Você está na página 1de 52

Instalação do Slackware Linux – Luiz Arthur

A instalação do Slackware Linux é relativamente simples, a seguir serão


apresentados os passos necessários para instalar tal Linux.

A instalação pode ocorrer de um servidor FTP, NFS, direto do disco rígido, mas a
principal forma de instalação atualmente é através de CD's, que podem ser
adquiridos no site www.slackware.com. As imagens dos CD's de instalação são
normalmente imagens ISO, que podem ser gravadas em CD por algum programa
de gravação de CD's.

Assim, o primeiro passo é adquirir o CD de instalação. Normalmente são dois CD


para a instalação, sendo que o primeiro é a base do sistema, e o segundo são
recursos extras (ambiente gráfico, utilitários,etc). Existem ainda a possibilidade de
se obter o slackware com quatro CD's, mas tais CD's são de retro-compatibilidade,
ou ferramentas menos utilizadas (são CD's dispensáveis para a maioria das
instalações).

O segundo passo é colocar o computador que será instalado o Slackware Linux


para fazer o processo de BOOT utilizando o CD.

Para tanto basta acessar a BIOS, do computador e escolher como a primeira opção
de BOOT o CD-ROM (tal como na figura no slide 2), inserir o primeiro CD de
instalação do Slackware e iniciar o computador.
A entrada da BIOS, para alteração de opções de BOOT dentre outras, se dá no
momento em que o computador acaba de ser ligado (nomalmente nós primeiros 5
segundos) precionando-se a tecla DEL em outros computadores podem ser outras
teclas, tal como F8.

Atenção o processo de configuração da BIOS normalmente é diferente para cada


computador por isso não o usuário deve estar apto a fazer tal tarefa não
importando o computador. Segue uma tela de exemplo:

Após, alterar o
processo de
BOOT,
basta salvar as
configurações
e sair para que o
sistema entre
O CD-ROM deve ser a utilizando
primeira opção de boot o CD-ROM
Tão logo coloque-se o primeiro CD de instalação para iniciar, o computador irá
apresentar a primeira tela de instalação apresentada pelo Slackware Linux, que é
o LILO (gerenciador de boot), que irá permitir que você escolha a forma de
processo de boot. Em nosso caso vai ser o padrão, desta forma basta teclar
ENTER.

Linha de comandos do Lilo. Sendo possível inicializar o Kernel do Linux, é possível ainda passar outros
parâmetros.

Esta tela pode ser utilizada posteriormente (não instalação) para recuperar o sistema em caso de
falha!!!
Digite ENTER para
prosseguir com o teclado
US ou 1 para escolher outro
modelo de teclado,
lembrando que o teclado
brasileiro é o ABNT2.

Após o processo de inicialização do Kernel, será apresentada uma tela de


configuração de teclado, para que o usuário configure seu teclado corretamente.
O teclado padrão é o US, caso o seu teclado seja padrão ABNT2 (brasileiro com Ç),
deve-se teclar 1 e serão apresentados os teclados disponíveis. Caso o teclado seja
US (que é o mais utilizado) basta tecla ENTER.

Mais para frente, na instalação será apresentada esta mesma opção novametne,
então caso algo de errado aqui afrente será possível configurar novamente o
teclado.
Texto que indica os
próximos passos
para instalação.

Digite root aqui e de um ENTER,


para logar no sistema.

A tela seguinte a configuração do teclado, é a tela de login do sistema, para logar


no sistema digite root e de um ENTER (atenção, não há senha neste login).

Observe, as informações acima da linha de login, elas indicam quais são os


próximos passos para a instalação.

Sendo os próximos passos: Particionamento do disco rígido, para a instalação e a


inicialização da instalação com o comando setup.
Se for necessário
particonar o disco rígido,
digite no prompt de
comando o cfdisk. Em
casos mais extremos é
possível utilizar ainda o
comando fdisk, que é um
pouco mais complexo e
menos amigável.

Logo após o login, pode ser necessário particionar o disco rígido. Caso o disco já
possua partições Linux (no caso de apenas uma atualização), siga para o próximo
passo (que é o comando setup).

Normalmente a primeira vez que o Linux é instalado a computador não possui


nenhuma partição Linux, necessitando então cria-la.

Em alguns sistemas podem existir partições de outros sistemas já presentes no


disco, tal como, Windows (NTFS e/ou FAT 32).

O comando para adicionar, deletar e alterar partições no disco é o cfdisk.


Escolha as partições a
serem trabalhadas com as
setas para baixo e para
cima.

Escolha as alternativas
utilizando as setas laterais.
Após selecionar tecle
ENTER para utilizar as
alternativas.

Após executar o comando cfdisk, será apresentada uma tela que permite a
manutenção das partições. Tal tela, possui como alternativas as seguintes opções:
[Bootable] (se a partição é bootavel), [Delete] (apaga partições, cuidado com está
opção!), [Help] (textos de ajuda), [Maximize] (redimenciona partições para ocupar espaços
disponíveis no disco rígido), [Print] (Lista as partições do disco rígido), [Quit] (Sair do
cfdisk), [Type] (Altera o tipo de partição, tal como, mudar partição para: LINUX, NTFS,
FAT32, etc), [UNITS] (altera as unidades de medidas da partição), [Write] (grava as
alterações feitas na tabela de partições do disco rígido, muito cuidado, após gravar não é
possível voltar as configurações antigas!).

As alternativas são acessadas através do da setas laterais (<-- e -->), as setas


para baixo e para cima são para escolher qual partição está sendo feito a
operação.
Os passos de instalação apresentados a seguir irão fazer referencia a
tela apresentada anteriormente, ou seja, o tamanho do HD e as partições
serão referentes a tela do slide anterior. Desta forma, em sua instalação
você deverá assumir as suas próprias configurações.

Na tela apresentada no slide anterior existem duas partições: uma NTFS (com o
tamanho de 1003.49) e outra FAT32 (com tamanho de 3281.89).

Neste ponto do tutorial de instalação do Slackware estamos pressupondo que o


usuário tem um sistema operacional Windows já instalado (na partição NTFS) e
deseje instalar o Linux na partição FAT32, onde estavam armazenados alguns
dados. Assim, será apagado está partição (FAT32) para que seja criadas partições
Linux.

Também é possível criar partições de outros sistemas operacionais utilizando


cfdisk!!!

Atenção todos os dados de uma partição alterada e deletada serão


permanentemente apagados!!! Então muito, muito cuidado... Porém, todas as
partições que não forem alteradas nem apagadas manterão os dados intactos.

Então, partindo do pressuposto que devemos apagar a partição FAT32 para


acomodar partições Linux, devemos primeiro posicionar o cursor (com as setas
acima e abaixo) na partição a ser apagada e depois escolher a alternativa
[Delete] para apagar esta partição.
Escolha primeiro a partição
e ser excluída. Para isto
utilize as setas: para cima
ou para baixo.

Tão logo se escolha a


partição selecione a opção
a ser aplicada a está
partição neste caso será o
Delete que apagará tal
partição.

Após apagar a partição FAT a fatia livre de espaço livre em disco aumentará de
8.23 para 3290.12 Mb. É com este espaço livre que criaremos as Partições Linux.

Para se instalar o Linux são recomendadas duas partições (mas nada impede
serem criadas mais partições) uma partição Linux e outra partição Linux Swap
(que é uma memória de troca do Linux).

Para o espaço da partição Linux Swap é recomendável um espaço de pelo menos


o mesmo tamanho de sua memória principal ou o dobro. Exemplo, se temos 32
Mb de memória a partição Swap deverá ter 32 ou 64 Mb.
Agora que apagamos uma partição podemos criar a partição Linux Swap. Para
tanto, selecione o espaço livre no disco rígido e a opção [New], tão logo seja
selecionada a opção nova será apresentada as opções de como deve ser a
partição se primária ou lógica.

Um disco rígido pode possuir 4 partições primárias, uma dessas partições pode ser
lógica. Uma partição logica pode conter mais que quatro partições estendidas

Em nosso exemplo, já temos uma partição primária, e iremos ainda criar uma
partição Swap, outra Linux e por fim uma pequena partição FAT32, então podemos
deixar todas as partições como primárias, já que não passam de quatro partições.

Selecione o
espaço livre
no disco
rígido.

Escolha a
opção [New]
e tecle ENTER
1

3
No slide anterior são apresentadas a sequência de telas para a criação de uma
nova partição, que são: 1 - Definir se a partição será primária ou logica; 2 –
Definir o tamanho da partição a ser criada, em nosso caso foi 32 Mb, o tamanho é
dado em megabytes (Mb); 3 – Onde a partição deve ser criada se no incio
(Beginniger) ou no final do disco rígido (End).

A partição recém criada terá por padrão o tipo de partição Linux. Entretanto, a
nossa primeira partição deverá ser do tipo Linux Swap, desta forma, devemos
modificar o tipo da partição escolhendo a opção [Type] no cfdisk.

Mudando o tipo de
partição.
1
a

1. Tela que mostra a


primeira parte dos tipos
de partições
disponíveis.

2. Tela que mostra a


segunda parte dos tipos
de partições
disponíveis.

Digite o número do tipo


da partição (listado na
tela 1 e 2) para mudar
o tipo de partição.

Em nosso caso
mudamos para o tipo
Linux Swap que é o
número 82
Pronto terminado a criação da partição Linux Swap, basta criar a partição Linux
“\”.
Para a criação da partição Linux deveremos seguir os mesmos passos da criação
da partição Linux Swap. Porém, não é necessário alterar o tipo de partição já que o
padrão é o tipo Linux. O tamanho da partição Linux deve ser de aproximadamente
3 Gb (para a instalação completa), é possível instalar o Slackware em partições
maiores ou menores dependendo do número de pacotes que forem instalados
posteriormente.

Segue as telas de criação da partição Linux:


1 1 – Escolhendo se
partição Linux é
primária ou secundária.

2 – Escolhendo se a
partição vai ficar no
início ou no final do HD.

3 – Escolhendo
tamanho da partição
Linux.
Terminando a criação da partição Linux, é possível notar que sobrou algum espaço
livre no disco rígido, é normal que queiramos utilizar este espaço também (e não
deixar ele sem utilidade nenhuma). Assim, iremos criar neste espaço uma partição
FAT32. A escolha do tipo FAT32 é por que este tipo de partição dá a possibilidade
desta ser trabalhada tanto em Linux quanto em Windows, ficando assim uma
partição comum de dados para troca de arquivos entre Windows e Linux, sem
nenhuma configuração extra em ambos os sistema. Também seria possível o uso
de uma partição do tipo NTFS, porém é normal que este tipo de partição não de
permissão de gravação a principio ao Linux (mas pode ser configurada para isto).

A criação da partição FAT32 é praticamente idêntica a Linux Swap, porém o tipo


de partição deve ser FAT32. Não é recomendável a utilização dos últimos 8 Mb em
discos, pois o Windows aparentemente faz uso desta parte livre, assim, apagando
este espaço livre pode acontecer (em alguns casos) de ocorrer perdas de dados da
partição Windows. Segue as telas deste processo:
1
Criando a partição FAT32

2
1
Mudando tipo de partição
para FAT32

3
Agora que foram criadas todas as partições, temos que salvar estas alterações,
isto é feito com a opção [Write], tão logo, podemos sair do cfdisk (opção
[Quit]) e passar ao próximo passo da instalação com o comando setup.

Gravando as alterações
com a opção Write.

Após, a primeria tela será


apresentada a segunda
opção que pergunta ao
usuário se ele quer
mesmo fazer esta
alteração (para isto
digite: yes). Atenção este
passo é definitivo e os
dados serão apagados.
Após, as alterações no disco de instalação, partimos para o próximo passo que é o
uso de um software de instalação do Slackware que é invocado com o comando
setup.

Assim, que o usuário


sair do cfdisk com a
opção [Quit] este
deverá iniciar o
programa de
instalação de pacotes
do Slackware Linux.

Para o próximo passo que é fazer


realmente a instalação digite o comando
setup.
Tão logo se digite o setup irá aparecer uma tela de instalação do Slackware
Linux, tal tela é navegável com as setas do teclado (para cima, e para baixo) e
para escolher uma opção pasta teclar ENTER. A primeira alternativa é o HELP (que
contém textos para ajudar o usuário), a segunda alternativa é o KEYMAP (que
remete o usuário a configuração do teclado, que já foi feita no inicio da instalação
e portanto não é necessária aqui). A opção que será selecionada primeiro é a
ADDSWAP, que permite ao usuário indicar qual é a partição do disco rígido que fará
o papel de swap (memoria de troca), o Slackware Linux faz isto automaticamente
só pedindo apenas a confirmação do usuário.

As próximas alternativas seguirão de forma automática e sequencial até a opção


EXIT (que sai do programa de instalação).

Selecione a opção
ADDSWAP, para dar
inicio de instalação.
O programa de instalação irá identificar automaticamente a sua partição Swap
criada anteriormente no cfdisk. Então o setup, só irá lhe perguntar se a partição
mostrada na tela á a partição swap que você deseja que o Linux utilize.

No nosso exemplo a partição é o dispositivo /dev/hda2 (segunda partição do HD).

Pressione yes
para a próxima
tela.
A tela abaixo é uma tela que apenas confirma que a partição Swap foi configurada
corretamente.

Apenas, pressione OK
A tela a seguir é a tela que apresenta ao usuário as possíveis partições Linux que
serão incluídas no sistema, a primeira partição é a partição principal, que levará o
nome de “/” (raiz ou root).

Em nosso exemplo só temos uma única partição então a escolha já está feita.
Caso existam mais partições Linux teremos que escolher a partição principal.

Aqui estamos
escolhendo qual
partição será a
partição / (root).
Em nosso caso é
a /dev/hda3
(terceira partição
do HD)

Feito isto
pressione
<Select>
Esta tela apresenta o que deverá ser feito com a partição escolhida como /, se ela
deverá ser formatada (reiniciando a formatação da partição) isto irá apagar todos
os dados da partição então muito cuidado!; a opção Check também irá formatar a
partição e além disso irá checar se existe algum erro na partição; Por fim, a opção
No, esta opção não formata a partição e deixa os dados desta intactos (entretanto
os arquivos não instalação serão sobre-escritos), está opção é útil em casos de
atualização do sistema já que os dados que não são do sistema permaneceram
intactos.

Escolha Format
para continuar a
instalação e
formatar a partição.
Bem, esta tela irá questionar ao administrador do sistema que está fazendo a
instalação sobre qual é o formato (sistema de arquivos) que deve conter a
partição, as opções são ext2, ext3 e reiserfs, a padrão é a reiserfs.

Escolha um formato
para a partição a
ser formatada
Como em nosso exemplo foi adicionado uma partição FAT32 e ainda possuímos
uma partição NTFS, o programa de instalação irá nos questionar se estas devem
ser adicionadas no Linux como partições (que deverão aparecer no sistema)
padrões na inicialização. Este passo não é obrigatório e pode ser feito após a
instalação. Em nossa instalação não iremos adicionar as partições no Windows no
Linux.

Selecione No, e tecle ENTER


para prosseguir com a
instalação.
A próxima tela irá lhe pedir qual é a fonte da instalação, sendo possível (1) instalar
via DVD ou CD, (2) instalar a partir de uma partição do disco rígido, (3) instalar via
compartilhamento de rede NFS e (4) instalar a partir de um diretório pré-montado.

Em nosso caso, assim como na grande maioria das instalações, iremos utilizar a
instalação via CD (1).

Selecione com as setas


(cima e baixo) a forma de
instalação, normalmente é
a 1 Install from a
Slackware CD or DVD.

Tão logo tenha selecionado


a fonte de instalação
selecione <ok> e de um
ENTER.
Após, escolher a fonte de instalação a partir do CD ou DVD, será apresentada uma
tela perguntando se o usuário deseja escolher o dispositivo de CD/DVD
manualmente ou deseja que o Slackware faça isto de forma automática. Uma
ótima escolha é a busca automática.

Selecione com as setas


(cima e baixo) se a busca
pela mídia de instalação de
ser feita automaticamente
ou manualmente.

selecione e pressione <ok>


de um ENTER.
Agora chegamos na tela que pergunta ao usuário quais pacotes do Slackware
Linux serão instalados. Basicamente podemos navegar entre o menu dos pacotes
com as setas acima e abaixo, podemos marcar ou desmarcar os pacotes a serem
instalados com a barra de espaço, caso um pacote seja selecionado para
instalação este será marcado com o X.

Nesta tela você apenas pré-seleciona um conjunto de pacotes de serão instalados,


porém, mais para frente você poderá selecionar os programas relacionados a
esses pacotes.

Escolha
previamente os
pacotes a serem
instalados no
computador e de
um <OK>.
Está tela também faz parte da seleção de pacotes, porém aqui você escolherá se
os pacotes pré-selecionados serão instalados totalmente (full, todos os sub-
pacotes do conjunto de pacotes selecionados serão instalados), é possível ainda
escolher: expert (escolhendo os pacotes individualmente), menu (escolhendo
grupos de pacotes individuais de forma interativa), e os modos restantes são
avançados.

Atenção só aparecerão os sub-pacotes dos pacotes pré-selecionados, ou seja, se


você não escolheu, por exemplo, o Gnome os pacotes referentes ao Gnome não
aparecerão aqui.

Escolha como
será a opção de
instalação,
normalmente as
mais utilizadas
são a full
(instala tudo sem
fazer perguntas)
ou a menu
(instala os
pacotes depois
de apresentar
telas para
selecionar alguns
pacotes.
Caso se tenha escolhido a opção full, os pacotes serão instalados imediatamente
sem que o programa de instalação faça nenhuma pergunta. Já se escolhermos a
opção menu ou expert serão apresentadas telas contento os pacotes a serem
instalados, possibilitando assim que o usuário escolha os pacotes individualmente.

De qualquer forma, após escolher os pacotes ou selecionar a opção full serão


apresentadas várias telas de instalação dos pacotes, apresentando também, os
nomes dos pacotes e as descrição dos mesmos.

Este passo demorá um pouco, dependendo é claro do número de pacotes


escolhidos.

É provável que o programa de instalação peça que o usuário coloque o CD 2 de


instalação, para que seja instalados os pacotes deste CD.
Assim, que os pacotes sejam instalados os pacotes o programa de instalação irá
questionar ao usuário quanto ao Kernel a ser instalado.

A tela abaixo questiona o usuário sobre onde está o Kernel a ser instalado, como
nós estamos fazendo a instalação a partir do CD-ROM, a opção natural é buscar o
Kernel a ser instalado no CD-ROM.

Atenção, caso tenha-se utilizado o segundo CD de instalação o setup pedirá para


colocar o primeiro CD novamente.

Escolha onde está


o Kernel a ser
instalado no
computador e
pressione OK.
O programa setup, apresenta inúmeros Kernels que podem ser instalados no
computador, o Kernel padrão é o localizado no diretório
/cdrom/kernels/bare.i/bzImage. Porém, caso o usuário queira que os recursos
de energia (como desligar o computador pelo botão de power) sejam gerenciados
pelo Kernel é recomendável o uso do kernel do diretório
/cdrom/kernels/bareacpi.i/bzImage.

Os outros Kernels são para diferentes tipos de arquiteturas de computadores,


sistemas de arquivos etc...

Escolha o Kernel
a ser instalado e
tecle OK.
Instalado o Kernel, o programa de setup pede se o usuário quer ou não criar um
disquete de emergência que será utilizado caso o sistema apresente falhas na
inicialização. Está opção não é muito utilizada, pois normalmente utilizamos o CD
de instalação para recuperar o sistema em caso de falha, então você pode
escolher <Skip> .

Atualmente não é
necessário criar
disquetes de
emergência,
então pule este
passo com o
<Skip>
O HotPlug faz o reconhecimento automático de hardwares do sistema, tal como,
caso o usuário adicione algum mouse USB durante ou após a inicialização do
sistema ou adicione uma placa wireless PCMCIA, etc.

Assim, é recomendável ativar o HotPlug escolhendo a opção <Yes>.

Escolha <yes>
para habilitar o
HotPlug durante
a inicialização do
sistema.
Este passo é referente a instalação do gerenciador de boot que o Linux irá utilizar
para escolher o sistema operacional quando o computador for ligado. O
gerenciador de boot padrão do Slackware é o LILO. Vamos utilizar a versão de
instalação simples do LILO (simple), na qual o próprio Slackware irá identificar os
sistemas operacionais presentes (linux, windows, etc).

Caso o usuário deseje configurar algo manualmente escolha a opção expert, esta
opção permitirá ao usuário editar diretamente o arquivo de configuração do LILO
(/etc/lilo.conf). A opção skip, pula a configuração e instalação do LILO.

Escolha a opção
simple para a
instalação do
LILO de forma
automática.
Esta tela também é referente a configuração do LILO, só que aqui estaremos
configurando qual é a resolução que o modo texto (init 3) irá apresentar para o
usuário após a instalação, o padrão é o 1024x768x256. Em monitores mais antigos
talvez seja necessário diminuir esta resolução para 800x600 ou até mesmo
640x480, caso contrário pode ocorrer problemas com a visualização de caracteres
no monitor.

Escolha a resolução
do modo texto
(init 3). O padrão
é 1024x768.
O programa de instalação do Slackware agora está lhe questionando se você
deseja passar algum parâmetro extra (fora do comum) para a inicialização do
sistema no LILO. A resposta é normalmente não, ou seja, deixe a linha em branco
e pressione <OK> para o passo seguinte.

Não digite nada e


apenas pressione
<OK>.
Para finalizar com a instalação do LILO, o programa de instalação do Slackware
pergunta onde ele deve instalar o LILO, as opções são: Root (para instalar o LILO
no super-bloco do disco rígido), Floppy (instala o LILO em um disquete) e MBR
(instala o LILO no Master Boot Record, setor principal de boot do HD).

Atenção!!! Você deve instalar no MBR (3ª opção), caso contrário o LILO pode não
ser iniciado durante o boot.

Atenção!!! Escolha
a opção MBR e siga
em frente...
O próximo passo é configurar o mouse, selecione o mouse que está instalado no
seu sistema e pressione <OK>. O mouse mais comum é o ps2, porém atualmente
muitos mouses são usb.

Escolha seu mouse


e pressione <OK>
Esta tela está perguntando se o mouse deve ser acionado no ambiente texto, caso
a resposta seja sim escolha <Yes> caso contrário pressione <No>. O uso do mouse
no modo texto é muito útil, por isto recomenda-se escolher <Yes>.

Para ativar o mouse no


ambiente texto (init 3)
escolha <Yes>.
Escolha os serviços que deverão ser iniciados com o sistema, tal como, placas
PCMCIA, servidor de impressão (CUPS). Você deve ver se realmente precisa do
serviço no sistema, caso contrário não adicione o serviço para ser inicializado no
processo de boot.

É possível configurar tais serviços depois que o sistema foi instalado.

Escolha os serviços
que iram ser
iniciados juntos
com o Linux no
processo de boot.

Barra de espaço
ativa (marca com
um X) ou desativa o
serviço.
Tela de configuração das fontes do sistema, escolha a opção <No>.

Não é necessário configurar


as fonte do sistema, então
pressione <No>
Este passo configura como o horário do sistema será ajustado, está opção não é
importante, mas configure com os parâmetros de seu país.

Escolha ajustar a hora pelo sistema local (opção NO) e siga para o próximo passo.

Selecione <NO> e siga em


frente!!!
Está tela também é referente ao horário, desta forma selecione o país e a região
onde você mora e tecle <OK>.

Selecione uma região do


Brasil e tecle <OK>
Para finalizar a instalação iremos escolher uma senha para o usuário root, que é o
administrador do sistema. Esta senha é extremamente importante, assim você
deve lembrar desta senha, porém ela não deve ser uma senha muito fácil, já que
ela representa toda a segurança de seu sistema Linux.

Pressione <Yes> e de um
ENTER!!!
Tão logo tecle-se <Yes> na tela anterior será apresentado um prompt para a
digitação da senha, você deve então digitar a senha (a senha não aparece
enquanto você está digitando, por motivos de segurança). Digite a senha
novamente (Re-enter new password) e tecle enter para continuar.

1. Entre com a senha e


tecle ENTER (a senha não
aparece quando digitada)

2. Confirme a senha e tecle


ENTER.
Parabéns, a instalação está completa e você pode reiniciar o computador, para
isto tecle <OK> e siga para a próxima tela.

Tecle <OK>!!! ;-)


Para reiniciar o sistema, no menu setup escolha a opção EXIT, e depois digite o
comando reboot ou pressione as teclas CTRL+ALT+DELETE para reiniciar o
computador.

Lembre-se de retirar o CD de instalação do Slackware para que o processo de


instalação não seja repetido, ou altere a sequência de boot, colocando na primeira
opção de boot o disco rígido.

1. Selecione EXIT para sair


do setup.

Atenção! Retire o CD de
instalação do Slackware
antes de reiniciar o
computador.

Digite reboot para reiniciar


o computador.
Pronto, se tudo correu como esperado o gerenciador de boot (LILO) deve iniciar e
apresentar como escolhas de boot (Windows e o Linux). Caso seja apresentado
uma sequência de caracteres estranhos ao invés do LILO, significa que algo deu
errado na instalação do LILO, e você deve tentar reparar o erro, reinstalando o
LILO ou instalando o GRUB.

Caso seja necessário algum reparo de emergência o CD de instalação permite


entrar no Linux recem instalado (caso algo tenha dado errado), para tanto basta
colocar o primeiro CD de instalação do Slackware e passar como parâmetro para o
LILO do CD de instalação o seguinte a seguinte linha:

boot: bare.i root=/de/hda3 noinitrd ro


Se nada deu errado e seu Linux Slackware iniciou normalmente, então seja bem
vindo ao mundo do Linux e do Software Livre!!!

Porém, a diversão apenas começou, pois o Slackware não vem pronto para
usuários finais e sim ele é instalado para que os verdadeiros profissionais da
informática moldem o Slackware para seus clientes finais!!!

Assim, você deve visitar as seguintes páginas para obter informações e ajuda:

www.slackware.com - Página oficial do Slackware (Inglês);


www.linuxpackages.net -Site com inúmeros pacotes para o Slackware (Português);
www.slacklife.com.br - Comunidade Slackware (Português);
www.Slackware-brasil.com.br - Outra comunidade Slackware (Português).

No slackware-brasil.com.br exitem tutoriais informando como refinar a


configuração do Slackware, tal como: configurar placa de som, configurar modem,
reconfigurar mouse, reconfigurar teclado, melhorar resolução de vídeo, como
instalar programas, como configurar o slackware para as configurações português
Brasil, etc.

Em casos de duvidas entre no www.google.com.br e busque por suas duvidas,


lembrando de digitar também a palavra Slackware para uma busca mais refinada.