Você está na página 1de 3

A Gestão do Conhecimento no seu Quintal

A consultoria McKinsey, a maior firma de consultoria do mundo, provavelmente a melhor


do mundo, lançou esta semana (06 a 12.06.2004), um artigo sobre o mercado interno do
conhecimento nas empresas. A leitura do texto resumido da McKinsey provocou este
artigo.

No “e-mail” de chamada para ler o artigo há a seguinte frase:

“Para as empresas, e também para os seus empregados, o conhecimento é poder


– e lucro.”

Vamos apresentar dois aspectos importantes da gestão do conhecimento:

- uma universidade, em geral, possui uma grande concentração de conhecimento, mas


não possui um sistema de compartilhamento desse conhecimento, o que faz com que o
brilho individual cresça e o brilho coletivo seja apagado;

- o McDonalds seleciona empregados com baixa experiência e conhecimento reduzido, em


comparação com uma universidade; no entanto, a sua atuação com mais de 30.000
restaurantes, em 119 países, servindo mais de 47.000.000 de sanduiches aos clientes
todo o dia, mostra ser uma organização muito inteligente, coletivamente inteligente, pois
garante uma qualidade em diversas culturas. O McDonalds padronizou o seu
conhecimento, de tal forma que facilita a sua atuação em qualquer cultura, em qualquer
parte do mundo.

Na universidade, o conhecimento é poder, mas carece de um sistema que garanta a


circulação desse conhecimento. Não nos parece, inclusive, que seja obrigação das
universidades, essa circulação interna do conhecimento, pois o foco das universidades é a
geração do conhecimento.

No McDonalds, o conhecimento circula e, além de conferir poder, confere lucro. O


conhecimento, limitado, que circula é como fazer negócio com lanches rápidos.

Nós podemos criar conhecimento, obter conhecimento, disseminar conhecimento, adaptar


conhecimento, utilizar-se do conhecimento, aprimorar o conhecimento.

A tão propalada gestão do conhecimento busca conferir vantagem competitiva às


empresas, pois:

- o maior, e único, ativo que pode fazer diferença, é a informação,


- hoje, para uma boa idéia não falta capital de risco.

Dentro desta atividade de ponta, a gestão do conhecimento – os primórdios de sua


utilização, na administração, estão localizados no meio dos anos 90 -, há alguns conceitos
que devem, e podem ficar, claros para os empresários e empreendedores. Coisas simples,
mas úteis. É sobre estas atividades ou tarefas simples e úteis da gestão do conhecimento
que estamos tratando neste e no próximo artigo (A Gestão Do Conhecimento E A
Padronização).

Com o conhecimento há duas atividades principais, que se deve fazer: obter e disseminar.

A grande maioria dos esforços de gestão do conhecimento, nas empresas, foca a obtenção
do conhecimento externo a essas empresas, mas isso pode estar deixando para trás o
conhecimento interno acumulado durante toda a existência da sua empresa, devido a
algumas possíveis barreiras culturais.

O reconhecimento de que há um grande volume de conhecimento interno à empresa,


acumulado e não disseminado, pode possibilitar o estabelecimento de vantagem