Você está na página 1de 15

DEPARTAMENTO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO

Mestrado em Ensino

Disciplina: CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO II

Ano Lectivo : 2008/2009


Semestre : 1º
Docentes : Prof.ª Doutora Alice Mendonça (Módulo I)
Prof. Doutor António V. Bento (Módulo II)

Carga Horária: 4 horas semanais

Contacto com os docentes:


Emails:
alice@uma.pt
bento@uma.pt

Páginas Pessoais

http://www.uma.pt/alicemendonca/

http://www.uma.pt/bento

Módulo I : Sociologia da Educação

Prof. Alice Mendonça


Gabinete: 1.83, Piso -1
Telefone: 291 705 210
Horário de atendimento: Segunda - feira 17:00 – 18:00

Reprografia: caixa 33

Módulo II : Organização e Administração Escolar

Prof. António V. Bento


Gabinete: 1.8 (Piso 01)
Telefone: 291 705 200
Horário de atendimento: 4ª: 11h00 – 12h30

1
Reprografia: caixa # 40
OBJECTIVOS DO MÓDULO I
(Sociologia da Educação)

Pretende-se facultar aos alunos um suporte conceptual de referência, ao nível da


Sociologia da Educação, susceptível de possibilitar a análise, compreensão e resolução
dos fenómenos desencadeados nos contextos educativos.
Assim, num primeiro momento far-se-á uma abordagem geral contemplando as
principais correntes e respectivos teóricos na área da sociologia da educação. Este
estudo será apoiado quer pelos resultados das investigações efectuadas quer pela análise
crítica de textos dos autores seleccionados.
De seguida com a análise da realidade educativa portuguesa, pretende-se relevar
alguns dos aspectos que evidenciam as desigualdades do nosso sistema educativo, assim
como os problemas que afectam actualmente os actores intervenientes no contexto
escolar. Esta abordagem tem como objectivo sensibilizar e permitir uma reflexão
centrada na diversidade das instituições, contextos e actores com o objectivo de
possibilitar o planeamento de soluções plausíveis e consistentes, sustentadas por um
quadro teórico e conceptual de referência.

Processo ensino-aprendizagem:

As aulas terão semanalmente uma componente teórica e uma componente


prática. Na primeira far-se-á a explanação de conceitos e dos principais conteúdos
programáticos não obstante a participação dos alunos através de reflexão e diálogo
pertinentes para a disciplina.
Nas aulas práticas os alunos deverão aplicar os conhecimentos teóricos
abordados quer nas aulas teóricas quer nas pesquisas realizadas pelos mesmos. Nestas,
serão igualmente realizados e/ou apresentados oralmente os trabalhos solicitados pela
docente.

Neste módulo a avaliação contínua incidirá sobre dois momentos a saber:

1- Realização de uma prova de frequência a realizar no final do semestre.

2- Entrega em data a combinar, de um trabalho de grupo (não excedendo os quatro


elementos). Os trabalhos serão apresentados posteriormente, nas aulas práticas,
calendarizadas pela docente. A apresentação oral de cada trabalho não poderá exceder
os 15 minutos.
Na exposição dos trabalhos valoriza-se a linguagem utilizada, a animação da aula e o
esclarecimento de dúvidas.
Cuidados a ter na elaboração do trabalho escrito:
- Letra 12, espaço 1.5.
- Rigor no uso dos conceitos e na linguagem.
- Distinção rigorosa entre o que é dos alunos e o que é das fontes consultadas.
- Assinalar as citações.
- Referir a bibliografia utilizada.

2
Peso de cada momento de avaliação no Módulo I para a atribuição da nota final:
Frequência: 50 %
Trabalho de grupo : 50%
O Módulo I é classificado para 100% mas será posteriormente dividido por dois (2),
pelo que o seu peso na avaliação final será de 50%. A esta classificação acrescem os
50% do Módulo II.

Assim: Classificação Final = (Módulo I + Módulo II)


2

Os alunos que não obtiverem a média de 9,5 valores no final do semestre, neste
módulo, vão a exame da época complementar. A nota obtida na época complementar é
equivalente à percentagem de 50% (correspondente à percentagem atribuída à
frequência) para contabilização da nota final neste mesmo módulo.

A avaliação pressupõe uma presença e participação regulares nas aulas ao longo


do semestre. Caso esta assiduidade –no mínimo 75% do total das aulas - não possa ser
manifestamente assegurada, existe a alternativa, legalmente consagrada, de exame final,
a combinar com os docentes no início do semestre.

PROGRAMA DO MÓDULO I

Parte 1. A educação escolar - perspectivas sociológicas.


1.1. Émile Durkheim: reprodução consensual.
1.2. Max Weber: classe e estatuto social.
1.3. Karl Marx e o conceito de classe social.
1.4. Bourdieu e Passeron: o ensino superior e as desigualdades sociais.
1.5. Baudelot e Establet: a escola como reprodutora da estrutura de classes.
1.6. Althusser: Ideologia e Aparelhos Ideológicos de Estado.
1.7. Os objectivos da educação face ao desenvolvimento cultural, económico,
científico e tecnológico do mundo actual.
1.7.1. A organização escolar na sociedade actual.

Parte 2. A impotência da organização escolar perante as desigualdades. Análise de


estudos.
2.1. Relatório Coleman.
2.2. Teoria de C. Jenks.
2.3. Eficiência escolar : Rutter
2.4. As Escolas marcam a diferença: evidências, críticas e novas perspectivas.

Parte 3. Desigualdades no contexto educativo português


3.1. Conceito de igualdade em educação - Igualdade formal e igualdade real.
3.2 A problemática do Insucesso escolar.
3.2.1. Determinantes sociais e determinantes escolares do insucesso escolar
3.3. A representação social da escola
3.3.1. Da representação à desigualdade

3
Orientação bibliográfica
( Módulo I – Sociologia da Educação)

A.A.V.V., Dicionário de Sociologia, Porto Editora, Porto, 2002.

ABRAMOWICZ, Anete, et al., Para Além do Fracasso Escolar, Col. Magistério: Formação e
Trabalho Pedagógico, Papirus Editora, Campinas, São Paulo, 1997.

ABREU, Isaura ; ROLDÃO, Maria do Céu, “A Evolução da Escolaridade Obrigatória em


Portugal nos Últimos Vinte Anos” in O Ensino Básico Em Portugal, Col. Biblioteca
Básica de Educação Ensino, Edições ASA, Porto, 1989, pp. 41-94.

AFONSO, Almerindo J.; LIMA, Licínio C., Reformas da Educação Pública - Democratização,
Modernização, Neoliberalismo, Biblioteca das Ciências do Homem / Ciências da
Educação 15, Edições Afrontamento, Porto, 2002.

ANSARD, Pierre, Sociologia Francesa Contemporânea, Celta Editora, Oeiras, 2002.

ANTUNES, José Joaquim, “Os Abandonos Escolares no Ensino Básico” in O Ensino Básico
Em Portugal, Col. Biblioteca Básica de Educação e Ensino, Edições ASA, Porto, 1989,
pp. 95-132.

ARCHER, Margaret, Social Origins of Educational Systems, Sage, London, 1984.


ARON, Raymond, As Etapas do Pensamento Sociológico, Circulo de Leitores, Lisboa, 1991.

ARROTEIA, Jorge Carvalho, Análise Social da Educação, Roble Edições, Leiria, 1991.

AZEVEDO, Joaquim, Avenidas De Liberdade ( Reflexões Sobre Política Educativa ), 2ª ed.,


Edições ASA, Porto, 1996.

AZEVEDO, José Maria, Os Nós da Rede- O Problema das Escolas Primárias em Zonas
Rurais, Col. Perspectivas Actuais / Educação, Edições ASA, Porto, 1996.

BASTIN, Georges, A Hecatombe Escolar, Biblioteca do Educador Profissional, Livros


Horizonte, Lisboa, 1976.

BENAVENTE, Ana, A Escola na Sociedade de Classes, Biblioteca do Educador Profissional,


Livros Horizonte, Lisboa, 1976.

BENAVENTE, Ana, et al., Do Outro Lado da Escola, 3ª ed., Col. Terra Nostra, Editorial
Teorema, Lisboa, 1991.

BENAVENTE, Ana, Insucesso Escolar no Contexto Português- Abordagens,Concepções e


Políticas, Cadernos de Pesquisa e de Intervenção, nº1, Lisboa, 1990, pp.1-40.

BENAVENTE, Ana, et al., Renunciar à Escola - O Abandono Escolar no Ensino Básico, Fim
De Século Edições, Lisboa, 1994.

BERNSTEIN, Basil, “Social Class, Language and Socialisation” in J. Karabel e A. H. Halsay,


Power and Ideology in Education, Oxford University Press, s.d. pp. 473-486.

4
BERTHELOT, Jean-Michel, O Labirinto Escolar, (Trad.), Biblioteca da Educação, Rés-
Editora, Porto, s.d.

BOUDON, Raymond, A Desigualdade de Oportunidades, Editora Universidade de Brasília,


Brasília, 1981.

BOURDIEU, Pierre ; PASSERON, Jean-Claude, A Reprodução, Vega, Lisboa, s.d.

BOWLES, Samuel ; GINTHIS, Herbert, “Capitalismo e Educação nos Estados Unidos” in S.


Grácio; S. Miranda ; S. Stoer, Sociologia da Educação I: Funções da Escola e
Reprodução Social, Livros Horizonte, Lisboa, 1982, pp.159-192.

BRAGA DA CRUZ, M., Teorias Sociológicas - Os Fundadores e os Clássicos, 4ª ed.,


Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 2004.

CANÁRIO, et al., Escola e Exclusão Social, Educa, I.I.E., Lisboa, 2001.

CARNEIRO, Maria do Rosário A. C. ( Coord. ), Crianças de Risco, Instituto Superior de


Ciências Sociais e Políticas, Lisboa, 1997.

CARVALHO, Angelina, Da Escola ao Mundo do Trabalho, I.I.E., Lisboa, 1998.

CHERCKAOUI, Mohamed, Sociologia da Educação, 2ª ed., Col. Saber, Publicações Europa -


América, Mem Martins, 1993.

COLLINS, Randall, “Functional and Conflict Theories of Educational Stratification” in


American Sociological Review, vol 36, 1971, pp. 1002-1019.

CORREIA, Isabel, “Educação Pré-Escolar”, Sistema de Ensino em Portugal, Fundação


Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1981, pp. 145-166.

CORTIS, Gerald, O Contexto Social do Ensino, Livros Horizonte, Lisboa, 1980.

COSTA, António Firmino da, Sociologia, 3ª ed., Quimera Editores, Lisboa, 2001.

COSTA, Maria de Lurdes T., “ Função Social da Avaliação”, Sistema de Ensino em Portugal,
Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa, 1981, pp. 603-621.

CUIN, Charles-Henry ; GRESLE, François, História da Sociologia, Publicações Dom Quixote,


Lisboa, 1995.

DEMARTIS, Lucia, Compêndio de Sociologia, Col. Compêndio, Edições 70, Lisboa, 1999.

DIOGO, Ana Matias, Família e Escolaridade-Representações Parentais da Escolarização,


Classe Social e Dinâmica Familiar, Edições Colibri, Lisboa, 1998.

DON DAVIES, (coord.) As Escolas e as Famílias em Portugal- Realidades e Perspectivas,


Col. Biblioteca do Educador, Livros Horizonte, Lisboa, 1989.

DURKHEM, Émile, As Regras do Método Sociológico, Presença, Lisboa, 1991.

ÉTIENNE, Jean et al., Dicionário de Sociologia, Plátano, Lisboa, 1998.

5
FERNANDES, António Sousa, “ A Problemática Social da Educação Escolar” in A Construção
Social da Educação Escolar, Col. Biblioteca Básica de Educação e Ensino, Edições
ASA/Clube do Professor, Rio Tinto, 1991, pp. 48-60.

FERNANDES, António Sousa, «A Dimensão Social da Educação» in A Construção Social da


Educação Escolar, Col. Biblioteca Básica de Educação e Ensino, Edições ASA / Clube
do Professor, Rio Tinto, 1991, pp. 23-33.

FERNANDES, António Sousa, «O Fracasso do Currículo Liberal » in O Insucesso Escolar Em


Questão, Universidade do Minho, Braga, 1987.

FERNANDES, António Sousa, “O Insucesso Escolar” in A Construção Social da Educação


Escolar, Col. Biblioteca Básica de Educação e Ensino, Edições ASA / Clube do
Professor, Rio Tinto, 1991, pp. 187-232.

FERNANDES, Rogério, “Ensino Básico”, Sistema de Ensino em Portugal, Fundação Calouste


Gulbenkian, Lisboa, 1981, pp. 167-190.

FERREIRA, J. M. Carvalho, et. al., Sociologia, McGraw-Hill, Lisboa, 1995.

FORMOSINHO, João, A Construção Social da Educação Escolar, Col. Biblioteca Básica de


Educação e Ensino, Edições ASA / Clube do Professor, Rio Tinto, 1991.

FORMOSINHO, João, «O Currículo Uniforme Pronto- a-Vestir de Tamanho Único » in O


Insucesso Escolar Em Questão Universidade do Minho, Braga, 1985.

FORMOSINHO, João; FERNANDES, António Sousa, « A Influência dos Factores Escolares


» in O Insucesso Escolar Em Questão, Universidade do Minho, Braga, 1987.

GOMES, Cândido Alberto, A Educação em Novas Perspectivas Sociológicas, 4ª ed., Temas


Básicos de Educação e Ensino, E.P.U., São Paulo, 2005.

GRÁCIO, Rui, “ Insucesso Escolar. Composição Socialmente Heterogénea dos Alunos e


Atitudes dos Professores”, Vértice, nº41, pp. 142-148.

GRÁCIO, Sérgio, Dinâmicas da Escolarização e das Oportunidades Individuais, EDUCA,


Lisboa, 1997.

GRÁCIO, Sérgio ; MIRANDA, Sacundala de ; STOER, Stephen, Sociologia da Educação -


antologia - Escola e Reprodução Social, vol. I, Biblioteca do Educador Profissional,
Livros Horizonte, Lisboa, 1982.

GRÁCIO, Sérgio ; STOER, Stephen, Sociologia da Educação – Antologia. A Construção


Social das Práticas Educativas, vol. II, Biblioteca do Educador Profissional, Livros
Horizonte, Lisboa, 1982.

HUSÉN, Torsten, Meio Social e Sucesso Escolar, Biblioteca do Educador Profissional, Livros
Horizonte, Lisboa, s.d.

ITURRA, Raul, Fugirás à Escola para Trabalhar a Terra – Ensaios de Antropologia Social
Sobre o Insucesso Escolar, Escher, Lisboa, 1990.

LAHIRE, Bernard, “As Origens da Desigualdade Escolar” in Álvaro Marchesi ; Carlos


Hernandez Gil, et al., Fracasso Escolar-Uma Perspectiva Multicultural, Artmed
Editora, Porto Alegre, Brasil, 2004, pp. 67-75.

6
LAHIRE, Bernard, Tableaux de Familles-Heurs et Malleurs en Millieux Populaires,
Gallimard/Le Seuil, Paris, 1995.

LAURENS, Jean - Paul, 1 Sur 500 - La Réussite Scolaire en Millieu Populaire, Presses
Universitaires du Mirail, Toulouse, 1992.

LURÇAT, Liliane, Insucesso e Desinteresse na Escola Primária, Editorial Notícias, Lisboa,


1978.

MAIA, Rui Leandro ( org. ), Dicionário de Sociologia, Porto Editora, Porto, 2002.

MANNONI, P., “ Signification Psychologique de L’Échec Scolaire » in Troubles Scolaires et


Vie Afective Chez L’ Adolescent, Editions E.S.F., Paris, 1979.

MARX, Karl, O Capital, vol. I, Progress Publishers, Moscow, 1971.

MENDONÇA, Alice, (2007, Fevereiro 5). Insucesso Escolar – A Escolaridade Obrigatória no


Arquipélago da Madeira em finais do Século XX (1994-2000), Tese de Doutoramento
apresentada à Universidade da Madeira, Funchal.

MENDONÇA, Alice, “Sucesso/Insucesso: Percursos da Organização Escolar” in SOUSA,


Jesus e FINO, Carlos, (org.), A Escola Sob Suspeita, ASA, Porto, pp. 397-414.

MÓNICA, Maria Filomena, Escola e Classes Sociais ( Antologia ),Editorial Presença, Lisboa,
s.d.

MORROW, Raymond ; TORRES Carlos Alberto, Teoria Social e Educação – Uma Crítica
das Teorias da Reprodução Social e Cultural, Biblioteca das Ciências do Homem,
Edições Afrontamento, Porto, 1997.

MUÑIZ, Baudilio Martínez, A Família e o Insucesso Escolar, Col., Crescer, Porto Editora,
Porto, 1993.

MUSGRAVE, P. W., Sociologia da Educação, 2ª ed., Fundação Calouste Gulbenkian, Lisboa,


1994.

NIZA, Sérgio (org), A Escola e a Sociedade, Col. Técnicas de Educação, Editorial Estampa,
Lisboa, 1977.

NOGUEIRA, Maria Alice, et al., ( org. ) Família & Escola - Trajetórias de Escolarização em
Camadas Médias e Populares, Editora Vozes, Petrópolis, 2000.

PAQUIN, Anne ; PARENT, Ghyslain, " Inquérito Junto dos « Desertores» Sobre as Razões do
Seu Abandono Escolar " in Revue des Sciences de l' Éducation, vol. XX, nº 4 ,1994, pp.
697-718.

PARSONS, Talcott, “The school class as a Social System” in Harvard Educacional Review,
vol. 29, nº 4 1959, pp. 298-307.

PERRENOUD, Philippe, Ofício de Aluno e Sentido do Trabalho Escolar, Colecção Ciências da


Educação, Porto Editora, Porto, 1995.

PINTO, Conceição Alves, Sociologia da Escola, McGRAW-HILL, s.l., 1995.

7
PIRES, Eurico Lemos, et al., A Construção Social da Educação Escolar, Col. Biblioteca Básica
de Educação e Ensino, Edições ASA / Clube do Professor, Rio Tinto, 1991.

PIRES, Eurico Lemos, “ A Massificação Escolar ” in Revista Portuguesa de Educação, nº 1,


Lisboa, 1988, pp. 27-43.

PIRES, Eurico Lemos, et al., O Ensino Básico Em Portugal, Col. Biblioteca Básica de
Educação e Ensino, Edições ASA, Porto, 1989.

QUEIRÓS, J. M. de, L École et Ses Sociologies, Nathan, Paris, 1995.

RELATÓRIO MUNDIAL SOBRE A EDUCAÇÃO / 2000, O Direito à Educação - Uma


Educação Para Todos Durante Toda a Vida, Col. Perspectivas Actuais, Edições ASA,
Porto, 2000.

ROAZZI, A. ; ALMEIDA, L. S., “Insucesso Escolar: Insucesso do Aluno ou Insucesso do


Sistema Escolar?” in Revista Portuguesa de Educação, 1, Lisboa, 1988, pp. 53-60.

ROLLA, Jorge Silva, Do Acesso Ao (In)Sucesso- A questão das (Des)Igualdades, Cadernos


Correio Pedagógico, nº 24, ASA, Porto, 1994.

ROSENTHAL, R. ; JACOBSON, L., Pygmalion à L’École.Succès ou Échec Scolaire ? Un


Facteur Important : Le Prèjugé du Maître, Ed. Casterman, Paris, 1971.

SANTIAGO, Rui A., A Escola Representada Pelos Alunos, Pais e Professores, Universidade
de Aveiro, Aveiro, 1996.

SEABRA, Teresa, Educação nas Famílias - Etnicidade e Classes Sociais, Temas de


Investigação 9, Ministério da Educação, I. I. E., Lisboa, 1999.

SILVA, Cristina Gomes da, Escolhas Escolares, Heranças Sociais, Celta Editora, Oeiras, 1999.

SIROTA, Régine, L’École Primaire au Quotidien, PUF, Paris, 1988.

STOER, Stephen ; ARAÚJO, Helena C., Escola e Aprendizagem Para o Trabalho Num País
da (Semi)Periferia Europeia, 2ª ed., I.I.E., Lisboa, 2000.

STOER, Stephen ; SILVA, Pedro, (orgs.) Escola-Família - Uma Relação em Processo de


Reconfiguração, Col. Ciências da Educação, Porto Editora, Porto, 2005.

TEIXEIRA, Manuela, O Professor e a Escola, McGRAW-HILL, Lisboa, 1995.

TORRES, Rosa María, “Repetência Escolar: Falha do Aluno ou Falha do Sistema?” in Álvaro
Marchesi, Hernández Gil et al., Fracasso Escolar-Uma Perspectiva Multicultural,
Artmed Editora, Porto Alegre, Brasil, 2004, pp. 34-42.

VENÂNCIO, Isabel, OTERO, Agustin, Eficácia e Qualidade na Escola, ASA, Porto, 2003.

WEBER, Max, “Class, Status, Party” in Education: Structure and Society, Penguin,
Harmonsword, 1977, pp. 211-224.

8
Módulo II
Organização e Administração Escolar

SINOPSE

Neste módulo, serão examinadas as várias teorias administrativas e os modos como elas
têm contribuído para o desenvolvimento do sistema educativo. Os alunos, neste módulo,
desenvolverão um referencial teórico e conceptual que favorece a compreensão da
administração e gestão escolar, os seus modos de funcionamento e as suas implicações
na acção educativa. Também serão analisadas várias temáticas organizacionais tais
como liderança, motivação, cultura organizacional de escola, gestão de conflitos, etc.
Este módulo oferece aos alunos instrumentos de análise e de compreensão dos
processos organizacionais e administrativos que facultam bases para uma participação
activa nas diversas áreas da gestão e administração escolar.
Serão, ainda, apresentados e analisados estudos de caso envolvendo situações
organizativas, administrativas e pedagógicas.

OBJECTIVOS DO MÓDULO

• Adquirir a capacidade para explicar a Organização e Administração Escolar


como uma rede de elementos dinâmicos, interrelacionados com vista à
realização dos fins educativos estabelecidos na Constituição e na Lei de
Bases do Sistema Educativo.
• Identificar e descrever os principais modelos organizacionais
contextualizados nas organizações educativas.
• Analisar a escola como um sistema aberto.
• Conhecer e analisar os diversos órgãos e competências nos diversos níveis
de organização da escola.
• Avaliar a importância do Projecto Educativo de escola e conhecer as várias
fases da sua construção, desenvolvimento e avaliação.
• Compreender a dinâmica e importância da “Legislação Educativa” na
evolução da reforma do ensino e no melhoramento global da qualidade e
sucesso da educação.
• Analisar as orientações da actual Reforma Educativa relativamente ao
regime de autonomia, administração e gestão das escolas.

AVALIAÇÃO

Neste módulo, será adoptado o sistema de avaliação contínua. De acordo com o


Regulamento de Avaliação da Aprendizagem dos Alunos da Universidade da Madeira, a
avaliação contínua é “a avaliação cumulativa que reflecte uma constante interacção
entre docentes e alunos. Funciona durante o período lectivo e incide sobre diferentes
tipos de trabalhos, escritos ou orais, e sobre a participação dos alunos nas actividades
lectivas.” (Artº 3, ponto 3).

Sendo assim, a avaliação englobará as seguintes componentes:

9
1. Participação:
Assiduidade, pontualidade e elaboração dos trabalhos marcados, desenvolvidos nas
aulas e em casa. A nota nesta área reflecte também a qualidade das contribuições
para os debates nas aulas (20%).

2. Trabalho de Grupo:
Elaboração e apresentação oral de um dos temas da lista a ser brevemente circulada
pela turma. O trabalho deve englobar as componentes teórica e prática (40%).

3. Frequência:
Uma frequência no final do semestre (40%).

A nota final, neste módulo, será a média das notas obtidas na participação (20%), no
trabalho de grupo (40%) e na frequência (40%).

NB # 1: São toleradas, neste módulo, duas faltas justificadas. Três ou mais faltas
injustificadas dadas no semestre tem influência negativa na nota final.

NB # 2: Todos os trabalhos devem ser apresentados e entregues nas datas previamente


marcadas; caso contrário a nota final será afectada negativamente.

NB # 3: Os alunos que não obtiverem a média de 9,5 valores no final do semestre, neste
módulo, vão a exame da época complementar. A nota obtida na época complementar é
equivalente à percentagem de 40% (correspondente à percentagem atribuída à
frequência) para contabilização da nota final neste mesmo módulo.

NB # 4: Como já foi indicado, a média final na unidade curricular de Ciências da


Educação II, será a média aritmética dos módulos seguintes: Sociologia da
Educação e Organização e Administração Escolar.

CONTEÚDOS PROGRAMÁTICOS

PARTE I. INTRODUÇÃO.
1.1. Introdução à Teoria da Administração
1.2. Organizações: Princípios e Teoria
• O conceito de Organização
• O conceito de Administração
• Teorias administrativas e sua utilidade
• A função administrativa no contexto das organizações
• Administração Escolar ou Educacional:
a) Conceito e Delimitação
b) Elementos da Administração Escolar

PARTE II. TEORIAS GERAIS DA ORGANIZAÇÃO E ADMINISTRAÇÃO


ESCOLAR: APLICAÇÃO AOS SERVIÇOS ESCOLARES.
2.1. Breve visão histórica das teorias das organizações
2.2. As teorias clássicas

10
2.3. As teorias modernas
2.4. As teorias organizacionais e a escola
2.5. A liderança nas organizações educativas
TEXTOS:
- Conversa com Taylor e Mayo
- Aplicação das teorias clássicas e modernas de organização e administração
educativas, em Portugal.
- O que é o “Management” da Escola.

PARTE III: LEGISLAÇÃO


3.1. Lei nº 115/97 de 19 de Setembro – Alterações à LBSE.
3.2. Lei de Bases do Sistema Educativo – LBSE (Lei nº 46/86 de 14 de
Outubro).
3.3. Decreto-Lei nº 15/2007 de 19 de Janeiro – Alterações ao ECD.
3.4. Decreto-Lei nº 139A/90 de 28 de Abril - Estatuto da Carreira dos
Educadores de Infância e dos professores dos Ensinos Básico e Secundário.
3.5. Decreto Legislativo Regional nº 6/2008 de 25 de Fevereiro – Estatuto da
Carreira Docente da Região Autónoma da Madeira.
3.6. Gestão Democrática (Dec. Lei nº 769-A/76 de 23 de Outubro)
3.7. Decreto-Lei nº 75/2008 de 22 de Abril - Regime de autonomia,
administração e gestão dos estabelecimentos públicos da educação pré-escolar e
dos ensinos básico e secundário.
3.8. Decreto Legislativo Regional nº 21/2006/M de 21 de Junho que altera o
Decreto Legislativo Regional nº 4/2000/M de 31 de Janeiro que aprovou o
regime de autonomia, administração e gestão dos estabelecimentos de educação
e de ensino públicos da Região Autónoma da Madeira

PARTE IV: ANÁLISE E DISCUSSÃO DE DOCUMENTOS:


4.1. Características organizacionais da escola e processos de gestão da Escola:
sentido de uma evolução (João Barroso).
4.2. Autonomia e Projecto Educativo de Escola
a) A Investigação sobre o P.E.E. (Instituto de Inovação Educacional).
b) Do “Projecto Educativo” à planificação e gestão estratégica da escola
(João Barroso)
c) Fundamentos Organizacionais do Projecto Educativo
4.3. Suplemento: Artigos

BIBLIOGRAFIA

Adler, M. (1984). A Proposta Paideia-Um Manifesto Educacional. Brasília: Editora


Universidade de Brasília

Afonso, N. (1994). A Reforma da Administração Escolar. I.I.E. Lisboa: Ministério da


Educação

Alaiz, V., Góis, E. e Gonçalves, C. (2003). Auto-avaliação de escolas: pensar e


praticar. Porto: Asa Editores

11
Alves, J. (1993). Organização, Gestão e Projecto Educativo. Cadernos Pedagógicos.
Porto: Edições Asa

Apple, M. (2000). Educação e o Poder. Porto: Porto Editora

Barroso, J. (1997). Autonomia e Gestão das Escolas. Lisboa: Ministério da Educação

Barroso, J. (2005). Políticas educativas e organização escolar. Lisboa: Universidade


Aberta.

Barroso, J. e Pinhal, J. (1995). A Administração da Educação – os Caminhos da


Descentralização. Lisboa: Edições Colibri

Bilhim, J. (2006). Teoria organizacional, estruturas e pessoas (5ª edição). Lisboa:


ISCSP

Bonis, D. e Abud, M. (2000). Introdução ao Estudo da Administração. São Paulo:


Editora Pioneira

Bothwell, L. (1991). A Arte da Liderança. Lisboa: Editorial Presença

Bush, Tony (1989): Managing Education: Theory and Practice. Londres: Open
University Press

Carapeto, C. & Fonseca, F. (2006). Administração pública: modernização, qualidade e


inovação (2ª edição). Lisboa: Edições Sílabo

Cardoso, L. (2001). Gestão estratégica das organizações: Como vencer os desafios do


séc. XXI. Lisboa: Editorial Verbo

Carapeto, C. & Fonseca, T. (2006). Administração pública, modernização, qualidade e


inovação. Lisboa: Edições Sílabo.

Carvalho, L. (1992). Clima da escola e estabilidade dos professores. Lisboa: Educa

Carvalho, R.. (2001). História do Ensino em Portugal – Desde a Fundação da


Nacionalidade até ao Fim do Regime de Salazar-Caetano. Lisboa: Fundação
Calouste Gulbenkian

Chorão, F. (1992). Cultura Organizacional. GEP. Lisboa: Ministério da


Educação

Chiavenato, I. (1999). Introdução à Teoria Geral da Administração. Rio de Janeiro:


Editora Campus

Chiavenato, I. (2004). Comportamento Organizacional: A Dinâmica do Sucesso da


Organizações. São Paulo: Pioneira Thomson Learning

Chiavenato, I. (2005). Administração nos Novos Tempos. Rio de Janeiro: Editora


Campus

12
Costa, J. (1991) Gestão Escolar: Participação, Autonomia, Projecto Educativo da
Escola. Lisboa: Texto Editora

Costa, J. (1996). Imagens Organizacionais da Escola. Porto: Edições Asa

Costa, J. (1997). O Projecto Educativo de Escola e as Políticas Educativas Locais:


Discursos e Práticas. Aveiro: Universidade de Aveiro

Costa, J. (Coord.) (2000). Liderança e Estratégia nas Organizações Escolares. Aveiro:


Universidade de Aveiro.

Covey, S. (2006). Os 7 hábitos das pessoas altamente eficazes (26ª edição). Rio de
Janeiro: Editora Best Seller

Clímaco, M. (1992). Monitorização e Práticas de Avaliação das Escolas. Lisboa: M. E.

CRSE (1988). A Gestão do Sistema Escolar: Seminários. Lisboa: M. E.

Drucker, P. (2000). Desafios de Gestão para o Séc. XXI. Porto: Civilização.

Ferreira, J., Neves, J., Caetano A. (2001). Manual de Psicossociologia das


Organizações. Lisboa: McGraw-Hill

Filho, L. (1972). Organização e Administração Escolar. São Paulo:


Melhoramentos

Firmino, M. (2002). Gestão das organizações: Conceitos e tendências actuais. Lisboa:


Escolar Editora

Fisher, R., Ury W., Patton, B. (2005). Como chegar ao sim: A negociação de acordos
sem concessões. Rio de Janeiro: Imago editora

Formosinho, J., Ferreira, F., Machado, J. (2000). Políticas educativas e autonomia das
escolas. Porto: Edições Asa

Formosinho, J., Fernandes, A., Ferreira, F. (2005). Administração da Educação:


Lógicas Burocráticas e Lógicas de Mediação. Porto: Edições Asa

Fullan, M. (2003). Liderar numa cultura de mudança. Porto: Asa Editores

Gabinete de Estudos e Planeamento (M.E.) (1990). Estrutura de Administração e


Avaliação das Escolas Primárias e Secundárias nos doze Estados Membros da
Comunidade Europeia. Lisboa.

Gabinetes de Estudos e Planeamento (M.E.) (1989). A Reforma Educativa em Marcha:


balanço de dois anos de governo. Lisboa.

Galpin, T. (2000). O lado humano da mudança: Um guia prático para a mudança


organizacional. Lisboa: Sílabo

13
Ghilardi, F. e Spallarossa, C. (1991). Guia para a Organização da Escola. Porto:
Edicões Asa

Gomes, R. (1993). Culturas de Escola e Identidades dos Professores. Lisboa: Educ

Hampton, David (1992). Administração Contemporânea. São Paulo: McGraw-Hill:

Handy, C. & Aitken, R. (1990). Understanding Schools as Organizations. London:


Penguin Books

Hoyle, Eric (1986). The Politics of School Management. London: Hodder and
Stoughton

Jesuíno, J. (1999). Processos de liderança. Lisboa: Livros Horizonte

Lacerda, B. (1978). Administração Escolar. São Paulo.

Lenhard, R. (1978). Introdução à Administração Escolar. São Paulo.

Lima, L. (Org.) (2006). Compreender a escola: Perspectivas de análise organizacional.


Porto: Edições Asa

Macedo, B. (1995). A Construção do Projecto Educativo da Escola. Lisboa: I.I.E.

Marques, R. (1997). Professores, Famílias e Projecto Educativo. Porto: Edições Asa

Martins, A. (Org.) (2004). Introdução à gestão das organizações. Barcelos: Grupo


editorial vida económica

Munoz, A. y Roman, M. (1989): Modelos de Organizacion Escolar. Madrid: Cincel

Nóvoa, A. (Coord.) (1992). As Organizações Escolares em Análise. Lisboa: Publicações


Dom Quixote

Palma, J. (1993). Sistemas Educativos: Unidade e Diversidade. GEP. Lisboa: ME

Patrício, M. (1992). «A Cultura e a Escola numa Perspectiva Europeia». Revista


Portuguesa de Educação (Universidade do Minho), Nº 1, pp. 1-11.

Pires, E. et al (1989). O Ensino Básico em Portugal. Porto: Edições Asa

Rego, A. (1997). Liderança nas Organizações: Teoria e Prática. Aveiro: Universidade


de Aveiro

Robbins, S. (2005). Comportamento organizacional (11ª edição). São Paulo: Prentice


Hall

Sarmento, M. (Org.) (2000). Autonomia de Escola. Porto: Edições Asa

14
Sergiovanni, T. & Burlingame, C. (1992): Educational Governance and Administration.
Boston: Allyn and Bacon

Sergiovanni, T. (2004). Novos caminhos para a liderança escolar. Porto: Edições Asa

Silva, M. e Tamen, M. (Coord.) (1981). O Sistema de Ensino em Portugal. Fundação


Calouste Gulbenkian. Lisboa. Pp. 95-116: Centralização e descentralização. Pp.
117-142: Gestão do Sistema de Ensino.

Sousa, F. (2006). Os comportamentos nas organizações. Lisboa: Editorial Verbo

Teixeira, M. (1995). O Professor e a Escola – Perspectivas Organizacionais. Amadora:


McGraw-Hill

Teixeira, S. (2005). Gestão das organizações (2nd edição). Lisboa: Editora McGraw-
Hill

Torres, L. (2004). Cultura organizacional em contexto educativo. Universidade do


Minho: Instituto de Educação e Psicologia

Tripa, M. (1994). O Novo Modelo de Gestão das Escolas Básicas e Secundárias. Porto:
Edições Asa

Whitaker, P. (2000). Gerir a mudança nas escolas. Porto: Asa Editores

Vicente, N. (2004). Guia do Gestor Escolar. Porto: Asa Editores.

Revistas de Especialidade

Administração Educacional
Educational Leadership
Educational Administration Quaterly
Harvard Educational Review
Journal of Educational Administration
Principal
The School Administrator
Revista Portuguesa de Educação

15