O jornal oficial da exposição

Millôr, 90 anos de nós mesmos
daily
parceria exposição realização apoio institucional exposição apoio daily míllor
ª Árvore é uma pIanta que cresce para baixo da
terra apoiando os galhos no vento.
ª Vento é o ar posto em movimento peIo rodo-
piar das pipas.
ª Pipa é um Iosango feito de papeI e varetas que
se diverte puxando um menino.
ª Menino é um ser que diminui, diminui, diminui,
até virar homem.
ª Homem é a metade maIcheirosa do ser humano.
ª Ser humano é uma espécie de mamífero bípede
que há cerca de vinte mil anos foi domesticada
pelos cães.
ª Cães são os meIhores amigos do homem - depois
do uísque, do próprio homem, da mulher, do
canivete suíço, da churrascaria rodízio, do cheque
especial, do sildenafil e do www.redtube.com
(Este texto está ficando chulo. Passemos para
o próximo assunto.)
ª Assunto é o que sobra nos chatos e faIta nos
elevadores.
ª EIevador é um meio de transporte inventado
por meteorologistas para valorizar o seu ofício.
ª Ofício é quaIquer tipo de trabaIho chato.
ª Chato é um ser humano com muito assunto
dentro de um elevador.
ª EIevador é um meio de transporte inventado
pelos chatos para intensificar a sua chatice –
mas vejo que me repito.
ª Repetir é bom numa feijoada, jamais num texto.
ª Texto é um preparado que pode ou não conter
paio, costelinha, orelha e rabo.
ª Rabo é o que está do Iado oposto do cabo. Ou
seja, o
FIM
ANTONIO PRATA
Definições definitivas
AO ESTILO DO ESTILOSO AUTOR SEM ESTILO – POR ANTONIO PRATA,
QUE SE APRESENTA HOJE NA TENDA DOS AUTORES
Paraty, sexta-feira
1 de agosto de 2014
hai-kai
Mas Buda, se não me engano
Não era
Vegetariano
Em desenho de CHICO
CARUSO, Ziraldo, Millôr,
Jaguar, Henfil e Caulos
vestem (ou desvestem)
fantasias de seus
personagens
EM TERRA
DE OLHO,
QUEM TEM
UM CEGO...
ERREI!
AUTOR
HOMENAGEADO
DA FLIP 2014
CLÁssIcOS dO
em NOVA eDIçÃO
Um tirano pode evitar uma
fotografia: não pode evitar uma
caricatura.
Ah, um mês depois do golpe
militar, lançamos também nossa
publicação Pif Paf. A publicação
que, desnecessário dizer, não
tinha a menor graça pros novos
democratas, fez o primeiro herói
humorista do Brasil. Claudius
Ceccon, arquiteto e um dos
nossos melhores desenhistas
de humor e drama, foi preso
– incomunicável – durante
alguns dias. Não soube por
que, e nem sabe até hoje. Mas
ainda tem esperança de saber,
quando abrirem os arquivos dos
destroços do Pentágono.
E se o Brasil for apenas um jogo
de espelhos?
Está provado: o cinema novo
não é um movimento cinema-
tográfico. É um movimento
jornalístico.
Comigo não, violão: Not this
one, guitar.
O comilão, que come tudo o
que é comível, acaba comido
pela comida.
O gourmet é o comilão erudito
(Livre pensar é só pensar)
O humor compreende também
o mau humor. O mau humor é
que não compreende nada.
Estou pensando em escrever
uma história fantástica passa-
da num país imaginário. Uma
história bem brasileira.
O humorismo é a quintessência
da seriedade.
A fotografia de identidade
identifica, de forma definitiva, a
expressão que nada tem a ver
comigo.
Só existe uma coisa mais
desamparada que um recém-
-nascido: é um recém-pai.
Certos pais têm a pretensão de
preparar os filhos para a vida:
outros têm a megalomania de
preparar a vida pros filhos.
10h | mesa 5
O Guru do Méier
Loredano
Claudius
Sérgio Augusto
21h30 | mesa 10
2x Brasil
Cacá Diegues
Edu Lobo
12h | mesa 6
À mesa com Michael Pollan
17h15 | mesa 8
Livre como um táxi
Antonio Prata
Mohsin Hamid
19h30 | mesa 9
Encontro com Andrew Solomon
Só se controla a natureza
controlando a natureza humana.
Ecologia: uma esquerda
conservadora.
15h | mesa 7
Marcados
Claudia Andujar
Davi Kopenawa
Millôr comenta a programação
sexta-feira

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful