Você está na página 1de 8

Departamento de Química

Secção de Química Física e Inorgânica


FCT / UNL

QUÍMICA I - 2006/2007

PROBLEMAS SUGERIDOS

Licenciaturas de Engª Civil, Engª Física e Engª de Materiais

Setembro de 2006
Problemas para as AULAS TEÓRICAS/TEÓRICO-PRÁTICAS
DA CADEIRA DE QUÌMICA I B
2006-2007

Responsáveis: Prof João Sotomayor

Fundamentos de Química

1. Calcule a quantidade de substância (em moles) e a massa (em gramas) de sódio


existentes em 0.53 g de Na2CO3.
Na=23, C=12, O=16

2. O aspartame, C14H18N2O5, é um conhecido adoçante.


a) Calcule a percentagem em massa de cada um dos elementos constituintes.
b) Calcule o número de moléculas existentes em 1.0 mg de aspartame.
NA = 6.022x1023 mol-1 H=1, N=14

3. O etileno, C2H4, reage com o oxigénio de acordo com C2H4 + O2 → CO2 + H2O.
Quantos gramas de CO2 e de H2O se obtêm ao fazer reagir 1.93 g de C2H4 e 5.92 g
de O2?

4. a) Imagine que quer preparar 500 cm3 de solução de NaOH de concentração 0.1
M a partir de NaOH sólido (admita 100 % de pureza). Como faria?
b) Imagine agora que quer preparar 20 cm3 de uma solução de NaOH de
concentração 0.01 M a partir da solução atrás preparada. Como faria?
c) Imagine finalmente que adiciona 30 cm3 de água destilada a 50 cm3 de solução de
NaOH de concentração 0.01 M. Qual a concentração da solução obtida?
Na=23

5. A e B reagem de acordo com A + 2 B → C + D.


a) Suponha que junta quantidades estequiométricas de A e de B num reactor e que
a reacção é completa. Quais as fracções molares das substâncias que existem no
reactor no final da reacção?
b) Imagine agora que junta quantidades estequiométricas de A e de B no reactor
mas que reagem 20 % das moles de A. Quais as fracções molares das substâncias
que existem no reactor no final da reacção?

6. Misturam-se 0.5 mol de N2 gasoso com 0.75 mol de O2 gasoso a 30 °C, num
recipiente de 10 dm3. Calcule as pressões parciais (em bar) e as fracções molares
de N2 e O2 na mistura.
R=8.314 J K-1 mol-1 =0.0831 bar dm3 K-1 mol-1

7. Represente os números quânticos para cada um dos 16 electrões do enxofre.

2
Equilíbrio Químico

1. a) A 500 K, a reacção A(g) + B(g) ⇔ C(g) + D(g) tem KP = 0.35. Suponha que
adiciona 0.05 mol de C a 0.1 mol de D, num recipiente de 8 dm3. Calcule a fracção
molar de A quando se atinge o equilíbrio, àquela temperatura.
b) Sabendo que a variação de entalpia padrão da reacção acima é ΔHo = −55.4 kJ
mol-1 a 500 K, e admitindo que ΔHo e ΔSo não variam com a temperatura, calcule KP
a 300 K.

2. Considere a reacção reacção A(g) + 3 B(g) ⇔ 2 C(g). Suponha que introduz num
reactor previamente evacuado uma determinada quantidade de C e obtém, no
equilíbrio à temperatura de 50 °C, uma pressão parcial de B de 1.59 bar. Calcule a
pressão parcial de C no equilíbrio, àquela temperatura. Assuma que ΔHo e ΔSo da
reacção não variam com a temperatura.
A(g) B(g) C(g)
Δf H /kJ mol (25 °C)
O -1
0 −265 −395
S /J K mol (25 °C)
O -1 -1
102 250 410

3. Considere a reacção 2 A(g) + B(s) ⇔ C(g). Suponha que adiciona 3 mol de A ao


sólido B, a 25 °C. Calcule a composição da mistura gasosa que se obtém no
equilíbrio, à pressão de 2 bar.

Δf HO/kJ mol-1 (25 °C) So/J K-1 mol-1 (25 °C)


A(g) −166 181
B(s) 0 30.5
C(g) −354 332

4. Considere a reacção A(g) + B(s) ⇔ 2 C(g) + D(s). Suponha que adiciona


determinadas quantidades de A e B, a 25 °C. Calcule a fracção molar de C na
mistura gasosa quando se atinge o equilíbrio, àquela temperatura e à pressão de 15
bar.

A(g) B(s) C(g) D(s)


Δf H /kJ mol (25 °C)
O -1
−354 0 −166 0
SO/J K-1 mol-1 (25 °C) 332 8.9 181 38.5

3
Cinética Química

1.a) A espécie X transforma-se na espécie Y através de uma reacção de 1ª ordem


com um período de semi-reacção de 2 h 35 min, a 19 °C. Calcule o tempo
necessário para converter 60 % de uma dada quantidade de X em Y, àquela
temperatura.
b) Calcule a constante de velocidade da reacção acima a 30 °C, sabendo que a
energia de activação respectiva é de 88545 J mol-1 (se não tiver resolvido a alínea
a), assuma que o valor de k a 19 °C é de 0.05 min-1).

2. Para uma dada reacção do tipo A ⇒ Produtos registaram-se, a 26 °C, os


seguintes valores:

v / M h-1 [A] / M [B] / M [C] / M


0.758 0.25 0.10 0.30
1.518 0.50 0.10 0.30
0.162 0.25 0.05 0.30
0.753 0.25 0.10 0.15

a) Determine a lei de velocidade da reacção.


b) Sabendo que a energia de activação da reacção é de 75 kJ mol-1, calcule a
constante de velocidade da reacção a 41 °C.

3. Para uma dada reacção do tipo A ⇒ Produtos registaram-se, a 42 ºC, os


seguintes valores:

[A] / M v / M min-1
0.523 M 8.90x10-2
0.321 M 2.06x10-2

a) Determine a lei de velocidade da reacção.


b) Sabendo que a 50 ºC a constante de velocidade da reacção tem o dobro do seu
valor a 42 ºC, calcule a constante de velocidade da reacção a 46 ºC.

4
Ácido-Base

1. Suponha que gastou 17.8 cm3 de solução do ácido HCl, de concentração 0.14 M,
na titulação de 15.0 cm3 de uma solução da base NH3.
a) Calcule a concentração da solução da base NH3.
b) Calcule o pH que se obteve no ponto de equivalência.
pKb(NH3)=4.74

2. Suponha que gastou 19.3 cm3 de solução de HCl com concentração 0.12 M na
titulação de 12.5 cm3 de uma solução da base EtNH2. Calcule o pH que se obteve no
ponto de equivalência.
Kb (EtNH2)=5.6x10-4

3. a) Calcule o pH de uma solução contendo simultaneamente 1.2x10-4 M de


carbonato (CO32-) e 0.1 M de bicarbonato (HCO3-).
pKa (HCO3-) = 10.32
b) Calcule o pH no ponto de equivalência de uma titulação de 25 cm3 da solução de
HCO3-/CO32- atrás indicada com NaOH 0.1 M.
c) Dos seguintes indicadores ácido base, escolha o que melhor se adequa a esta
titulação: Alaranjado de metilo (pKind = 3.4); Vermelho de metilo (pKind = 5.0); Azul de
bromotimol (pKind = 7.1); Vermelho de Fenol (pKind = 7.9); Azul de Timol (pKind = 8.9);
Fenolftaleína (pKind = 9.4); Amarelo de alizarina (pKind = 11.2).

4. Num balão volumétrico de 500 cm3 preparou-se uma solução de ácido HF com
pH=2.1. Calcule a massa de HF que foi necessário pesar para preparar esta
solução.
Ka (HF)=3.5x10-4 F=19 g mol-1 , H=1 g mol-1

5
Solubilidade

1. a) Calcule a massa de hidróxido de cálcio (Ca(OH)2) que não se dissolve quando


adiciona 3.7 g desta substância a 500 cm3 de água destilada.
b) Calcule o pH da solução tampão que precisaria de utilizar em vez da água
destilada se quisesse solubilizar completamente o hidróxido de cálcio.
Kps (Ca(OH)2) = 8.0x10-6
Ca=40.0 g mol-1 O=16.0 g mol-1 H=1.0 g mol-1

6
Reacções Redox

1. Calcule o potencial de uma pilha constituída por um eléctrodo de cádmio


mergulhado numa solução 0.20 M em iões Cd2+ e um eléctrodo inerte mergulhado
numa solução 0.15 M em iões Fe2+ e 0.30 M em iões Fe3+.
Eo (Cd2+/Cd)=−0.40 V, Eo (Fe3+/Fe2+)=0.77 V

2. É de 1.00 V o potencial de uma pilha constituída por um eléctrodo de grafite


imerso numa solução de concentração 4x10-3 M em iões Fe3+ e 5x10-4 M em iões
Fe2+, e um eléctrodo de chumbo imerso numa solução de concentração 0.022 M
em iões Pb2+, a 25 °C. A oxidação dá-se no eléctrodo de chumbo. Calcule
EO(Pb2+/Pb).
EO(Fe3+/Fe2+)=0.77 V

3. Seja a pilha constituída por um fio de manganês mergulhado numa solução de


cloreto de manganês (MnCl2) 0.1 M e uma placa de prata mergulhada numa solução
saturada de sulfureto de prata (Ag2S).
a) Represente esquematicamente a pilha.
b) Calcule a força electromotriz da pilha a 25 ºC.
Eo(Ag+/Ag) = + 0.80 V
Eo(Mn2+/Mn) = - 1.18 V
Kps(Ag2S) = 6.3x10-51
c) Calcule a constante de equilíbrio da reacção redox presente nesta pilha a 25 ºC.

4. Quantos electrões são trocados na reacção redox entre MnO4- → Mn2+ e As4O6 →
H3AsO4 segundo
24 H+ + 5 As4O6 + 8 MnO4- + 18 H2O → 8 Mn2+ + 20 H3AsO4

5. Calcule o potencial de uma pilha constituída por um eléctrodo de prata imerso


numa solução saturada em Ag2CrO4 e um eléctrodo de zinco imerso numa solução
de concentração 0.1 M em iões Zn2+, a 25 °C.
EO(Ag+/Ag)=0.80 V, EO(Zn2+/Zn)=−0.76 V
Kps(Ag2CrO4)=1.9x10-12

7
Equilíbrio líquido-vapor e propriedades coligativas

1. Suponha que tem duas soluções do sólido X em água, preparadas da seguinte


forma: 0.0903 moles de X dissolvidos em 162 g de água - solução 1; 5.19 g de X
dissolvidos em 120 g de água - solução 2. A solução 1 congela a −1.04 oC e a
solução 2 congela a −1.46 oC. Calcule a massa molar de X.

2. A temperatura de fusão à pressão atmosférica de uma solução de 10 g de ureia


(CO(NH2)2) em 100 g de água é de −3.12 °C. Calcule a temperatura de fusão à
pressão atmosférica de uma solução de 15 g de sacarose (C12H22O11) em 100 g de
água.
C=12, O=16, N=14, H=1

3. Suponha que tem uma solução líquida de A e B em equilíbrio com o seu vapor,
a uma dada temperatura. Pode ler a pressão de vapor da solução com um
manómetro. Com base na informação da figura, calcule as pressões de vapor de
A e de B.

4. Calcule a pressão e a composição do vapor em equilíbrio com uma solução de 50


g de benzeno (C6H6) e 50 g de tolueno (C6H5CH3) líquidos, a 20 °C, sabendo que as
pressões de vapor do benzeno e tolueno a esta temperatura são, respectivamente,
10.0 e 2.93 kPa.
C=12, H=1

Você também pode gostar