Você está na página 1de 3

27. Vunesp

O triângulo PQR, no plano cartesiano, de vértices P = (0, 0), Q = (6, 0) e R = (3, 5), é:

a) equilátero

.

b) isósceles, mas não eqüilátero

. c) escaleno. d) retângulo. e) obtusângulo.

28.

Reconheça a natureza do triângulo com vértices: A (2, 1), B (3, 4) e C (1, 6).

Obtusângulo

30.

Calcule o co-seno do menor ângulo do triângulo com vértices A (0, 3), B (3, 0) e C (4, 0). cosC28/35

31.

Determine o ponto do eixo das abscissas que é eqüidistante de A (2, 0) e B (0, 4). (3, 0)

32.

Determineospontosda bissetriz dos quadrantes ímpares que distam 34 unidades do ponto A (2, 0). (5, 5) e (3, 3)

33.

Determine o ponto da bissetriz dos quadrantes pares que distam 25 unidades do ponto A (1, 1). (3, 3) e (3, 3)

61. UCMG

Se os três pontos A (1/2, t), B (2/3, 0) e C (1, 6) são colineares, então o valor de t é igual a:

a) 1/2

b) 1/3

c) 3/2

d) 3/5
d) 3/5

e) 5/6

44. UFRJ

Sejam M1 = (1, 2), M2 = (3, 4) e M3 = (1, 1) os pontos médios dos lados de um triângulo. Determine as coordenadas

dos vértices desse triângulo. A (1, 3); B (3, 7); C (3, 1)

42. PUC-RJ

Sejam os pontos A = (a, 1) e B = (0, a). Sabendo que o ponto médio do segmento AB pertence à reta x + y = 7, calcule

o valor de a. a=13/2

49. Cesgranrio-RJ

A área do triângulo cujos vértices são (1, 2), (3, 4) e (4, 1) é igual a:

a) 6 b) 8 12 50. UFAM
a)
6
b) 8
12
50.
UFAM

c) 9

d) 10

e) 12

O triângulo ABC, de vértices A (1, 2), B (1, 2) e C (1, m), tem área igual a 10, então m é:

a) 8 ou 12

b) 8 ou –12
b) 8 ou –12

c) ou 10

d) 6 ou 10

e) 6 ou 10

51. PUC-RS

Determine o ponto do eixo das ordenadas que forma com A (1, 0) e B (5, 0) um triângulo de área igual a 16. C (0, 8) ou C (0, 8)

52. FAAP-SP

Determine um ponto de abscissa 5 que forma comA (0, 0) e B (6, 2) um triângulo de área igual a 10. 52. (5, 5) e (5,-5/3)

54. FGV-SP

No plano cartesiano, os vértices de um triângulo são A (5, 2), B (1, 3) e C (8, 4).

a) Calcule a área do triângulo ABC. a) 21/2

b) Obtenha a medida da altura do triângulo que passa por A.3√2/2

58. PUC-SP

Os pontos A (k, 0), B (1, 2) e C (3, 2) são vértices de um triângulo. Então, necessariamente:

a) k = 1

b) k = – 2

c) k = 2

d) k ≠ – 2

e) k ≠ 2
e) k ≠ 2

59.

Se o ponto (q, 4) pertence à reta que passa pelos pontos (0,6) e (6,0), determine q.q = 10

60. Mackenzie-SP

Se os pontos (2, 3), (4, 3) e (5, k/2) estão numa mesma reta, então k é igual a:

a) 12

d) 18

b) 6

e) 12
e)
12

c) 6

61. UCMG

Se os três pontos A (1/2, t), B (2/3, 0) e C (1, 6) são colineares, então o valor de t é igual a:

a) ½

b) 1/3

c) 3/2

d) 3/5
d) 3/5

e) 5/6

64.

Um quadrilátero tem vértices (1, 2), (4, 3), (1, 3) e (0, 2). Determine a área desse quadrilátero. 15

82. FGV-SP

Determine as coordenadas do ponto (x, y), eqüidistante dos pontos (0, 0), (3, 2) e (2, 5).(7/22,61/22)

83. PUC-RJ

As retas dadas pelas equações x + 3y = 3 e 2x + y = 1 interceptam-se:

a) em dois pontos.

e) no ponto (2, 0).

b) em um ponto da reta x = 0

.

c) em um ponto da reta y = 0. d) no ponto (3, 0).

97. FGV-SP

A declividade do segmento de reta que passa pelos pontos A (0,3) e B (3,0) é:

a) + 1 d) 3 b) – 1 160. UERGS-RS
a) + 1
d) 3
b) – 1
160. UERGS-RS

e) 1/3

c) 0

As retas s: x + ay = 3 e t: 4x 2y + 5 = 0 são paralelas, então o valor de a é:

a) 2

d) 0,2

b) 1,5

e) 0,5

c) 0,5

161.

As retas r: 3x y + 5 = 0 e s: kx + 2y 7 = 0 são concorrentes se:

a) k ≠ 2/3

d) k ≠ 4

b) k ≠ – 6
b) k ≠ – 6

e) k ≠ – 2

c) k ≠ 0

201.

Determine a equação reduzida de circunferência (x + 2)2 + (y 1)2 = 8

202.

de

centro C (

2,

1)

e

que passa pelo

ponto P

(0,

3).

Determine a equação reduzida da circunferência com diâmetro com extremidades A (3, 3) e B (5, 1). (x + 1)2 + (y 1) = 20

217. Uespi

A equação da circunferência de centro C (2, 1) e raio 5 é:

a) x2 + y2 4x + 2y = 0b) x2 + y2 + 4x 2y + 5

e) x2 + y2 + 4x 2y = 0

= 0c) x2 + y2 +

4x 2y = 5

d) x2 + y2 + 2x +

4y = 0

236. Calcule a distância do ponto (2, 3) ao eixo das ordenadas. 2

237. Calcule a distância do ponto P(2, 0) à reta(r) 2x + 3y 5 = 0.√13/13

238. UEPI A distância entre o ponto P (2,1) e a reta r de equação: 6x 8y + 16 = 0 tem o valor de:

a)

1

d) 32

b) 2
b)
2

e) 52

c) 22

240.

UFPE

No sistema cartesiano de eixos, a distância do ponto (5, 3) à reta que passa pelos pontos de coordenadas (0, 4) e (3,

0) é igual a:

a)

235

d) 115

b) 175
b) 175

e) 95

c) 135

243.

Fecap-SP

Considere os pontos A (1, 2), B (7, 4) e C (4, 2). A altura baixada do vértice A sobre o lado é (em unidades de

comprimento):

a) 2117

b) 2117

c) 4241

d) 4241

e) 1455
e) 1455

244. PUC-RS

O raio da circunferência centrada na origem que tangencia a reta de equação y = x 1 é:

a) 1 d) √2/2 246. Cefet-PR
a) 1
d) √2/2
246. Cefet-PR

b) 1/2

e) √2−1

c) √2

A

equação da circunferência com centro no pontoC (2, 3) e tangente à reta de equação 3x + 4y + 7 = 0 é:

a)

x2 + y2 2x + 3y 6 = 0

b) x2 + y2 + 2x 3y + 6 = 0

c) x2 + y2 + 4x 6y + 12 = 0

d) x2 + y2 4x 6y 12 = 0

e)

x2 + y2 4x + 6y + 12 = 0

247. UFOP-MG

A

equação da circunferência de centro P (3, 1) e tangente à reta r: 3x + 4y + 7 = 0, é:

 

a)

x2 + y2 + 6x 2y 6 = 0

b) x2 + y2 6x 2y 6 = 0

c) x2 + y2 + 6x + 2y + 6 = 0

d) x2 + y2 + 2y 6x 6 = 0

e)

x2 + y2 6x 2y + 6 = 0

248. FGV-SP

No plano cartesiano, existem dois valores de m de modo que a distância do ponto P (m, 1) à reta de equação 3x + 4y + 4 = 0 seja 6. A soma destes valores é:

a) – 16/3
a)
– 16/3

d) 19/3

b) 17/3

e) 20/3

c) 18/3

249. Acafe-SC

A reta

3x

circunferência, em unidades de comprimento, é:

a) 3π

+

4y

d) 2π

5 = 0 é tangente à circunferência de equação (x

b) 9π

e) π

c) 6π
c) 6π

42)

+

(y 2)2 = r2. O comprimento desta

250. FGV-SP

A reta de equação y = x + 1 determina, na circunferência de equação x2 + y2 = 13, uma corda de comprimento:

a) 42

d) 72

x 2 + y 2 = 13, uma corda de comprimento: a) 42 d) 72 e)

e) 82

c) 62

y 2 = 13, uma corda de comprimento: a) 42 d) 72 e) 82 c) 62

a

258.

A equação da reta paralela a (s) x + y 7 = 0 e tangente à circunferência de centro na origem e raio 5 pode ser:

a) x + y + 4 = 0

b) x + y + 3 = 0

c)

x + y – 5 √2= 0

d) x + y 5 = 0

e) x + y + 10 √2= 0

268. UGF-RJ

Qual deve ser o valor de k de modo que o ponto P (1, 0) pertença ao interior da circunferência cuja equação é x2 + y2

2x 2y k = 0?

a) k = 2

d) k > 3

b) k > –1
b) k > –1

e) k = 5

c) k < 1

272. FEI-SP

A reta x + y = √2 em relação à circunferência x2 + y2 = 1, é:

a) secante sem possuir o centro.

b) secante passando pelo centro.

c) tangente .
c) tangente
.

d) exterior.

274. FURG-RS

Qual o valor da constante a para que a reta x + y = a seja tangente à circunferência x2 + y2 = 1 em algum ponto do primeiro quadrante?

a) a = 2

d) a = 1

b) a = – √2

e) a = √2
e) a = √2

c) a = 1

284. PUCCamp-SP

São dadas a reta r, de equação , e a circunferência λ, de equação x2 + y2 – 4x = 0. O centro de λ e as intersecções de r

e λ determinam um triângulo cuja área é:

a)√3

d)6

b) 3

e) 3√3

c)2√3

267.O ponto(2,1) , em relação à circunferência 4x2 + 4y2 = 9, é:

a) externo .
a)
externo
.

c) pertencente.

b) interno.

d) centro.

287. Ibmec-SP A equação x2 + y2 10x 6y + m = 0 representa uma circunferência tangente ao eixo das abscissas

(“eixo x”).Pede-se:

a) o valor de m; m = 25

b) as equações das retas que passam pelo ponto(0, 3) e são tangentes a esta circunferência

290. Uma equação da reta tangente à circunferência (λ) x2 + y2 2x + 6y 7 = 0 que passa pelo pontoP (2, 1) é:

a) 4x y 7 = 0

b) 4x y = 0

c) x 4y 6 = 0

d) x + 4y 6 = 0

e) x + 2y 4 = 0

293. UFAMAs circunferências de equação x2 + y2 4x + 8y 16 = 0 e x2 + y2 16x 8y + 64 = 0 são:

a)

secantes.

b) tangentes externas

.

c) tangentes internas.

d) exteriores, sem ponto comum.

e)

interiores, sem ponto comum.

 

294. Cesgranrio-RJ As circunferências x2 + y2 + 8x + 6y = 0 e x2 + y2 16x 12y = 0 são:

a) exteriores.

b) secantes.

c) tangentes internamente.

d) tangentes externamente

. e) concêntricas.

295. UFPA Os círculos x2 + y2 2x = 0 e x2 + y2 + 4x = 0 são:

a) tangentes externos

.b) concêntricos.

c) secantes

.d) coincidentes.

e) tangentes internos.

296. PUCCamp-SP Considere as circunferências λ1: x2 + y2 8x 4y + 15 = 0 λ2: x2 + y2 + 4x + 2y 75 = 0

Concluímos que:

a)

λ1 e λ2 possuem 2 pontos de intersecção (ou seja, são secantes).

b) λ1 e λ2 se tangenciam internamente

.

c)

λ1 e λ2 se tangenciam externamente.

d) λ1 e λ2 são disjuntas e externas.

e) λ1 e λ2 são disjuntas e internas.