Você está na página 1de 22
2
2
2
Copyright © 2008 Garmin Ltd. ou suas subsidiárias. Todos os direitos reservados. Est e manual

Copyright © 2008 Garmin Ltd. ou suas subsidiárias. Todos os direitos reservados.

Est e manual reflet e a operação do Soft ware do Sist ema versões 0743 ou post eriores para a aeronave Embraer Phenom 100. Podem ser observadas algumas diferenças na operação ao comparar as informações neste manual com versões de software anteriores ou posteriores.

Garmin International, Inc., 1200 East 151st Street, Olathe, Kansas 66062, U.S.A.

Tel: 913/397.8200

Fax: 913/397.8282

Garmin AT, Inc., 2345 Turner Road SE, Salem, OR 97302, U.S.A.

Tel: 503/391.3411

Fax 503/364.2138

Garmin (Europe) Ltd., Unit 5, The Quadrangle, Abbey Park Industrial Estate, Romsey, Hampshire S051 9DL, U.K.

Tel: 44/0870.8501241

Fax: 44/0870.8501251

Garmin Corporation, No. 68, Jangshu 2nd Road, Shijr, Taipei County, Taiwan

Tel: 886/02.2642.9199

Fax: 886/02.2642.9099

Endereço do Web Site: www.garmin.com

Exceto quando expressamente aqui informado, nenhuma parte deste manual pode ser reproduzida, copiada, t ransmit ida, revelada, descarregada ou armazenada em qualquer t ipo de memória, para qualquer finalidade sem a expressa permissão por escrito da Garmin. Pelo presente, a Garmin dá permissão para download de uma única cópia deste manual e de quaisquer revisões dest e manual em um disco rígido ou out ra mídia de memória elet rônica para ser visualizado para uso pessoal, contanto que t al cópia elet rônica ou impressa dest e manual ou revisão contenha o texto completo deste aviso de copyright e qualquer distribuição comercial não autorizada deste manual ou de qualquer revisão é estritamente proibida.

Garmin® é uma marca comercial registrada da Garmin Ltd. ou de suas subsidiárias. FliteCharts® e SafeTaxi® são marcas comerciais da Garmin Lt d. ou de suas subsidiárias. Essas marcas registradas não podem ser usadas sem a expressa permissão da Garmin.

Bendix/King® e Honeywell® são marcas comerciais regist radas da Honeywell Int ernat ional, Inc. Becker® é marca comercial regist rada da Flugfunkwerk GmbH; NavData® é uma marca registrada da Jeppesen, Inc.; XM® é uma marca comercial registrada da XM Satellite Radio, Inc.

Discussão

O avião Embraer modelo EMB-500 VLJ é um monoplano de asa baixa, predominantemente em

metal, com empenagem em “ T” e trem de pouso tipo triciclo retrátil. A configuração de interior básica disponibiliza acomodação para dois pilotos e para até quatro passageiros na área da cabine principal. A propulsão do modelo EMB-500 VLJ é proporcionada por dois motores

kN (1.600 lbf) de

empuxo cada um. Os motores serão montados nos pilones da fuselagem da aeronave. Dois FADEC (Full Authority Digital Engine Control) redundantes controlarão cada motor. O peso máximo de decolagem é de 4.750 kg (10.472 lb). A velocidade limit e máxima em operação (VMO/ MMO) para o modelo EMB-500 VLJ é de 275 KIAS/ M 0.70 e a alt it ude máxima é de 12.500 m (41.000 pés).

turbofan Prat t & Whit ney Canada PW&C 617F/ 1 com aproximadament e 7,1

ADVERTÊNCIA: A navegação e a separação de t erreno NÃO devem ser baseadas no uso

ADVERTÊNCIA: A navegação e a separação de t erreno NÃO devem ser baseadas no uso da função t erreno.

recurso de Proximidade do Solo NÃO deve ser ut ilizado como referência principal para evitar colisão

com o solo e não isenta o piloto da responsabilidade de tomar conhecimento das redondezas durante o vôo. Essa característica só deve ser utilizada como um auxílio para evitar aproximação com o solo e não é homologado para uso em aplicações que necessit am de um sist ema cert ificado de reconheciment o de t erreno. Os dados do t erreno são obt idos de font es de t erceiros. A Garmin não é capaz de verificar, com independência, a precisão dos dados do terreno.ut ilizado como referência principal para evitar colisão O ADVERTÊNCIA: As alt it udes mínimas de

O

ADVERTÊNCIA: As alt it udes mínimas de segurança (MSA) são apenas para consult a e não As alt it udes mínimas de segurança (MSA) são apenas para consult a e não devem ser confiadas como a única fonte de informações de obstáculo e prevenção de colisão com o solo. Sempre consulte as cartas aeronáuticas atuais para obter as altitudes mínimas apropriadas livres de obstáculos.

ADVERTÊNCIA: A alt it ude calculada pelo recept or de GPS é a alt ura geomét A alt it ude calculada pelo recept or de GPS é a alt ura geomét rica acima do Nível Médio do Mar e pode variar significativamente da altitude exibida pelos altímetros barométricos, como por exemplo, o Computador de Dados Aéreos GDC 74B ou outros altímetros na aeronave. A altitude GPS nunca deve ser usada para navegação vertical. Sempre use a altitude barométrica exibida pelo PFD ou outro altímetros barométricos na aeronave.

ADVERTÊNCIA: A base de dados usada no sist ema deve ser at ualizada regularment e a A base de dados usada no sist ema deve ser at ualizada regularment e a fim de garant ir que suas informações permaneçam atualizadas. As atualizações são liberadas a cada 28 dias. Os pilotos que utilizam uma base de dados desatualizada fazem isso inteiramente por seu próprio risco.

ADVERTÊNCIA: O mapa básico (dados de t erra e água) não deve ser usado para navegação, O mapa básico (dados de t erra e água) não deve ser usado para navegação, e sim apenas para conheciment o sit uacional não relacionado à navegação. Todas as indicações do mapa básico devem ser comparadas com as outras fontes de navegação.

ADVERTÊNCIA: As informações de t ráfego most radas no Monit or de Função Múlt ipla são As informações de t ráfego most radas no Monit or de Função Múlt ipla são fornecidas como auxílio para o tráfego visual. Os pilotos devem manobrar a aeronave com base apenas nas orientações do Controle de Tráfego Aéreo (ATC) ou aquisição visual positiva do tráfego conflitante.

ent rada em sit uações climát icas perigosas é

proibido. As informações do t empo fornecidas pelo GDL 69 são aprovadas apenas para se evit ar a tempestade, não para entrar nela.ent rada em sit uações climát icas perigosas é ADVERTÊNCIA: O uso da Int erface GDL

ADVERTÊNCIA: O uso da Int erface GDL 69 Weat her para a

ADVERTÊNCIA: Os dados met eorológicos do NEXRAD devem ser usados apenas para fins de planej ament Os dados met eorológicos do NEXRAD devem ser usados apenas para fins de planej ament o

longo prazo. Devido aos retardos inerentes na transmissão de dados e na idade relativa dos dados, os dados meteorológicos do NEXRAD não devem ser usados para se evitar a tempestade passageira.

a

ADVERTÊNCIA: O Prodigy™IFD, inst alado na aeronave Embraer Phenom 100, t em um grau bast ant O Prodigy™IFD, inst alado na aeronave Embraer Phenom 100, t em um grau bast ant e alt o de int egridade f uncional. Ent ret ant o, o pilot o deve reconhecer que fornecer capacidade de monit orament o e/ ou auto-t est e para t odas as falhas de sist ema concebidas não é prát ico. Apesar de ser improvável, pode ser possível que uma operação incorret a ocorra sem uma indicação de falha mostrada no sistema. É, portanto, responsabilidade do piloto detectar tal ocorrência por meio de verificação cruzada com todas as informações redundantes ou correlacionadas disponíveis na cabine.

ADVERTÊNCIA: Por razões de segurança, os procedimentos operacionais devem ser aprendidos no solo. Por razões de segurança, os procedimentos operacionais devem ser aprendidos no solo.

ADVERTÊNCIA: O governo dos Est ados Unidos opera o Sist ema de Posicionament o Global e O governo dos Est ados Unidos opera o Sist ema de Posicionament o Global e é o único responsável por sua precisão e manutenção. O sistema GPS está sujeito a alterações que podem afetar a precisão e o desempenho de t odos os equipament os GPS. Part es do sistema ut ilizam o GPS como Auxílio de Navegação elet rônico de precisão (NAVAID – NAVigat ion AID). Port ant o, como acont ece com t odos os NAVAIDs, as informações apresent adas pelo sistema podem ser mal ut ilizadas ou mal int erpret adas e, portanto, se tornam não seguras.

ADVERTÊNCIA: Para reduzir o risco de operação sem segurança, analise e ent enda cuidadosament e t Para reduzir o risco de operação sem segurança, analise e ent enda cuidadosament e t odos

os aspect os do Prodigy™

e sua document ação no manual de vôo da aeronave Embraer Phenom 100.

Pratique completamente a operação básica antes de passar para o uso real. Durant e as operações de vôo, compare cuidadosament e as indicações do sistema com t odas as font es de navegação disponíveis, inclusive as informações provenientes de outros NAVAIDs, visualizações, cartas, etc. Por motivos de segurança, sempre esclareça todas as discrepâncias antes de continuar a navegação.

ADVERTÊNCIA: As ilustrações neste guia são apenas exemplos. Nunca use o sistema para tentar entrar
ADVERTÊNCIA: As ilustrações neste guia são apenas exemplos. Nunca use o sistema para tentar entrar

ADVERTÊNCIA: As ilustrações neste guia são apenas exemplos. Nunca use o sistema para tentar entrar em

uma tempestade. Tant o a FAA Advisory Circular, Subj ect : Thunderst orms, como o Airman’ s Informat ion Manual (AIM) recomendam ficar a “pelo menos 20 milhas de qualquer tempestade identificada como grave

 

ou

dar um intenso eco de radar”.

 
ADVERTÊNCIA: Algumas lâmpadas dent ro da aeronave podem cont er mercúrio (HG) e deve ser

ADVERTÊNCIA: Algumas lâmpadas dent ro da aeronave podem cont er mercúrio (HG) e deve ser reciclado

ou

pode dispor de acordo com habitante, estado ou leis federais. Para mais informação, recorra a nosso

 
ADVERTÊNCIA: Por causa de anomalias no campo magnét ico da t erra, operando o sist

ADVERTÊNCIA: Por causa de anomalias no

campo magnét ico da t erra, operando o sist ema

dent ro das

seguintes áreas pode result ar em perda de at it ude segura e indicações falsas. Nort e a 70ºN e a sul em 70°S. Uma área ao nort e em 65° N ent re a longit ude 75ºW e 120ºW. Uma área sul de 55° lat it ude de Sul entre longitude 120º Leste e 165º Leste.

CUIDADO: Os monit ores do GDU 1040 PFD/ MFD usam uma lent e com um

CUIDADO: Os monit ores do GDU 1040 PFD/ MFD usam uma lent e com um revest iment o

especial ant i-

reflexo que é muito sensível à oleosidade da pele, ceras e produtos de limpeza abrasivos. PRODUTOS DE LIMPEZA CONTENDO AMÔNIA DANIFICARÃO O REVESTIMENTO ANTI-REFLEXO. É muit o import ant e limpar as lentes com um pano de algodão limpo e sem fiapos e um produt o de limpeza de lent es de óculos especificado como seguro para revestimentos anti-reflexos.

CUIDADO: O sistema não cont ém peças que possam ser reparadas pelo usuário. Os reparos

CUIDADO: O sistema não cont ém peças que possam ser reparadas pelo usuário. Os reparos só devem ser feitos por um centro de serviços autorizado da Garmin. Reparos ou modificações não autorizados podem anular a garant ia e a aut oridade do pilot o em operar est e disposit ivo segundo os regulament os da FAA/FCC.

NOTA: Todas as represent ações visuais cont idas nest e document o, inclusive as imagens

NOTA: Todas as represent ações visuais cont idas nest e document o, inclusive as imagens de t ela do painel

e

monitores,

est ão

suj eit as a

alt erações e

podem

não

reflet ir

o

sist ema

mais at ualizado.

As

representações de equipamentos podem diferir levemente do equipamento real.

NOTA: Est e disposit ivo est á de acordo com a part e 15 das

NOTA: Est e disposit ivo est á de acordo com a part e 15 das Regras da FCC. A operação est á suj eit a às duas seguintes condições: (1) este dispositivo pode não causar interferência prejudicial e (2) este dispositivo deve aceitar qualquer interferência recebida, inclusive a interferência que pode causar operação indesejada.

NOTA: Est e produt o, ao ser embalado para o t ransport e, seus component

NOTA: Est e produt o, ao ser embalado para o t ransport e, seus component es cont êm subst âncias químicas conhecidas no est ado da Califórnia e podem causar câncer, defeit o de nasciment o ou dano no aparelho reprodutor. Est a not ificação est á sendo provida conforme a Proposição 65 da Califórnia. Se você t em qualquer pergunta ou gostaria de mais informação adicional, recorra em www.garmin.com/prop65 .

NOTA: Int erferência de repet idores de GPS que operam dent ro ou pert o

NOTA: Int erferência de repet idores de GPS que operam dent ro ou pert o de hangares pode causar uma perda int ermit ent e de at it ude e de proa quando a aeronave est iver no chão. Mover a aeronave para uma distância acima de 100 jardas de fonte de interferência deve aliviar esta interferência.

NOTA: O uso de olho polarizado pode causar o vôo exibe para parecer escuro ou

NOTA: O uso de olho polarizado pode causar o vôo exibe para parecer escuro ou espaço em branco.

 
  REGISTRO DAS REVISÕES   Número do Artigo Revisão Data Páginas Afetadas Descrição
 

REGISTRO DAS REVISÕES

 

Número do Artigo

Revisão

Data

Páginas Afetadas

Descrição

190-00728-00

A

Julho de 2008

 

Liberação da Produção

CERTIFICAÇÃO DE HOMOLOGAÇÃO DO EMB-500 (Categoria Normal) MOTOR COMBUSTÍVEL LIMITES DE MOTOR Dois motores Turbofan

CERTIFICAÇÃO DE HOMOLOGAÇÃO DO EMB-500 (Categoria Normal)

MOTOR

COMBUSTÍVEL

LIMITES DE MOTOR

Dois motores Turbofan Pratt & Whitney Canada PW617F-E (Especificação de Tipo Nº EM-2008T08)

Especificação brasileira CNP08-QAV-1 Especificação ASTM-D1655, tipo Jet A, Jet A-1 Especificação MIL-T-83133, tipo JP-8

Tração estática, dia padrão, nível do mar:

Decolagem (ATR) (10 min.)

769,29 kg (1 696 lb) 806,03 kg (1 777 lb)

Rotação Max. permitida de rotor (Decolagem e Máximo Contínuo):

N1(fan)

N1 Transiente (20 s de operação) N2 (Gerador de Gas) N2 Transiente (20 s de operação)

100% (100% = 19 845 rpm) 101% (101% = 20 043 rpm) 100.4% (100.4% = 40 200 rpm) 102% (102% = 40 840 rpm)

Max. Temperatura Inter-turbina permitida:

Decolagem

830º C

ATR(10 min)

845º C

Max. contínuo

830º C

Transiente (5 s de partida)

892º C

Transiente (20 s de operação)

862º C

VELOCIDADES LIMITES (IAS)

km/h (knots)

Mach

 

Velocidade máxima de operação (VMO) do nível do mar até 28.000 pés

509,3 (275)

0.70

Velocidade máxima de operação (Mmo) acima de 28.000 pés

0.70

Manobra ao nível do mar (VA)

345,0 (186)

Flaps extendidos (VFE) 10° (decolagem):

370,4 (200)

 

26° (decolagem e aproximação):

296,3 (160)

36° (pouso):

268,5 (145)

Velocidade mínima de controle - Ar (VMC):

   

10° (decolagem):

180

(97)

26° (decolagem):

170

(92)

26° (pouso):

160

(86)

36° (pouso):

160

(86)

Nota: Os valores apresent ados acima ref erem-se à Máx. VMC para o envelope da aeronave (os valores podem mudar de acordo com a temperatura e a altitude).

Máxima velocidade do pneu no solo:

257,4 (139)

Operação do trem de pouso – extendido (VLO):

333,4 (180)

Operação de trem de pouso – retração (VLO):

333,4 (180)

Trem de pouso extendido (VLE):

509,3 (275)

PASSEIO DE CG

Limite dianteiro:

Condição de decolagem e pouso: variação linear de 5,90 m (232.24 in) atrás da linha de referência (35% CMA) para 3.000 kg (6.614 lb) para 5,68 m (223.53 in) atrás da linha de referência (21.5% CMA) a 3.220 kg (7.099 lb); Variação linear de 5,68 m (223.53 in) at rás da linha de referência (21.5%CMA) a 3.220 kg (7.099 lb) para 4.030 kg (8.885 lb); Variação linear de 5,68 m (223.53 in) atrás da linha de referência (21.5% CMA) a 4.030 kg (8.885 lb) para 5,71 m (224.82 in) at rás da linha de referência (23.5% CMA) a 4.750 kg (10.472 lb); Variação linear de 5,71 m (2 24.82 in) at rás da linha de referência (23.5%CMA) a 4.750 kg (10.472 lb) para 4.770 kg (10.516 lb).

Limite traseiro : Condição de pouso: variação linear de 5,90 m (232.24 in) atrás da

Limite traseiro:

Condição de pouso: variação linear de 5,90 m (232.24 in) atrás da linha de referência (35.0%CMA) a 3.000 kg (6.614 lb) para 5,96 m (234.50 in) atrás da

linha de referência (38.5 %CMA) a 3.420 kg (7.540 lb); variação linear de 5,96 m (234.5 in) atrás da linha de referência (38.5%CMA) a 3.420 kg (7.540 lb) para

4.030 kg (8.885 lb); variação linear de 5,96 m (234.50 in) atrás da linha de

referência (38.5%CMA) a 4.030 kg (8.885 lb) para 5,93 m (233.47 in) atrás da

linha de referência (36.9% CMA) a 4.750 kg (10. 472 lb); variação linear de 5,93 m (233.47 in) at rás da linha de referência (36.9%CMA) a 4.750 kg (10.472 lb) para

4.770 kg (10.516 lb).

Momento devido a retração do trem de pouso (—1.530.22) in-lb.

LINHA DE REFERÊNCIA

2, 51 m (98. 82 i n) à f rent e do pont o de macaqueament o (do l ocal apoio no nariz).

do pont o de

REFERÊNCIA DE NIVELAMENTO

Local i zado na port a pri nci pal informações adicionais).

ent re

as est ações 9

e

10 (vej a

o AMM para

CORDA MÉDIA AERODINÂMICA

1,64 m (64.57 in.) (Bordo de ataque do CMA:

+ 5,32 m (209.65 in.) atrás da linha de referência).

PESO MÁXIMO

Decolagem:

4.750.0 kg (10.472 lb)

Pouso:

4.430.0 kg (9.766 lb)

Zero de combustível:

3.803.0 kg (8.444 lb)

Rampa:

4.770.0 kg (10.516 lb)

TRIPULAÇÃO MÍNIMA Tripulação para t odos os vôos (Vej a a NOTA 5 para restrições de cabine equipamentos/arranjos): Um piloto (na poltrona esquerda) mais os equipamentos adicionais, tal como especificado na Lista por Tipos de Operações (KOEL) contidas na seção de limit ações no Manual Aprovado da Aeronave pela ANAC ou um piloto e um co-piloto.

MÁXIMO DE PASSAGEIROS Máxi mo de sei s (doi s t r i pul ant es mai s quat r o assent os par a passagei r os). Use como referência o “ Airplane Flight Manual” (AFM 2655), Seção 6 – Peso e Balanceamento, para as configurações de assentos e momentos.

BAGAGEM MÁXIMA

CAPACIDADE DE COMBUSTÍVEL

Compartimento dianteiro de bagagem

Compartimento traseiro de bagagem

Guarda-roupa

Cabine de Lavatório

30 kg (66 lb) (+1,16 m (45.47 in) atrás da linha de referência).

160 kg (353 lb) (+7,98 m (314.27 in) atrás da linha de referência).

30 kg (66 lb) (+3,64 m (143.46 in) atrás da linha de referência).

15 kg (33 lb) (+6,34 m (249.76 in) atrás da linha de referência).

Total utilizável 1.272 kg (2.806 lb) em dois tanques de asa, cada um com 636,4 kg (1.403 lb) ut ilizável (vej a a NOTA 1 para combust ível não ut ilizável) + 5, 87m (230.91 in) atrás da linha de referência. (considerando uma densidade de 0.803 kg/l ou 6.70 lb/US gal).

CAPACIDADE DE ÓLEO Um t anque por mot or. Em cada t anque 3, 79 l i t ros (4 quartos) t ot al por mot or ; + 7,68 m (302.52 in.) atrás da linha de referência; (veja NOTA 1), considerando uma densidade de 0.803 kg/l (6.70 lb/US gal).

CAPACIDADE DE FLUIDO HIDRÁULICO

MÁXIMA ALTITUDE

OPERACIONAL

1,4

considerando uma densidade de 0,846 kg/l (7.06 lb/US gal).

kg (3.09

lb)

em

+ 0,87

m

(34.17 in)

at rás da

12.497m (41.000 pés).

linha

de

referência,

MOVIMENTO DAS SUPERFÍCIES DE CONTROLE Profundor: Para cima 27° +1° / -1° Para baixo 19°

MOVIMENTO DAS SUPERFÍCIES DE CONTROLE

Profundor:

Para cima 27° +1° / -1° Para baixo 19° +1° / -1°

 

Compensador

Para cima 6° +1° / -1°

do profundor:

Para baixo 13° +1°/-1°

Leme:

Direta 27° +1° / -1°

 
 

Esquerda 27°

+1° / -1°

 

Compensador

Direita 16.5°

+1° / -1°

de leme:

Esquerda 16.5° +1° / -1°

 

Aileron:

Para cima (do neutro) Para baixo (do neutro)

25º +1º/ -1º 15º +1º/ -1º

Compensador

Para cima 20º + 1º/ -1º

de Aileron:

Para baixo 20º +1º/ -1º

Flapes de asa:

Decolagem

10º +1° / -1°

 

Decolagem/ pouso

26°

+1° / -1°

No solo

36° +1.5°/-1.5°

Veja as instruções de ajuste no Manual de Manutenção da Aeronave (AMM).

NÚMERO DE SÉRIE

50000005 e acima.

BASE DE CERTIFICAÇÃO

1) Certificado de Tipo Brasileiro Nº 2008T09, emitido em 09 de dezembro de 2008, com base do RBHA 23 correspondent e ao “ 14 CFR Part 23” , incluindo as emendas 23-1 at é a 23-55, mais os seguintes requisitos adicionais:

2) Noise requirement s: RBHA 36, que corresponde ao Anexo 16 da ICAO, Volume I, Capít ulo 3 (terceira edição), efetiva a partir de 01 Dezembro de 1969, tais quais as emendas na data de aplicação.

3) Requisit os de Emissões: RBHA 34, que corresponde ao 14 CFR Part 34, efet ivo a part ir de 10 Setembro de 1990, tais quais as emendas na data de aplicação.

4) Condições Especiais:

(a) Resolução Nº

Limitações Operacionais) – EMB-500 FCAR EV-04.

39,

15/ 08/ 2008,

Condição especial

para a subparte G (Informações e

(b)

Resolução N° 66, 26/08/2008, Condição Especial para a Subparte B (vôo) –EMB-500 FCAR EV-

01.

(c)

Resolução N° 43, 18/ 8/ 2008 Proteção Contra Campos Irradiados de Alta Intensidade (HIRF) –

EMB- 500 FCAR SE- 02.

(d)

Resolução N° 44, 18/08/2008, Operação em Clima Quente –EMB-500 FCAR PR-09.

(e)

Resolução N° 45, 18/ 08/ 2008, Extinção de Incêndio para Motores Montados na Fuselagem –

EMB-500 FCAR PR-03.

(f) Resolução N° 46, 18/08/2008, Condição Especial para FADEC –EMB 500 FCAR PR-07.

(g) Resolução N° 47, 18/ 09/ 2008, Freios – Determinação dos Requisitos Aplicáveis – EMB 500

FCAR SM-02.

(h) Resolução N°56, 09/10/2008, Calibração de Velocidade no Ar –EMB 500 FCAR EV-02.

5) Níveis equivalentes de segurança:

(a) Decisão N° 23.1337(b)(1), Marcas de Controle 302, 18/ 08/ 2008, RBHA/ 14 CFR 21.21(b)(1);

(a) Decisão N°

23.1337(b)(1), Marcas de Controle

302, 18/ 08/ 2008, RBHA/ 14 CFR 21.21(b)(1); RBHA/ 14 CFR 23.1555(d)(1) &

– Capacidade de Combust ível Ut ilizável – EMB-500 FCAR PR-

05.

(b)

Decisão N° 303, 18/ 08/ 2008, RBHA/ 14 CFR 21.21(b)(1); RBHA/ 14 CFR 23.1305, 23.1309,

23.1321 &

25.1549,

Most rador

Soment e

Digit al

para

velocidades

de

rot ores

de

Intermediária/Alta Pressão(N2) –EMB-500 FCAR PR- 02.

(c)

23.807(e)(2), Saída de emergência para passageiros no pouso na água –EMB-500 FCAR EI-03.

(d) Decisão N° 381, 29/ 9/ 2008, RBHA/ 14 CFR 23.1553, 23.1337(b)(1), 23.959, Indicação Digital de Quantidade de Combustível –EMB-500 FCAR PR-11.

6) Isenções: Decisão N° 383, 26/ 9/ 2008 concedida para o

relaxado de “ Dut ch Roll” acima de 18.000 pés em lugar do crit ério de amort eciment o do

RBHA/14 CFR 23.181(b).

7) O cumprimento com a proteção contra gelo foi demonstrado de acordo com o RBHA/ 14 CFR 23.1416 e 23.1419.

8) O cumpriment o com as provisões dos equipament os para pouso na água foi demonst rado de acordo com o RBHA/14 CFR 23.1415 (a)(b).

9) Aprovação RVSM: S/ N 50000005 e acima: Todas as aeronaves estão equipadas com computadores de informações duplicadas de ar capazes de RVSM Garmin G1000 e telas primárias most radoras para pilot o e co-piloto como equipament o padrão. Cada operador deve obt er aprovação de operação RVSM direta da ANAC.

Decisão N°

306,

18/ 08/ 2008,

RBHA/ 14 CFR 21.21(b)(1);

RBHA/ 14 CFR Part

23.601 &

uso de crit ério de amort eciment o

EQUIPAMENTO REQUERIDO O equipament o básico requerido, t al como descrit o nos regulament os de aeronavegabilidade aplicáveis (vej a a base de cert ificação) deve est ar inst alada no avião para a certificação.

NOTAS:

NOTA 1

Peso e Balanceamento

O relatório de peso e balanceamento atual, incluindo a lista de equipamentos que são parte do peso básico vazio certificado e as instruções para acomodação, deve ser fornecido para cada aeronave no momento da certificação original.

O

peso vazio certificado e a correspondente posição do centro de gravidade devem incluir

(considerado atrás da linha de referência):

Combustível não utilizável:

Óleo (completo):*

Fluido hidráulico:

20 kg (44 lb) a + 5,81 m (228.90 in)

8 kg (17.64 lb) a + 7,68 m (302.52 in)

1,4 kg (3.09 lb) a + 0,87 m (34.17 in)

* Está considerado o óleo de instalação (filtros e linhas).

NOTA 2

Marcas e placares

As

aeronaves devem ser operadas de acordo com o Manual de Vôo da Aeronave (AFM) aprovado pela

ANAC, número de catálogo AFM-2655. As marcas e placares estão relacionados no Capítulo 11 do Catálogo de Peças da Aeronave (AIPC) e no Manual de Manutenção da Aeronave (AMM).

NOTA 3

Aeronavegabilidade Continuada

Veja o Manual de Manutenção, Capítulo (4), "Limitações de Aeronavegabilidade" por Limitações de

Aeronavegabilidade de Sist emas, Limit ações de Aeronavegabilidade de Est rut ura (ALI) e It ens com

Manual de Limit ações

Vida Limit e (LLI). A vida limit e de peças rot at ivas do mot or PW617F-E est á no

de Aeronavegabilidade, Pratt & Whitney Canada, Motor P/N 3072699, última revisão.

N O T A 4 N O T A N O T A 5 6

NOTA 4

NOTA

NOTA

5

6

Todos os assentos de substituição (tripulação e passageiros), embora possam cumprir com o TSO C127, também devem demonstrar cumprir com os requisitos de instalação para as aeronaves relacionadas no RBHA/ 14 CFR 23.2, 23.561, 23.562, e 23.785.

A aprovação de operação com t ripulação minima de um pilot o é baseada na inst alação e disposição

dos equipament os da

qualquer modificação substancial na instalação e disposição dos equipamentos (EFIS, Autopilot, Aviõnicos, etc) exceto tal como permitido pelo MMEL aprovado, sem anterior aprovação pela ANAC.

cabine durant e os t est es de cert ificação pela ANAC. Não pode ser feit a

O EMB-500 é freqüent ement e mencionado na lit erat ura de market ing da EMBRAER como “PHENOM

100”. Este nome é apenas comercial e não faz parte do nome oficial do modelo.

SEÇÃO 1 –AVALIAÇÃO DO SISTEMA 1.1 DESCRIÇÃO DO SISTEMA Esta seção provê uma avaliação do

SEÇÃO 1 –AVALIAÇÃO DO SISTEMA

1.1 DESCRIÇÃO DO SISTEMA

Esta seção provê uma avaliação do Prodigy™ Integrated Flight Deck instalado no Embraer Phenom 100. O sistema é integrado a um controle de vôo que apresenta instrumentação de vôo, posição, navegação, comunicação e informação de identificação ao piloto por exibições em grande formato. O sistema consiste nas seguintes Unidades de Linhas Substituíveis (LRUs):

GDU 1240A – Multifunção de Exibição primária de Vôo GIA 63W – Unidade Integrada de Avionics GDC 74B – Computador de Dados de Vôo (ADC) GEA 71 – Unidade de Motor/Estrutura GRS 77 – Sistema de Referência de Proa e Atitude (AHRS) GMU 44 - Magnetômetro GMA 1347D - Sist ema audit ivo dual com receptor Marker Beacon integrado

GTX

GDL 69A – Receptor de Dados de Satélite GWX 68 – Radar Meteorológico GCU 475 – Unidade de Controle MFD GMC 715 – Unidade de Controle AFCS GSD 41 – Concentrador de Dados GA 36 e GA 37 – Antenas GPS/WAAS GSA 81 –Servos AFCS

GSM 85A – Caixa de Servo-Controles

33/33D – Transponder Modo S

Um diagrama do sistema é mostrado na Figura 1-1 (não inclui o GA 36, GA 37, ou GSM 85A).

na Figura 1-1 (não inclui o GA 36, GA 37, ou GSM 85A). NOTA : Recorra

NOTA: Recorra à seção de AFCS para detalhes no GFC 700 AFCS.

No Embraer Phenom 100, o GFC 700, Sistema de Controle de Vôo Automatizado (AFCS), provê o diret or de vôo (FD), Pilot o Aut omát ico (AP) e o cont role de guinadas (YD) nas funções do sistema.

1.2 Unidade de Linha Substituível (LRU) Cada unidade é configurada como um ou dois PFDs

1.2 Unidade de Linha Substituível (LRU)

Cada unidade é configurada como um ou dois PFDs ou um MFD. O GDU 1240A mede 12 polegadas com tela LCD de 1024 x 768 de resolução. A unidade inst alada no lado do piloto é designada como PFD1 e a inst alada no lado do co- piloto é designado como PFD2. A instalada no centro é designada de MFD. Est as unidades comunicam-se ent re si e com a unidade GIA 63W Int egrada por uma alt a velocidade no barramento de dados na conexão (HSDB).

GDU 1240A (3)

no barramento de dados na conexão (HSDB). GDU 1240A (3) GIA 63W (2) Tem a função

GIA 63W (2)

de dados na conexão (HSDB). GDU 1240A (3) GIA 63W (2) Tem a função de ser

Tem a função de ser o centro de comunicação principal, unindo todos os LRUs aos PFDs. Cada GIA 63W cont ém um receptor GPS WAAS, receptores VHF COM/NAV/GS, diretor de vôo (FD) e microprocessadores de int egração ao sist ema. Cada GIA 63W é conectada com um PFD por conexão via HSDB. Os GIA 63Ws não são interconectados e não tem comunicações entre si diretamente.

Tem a f unção de processa os dados do sist ema do t ubo de pitot estático e com a sonda de t emperat ura OAT. Est a unidade

fornece

vert ical e informação de OAT ao sist ema, comunicando t udo ao

GIA 63W, ao GDU 1240A e ao GRS 77, usando uma interface digital ARINC 429. O GDC 74B é projetado para operar em locais de espaço aéreo de separação mínima vertical reduzida (RVSM).

alt it ude pressão, velocidade aerodinâmica, velocidade

GDC 74B (2)

pressão, velocidade aerodinâmica, velocidade GDC 74B (2) GEA 71 (3) Tem a f unção de receber

GEA 71 (3)

aerodinâmica, velocidade GDC 74B (2) GEA 71 (3) Tem a f unção de receber e processar

Tem a f unção de receber e processar os sinais do motor e do sensor da est rut ura aerodinâmica. Est a unidade se comunica com ambos os GIA 63Ws e usa a interface digital RS-485.

Est a unidade recebe informações de atitude e proa da aeronave via ARINC 429 para o GDU 1240A e para o GIA 63W. Est a unidade cont ém sensores avançados (de aceleração e razão de subida / descida vert ical), int erface GMU 44 para obt er informação de campo magnét ica, interface GDC 74B para obt er dados do ar e em ambos os GIA 63Ws para obt er informações do GPS. Será ainda discutido o modo de operação AHRS neste manual.

GRS 77 (2)

os GIA 63Ws para obt er informações do GPS. Será ainda discutido o modo de operação
GMU 44 (2) Est a unidade mede o campo magnét ico local. Os dados são

GMU 44 (2)

GMU 44 (2) Est a unidade mede o campo magnét ico local. Os dados são enviados

Est a unidade mede o campo magnét ico local. Os dados são enviados ao GRS 77 a fim de obt er e processar o curso magnético da aeronave. Est a unidade recebe aliment ação e comunicação diret a do GRS 77, quando est iver usando um RS-485 como interface digital.

Est a unidade integra o áudio digit al do NAV/COM, o sist ema de comunicação e o controle do Marker Beacon. É instalado em configuração dupla, uma no PFD1 e out ra no PFD2. Est a unidade também habilita o controle manual do visor no modo reversível (botão DISPLAY BACKUP vermelho) e comunica com o GIA 63W, quando estiver usando um RS- 232 como interface digital.

GMA 1347D (2)

usando um RS- 232 como interface digital. GMA 1347D (2) GTX 33 (1) e GTX 33D

GTX 33 (1) e GTX 33D (1)

digital. GMA 1347D (2) GTX 33 (1) e GTX 33D (1) Unidade dupla de t ransponders

Unidade dupla de t ransponders que at uam nos modos A, C e S. O GTX 33D inclui Modo S com diversidade e é indicado como XPDR2. O GTX 33 é indicado como XPDR1. Ambos podem ser controlados a partir do PFD e só um t ransponder pode est ar at ivo por vez. Cada transponder se comunica com a GIA 63W por meio de uma interface digital RS- 232.

Receptor de rádio sat élit e que fornece informação de t empo real ao MFD (e, indiretamente, insere a informação no mapa do PFD) como

comunica com

o MFD por meio de uma conexão HSDB. Uma subscrição para o serviço de rádio satélite XM é exigida em habilitar a capacidade do GDL 69A.

t ambém ent ret eniment o audit ivo

digit al. O GDL 69A se

DGL 69A (1)

ret eniment o audit ivo digit al. O GDL 69A se DGL 69A (1) GWX 68

GWX 68 (1)

o audit ivo digit al. O GDL 69A se DGL 69A (1) GWX 68 (1) Fornece

Fornece tempo real met eorológico de radar ao MFD e é ligado ao GSD 41 por meio de uma conexão HSDB.

Fornece o cont role do Sist ema de Gerenciament o de Vôo (FMS) ao MFD por meio de uma interface digital tipo RS- 232.

GCU 475 (1)

por meio de uma interface digital tipo RS- 232. GCU 475 (1) GMC 715 (1) Fornece

GMC 715 (1)

interface digital tipo RS- 232. GCU 475 (1) GMC 715 (1) Fornece cont role ao GFC

Fornece cont role ao GFC 700 AFCS por

digital RS- 232 e que permite comunicação com ambos os PFDs.

meio de uma int erface

14
14
Esta unidade é um concentrador de dados usado para expandir a capacidade de produção do

Esta unidade é um concentrador de dados usado para expandir a capacidade de produção do sistema. Comunica- se com a barra de dados em altíssima velocidade.

GSD 41 (1)

com a barra de dados em altíssima velocidade. GSD 41 (1) GSA 81 (3) e GSN

GSA 81 (3) e GSN 85A (3)

velocidade. GSD 41 (1) GSA 81 (3) e GSN 85A (3) Os servos- controles GSA aut

Os servos- controles GSA aut omát ico de tangagem,

rolamento e guinada. Todas essas

unidades estão conectadas ao GIA 63W.

A caixa de comando do servo GSM 85A é responsável em transferir a saída do torque do servo atuador GSA 81 para a superfície de controle mecânico de vôo.

81

são

usados

par a

o

cont r ol e

O GA 36 é uma antena de GPS/ WAAS. O GA 37 é uma antena de GPS/WAAS com ligação de dados XM.

GA 36 (1) e GA 37 (1)

GA 36 é uma antena de GPS/ WAAS. O GA 37 é uma antena de GPS/WAAS
16
1.3 CONTROLADOR PRODIGY™ NOTA : O painel de Áudio (GMA 1347D) e os cont roles

1.3 CONTROLADOR PRODIGY™

1.3 CONTROLADOR PRODIGY™ NOTA : O painel de Áudio (GMA 1347D) e os cont roles do

NOTA: O painel de Áudio (GMA 1347D) e os cont roles do AFCS (GMC 715) são descrit os nas seções “CNS & Painel de Áudio” e “AFCS”, respectivamente.

Os cont roles do sist ema ficam localizados no PFD, nos bot ões do MFD, na Unidade de Cont role do MFD, na Unidade de Console do AFCS e no painel de áudio. As Unidades de Cont roles encontrados no MFD são duplicados. Estas funções de controle podem ser operadas do MFD ou da Unidade de Controle MFD. Os controles dos PFDs e do MFD são discutidos nesta seção.

CONTROLES MFD/PFD

do MFD ou da Unidade de Controle MFD. Os controles dos PFDs e do MFD são
A lista seguinte descreve os controles localizados no PFD e MFD (veja a figura 1-2).

A lista seguinte descreve os controles localizados no PFD e MFD (veja a figura 1-2).

Botão NAV VOL/ID – Controla o nível de áudio do NAV. Pressione para pôr o

Botão NAV VOL/ID – Controla o nível de áudio do NAV. Pressione para pôr o identificador de código Morse na posição ON (ligado) ou em OFF (desligado). O nível de volume é most rado no campo em format o de porcentagem.

Botão de Transferência de Freqüência NAV –Alterna as freqüências NAV entre standby e ativa.

Botão de Transferência de Freqüência NAV –Alterna as freqüências NAV entre standby e ativa.

Botão Duplo do NAV –Sintoniza as freqüências standby em MHz (bot ão grande) e kHz

Botão Duplo do NAV –Sintoniza as freqüências standby em MHz (bot ão grande) e kHz (bot ão pequeno) para

o

recept or NAV. Pressione para alternar o cursor de sint onia (caixa azul clara) ent re os campos NAV1 e

 

NAV2.

Botão Joystick – Altera o alcance do mapa quando girado. Ativa o ponteiro do mapa

Botão Joystick – Altera o alcance do mapa quando girado. Ativa o ponteiro do mapa quando pressionado.

Botão BARO – Define a pressão barométrica do altímetro. Pressione para inserir a pressão padrão

Botão BARO – Define a pressão barométrica do altímetro. Pressione para inserir a pressão padrão 29.92 Hg.

Botão Duplo da COM – Sintoniza as freqüências standby em MHz (botão grande) e kHz

Botão Duplo da COM – Sintoniza as freqüências standby em MHz (botão grande) e kHz (botão pequeno) para

o

t ranscept or COM. Pressione para alterna o cursor de sint onia (caixa azul clara) ent re os campos COM1 e

 

COM2.

Botão de Transferência de Freqüência COM – Alt erna as freqüências COM ent re standby

Botão de Transferência de Freqüência COM – Alt erna as freqüências COM ent re standby e

at iva. Pressione

mant enha est e botão pressionado por dois segundos para mudar para a sintonia da f reqüência de emergência (121,5 MHz) no campo de freqüência ativa automaticamente.

e

Botão COM VOL/SQ –Controla o nível de áudio da COM. Pressione para pôr o silenciador

Botão COM VOL/SQ –Controla o nível de áudio da COM. Pressione para pôr o silenciador automático da COM na posição ON (ligado) ou em OFF (desligado). O nível de volume é mostrado no campo em formato de porcentagem.

Botão Direct-To – Permit e que o usuário insira um pont o de referência de

Botão Direct-To – Permit e que o usuário insira um pont o de referência de dest ino e est abeleça uma rot a

direta

para este dest ino selecionado (especificado pelo identificador escolhido na rot a at iva ou ret irado da

 

posição do cursor do mapa).

Botão FPL – Visualiza, cria ou edit a um plano de vôo ativo. Também acessa

Botão FPL – Visualiza, cria ou edit a um plano de vôo ativo. Também acessa a list a de planos de vôos armazenados no banco de dados.

Botão CLR – Apaga informações, cancela ent radas ou remove menus da página. Para exibir

Botão CLR – Apaga informações, cancela ent radas ou remove menus da página. Para exibir a Página do Mapa de Navegação imediatamente, pressione e mantenha pressionado o botão CLR (apenas para MFD).

Botão Duplo do FMS - Utilizado para selecionar a página a ser visualizada (apenas no MFD). O botão grande seleciona um grupo de páginas (MAP, WPT, AUX, NRST), ao passo que o bot ão pequeno seleciona uma determinada página no grupo de páginas. Pressione botão pequeno para at ivar ou desat ivar (ON ou OFF) a

seleção do cursor. Quando o cursor for at ivado (ON), os dados podem ser inseridos

seleção do cursor. Quando o cursor for at ivado (ON), os dados podem ser inseridos nas diferent es janelas

utilizando-se os bot ões pequeno e

grande. O bot ão grande é ut ilizado para mover o cursor na página,

enquanto que o bot ão pequeno é ut ilizado para selecionar caract eres individuais para a localização

 

dest acada do cursor. Quando o sistema exibir uma list a que sej a muit o grande para a t ela do

monit or, uma

barra de rolagem aparecerá no cat egoria selecionada. Pressione para rolar a lista.

lado direit o da t ela, indicando a disponibilidade de it ens adicionais na o botão FMS/ PUSH CRSR para at ivar o cursor e girar o bot ão FMS grande

Botão MENU – Exibe uma list a de opções sensíveis ao cont ext o. A

Botão MENU – Exibe uma list a de opções sensíveis ao cont ext o. A list a permit e que o usuário acesse recursos adicionais ou faça alterações na definição que se relacione a determinadas páginas.

os

Botão PROC – Acessa os procediment os de part i da IFR (SID), os procediment

Botão PROC – Acessa os procediment os de part i da IFR (SID), os procediment os de chegada (STAR) e as aproximações (IAC) do plano de vôo ativo. Se for utilizado um plano de vôo, os procedimentos disponíveis para o aeroporto de partida e/ou chegada são sugeridos automaticamente. Se não for utilizado um plano de vôo, o aeroporto e procedimento desejados podem ser selecionados.

Botão ENT – Valida ou confirma a seleção do menu na entrada de dados ou

Botão ENT – Valida ou confirma a seleção do menu na entrada de dados ou de informações.

UNIDADE DE CONTROLE MFD Muitos dos controles da Unidade de Controle MFD (GCU 475) têm

UNIDADE DE CONTROLE MFD

Muitos dos controles da Unidade de Controle MFD (GCU 475) têm as mesmas funções dos cont rol es l ocal izados no MFD. A l ist a a seguir f ornece as f unções dos cont roles local izados na Unidade de Controle MFD (figura abaixo):

local izados na Unidade de Controle MFD (figura abaixo): Botão Duplo do FMS - Utilizado para

Botão Duplo do FMS - Utilizado para selecionar a página a ser visualizada (apenas no MFD). O botão grande seleciona um grupo de páginas (MAP, WPT, AUX, NRST), ao passo que o bot ão pequeno seleciona uma

determinada página no grupo de páginas. Pressione botão pequeno para at ivar ou desat ivar (ON ou OFF) a seleção do cursor. Quando o cursor for at ivado (ON), os dados podem ser inseridos nas diferent es janelas determinada página no grupo de páginas. Pressione botão pequeno

monit or, uma

lado direit o da t ela, indicando a disponibilidade de it ens adicionais na

cat egoria selecionada. Pressione o botão FMS/ PUSH CRSR para at ivar o cursor e girar o bot ão FMS grande

utilizando-se os bot ões pequeno e

grande. O bot ão grande é ut ilizado para mover o cursor na página,

enquanto que o bot ão pequeno é ut ilizado para selecionar caract eres individuais para a localização

dest acada do cursor. Quando o sistema exibir uma list a que sej a muit o grande para a t ela do

barra de rolagem aparecerá no

para rolar a lista.

Botão Direct-To – Permit e que o usuário insira um pont o de referência de dest ino e est abeleça uma rota

para este dest ino selecionado (especificado pelo identificador escolhido na rot a at iva ou ret irado da

posição do cursor do mapa).

diretarot a at iva ou ret irado da posição do cursor do mapa). Botão FPL –

Botão FPL – Visualiza, cria ou edit a um plano de vôo ativo. Também acessa a list – Visualiza, cria ou edit a um plano de vôo ativo. Também acessa a list a de planos de vôos armazenados no banco de dados.

Botão MENU – Exibe uma list a de opções sensíveis ao cont ext o. A list a – Exibe uma list a de opções sensíveis ao cont ext o. A list a permit e que o usuário acesse recursos adicionais ou faça alterações na definição que se relacione a determinadas páginas.

os

Botão PROC – Acessa os procediment os de part i da IFR (SID), os procediment os de chegada (STAR) e as aproximações (IAC) do plano de vôo ativo. Se for utilizado um plano de vôo, os procedimentos disponíveis para o aeroporto de partida e/ou chegada são sugeridos automaticamente. Se não for utilizado um plano de vôo, o aeroporto e procedimento desejados podem ser selecionados.Botão PROC

Botão Joystick – Altera o alcance do mapa quando girado. Ativa o ponteiro do mapa quando pressionado. – Altera o alcance do mapa quando girado. Ativa o ponteiro do mapa quando pressionado.

Botão Alfanumérico - Permite a ent rada de dados mais rápido do que qualquer caract ere do - Permite a ent rada de dados mais rápido do que qualquer caract ere do t eclado do FMS.

Botão Mais (+) e Menos (—) –Alterna entre os sinais de + ou —em um
Botão Mais (+) e Menos (—) –Alterna entre os sinais de + ou —em um determinado caractere.

Botão Decimal – Insere um ponto decimal. – Insere um ponto decimal.

Botão SEL - O cent ro dest e bot ão at iva o softkey selecionado, enquant o - O cent ro dest e bot ão at iva o softkey selecionado, enquant o que as set as da direit a ou esquerda movem a caixa de seleção do softkey à direita ou à esquerda, respectivamente.

da

Botão ENT – Valida ou confirma a seleção do menu na entrada de dados ou de informações. – Valida ou confirma a seleção do menu na entrada de dados ou de informações.

Botão CLR – Apaga i nf or mações, cancel a ent r adas ou r emove menus – Apaga i nf or mações, cancel a ent r adas ou r emove menus da pági na. Par a exi bi r a Pági na do Mapa de Navegação imediatamente, pressione e mantenha pressionado o botão CLR (apenas para MFD).

Botão SPC – Adiciona um especo entre caracteres. – Adiciona um especo entre caracteres.

Botão BKSP - Move o cursor para um espaço atrás do caractere. - Move o cursor para um espaço atrás do caractere.

UNIDADE DE CONTROLE AFCS

um espaço atrás do caractere. UNIDADE DE CONTROLE AFCS O GFC 700 AFCS é principalmente controlado

O GFC 700 AFCS é principalmente controlado pelo GMC 715 AFCS Controle Unidade. A AFCS Controle Unidade consiste nos controles seguintes:

A AFCS Controle Unidade consiste nos controles seguintes: Botão FD - Ativa/Desat iva o diret or

Botão FD - Ativa/Desat iva o diret or de vôo selecionado (pil ot o ou co-piloto) no - Ativa/Desat iva o diret or de vôo selecionado (pil ot o ou co-piloto) no modo padrão vert ical e lateral. Pressione o outro botão FD para alternar o comando correspondente do PFD em ON/OFF.

Botão NAV – Seleciona ou não o modo Navegação. – Seleciona ou não o modo Navegação.

Botão HDG – Seleciona ou não o modo de proa. – Seleciona ou não o modo de proa.

Botão AP – Acopla/Desacopla o Piloto Automático. – Acopla/Desacopla o Piloto Automático.

Botão YD – Acopla/Desacopla o compensador de guinadas. – Acopla/Desacopla o compensador de guinadas.

Botão ALT –Seleciona ou não o modo de altitude. –Seleciona ou não o modo de altitude.

Botão VNV - Seleciona ou não o Caminho Vertical que Localiza Modo para controle de vôo de - Seleciona ou não o Caminho Vertical que Localiza Modo para controle de vôo de Navegação Vertical.

Botão VS -
Botão VS -
Botão VS - Botão FLC -   Botão CRS - Ajusta o Curso Selecionado em 1°
Botão FLC -  

Botão FLC -

 

Botão CRS - Ajusta o Curso Selecionado em 1° incrementos no Indicador de Situação Horizontal (HSI)

do

PFD correspondent e. Apert e para re-cent rar o Indicador de

Divergência de Curso (CDI) e pont eiro

de curso de retorno diretamente Ao porte do waypoint / estação ativo.

de Divergência de Curso (CDI) e pont eiro de curso de retorno diretamente Ao porte do
de Divergência de Curso (CDI) e pont eiro de curso de retorno diretamente Ao porte do
de Divergência de Curso (CDI) e pont eiro de curso de retorno diretamente Ao porte do
de Divergência de Curso (CDI) e pont eiro de curso de retorno diretamente Ao porte do

FUNÇÃO SOFTKEY

O softkeys ficam situados ao longo dos fundos das exibições. O softkeys mostrados dependem do nível de softkey ou o ser de página exibiu. O bezel tecla debaixo do softkeys pode ser usado para selecionar o softkey apropriado. Quando um softkey é selecionado, sua cor muda para

em fundo cinza e rest os at é que é virado fora a qual t empo que

reverte a texto branco em fundo preto.

lust rar t ext o dest e modo

22
22