
Não há que não ouviu falar Amanhã sou doutor
Besouro êhhhh, Besouro ahhhh (bis)
(coro) Oi leva morena parceira
Me faz um denguinho
ME LEVA MORENA I Me chama que eu vou
(bis)
Eu que já lhe fiz inveja Oi leva morena faceira
Hoje só lhe causo pena Pra um ranchinho
Perdi tudo que já tive Lá em Salvador
Pelo amor de uma morena (bis)
Me leva morena me leva Oi leva morena me leva
Me leva pro teu bangalô Com o seu jeitinho
Me leva e com um beijo me cala De fazer amor
Que eu sou da Senzala (bis)
Sou seu professor Oi leva morena me leva
Me leva morena me leva Que eu sou capoeira
Me leva pro teu bangalô Já disse que sou
Me leva morena querida
Que eu dou minha vida NA VIDA SE CAI
Pelo teu grande amor
Me leva morena me leva Na vida se cai
Me leva pro teu bangalô Se leva rasteira
Me leva morena não esquece Quem nunca caiu não é capoeira
Que o dia amanhece
O galo já cantou Na vida se cai
Me leva morena me leva Se leva rasteira
Me leva pro teu bangalô Quem nunca caiu não é capoeira
Me leva de noite e de dia
Eu faço poesia Na capoeira
Eu te falo de amor Eu cresci com o passado
Me leva morena me leva Desse tempo tão ligeiro

10
Rodo como um piscar Me entrega esse gunga de qualquer
Ontem eu era um menino iniciante maneira. (coro)
Um capoeira errante Então vamos jogar capoeira
Mais não parei de treinar
O SORRISO
Na vida se cai
Se leva rasteira O sorriso dela é como a lua
Quem nunca caiu não é capoeira Derramado sobre o mar
Faz o coração da gente
Eu cai De contente se acalmar
Eu cai e levantei Sorriso de feiticeira
Tropecei cai de novo Querendo me enfeitiçar
Consegui me afirmei Mas, eu sou bom capoeira
Isso não posso deixar
Na vida se cai Se eu ficar nesse sorriso
Se leva rasteira Nunca mais saio de lá
Quem nunca caiu não é capoeira Morena bonita chega aqui pertinho
Me dá um cheirinho
A vaidade ruim pro capoeira Que eu vou lhe mostrar
Faz ele se achar o bom Em jogo arretado
Não escapa da rasteira Um S-dobrado, um macaco voado
Você vai me amar
ESSE GUNGA É MEU Morena bonita chega aqui pertinho
Me dá um cheirinho
Eu fui na mata de sinhá, Que eu vou lhe cantar
Eu fui na mata de sinhá, Lindas ladainhas, versos e corridos
colega velho... Quadras tão bonitas
E esqueci meu gunga lá Você vai gostar
Morena bonita chega aqui pertinho
Então voltei para pegar Me faz um carinho
Mas na chegada da mata Que eu vou te contar
Encontrei um nego forte Histórias de mestres
Com o meu gunga na mão De Bimba e Pastinha
De seu Canjiquinha, de seu
Eu pedi para me entregar Waldemar
Ele não entrego não
Me chamou para jogar JOGO DA VIDA
A capoeira regional
Então lhe respondi, dizendo desta Morena, no jogo da vida
maneira Tô perdendo pra você
Esse gunga e meu e de boa Seu beijo é muito mandingueiro
madeira * É certeiro não dá nem pra ver
Me entrega esse gunga de qualquer Seu abraço é feito uma rasteira
maneira Faz o chão desaparecer
(bis) Eu caio ferido
Então vamos jogar capoeira. Eu tombo rendido
(coro) No calor do seu dendê
Olha jogo no mato também na
ribeira. (coro) JOGANDO

11
Ô moleque onde é que tú tava Se você tá em casa tão triste
Já faz tanto tempo que eu tô te Não tem como se expressar
chamando Uma dor apertando o seu peito
Ô mainha eu já tava vindo A vontade sem jeito de chorar
Eu tava na Ribeira jogando Eu vou lhe dizer uma coisa
Eu tava na Ribeira O remédio que vai lhe curar
Jogando Vem cá, vem jogar capoeira
No pé de ladeira Vem cá
Na roda da feira É luta brasileira
Tava na capoeira Capoeira é a melhor coisa que há
Ela á brincadeira
ABOLIÇÃO Capoeira é cultura popular
Vem jogar capoeira
Dona Isabel que estória é essa É uma luta maneira
Dona Isabel que estória é essa Capoeira é o remédio que vai lhe
De ter feito a abolição curar
De ser princesa boazinha
Que libertou a escravidão MESTRE BIMBA

Eu to cansado de conversa Hoje eu canto um lamento


Eu to cansado de ilusão Hoje eu canto um lamento
Abolição se fez com sangue Com uma dor no coração
Que inundava esse país Sino um desgosto profundo
Que o negro transformou em luta Por tamanha ingratidão
Cansado de ser infeliz
Ele foi amante dessa arte
Abolição se fez bem antes Cujo o nome capoeira
E ainda por se fazer agora Praticado nas senzalas
Com a verdade da favela Beira de praia e nas ladeiras
Não com a mentira da escola
Dona Isabel chegou a hora Mais o destino foi cruel
De se acabar com essa maldade Com o mestre considerado
De se ensinar pros nossos filhos Foi embora da Bahia
O quanto custa a liberdade Solitário e amargurado

Viva Zumbi nosso rei negro Morreu longe da sua terra


Que feise herói lá em Palmares Manoel dos Reis Machado
Viva a cultura desse povo Que foi discípulo de Bentinho
A liberdade verdadeira De mestre Bimba foi chamando
Que já corria nos Quilombos
E já jogava capoeira Criador da regional
Angoleiro respeitado
Eee...Viva Zumbi Nas rodas de capoeira
Eee...viva Zumbi camarada Seu nome será lembrado

Eee...Viva Palmares POVO DE LUANDA


Eee...viva Palmares camarada
Mas negro rezava
VEM CÁ Pedindo pra Deus do Céu
E na prece ele chorava

12
Dizendo que a vida era cruel roubado
Acorrentado na senzala Mas não chore dona moça
Se ajoelhava ao chão Que o ladrão já tá sendo procurado
Muitas vezes lamentava Quem pegar este ladrão
Não entendia a razão Oi, ai, ai! Será bem recompensado
De todo aquele sofrimento Dou um berimbau maneiro
Ai meu Deus de tanta judiação Ai, Ai, Ai! Dou um gunga ritmado
Povo de Luanda Oi Chiquinho ê e ê! Oi Chiquinho a
Um dia lutou e venceu a a!
Povo de Luanda Oi a menina de outro mandou me
Um dia lutou e venceu chamar
Com que tudo a liberdade Oi Chiquinho ê ê ê! Oi Chiquinho a
A eles sempre pertenceu a a!
Povo de Luanda Oi na volta que o mundo deu
Um dia lutou e venceu E na volta que o mundo dá
Negro era castigado
Pelo chicote do senhor IGREJA BOM FIM
Olhando a ferida ele chorava
Sabendo que não tinha valor Igreja do Bom fim
Trabalhava sem parar Mercado modelo
Preto no canavial Ladeira do pelourinho
Naquele tempo ele era visto E baixa do sapateiro
Como uma espécie de animal Falar na cidade alta
Povo de Luanda Eu me lembrei do terreiro
Um dia lutou e venceu
Negro foi muito valente Igreja de São Francisco,
Ao fugir de seu senhor ee...praça da sé
Na esperança de liberdade Aonde ficam as baianas
Nas matas se refugiou vendendo acarajé
Povo de Luanda Por falar em Itapuã, lagoa do abaeté
Um dia lutou e venceu Camaradinha, viva meu deus
No Quilombo dos Palmares Eee...viva meu deus câmara
Cantava junto uma nação
Salve salve o Rei Zumbi VENHO DE LUANDA
Oi ia ia viva o fim da escravidão
Povo de Luanda Quando eu venho de Luanda, eu
Um dia lutou e venceu Não venho só (2x)
A raça negra hoje canta Trago o meu corpo cansado
A liberdade renasceu Coração amargurado
A raça negra hoje canta Saudade de fazer dó
A liberdade renasceu Quando eu venho de Luanda, eu
Não venho só (2x)
CHIQUINHO Ê Quando eu venho de Luanda, eu
Não venho só (2x)
Lá em cima da janela Eu fui preso à traição
da janela do sobrado Trazido na covardia
Tinha uma moça chorando Que se fosse luta honesta, ô iaiá
Chorando pra se acabar De lá ninguém me trazia
Por causa do Cordão de Ouro Quando eu venho de Luanda, eu
Ai meu bem, que o ladrão tinha Não venho só (2x)

13
(BIS) Não venho só (2x)
Trago duendo nas costas (BIS)
Todo o peso da maldade Eu trago no meu peito um grito
Trago ecoando no peito Um grito da vida inteira
Um grito de liberdade Um grito de liberdade, ô iaiá
Liberdade eu quero agora Um grito de capoeira
Se eu quero não vai tardar Um grito de raça negra
Liberdade é esperança Uma raça perseguida
Na força dos orixás Um grito de toda dor, oh! meu Deus
Quando eu venho de Luanda, eu Um grito de toda vida
Não venho só (2x) Quando eu venho de Luanda, eu
(BIS) Não venho só (2x)
Trago no meu peito a noite (BIS)
Na mata brilha o luar
Na minha alma eu pressinto TEM CAPOEIRA NO EXTERIOR
Energia de Oxalá Autor: Letra/Música
(BIS) Mestre Matias
Trago as marcas das carícias
E corpo de açoite Oi essa arte brasileira
Na boca brilhando a lua não é brincadeira, não,
Na pele brilhando a noite que nasceu no Brasil
Quando eu venho de Luanda, eu nos tempos da escravidão.
Não venho só (2x) Praticada nas senzalas,
(BIS) nas senzalas e quilômbos
Trago as penas da saudade na fúria de libertação.
Da terra que lá deixei Capoeira hoje em dia
Se a tristeza vem marcada é esporte e educação,
Da mulher que lá larguei se espalhou rapidamente
Trago as penas da saudade nas capitais e interior.
De tudo que deixei por lá Hoje em dia ela é ensinada
E pulsando forte nas veias também no exterior.
O sangue dos orixás coro
Quando eu venho de Luanda, eu Tem capoeira tem, lá no exterior
Não venho só (2x) Lá na Suiça na Itália, sim sinhô
(BIS) coro
Trago os meus pés inchados Oi lá na França, no Portugal, sim
E o meu peito amargurado sinhô
Como um ídolo de maldade Ela tem descriminação de cor
Como um ídolo de maldade coro
Dentro de mim trago um grito A capoeira é jogada com amor
Que um dia será ouvido, oi iaiá coro
Clamando por liberdade Tem o branco , o amarelo e o
Quando eu venho de Luanda, eu incolor
Não venho só (2x) coro
(BIS) A capoeira e brasileira sim sinhô
Trago as marcas do meu povo coro
Que é de herança guerreira
Que se faz negro valente TOCO BERIMBAU
Jogador de capoeira
Quando eu venho de Luanda, eu Eu sou poeta

14
Tocador e cantador Que criou o maculelê
Eu tenho orgulho Que acredita no candomblé
De cumprir minha missão Que tem o sorriso no rosto
Vou no caminho A ginga no corpo e
Que a capoeira me ensinou O samba no pé
E que um dia Que tem o sorriso no rosto
Marcou no meu coração A ginga no corpo e
Se eu vou sozinho O samba no pé
Toco o berimbau Que fez surgir de uma dança
Se é duro o caminho Uma luta que pode matar
Toco berimbau Capoeira, arma poderosa
Se tem espinhos Luta de libertação
Toco berimbau Brancos e negros na roda
Mas vou E abraçam como irmãos

EU TENHO AXÉ TEM QUE TREINAR


Autor: Letra/Música
A vida não é só dinheiro Mestre Matias
A vida não é só axé
Tem a força Ô capoeira,
Tem mandinga ouça o que vou falar,
Tem axé se quiser formar dia,
Eu tenho axé precisa se dedicar,
Eu tenho axé tem que aprender
Na cabeça, no peito os fundamentos da capoeira
Na mão e no pé respeitar o seu Mestre
(BIS) e nunca pare de treinar.
Tô falando seu moço coro
Eu tenho axé Tem que treinar,
Meu santo é de palha tem que treinar.
E eu tenho axé Prá ser um bom capoeirista
Sou aluno do Peixe não pare de treinar.
Eu tenho axé coro
Eu sou da Senzala Seja angola ou regional
Eu tenho axé nunca pare de treinar.
Berimbau bem tocado coro
Segura o axé Ter domínios dos instrumentos
e também saber cantar.
ÁS VEZES ME CHAMAM DE coro
NEGRO Capoeira que é bamba,
Autor : M.Ezequiel joga em qualquer lugar.
coro
Ás vezes me chamam de negro Meia lua e rasteira,
Pensando que vão me humilhar e também salto mortal.
Mas o que eles não sabem coro
É que só me fazem lembrar Procurar um bom Mestre,
Que eu venho daquela raça prá você poder treinar.
Que lutou pra se libertar coro
Que eu venho daquela raça
Que lutou pra se libertar AIDÊ NEGA ÁFRICA NA

15
Mestre Mão Branca Capoeira (bis)
Manoel dos Reis Machado, ele e
Aidê é uma negra africana, fenomenal
Tinha magia no seu cantar Ele e o mestre Bimba, criador da
Tinha os olhos esverdeados Regional
E sabia como cozinhar, Capoeira (bis)
Sinhozinho ficou encantado Capoeira e lutta nossa, da era
E com Ai dê ele quis se casar colonial
Nego disse, Aidê, não se case, Nasceu foi na Bahia, angola e
Vá pro quilombo pra se libertar Regional
Aidê Coro: Capoeira (bis)
Foge pra Camujerê
Aidê Coro
CAPOEIRA NÃO SAI DA MINHA
No quilombo de Camujerê
CABEÇA
A liberdade Aidê encontrou
Untou-se aos negros irmãos,
Capoeira não sai da minha cabeça
Descobriu um grande amor
Capoeira não sai do coração
Hoje Ai dê canta sorrindo,
Capoeira quem joga
E fala com muito louvor
E mandingueiro
Liberdade não tem preço,
Capoeira e jogo de irmão
O negro sabe quem o libertou
Capoeira
Aidê Coro
Eee... Beleza
Aidê Coro
Capoeira
Sinhozinho disse então,
Eee... Tradição
Com quilombo eu vou acabar
Capoeira
Se Aidê não se casa comigo,
Tem fundamento
Com ninguém ela vai se casar
Capoeira
Aidê Coro
E vibração
Aidê Coro
Capoeira nasceu foi
Chegando a Camujerê,
No quilombo
Sinhozinho se surpreendeu
Olha no sofrimento da senzala
O negro mostrou uma arma,
O nego cantava ladainha
Que na senzala se desenvolveu
Enquanto a cana era cortada
O negro venceu a batalha,
Capoeira
E no quilombo Sinhozinho morreu
Eee... Beleza
Aidê
Capoeira
Eee... Tradição
CAPOEIRA O JOGO PRATICADO
Capoeira
Tem fundamento
E meu mano, o que foi que tu viu la
Capoeira
Eu vi Capoeira matando, tambem vi
E vibração
Maculelê
Na roda de capoeira
Capoeira
Pode-se matar ou morrer
E jogo praticado na terra de São
Mas também se joga limpo
Salvador
O que e bonito e pra se ver
Capoeira (bis)
Capoeira
Sou discipulo qui aprende, sou
Eee... Beleza
mestre qui da lição
Capoeira
Na roda de Capoeira, nunca dei um
Eee... Tradição
golpe em vão
Capoeira

16
Tem fundamento Ê maré que vem
Capoeira Ê maré que vai
E vibração Ê MARÉ QUE VEM
E pra se bom capoeira Ê MARÉ QUE VAI
Não basta só aptidão O mundo dá voltas
Tem que se entregar de alma Maré vai e vem
E cantar com o coração O bom capoeira
Sabe cair bem
CUIDADO MOÇO coro
O mundo dá voltas
Cuidado moço que assa fruta tem Quis me dar rasteiras
caroço Caí levantei
Cuidado moço que assa fruta tem Pois sou capoeira
caroço coro
Maré traiçoeira
Mais vale a nossa amizade, que Já quis me levar
dinheiro no meu bolso Mas a capoeira
Pràquem sabe viver, esta vida é um Nunca vai deixar
colosso coro
A volta do mundo
Cuidado moço que assa fruta tem Vai mostrar pra ti
caroço ( bis ) Você esta por cima
Cuidado moço que assa fruta tem Mas pode cair
caroço ( bis )
VENTO BALANÇOU A PALHA DO
Ando com o corpo fechado, e um COQUEIRO
rosàrio no pescoço Autor : Esquilo-Apache
Fui criado làna roça, tomando àgua
de poço Vento balançou a palha do coqueiro
Cuidado moço que assa fruta tem Vento balançou a palha do coqueiro
caroço ( bis ) Coco que tava maduro
Cuidado moço que assa fruta tem Despencou caiu primeiro
caroço ( bis ) Coco que tava maduro
Despencou caiu primeiro
Cachorro que é esperto, come Lá na praia tem coqueiro
carne e rói o osso Quem plantou foi lemanjá
A mulher quando não presta, mata o Se o coco tiver maduro
cabro de desgosto O vento vai derrubar
Vento balançou a palha do coqueiro
Cuidado moço que assa fruta tem Vento balançou a palha do coqueiro
caroço ( bis ) Coco que tava maduro
Cuidado moço que assa fruta tem Despencou caiu primeiro
caroço ( bis ) Coco que tava maduro
Despencou caiu primeiro
Ê MARÉ QUE VEM Coco maduro tomara que você caia
Mais não quebre a sapucaia
A volta do mundo Quando o vento balançar
É como a maré Vento balançou a palha do coqueiro
Quem não acompanha Vento balançou a palha do coqueiro
Não fica de pé Coco que tava maduro

17
Despencou caiu primeiro Avisa meu mano lá
Coco que tava maduro Vou tocando Berimbau
Despencou caiu primeiro Angola e regional
Na praia de Amaralina Avisa lá meu mano,
Na sombra do coqueiral Avisa meu mano lá
Tem roda de capoeira Vou jogando Capoeira
No toque do berimbau Eu só vou oceano acabar
Avisa lá meu mano,
E DEFESA ATAQUE Avisa meu mano lá
Vou jogando capoeira
Capoeira Quero ver quem vai pular
É defesa ataque Avisa lá meu mano,
è ginga de corpo Avisa meu mano lá
è malandragem Vou jogando capoeira
Capoeira! Quero ver quem vai jogar
Avisa lá meu mano,
É defesa ataque Avisa meu mano lá
è ginga de corpo (uno) Vou tocando Berimbau
è malandragem Angola e regional
Avisa lá meu mano,
O maculêlê é a dança do pau Avisa meu mano lá
Na roda decapoeira quem comanda Vou jogando capoeira
é o berimbau No mercado popular
Capoeira!
(uno) HORA GRANDE/CATARINA
São Francisco Nunes Preto velho
meu avô Era à hora grande
Ensinou para o meu pai, mas meu Quando eu cheguei à Bahia (2x)
pai não me ensinou Procurando a nega Rosa,
Capoeira! Filha da Rosa Maria
(uno) Todo mundo viu a Rosa,
Capoeira! Só Io mesmo é que não via
(uno) A Rosa tava na igreja
Se você quiser aprender vai ter que Rezando por mim
praticar Orando por ti
Mas na roda de capoeira e' gostoso Rezando por mim
de jogar Orando por ti
Capoeira! Rezando por mim
(uno) Orando por ti
Capoeira! Catarina minha nega
(uno) Onde tá que eu não te vejo
Eu tô na cozinha do branco
AVISA LÁ MEU MANO Preparando caranguejo
Autor: M. Suassuna No fogo sinhá
Catarina
Avisa lá meu mano, Tava no fogo ia
Avisa meu mano lá Catarina
Vou jogando capoeira No fogo lê lê
No mercado popular Catarina
Avisa lá meu mano, Caranguejo Sinhá

18
Catarina É manha de mandingueiro
Apanha a laranja do chão É o vento no veleiro
Tico-Tico É um lamento na senzala
Se meu amor for se embora É um berimbau bem tocado
Eu não fico É um corpo arrepiado
Apanha a laranja do chão Um sorriso de um menininho
Tico-Tico
Apanha com o pé e A capoeira
Com a ponta do bico É um vôo de passarinho
Apanha a laranja do chão Um bote da cobra coral
Tico-Tico Sente na boca todo gosto do perigo
É sorrir para o inimigo
TODA BAHIA CHOROU E apertar a sua mão

Toda Bahia chorou A capoeira


Toda Bahia chorou É um grito de zumbi
No dia em que a Capoeira de Ecoando no quilombo
Angola É se levantar do tombo
Perdeu seu protetor Antes de chegar ao chão
Mestre Pastinha foi embora
Oxalá quem o levou É o ódio, é a esperança que nasce
Lá pras terras de Aruanda O tapa sutiu na face
Mas ninguém se conformou E foi arder no coração
Chorou general, chorou menino Em fim é aceitar o desafio
Chorou mocinha, chorou doutor Com vontade de lutar
Preta Velha, feiticeiro
Oganzi, Babalaô A capoeira
Berimbau tocou Iúna É um barco pequenino
Um toque triste de Mestre Solto nas ondas do mar
E a capoeira foi jogada É um peixe é um peixinho
Ao som da triste canção Solto nas ondas do mar...(bis)
Da boca do mandingueiro
De dentro do […]

A CAPOEIRA QUE NAVIO É ESSE

Uma vez ABADÁ CAPOEIRA


Perguntei a Seu Pastinha Composição: Mestre Camisa
O que era a capoeira
E ele, mestre velho e respeitado Que navio é esse
Ficou um tempo calado que chegou agora
Revirando a sua alma é o navio negreiro
Depois respondeu com calma com os escravos de Angola
Em forma de ladainha:
“A capoeira vem gente de Cambinda
Benguela e Luanda
É um jogo, é um brinquedo eles vinham acorrentados
É se respeitar o medo pra trabalhar nessas bandas
E dosar bem a coragem
É uma luta Que navio é esse

19
que chegou agora Não se julgue tão bom capoeira
é o navio negreiro Que a capoeira não é tão vulgar
com os escravos de Angola
Para ser um bom capoeirista
aqui chegando não perderam Pra ter muita gente que lhe de valor
a sua fé criaram o samba Você tem que ter muita humildade
a capoeira e o candomblé Tocar instrumentos, ser um bom
professor
Que navio é esse
que chegou agora O capoeira faz chula bonita
é o navio negreiro Canta um lamento com muita
com os escravos de Angola emoção
Quando vê seu mestre jogando
acorrentados no porão do navio Sente alegria no seu coração
muitos morreram de banzo e de frio
Ele joga angola miudinho
BESOURO PRETO Se a coisa esquenta não corre do
AUTOR: OLHO DE GATO pau
Tem amigos por todos os lados
Quem é você que acaba de Um grande sorriso também não faz
chegar mal
Quem é você que acaba de
chegar Isso é coisa da gente
(Coro) Ginga pra lá e pra cá
Eu sou Besouro Preto
Besouro de Mangangá Mexe o corpo ligeiro
Eu vim lá de Santo Amaro A mandinga não pode acabar
Vim aqui só pra jogar Isso é coisa da gente
CORO Ginga pra lá e pra cá
Eu sou Besouro Preto
Besouro de Mangangá Mexe o corpo ligeiro
Ando com corpo fechado A mandinga não pode acabar
Carrego meu patuá Isso é coisa da gente,
CORO Ginga pra lá e pra cá
Me chamam Besouro Preto
Besouro de Mangangá PARA RODA CAPOEIRA!
Bala de rifle não me pega Autor: M. Itapoan
Que dirá faca de matar
CORO Para roda capoeira, para vai ter que
Aqui em Maracangalha parar
Você não vai escapar Eu não paro, já disse que não,
Contra faca de tucum Só paro esta roda se o mestre
Ninguém pode se salvar mandar, Olha aí...
CORO Para roda capoeira, para vai ter que
parar
CAPOEIRA DE VERDADE Eu não paro, já disse que não,
Mestre Facho Só paro esta roda se o mestre
mandar.
Se você faz um jogo ligeiro Ai eu jogo capoeira, aqui, em
Dá um pulo pra lá e pra cá qualquer lugar

20
O meu mestre foi seu Bimba Lá na Ribeira,
Criador da regional, eu falei Lá em Maré
Para roda capoeira, para vai ter que Eu falei pra sinhá
parar Vou jogar capoeira
Eu não paro, já disse que não, Eu falei pra sinhá
Só paro esta roda se o mestre Lá no Abaeté
mandar. Sinhá
Por favor bata um Iúna, Vou jogar capoeira
Mas não jogue assim fechado Lá na Ribeira,
Não é jogo de moleque, Lá em Maré
Isto é jogo de formado, eu falei Eu falei pra sinhá
Para roda capoeira, para vai ter que Vou jogar capoeira
parar Eu falei pra sinhá lá no Abaeté
Eu não paro, já disse que não, Sinhá mora na casa grande,
Só paro esta roda se o mestre Tem tudo que ela quiser
mandar. Foi passear na Senzala
Ô não me agarre, faça um jogo legal E lá aprendeu a lutar
Isto não é Jiu Jitso, isto aqui é A mandinga da Angola
regional, eu falei E o jogo da Regional
Para roda capoeira, para vai ter que Sinhá se apaixonou pela arte
parar Com ela aprendeu a jogar
Eu não paro, já disse que não, Eu falei pra sinhá
Só paro esta roda se o mestre Sinhá
mandar. Vou jogar capoeira
Mestre Bimba não morreu, isto é Lá na Ribeira,
muito natural Lá em Maré
Ele está em qualquer roda Eu falei pra sinhá
Se o jogo é regional. Vou jogar capoeira
Eu falei pra sinhá lá no Abaeté
BAHIA AXÉ, AXÉ BAHIA
PALMA DE BIMBA
Que bom Autor : M. Itapoan
Estar com vocês
Aqui nesta roda A palma estava errada
Com este conjunto Bimba parou outra vez
Bahia axé, axé Bahia Bata esta palma direito
Bahia axé, axé Bahia A palma de Bimba
Io ioioioioo São um, dois, três
O vento Olha a palma de Bimba
Que vem lá do mar E um, dois, três
Entre os coqueirais Se você e devoto de Bimba
Vem de Luanda ieê Na roda ele vai lhe ajudar
Io ioioioioo Mas se não e, sai correndo
Bahia axé, axé Bahia Que a roda ta aberta,
Bahia axé, axé Bahia E o bicho vai pegar
E a palma de Bimba e um, dois, três
SINHÁ Olha a palma de Bimba
E um, dois, três
Sinhá A quadra estava errada
Vou jogar capoeira Bimba parou outra vez

21
Cante esta quadra direito Caiu no chão e derramou (coro)
A palma de Bimba e um, dois, três Mas a manteiga não é minha
Olha a palma de Bimba A manteiga é de iôiô (coro)
E um, dois, três
A Iúna estava errada SIM, SINHÁ, SIM, SINHÔ
Bimba falou outra vez
Não me trate esta ave moleque Salve a Bahia de São Salvador
E a palma de Bimba e um, dois, três (coro) Sim, sinhá, sim, sinhô (coro)
Olha a palma de Bimba E mestre Bimba de São Salvador
E um, dois, três (coro)
A ginga estava errada
Bimba parou outra vez DÁ NO NEGO
O ginga bonito moleque
E a palma de Bimba e um, dois, três Da,da,da no nego
O no nego você não da

CORRIDOS Da,da,da no nego *


O se der vai apanhar
MORA IEMANJÁ
O no nego você não da
Da,da,da no nego *
Quando a maré baixar
Vá lhe visitar ESSE NEGO É O CÃO
vá fazer devoção
vá lhe presentear Olha pega esse nego e derruba no
No mar chão
Mora Iemanjá (BIS) Esse nego e valente esse nego e o
Vários negros foram pro Brasil cão
Bantus, Nagôs e Iorubas Pega esse nego e derruba no chão*
Dentro do navio negreiro O derruba no chão conforme a
Deixaram suas lágrimas correr no razão
mar Pega esse nego e derruba no chão
(BIS) O derruba no chão.derruba no chão

Sua lágrima correu no mar NEM TUDO QUE RELUZ É OURO


tocou o peito de Iemajá
ela podia mudar a maré Nem tudo que reluz é ouro
Fazer meu navio voltar pra Guiné Nem tudo que balança cai
(BIS) Nem tudo que reluz é ouro
(coro)
MANTEIGA DERRAMOU Nem tudo que balança cai
(coro)
Eu vou dizer a meu senhor Cai cai, cai cai
Que a manteiga derramou Capoeira balança mas não cai
Ô a manteiga não é minha Cai cai, cai
A manteiga é de iôiô
Eu vou dizer a meu senhor COR DE MISTERIO
Que a manteiga derramou (coro)
A manteiga não é minha Oi dagô é uma cor de mistério

22
Uma cor de lua Boa noite meu senhor
Veio da áfrica trazido pra cá Boa noite minha senhora
Dagô apanho sem para
Hoje o negro é cultura popular E NA HORA Ê
No gingado o gesto e no olhar
Oi le lê le oh Êêêê, mas E na hora ê, E na hora á
Oi le lê le ah E na hora ê, sou de Angola
E na hora ê, E na hora á
CAPOEIRA TEM MANDINGA E na hora ê, sou de Angola
E na hora ê, E na hora á
Capoeira tem mandinga, capoeira E na hora ê, dá licença pr' eu
tem axé, passar
Capoeira luta nossa, capoeira o quê E na hora ê, E na hora á
que é? E na hora ê, sou de Angola
Capoeira tem mandinga, capoeira
tem axé, (coro) GINGA LEGAL
Capoeira luta nossa, capoeira o quê
que é? (coro) Ginga legal, ginga legal ginga legal,
Capoeira é ginga legal
LARANJA NO CHÃO TICO-TICO Ginga legal, ginga legal ginga legal,
(coro)
Apanha a laranja no chão Tico-Tico
se meu amor for embora eu não fico LÁ VAI VIOLA
Apanha com a mão, com o pé ou
com o bico Tim, tim, tim, lá vai viola
Sua saia é de renda ou de bico Coro : Tim, tim, tim, lá vai viola
coro: apanha a laranja no chão tico- Tim, tim, tim, lá vai viola
tico Esse jogo é de dentro, esse jogo é
de angola
SOU CAPOEIRA Oi lá valha meu Deus, e a nossa
senhora
So capoeira dez de minininho* Le, le, lá vai viola
(bis) Olha joga menino, esse jogo é de
Dez de que meu pai falava capoeira angola
meu minino* Oia santa mandinga, mandinga é de
(bis) angola
E eu gingava,eu soltava "meia lua" Oi nao tem siriri, nao tem cai fora
Eu plantava "bananeira"ate no meio Esse jogo é embaixo, esse jogo é
da rua* de angola
(bis)
EU PISEI NA FOLHA SECA
VOU PEDIR LICENÇA
Eu pisei na folha seca
Eu vou pedir licença Vim fazer chuê-chuá
Eu vou-me embora agora Eu pisei na folha seca (coro)
Boa noite meu senhor Vim fazer chuê-chuá (coro)
Boa noite minha senhora Chuê-chuê-chuê-chuá
Eu vou pedir licença Eu vim fazer chuê-chuá
Eu vou-me embora agora Chuê-chuê-chuê-chuá (coro)
Eu vim fazer chuê-chuá (coro)

23
QUEM É VOCÊ SANTA MARIA MÃE DE DEUS

Quem é você, que veio de lá Santa Maria mãe de Deus / Eu


Quem é você, que veio de lá cheguei na igreja me confessei /
Eu sou da Bahia, vim me apresentar Santa Maria mãe de Deus
(bis)
É um arame, um chocalho, é uma MARIMBONDO TRAIÇOEIRO
moeda um pedaço de pau,
Meu berimbau toca é assim Eu vim de la, eu vim de la
ting ting ting ting Vim pra ca
ting ting dão (bis) Olha marimbondo traiçoeiro
Meu berimbau toca é assim É de vagar, é de vagar, é de
vagar
Olha marimbondo traiçoeiro
PAU PEREIRA É de vagar, é de vagar, é de
vagar
Pau, pau, Pereira Eu vim de la
Olha o tombo da ladeira Olha marimbondo traiçoeiro
Pau, pau, Pereira (coro) É de vagar, é de vagar, é de
E esse jogo é Capoeira vagar
Pau, pau, Pereira (coro) Odo ia, odo ia
Odo ia, odo ia
MADEIRA DE LEI Olha marimbondo traiçoeiro
É de vagar, é de vagar, é de
Maçaranduba é madeira de lei, vagar
É madeira de lei, é madeira de lei Olha marimbondo traiçoeiro
(coro) É de vagar, é de vagar, é de
Jacarandá é madeira de lei vagar
Coro Olha marimbondo traiçoeiro
É de vagar, é de vagar, é de
POMBA vagar
Pomba vôo, Pomba vôo DONA MARIA DO CAMBOATA
Pomba vôo gavião pegou (bis)
Vô mim-bora dessa terra Dona Maria do Camboata
Porque jade se quebrou Ela pega na venda, elamanda botar
E eu num sou daqui Dona Maria do Camboata
Na minha terra eu sou DoCamboata, do Camboata
(bis) Ela chega na venda ela manda bota
Dona Maria do Camboata
SANTA BÁRBARA
OI NEGA QUE VENDE AÍ
Oh Santa Bárbara que relampuê /
Ô Santa Bárbara que relampuâ / Oi nega que vende aí / Que vende
Oh Santa Bárbara que relampuê /* aí, o que vende
Quere lampuê, que relmpuâ / aí / Oi nega que vende aí / Vende
Oh Santa Bárbara que relampuê * arroz e camarão / Oi

24
nega que vende aí / Vende arroz do Ô era eu, era você
maranhão / Oi Côro: Ai ai, aidê
nega que vende aí Joga bonito que o bom é você
Côro: Ai ai, aidê
DONA MARIA, COMO VAI VOCÊ Joga certinho pra mim aprender
Côro: Ai ai, aidê
Vai você, vai você Joga pra lá que eu não quero
Dona Maria, como vai você apanhar
Como vai você, como vai você Côro: Ai ai, aidê
Dona Maria, como vai você
Joga bonito que eu quero ver CATARINA (RALA CÔCO)
Dona Maria, como vai você
Joga com calma que eu quero O rala côco
aprender catarina
Dona Maria, como vai você Fazer cocada*
Esse jogo é Capoeira, não é karate Catarina
Dona Maria, como vai você O rala côco
Catarina
SAI SAI CATARINA Não quebra nada
Catarina
Sai sai Catarina Rala pra que
Saia do mar Catarina
Venha ver Rala e vender
Sai sai Catarina Catarina
Saia do mar Rala côco, rala côco,
Venha ver Idalina (BIS) rala côco meu sinho
Rala côco, rala côco, rala côco
DONA ALICE meu sinhô

dona Alice IDALINA TA ME CHAMANDO


Nome pegue não
Nome pegue, É de manhã, Idalina tá me
Nome agarre, chamando
Nome pegue não Idalina tem o costume
dona Alice (BIS) De chamar e vai andando
É de manhã, Idalina tá me
AI AI, AIDÊ chamando
O Idalina meu amor Idalina tá me
Ai ai, aidê esperando
(Olha) Joga bonito que eu quero ver É de manhã, Idalina tá me
Côro: Ai ai, aidê chamando
(Oia) Jogo uma coisa que eu quero Idalina tem o costume
aprender Danado de falar de homem
Côro: Ai ai, aidê É de manhã, Idalina tá me
Aidê, aidê, aidê, aidê chamando
Côro: Ai ai, aidê Idalina meu amor Idalina tá me
Joga menino que eu quero aprender esperando
Côro: Ai ai, aidê É de manhã, Idalina tá me
Joga pra mim que eu jogo pra você chamando
Côro: Ai ai, aidê Idalina tem o costume

25
Danado de falar de homem
É de manhã, Idalina tá me Abalou capoeira abalou,
chamando O abalou deixa abalar.
Abalou capoeira, abalou.
VAMOS EMBORA E abalou deixa abalar.
Abalou capoeira, abalou.
Vamos embora ê E abalou vai abalar.
Vamos embora, camará Abalou capoeira, abalou.
Vamos embora ê (coro) E agradeço a Deus do céu.
Vamos embora, camará (coro) Abalou capoeira, abalou

VENENO DO COBRA CANARINHO DA ALEMANHA

Se o veneno da cobra se espalhou Canarinho da Alemanha que mato


E o caboclo não morre viciou meu curió *
Se o veneno da cobra se espalhou Na roda de capoeira mestre Bimba
e o maior ee...
QUEM JOGOU, JOGOU (coro)
Eu jogo capoeira,quero ver quem e
Quem jogou, jogou melhor ee...
Quem não jogou, não joga mais (coro)
Quem jogou, jogou Eu jogo capoeira da Bahia a Maceió
(coro) ee...
Quem não jogou, não joga mais (coro)
(coro) Na roda de capoeira seu Pastinha e
melhor ee...
OI É TU QUE É MOLEQUE
TEM DENDÊ
Moleque é tu (coro)
Oi é tu que é moleque (coro) Tem dendê, tem dendê
Oi é tu que é moleque (coro) Jogo de Angola, tem dendê
Oi é tu que é moleque (coro) (coro) Tem dendê, tem dendê
O menino chorou Jogo rasteiro, tem dendê
Nhêm, nhêm, nhêm (coro) (coro) Tem dendê, tem dendê
É porque não mamou (coro) Jogo de dentro, tem dendê
Sua mãe tá na feira (coro) (coro) Tem dendê, tem dendê
Cala a boca menino (coro) Na Bahia, tem dendê
Que menino danado (coro) Na capoeira, tem dendê
E chora menino (coro)
JOGO DE DENTRO, JOGO DE
OI SIM, SIM SIM FORA

Oi não, não, não Jogo de dentro, jogo de fora


Oi sim, sim sim Jogo bonito, jogo de Angola
Oi não, não, não (coro) (coro) Jogo de dentro, jogo de
Mas hoje tem amanhã não fora
Mas hoje tem amanhã não (coro) Jogo bonito, jogo de Angola
Olha a pisada de lampião (coro) Jogo de dentro, jogo de
fora
ABALOU CAPOEIRA ABALOU Jogo com você a qualquer hora

26
(coro) Jogo de dentro, jogo de GUNGA É MEU
fora
Gunga é meu,
QUERO VER CAIR gunga é meu Gunga é meu,
é meu, é meu Gunga é meu,
Olá o lai gunga é meu Gunga é meu,
Vou bater, quero ver cair Foi papai que me deu
(coro) Olá o lai Gunga é meu, gunga é meu
Vou bater, quero ver cair Gunga é meu eu não dou a
(coro) Olá o lai ninguém
Quero ver bater, quero ver cair Gunga é meu, gunga é meu
(coro) Olá o lai
AVISA MEU MANO
A PISADA DE LAMPIÃO
Avisa meu mano
Ê, ê, tum, tum, tum Avisa meu mano, (bis)
Olha a pisada de Lampião Capoeira mandou me chamar
(coro) Ê, ê, tum, tum, tum Avisa meu mano,
Lampião desceu a serra Avisa meu mano, (bis)
(coro) Ê, ê, tum, tum, tum Capoeira mandou me chamar
Ele chegou muito danado Capoeira é luta nossa, da era
(coro) Ê, ê, tum, tum, tum colonial
é nasceu foi na Bahia, Angola e
VALHA-ME DEUS Regional
Avisa meu mano, avisa meu mano
Valha-me Deus, Senhor São Bento Avisa meu mano, capoeira mandou
Eu vou cantar meu Barravento me chamar
Valha-me Deus, Senhor São Bento
Buraco velho tem cobra dentro ZUM-ZUM-ZUM
Valha-me Deus, Senhor São Bento
Eu vinha vindo pela estrada Zum, zum, zum, capoeira mata um
Valha-me Deus Senhor São Bento Zum, zum, zum, capoeira mata um
Quando uma cobra apareceu (coro)
Valha-me Deus, Senhor São Bento Zum, zum, zum, capoeira mata um
Eu cantei São Bento Grande Zum, zum, zum, capoeira mata um
Valha-me Deus, Senhor São Bento (coro)
A cobra não me mordeu (Onde tem maribondo).
Valha-me Deus, Senhor São Bento É zum, zum, zum
Eu vou levar meu Barravento (coro)
Valha-me Deus, Senhor São Bento Onde tem marimbondo
É zum, zum, zum)
SALOMÉ (coro)
Salomé Salomé CALA BOCA MENINO
Homem Pequeno é ladrão de
mulher Cala boca menino
Salomé Salomé nje-nje-nje (coro)
Mestre pequeno è ladrão de mulher Menino chorou
nje-nje-nje (coro)
Salomé Salomé (Ô) chora menino

27
nje-nje-nje (coro) A cobra é venenosa
Menino chorou O senhor São Bento
Oi cadê sua mãe O veneno da cobra
O senhor São Bento
CAMUNJÉRÉ Oi a cobra lhe morde
O senhor São Bento
Camunjéré / Como vai como está / Ela vai te pegar
Camunjéré /Como vai de saúde / O senhor São Bento
Camunjéré / Como vai como está/ Ela vai te matar
Camunjéré / Eu vim aqui lhe vê / O senhor São Bento
Camunjéré / Pra mim é um prazer / Oi que cobra danada
Camunjéré O senhor São Bento

A CANOA VIROU MARINHEIRO O PAU ROLOU CAIU

Oi no fundo do mar tem dinheiro O pau rolou caiu


A canoa virou marinheiro(BIS) Se rolou deixa cair
La na mata tem ninguem
BEIRA MAR AUE BEIRA MAR La na mata ninguem viu
Já caiu e ja parou
O riacho que corre pro rio O pau rolou caiu
E o rio que corre pro mar
O mar é morada de peixe TABARÉU QUE VEM DO SERTÃO
Quero ver quem vai pegar, a Brasil
capoeira Tabaréu que vem do sertão
Beira mar aue beira mar Vendo quiabo, maxixe e limão
Ô beira mar â, â, beira mar ele vende quiabo, maxixe e limão
Ô no tempo que tinha dinheiro coro: Tabaréu que vem do sertão
Eu dormia com yaya
Hoje dinheiro se acabou QUE BARULHO É ESSE
Capoeira chega pra lá
Beira mar â, â, beira mar Que barulho é esse é um tal de zum
Ô beira mar â, â, beira mar zum zum
Que barulho é esse é um tal de zum
CHÔ, CHÔ MEU CANÁRIO zum zum
Foi o Manduca da praia que acabou
Chô, Chô meu canário / de matar um
Meu canário é cantador / Foi o Manduca da praia que acabou
Chô, Chô meu canário / de matar um
Meu canário é d'Alemanha / Quando a policia chegou foi um tal
Chô, Chô meu canário de auê auê
Quando a policia chegou foi um tal
ESSA COBRA TE MORDE de auê auê
Vamos embora seu moço que essa
Essa cobra te morde briga é pra
O senhor São Bento vale
Essa cobra lhe morde Vamos embora seu moço que essa
O senhor São Bento briga é pra vale
Essa cobra mordeu
O senhor São Bento A BANANEIRA

28
com coco no dente com coco no
O meu facão passou em baixo / dente.
A bananeira caiu / Eu vi a Cutia com coco no dente,
Mas meu facão passou em cima / Comendo farinha, olhando pra
A bananeira caiu / gente.
Mas meu facão passou no meio / Eu vi a Cutia com coco no dente,
A bananeira caiu / com coco no dente com coco no
O meu facão era de aço / A dente.
bananeira caiu / Cai, cai Cai Eu vi a Cutia com coco no dente,
Bananeira / A bananeira caiu /
Cai cai de qualquer maneira / EU VI A CEGONHA, VOANDO
A bananeira caiu PRA

JOGO DE DENTRO Eu vi a cegonha, voando pra cá


Cuidado menino, ela quer te pegar.
Jogo de dentro, jogo de fora / Eu vi a cegonha, voando pra cá
joga bonito esse jogo é Angola / O voando pra lá e voando, pra cá
Jogo de dentro, jogo de fora.* Eu vi a cegonha, voando pra cá
O cegonha danada, ela quer me
VOU ME EMBORA PRA ANGOLA pegar.
Eu vi a cegonha, voando pra cá
Vou me embora, vou me embora, Cuidado menino, ela quer te pegar.
vou me embora pra Angola, Eu vi a cegonha, voando pra cá
Berimbau ta me chamando, eu não
vou me demorar. SOU ANGOLEIRO E VENHO DE
Vou me embora, vou me embora, ANGOLA
vou me embora pra Angola.
Vou me embora, pra angola, Sou angoleiro e venho de Angola,
pretendo não voltar. Jogo com Deus e com Nossa
Vou me embora, vou me embora, Senhora.
vou me embora pra Angola. Sou angoleiro e venho de Angola,
Berimbau ta me chamando, vou me Venho de angola, de Angola, de
embora pra Angola. Angola.
Vou me embora, vou me embora, Sou angoleiro e venho de Angola,
vou me embora pra Angola. Toco um atabaque, um berimbau e
Somos todos angoleiros, angoleiros uma viola.
de Angola. Sou angoleiro e venho de Angola,
Vou me embora, vou me embora, Jogo com você qualquer hora.
vou me embora Sou angoleiro e venho de Angola

EU VI A CUTIA COM COCO NO VOADOR, VOADOR, O MENINO ?


DENTE VOADOR
Voador, voador,
Eu vi a Cutia com coco no dente,
O menino voador
com coco no dente com coco no
Voador, voador
dente.
E o nosso mestre voador
Eu vi a Cutia com coco no dente,
Voador, voador
Comendo farinha, olhando pra
Esse nego voador.
gente.
Voador, voador
Eu vi a Cutia com coco no dente,
Voador, voador, voador.

29
Camarão e peixe bom
SIM SINHA, SIM SINHO Ingazeira O Ingá
Pra quem sabe temperá
Sim sinha, Sim Sinho, Ingazeira O Ingá
Salve a Bahia de São Salvador. Deu aú e deu rasteira
Sim sinha, Sim Sinho, Ingazeira O Ingá
E Mestre Bimba de São Salvador Deu armada deu ponteira
Sim sinha, Sim Sinho, Ingazeira O Ingá
Tem mulher na capoeira
Ingazeira O Ingá
É DE BAMBA Mais O Inga Ó Inga
Ingazeira O Ingá
É de bamba, é de bamba ê, ê! Eu quero ver você cantar
A capoeira é de bamba. Ingazeira O Ingá
É de bamba, é de bamba ê, ê!
O berimbau também é bamba. TURMA BOA Autor : Mão Branca
É de bamba, é de bamba ê, ê!
A capoeira que é bamba. Que turma e essa, que turma boa
É de bamba, é de bamba ê, ê! Cuidado moço com o balanço da
Mas a Bahia só tem bamba canoa
É de bamba, é de bamba ê, ê! Subi a serra, desci ladeira,
Todo mundo aqui é bamba Vi uma turma que jogava capoeira
É de bamba, é de bamba ê, ê! Que turma e essa, que turma boa
O ______ é de bamba. Cuidado moço com o balanço da
É de bamba, é de bamba ê, ê! canoa
Acordeon que é de bamba Jogou angola e regional
Tocou pandeiro, atabaque e
JOGADOR DE CAPOEIRA berimbau
§
Jogador, Jogador, Jogador de Que turma e essa, que turma boa
Capoeira Cuidado moço com o balanço da
Jogador, Jogador canoa
O menino e jogador Subi a serra, desci ladeira,
Jogador, Jogador Vi uma turma que jogava a noite
Te jogo no chão inteira
Jogador, Jogador Olélé olalá
E te dou uma rasteira Entra na roda quero ver você jogar
Jogador, Jogador Olélé olala
Jogue e não faça besteira Na capoeira quero ver você cantar
Jogador, Jogador Olélé olala
E jogador Entra na roda quero ver você jogar
Jogador, Jogador Olélé olala

INGAZEIRA O INGÁ MENINA CAPOEIRA

O Inga na Ingazeira, Ingazeira o Menina que é capoeira


Ingá Menina que sabe jogar
Ingazeira O Ingá Tua ginga é uma beleza
E uma fruta brasileira Teu sorriso me faz delirar
Ingazeira O Ingá Ê, lê lê e, e lê a e, lê lê

30
Quero ver a menina jogar Capoeira
Ê, lê lê e, e lê a e, lê lê E jogo…
Quero ver a menina jogar Capoeira
Que molejo é esse menina E jogo….
Tu me ensina que eu quero Capoeira é luta nossa
aprender Da éra colonial
Quando for jogar capoeira E nasceu foi na Bahia
Eu não deixo ninguém te bater Angola e Regional
Ê, lê lê e, e lê a e, lê lê Capoeira
Quero ver a menina jogar E jogo…
Ê, lê lê e, e lê a e, lê lê Capoeira
Quero ver a menina jogar E jogo…
O menina preste atenção Tem dia que amanheço
Sua magia não pode faltar Danado da minha vida
Quando morre um capoeira Planto cana descascada
Uma estrela no céu vai brilhar Com três dias esta nascida
Ê, lê lê e, e lê a e, lê lê Capoeira
Quero ver a menina jogar E jogo…
Ê, lê lê e, e lê a e, lê lê Quem vem lá sou eu
Quero ver a menina jogar Quem vem lá sou eu
Entra na roda e balança Berimbau bateu
Faz meu corpo todo vibrar Capoeira sou eu
Quem vem lá sou eu
BEMTIVE JOGOU Quem vem lá sou eu
Berimbau bateu
Bem-tive jogou
Gameleira no chão CAPOEIRA SOU EU
Bem-tive jogou
Gameleira no chão Eu venho de longe
Jogo que eu vi Venho da Bahia
Gameleira no chão Jogo Capoeira
Jogo jogou De noite é de dia
Gameleira no chão Quem vem lá sou eu
Quem vem lá sou eu
CAPOEIRA DE SAO SALVADOR Berimbau bateu
Capoeira sou eu
E meu mano Mais sou eu, sou eu
O que foi que tu viu lá Quem vem lá
Eu vi Capoeira matando O montado a cavalo
Também vi Maculelê Quem..
Capoeira O fumando charuto
E jogo praticado na terra de São Quem…
Salvador Sou eu, sou eu
Capoeira Mas sou eu
E jogo praticado na terra de São Brevenuto
Salvador
E Manoel dos Reis Machado SOU CAPOEIRA
Ele é fenomenal
Ele é o Mestre Bimba Sou capoeira olha eu sei que sou
Criador da Regional Eu vim aqui foi para jogar

31
Faço bonito só porque tenho talento Barauna caiu, quanto mais eu
E solto meus movimentos com a Cuanto mais eu, colego velho
voz no coração
Sou capoeira olha eu sei que sou CORTA CANA
Eu vim aqui foi para jogar
Faço bonito só porque tenho Trabalha negro escravo, corta cana
talento no canavial.
E solto meus movimentos com a O corta cana, corta cana, corta
voz no coração cana, nego velho,
Que amor é esse que trago no corta cana no canavial
coração O corta cana, corta cana, corta
Uma alegria e uma vontade de ficar cana, nego velho,
São Bento Grande, Iuna e Cavalaria corta cana no canavial
Quando toca me arrepia hoje é dia Eu tive pai, eu tive mãe eu tive filha,
de jogar mas perdi toda a família, a
Sou capoeira olha eu sei que sou liberdade e o amor,
Eu vim aqui foi para jogar E hoje em dia eu só tenho dor e
Faço bonito só porque tenho calo, trabalhando no embalo, do
talento chicote do feitor.
E solto meus movimentos com a O corta cana, corta cana, corta
voz no coração cana, nego velho,
E o cantador solta a voz pro povo corta cana no canavial
ouvir Eu já fui Rei, a minha mulher foi
Berimbau viola arma a roda e solta Rainha, pela mata eu ia em dia,
o som livre como animal,
A meia lua é ligeira e corta o vento Mas hoje em dia, sou como um
Capoeira joga dentro como o mestre bicho acuado, trabalhando
me ensinou acorrentado, preso no canavial
Sou capoeira olha eu sei que sou O corta cana, corta cana, corta
Eu vim aqui foi para jogar cana, nego velho,
Faço bonito só porque tenho corta cana no canavial
talento A alma negra nunca foi escravizada,
E solto meus movimentos com a correu menina levada,
voz no coração brincado no céu de lá,
E o capoeira é astuto e é velhaco Roubaram o Sol, roubaram a noite e
É inimigo do perigo e confusão meu dia, só não roubaram a
Mas ele sabe o valor de uma vida poesia que eu trago no meu cantar.
Por isso corre de briga e quer mais O corta cana, corta cana, corta
é vadiar cana, nego velho,
Sou capoeira olha eu sei que sou corta cana no canavial
Eu vim aqui foi para jogar Eu sou guerreiro tenho fé e tenho
Faço bonito só porque tenho crença, porque me firmo na
talento benção, que ganhei do orixás,
E solto meus movimentos com a Sou cana forte, sou membé cana
voz no coração caiana, minha doçura de cana, é
ruim de me derrubar
BARAUNA CAIU O corta cana, corta cana, corta
cana, nego velho,
Barauna caiu, quanto mais eu corta cana no canavial
Quanto mais eu, cuanto mais eu

32
NA BAHIA TEM, VOU MANDAR TOPEI QUERO VER CAIR
BUSCAR
Topei quero ver cair
Nada Bahia tem Topei quero ver cair
Vou mandar buscar Oh ah oh ah ei
Um Berimbau de ouro Machado cego não corta
E ferro de engomar Madeira de jatal
Na Bahia tem, Oh ah oh ah ei
vou mandar buscar Assum preto não é açoite
Um Berimbau de ouro Pardal não é bemtevi
E ferro de engomar Mais o facão bateu em baixo
Na Bahia tem petróleo A bananeira caiu
Tem cacao e tem Dendê Mais o facão bateu em baixo
Mas tambem tem Capoeira A bananeira caiu
Basta tu ir lá pra ver Mais o facão bateu em baixo
Nada Bahia tem Oh ah oh ah ei
Vou mandar buscar
Um Berimbau de ouro SANTO ANTÔNIO É PROTETOR
E ferro de engomar
Santo Antônio é protetor
ONDE VAI CAIMA Da barquinha de Noel
Santo Antônio é protetor
Meu camarada venha ver Protetor da capoeira
A brincadeira nego planta bananeira Santo Antônio é protetor
E joga as pernas pro ar Protetor do berimbau
Já me disseram que essa coisa Santo Antônio é protetor
É brasileira que se chama capoeira Protetor de todos nós
E na bahia eu vou jogar Santo Antônio é protetor
Onde vai caima, caima, caima Cariri boca da areia
Onde vai caima Santo Antônio é protetor
Pra ilha de maré Nazaré Paranaguá
Onde vai caima Santo Antônio é protetor
Vai jogar a capoeira
Onde vai caima A HORA E ESSA
Na lagoa do abaeté
Onde vai caima A hora é essa
Vamos embora, vamos embora A hora é essa
Onde vai caima A hora é essa
Lá da ilha de maré A hora é essa
Berimbau tocou na capoeira
PISA NO MASSAPÉ ESCORREGA Berimbau tocou eu vou jogar
Berimbau tocou na capoeira
Pisa no massapé escorrega Berimbau tocou eu vou jogar
Quem não sabe andar
Pisa no massapé escorrega AI AI AI AI (SÃO BENTO ME
Pisa no massapé escorrega CHARMA)
Pisa no massapé escorrega
Quem não sabe andar Ai ai ai ai
Pisa no massapé escorrega São bento me chama
Ai ai ai ai

33
São bento me quer Assombração aparecia
Ai ai ai ai Cruz-Credo, Ave Maria
Pra jogar capoeira Eu rezava de noite
Ai ai ai ai E rezava de dia
Conforme a razão Cruz-Credo, Ave Maria
Eu rezava e gritava
CUIDADO MOÇO E ninguém respondia

Cuidado moço COBRA VERDE


Que essa fruta tem caroço
Cuidado moço Eu pisei na cobra verde
Que essa fruta tem caroço Cobra verde é um bom sinal
Pela rama que da a arvore É um bom sinal um bom sinal
Sei da fruta que ela da Cobra verde é um bom sinal
Essa fruta tem caroço
Ela pode lhe engasgar
Cuidado moço É DE COURO DE BOI
Que essa fruta tem caroço
Cuidado moço O meu berimbau tem cordão de
Que essa fruta tem caroço ouro (BIS)
Mais vale nossa amizade Ie o meu atabaque
Que dinheiro no meu bolso É de couro de boi
Para quem sabe viver
Essa vida é um colosso FOI NO CLARÃO DA LUA
Cuidado moço
Que essa fruta tem caroço Foi.....
Cuidado moço Foi no clarão da lua
Que essa fruta tem caroço que eu vi acontecer
Ando com o corpo fechado Num vale tudo com jiu-jitsu
E um rosario no pescoço o capoeira vencer., mas foi
Fui criado la na roça Foi.....
Tomando agua de poço Foi no clarão da lua
Cuidado moço que eu vi acontecer
Que essa fruta tem caroço Num vale tudo com jiu-jitsu
Cuidado moço o capoeira vencer
Que essa fruta tem caroço Deu armada, e deu rasteira
Você jogava muito meia lua e a ponteira
No tempo que era moço logo no primeiro round
Já tá ficando velho venceu o capoeira
em baixo do ring
CRUZ-CREDO, AVE MARIA mestre bimba vibrava
tocando seu berimbau
Cruz-Credo, Ave Maria enquanto a gente cantava
Quanto mais eu cantava Foi.....
Ninguém respondia Foi no clarão da lua
Cruz-Credo, Ave Maria que eu vi acontecer
Essa roda é de mudo Num vale tudo com jiu-jitsu
e eu não sabia o capoeira vencer
Cruz-Credo, Ave Maria
Quanto mais eu rezava

34
MACULELÊ MARACATÚ Eu quero ver quebrar
Quebra
Quando meu filho nascer Oia quebra daí
Vou perguntar pra parteira Quebra
O que é que meu filho vai ser Oia quebra de lá
Meu filho vai ser capoeira Quebra
Capoeira capú Vou quebrar tudo hoje
Maculelé, maracatu Quebra
Não é karaté nem também kung-fu Amanhã quem que quebra
Maculelé, maracatu Quebra
Fui na bahia comer carurú+ Oia quebra Gereba
Maculelé, maracatu Quebra
Vim comer caru e não como angu
Maculelé, maracatu VINHA DA BAHIA PRA LHE VER

OLHA POMBA VOÔU Vinha da Bahia pra lhe ver, vinha


da da Bahia pra lhe ver
Olha Pomba voôu, pomba voôu. Vim da da Bahia pra lhe ver, pra
A Pomba voôu, gavião* pegou lhe ver pra lhe ver, pra lhe ver,
Pomba voôu, pomba voôu pra
Pomba voôu, gavião* pegou lhe ver
Coro
Onça Morreu Tava la no alto da Ribeira
a onça morreu, o mato é meu! Na Bahia que è terra de muito axê
O mato é meu, o mato é meu Minha mae è uma grande lavadeira
a onça morreu, o mato é meu! O meu pai nos appendera na
O mato é meu, o mato é meu colheita
do cafè
PISA CABOCLO Coro
Minha jangada~ vem pro Rio de
Pisa caboclo quero ver você pisar janeiro
Pisa lá que eu piso cá Vem ate Salome e São Tropè
Quero ver você pisar Vem que eu so um bom jangadeiro
Pisa caboclo quero ver você pisar Tambem so um capoeira vim aqui
Na batido do meu gunga so
Quero ver você pisar pra lhe ver
Pisa caboclo quero ver você pisar Coro
Pisa lá que eu piso cá Chegar ao Rio de Janeiro
Quero ver você pisar Terra com clima genial
Pisa caboclo quero ver você pisar Trouxe de lembrança pra você um
Na batido do meu gunga atabaque
Quero ver você pisar Um pandeiro e tambem trouxe um
Pisa caboclo quero ver você pisar Berimbau

QUEBRA GEREBA BAHIA QUE TEM DENDÊ

Oia quebra, Gereba Bahia que tem dendê


Quebra Bahia misteriosa, terra do maculelê
Oia quebra, oia quebra Bahia que tem dendê
Quebra Bahia de Santo Amaro

35
de Pastinha e Aberrê
Bahia que tem dendê BOA NOITE
Bahia, velha Bahia
não posso te esquecer Boa noite
pra quem é de boa noite
MACULÊLÊ MARACATU I Bom dia pra quem é de bom dia
A benção meu papai a benção
Capoeira capu -Maculele maracatu Maculêlê éo rei da valentia
Mais não e karatê nem também Boa noite
kung-fu pra quem é de boa noite
Maculêlê maracatu Bom dia pra quem é de bom dia
Mais eu fui na Bahia comer caruru A benção meu papai a benção
Maculêlê maracatu Maculêlê éo rei da valentia
Eee...vim comer caruru e não comer
angu TINDOLELÊ AUÊ CAUIZA
Maculele maracatu
Tindolelê auê Cauiza
Oi meu filho quando nascer Tindolelê È sangue real
Eu vou perguntar pra parteira Meu pai È filho
O que e que o meu filho vai ser eu sou nego de Aruanda
O meu filho vai ser capoeira, Tindolelê auê Cauiza
capoeira capu Tindolelê auê Cauiza
Maculêlê maracatu Tindolelê È sangue real
Meu pai È filho
Eu toquei berimbau berimbau de eu sou nego de Aruanda
bambu Tindolelê auê Cauiza
Maculêlê maracatu Cauiza, de onde È que veio
Eu vim de Angola ê
O BEIRA MAR Maculelê, de onde È que veio
Eu vim de Angola ê
Ooo...beira mar aue beira mar E o atabaque, d
Ooo...beira mar aue beira mar e onde È que veio
(bis) Eu vim de Angola ê
Ooo...e um riacho que corre no rio E o agogô, de onde È que veio
E um rio que corre no mar Eu vim de Angola ê
O mar e morada de peixe
Eu quero ver quem vai jogar na DONO DA CASA
cordão de ouro
Ô Sinhô, dono da casa,
O i beira mar... nós viemo aqui lhe vê,
Viemo lhe perguntá,
Eee...minha mãe chama Maria O como passa vosmicê
meu pai chama José Ô Sinhô, dono da casa,
Beijei santa Maria nós viemo aqui lhe vê,
Minha mãe não sei quem e não Viemo lhe perguntá,
quero saber como passa vosmicê
E como é seu nome?
É maculelê
MACULELÊ E de onde veio?
É maculelê

36
Lá de Santo Amaro que a batalha começo
É maculelê é a guerra dos Palmares
vamos luta meu sinhô
SOU DE ANGOLA
VOCÊ BEBEU JUREMA
E na hora e, e, e
E na hora a, a, a Você bebeu Jurema
E na hora e, e, e Você se embriagou
Sou de Angola Com a fulo do mesmo pau,
E na hora e, e, e Vosmicê se levanto
E na hora a, a, a Você bebeu Jurema
E na hora e, e, e Você se embriagou
Sou de Angola Com a fulô do mesmo pau,
Vosmicê se levanto
SOU EU MACULÊLÊ
MACULELÊ JUROU VINGANÇA
Sou eu, sou eu
Sou eu, Maculêlê, sou eu Maculelê jurou vingança,
Sou eu, sou eu E diz que a dança que ele dança é
Sou eu, Maculêlê, sou eu mortal
E VIM NA HORA Ê Maculelê é já folclore
E já foi luta no canavial
E vim na hora ê, E vim na hora á Olêlê Maculelê,
E vim na hora ê, sou de Angola Vamos vadiar
E vim na hora ê, E vim na hora á Olêlê Maculelê,
E vim na hora ê, sou de Angola Lá no canavial
E vim na hora ê, E vim na hora á
E vim na hora ê, dá licença pra eu NEGROS DA CATANGA DE
passar ARUANDA
E vim na hora ê, E vim na hora á
E vim na hora ê, sou de Angola Nós somos negros da catanga de
Aruanda
CLAREAR DA LUA À conceição viemos louvar
Arundaeee, aruandaeeea
Eu vim pela mata eu vinha Nós somos negros da catanga de
Eu vim pela mata escura Aruanda
Eu vi seu Maculelê À conceição viemos louvar
No clarear, no clarear da lua Arundaeee, arundaeeea
Eu vim pela mata eu vinha
Eu vim pela mata escura MACULELÊ ELE É VALENTE É
Eu vi seu Maculelê GUERREIRO
No clarear, no clarear da lua
Maculelê ele é valente é guerreiro
CORRE PRO MATO Maculelê ele é valente é guerreiro
Veio das matas pra brincar neste
Corre pro mato terreiro
que a batalha começo Veio das matas pra brincar neste
é a guerra dos Palmares terreiro
vamos luta meu sinhô É dança de nego velho, no tempo
Corre pro mato de cativeiro

37
É dança de nego velho, no tempo Sou eu Maculelê, sou eu
de cativeiro Quem pode mais é Deus
É dança tão no oscuro, oculum de Jesus Maria José
candeeiro Sou eu, sou eu
É dança tão no oscuro, oculum de Sou eu Maculelê, sou eu
candeeiro
BOA NOITE PRA QUEM É DE
MACULELÊ BOA NOITE

Sou eu, sou eu, sou eu maculelê, Ô, boa noite pra quem é de boa
sou eu noite
Sou eu, sou eu, sou eu maculelê, Ô, bom dia pra quem é de bom dia
sou eu A benção meu papai, a benção
Maculelê é valente e é guerreiro Maculelê é o rei da valentia
Maculelê é valente e é guerreiro Ô, boa noite pra quem é de boa
E luta do nego velho o do tempo do noite
cativeiro Ô, bom dia pra quem é de bom dia
E luta do nego velho o do tempo do A benção meu papai, a benção
cativeiro Maculelê é o rei da valentia
a laça laça laçador, quero ver você Tindolaê, laê, laê
laçar Tindolaê, é sangue real
a laça laça laçador, quero ver você Eu sou filho, eu sou neto de
laçar Aruanda
Dou boa noite… Tindolaê, laê, laê
Dou boa noite pra quem é de boa Meu mestre de onde é que veio
noite Eu vim de Angola, ê
Dou bom dia pra quem é de bom dia Paraná de onde é que veio
A benção a meu papai, a benção Eu vim de Angola, ê
Maculelê é o rei da valentia Maculelê de onde é que veio
Dou boa noite pra quem é de boa Eu vim de Angola, ê
noite
Dou bom dia pra quem é de bom dia TUMBA É CABOCO
A benção a meu papai, a benção
Maculelê é o rei da valentia Tumba é caboco
Minaoraê sou de angola Tumba lá e cá
Minaoraê sou de angola Tumba é guerreiro
Minaoraê minaora Tumba lá e cá
Minaoraê sou de angola. Tumba é caboco
Tumba lá e cá
MACULELÊ SOU EU É caboco ligeiro
Tumba lá e cá
Sou eu, sou eu
Sou eu Maculelê, sou eu Eu disse camarada que eu vinha
Nós é caboco do Mato Grosso
Somos sucena da mata real Eu disse camarada
Sou eu, sou eu Que eu vinha
Sou eu Maculelê, sou eu Na sua aldeia camarada
Quem vem de longe faz a força Eu vinha
Faz a força pra curar Eu disse camarada
Sou eu, sou eu Que eu vinha

38
Na sua aldeia camarada
Eu vinha

CABANA DE GUERREIRO

Certo dia na cabana um guerreiro


Certo dia na cabana um guerreiro
Foi atacado por uma tribo pra valê
Pegou dois paus, saiu de salto
mortal
E gritou pula menino, que eu sou
Maculelê
Certo dia na cabana um guerreiro
Certo dia na cabana um guerreiro
Foi atacado por uma tribo pra valê
Pegou dois paus, saiu de salto
mortal
E gritou pula menino, que eu sou
Maculelê
Ê pula lá que eu pulo cá
Que eu sou Maculelê
Ê pula lá que eu quero vê
Que eu sou Maculelê
Ê pula eu pula você
Que eu sou Maculelê
Ê pula lá que eu quero vê
Que eu sou Maculelê.

39

Interesses relacionados