Você está na página 1de 52
2
2

RTV|02-03|2011

FFoto: Douglas MoreiraFFoto: MoreiraFoto: Moreiraoto: Moreiraoto: Douglas Douglas Douglas Douglas Moreira
FFoto: Douglas
MoreiraFFoto:
MoreiraFoto:
Moreiraoto:
Moreiraoto:
Douglas
Douglas
Douglas
Douglas Moreira

OOOOO ANOANOANOANOANO DADADADADA QUÍMICAQUÍMICAQUÍMICAQUÍMICAQUÍMICA

EDITEDITEDITEDITEDIT ORIALORIALORIALORIALORIAL

O início do ano foi marcado pelo lançamento mundial do Ano Inter-

nacional da Química 2011 (AIQ 2011), onde o Brasil terá uma partici-

pação muito importante, graças ao seu importante pólo químico e engajamento em pesquisas e desenvolvimentos. O que se espera deste evento é o fortalecimento das parcerias entre os setores eco- nômico e educacional, para que seja possível enfrentar os desafios relacionados às megatendências globais, algo que nosso setor (de tintas) vive, sente e respira.

E tendo em vista a realidade da indústria de tintas e suas evolu-

ções, fomos em busca de informações sobre o mercado de biocidas

e o segmento de resinas alquídicas, para saber como estão driblando

os desafios nesta nova era da sustentabilidade.

E como cuidar do planeta é algo que está em alta, divulgamos

detalhes de um novo projeto de reciclagem de embalagens metálicas

que, em breve, estará em funcionamento no País.

Também temos celebrações. A ATA Tensoativos comemora 25

anos e a maior distribuidora do Brasil, a quantiQ, completa 20 anos. Apesar de histórias diferentes, as duas jovens empresas mostram

a força de atuação que possuem no mercado.

Nas páginas seguintes o leitor também irá conferir o segundo

laboratório que a Dow Coating Materials abriu em São Paulo (SP); e

a seção Atualidades traz as informações mais recentes do setor de tintas e vernizes.

Boa Leitura!

traz as informações mais recentes do setor de tintas e vernizes. Boa Leitura! Francely Morrell RTV|

Francely Morrell

RTV|02-03|2011

3
3

CONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDO

CONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDO BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS buscam estar afinados com as
CONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDOCONTEÚDO BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS buscam estar afinados com as

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS buscam estar afinados com as tendências em tintas

buscam estar afinados com as tendências em tintas 11 06 ANO INTERNACIONAL DA QUÍMICA 29 RESINAS

11

06

ANO INTERNACIONAL DA QUÍMICA06 29 RESINAS ALQUÍDICAS

29

RESINAS ALQUÍDICAS06 ANO INTERNACIONAL DA QUÍMICA 29

08

CELEBRAÇÃO08 36 INAUGURAÇÃO

36

INAUGURAÇÃO08 CELEBRAÇÃO 36

23

ESTRATÉGIAS23 39 ATUALIDADES

39

ATUALIDADES23 ESTRATÉGIAS 39

26

SUSTENTABILIDADE26 47 ARTIGO TÉCNICO

47

ARTIGO TÉCNICO26 SUSTENTABILIDADE 47

FUNDFUNDFUNDFUNDFUNDADORADORADORADORADOR

HOMERO BELLINTANI

DIRETDIRETDIRETDIRETDIRETOROROROROR PRESIDENTEPRESIDENTEPRESIDENTEPRESIDENTEPRESIDENTE

26-04-1919 02-02-1992 F. L. MORRELL

DIRETDIRETDIRETDIRETDIRETOROROROROR COMERCIALCOMERCIALCOMERCIALCOMERCIALCOMERCIAL

18-03-1927 23-10-2001 FRANCIS LOUIS MORRELL JÚNIOR

DIRETDIRETDIRETDIRETDIRETORAORAORAORAORA EXECUTIVEXECUTIVEXECUTIVEXECUTIVEXECUTIVAAAAA

FRANCELY MORRELL

PROJETPROJETPROJETPROJETPROJETOOOOO GRÁFICOGRÁFICOGRÁFICOGRÁFICOGRÁFICO

KINTHOS CRIAÇÃO E DESIGN

PUBLICIDPUBLICIDPUBLICIDPUBLICIDPUBLICIDADEADEADEADEADE

CARLOS A. CUNHA

CAPCAPCAPCAPCAPAAAAA

ALESSANDRA PIRONTI KINTHOS CRIAÇÃO E DESIGN

COLABORADORESCOLABORADORESCOLABORADORESCOLABORADORESCOLABORADORES

GABRIELA LOZASSO (MTB. 26.667)

EDIÇÃOEDIÇÃOEDIÇÃOEDIÇÃOEDIÇÃO BIMESTRALBIMESTRALBIMESTRALBIMESTRALBIMESTRAL

ANO 50 | Nº 253 | 02-03/2011

site:

infotintas.com.br

revista virtual:

tintasevernizes.com.br

DISPENSADA DA EMISSÃO DE DOCUMENTAÇÃO FISCAL, CONFORME PEDIDO DE REGIME ESPECIAL

PROTOCOLO Nº 2.346/91 DE 04/07/91

As opiniões dos artigos assinados são de inteira responsabilidade de seus autores, não representando, necessariamente, os da revista.

TINTTINTTINTTINTTINTASASASASAS &&&&& VERNIZESVERNIZESVERNIZESVERNIZESVERNIZES É MARCA REGISTRADA PELA MORRELLMORRELLMORRELLMORRELLMORRELL EDITORAEDITORAEDITORAEDITORAEDITORA TÉCNICATÉCNICATÉCNICATÉCNICATÉCNICA DESDE 19591959195919591959 E SUA UTILIZAÇÃO,

SEM AUTORIZAÇÃO, É VEDADA EM QUALQUER FORMA.

Rua Filomena Parmigiani Fiorda, 140 - Santo Amaro - Cep: 04756-130 - São Paulo/SP Fone:

Rua Filomena Parmigiani Fiorda, 140 - Santo Amaro - Cep: 04756-130 - São Paulo/SP Fone: (011) 5645-0505 - Fax: (011) 5645-0509 - revista@tintasevernizes.com.br CNPJ 44.365.260/0001-36

4
4

RTV|02-03|2011

SÓSÓSÓSÓSÓ QUEMQUEMQUEMQUEMQUEM TEMTEMTEMTEMTEM HISTÓRIAHISTÓRIAHISTÓRIAHISTÓRIAHISTÓRIA PODEPODEPODEPODEPODE CONTARCONTARCONTARCONTARCONTAR ----- OOOOO QUEQUEQUEQUEQUE FOIFOIFOIFOIFOI NOTÍCIANOTÍCIANOTÍCIANOTÍCIANOTÍCIA EMEMEMEMEM JANEIRO/FEVEREIROJANEIRO/FEVEREIROJANEIRO/FEVEREIROJANEIRO/FEVEREIROJANEIRO/FEVEREIRO DEDEDEDEDE 19861986198619861986

DEDEDEDEDE 19861986198619861986 Seminário de solventes para indústria de tintas e vernizes

Seminário de solventes para indústria de tintas e vernizes

m 9 de dezembro de 1985 a

Exxon Química Ltda fez reali-

E zar no Centro de Convenções

do Hilton Hotel, em São Paulo, o “Semi- nário de Solventes para a Indústria de tintas e Vernizes”. O evento foi acolhido com grande receptividade por parte de toda a indústria de tintas e vernizes do País. O evento foi acolhido com grande receptividade por parte de toda a indús- tria de tintas e vernizes do País. O Semi- nário teve um dia completo de duração, sendo encerrado com um coquetel de confraternização no Hilton Roof. A abertura do Seminário foi proferida pelo novo presidente da Exxon Química Ltda, Sr. Wiley Eldridge Custer, que agra- deceu a presença maciça dos convidados. O Sr. Elcio A Giusti, gerente de Marke- ting, discorreu sobre o tema “Exxon Quí- mica - Produtos e Serviços” e os temas técnicos foram desenvolvidos, com tra- dução simultânea, pelos cientistas da Exxon Chemical Comapany – Solventes Technology Division, Srs. James S. Schnell e Stephen A. Yuhas Jr, que du- rante todo o dia cobriram uma grande va- riedade de tópicos, desde revisões de conceitos básicos, até as discussões sobre as tendências mundiais da indús- tria de tintas e vernizes, e os impactos dos novos controles de poluição ambien- tal sobre as formulações de tintas e verni- zes. Os apresentadores enfatizaram o es- forço mundial da Exxon em produzir e comercializar novas famílias de solventes especiais que venham de encontro à cres- cente necessidade da indústria em utili- zar solventes com performance superior e de reduzido impacto ambiental. Dentre essas novas famílias, foram discutidos os solventes Exxol (R), já produzidos pela Exxon Química Ltda, em São Paulo Fran-

cisco Conde (BA).

O Seminário contou com a presença

de aproximadamente 90 tecnologistas e

executivos dos principais fabricantes de tintas e vernizes de todo o País, que con- tribuíram sobremaneira para abrilhantar o Seminário através da troca de idéias e do debate técnico, não apenas durante as sessões formais, mas principalmente durante os coffee-breaks, almoço e co- quetel de encerramento.

A iniciativa de organizar um evento

deste porte foi bastante elogiada pelos

organizar um evento deste porte foi bastante elogiada pelos presentes que receberam o compromisso da Exxon

presentes que receberam o compromisso da Exxon Química Ltda em promover o

II Seminário de Solventes em um futuro bem.

o compromisso da Exxon Química Ltda em promover o II Seminário de Solventes em um futuro
o compromisso da Exxon Química Ltda em promover o II Seminário de Solventes em um futuro

RTV|02-03|2011

5
5
AIQAIQAIQAIQAIQ 20112011201120112011 Começa o Ano Internacional da Química Lançamento na sede da Unesco reuniu

AIQAIQAIQAIQAIQ

20112011201120112011

Começa o Ano Internacional da Química

Lançamento na sede da Unesco reuniu delegação brasileira, autoridades internacionais, empresários do setor químico, acadêmicos e entidades não governamentais

setor químico, acadêmicos e entidades não governamentais O lançamento mundial do Ano Internacional da Química 2011

O lançamento mundial do Ano Internacional da Química 2011 (AIQ 2011) ocorreu no dia 27 de janeiro de 2011, na sede da Organização das Nações Unidas para

a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO), em Paris, na

França. O evento reuniu mais de 300 convidados, entre autori- dades, cientistas, empresários do setor químico, acadêmicos e representantes de entidades internacionais. Segundo John Malin, Chair do Comitê Mundial do Ano Inter- nacional da Química, o Brasil terá uma participação muito im- portante no Ano Internacional da Química, pois “o País tem

uma comunidade química bastante ativa e engajada”.

As autoridades presentes destacaram que o Ano Internacio-

nal da Química 2011 irá fortalecer as parcerias entre os setores

econômico e educacional para que seja possível enfrentar os desafios relacionados às megatendências globais, os quais afe- tam a todos: nutrição e saúde; urbanização; mobilidade e comu- nicação; demanda energética e proteção climática.

O cientista Jean-Marie Lehn, vencedor do Prêmio Nobel

de Química de 1987, enfatizou em sua apresentação que a es- sência da Química não é só descobrir, mas sim criar. “O livro da Química não é só para ser lido, mas também escrito. O jogo da Química não é só para ser jogado, mas sim criado”, res-

saltou. Com a temática internacional “Química - Nossa vida, nosso futuro”, o AIQ 2011 celebra o centenário do Prêmio Nobel de Química concedido à cientista Marie Curie, uma oportunidade para destacar as contribuições das mulheres para o avanço da ciência.

Objetivo

O objetivo da AIQ 2011 é enfatizar as grandes descobertas

e conquistas científicas e tecnológicas da Química, além de

demonstrar sua importância para a humanidade e aumentar o interesse dos jovens por seu estudo. A razão pela qual 2011 foi escolhido para ser o Ano Interna- cional da Química remonta a um evento de 100 anos atrás:

Marie Curie – cujas principais realizações repousam na pesqui-

sa da radioatividade – recebeu o Prêmio Nobel da Química em novembro de 1911. O AIQ está incluído na Década da Educação

6
6

RTV|02-03|2011

para o Desenvolvimento Sustentável 2005 – 2014 das Nações Unidas e destaca a importância da química para assegurar o

desenvolvimento sustentável. Outro objetivo do AIQ é facilitar

o relacionamento e troca de informações entre instituições edu-

cacionais, a indústria química, governo e organizações-não go- vernamentais para proporcionar um trabalho conjunto mais eficaz no futuro.

AIQ em todos os Continentes Numerosas empresas químicas, associações e institutos ao redor do mundo estão participando e sediam debates, competi- ções e outras atividades ligadas ao AIQ. A coordenação geral e organização das atividades globais, bem como as cerimônias de abertura e de encerramento estão sob a alçada da Unesco e da União Internacional da Química Pura e Aplicada (IUPAC). O elemento-chave do AIQ é a “Experiência Global”, concebida pela IUPAC para estudantes de todas as idades em todos os continentes. O tema das experiências é a qualidade da água e sua purificação. O resultado será publicado no final de 2011

em um mapa-múndi eletrônico e interativo. No Brasil, com o slogan “Química para um Mundo Melhor”, entidades, universidades e empresas do setor estão engajadas em iniciativas a serem realizadas ao longo do ano. Estão progra- madas diversas atividades educativas e de divulgação científica, com o objetivo de enfatizar a importância da Química para a sociedade. Além do Brasil, mais de 60 países participarão do Ano Internacional da Química, incluindo outras nações da Amé- rica do Sul, como Argentina, Bolívia, Uruguai, Paraguai, Chile

e Peru. O AIQ 2011 é realizado no Brasil pela Associação Bra-

sileira da Indústria Química (Abiquim), pela Sociedade Brasi- leira de Química (SBQ) e pelos Conselhos Regionais de Química

(CRQs). O evento conta com o patrocínio das empresas Bayer, BASF, Braskem, Clariant, Dow, Elekeiroz, Innova, Lanxess, Oxiteno, Rhodia, Solvay, Unigel e White Martins. As instituições

e os órgãos públicos que apoiam a iniciativa são: Ministério de

Ciência e Tecnologia, Ministério da Educação, Conselho Nacio- nal de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) e Sin-

dicato dos Químicos, Químicos Industriais e Engenheiros Quí- micos do Estado de São Paulo (Sinquisp).

(CNPq) e Sin- dicato dos Químicos, Químicos Industriais e Engenheiros Quí- micos do Estado de São
AIQAIQAIQAIQAIQ 20112011201120112011 AIQAIQAIQAIQAIQ 20112011201120112011 Comienza el Año Internacional de la Química El

AIQAIQAIQAIQAIQ

20112011201120112011

AIQAIQAIQAIQAIQ 20112011201120112011 AIQAIQAIQAIQAIQ 20112011201120112011 Comienza el Año Internacional de la Química El

AIQAIQAIQAIQAIQ

20112011201120112011

Comienza el Año Internacional de la Química

El lanzamiento mundial del Año Internacional de la Química 2011 (AIQ 2011) se llevó a cabo el día 27 de enero de 2011, en la sede de la Organización de las Naciones Unidas para la Educación, la Ciencia y la Cultura (UNESCO), en París, Francia. El evento reunió más de 300 invitados, entre autoridades, cientí- ficos, empresarios del sector químico, académicos y represen- tantes de entidades internacionales. Según John Malin, Chair del Comité Mundial del Año Inter- nacional de la Química, Brasil tendrá una participación muy importante en el Año Internacional de la Química, ya que “el país tiene una comunidad química bastante activa y partici-

pativa”. Las autoridades presentes destacaron que el Año Internacio- nal de la Química 2011 fortalecerá las alianzas entre los sectores económico y educacional, para que sea posible enfrentar los desafíos relacionados a las megatendencias globales que afectan

a todos: nutrición y salud; urbanización; mobilidad y comuni-

cación; demanda energética y protección climática. El científico Jean-Marie Lehn, ganador del Premio Nobel de Química de 1987, enfatizó en su presentación que la esencia de la Química no consiste solamente en descubrir, sino en crear. “El libro de Química não es solamente para leerse, sino también para ser escrito. El juego de la Química no es para ser jugado solamente, sino para ser creado”, destacó. Con la temática internacional “Química - Nuestra vida, nuestro futuro”, el AIQ 2011 celebra el centenario del Premio Nobel de Química concedido a la científica Marie Curie, una oportunidad para destacar las contribuciones de las mujeres para el avance de la ciencia. Además de Brasil, más de 60 países participarán del Año Internacional de la Química, incluyendo otras naciones suda- mericanas, como Argentina, Bolivia, Uruguay, Paraguay, Chile

y Perú. En Brasil, el AIQ 2011 es realizado por la Asociación Bra- sileña de la Industria Química (Abiquim), por la Sociedad Brasi- leña de Química (SBQ) y por los Consejos Regionales de Quími- ca (CRQs). El evento cuenta con el patrocinio de las empresas Bayer, BASF, Braskem, Clariant, Dow, Elekeiroz, Innova, Lan- xess, Oxiteno, Rhodia, Solvay, Unigel y White Martins. Las ins- tituciones y órganos públicos que apoyan la iniciativa son: Mi- nisterio de Ciencia y Tecnología, Ministerio de la Educación, el

Consejo Nacional de Desarrollo Científico y Tecnológico (CNPq)

el Sindicato de los Químicos, Químicos Industriales e Ingenieros Químicos del Estado de São Paulo (Sinquisp).

y

Ingenieros Químicos del Estado de São Paulo (Sinquisp). y The International Year of Chemistry Begins The

The International Year of Chemistry Begins

The world launch of the International Year of Chemistry 2011 (IYC 2011) was on January 27th, 2011, at the headquarters of the United Nations Educational, Scientific and Cultural Organization (UNESCO) in Paris, France. The event gathered over 300 guests, including officials, scientists, entrepreneurs in the chemical sector, academics and representatives of international organizations. According to John Malin, Chair of the World Committee of the International Year of Chemistry, Brazil will have a very important role in the International Year of Chemistry, for “the country has a community chemically quite active and engaged.” The present authorities stressed that the 2011 International Year of Chemistry will strengthen partnerships between the economic and educational sectors, so that you can face the challenges related to global megatrends, which affect us all: nutrition and health, urbanization, mobility and communication; energy demand and climate protection. Scientist Jean-Marie Lehn, Nobel Laureate in Chemistry in 1987, emphasized in his presentation that the essence of chemistry is not only discover but to create. “The book of chemistry is not only to be read but also to be written. The game of chemistry is not only to be played, but rather created,” he said. With the international theme “Chemistry - Our Life, Our Future”, the IYC 2011 celebrates the centenary of the Nobel Prize in Chemistry awarded to scientist Marie Curie, an opportunity to highlight women’s contributions to the advancement of science. Besides Brazil, more than 60 countries will attend the International Year of Chemistry, including other South American nations like Argentina, Bolivia, Uruguay, Paraguay, Chile and Peru. The IYC 2011 is held in Brazil by the Brazilian Association of Chemical Industry (Abiquim), the Brazilian Chemical Society (SBQ) and the Regional Councils of Chemistry (CRQs). The event is sponsored by Bayer, BASF, Braskem, Clariant, Dow, Elekeiroz, Innova, Lanxess, Oxiteno, Rhodia, Solvay, Unigel and White Martins. Institutions and public agencies that support the initiative are: the Ministry of Science and Technology, Ministry of Education, National Council for Scientific and Technological Development (CNPq) and the Union of Chemical Workers, Industrial Chemicals and Chemical Engineers of São Paulo State (Sinquisp).

Union of Chemical Workers, Industrial Chemicals and Chemical Engineers of São Paulo State (Sinquisp). RTV| 02-03

RTV|02-03|2011

7
7
CELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃO ATA Tensoativos celebra 25 anos e anuncia novo investimento

CELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃO

CELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃO ATA Tensoativos celebra 25 anos e anuncia novo investimento

ATA Tensoativos celebra 25 anos e anuncia novo investimento

A empresa possui uma unidade técnico-comercial que destaca a alta qualidade de atendimento e produtos conquistados ao longo dos anos; e como é focada na melhoria contínua de seus processos aposta num novo projeto de expansão

A Ata Tensoativos celebra 25 anos de atividades. O sur- gimento da empresa aconteceu através de um jovem casal de engenheiros químicos, Janice e Jorge Fejfar,

que já atuavam no ramo químico e decidiram empenhar as suas vidas, talento e trabalho num projeto próprio que foi oficializado em 4 de fevereiro de 1986. Os primeiros passos foram no quintal da casa da família e com a conquista dos primeiros pedidos foi adquirido um imó- vel na zona norte de São Paulo (SP) – atual matriz da empresa -, onde foram feitos os planos iniciais para as instalações indus- triais da ATA. Conforme relembra Jorge Don Carlos Fejfar, diretor comer- cial e fundador da empresa, certamente não foram tempos

fáceis. “Eram entregues mais de 2 mil amostras e apenas duas eram aprovadas por ano.Vigorava a crença que somente grandes empresas multinacionais tinham qualidade e capaci- tação, mesmo assim, pouco a pouco, conseguíamos incremen- tar produtos, clientes e recursos industriais”, conta.

8
8

RTV|02-03|2011

Após alguns longos anos, em 2008, a ATA Tensoativos deu um grande e importante passo em sua estrutura com a inaugu- ração da unidade técnico-comercial, que contempla laborató- rios de Tecnologia de Aplicação de Produtos, Pesquisa & Desen- volvimento, Emulsões e Assistência Técnica, e os setores de Vendas, Assistência Técnica, Pós-Venda e Marketing, destacan- do-se sempre pela forte inversão de recursos em sua estrutura técnico-comercial, gestão, filosofia de perenidade, excelência e melhoria contínua. A ATA dedica-se à fabricação de tensoativos desenvolvidos especialmente para as necessidades de seus clientes. Fejfar garante que é uma empresa que sempre foi focada em alta tecno- logia de aplicação e com vocação para a inovação, resultando em soluções diferentes para o mercado. “Contamos também com uma estrutura sólida de atendimento comercial e técnico altamente qualificados, além de uma logística eficaz, resultante de um trabalho crítico e profissional, visando estabelecer par- cerias com ética e respeito mútuo”, acrescenta o diretor.

NOVO INVESTIMENTO

A companhia projeta um novo site com 145.000 m 2 , locali-

zado em Terra Preta, Mairiporã (SP), que contará com uma logística ainda mais adequada, estando próxima das amplas conexões rodoviárias.

O projeto prevê uma ampla e moderna estrutura totalmente

planejada com o objetivo de crescimento industrial, atuação em novos segmentos químicos e possíveis joint ventures, entre outros planos. Fejfar explica que este novo investimento tem a finalidade de expandir a participação da empresa em novos segmentos de mercado, com a criação de um novo Centro de Distribuição e Logística, além de um Centro de Pesquisas e Manutenção. Contudo, neste novo projeto a empresa espera contribuir ainda mais com a recuperação de reservas ambientais e au- mentar a interação com a sociedade, contribuindo para me- lhores condições de educação e lazer. “A ATA tem uma filosofia de perenidade, onde todas as suas ações visam o futuro e não só o ‘hoje’, um dos maiores exemplos disso é este novo projeto “Fábrica Mairiporã”. Além

CELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃO

CELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃO JANICEJANICEJANICEJANICEJANICE eeeee
CELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃO JANICEJANICEJANICEJANICEJANICE eeeee
CELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃOCELEBRAÇÃO JANICEJANICEJANICEJANICEJANICE eeeee

JANICEJANICEJANICEJANICEJANICE eeeee JORGEJORGEJORGEJORGEJORGE FEJFAR,FEJFAR,FEJFAR,FEJFAR,FEJFAR, fundadoresfundadoresfundadoresfundadoresfundadores dadadadada empresa,empresa,empresa,empresa,empresa, comcomcomcomcom JANINEJANINEJANINEJANINEJANINE FEJFAR,FEJFAR,FEJFAR,FEJFAR,FEJFAR,

dadadadada áreaáreaáreaáreaárea dedededede marketing;marketing;marketing;marketing;marketing; durantedurantedurantedurantedurante ooooo eventoeventoeventoeventoevento dedededede comemoraçãocomemoraçãocomemoraçãocomemoraçãocomemoração dosdosdosdosdos 2525252525 anosanosanosanosanos dadadadada empresaempresaempresaempresaempresa

disso, a ATA Tensoativos é uma empresa que atua há 25 anos no mercado sem nenhum registro de reclamação de qualidade no desempenho de seus produtos, tornando indiscutível a qualidade agregada de toda a sua linha de produtos, garantindo confiança e performance sempre presentes na marca Surfata ® , conclui Fejfar.

presentes na marca Surfata ® ” , conclui Fejfar.
presentes na marca Surfata ® ” , conclui Fejfar.

LABORATÓRIOSLABORATÓRIOSLABORATÓRIOSLABORATÓRIOSLABORATÓRIOS COMPLETOSCOMPLETOSCOMPLETOSCOMPLETOSCOMPLETOS EEEEE BEMBEMBEMBEMBEM EQUIPEQUIPEQUIPEQUIPEQUIPADOSADOSADOSADOSADOS NANANANANA UNIDADEUNIDADEUNIDADEUNIDADEUNIDADE TÉCNICO-COMERCIALTÉCNICO-COMERCIALTÉCNICO-COMERCIALTÉCNICO-COMERCIALTÉCNICO-COMERCIAL DADADADADA ATAATAATAATAATA TENSOATIVOS,TENSOATIVOS,TENSOATIVOS,TENSOATIVOS,TENSOATIVOS, EMEMEMEMEM SÃOSÃOSÃOSÃOSÃO PAULOPAULOPAULOPAULOPAULO (SP)(SP)(SP)(SP)(SP)

AS PRINCIPAIS LINHAS DE PRODUTOS QUE A ATA TENSOATIVOS FORNECE AO SEGMENTO DE TINTAS SÃO:

· Inibidores de corrosão; · Antispumantes não siliconados; · Dispersantes para pigmentos inorgânicos e orgânicos;
· Inibidores de corrosão;
· Antispumantes não siliconados;
· Dispersantes para pigmentos inorgânicos e orgânicos;
· Antispumantes sliconados;
· Auxiliar de moagem;
· Agentes modificadores de superfície;
· Antiflotantes; · Antisedimentantes;
· Umectantes;
· Modificadores de condutividade;
· Tensoativos especiais;
· Agentes de nivelamento;
· Hiperdispersantes;
· Agentes tixotrópicos;
· Eliminadores de ar;
· Umectantes para sistemas tintométricos;
· Aditivo para efeito martelado;
· Dispersantes para bases pigmentárias e universais;
· Repelente de água.

RTV|02-03|2011

9
9
CELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓN CELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATION

CELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓN

CELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓNCELEBRACIÓN CELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATION

CELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATIONCELEBRATION

ATA Tensoativos celebra 25 años y anuncia nueva inversión

Ata Tensoativos celebra 25 años de actividades. La empresa

surgió porque una joven pareja de ingenieros químicos, Janice

y Jorge Fejfar, que ya actuaban en el ramo químico, decidieran

empeñar sus vidas, talento y trabajo en un proyecto propio que

fue oficializado el 4 de febrero de 1986. Los primeros pasos se dieron en el patio de la casa de la familia, y con la conquista de los primeros pedidos, adquirie- ron un inmueble en la zona norte de São Paulo (SP) – actual matriz de la empresa -, donde se hicieron los planes iniciales para las instalaciones industriales de ATA. Según recuerda Jorge Don Carlos Fejfar, director comercial

y fundador de la empresa, con certeza no fueron tiempos fáciles, pero en 2008, ATA Tensoativos dio un gran e importante paso con la inauguración de la unidad técnico-comercial, que cuenta con fuerte estructura de laboratorio y asistencia técnica.

Nueva Inversión - La compañía proyecta un nuevo site con 145,000 m 2 , localizado en Terra Preta, municipio de Mairipo- rã (SP), que contará con una logística aun más adecuada, y además está próxima a las amplias conexiones rodoviarias. El proyecto prevé una amplia y moderna estructura total- mente planeada con el objetivo de crecimiento industrial, actua- ción en nuevos segmentos químicos y posibles joint ventures, entre otros planes. Fejfar explica que esta nueva inversión tiene la finalidad de expandir la participación de la empresa en nue- vos segmentos de mercado, con la creación de un nuevo Centro de Distribución y Logística, además de un Centro de Investiga- ciones y Mantenimiento. Sin embargo, en este nuevo proyecto la empresa espera con- tribuir todavía más con la recuperación de reservas ambienta- les y aumentar la interacción con la sociedad, contribuyendo para mejores condiciones de educación y recreación. “ATA tiene una filosofía de perennidad, donde todas sus acciones están orientadas al futuro y no solo al ‘hoy’, uno de los mayores ejemplos de eso es este nuevo proyecto “Fábrica Mairiporã”. Además, ATA Tensoativos es una empresa que ha estado presente desde hace 25 años en el mercado sin ningún registro de reclamación de calidad en el desempeño de sus productos, lo que hace que la calidad agregada de toda su línea de productos sea indiscutible, garantizando confianza y de- sempeño siempre presentes en la marca Surfata ® ”, concluye Fejfar.

presentes en la marca Surfata ® ”, concluye Fejfar. 10 RTV| 02-03 |2011 ATA Tensoativos celebrates
10
10

RTV|02-03|2011

ATA Tensoativos celebrates 25 years and announces new investment

ATA Tensoativos is celebrating 25 years of activities. The company came up to light because a young couple of chemical engineers, Janice and Jorge Fejfar, who had already worked in the chemical industry, decided to pursue their lives, talent and work to a project of their own that was inaugurated in February 4, 1986. The first steps were given in the backyard of the family home and after the first orders received, they purchased a property in the north region of São Paulo (SP) - the current corporate headquarters - where the plans for the industrial installations of ATA began. As remembers Jorge Don Carlos Fejfar, business director and founder of the company, certainly, those were not easy times, but in 2008, ATA Tensoativos gave a great and important leap with the opening of the technical- commercial unit with strong laboratory and technical assistance structure.

New Investment - The Company is projecting a new site with a 145,000 m2 area, in Terra Preta, Mairiporã (SP) with an even more appropriate logistics, closer to the broad highway network. The project includes a large modern structure completely designed with the goal of achieving industrial growth, developing in new chemical segments and possible joint ventures, among other plans. Fejfar explains that this new investment is intended to expand the company’s share in new market sectors, with the creation of a new Distribution and Logistics Center, besides a Research and Maintenance Center. However, with this new project the company expects to further contribute to the recovery of environmental reserves and increase the interaction with the society, contributing for better education and leisure conditions. “ATA has a sustainability philosophy, where all its actions aim at the future and not only ‘today’, one of the biggest examples of this is the new project “Mairiporã Factory”. In addition, ATA Tensoativos has been engaged in the market for 25 years without a single quality complaint in the performance of their products, making undisputed the aggregated quality of its product lines, ensuring confidence and performance always present in the mark Surfata ® ,” concludes Fejfar.

of its product lines, ensuring confidence and performance always present in the mark Surfata ® ,”

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS Biocidas buscam estar afinados com as tendências em tintas T oda tinta deve

Biocidas buscam estar afinados com as tendências em tintas

T oda tinta deve estar protegida contra o crescimento de microorganismos, assim como a parte de filme seco. Isso indica a grande importância dos biocidas e a boa

notícia é que, ultimamente, conforme percebe KarinaKarinaKarinaKarinaKarina M.M.M.M.M. Za-Za-Za-Za-Za-

nettinettinetti,nettinetti da área de assistência técnica da Miracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-Nuodexxx,xx o mercado de tintas tem tido uma conscientização mais ampla dessa importância dos biocidas nas formulações de tinta, o que

é muito positivo. “Os clientes têm demonstrado alto nível de conhecimento técnico sobre o que são os biocidas, suas composições de ativo, as funções e limitações destes aditivos. Com isso, a troca entre cliente e fornecedor é muito mais rica e a parceria fica cada vez mais forte”, relata. De fato, a indústria de tintas busca cada vez mais qualidade

e compromisso socioambiental. Para minimizar os impactos ao

meio ambiente nota-se um movimento forte de produtos com baixo VOC, formulações base água, com menos odor, e uso de matérias-primas provenientes de fontes renováveis, entre outros. E para estar afinado com estas necessidades e exigências, alguns fornecedores de biocidas alteraram as suas formulações. “Nossos produtos contêm como solvente a água, o que diminui

o

risco de irritações e reações alérgicas por parte dos usuários

e

dos aplicadores. Creio que esta é a tendência mais importan-

te no segmento de biocidas no momento”, considera LuizLuizLuizLuizLuiz WWWWWil-il-il-il-il- sonsonsonsonson PPPPPereiraereiraereiraereiraereira LeiteLeiteLeite,LeiteLeite diretor de marketing da IpelIpelIpel.IpelIpel Outra mudança é que o pH das tintas é hoje mais elevado do que, em média, cinco anos atrás, o que requer um outro pacote de preservação. Além disso, a tinta começa a ter um apelo multifuncional, servindo não apenas para proteção e deco- ração, mas também devem ter o atributo antibacterial.

RTV|02-03|2011

11
11
BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS “Todos estes fatores, estas tendências, impactam a área de biocidas. O

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

“Todos estes fatores, estas tendências, impactam a área de biocidas. O advento dos produtos eco-friendly e de matérias- primas renováveis, por exemplo, geram o uso de ingredientes naturais e com isso é maior a necessidade do preservativo”, constata ÉricaÉricaÉricaÉricaÉrica TTTTTakakakakakedaedaeda,edaeda gerente comercial regional para América Latina de DowDowDowDowDow MicrobialMicrobialMicrobialMicrobialMicrobial Control,ControlControlControlControl da Dow, empresa que, ainda neste ano, lançará uma nova molécula para preservação de tin- tas, o que há muito tempo não acontece no setor. Também se percebe uma movimentação na área de tintas marítimas. Conforme destacam PPPPPedroedroedroedroedro BojacaBojacaBojaca,BojacaBojaca gerente da Unida- de de Negócios MPP - Material Protection Products, e LuisLuisLuisLuisLuis GustavoGustavoGustavoGustavoGustavo Ligere,LigereLigereLigereLigere coordenador de vendas da Unidade de Negócios MPP - Material Protection Products, ambos da LanxLanxLanxLanxLanxessessess,essess com a globalização e o crescimento do País, o volume de transportes nos portos marítimos tem sido considerável, assim como a manu- tenção de cascos de navios, fato que está impulsionando o seg- mento de biocidas em tintas marítimas. Os ativos que evitam a formação de cracas nas embarcações, redes de pesca e em plata- formas marítimas tomam um novo fôlego e o cuidado com a fauna marinha torna-se prioridade nesta nova geração de produtos.

MUITOS DESAFIOS Para os próximos anos, Érica acredita que os mercados no Brasil serão regulados, tendo em vista outros países da América Latina, como o México, que é altamente regulado na área de biocidas, ou o Chile, que recentemente deu o passo inicial, sendo provavelmente seguido pelo Brasil. “Nota-se um esforço muito grande dos fabricantes e entidades de classe na tentativa de obter alguma norma ou padronização das tintas no País. Acredito que o Brasil entrará de vez neste caminho”, acres- centa. FFFFFabioabioabioabioabio CoutoCoutoCoutoCoutoCouto FFFFForastieriorastieriorastieri,orastieriorastieri gerente de vendas Brasil da ArchArchArchArchArch QuímicaQuímicaQuímicaQuímicaQuímica BrasilBrasilBrasil,BrasilBrasil compartilha da mesma análise. Para ele, as substituições de moléculas mais agressivas e com restrições em outros países, tais como o formaldeído ou os doadores de formol, é a evolução natural no Brasil. Contudo, desenvolver “blends” eficientes que possam substituir esses ativos com custo e performance semelhantes é uma missão desafiadora, segundo Forastieri. Essa tão comentada e desejada criação de uma regulamen- tação por parte de órgãos brasileiros, no sentido de criar uma maior profissionalização deste mercado é que é um desafio na opinião de CarlosCarlosCarlosCarlosCarlos AlbertoAlbertoAlbertoAlbertoAlberto “““““Jacaré”Jacaré”Jacaré”Jacaré”Jacaré” GonçalvesGonçalvesGonçalves,GonçalvesGonçalves diretor de negócios da TTTTTroyroyroyroyroy BrasilBrasilBrasil.BrasilBrasil Para ele, “o mercado de biocidas passa por uma necessidade de consolidação mundial e, face ao grande número de fornecedores no mercado brasileiro, temos também assistido a uma permanente destruição do valor deste

12
12

RTV|02-03|2011

mercado, onde o quesito preço passou a ter uma força despro- porcional e, como consequência vemos a conversão desta espe- cialidade em um commodiity”, ressalta. Para Karina, o segmento de biocidas por si próprio, já é um desafio. Ela lembra que o fato de trabalhar no controle de mi- crorganismos já torna o “negócio” bem mais complexo. “Micro- organismos são seres vivos e como o próprio nome diz, têm vida. São capazes de se adaptar a condições extremas para sobreviver, por isso o risco de contaminação sempre irá existir. Então “prevenir” é a palavra e os biocidas, se utilizados corre- tamente, podem auxiliar nisso”, avisa. Muitos fornecedores de biocidas fazem este trabalho de pre- venção nos sites das empresas - auditoria de planta -, porque muitas vezes são encontrados microorganismos “selvagens” que precisam ser eliminados do ambiente, pois eventualmente uma contaminação na tinta pode vir da planta e das matérias-primas. Em suma, formular biocidas cada vez menos tóxicos e agres- sivos, e ainda com custos menores e sem perder performance,

não é tarefa das mais fáceis, contudo, é este cenário desafiador

e altamente competitivo que impulsiona os fornecedores de

biocidas a buscar o aperfeiçoamento e a evolução constante dos produtos e serviços ligados ao setor de tintas, que vive no Brasil um momento muito positivo, de pleno crescimento.

A Arch Biocides vem buscando inovações e busca oferecer

para o mercado de tintas a mais alta tecnologia em biocidas,

para preservação “in-can” e “dry film”, nas mais diferentes formulações: arquitetônicas, antimicrobianas, marítimas, in- dustriais, stains, gráficas e base solvente, além de emulsões, slurries e dispersões. Para atender as necessidades do mercado, a empresa dispo- nibiliza a família Zinc Omadine ZOE de fungicidas e algicidas de baixa toxicidade e da série de preservantes “Low e zero VOC”. A linha de antimicrobianos, fungicidas e conservantes

- OMADINE, OMACIDE, DELCIDE, TRIADINE, DENSIL E

VANTOCIL - também segue alinhada com as tendências mun- diais de biocidas. Fabio Couto Forastieri, gerente de vendas Brasil - da Arch Química Brasil, afirma que “para a Arch, inovar é utilizar a experiência e tecnologia de uma empresa líder no mercado global de biocidas para desenvolver, produzir, comercializar e aplicar produtos de forma sustentável”.

A Dow Microbial Control, unidade comercial da The Dow

Chemical Company (Dow), oferece hoje uma ampla gama de produtos para o controle microbiano, com o devido suporte ne- cessário para atender as necessidades e desafios dos seus clien-

tes. Ainda neste ano, a empresa lançará uma nova molécula de

biocida para preservação de tintas, cujos detalhes ainda não podem ser divulgados, mas o lançamento acontecerá em breve

e promete ser inovador. Conforme esclarece Érica Takeda, gerente comercial regio- nal para América Latina de Dow Microbial Control, muitas solu- ções da unidade vêm ao encontro das tendências do mercado de tintas, que hoje busca produtos com perfil toxicológico e ambiental cada vez mais favorável, além de se levar em consi-

deração o pH mais elevado das tintas atuais e a forte movimen- tação para o uso de matérias-primas de fontes renováveis, fatores que naturalmente impactam a área de fornecimento de biocidas. “A Dow, por ser uma empresa global, dispõe de estudos de impactos toxicológicos e ambientais para apoiar seus clien- tes”, ressalta Érica, lembrando também do forte conhecimento da companhia com as práticas regulatórias, em termos de regis- tro e de aprovação, podendo auxiliar seus clientes com as ques- tões do setor, mesmo o Brasil, mesmo não sendo um país regu- lado na área de biocidas em tintas. “Acredito que o Brasil se- guirá este caminho, já que outros países da América Latina começaram a entrar nesse movimento, como é o caso do Chile”, observa a gerente. Para tanto, a empresa conta com uma estrutura de laboratório de microbiologia muito moderno e bem estruturado, instalado na unidade da Dow em São Paulo (SP), inclusive, neste local possui um equipamento de altíssima tecnologia, que é o Taunovate Highthroughput Technology e que atua como um robô técnico para auxiliar na otimização das dosagens de biocidas, aplicando de uma só vez as dosagens e executando boa parte do procedimento de testes feito para tintas. Essa metodologia foi desenvolvida pela Dow nos Estados Unidos e com o equi- pamento é possível ter a dosagem ideal para preservar o produto. “Temos toda a expertise de equipamentos e laboratórios analíticos. Com nossas ferramentas conseguimos introduzir a quantidade exata de biocida na tinta, pois temos condições de trabalhar essas doses de forma minuciosa, propiciando ao cliente economia no uso do produto”, relata Ricardo Pedro, especialista em atendimento ao cliente da Dow Microbial Con- trol. Ele também cita que os laboratórios são de aplicação, onde

é feita a simulação dos benefícios de uma tinta e identificadas

todas as informações toxicológicas, servindo de suporte para as recomendações aos clientes. Além de todos estes serviços, a empresa disponibiliza o trabalho de Auditoria de Planta, que identifica pontos críticos na planta do cliente e faz as recomendações cabíveis para cada caso. Obviamente, neste sentido a Dow possui produtos para de- sinfecção de plantas como, por exemplo, o Dowicil QK – 20, indicado para recuperação de produtos contaminados, depen-

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

depen- BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS FABIOFABIOFABIOFABIOFABIO COUTOCOUTOCOUTOCOUTOCOUTO
depen- BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS FABIOFABIOFABIOFABIOFABIO COUTOCOUTOCOUTOCOUTOCOUTO

FABIOFABIOFABIOFABIOFABIO COUTOCOUTOCOUTOCOUTOCOUTO FORASTIERIFORASTIERIFORASTIERIFORASTIERIFORASTIERIdepen- BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS gerentegerentegerentegerentegerente dedededede

gerentegerentegerentegerentegerente dedededede vendasvendasvendasvendasvendas Brasil,Brasil,Brasil,Brasil,Brasil, dadadadada ArchArchArchArchArch QuímicaQuímicaQuímicaQuímicaQuímica BrasilBrasilBrasilBrasilBrasil

BrasilBrasilBrasilBrasilBrasil ÉRICAÉRICAÉRICAÉRICAÉRICA

ÉRICAÉRICAÉRICAÉRICAÉRICA TAKEDATAKEDATAKEDATAKEDATAKEDABrasilBrasilBrasilBrasilBrasil gerentegerentegerentegerentegerente

gerentegerentegerentegerentegerente comercialcomercialcomercialcomercialcomercial regionalregionalregionalregionalregional paraparaparaparapara AméricaAméricaAméricaAméricaAmérica LatinaLatinaLatinaLatinaLatina dedededede DowDowDowDowDow MicrobialMicrobialMicrobialMicrobialMicrobial ControlControlControlControlControl

RTV|02-03|2011

13
13
BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS RICARDORICARDORICARDORICARDORICARDO PEDROPEDROPEDROPEDROPEDRO

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS RICARDORICARDORICARDORICARDORICARDO PEDROPEDROPEDROPEDROPEDRO

RICARDORICARDORICARDORICARDORICARDO PEDROPEDROPEDROPEDROPEDROBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS especialistaespecialistaespecialistaespecialistaespecialista ememememem

especialistaespecialistaespecialistaespecialistaespecialista ememememem atendimentoatendimentoatendimentoatendimentoatendimento aoaoaoaoao clienteclienteclienteclientecliente dadadadada DowDowDowDowDow MicrobialMicrobialMicrobialMicrobialMicrobial ControlControlControlControlControl

ControlControlControlControlControl LUIZLUIZLUIZLUIZLUIZ WILSONWILSONWILSONWILSONWILSON
ControlControlControlControlControl LUIZLUIZLUIZLUIZLUIZ WILSONWILSONWILSONWILSONWILSON

LUIZLUIZLUIZLUIZLUIZ WILSONWILSONWILSONWILSONWILSON PEREIRAPEREIRAPEREIRAPEREIRAPEREIRA LEITELEITELEITELEITELEITE

diretordiretordiretordiretordiretor dedededede marketingmarketingmarketingmarketingmarketing dadadadada IpelIpelIpelIpelIpel

14
14

RTV|02-03|2011

dendo do grau de contaminação e dos microorganismos contami- nantes. Segundo Ricardo, é um produto que também desconta- mina água, tanques, matérias-primas e produtos em processos. “Se este trabalho for bem feito, é possível garantir a preservação da tinta e, eventualmente, até rever a concen- tração de biocida usada na formulação. O trabalho de monito- ramento de planta gera economia de produtos, redução de custos e também melhora consideravelmente a produtividade”, enfatizam os dois executivos. Em relação aos produtos, entre os destaques da linha geral de biocidas para preservação “in can” estão o Rocima 622 e Rocima 622 R; Bioban 655; Rocima BTN V2, e para pre- servação de filme, o Bioban IPBC 40 LE; Rocima CF 1100; Rocima 363 BRJB, Rozone 2000 e o Rocima 200.

A Ipel tem como novidade o fungicida hibrido IPEL AgNano

6010, que alia a ação fungicida para proteção da película apli- cada à atividade antimicrobiana superficial conferida pela ação de nano partículas de prata. Esta combinação, segundo Luiz Wilson Pereira Leite, diretor de marketing da empresa, proporciona à superfície uma perfeita proteção contra a ação dos fungos que causam a destruição da tinta aplicada pela sua agressão ao filme seco. “Seus compo- nentes altamente resistentes à lixiviação garantem perfeita proteção a longo prazo”, diz. Ele ainda explica que, conferindo um efeito adicional à su- perfície pintada, as nanopartículas de prata agem por indução, inibindo o crescimento de bactérias e outros organismos, causa- dores ou não, de doenças. Ipel AgNano 6010 é ideal para utilização em revestimentos para paredes de hospitais, clinicas, cozinhas e outros locais onde seja necessário garantir o controle de microrganismos em superfícies, conferindo atividade antimicrobiana ativa à super- fície.

A Unidade de Negócios Material Protection Products (MPP),

que pertence ao segmento Performance Chemicals da Lanxess, possui uma ampla gama de biocidas para a indústria de tintas e vernizes. Um dos maiores focos hoje são os ativos antifouling para tintas marítimas, que evitam o crescimento de incrustações em embarcações e plataformas marítimas. “Dentro de nossa ex- pectativa, pretendemos crescer muito nesta área. Estamos com um time técnico bem formado e bem focado em tintas marítimas. Temos percebido que os portos no Brasil têm feito grandes investimentos em manutenção e o segmento de re- vestimentos torna-se ainda mais importante”, diz Pedro Bojaca, gerente da Unidade de Negócios MPP - Material Protection

Products da Lanxess. Segundo Luis Gustavo Ligere, coorde- nador de vendas da Unidade de Negócios MPP, da Lanxess, este tipo de pintura traz como principais benefícios a redução no consumo de combustível (evita o aumento no peso causado pelas incrustações e con- sequente perda de performance da embar- cação) e a diminuição no custo e no tempo de manutenção. A introdução de espécies invasoras provenientes de outras regiões e que podem alterar o equilíbrio do ecos- sistema local é também um efeito que pode ser minimizado com o uso de ativos anti- fouling. Para este tipo de tratamento, a Lanxess

anti- fouling. Para este tipo de tratamento, a Lanxess PEDROPEDROPEDROPEDROPEDRO BOJACABOJACABOJACABOJACABOJACA

PEDROPEDROPEDROPEDROPEDRO BOJACABOJACABOJACABOJACABOJACAanti- fouling. Para este tipo de tratamento, a Lanxess gerentegerentegerentegerentegerente dadadadada

gerentegerentegerentegerentegerente dadadadada UnidadeUnidadeUnidadeUnidadeUnidade dedededede NegóciosNegóciosNegóciosNegóciosNegócios MPPMPPMPPMPPMPP dadadadada LanxessLanxessLanxessLanxessLanxess

dadadadada LanxessLanxessLanxessLanxessLanxess LUISLUISLUISLUISLUIS GUSTAVOGUSTAVOGUSTAVOGUSTAVOGUSTAVO

LUISLUISLUISLUISLUIS GUSTAVOGUSTAVOGUSTAVOGUSTAVOGUSTAVO LIGERELIGERELIGERELIGERELIGEREdadadadada LanxessLanxessLanxessLanxessLanxess coordenadorcoordenadorcoordenadorcoordenadorcoordenador

coordenadorcoordenadorcoordenadorcoordenadorcoordenador dedededede vendasvendasvendasvendasvendas dadadadada UnidadeUnidadeUnidadeUnidadeUnidade dedededede NegóciosNegóciosNegóciosNegóciosNegócios MPPMPPMPPMPPMPP dadadadada LanxessLanxessLanxessLanxessLanxess

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS possui em linha o Preventol A6 e o Pre- ventol A5S. Conforme

possui em linha o Preventol A6 e o Pre- ventol A5S. Conforme explica Bojaca, são produtos de uma nova geração e possuem eficácia contra algas e organismos que cau- sam incrustações. Estes biocidas também oferecem a vantagem de degradarem-se ra- pidamente quando em contato com a água do oceano. Para tintas arquitetônicas, a empresa também oferece biocidas que seguem a linha “green chemistry”. Entre os desta- ques estão o Preventol A 21D (fungicida), Preventol A 14D (fungicida e algicida); e para preservação “in can”, o consagrado Preventol D6, já conhecido no mercado e que também possui a característica de pro- teger o espaço livre que existe entre a tinta e a tampa da lata (head space).

“Os desenvolvimentos na linha de biocidas da Miracema-Nuodex não param! Além de estarmos sempre buscando novos ativos, formulamos e estudamos variadas combinações entre eles visando potencializar cada vez mais a ação anti- microbiana, através do sinergismo entre os componentes ativos”, esta é a afirmação de Karina M. Zanetti, da área de Assis- tência Técnica da empresa. Ela garante que, desta forma, é possível obter for- mulações de biocidas com um balancea- mento muito mais equilibrado, otimizando os ativos sem comprometer a performance do produto. “Isso com certeza é um de- safio, pois os biocidas são aditivos de ex- trema importância numa formulação de tinta e é nossa a responsabilidade de for- mular e oferecer ao mercado produtos com excelente relação custo-benefício e com eficiência inquestionável”, completa. Para atender este segmento, a Mira- cema-Nuodex possui um Laboratório de Microbiologia que, além dos preservantes, oferece aos clientes todo o suporte técnico necessário para o uso adequado dos bioci- das. É um laboratório muito bem equipado que disponibiliza ferramentas para testes de performance dos biocidas que auxilia

RTV|02-03|2011

15
15
BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS KARINAKARINAKARINAKARINAKARINA M.M.M.M.M. ZANETTIZANETTIZANETTIZANETTIZANETTI

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS KARINAKARINAKARINAKARINAKARINA M.M.M.M.M. ZANETTIZANETTIZANETTIZANETTIZANETTI

KARINAKARINAKARINAKARINAKARINA M.M.M.M.M. ZANETTIZANETTIZANETTIZANETTIZANETTIBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS áreaáreaáreaáreaárea dedededede

áreaáreaáreaáreaárea dedededede AssistênciaAssistênciaAssistênciaAssistênciaAssistência TécnicaTécnicaTécnicaTécnicaTécnica dadadadada Miracema-NuodexMiracema-NuodexMiracema-NuodexMiracema-NuodexMiracema-Nuodex

ADRIANAADRIANAADRIANAADRIANAADRIANA
ADRIANAADRIANAADRIANAADRIANAADRIANA BATISTABATISTABATISTABATISTABATISTA gerentegerentegerentegerentegerente dedededede
ADRIANAADRIANAADRIANAADRIANAADRIANA BATISTABATISTABATISTABATISTABATISTA
gerentegerentegerentegerentegerente dedededede vendasvendasvendasvendasvendas dadadadada ThorThorThorThorThor
16
RTV|02-03|2011

a equipe de Pesquisa & Desenvolvimento; testes microbio- lógicos para indicação dos biocidas da empresa; além do Monitoramento Microbiológico das plantas de clientes. Neste caso, existe uma pessoa capacitada para fazer a amostragem de forma correta, inclusive com um carro adequadamente equi- pado para o transporte das amostras coletadas. Desta maneira certifica-se de que a coleta e o transporte da amostra foram realizados conforme recomendado, não havendo, assim, compro- metimento do resultado da análise. Karina explica ainda que a empresa desenvolve metodolo- gias visando reproduzir ao máximo as condições de exposição das tintas no dia a dia, tendo capacidade para isolar e identificar os microorganismos contaminantes das tintas na embalagem e no filme seco. “Realizamos os testes de performance dos biocidas se- guindo as normas vigentes, mas também desafiamos nossos produtos utilizando microorganismos isolados das plantas dos clientes. Microrganismos “selvagens” costumam ser mais re- sistentes aos biocidas e quando fazemos os testes utilizando esses “inóculos naturais”, nos certificamos de que nossos pro- dutos irão sensibilizar uma flora microbiana mais ampla”, esclarece. Ela ainda afirma que a empresa possui pessoal tecni- camente capacitado, produtos de alta performance e estrutura laboratorial diferenciada para atender às necessidades dos clientes. “Nossa missão é vender soluções e não apenas pro- dutos”, conclui Karina. A Miracema-Nuodex destaca alguns produtos, como o Lio- cide 800 e Liocide 711 (microbicida para preservação in can), Coryna 153 (fungicida para preservação dry film), Coryna DF (fungicida/algicida para preservação dry film – consagrado no mercado de biocidas para tintas) e o Liocide EP 2015 (fungi- cida/algicida para preservação dry film – indicado para tintas litorâneas).

O compromisso da Thor com o meio ambiente e com as necessidades atuais do mercado de tintas leva a empresa a desenvolver formulações de biocidas eficientes, porém com baixa toxicidade e globalmente aprovadas pelos órgãos regulatórios mundiais. Este ano, a empresa irá impulsionar seus investimentos em Pesquisa & Desenvolvimento com o foco em produtos que sejam ainda mais eficientes e ecologicamente corretos. Para isso, a Thor conta com o recente Centro de Pesquisa, inaugurado em 2010 na Alemanha, onde é possível fazer testes e desenvolvi- mentos de ativos com equipamentos e processos altamente mo- dernos. O local possui o laboratório de sínteses e ferramentas disponíveis, como o coletor de água de chuva - para análises reais da concentração de fungicidas presentes nesta água -, e a

possibilidade de fazer medições de níveis de VOC presentes em diferentes áreas pintadas com produtos variados. Desta- camos a linha Acticide MB, Acticide LG e Acticide MV. Conforme ressalta a gerente de vendas, Adriana Batista, as soluções com baixo potencial de bioacumulação e que são bio- degradáveis no meio ambiente, e produtos livres de VOX (com- postos halogenados voláteis) e AOX (compostos halogenados absorvíveis), são algumas das opções sustentáveis na linha da Thor. Além disso, a empresa detém a tecnologia de moléculas encapsuladas que reduzem a lixiviação (já que são liberadas lentamente no filme de tinta) e geram maior estabilidade UV e alcalinidade; estes produtos fazem parte da linha Acticide MK para preservação do filme seco.

A TROY lançou biocidas com perfis totalmente sustentáveis na forma de dispersão aquosa, dentre os quais se destacam o Polyphase PW 40 e o Mergal 753. Segundo Carlos Alberto “Ja- caré” Gonçalves, diretor de negócios da Troy Brasil, estes bio- cidas possuem perfis que atendem as novas demandas do mer- cado de tintas, com a busca de produtos com zero VOC e isentos de formaldeído.

a busca de produtos com zero VOC e isentos de formaldeído. BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

de formaldeído. BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS CARLOSCARLOSCARLOSCARLOSCARLOS
de formaldeído. BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS CARLOSCARLOSCARLOSCARLOSCARLOS
de formaldeído. BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS CARLOSCARLOSCARLOSCARLOSCARLOS

CARLOSCARLOSCARLOSCARLOSCARLOS ALBERTOALBERTOALBERTOALBERTOALBERTO “““““JACARÉ”JACARÉ”JACARÉ”JACARÉ”JACARÉ” GONÇALVESGONÇALVESGONÇALVESGONÇALVESGONÇALVES

diretordiretordiretordiretordiretor dedededede negóciosnegóciosnegóciosnegóciosnegócios dadadadada TTTTTroyroyroyroyroy BrasilBrasilBrasilBrasilBrasil

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS Biocidas buscan estar afinados con las tendencias de

Biocidas buscan estar afinados con las tendencias de pinturas

T oda pintura, así como la película seca, debe estar pro- tegida contra el crecimiento de microorganismos. Esto indica la gran importancia de los biocidas y la buena

noticia es que, últimamente, como percibe KarinaKarinaKarinaKarinaKarina M.M.M.M.M. ZanettiZanettiZanetti,ZanettiZanetti del área de asistencia técnica de Miracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-Nuodexxx,xx el mercado de pinturas se ha concientizado más ampliamente de esa impor- tancia de los biocidas en las formulaciones de pintura, lo cual es muy positivo.

“Los clientes han demostrado alto nivel de conocimiento técnico sobre lo que son los biocidas, sus composiciones de activo, las funciones y limitaciones de estos aditivos. Con esto, el intercambio entre cliente y proveedor es mucho más rico y la alianza se fortalece cada vez más”, informa. De hecho, la industria de pinturas busca cada vez más ca-

lidad y compromiso socio-ambiental. Para minimizar los impac- tos al medio ambiente, se percibe una tendencia fuerte hacia productos con bajo VOC, formulaciones de base agua, menos olor, que usan materias primas provenientes de fuentes reno- vables, entre otros. Otro cambio es que hoy el pH de las pinturas es en promedio más elevado que lo que era hace cinco años, por lo que se requiere un otro paquete de preservación. Además, la pintura empieza a ser multifuncional, sirviendo no sólo para protección y decoración, sino que debe tener también el atributo antibac- terial. “Todos estos factores, estas tendencias, impactan el área de biocidas. La llegada de los productos ecológicamente cor- rectos y de materias primas renovables, por ejemplo, generan

RTV|02-03|2011

17
17
BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS el uso de ingredientes naturales y con eso, es mayor la nece- sidad del

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

el uso de ingredientes naturales y con eso, es mayor la nece- sidad del conservador”, constata ÉricaÉricaÉricaÉricaÉrica TTTTTakakakakakedaedaeda,edaeda gerente co- mercial regional para América Latina de DowDowDowDowDow MicrobialMicrobialMicrobialMicrobialMicrobial ControlControlControl,ControlControl de Dow, empresa que, aun este año, lanzará una nueva molécula para preservación de pinturas, lo que hace mucho tiempo no sucede en el sector. Para los próximos años, Érica cree que los mercados en Brasil serán regulados, teniendo en vista lo ocurrido otros países de América Latina, como México, donde el área de biocidas está altamente regulada, o Chile, que recientemente dio el paso inicial, y que probablemente será seguido por Brasil. “Se nota un esfuerzo muy grande de los fabricantes y entidades de clase en la tentativa de obtener alguna norma o estándar de las pinturas en el país. Creo que Brasil tomará de una vez por todas este camino”, agrega.

Arch Biocides continúa buscando innovaciones e intenta ofrecer al mercado de pinturas la más alta tecnología en bioci- das, para preservación “in-can” y “dry film”, en las más dife- rentes formulaciones: arquitectónicas, antimicrobianas, maríti- mas, industriales, stains, gráficas y base solvente, además de emulsiones, slurries y dispersiones. Para atender las necesidades del mercado, la empresa cuen- ta con la familia Zinc Omadine ZOE de fungicidas y algicidas de baja toxicidad y de la serie de preservantes “Low y zero VOC”. La línea de antimicrobianos, fungicidas y conservantes - OMADINE, OMACIDE, DELCIDE, TRIADINE, DENSIL Y VANTOCIL - también sigue alineada con las tendencias mun- diales de biocidas. Fabio Couto Forastieri, gerente de ventas Brasil - de Arch Química Brasil, afirma que “para Arch, innovar es utilizar la experiencia y tecnología de una empresa líder en el mercado global de biocidas para desarrollar, producir, comercializar y aplicar productos de forma sustentable”.

Dow Microbial Control, unidad comercial de The Dow Che- mical Company (Dow), ofrece hoy una amplia gama de productos para control microbiano, con el debido soporte necesario para atender las necesidades y desafíos de sus clientes. La empresa lanzará este año una nueva molécula de biocida para la preser- vación de pinturas cuyos detalles todavía no pueden ser divulga- dos, pero el lanzamiento será en breve y promete ser innovador. Según explica Érica Takeda, gerente comercial regional para América Latina de Dow Microbial Control, muchas soluciones de la unidad satisfacen las tendencias del mercado de pinturas que hoy busca productos con perfil toxicológico y ambiental cada vez más favorable, además de la fuerte tendencia hacia el uso de materias primas de fuentes renovables; factores que

18
18

RTV|02-03|2011

naturalmente impactan el área de suministro de biocidas. De acuerdo con Ricardo Pedro, especialista en atención al cliente de Dow Microbial Control, la empresa cuenta con una estructura de laboratorio de microbiología muy moderno, insta- lado en la unidad de Dow en São Paulo (SP), inclusive, en este

local cuenta con un equipo de altísima tecnología, que es el Taunovate Highthroughput Technology, que actúa como un robot técnico para auxiliar en la optimización de las dosis de biocidas, aplicando de una sola vez las dosis y ejecutando buena parte del procedimiento de pruebas de las pinturas. Esta metodología fue desarrollada por Dow en los Estados Unidos, y con el equipo es posible obtener la dosis ideal para preservar el producto. Además de todos estos servicios, la empresa ofrece el trabajo de Auditoría de Planta, que identifica puntos críticos en la planta del cliente y hace las recomendaciones pertinentes para cada caso. Obviamente, en este sentido Dow cuenta con productos para la desinfección de plantas, como por ejemplo, el Dowicil QK – 20, indicado para la recuperación de productos contaminados, dependiendo del grado de contaminación y de los microorganis- mos contaminantes. Según Ricardo, es un producto que también descontamina el agua, tanques, materias primas y productos en procesos. Con relación a los productos, en la línea general de biocidas para preservación “in can” se destacan el Rocima 622 y Rocima

622 R; Bioban 655; Rocima BTN V2; y para la preservación

de película, el Bioban IPBC 40 LE; Rocima CF 1100; Rocima

363 BRJB, Rozone 2000 y el Rocima 200.

Ipel ofrece como novedad el fungicida hibrido IPEL AgNano 6010, que combina la acción fungicida para protección de la película aplicada, con la actividad antimicrobiana superficial proporcionada por la acción de nanopartículas de plata. Esta combinación, según Luiz Wilson Pereira Leite, director de marketing de la empresa, le proporciona a la superficie una perfecta protección contra la acción de los hongos que causan la destrucción de la pintura aplicada por su agresión a la película seca. “Sus componentes altamente resistentes a la lixiviación garantizan una perfecta protección a largo plazo”, dice. El director también explica que, al proporcionarle un efecto adicional a la superficie pintada, las nanopartículas de plata actúan por inducción, inhibiendo el crecimiento de bacterias y otros organismos, causadores o no, de enfermedades. Ipel AgNano 6010 es ideal para utilizarlo en revestimientos para paredes de hospitales, clínicas, cocinas y otros locales donde sea necesario garantizar el control de microorganismos en superficies, proporcionando actividad antimicrobiana a la

superficie.

La unidad de negocios Material Protection Products (MPP), que pertenece al segmento Performance Chemicals de Lanxess, cuenta con una amplia gama de biocidas para la industria de pinturas y barnices. Uno de los mayores enfoques actualmente son los ingredien- tes activos antifouling para pinturas marítimas, que evitan el crecimiento de incrustaciones en embarcaciones y plataformas marítimas. “Dentro de nuestra expectativa, pretendemos cre- cer mucho en esta área. Contamos con un equipo técnico bien formado y bien enfocado en pinturas marítimas. Percibimos que los puertos en Brasil han hecho grandes inversiones en mantenimiento y el mercado de revestimientos se vuelve toda- vía más importante”, dice Pedro Bojaca, gerente de la Unidad de Negocios MPP, de Lanxess. Según Luis Gustavo Ligere, coordinador de ventas de la Unidad de Negocios MPP, de Lanxess, los principales beneficios de este tipo de pintado es la reducción en el consumo de com- bustible (evita el aumento en el peso causado por las incrusta- ciones y la consecuente pérdida de desempeño de la embarca- ción) y la disminución en el costo y en el tiempo de manteni- miento. La introducción de especies invasoras provenientes de otras regiones, y que pueden alterar el equilibrio del ecosistema local, es también un efecto que se puede minimizar con el uso de componentes antifouling. Para este tipo de tratamiento, Lanxess ofrece el Preventol A6 y el Preventol A5S. Como explica Bojaca, son productos de una nueva generación y son eficaces contra algas y organismos que causan incrustaciones. Estos biocidas también ofrecen la ventaja de degradarse rápidamente cuando están en contacto con el agua de mar. Para pinturas arquitectónicas, la empresa también ofrece biocidas que siguen la línea “green chemistry”. Entre los cuales se destacan el Preventol A 21D (fungicida), Preventol A 14D (fungicida y algicida), y para preservación “in-can” el consa- grado Preventol D6, ya conocido en el mercado y que también tiene la característica de proteger el espacio libre que existe entre la pintura y la tapa de la lata (head space).

“¡Los desarrollos en la línea de biocidas de Miracema- Nuodex no acaban! Además de que estamos siempre buscando nuevos activos, formulamos y estudiamos diversa combinacio- nes entre ellos, buscando potencializar cada vez más la acción antimicrobiana a través del sinergismo entre los componentes activos”, esta es la afirmación de Karina M. Zanetti, del área de Asistencia Técnica de la empresa. Ella asegura que, de esta forma, es posible obtener formulaciones de biocidas con un

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

de biocidas con un BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS balance mucho más equilibrado, optimizando los activos sin

balance mucho más equilibrado, optimizando los activos sin comprometer el desempeño del producto. “Esto, seguramente es todo un reto, pues los biocidas son aditivos de extrema importancia en una formulación de pintura y es nuestra la responsabilidad de formular y ofrecer al mercado productos con excelente relación costo-beneficio y con eficiencia incues- tionable”, agrega. Para atender este segmento, Miracema-Nuodex cuenta con un Laboratorio de Microbiología que, además de los preservan- tes, ofrece a los clientes todo el soporte técnico necesario para el uso adecuado de los biocidas. Es un laboratorio muy bien equipado, con disposición herramientas para pruebas de de- sempeño de los biocidas, auxiliando al equipo de Investigación & Desarrollo; pruebas microbiológicas para indicación de los biocidas de la empresa; además del Monitoreo Microbiológico de las plantas de clientes. Karina explica también que la empresa desarrolla metodo- logías que buscan reproducir al máximo las condiciones de exposición de las pinturas en la vida cotidiana, inclusive con capacidad de aislar e identificar los microorganismos contami- nantes de las pinturas en el envase y en la película seca. “Realizamos las pruebas de desempeño de los biocidas siguiendo las normas vigentes, pero también desafiamos nues- tros productos utilizando microorganismos aislados de las plantas de los clientes. Microorganismos “salvajes” general- mente son más resistentes a los biocidas y cuando hacemos las pruebas utilizando estos “inóculos naturales”, nos certifi- camos de que nuestros productos van a sensibilizar una flora microbiana más amplia”, explica. Miracema-Nuodex destaca algunos productos, como el Lio- cide 800 y el Liocide 711, microbicidas para preservación in can, el Coryna 153, un fungicida para la preservación de la película seca, el Coryna DF es fungicida y algicida también para la preservación de la película seca, consagrado en el mer- cado de biocidas para pinturas, y el Liocide EP 2015, fungicida/ algicida para la preservación de la película seca, indicado para pinturas costeras.

El compromiso de Thor con el medio ambiente y con las necesidades actuales del mercado de pinturas, lleva a la em- presa a desarrollar formulaciones de biocidas eficientes, sin embargo, con baja toxicidad e globalmente aprobadas por los organismos regulatorios mundiales. Este año, la empresa va a impulsar sus inversiones en Inves- tigación & Desarrollo, enfocándose en productos que sean to- davía más eficientes y ecológicamente correctos. Para esto, Thor cuenta con el reciente Centro de Investigación, inaugurado en 2010 en Alemania, donde es posible hacer pruebas y desarrollos

RTV|02-03|2011

19
19
BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS de activos con equipos y procesos altamente modernos. El centro cuenta con el

BIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDASBIOCIDAS

de activos con equipos y procesos altamente modernos. El centro cuenta con el laboratorio de síntesis y herramientas disponibles, como el colector de agua de lluvia - para análisis reales de la concentración de fungicidas presentes en esta agua -, y la po- sibilidad de hacer mediciones de niveles de VOC presentes en diferentes áreas pintadas con diversos productos. Destacamos las líneas Acticide MB, Acticide LG y Acticide MV. Como destaca la gerente de ventas, Adriana Batista, las soluciones con bajo potencial de bioacumulación y que son biodegradables en el medio ambiente, y los productos libres de VOX (compuestos halogenados volátiles) y AOX (compuestos halogenados absorbibles), son algunas de las opciones susten- tables en la línea de Thor. Además, la empresa cuenta con la

tecnología de moléculas encapsuladas que reducen la lixivia- ción (ya que son liberadas lentamente en la película de pintura)

y generan mayor estabilidad UV y alcalinidad; estos productos

forman parte de la línea Acticide MK para preservación de la película seca.

TROY lanzó biocidas con perfiles totalmente sustentables en la presentación de dispersión acuosa, de entre los cuales se

destacan el Polyphase PW 40 y el Mergal 753. Según Carlos Alberto Gonçalves, director de negocios de Troy Brasil, los perfi- les de estos biocidas atienden a las nuevas demandas del mer- cado de pinturas, con la búsqueda de productos con cero VOC

y exentos de formaldehído.

de productos con cero VOC y exentos de formaldehído. BIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDES Biocides look to
de productos con cero VOC y exentos de formaldehído. BIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDES Biocides look to

BIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDES

Biocides look to stay in tune with the paint trends

very paint, as well as the dry film, must be

E This explains the great importance of biocides

protected against the growth of microorganisms.

and the good news is that lately, as notices KarinaKarinaKarinaKarinaKarina M.M.M.M.M. ZanettiZanettiZanetti,ZanettiZanetti from the technical assistance department of Miracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-NuodeMiracema-Nuodexxx,xx the paint market is more aware of the importance of biocides in paint formulations, which is very positive. “Customers have shown a higher level of technical knowledge about what biocides are, their compositions of active ingredients, functions and limitations of these additives. Thus, the exchange between client and supplier is much richer and the partnership gets stronger,” she adds. In fact, the paint industry seeks more quality and social and environmental commitment. In order to minimize the impact on the environment, we notice a strong move for low-VOC products, water-based formulations, with fewer odors, and that use raw materials from renewable sources, among others. Another change is that the pH of paints is today higher than five years ago, in average, which requires another preservation level. Furthermore, the paints now have a multifunctional appeal, being used not only to protect and decorate, but must also have the antibacterial

20
20

RTV|02-03|2011

feature. “All of these factors and trends affect the biocide market. The advent of eco-friendly and renewable raw materials, for example, leads to use natural ingredients and hence the need of preservatives is higher,” observes ÉricaÉricaÉricaÉricaÉrica TTTTTakakakakakeda,eda,eda,eda,eda, regional business manager for Latin America of DowDowDowDowDow MicrobialMicrobialMicrobialMicrobialMicrobial Control,ControlControlControlControl at Dow, a company that still this year will launch a new molecule to preserve paints, which has not happened long ago in the sector. For the next few years, Érica believes that the markets in Brazil shall be regulated, considering what happens in other Latin American countries, such as Mexico, where the use of biocides is highly regulated, or Chile, which recently took the initial step, and will probably be followed by Brazil. “It can be noticed a greater effort from manufacturers and trade associations in an attempt to get some regulation or standardization of paints in the country. I believe that Brazil will eventually take this path,” he ends.

Arch Biocides has always sought innovations and always offers to the paint market the highest technology in biocides for in-can and dry film preservation in many different formulations: architectural, anti-microbial, maritime, industrial, stains, graphic and solvent-based,

besides emulsions, slurries and dispersions. In order to meet the market needs, the company supplies the low-toxicity fungicide and algicide Omadine ZOE Zinc family and Low and Zero VOC preservative series. The line of antimicrobial, fungicide and preservative - OMADINE, OMACIDE, DELCIDE, TRIADINE, DENSIL And VANTOCIL - is also in line with worldwide trends of biocides. Fabio Couto Forastieri, Arch Química Brasil sales manager for Brazil said that “for Arch, innovating means to use experience and technology of a company leader in the global market of biocides to develop, produce, market and apply products in a sustainable way.”

Dow Microbial Control, business unit of The Dow Chemical Company (Dow), offers today a wide range of products for microbial control, with the proper support required to meet the needs and challenges of its customers. The company will launch still this year a new molecule of biocide to preserve paints, whose details can not yet be disclosed, but the launching will be soon and promises to be innovative. As explained by Erica Takeda, regional business manager for Latin America of Dow Microbial Control, many solutions of the unit comply with the trends of the paint market that today seeks for products with more favorable environmental and toxicological profile, besides the strong trend for the use of raw materials from renewable sources; they are factors that naturally impact the supplying sector of biocides. According to Ricardo Pedro, an expert in customer service at Dow Microbial Control, the company has a very modern microbiology laboratory, in the unit of Dow in São Paulo (SP), this site has even a world-class equipment, the Taunovate Highthroughput Technology, used as a technical robot to help optimizing the dosage of biocides, applying at once the doses and most of the testing procedures to the paint. This methodology was developed by Dow in the United States and with the equipment it is possible to obtain the optimal dosage for the product. In addition to all these services, the company also offers to the customers the Plant Audit service, which identifies critical points at the customer’s plant and makes the appropriate recommendations according to each case. Obviously, for this service, Dow has products for the disinfection of plants, for example, Dowicil QK - 20, recommended to recover contaminated products,

BIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDES

products, BIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDES depending on the contamination degree by microorganisms and

depending on the contamination degree by microorganisms and pollutants of the product. According to Ricardo, this product also decontaminates water, storage tanks, raw materials and products in process. Regarding products, highlights the line of biocides for

in can preservation, they are the Rocima 622 and Rocima

622 R; Bioban 655; Rocima BTN V2, and to preserve

films: Bioban IPBC 40 LE ; Rocima CF 1100; Rocima

363 BRJB, Rozone 2000 and Rocima 200.

The new product launched by Ipel isisisisis the hybrid fungicide IPEL AgNano 6010, which combines a fungicide to protect the applied film, with the surface antimicrobial protection provided by silver nanoparticles. This combination, according to Luiz Wilson Pereira Leite, marketing director of the company, provides to the surface a perfect protection against the action of fungi that destruct the paint applied because of the aggression against the dry film. “Its components highly resistant to leaching guarantee a perfect long-term protection,” he says. He also explains that, by giving an additional effect to the surface painted, the silver nanoparticles act by induction, inhibiting the growth of bacteria and other organisms that cause - or not - diseases. Ipel AgNano 6010 is excellent for coatings to protect walls of hospitals, clinics, kitchens and others where is necessary to ensure the control of microorganisms on the surface, providing active antimicrobial activity to the surface.

The Material Protection Products (MPP) Business Unit, a LANXESS’s Performance Chemicals sector, has a wide range of biocides for industrial paints and varnishes. A major focus today is the components for antifouling marine paints, which prevent the growth of fouling on ships and offshore platforms. “Within our expectation, we plan to grow a lot in this field. We have a technical team well trained and well focused on marine paints. We noticed that the ports in Brazil have made large investments in maintenance and coatings market becomes even more important,” says Pedro Bojaca, manager of the MPP Business Unit, of LANXESS. According to Luis Gustavo Ligere, sales coordinator of the Lanxess MPP Business Unit, this kind of paints brings more benefits by reducing fuel consumption (it avoids the weight increase caused by the buildup and consequent loss of performance of the vessel) and the decrease in cost

RTV|02-03|2011

21
21
BIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDES and maintenance time. The introduction of invasive species from other regions and

BIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDESBIOCIDES

and maintenance time. The introduction of invasive species from other regions and that may affect the balance of local ecosystems is also an effect that can be minimized with the use of active antifouling. For this type of treatment, Lanxess provides Preventol A6 and Preventol A5S. As explained by Bojaca, they are next-generation products and are effective against algae and organisms that cause fouling. These biocides have also the advantage of decompose rapidly when in contact with ocean water. For architectural paints, the company also offers green-chemistry biocides. Among them highlight the Preventol A 21D (fungicide), Preventol A 14D (fungicide and algicide), and for in-can preservation, the renowned Preventol D6, already known to the market and that also protects the free space between the paint and the can lid (headspace).

“The developments achieved by Miracema-Nuodex in the line of biocides are endless! Besides being always looking for new components, we also formulate and study several combinations among them with the purpose of boost more and more the antimicrobial activity through the synergism between the active components,” this is the statement of Karina M. Zanetti, from the Technical Service department of the company. She assures that, it is possible to formulate biocides with a well-balanced balance, optimizing the components without compromising the performance of the product. “This is certainly a challenge because biocides are additives extremely important in paint formulations and is our responsibility to formulate and bring to market very cost-effective products and with unquestionable efficiency,” she adds. In order to serve this sector, Miracema-Nuodex has a Microbiology Laboratory that, besides the preservatives, offers to customers the whole technical support required for the appropriate use of biocides. This laboratory is well-equipped as to provide the tools for performance tests of biocides, which helps the Research & Development teams; Microbiological tests to recommend the best biocides of the company, besides Microbiological Monitoring of customers’ plants. Karina explains that the company develops methodologies with the purpose of reproducing the most accurate daily exposure conditions of paints, being even capable of isolating and identifying polluting microorganisms of paints in-can and in the dry film. “The biocide tests are conducted according to the

22
22

RTV|02-03|2011

current standards, but we also challenge our products using microorganisms isolated from plants of the customers. “Savage” microorganisms are usually more resistant to biocides and when we test them using these “natural inocula”, we assure that our products will fight a broader microbial flora,” she explains. Miracema-Nuodex highlights some products, such as:

Liocide 800 and Liocide 711, microbicides for in-can protection, Coryn 153 - fungicide for dry film protection, Coryn DF, fungicide and algaecide for dry film protection - set out in the market for biocides for paints, and Liocide EP 2015, a fungicide/algaecide for dry film protection suitable for coastal paints.

The commitment of Thor to the environment and the current needs of the paint market leads the company to develop efficient formulations of biocides, but with low toxicity and globally approved by world regulatory agencies. This year, the company will boost its investments in Research & Development, focused on even more efficient and eco-friendly products. For this aim, Thor has the newest Research Center, opened in 2010 in Germany, where it is possible to perform tests and develop active ingredients with world-class equipment and processes. The site has a synthesis laboratory and tools such as the rain water collector - for realistic analysis of fungicide concentration in this water -, besides being possible to measure the levels of VOCs present in different surfaces painted with different products. We highlight the Acticide MB, Acticide LG and Acticide MV lines. As Adriana Batista, sales manager, highlights, solutions with low bioaccumulation potential and environmentally biodegradable, and products free of VOX (volatile halogenated compounds) and AOX (absorbable halogenated compounds), are some sustainable options in Thor’s line. In addition, the company owns the technology of encapsulated molecules that reduce leaching (as they are released slowly in the film of paint), and allow greater UV and alkaline stability; these products make part of the Acticide MK line for dry film preservation.

TROY released watery dispersion biocides with fully- sustainable profiles, among them, the Polyphase PW 40 and Mergal 753. According to Carlos Alberto Gonçalves, Troy Brasil business director, the profiles of these biocides meet the new demands of the paint market, with the search of products with zero VOC and formaldehyde-free.

these biocides meet the new demands of the paint market, with the search of products with

ESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIAS

ESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIAS quantiQ anuncia plano de crescimento e celebra 20 anos de

quantiQ anuncia plano de crescimento e celebra 20 anos de atuação

A empresa conta com os benefícios da incorporação da Unipar e tem projetos de expansão para alcançar a meta de crescimento de 24% ao ano. A “nova” quantiQ consolida sua liderança no Brasil e passa a ser a 14ª do mundo

A quantiQ faz 20 anos em 2011 e começa o período cheia de novidades. A primeira delas é a incorporação da Unipar, distribuidora que anteriormente pertencia

ao Grupo Unipar e que tem como objetivo criar uma empresa diversificada que, além de maior em tamanho, esteja ainda mais preparada para atender ao mercado, não apenas brasileiro como global. Com a incorporação, a quantiQ se torna uma empresa com cerca de 320 integrantes (incluindo a IQAG, empresa que oferece serviços de armazéns gerais), com faturamento bruto médio por colaborador de R$ 4 milhões/ano. Com a inclusão do Centro de Distribuição (CD) de Mauá (anteriormente Uni- par), a empresa passa a contar com cinco CDs, incluindo a aquisição do CD de Simões Filho (BA), feita em dezembro de

2010.

Além disso, cerca de 1.300 novos clientes ativos fazem parte da carteira quantiQ. No total, a empresa possui hoje 6.500 clientes ativos, sendo que, em média, 2.500 realizam compras todos os meses. O portfólio também aumentou. São 30 novos produtos (solventes hidrocarbônicos, isoparafinas, resinas hidrocarbô- nicas, poli-isobutenos e especialidades), sendo alguns exclu- sivos, o que representa um aumento médio de vendas de 7.000 toneladas/mês. “A incorporação da Unipar Comercial foi a melhor alter- nativa de crescimento e de sinergia que a quantiQ poderia ter no curto prazo. Sinergia de clientes, de mercados, de estrutu- ras logísticas e complementaridade de portfólio trazem novos ganhos de competitividade. Foi um importante passo no sentido de atingirmos os objetivos do nosso plano de crescimento de 24% ao ano”, explica Fernando Rafael Abrantes, diretor presi-

ano” , explica Fernando Rafael Abrantes , diretor presi- Estratégia Para se preparar para o plano

Estratégia Para se preparar para o plano de crescimento nos próximos cinco anos, a quantiQ passou por uma revisão de estrutura e alinhou-se com o objetivo da Braskem de contribuir para a me-

lhoria de competitividade de toda a cadeia produtiva do setor químico e petroquímico.

A quantiQ tem como estratégia de crescimento três pre-

ceitos: novos negócios, aquisições e internacionalização. A em- presa pretende trabalhar com as representadas atuais para au- mentar o portfólio; reforçar a posição em mercados nos quais atua ainda com menor representatividade e, no médio prazo, buscar atuar em novos mercados com potencial de criação de valor. O foco da quantiQ é encontrar empresas modernas, leves, com gestão qualificada, excelente carteira de fornecedores e de clientes para complementação de portfólio, consolidação de marketshare e aceleração do processo de crescimento.

dente da quantiQ e vice-presidente do Sincoquim e da Associ- quim. Segundo ele, o processo de adaptação das duas equipes – quantiQ e Unipar - foi instantâneo e os desafios passam a ser de crescimento.

E no âmbito da internacionalização, em alinhamento com a

estratégia de clientes e/ou fornecedores, irá buscar oportunida-

des no mercado externo, com foco inicial em produtos nos quais a quantiQ possui tecnologia de aplicação e serviços.

RTV|02-03|2011

23
23
ESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIAS Caxias e a criação da Unidade de Negócio de Cosméticos.

ESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIASESTRATÉGIAS

Caxias e a criação da Unidade de Negócio de Cosméticos. Em 2004 foi o grande
Caxias e a criação da Unidade de Negócio de Cosméticos. Em
2004 foi o grande marco: a empresa inaugura o maior CD de
produtos químicos da América Latina, em Guarulhos (SP) e
expande seu portfólio de produtos e de serviços. O novo CD
passa a ser um grande pólo de soluções para a indústria química
e

Visando alcançar esses objetivos, João Miguel Chamma, ex-diretor da Divisão Químicos, foi convidado a assumir a recém criada Diretoria de Novos Negócios e Expansão da quantiQ. “É um desafio muito importante fazer parte da equipe que vai garantir o crescimento da empresa nessas áreas”, diz João Miguel.

20 ANOS DE HISTÓRIA A quantiQ possui uma história jovem e de sucesso. Na distri- buição, as empresas vão se consolidando passo-a-passo, e com a quantiQ não foi diferente, porém, vale considerar que sua história foi construída com base na crença de que o valor de uma marca está nas pessoas e na paixão que essas pessoas colocam em tudo o que fazem. Em 1991 nascia a Ipiranga Química com o foco na venda de solventes da Refinaria Ipiranga. Em 2002, a empresa adqui- riu os Centros de Distribuição (CDs) de Canoas e Duque de

petroquímica, impulsionando a distribuidora para uma forte expansão no setor. Em 2007, outro acontecimento revoluciona a história da companhia. O Grupo Ipiranga é comprado pelo grupo Ultra,

Petrobras e Braskem, e a distribuidora é então controlada pela Braskem. Com isso, em 2009 o nome Ipiranga Química é extinto

e a empresa passa ser conhecida por quantiQ, uma empresa

diversificada que atua hoje em 52 segmentos do mercado indus- trial, concentrados em 14 macromercados, com um portfólio de mais de 700 produtos, entre commodities e especialidades químicas. A empresa possui equipes dedicadas estruturadas em 11 Unidades de Negócios, com atuação exclusiva por mercados e tem presença em todo o Brasil por meio de uma estrutura comer- cial e logística com centros de distribuição em Canoas (RS), Guarulhos (SP), Mauá (SP), Simões Filho (BA) e Duque de Caxias (RJ), apoiados por filiais logísticas em Simões Filho (BA) e Recife (PE), além de filiais comerciais em Rio Grande (RS), São Paulo, Santos (SP) e Salvador (BA).

Recife (PE), além de filiais comerciais em Rio Grande (RS), São Paulo, Santos (SP) e Salvador
24
24

RTV|02-03|2011

ESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIAS STRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIES

ESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIAS

ESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIASESTRATEGIAS STRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIES

STRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIESSTRATEGIES

quantiQ anuncia plan de crecimiento y celebra 20 años de actividades

quantiQ cumple 20 años en 2011 y empieza el período llena de novedades. La primera de ellas es la incorporación de Unipar, distribuidora que anteriormente pertenecía al Grupo Unipar, y cuyo objetivo es crear una empresa diversificada, que además de mayor en tamaño, esté aun más preparada para atender el mercado, no solamente el brasileño, sino también el global. Con la incorporación, quantiQ se transforma en una empresa con cerca de 320 integrantes (incluyendo IQAG, empresa que ofrece servicios de almacenamiento general), con facturación bruta promedio por colaborador de 4 millones de reales/año. Con la inclusión del Centro de Distribución (CD) de Mauá (ante- riormente Unipar), la empresa cuenta ahora con cinco CDs, incluyendo la adquisición del CD de Simões Filho (BA), efectua- da en diciembre de 2010. Además, la cartera quantiQ tiene ahora cerca de 1,300 nue- vos clientes activos. En total, la empresa tiene ya 6,500 clientes activos, siendo que, en promedio, 2,500 realizan compras todos los meses. El portafolio también aumentó. Son 30 nuevos productos (solventes de hidrocarburos, isoparafinas, resinas de hidrocar- buros, poli-isobutenos y especialidades), siendo algunos exclu- sivos, lo que representa un aumento promedio de ventas de 7,000 toneladas/mes. 20 años de historia La historia de quantiQ es joven y de éxito. En 1991 nacía Ipiranga Química, destinada a la venta de solventes de Refinaría Ipiranga. En 2002, la empresa adquirió los Centros de Distri- bución (CDs) de Canoas y Duque de Caxias y la creación de la Unidad de Negocio de Cosméticos. El año de 2004 es un gran marco: la empresa inaugura el mayor CD de productos químicos de América Latina, en Guarulhos (SP) y expande su portafolio de productos y de servicios. El nuevo CD se transforma en un gran polo de soluciones para la industria química y petroquí- mica, impulsando a la distribuidora hacia una fuerte expansión en el sector. En 2007, otro acontecimiento revoluciona la historia de la compañía. El Grupo Ipiranga es adquirido por el grupo Ultra, Petrobras y Braskem, y la distribuidora es controlada por Bras- kem. Con esto, en 2009 el nombre Ipiranga Química se extingue y a partir de entonces la empresa es conocida como quantiQ, una empresa diversificada que actúa hoy en 52 segmentos del mercado industrial, concentrados en 14 macromercados, con un portafolio de más de 700 productos, entre commodities y es- pecialidades químicas.

productos, entre commodities y es- pecialidades químicas. quantiQ announces growth plan and celebrates 20 years of

quantiQ announces growth plan and celebrates 20 years of activities

quantiQ becomes 20 in 2011 and begins the period full

of novelties. The first of them is the incorporation of Unipar, a distributor company that previously belonged to Grupo Unipar and with the aim of creating a diversified company that besides being larger, is better prepared to serve the

not only the Brazilian market, but the global as well. With the merging, quantiQ has now about 320 members

(including IQAG, a company that offers general store services), with average gross invoicing per employee of

R$ 4 million per year. By including the Maua Distribution

Center (DC), formerly an Unipar company, quantiQ has now

five DCs, including the acquisition of the DC in Simões

Filho (BA), carried out in December 2010. In addition, quantiQ’s client portfolio has today about

1,300 new active customers. In the aggregate, the company

has now 6,500 active clients, 2,500 of them, in average,

purchasing every month. The product portfolio also increased. There are 30 new products (hydrocarbon solvents, isoparaffins, hydrocarbon resins, poly-isobutenes and specialties), some of them are unique, which represents an average increase in sales of 7,000 tons per month. 20 years of history quantiQ history is young and successful. Ipiranga Química was born in 1991, with the purpose of selling

Refinaria Ipiranga’s solvents. In 2002, the company acquired

the Distribution Centers (DCs) in Canoas and Duque de

Caxias and the Cosmetics Business Unit was set. The year

2004 is a landmark: the company inaugurates the largest

DC of chemical products in Latin America, in Guarulhos

(SP) and enhances its product and service portfolios.

The new DC is now a major solution center of the chemical

and petrochemical industry, boosting quantiQ to a strong

expansion in the sector. In 2007, another event revolutionizes the company’s history. Grupo Ipiranga is acquired by Ultra, Petrobras and Braskem, and the distributor company will now be controlled

by Braskem. Thus, in 2009 the name Ipiranga Química is extinguished and the company is now known as quantiQ, a diversified company that operates today in 52 industrial market segments, concentrated on 14 macro-markets with a portfolio of over 700 products, including commodities and chemical specialties.

macro-markets with a portfolio of over 700 products, including commodities and chemical specialties. RTV| 02-03 |2011

RTV|02-03|2011

25
25
SUTENTABILIDADESUTENTABILIDADESUTENTABILIDADESUTENTABILIDADESUTENTABILIDADE Centro de Beneficiamento será inaugurado para

SUTENTABILIDADESUTENTABILIDADESUTENTABILIDADESUTENTABILIDADESUTENTABILIDADE

Centro de Beneficiamento será inaugurado para reaproveitar embalagens metálicas

Sistema de logística reversa específico para metais aumentará a reciclagem das latas de aço, tanto de tintas como de alimentos, e será uma forma de destacar o alto valor que possui o material

ANTONIOANTONIOANTONIOANTONIOANTONIO CARLOSCARLOSCARLOSCARLOSCARLOS TEIXEIRATEIXEIRATEIXEIRATEIXEIRATEIXEIRA
ANTONIOANTONIOANTONIOANTONIOANTONIO CARLOSCARLOSCARLOSCARLOSCARLOS TEIXEIRATEIXEIRATEIXEIRATEIXEIRATEIXEIRA ÁLVARESÁLVARESÁLVARESÁLVARESÁLVARES,,,,, presidentepresidentepresidentepresidentepresidente dododododo SINIEMSINIEMSINIEMSINIEMSINIEM

A reciclagem de metais vai ganhar um sistema próprio de logística reversa. O Sindicato Nacional da Indústria da Estamparia de Metais - SINIEM, em parceria com

a Associação Brasileira de Embalagem de Aço - ABEAÇO, anuncia a construção de um centro-modelo com aproximada- mente 10.000 m², com término previsto para junho deste ano, que vai reciclar embalagens de aço pós-consumo para contribuir com o meio ambiente e com a economia nacional. O centro faz parte do projeto que receberá latas e tampas de aço da indústria, do varejo, de cooperativas, de catadores, do consumidor final, etc., facilitando o descarte. Como o metal é totalmente recupera- do, a matéria-prima será encaminhada para as indústrias side- rúrgicas, que a reutilizarão para diferentes fins. “A embalagem metálica não gera resíduo, e, sim, insumos. Os metais, sejam aço ou alumínio, são 100% recicláveis e retornam à condição de matéria-prima com alto valor comer- cial. O setor de metal já possui no Brasil a experiência bem- sucedida de coleta espontânea: em bebidas, as latas de alumí- nio registram aqui o seu recorde mundial de reciclagem, com

98%, enquanto as latas de aço para bebidas registram o índice de reciclagem de 82%, também recorde mundial. Com o novo sistema, haverá aumento na reciclagem das demais latas de aço utilizadas para derivados de tomate, conservas alimentí- cias, tintas e produtos químicos”, afirma o presidente do SINIEM, Antonio Carlos Teixeira Álvares.

26
26

RTV|02-03|2011

THAISTHAISTHAISTHAISTHAIS FAGURYFAGURYFAGURYFAGURYFAGURY,,,,,
THAISTHAISTHAISTHAISTHAIS FAGURYFAGURYFAGURYFAGURYFAGURY,,,,, gerente-executivagerente-executivagerente-executivagerente-executivagerente-executiva dadadadada ABEAÇOABEAÇOABEAÇOABEAÇOABEAÇO

O centro-modelo será construído na periferia da Grande São Paulo, onde está situado o maior número de cooperativas de reciclagem e de catadores. “O início do projeto ocorre na cidade de São Paulo por concentrar o maior mercado consumi- dor do Brasil”, diz Thais Fagury, gerente-executiva da ABEAÇO, entidade que coordenará o novo centro. O investimento inicial

do projeto está estimado em dois milhões de reais. O custo será dividido entre fabricantes de embalagens de aço, siderúrgicas

e envasadoras interessados em participar da iniciativa. O novo

Centro poderá receber embalagens de aço pós-consumo de 2,5 milhões de consumidores. A proposta é replicar a unidade para todas as regiões da capital paulista até o fim de 2011.

Segundo a executiva, o projeto representa uma maneira de formalizar e incentivar a reciclagem dos metais, além de educar

e conscientizar a sociedade em relação à coleta espontânea.

“Hoje são reciclados no Brasil aproximadamente 47% das embalagens de aço. A projeção é aumentar esse percentual para 70% dentro de cinco anos, com a construção de novos centros”, completa Thais. Além de ser um facilitador, o novo centro de logística reversa deve estimular o mercado siderúr- gico, pois o reaproveitamento do aço é importante na redução de custos das empresas. O projeto permitirá o registro de dados reais e auditados da reciclagem das latas de aço. As cooperativas interessadas em participar receberão o selo do projeto por rea- lizarem a coleta das latas de aço.

As cooperativas interessadas em participar receberão o selo do projeto por rea- lizarem a coleta das

RTV|02-03|2011

27
27
SUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDAD

SUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDADSUSTENTABILIDAD

SUSTAINABILITYSUSTAINABILITYSUSTAINABILITYSUSTAINABILITYSUSTAINABILITY

Centro de Procesamiento será inaugurado para reaprovechar envases metálicos

El reciclaje de metales contará con un sistema propio de logística reversa. El Sindicato Nacional de la Industria del Es- tampado de Metales - SINIEM, en alianza con la Asociación Brasileña del Embalaje de Acero - ABEAÇO, anuncia la cons- trucción de un centro-modelo con aproximadamente 10,000 m², cuya conclusión está prevista para junio de este año, y que va a reciclar envases de acero postconsumo para contribuir con el medio ambiente y con la economía nacional. El centro forma parte del proyecto que recibirá latas y tapas de acero de la industria, del mercado minorista, de cooperativas, de reco- gedores, del consumidor final, etc., facilitando el desecho. Como el metal se recupera totalmente, la materia prima será enviada a las industrias siderúrgicas, que la reutilizarán para diversos fines. “El envase metálico no genera residuos, sino insumos. Los metales, ya sean acero o aluminio, son 100% reciclables y retor- nan a la condición de materia prima con alto valor comercial. El sector de metal ya tiene en Brasil la experiencia exitosa de la coleta espontánea: en bebidas, las latas de aluminio registran aquí su record mundial de reciclaje, con 98%, mientras que el índice de reciclaje de las latas de acero para bebidas registra un 82%, también record mundial. Con el nuevo sistema, habrá un aumento en el reciclaje de las demás latas de acero utilizadas para derivados de tomate, conservas alimenticias, pinturas y productos químicos”, afirma el presidente del SINIEM, Antonio Carlos Teixeira Álvares. El centro-modelo será construido en los alrededores de la zona metropolitana de São Paulo, donde está situado el mayor número de cooperativas de reciclaje y de recogedores. “El inicio del proyecto ocurre en la ciudad de São Paulo por concentrar el mayor mercado consumidor de Brasil”, dice Thais Fagury, gerente ejecutiva de ABEAÇO, entidad que coordinará el nuevo centro. La inversión inicial del proyecto está estimada en dos millones de reales. El costo se dividirá entre fabricantes de envases de acero, siderúrgicas y envasadoras interesados en participar en la iniciativa. El nuevo Centro podrá recibir envases de acero postconsumo de 2.5 millones de consumidores. La propuesta es replicar la unidad en todas las regiones de la ciu- dad de São Paulo hasta fines del 2011.

regiones de la ciu- dad de São Paulo hasta fines del 2011. Processing Center will be

Processing Center will be inaugurated to reuse metal packages

The recycling of metals will have its own system

of reverse logistics. The Brazilian Union of Metal Stamping Industry - SINIEM, in partnership with the Brazilian Association of Steel Packaging - ABEAÇO, announces the construction of a Model Center in a 10,000 m² area, which must be ended by June this year and will recycle post-consumer steel packages to contribute to the

environment and the Brazilian economy.

is projected to receive steel cans and lids from industry, retailers, trash pickers and final consumer cooperatives, etc, making easer the disposal. Since the metal is fully recovered, the raw material will be forwarded to steel industries, which will reuse it for different purposes. “Metallic packages do not generate waste, but inputs. The metals, whether steel or aluminum, are 100% recyclable and return to the status of raw material with high commercial value. The metal industry in Brazil has already the successful experience of spontaneous collection:

the recycling of beverage and aluminum cans has the world record of 98%, while the recycling rate of steel cans for beverages is 82%, also a world record. With the new system, the recycling of other steel cans used for tomato products, canned food, paints and chemicals will increase,” says the chairman of SINIEM, Antonio Carlos Teixeira Álvares. The Model Center will be built in the Greater São Paulo area, where most of the recycling and trash pickers cooperatives are located. “The project begins in São Paulo because here is the largest consumer market in Brazil,” says Thais Fagury, executive manager of ABEAÇO, the organization that will coordinate the new Center. The initial investment of the project is estimated at two million Reals. The cost will be shared by manufacturers of steel packaging, steel and packaging companies interested in participating in the initiative. The new Center will receive after-consumption steel packages from 2.5 million consumers. The proposal is to replicate the unit all around São Paulo city until the end of 2011.

The Center

all around São Paulo city until the end of 2011. The Center VISITE NOSSO SITE:

RESINASRESINASRESINASRESINASRESINAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS Resinas Alquídicas: maiores desafios na era da

Resinas Alquídicas:

maiores desafios na era da sustentabilidade

N s resinas alquídicas surgiram em 1923 e, nesta época, apre- sentavam desempenho limitado

quanto à secagem, amarelecimento, ter- moplasticidade, entre outras desvanta- gens que, com o passar dos anos, tiveram suas propriedades bem melhoradas com

o surgimento das resinas alquídicas mo-

dificadas. Dentre elas, as resinas alquí- dicas breu fenoladas, resinatos, uretani- zadas, poliacrílicas e poliestirênicas. Segundo ElaineElaineElaineElaineElaine GuedesGuedesGuedes,GuedesGuedes gerente de negócios – IguatuIguatuIguatu,IguatuIguatu mesmo que ainda em constante evolução, o mercado está en- trando na era da sustentabilidade, e hoje encontram-se as resinas alquídicas à ba- se d’água. “O grande desafio desta tec- nologia é manter a performance técnica e agregar vantagens ecológicas, tudo isso com custo competitivo, através da pesquisa de matérias-primas economi- camente viáveis”, diz. Segundo ela, é im- portante ressaltar que as resinas alquí- dicas requerem matérias-primas de fon- tes renováveis e recicláveis, o que garan- te a permanência deste insumo em tintas por muitas gerações. Para EduardoEduardoEduardoEduardoEduardo VVVVVidottiidottiidotti,idottiidotti consultor para

a unidade de negócios - base solvente, da OswaldoOswaldoOswaldoOswaldoOswaldo CruzCruzCruz,CruzCruz o mercado de alquídi- cas tem sofrido grande pressão devido à entrada destes produtos alternativos for- mulados à base d´água. Entretanto, o executivo lembra que, apesar do avanço das tecnologias aquosas, existem muitas aplicações onde este tipo de tecnologia não gera os resultados desejados, ao con- trário do sistema solvente, que oferece

características finais como brilho, seca- gem e dureza bem superiores ao sistema base água. AndréAndréAndréAndréAndré LuizLuizLuizLuizLuiz dedededede OliveiraOliveiraOliveira,OliveiraOliveira supervisor de Desenvolvimento de Mercado – Coa- tings, da RRRRReichholdeichholdeichhold,eichholdeichhold conta que de fato as resinas alquídicas sempre passaram por evoluções técnicas que, na maioria das vezes, giravam em torno de modifi- cações para melhoria de algumas pro- priedades, como secagem, dureza, resis- tência química, etc. Contudo, destaca que atualmente algumas evoluções têm se mostrado mui- to promissoras e vem ao encontro das ne- cessidades ambientais atuais de forma global. “É o caso dos produtos que bus- cam a redução de VOC, como as resinas com alto teor de sólidos, e a principal e mais atual evolução das resinas alquídi- cas está na união de duas característi- cas principais para se ter um produto mais amigo do meio ambiente, que são os látex alquídicos, pois chegam a ter maior proporção de matérias-primas de fontes renováveis na sua estrutura e são totalmente solúveis em água, apresen- tando baixíssimo VOC nas formulações de tintas e vernizes”, observa. Em suma, os próximos desafios de um segmento já tão explorado, como é o caso das resinas alquídicas, estão relaciona- dos à adaptação do mercado às novas tec- nologias, como a base água, que avançam cada vez mais no setor de tintas.

A Águia Química, buscando sempre oferecer ao mercado soluções completas

RTV|02-03|2011 29
RTV|02-03|2011
29
RESINASRESINASRESINASRESINASRESINAS ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS VALMIRVALMIRVALMIRVALMIRVALMIR

RESINASRESINASRESINASRESINASRESINAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS VALMIRVALMIRVALMIRVALMIRVALMIR PEDROPEDROPEDROPEDROPEDRO

VALMIRVALMIRVALMIRVALMIRVALMIR PEDROPEDROPEDROPEDROPEDRO TURQUETTOTURQUETTOTURQUETTOTURQUETTOTURQUETTOALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS gerentegerentegerentegerentegerente dedededede

gerentegerentegerentegerentegerente dedededede pesquisapesquisapesquisapesquisapesquisa eeeee desenvolvimentodesenvolvimentodesenvolvimentodesenvolvimentodesenvolvimento dadadadada ÁguiaÁguiaÁguiaÁguiaÁguia QuímicaQuímicaQuímicaQuímicaQuímica

QuímicaQuímicaQuímicaQuímicaQuímica ELELELELELAINEAINEAINEAINEAINE
ELELELELELAINEAINEAINEAINEAINE GUEDESGUEDESGUEDESGUEDESGUEDES gerentegerentegerentegerentegerente dedededede
ELELELELELAINEAINEAINEAINEAINE GUEDESGUEDESGUEDESGUEDESGUEDES
gerentegerentegerentegerentegerente dedededede negóciosnegóciosnegóciosnegóciosnegócios ----- IguatuIguatuIguatuIguatuIguatu
30
RTV|02-03|2011

em resinas, apresenta sua linha Verde Brasil, que conta com ampla participação de matérias-primas de fontes renováveis e

A linha

contempla alquídica alto sólidos, alquídica base água e alquídica emulsionável. A opção AQV-1000 é a resina alquídica

longa 100% sólida. Isenta de solventes, possui 100% de sólidos,

o que, segundo Valmir Pedro Turquetto, gerente de pesquisa e

desenvolvimento, agrega alto valor à linha, pois demanda menor

custo de embalagem, estocagem, transporte e solventes. Além disso, é produzida com matérias-primas renováveis e permite

a produção de tintas com baixa emissão de compostos orgânicos

voláteis (VOC). Promete excelente desempenho em formulações alquídicas imobiliárias. Já a AQV-2000 é uma emulsão alquídica solúvel em água.

É produzida com matérias-primas de fontes renováveis e Tur-

quetto considera que sua grande inovação é o uso de água como solvente único, gerando baixo odor e baixíssima emissão de compostos orgânicos voláteis (VOC). Segundo o gerente de P&D, esta resina possui brilho superior aos látex acrílicos convencio- nais e grande facilidade de pigmentação. Pode ser utilizada em uma ampla gama de produtos da linha imobiliária. Outra solução da série é a AQ-334. Trata-se de uma resina alquídica longa em óleo de soja, emulsionável e diluída em aguarrás mineral. “É uma resina muito inovadora, pois é a pri- meira alquídica que não necessita da adição de emulsificante, característica que, aliada aos altos sólidos da resina, gera grande rendimento, permitindo fazer produtos de maior qua- lidade e menor custo”, afirma Turquetto. Suas principais aplica- ções são para esmaltes sintéticos imobiliários emulsionáveis, massa óleo emulsionável e primers emulsionáveis. Outra novidade que a Águia Qúimica traz é a AQ-1622, uma emulsão estireno acrílica sem cheiro para a linha imobi- liária, que permite ocupar rapidamente o ambiente logo após ser pintado, seguindo a forte tendência deste segmento. Cabe ainda ressaltar que, além dos lançamentos em pro- dutos, a empresa investiu mais de R$ 15 milhões nos últimos anos com o propósito de, em 2012, inaugurar sua nova planta fabril em Ponta Grossa (PR), que dobrará a capacidade pro- dutiva atual.

com baixíssima emissão de compostos orgânicos (VOC)

A AkzoNobel Iguatu tem focado seus investimentos em pes- quisa e desenvolvimento de produtos que tragam diferencial competitivo aos seus clientes. De acordo com Elaine Guedes, gerente de negócios – Iguatu, as premissas da equipe técnica da empresa são a busca por produtos com alto teor de sólidos, baixo índice de amarelamento, secagem rápida, e produtos à base de água. “O processo de fabricação, com menor geração de resíduos e a utilização de matérias-primas sustentáveis

também faz parte da constituição de nossos produtos”, salienta.

A Oswaldo Cruz é o mais novo poten-

cial player do segmento de alquídicas. É

uma tradicional empresa de emulsões acrílicas base água, com atuação nos mercados de tintas, adesivos e papel, sendo que, há um ano e meio, decidiu iniciar sua participação também no segmento de resinas base solvente, para atender de forma mais completa seus clientes. “Hoje estamos comercializando um volume acima das nossas expecta-

tivas, com tendência de crescimento em todos os clientes”, constata Eduardo Vidotti, consultor para a unidade de ne- gócios base solvente.

A linha de resinas alquídicas da

Oswaldo Cruz é comercialmente deno- minada Alkfort e o novo trabalho desen- volvido para esta linha conta com todo o suporte técnico e comercial da compa- nhia. “Aproveitamos nossa força comer- cial, que é bem estruturada, e também temos toda a parte de laboratórios de

aplicação que, inclusive, colocamos à disposição dos clientes para acompa- nhamento e desenvolvimento dos pro- dutos e demais necessidades”, avisa Vidotti.

A Reichhold tem desenvolvido e lan-

çado constantemente novas tecnologias de resinas alquídicas. Segundo André Luiz de Oliveira, supervisor de Desenvol- vimento de Mercado – Coatings, nos últi- mos anos foram vários lançamentos na- cionais e globais, destinados aos diversos segmentos da indústria de tintas. “Isso porque a Reichhold possui Centros de Pesquisa & Desenvolvimento alocados globalmente de forma estratégica, e um dos principais está no Brasil, que dispõe de recursos tecnológicos para a criação de diversos tipos de resinas, com tec- nologia para avaliá-las em suas aplica- ções, além de prestar suporte técnico

RESINASRESINASRESINASRESINASRESINAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS ANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉ LUIZLUIZLUIZLUIZLUIZ
ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS ANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉ LUIZLUIZLUIZLUIZLUIZ
ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS ANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉ LUIZLUIZLUIZLUIZLUIZ

ANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉANDRÉ LUIZLUIZLUIZLUIZLUIZ DEDEDEDEDE OLIVEIRAOLIVEIRAOLIVEIRAOLIVEIRAOLIVEIRA

supervisorsupervisorsupervisorsupervisorsupervisor dedededede DesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimentoDesenvolvimento dedededede MercadoMercadoMercadoMercadoMercado ----- CoatingsCoatingsCoatingsCoatingsCoatings dadadadada ReichholdReichholdReichholdReichholdReichhold

de alto nível aos clientes”, constata Oli- veira. As principais linhas de produtos lan- çadas recentemente para sistemas base água são Beckosol Aqua ® e Beckosol Eco ® , que são linhas de látex alquídicos puros ou modificados para diversos tipos de tintas e vernizes, com a vantagem de serem totalmente solúveis em água, per- mitindo a formulação de revestimentos de baixíssimo VOC. Dentre os produtos dessas séries são citados o Beckosol Aqua ® 201 - látex alquídico para formulação de esmalte imobiliário base água de alto brilho; Bec- kosol Aqua ® 510 – látex alquídico para

formulação de acabamentos semibrilho; Beckosol Aqua ® 210 – desenvolvido para formulação de primers para metal; Bec- kosol Aqua ® 101 - formulação de stains para madeira; e o Beckosol Eco ® BB15 – formulado à base de látex alquídico, indicado para esmalte imobiliário base água, cuja principal característica está na redução do tempo de processo de fa- bricação da tinta e na diminuição dos itens de estoque de matérias-primas. E em sistemas alto sólidos tem em linha o Becosol ® 15-254 – alquídico de 80% de sólidos, que possibilita a formu- lação de acabamentos com maior teor de sólidos.

de 80% de sólidos, que possibilita a formu- lação de acabamentos com maior teor de sólidos.
RTV|02-03|2011 31
RTV|02-03|2011
31
RESINASRESINASRESINASRESINASRESINAS ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS Resinas Alquídicas: mayores

RESINASRESINASRESINASRESINASRESINAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS

Resinas Alquídicas: mayores retos en la era de la sustentabilidad

L as resinas alquídicas surgieron en 1923, y en esa épo- ca tenían un desempeño limitado con relación al se- cado, amarilleado y termoplasticidad, entre otras des-

ventajas que, con el paso del tiempo, mejoraron sus propiedades notablemente con el surgimiento de las resinas alquídicas modi- ficadas. Entre ellas, las resinas alquídicas alquitranadas de fenol, resinatos, de uretano, de poliacrílico y de poliestireno. Según ElaineElaineElaineElaineElaine GuedesGuedesGuedes,GuedesGuedes gerente de negocios – IguatuIguatuIguatu,IguatuIguatu a pesar de estar en constante evolución, el mercado está entrando en la era de la sustentabilidad, y actualmente se encuentran las resinas alquídicas a base de agua. “El gran reto de esta tecno- logía es mantener el desempeño técnico y agregar ventajas ecológicas, todo esto con costo competitivo, a través de la investigación de materias primas económicamente viables”, dice. Según ella, es importante resaltar que las resinas alquídi- cas requieren materias primas de fuentes renovables y recicla- bles, lo que garantiza la permanencia de este insumo en pinturas por muchas generaciones. Para EduardoEduardoEduardoEduardoEduardo VVVVVidottiidottiidotti,idottiidotti consultor para unidad de negocios - base solvente, de OswaldoOswaldoOswaldoOswaldoOswaldo Cruz,CruzCruzCruzCruz el mercado de alquídicas ha sufrido gran presión por esta entrada de productos alternativos formulados a base de agua. Sin embargo, el ejecutivo recuerda que, a pesar del avance de las tecnologías acuosas, existen muchas aplicaciones donde este tipo de tecnología no genera los resultados deseados, al contrario del sistema solvente, que ofrece características finales como brillo, secado y dureza muy superior al sistema de base agua. AndréAndréAndréAndréAndré LuizLuizLuizLuizLuiz dedededede OliveiraOliveiraOliveira,OliveiraOliveira supervisor de Desarrollo de Merca- do – Coatings, de RRRRReichholdeichholdeichhold,eichholdeichhold destaca que actualmente algunas evoluciones se han mostrado muy prometedoras y procuran sa- tisfacer as necesidades ambientales. “Es el caso de los pro- ductos que buscan la reducción de VOC, como las resinas de alto contenido de sólidos, y la principal y más actual evolución de las resinas alquídicas está en la unión de dos características principales para obtener un producto más amigable al medio ambiente, que son los látex alquídicos, pues llegan a tener mayor proporción de materias primas de fuentes renovables en su estructura y son totalmente solubles en agua, presen- tando bajísimo VOC en las formulaciones de pinturas y barni- ces”, observa.

32
32

RTV|02-03|2011

Buscando siempre ofrecer al mercado soluciones completas

en resinas, Águia Química presenta su línea Verde Brasil, que cuenta con amplia participación de materias primas de fuentes renovables y con bajísima emisión de compuestos orgánicos

La línea incluye alquídica altos sólidos, alquídica base

agua y alquídica emulsionable. La opción AQV-1000 es la resina alquídica larga 100% sólida. Exenta de solventes, está formada por 100% de sólidos, lo que según Valmir Pedro Turquetto, ge- rente de investigación y desarrollo (I&D), agrega alto valor a la línea, pues demanda menor costo de envase, almacenamiento,

transporte y solventes. Además, se produce con materias primas renovables y permite producir pinturas con baja emisión de compuestos orgánicos volátiles (VOC). Proporciona excelente desempeño en formulaciones alquídicas inmobiliarias. Por su lado, la AQV-2000 es una emulsión alquídica soluble en agua, producida con materias primas de fuentes renovables, y Turquetto considera que su gran innovación consiste en el uso de agua como solvente único, generando bajo olor y bajísima emisión de compuestos orgánicos volátiles (VOC). Según el ge- rente de I&D, el brillo esta resina es superior al de los látex acrílicos convencionales y tiene gran facilidad de pigmentación. Puede utilizarse en una amplia gama de productos de la línea inmobiliaria. Otra solución de la serie es la AQ-334, una resina alquídica larga en aceite de soya, emulsionable y diluida en aguarrás mi- neral. “Es una resina muy innovadora, pues es la primera alquí- dica que no necesita de la adición de emulsificante, carac- terística que, combinada con los altos sólidos de la resina, produce un gran rendimiento, permitiendo hacer productos de mayor calidad y menor costo”, afirma Turquetto. Sus princi- pales aplicaciones son para esmaltes sintéticos inmobiliarios emulsionables, pasta aceite emulsionable y primers emulsio- nables. Otra novedad que Águia Qúimica ofrece es la AQ-1622, una emulsión estireno-acrílica sin olor para la línea inmobilia- ria, que permite ocupar rápidamente el ambiente después de pintado, siguiendo la fuerte tendencia de este segmento. Cabe también resaltar que, además de los lanzamientos de productos, la empresa invirtió más de R$ 15 millones en los últimos años con el propósito de inaugurar en 2012 su nueva

(VOC)

planta fabril en Ponta Grossa (PR), que duplicará la capacidad productiva actual.

AkzoNobel Iguatu ha enfocado sus inversiones en la investi- gación y desarrollo de productos que ofrezcan un diferencial competitivo a sus clientes. De acuerdo con Elaine Guedes, ge- rente de negocios – Iguatu, la búsqueda de productos con alto contenido de sólidos, bajo índice de amarilleado, secado rápido, y productos a base de agua, son las premisas del equipo técnico de Iguatu. “El proceso de fabricación, con menor generación de residuos y la utilización de materias primas sustentables también forma parte de la constitución de nuestros productos”, resalta.

Oswaldo Cruz es el más nuevo player en potencial del seg- mento de alquídicas. Es una tradicional empresa de emulsiones acrílicas de base agua, con presencia en los mercados de pintu- ras, adhesivos y papel, siendo que hace un año y medio decidió iniciar su participación también en el segmento de resinas de base solvente, para atender de forma más completa a sus clien- tes. “Hoy estamos comercializando un volumen superior al de nuestras expectativas, con tendencia de crecimiento en todos los clientes”, constata Eduardo Vidotti, consultor para la unidad de negocios base solvente. La línea de resinas alquídicas de Oswaldo Cruz se denomina comercialmente Alkfort y el nuevo trabajo desarrollado para esta línea cuenta con todo el soporte técnico y comercial de la compañía. “Aprovechamos nuestra fuerza comercial, que es bien estructurada y también tenemos toda la parte de labo- ratorios de aplicación, que inclusive ponemos a disposición de los clientes para el acompañamiento y desarrollo de los produc- tos y demás necesidades”, advierte Vidotti.

RESINASRESINASRESINASRESINASRESINAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS

ALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICASALQUÍDICAS Reichhold ha desarrollado y lanzado constantemente nuevas

Reichhold ha desarrollado y lanzado constantemente nuevas tecnologías de resinas alquídicas. Según André Luiz de Oliveira, supervisor de Desarrollo de Mercado – Coatings, en los últimos años han sido varios lanzamientos brasileños y globales, des- tinados a los diversos segmentos de la industria de pinturas. “Esto se debe a que Reichhold cuenta con Centros de Investiga- ción & Desarrollo distribuidos globalmente de forma estraté- gica, y uno de los principales está en Brasil, que dispone de recursos tecnológicos para la creación de diversos tipos de resinas, con tecnología para evaluarlas en sus aplicaciones, además de prestar soporte técnico de alto nivel a los clientes”, afirma Oliveira. Las principales líneas de productos lanzadas recientemente para sistemas de base agua son el Beckosol Aqua ® y el Beckosol Eco ® , que son líneas de látex alquídicos puros o modificados para diversos tipos de pinturas y barnices, con la ventaja de ser totalmente solubles en agua, permitiendo formular revesti- mientos de bajísimo VOC. Entre los productos de estas series, se mencionan el Becko- sol Aqua ® 201, látex alquídico para formulación de esmalte inmobiliario base agua de alto brillo; Beckosol Aqua ® 510, látex alquídico para formulación de acabados semibrillo; Becko- sol Aqua ® 210, desarrollado para la formulación de primers para metal; el Beckosol Aqua ® 101, una formulación de stains para madera, y el Beckosol Eco ® BB15, formulado a base látex alquídico, indicado para esmalte inmobiliario de base agua, la principal característica está en la reducción del tiempo de pro- ceso de fabricación de la pintura y en la disminución de materias primas en existencias. Y en sistemas de altos sólidos tiene en línea el Becosol ® 15-254, un alquídico con 80% de sólidos, que permite la for- mulación de acabados con mayor contenido de sólidos.

for- mulación de acabados con mayor contenido de sólidos. A REVISTA TINTAS & VERNIZES COMPLETOU 50

A REVISTA TINTAS & VERNIZES COMPLETOU

50 ANOS!!!

SÓ ELA PRESENCIA E PUBLICA A HISTÓRIA DA INDÚSTRIA DE TINTAS NO BRASIL EM SUAS PÁGINAS

RTV|02-03|2011

33
33
ALKYDALKYDALKYDALKYDALKYD RESINSRESINSRESINSRESINSRESINS Alkyd Resins: major challenges in the era of sustainability A

ALKYDALKYDALKYDALKYDALKYD

RESINSRESINSRESINSRESINSRESINS

Alkyd Resins: major challenges in the era of sustainability

A thermoplasticity was limited, among other

properties that over the years were improved with the arising of modified alkyd resins. Among them, tar phenol alkyd resins, resinates, urethane resins, polyacrilic and polystyrene resins. According to ElaineElaineElaineElaineElaine GuedesGuedesGuedes,GuedesGuedes business manager - IguatuIguatuIguatu,IguatuIguatu even still in constant evolution, the market is now entering the sustainability era, and today there are the alkyd water-based resins. “The great challenge of this technology is to keep the technical performance and to add environmental advantages, all of this at a competitive cost, through the research of raw materials economically feasible,” she says. According to her, it is important to highlight that the alkyd resins require raw materials from renewable and recyclable sources, which assures the permanence of this material in paints for many generations. To EduardoEduardoEduardoEduardoEduardo VVVVVidottiidottiidotti,idottiidotti consultant for the solvent-based business unit, of OswaldoOswaldoOswaldoOswaldoOswaldo CruzCruzCruz,CruzCruz the alkyd resins market has undergone a great pressure because of the arising of alternative water-based products. However, the executive remembers that despite the development of water-based technologies, there are many applications where this type of technology does not bring the desired results, unlike the solvent systems, which offer end features such as brightness, drying and hardness much higher than the water-based systems. AndréAndréAndréAndréAndré LuizLuizLuizLuizLuiz dedededede OliveiraOliveiraOliveiraOliveiraOliveira, Market Development supervisor - Coatings, at RRRRReichholdeichholdeichhold,eichholdeichhold points out that currently some developments have been showed to be very promising and comply with the environmental needs. “That’s the case of products that seek to reduce VOCs, such as resins with high-solids content, and the main and most recent evolution in alkyd resins consists in the union of two major features to get a more environmentally- friendly product, which are alkyd latexes, because their content of renewable raw materials is higher in its

lkyd resins came up in 1923 and then, the

performance in drying, yellowing and

34
34

RTV|02-03|2011

structure and are completely water-soluble, with very low VOC in the formulations of paints and varnishes,” he observes.

Always seeking to offer to the market complete solutions in resins, Águia Química presents its line Verde Brasil, with high content of renewable raw materials and with very low emission of volatile organic compounds (VOCs) The line includes high-solids alkyd, water-based alkyds and emulsion alkyds. The option AQV-1000 is the long 100% solid alkyd resin. Free of solvents, it has 100% of solids, which, according to Valmir Pedro Turquetto, research and development manager, adds a higher value to the line, since the packaging, storage, transportation and solvent costs are lower. Furthermore, it is produced with renewable raw materials and allows producing low volatile organic compounds (VOC) paints. It provides an excellent performance to architectural alkyd formulations. In the other hand, the AQV-2000 is a water-soluble alkyd emulsion, produced with renewable raw materials and Turquetto believes that its very innovative since the water is the only solvent it uses, producing low odor and very low emission of VOCs. According to the R&D manager, the gloss of this resin is higher to the conventional acrylic latex and can be pigmented easily. It can be used in a wide range of products of the architectural line. Another solution of the series is the AQ-334, that is an long alkyd resin in soybean oil, emulsified and diluted in mineral turpentine. “It’s a very innovative resin, as it is the first alkyd that does not require the addition of emulsifiers, a feature that together with the high-solids of the resin, produces high efficiency, allowing to formulate higher- quality and lower-cost products,” says Turquetto. They are used mainly in emulsifiable architectural synthetic coatings, emulsifiable oil paste and emulsifiable primers. Another new product brought by Águia Qúimica is the AQ-1622, an odor-free styrene acrylic emulsion for the architectural line, which allows to take up the room right

after painting, according to the strong trend of this market. Should also point out that, besides the launchings of products, the company has invested more than R$15 million in the recent years with the purpose of opening in 2012 its new manufacturing plant in Ponta Grossa (PR), which will double its current production capacity.

AkzoNobel Iguatu investments are focused on research and development of products that provide competitive advantages to its customers. According to Elaine Guedes, business manager - Iguatu, the search for products with high-solid content, low yellowish rate, quick drying, and water-based products are the premises of the technical team of Iguatu. “The manufacturing process, that wastes less and uses sustainable raw materials are also part of our products,” she emphasizes.

Oswaldo Cruz is the newest potential player on the sector of alkyds. It is a traditional company of water-based acrylic emulsions used in the paint, adhesive and paper markets that one and a half year ago decided to venture also into the solvent-based resin market with the purpose of fulfilling more satisfactorily its client needs. “Today the volume we are trading exceeded our expectations, with a growth trend for all customers,” states Eduardo Vidotti, consultant for the solvent- based business unit. The line of Oswaldo Cruz alkyd resins is commercially named Alkfort and the new work developed for this line has all the technical and business support of the company. “We took advantage of our that well-structured sales force and we have also the application laboratories that are also available for clients to monitor and development

ALKYDALKYDALKYDALKYDALKYD

RESINSRESINSRESINSRESINSRESINS

ALKYDALKYDALKYDALKYDALKYD RESINSRESINSRESINSRESINSRESINS of products and other needs,” says Vidotti. Reichhold

of products and other needs,” says Vidotti.

Reichhold constantly develops and launches new alkyd resin technologies. According to André Luiz de Oliveira, Market Development - Coatings supervisor, in the recent years there have been several lauchings in Brazil and around the world, intended for several sectors of the paint industry. “This is because Reichhold has Research & Development Centers strategically located in the globe, and one of the most important is in Brazil, which has the technological resources to create several types of resins and the technology to evaluate them in their applications, besides providing first-class technical support to customers,” observes Oliveira. The main product lines recently launched for water- based systems are Beckosol Aqua® and Beckosol Eco®, two lines of pure or modified alkyd latex for several types of paints and varnishes, with the advantage of being completely water-soluble, allowing formulations of coatings with very low VOC. Among the products of these series they are mentioned the Beckosol Aqua ® 201 - alkyd latex for the formulation of water-based, high-gloss architectural coatings; Beckosol Aqua ® 510 - alkyd latex for semi-gloss finishing; Beckosol Aqua ® 210 - developed for the formulation of primers for metals; Beckosol Aqua ® 101 - for wood stains, and Beckosol Eco ® BB15, based on alkyd latex recommended for water-based architectural coatings, the main feature is the reduced time of the manufacturing process, besides reducing the amount of raw materials in stock. And in high-solid systems the company has the Becosol ® 15-254, an alkyd with 80% of solids, which allows to formulate coatings with higher solid content.

15-254, an alkyd with 80% of solids, which allows to formulate coatings with higher solid content.
15-254, an alkyd with 80% of solids, which allows to formulate coatings with higher solid content.

RTV|02-03|2011

35
35
INAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃO Dow Coating Materials inaugura novo laboratório em São

INAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃOINAUGURAÇÃO

Dow Coating Materials inaugura novo laboratório em São Paulo (SP)

Espaço será destinado ao desenvolvimento de soluções para necessidades específicas dos clientes e a unidade complementa as atividades desenvolvidas em Jacareí (SP)

complementa as atividades desenvolvidas em Jacareí (SP) A Dow Coating Materials, unidade de negócios da Dow

A Dow Coating Materials, unidade de negócios da Dow para tintas e revestimentos, inaugura o seu segundo laboratório voltado para pesquisas e aplicações de tec-

nologias para seus clientes e parceiros de negócios. A nova estrutura está localizada no recém inaugurado prédio da empre- sa, no edifício Rochaverá, em São Paulo (SP), e soma-se ao laboratório que a unidade já possui na cidade de Jacareí (SP). Os dois laboratórios têm, juntos, 160 m 2 equipados com máquinas diferenciadas de química analítica de ponta como DSC, reômetros e tensiômetros, além de equipamentos e estru- turas para aplicação como salt spray, cowles, Cura UV, visco- símetros, cabine de aplicação para spray e um centro de controle de temperatura e umidade que obedecem às normas para seca- gem de tintas. O laboratório também será destinado à análise de produtos e desenvolvimento de formulações indicativas que possam aju- dar a melhorar os aspectos técnicos das soluções e/ou aplica- ções. Já na unidade em Jacareí, os projetos desenvolvidos pelo laboratório são voltados para plataformas como novas tecnolo-

36
36

RTV|02-03|2011

gias para otimização de TiO 2 e base água, para manutenção pesada e outras utilizações industriais. O local ainda conta com uma estrutura de intemperismo natural, onde se acompanha o envelhecimento das tintas aplicadas em substratos diferencia-

dos, e também uma parede de aplicações em que é possível avaliar os diversos aspectos das tintas, como cobertura, respingo

e nivelamento. “Certamente as solicitações de nossos clientes e parceiros serão atendidas com muito mais rapidez, uma vez que temos agora um espaço exclusivo para as demandas específicas.

Também contaremos com a troca de informações e tecnologia com a nossa unidade instalada em Querétaro, México, o que vai se traduzir em benefícios para todos”, afirma Franco Faldini, gerente de marketing da Dow Coating Materials para América Latina. Além das estruturas físicas, a Dow conta com um time espe- cializado que trabalha com o cliente, focado em suas aplicações

necessidades específicas e desenvolvendo formulações que melhorem os aspectos técnicos das soluções.

e

aplicações necessidades específicas e desenvolvendo formulações que melhorem os aspectos técnicos das soluções. e

RTV|02-03|2011

37
37
INAUGURACIÓNINAUGURACIÓNINAUGURACIÓNINAUGURACIÓNINAUGURACIÓN

INAUGURACIÓNINAUGURACIÓNINAUGURACIÓNINAUGURACIÓNINAUGURACIÓN

INAUGURATIONINAUGURATIONINAUGURATIONINAUGURATIONINAUGURATION

INAUGURATIONINAUGURATIONINAUGURATIONINAUGURATIONINAUGURATION

Dow Coating Materials inaugura nuevo laboratorio en São Paulo (SP)

Dow Coating Materials, unidad de negocios de Dow para pinturas y revestimientos, inaugura su segundo laboratorio des- tinado para investigaciones y aplicaciones de tecnologías para sus clientes y socios de negocios. La nueva estructura está localizada en el recién inaugurado edificio de la empresa, llamado Rochaverá, en São Paulo (SP), y se suma al laboratorio que la unidad ya tiene en la ciudad de Jacareí (SP). Los dos laboratorios tienen, juntos, 160 m 2 equipados con máquinas de química diferenciadas analítica e de punta, como DSC, reómetros y tensiómetros, además de equipos y estructuras para aplicación como salt spray, cowles, Curado UV, viscosíme- tros, cabinas de aplicación para spray y un centro de control de temperatura y humedad que obedecen a las normas para secado de pinturas. El laboratorio también será destinado al análisis de pro- ductos y el desarrollo de formulaciones indicativas que puedan ayudar a mejorar los aspectos técnicos de las soluciones y/o aplicaciones. Por otro lado, en la unidad en Jacareí, los proyec- tos desarrollados por el laboratorio se destinan a plataformas como nuevas tecnologías para optimización de TiO 2 y base agua, para mantenimiento pesado y otros usos industriales. El local también cuenta con una estructura de intemperismo natural, donde se acompaña el envejecimiento de las pinturas aplicadas en sustratos diferentes, y también una pared de apli- cación que permite evaluar los diversos aspectos de las pinturas, como cobertura, salpicado y nivelación. “Con certeza, las solicitudes de nuestros clientes y socios serán atendidas con mucho mayor rapidez, ya que ahora tenemos un espacio exclusivo para las demandas específicas. También contaremos con el intercambio de información y tecnología con nuestra unidad instalada en Querétaro, México, lo que se tra- ducirá en beneficios para todos”, afirma Franco Faldini, gerente de marketing de Dow Coating Materials para América Latina. Además de las estructuras físicas, Dow cuenta con un equipo especializado que trabaja con el cliente, enfocado en sus aplica- ciones y necesidades específicas y desarrollando formulaciones que mejoren los aspectos técnicos de las soluciones.

que mejoren los aspectos técnicos de las soluciones. 38 RTV| 02-03 |2011 Dow Coating Materials inaugurates
38
38

RTV|02-03|2011

Dow Coating Materials inaugurates new laboratory in São Paulo (SP)

Dow Coating Materials, a business unit (BU) for paints and coatings of Dow, has inaugurated its second laboratory intended for research and application of technologies for its customers and business partners. The new site is in the newly inaugurated building of the company, the Rochaverá Building, in São Paulo (SP), and adds to the laboratory of the BU in the city of Jacareí (SP). The two laboratories together add a 160 m 2 area, and the new one is equipped with cutting-edge analytical chemistry machines, such as DSC, rheometers and tensiometers, besides equipment and structures for application as salt spray, Cowles, UV Curing, viscometers, an application cabin for spray and a temperature and dampness control center that complies to the standards for drying paints. The laboratory will also be used for the analysis of products and development of indicative formulations that may help to improve the technical aspects of solutions and/or applications. In the other hand, the projects developed at Jacareí lab are focused on platforms as new technologies for the optimization of TiO 2 and water-based solutions for heavy maintenance and other industrial uses. The site also features a natural weathering structure, where the aging of paints applied on differenced substrata is evaluated, besides an application wall to evaluate the different aspects of the paint, such as coating, splashing and leveling capacity. “Certainly the demands of our customers and partners will be responded much quicker, since we now have an exclusive space for specific demands. The exchange of information and technologies with our unit in Queretaro, Mexico, will translate into benefits for everyone,” says Franco Faldini, Dow Coating Materials for Latin America marketing manager. In addition to the physical structures, Dow has a specialized team that works with the client, focused on their specific applications and needs, and developing formulations that improve the technical aspects of solutions.

on their specific applications and needs, and developing formulations that improve the technical aspects of solutions.

LitografiaLitografiaLitografiaLitografiaLitografia VVVVValençaalençaalençaalençaalença investeinvesteinvesteinvesteinveste ememememem SegurançaSegurançaSegurançaSegurançaSegurança dododododo TTTTTrabalhorabalhorabalhorabalhorabalho eeeee reduzreduzreduzreduzreduz ememememem 70%70%70%70%70% ooooo númeronúmeronúmeronúmeronúmero dedededede acidentesacidentesacidentesacidentesacidentes

O investimento em segurança do trabalho e a preocupação com

a qualidade de vida dos funcionários têm sido um dos focos principais da Litografia Valença. O investimento feito nos últimos 10 anos em

equipamento, treinamento e capacitação resultou numa redução de 70% no número de acidentes nas quatro unidades da firma.

A empresa bateu o recorde de 322 dias sem acidentes em 2009

e em 2010 chegou à marca de 228 dias. A Litografia criou uma

CIPA - Comissão Interna de Prevenção de Acidentes, com objetivo de prevenir acidentes e doenças decorrentes do trabalho. Essa equipe

é composta por 20 especialistas, sendo dois técnicos em Segurança

do Trabalho. Segundo Walter Resende, coordenador de Saúde e Segurança do Trabalho na Litografia Valença, esta é a maneira mais eficaz para se prevenir acidentes e promover a saúde e bem estar do trabalhador durante a estadia na empresa. Algumas medidas adotadas pela Litografia Valença foram a inte-

medidas adotadas pela Litografia Valença foram a inte- ATUALIDADES gração, realizada no momento da admissão, com

ATUALIDADES

adotadas pela Litografia Valença foram a inte- ATUALIDADES gração, realizada no momento da admissão, com

gração, realizada no momento da admissão, com orientações refe- rentes à Norma Interna de Segurança; treinamentos de reintegração semestrais; formação e treinamento periódico trimestral de Brigada de Incêndio e Emergência, composta por 24 colaboradores; estudo permanente de novos equipamentos (EPI’S) adequados a cada ativi- dade; fiscalização das medidas de proteção coletivas e do uso adequa- do dos EPI’S; inspeção semanal dos equipamentos contra incêndio; e manutenção de uma sala de Emergência Pré-Hospitalar.

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

39 39
39
39

ATUALIDADES

ATUALIDADES EastmanEastmanEastmanEastmanEastman lançalançalançalançalança primeiroprimeiroprimeiroprimeiroprimeiro

EastmanEastmanEastmanEastmanEastman lançalançalançalançalança primeiroprimeiroprimeiroprimeiroprimeiro estudoestudoestudoestudoestudo sobresobresobresobresobre SustentabilidadeSustentabilidadeSustentabilidadeSustentabilidadeSustentabilidade

A Eastman Chemical Company (NYSE:EMN) lançou um estudo detalhado sobre sua estratégia para alavancar o portfólio de práticas

e produtos sustentáveis em expansão, como seu grande motor de

crescimento e inovação. O estudo “Nossa Jornada de Sustentabilidade” destaca as con-

quistas recentes e estabelece objetivos claros, a curto e médio pra- zos, para ajudar a empresa a avaliar o sucesso em todas as dimen- sões do seu programa de sustentabilidade – crescimento econômico, ambientalismo e responsabilidade social. “Na Eastman, nosso objetivo é sempre mostrar que somos uma empresa química melhor ao gerarmos um crescimento sustentável,” diz Jim Rogers, presidente e diretor executivo da empresa. “Acredi- tamos que a sustentabilidade gera um vento a nosso favor para conquistarmos esse crescimento”, acrescenta. “Nossa Jornada de Sustentabilidade” destaca: Metas de Cresci- mento Econômico; Metas Ambientais; e Metas Sociais. Além disso,

o estudo detalha os novos passos da Eastman em relação aos GEE

(Gases de Efeito Estufa), COVs (Compostos Orgânicos Voláteis), redução da intensidade de energia, programas de doação a comunida- des globais, e uma leva de produtos e inovações tecnológicas – des- de plásticos livres de BPA (Bisfenol A) e plastificadores sem ftalato,

a aditivos de performance renováveis, com base biológica.

a aditivos de performance renováveis, com base biológica. “Acreditamos que a sustentabilidade é a base dos

“Acreditamos que a sustentabilidade é a base dos esforços de inovação bem-sucedidos da Eastman e que, de fato, é a chave para resolver problemas futuros para nossos clientes e para o mundo”, diz Mark Costa, vice-presidente executivo e responsável pelas inicia- tivas de sustentabilidade da empresa. Em 2009, a Eastman recebeu o prêmio “Presidential Green Cha- llenge Award”, da Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, pelo seu processo de biocatalisadores, e foi considerada uma das 100 empresas mais ecologicamente corretas dos EUA pela revista Newsweek.

ecologicamente corretas dos EUA pela revista Newsweek . DowDowDowDowDow anunciaanunciaanunciaanunciaanuncia

DowDowDowDowDow anunciaanunciaanunciaanunciaanuncia mudançasmudançasmudançasmudançasmudanças estratégicasestratégicasestratégicasestratégicasestratégicas ememememem seuseuseuseuseu timetimetimetimetime paraparaparaparapara aaaaa AméricaAméricaAméricaAméricaAmérica LatinaLatinaLatinaLatinaLatina

A Dow fez algumas mudanças importantes. No mercado de tintas,

FRANCO FALDINI será o novo gerente de marketing da Dow Coating

Materials para América Latina para os segmentos arquitetônico e

industrial. Faldini será o responsável pelo plano estratégico dos negó- cios para os próximos cinco anos e pelo gerenciamento das atividades da área – que passa a ter mais autonomia regional. Ana Carolina Haracemiv responderá pela diretoria comercial de Building & Construction da Dow para a região. Antes, ela ocupava o cargo de gerente de produto e marketing para epóxi, poliglicóis, surfactantes e fluídos de performance.

A Dow Microbial Control terá Milena Carvalheira como gerente

de marketing regional. Já a área da Dow Packaging and Converting contará com Bruno Pereira como gerente de marketing estratégico para a América Latina. Ele também atua como coordenador do comitê de meio ambiente e sustentabilidade da ABRE (Associação Brasileira

de Embalagem).

40 40
40
40

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

BASFBASFBASFBASFBASF apoiaapoiaapoiaapoiaapoia ooooo AnoAnoAnoAnoAno InternacionalInternacionalInternacionalInternacionalInternacional dadadadada QuímicaQuímicaQuímicaQuímicaQuímica 20112011201120112011

O ano 2011 foi instituído o Ano Internacional da Química (AIQ) pelas Nações Unidas, e a BASF está apoiando a iniciativa de diferentes maneiras. “Muitos dos produtos que tornam a nossa vida mais segu- ra, mais fácil e agradável não existiriam sem a contribuição da quími- ca. Queremos conscientizar as pessoas das conquistas da química

e as soluções que ela traz para enfrentar os desafios futuros. A

Química é uma ciência essencial para lidar com questões importan-

tes, tais como assegurar energia, mobilidade, nutrição, construção

e habitação para a crescente população mundial. Demonstrar essa

contribuição é uma meta do AIQ, e é o motivo pelo qual a BASF está

apoiando a iniciativa”, disse o Dr. Hans-Ulrich Engel, membro da Junta Diretiva da BASF SE. Como patrocinadora global e participante ativa nas atividades

do AIQ, a BASF esteve envolvida tanto na cerimônia de abertura em 27 e 28 de janeiro, como também estará no encerramento, em Bruxelas, em 1 de dezembro. A empresa também está celebrando

o AIQ promovendo atividades nacionais e internacionais: nos Kids’

Lab da empresa (laboratórios para jovens e crianças) os estudantes podem realizar experiências e descobrir o mundo da química através

experiências e descobrir o mundo da química através ATUALIDADES de vários programas; e a multinacional dará

ATUALIDADES

e descobrir o mundo da química através ATUALIDADES de vários programas; e a multinacional dará as

de vários programas; e a multinacional dará as boas-vindas aos vi- sitantes nas suas unidades produtivas em vários países onde os in- teressados podem vivenciar de perto o mundo da química. Em São Paulo e nas localidades da BASF no Brasil e na América do Sul, o AIQ coincide com a celebração dos “100 anos de atuação da empresa na região”.

A empresa está também envolvida ao redor do mundo em exi-

bições e projetos em colaboração com escolas e museus de ciên- cias, organizando concursos, debates e eventos informativos sobre a química. Além disso, a empresa está planejando diversos eventos com clientes participantes do AIQ em muitas de suas localidades ao redor do mundo.

do AIQ em muitas de suas localidades ao redor do mundo. AbiquimAbiquimAbiquimAbiquimAbiquim temtemtemtemtem

AbiquimAbiquimAbiquimAbiquimAbiquim temtemtemtemtem novanovanovanovanova gerentegerentegerentegerentegerente nanananana áreaáreaáreaáreaárea dedededede comérciocomérciocomérciocomérciocomércio eeeeexteriorxteriorxteriorxteriorxterior

A engenheira DENISE MAZZARO NARANJO passou a coordenar, a

partir de 3 de janeiro, a área de Assuntos de Comércio Exterior da entidade. Ela é formada em engenharia química pela Fundação Armando Álvares Penteado, com pós-graduação em Economia In- ternacional e em Gestão Empresarial para a Indústria Química. Deni- se trabalha na Abiquim há 24 anos como assessora de Comércio Exterior. Denise sucederá ao economista Renato Endres, que ingressou na Abiquim em 1969 e coordenou a área de Comércio Exterior da entidade por 22 anos. Endres continuará colaborando com a Abiquim como consultor.

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

41 41
41
41

ATUALIDADES

ATUALIDADES AbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaço lançalançalançalançalança livrolivrolivrolivrolivro

AbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaço lançalançalançalançalança livrolivrolivrolivrolivro comemorativocomemorativocomemorativocomemorativocomemorativo aosaosaosaosaos 200200200200200 anosanosanosanosanos dasdasdasdasdas embalagensembalagensembalagensembalagensembalagens dedededede açoaçoaçoaçoaço

Tão comuns em nossas vidas, as latas de aço combinam pratici- dade e segurança e são a melhor opção entre as embalagens para

conservar alimentos, bebidas, tintas e produtos químicos. Em 2010, essa invenção de Nicolas Appert, que mudou os hábitos da sociedade no século XIX, completou 200 anos de história e, para comemorar,

a Abeaço, Associação Brasileira de Embalagem de Aço, lança o livro “Nosso Aço – uma história para ser contada”. A obra explica um pouco mais sobre as latas de aço e sua importância na indústria, economia e consumo. Um dos temas do livro é a evolução destas embalagens. Desde sua criação, para atender as demandas de mercado, as principais

mudanças das latas de aço foram ocasionadas pelo progresso tec- nológico. Ao longo de 200 anos de existência, ela evoluiu com o uso de películas internas elásticas, que protegem o alimento mesmo se

a lata for amassada, o estanhamento das folhas de aço até o recente lançamento das latas para micro-ondas. Mudanças que melhoraram seu desempenho e tornaram seu uso mais cômodo, aumentando a praticidade, conveniência e segurança de seu uso. As embalagens de aço são ecológicas e sustentáveis. Elas podem ser recicladas infinitamente e também são degradáveis em curtos

períodos – de três a dez anos se degradam por completo, retornando

à natureza como óxido de ferro. Além disso, são seguras e dispensam

como óxido de ferro. Além disso, são seguras e dispensam o uso de conservantes. O alimento

o uso de conservantes. O alimento em seu interior não perde os nutrientes e não entra em contato com a luz e com o ar, mantendo- se perfeito para consumo até mesmo por anos.

ar, mantendo- se perfeito para consumo até mesmo por anos. 42 42 RTV| 02-03 |2011 RTV|
42 42
42
42

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

AIQAIQAIQAIQAIQ 20112011201120112011 incentivaincentivaincentivaincentivaincentiva lançamentolançamentolançamentolançamentolançamento dedededede livroslivroslivroslivroslivros

No Ano Internacional da Química 2011 (AIQ 2011), que teve seu lançamento oficial no dia 27 de janeiro, torna-se importante e mais incentivador saber um pouco mais sobre a história da química. Pensando nisso, a Editora Blucher publica o livro “Uma Breve

História da Química: da alquimia às ciências moleculares modernas”, tradução da obra de Arthur Greenberg. Com uma linguagem simples

e fluída apresenta as raízes práticas, médicas e místicas da química,

e traça em imagens e palavras a evolução da química até se tornar uma ciência moderna.

LitografiaLitografiaLitografiaLitografiaLitografia VVVVValençaalençaalençaalençaalença invierteinvierteinvierteinvierteinvierte enenenenen SeguridadSeguridadSeguridadSeguridadSeguridad deldeldeldeldel TTTTTrabajorabajorabajorabajorabajo yyyyy reducereducereducereducereduce enenenenen 70%70%70%70%70% elelelelel númeronúmeronúmeronúmeronúmero dedededede accidentesaccidentesaccidentesaccidentesaccidentes

La inversión en seguridad del trabajo y la preocupación con la

calidad de vida de los empleados han sido uno de los enfoques princi- pales de Litografia Valença. Las inversiones realizadas en los últimos 10 años en equipo, entrenamiento y capacitación resultaron en una reducción del 70% en el número de accidentes en las cuatro unidades de la compañía. La empresa alcanzó el récord de 322 días sin accidentes en

2009 y en 2010 llegó a la marca de 228 días. Litografia Valença

creó una CIPA - Comisión Interna de Prevención de Accidentes, con el objetivo de prevenir accidentes y enfermedades resultantes del trabajo. Ese equipo se compone de 20 especialistas, siendo dos técnicos en Seguridad del Trabajo. Según Walter Resende, coordinador de Salud y Seguridad del Trabajo en Litografia Valença, ésta es la manera más eficaz de prevenir accidentes y promover la salud y el bienestar del trabajador durante su permanencia en la empresa. Entre las medidas adoptadas por Litografia Valença, se cuentan la integración realizada en el momento de la admisión, con orienta- ciones referentes a la Norma Interna de Seguridad; entrenamientos de reintegración semestrales; formación y entrenamiento periódico trimestral de la Brigada contra Incendios y Emergencias, compuesta por 24 colaboradores; un estudio permanente de nuevos equipos (EPI’S) adecuados a cada actividad; fiscalización de las medidas de protección colectivas y del uso adecuado de los EPI’S; inspección semanal de los equipos contra incendio; y manutención de una sala de Emergencia Pre-Hospitalaria.

LitografiaLitografiaLitografiaLitografiaLitografia VVVVValençaalençaalençaalençaalença investsinvestsinvestsinvestsinvests ininininin OccupationalOccupationalOccupationalOccupationalOccupational SafetySafetySafetySafetySafety andandandandand reducesreducesreducesreducesreduces bybybybyby 70%70%70%70%70% thethethethethe numbernumbernumbernumbernumber ofofofofof accidentsaccidentsaccidentsaccidentsaccidents

The investment in workplace safety and concern for quality of life of employees have been a major focus of the Litografia Valença. The investment made in the last 10 years in equipment, training and development has resulted in a 70% reduction in accidents in the four units of the firm. The company hit the record of 322 days without accidents in

2009 and in 2010 reached the milestone of 228 days. Litografia

Valença created a IAPC - Internal Accident Prevention Commission, aiming to prevent accidents and occupational diseases. This team is composed of 20 experts, two of them in Occupational Safety.

composed of 20 experts, two of them in Occupational Safety. ACTUALIDADES AFFAIRS CURRENT According to Walter

ACTUALIDADES

AFFAIRS

CURRENT

According to Walter Resende, Health and Safety coordinator at Litografia Valença, this is the most effective way to prevent accidents and promote the health and welfare of the worker during their stay in business. Some measures taken by Litografia Valença include the integration performed on admission, with guidelines regarding International Security; reintegration training every six months, quarterly education and training journals of the Fire and Emergency Brigade, comprising 24 employees, continuous study of new equipment (EPI’S) appropriate for each activity, monitoring of the measures of collective protection and appropriate use of EPI’S, weekly inspection of fire fighting equipment, and maintenance of an Prehospital Emergency Room.

EastmanEastmanEastmanEastmanEastman lanzalanzalanzalanzalanza primerprimerprimerprimerprimer estudioestudioestudioestudioestudio sobresobresobresobresobre SustentabilidadSustentabilidadSustentabilidadSustentabilidadSustentabilidad

Eastman Chemical Company (NYSE:EMN) lanzó un estudio deta- llado sobre su estrategia para impulsar el portafolio de prácticas y productos sustentables en expansión, como su gran motor de creci- miento e innovación. El estudio “Nuestra Jornada de Sustentabilidad” destaca las con- quistas recientes y establece objetivos claros, a corto y medio plazos, para ayudar a la empresa a evaluar el éxito en todas las dimensiones de su programa de sustentabilidad – crecimiento económico, ambien- talismo y responsabilidad social. “En Eastman, nuestro objetivo es siempre mostrar que somos una empresa química mejor al generar un crecimiento sustentable,” dice Jim Rogers, presidente y director ejecutivo de la empresa. “Creemos que la sustentabilidad genera un viento a nuestro favor para conquistar este crecimiento”, agrega. “Nuestra Jornada de Sustentabilidad” destaca: Metas de Creci- miento Económico; Metas Ambientales, y Metas Sociales. Además, el estudio detalla los nuevos pasos de Eastman en relación a los GEI (Gases de Efecto Invernadero), COVs (Compuestos Orgánicos Volátiles), reducción de la intensidad de la energía, programas de donación a comunidades globales, y diversos productos e inno- vaciones tecnológicas – desde plásticos libres de BPA (Bisfenol A) y plastificantes sin ftalato, a aditivos de desempeño renovables, con base biológica. “Creemos que la sustentabilidad es la base de los esfuerzos de innovación exitosos de Eastman y que, de hecho, es la clave para resolver problemas futuros de nuestros clientes y para el mundo”, dice Mark Costa, vicepresidente ejecutivo y responsable por las iniciativas de sustentabilidad de la empresa.

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

43 43
43
43

ACTUALIDADES

CURRENT

ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS En 2009, Eastman recibió el premio “Presidential Green Cha- llenge Award”, de la

AFFAIRS

En 2009, Eastman recibió el premio “Presidential Green Cha- llenge Award”, de la Agencia de Protección Ambiental de los Estados Unidos, por su proceso de biocatalizadores, y fue considerada una de las 100 empresas más ecológicamente correctas de los Estados Unidos por la revista Newsweek.

EastmanEastmanEastmanEastmanEastman launcheslauncheslauncheslauncheslaunches firstfirstfirstfirstfirst studystudystudystudystudy ononononon SustainabilitySustainabilitySustainabilitySustainabilitySustainability

Eastman Chemical Company (NYSE: EMN) has launched a detailed study of its strategy to leverage the portfolio of sustainable practices and products in expansion, as its main engine of growth and innovation. The study “Our Journey to Sustainability” highlights the recent accomplishments and establishes clear objectives in the near and mid term to help the company measure success in all aspects of its sustainability program - economic growth, environment and social responsibility. “Our goal at Eastman is always to show that we are a better chemical company by generating sustainable growth,” says Jim Rogers, CEO. “We believe that sustainability generates a tailwind for us to achieve this growth,” he adds. “Our Journey to Sustainability” highlights: Goals of Economic Growth, Environmental Goals, and Social Goals. In addition, the study details the next steps Eastman of in relation to GHG (Greenhouse Gases), VOC (Volatile Organic Compounds), reduction in energy intensity, donation programs to global communities, and several products and technological innovations - from BPA-free (Bisphenol A) plastics and phthalate-free plasticizers, to renewable performance additives, biologically based. “We believe sustainability is the basis of Eastman’s successful, innovative efforts and that actually they are the key to solve future problems of our customers and the world,” said Mark Costa, executive vice president and responsible for the sustainability initiatives of the company. In 2009, Eastman was awarded the “Presidential Green Challenge Award” by the Environmental Protection Agency, because of Eastman’s biocatalysts process, and was ranked one as one of the 100 greenest companies in the U.S. by Newsweek.

DowDowDowDowDow anunciaanunciaanunciaanunciaanuncia cambioscambioscambioscambioscambios estratégicosestratégicosestratégicosestratégicosestratégicos enenenenen sususususu equipoequipoequipoequipoequipo paraparaparaparapara AméricaAméricaAméricaAméricaAmérica LatinaLatinaLatinaLatinaLatina

Dow realizó algunos cambios importantes. En el mercado de pinturas, Franco Faldini será el nuevo gerente de marketing de Dow

44 44
44
44

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

Coating Materials para América Latina para los segmentos arqui- tectónico e industrial. Faldini será responsable por el plan estratégico de los negocios para los próximos cinco años y por la gestión de las actividades del área, que ahora tendrá más autonomía regional. Ana Carolina Haracemiv responderá por la dirección comercial del área Building & Construction de Dow para la región. Antes, ocupa- ba el cargo de gerente de producto y marketing para epoxi, poligli- coles, surfactantes y fluidos de desempeño. Milena Carvalheira será gerente de marketing regional de Dow Microbial Control. Por su parte, el área de Dow Packaging and Con- verting contará con Bruno Pereira como gerente de marketing estra- tégico para América Latina. Él también es coordinador del comité de medio ambiente y sustentabilidad de la ABRE (Asociación Brasileña del Embalaje).

DowDowDowDowDow announcesannouncesannouncesannouncesannounces strategicstrategicstrategicstrategicstrategic changeschangeschangeschangeschanges ininininin thethethethethe teamteamteamteamteam forforforforfor LatinLatinLatinLatinLatin AmericaAmericaAmericaAmericaAmerica

Dow made some important changes. In the paint sector, Franco Faldini will be the new marketing manager for Dow Coating Materials for Latin America to the architectural and industrial segments. Faldini will be responsible for the strategic business plan for the next five years and for managing the activities of the sector, which now will has more regional autonomy. Ana Carolina Haracemiv will be responsible for the business management of Dow’s Building & Construction sector for the region. Previously, she held the position of marketing and product manager for epoxy, polyglycols, surfactants and performance fluids. Dow Microbial Control will have Milena Carvalheira as regional marketing manager. The Packaging and Converting Dow area will feature Bruno Pereira as manager of strategic marketing for Latin America. He also serves as coordinator of the committee on environment and sustainability of ABRE (Brazilian Packaging Association).

AIQAIQAIQAIQAIQ 20112011201120112011 estimulaestimulaestimulaestimulaestimula elelelelel lanzamientolanzamientolanzamientolanzamientolanzamiento dedededede libroslibroslibroslibroslibros

En el Año Internacional de la Química 2011 (AIQ 2011), que fue lanzado oficialmente el día 27 de enero, es importante y más esti- mulante saber un poco más sobre la historia de la química. Pensando en esto, la Editora Blucher publica el libro “Una Breve Historia de la Química: de la alquimia a las ciencias moleculares

modernas”, traducción de la obra de Arthur Greenberg. Con un len- guaje simple y fluido presenta las raíces prácticas, médicas y místicas de la química, y traza en imágenes y palabras la evolución de la quí- mica hasta convertirse en una ciencia moderna.

IYIYIYIYIYCCCCC 20112011201120112011 encouragesencouragesencouragesencouragesencourages thethethethethe releasereleasereleasereleaserelease ofofofofof booksbooksbooksbooksbooks

In the International Year of Chemistry 2011 (IYC 2011), which was officially launched on January 27, it becomes more important and encouraging to know a little more about the history of chemistry. Thinking about it, Editora Blucher published “A Short History of Chemistry: from Alchemy to Modern Molecular Science,” a translation of the work of Arthur Greenberg. With a simple and fluid language presents the practical, medical and mystical roots of chemistry, and draws on images and words the evolution of chemistry to become a modern science.

AbiquimAbiquimAbiquimAbiquimAbiquim tienetienetienetienetiene nuevanuevanuevanuevanueva gerentegerentegerentegerentegerente enenenenen elelelelel áreaáreaáreaáreaárea dedededede comerciocomerciocomerciocomerciocomercio eeeeexteriorxteriorxteriorxteriorxterior

La ingeniero Denise Mazzaro Naranjo es la nueva coordinara del área de Asuntos de Comercio Exterior de la entidad desde el 3 de enero. Se graduó en ingeniería química en la Fundação Arman- do Álvares Penteado, con posgrado en Economía Internacional y en Gestión Empresarial para la Industria Química. Denise trabaja en la Abiquim desde hace 24 años, como asesora de Comercio Exterior. Denise sucederá al economista Renato Endres, que ingresó a la Abiquim en 1969 y coordinó el área de Comercio Exterior de la en- tidad durante 22 años. Endres continuará colaborando con la Abiquim como consultor.

AbiquimAbiquimAbiquimAbiquimAbiquim hashashashashas NewNewNewNewNew ManagerManagerManagerManagerManager ininininin thethethethethe FFFFForeignoreignoreignoreignoreign TTTTTraderaderaderaderade DepartmentDepartmentDepartmentDepartmentDepartment

Engineer Denise Mazzaro Naranjo is the new coordinator of the International Trade Department of the entity from the 3rd of January. She is graduated in Chemical Engineering at Fundação Armando Alvares Penteado, postgraduate in International Economics and in Business Management for the Chemical Industry. Denise works at Abiquim 24 years ago as Foreign Trade advisor. Denise succeed to economist Renato Endres, who joined Abiquim in 1969 and coordinated the Foreign Trade Dept. of the

in 1969 and coordinated the Foreign Trade Dept. of the ACTUALIDADES AFFAIRS CURRENT organization for 22

ACTUALIDADES

AFFAIRS

CURRENT

organization for 22 years. Endres will continue collaborating with Abiquim as a consultant.

BASFBASFBASFBASFBASF apoyaapoyaapoyaapoyaapoya elelelelel AñoAñoAñoAñoAño InternacionalInternacionalInternacionalInternacionalInternacional dedededede lalalalala QuímicaQuímicaQuímicaQuímicaQuímica 20112011201120112011

El año 2011 fue instituido como el Año Internacional de la Química (AIQ) por las Naciones Unidas, y BASF está apoyando la iniciativa de diferentes maneras. “Muchos de lo productos que hacen nuestra vi- da más segura, más fácil y agradable no existirían sin la contribución de la química. Queremos concientizar a las personas de las conquistas de la química y las soluciones que ésta proporciona para en-frentar los retos futuros. La Química es una ciencia esencial para manejar cues- tiones importantes, tales como asegurar energía, movilidad, nutri- ción, construcción y habitación para la creciente población mundial. Demostrar esta contribución es una meta del AIQ, y es el motivo por el cual BASF está apoyando esta iniciativa”, dijo el Dr. Hans- Ulrich Engel, miembro de la Junta Directiva de BASF SE. Como patrocinadora global y participante activa en las actividades del AIQ, BASF estuvo involucrada tanto en la ceremonia de abertura en 27 y 28 de enero, como también en la clausura, en Bruselas, el 1º de diciembre. La empresa también está celebrando el AIQ promo- viendo actividades nacionales e internacionales: en los Kids’ Lab de la empresa (laboratorios para jóvenes y niños) los estudiantes pueden realizar experimentos y descubrir el mundo de la química a través de varios programas; y la multinacional dará la bienvenida a los visi- tantes en sus unidades productivas en varios países donde los in- teresados pueden sentir de cerca el mundo de la química. En São Paulo y en las localidades de BASF en Brasil y en América del Sur, el AIQ coincide con la celebración de los “100 años de actividades de la empresa en la región”. La empresa también participa en exhibiciones y proyectos alrededor del mundo en colaboración con escuelas y museos de ciencias, organizando concursos, debates y eventos informativos sobre química. Además, la empresa está planeando diversos eventos con clien- tes participantes del AIQ en muchas de sus localidades alrededor del mundo.

BASFBASFBASFBASFBASF isisisisis supportingsupportingsupportingsupportingsupporting thethethethethe InternationalInternationalInternationalInternationalInternational YYYYYearearearearear ofofofofof ChemistryChemistryChemistryChemistryChemistry 20112011201120112011

The year 2011 was established the International Year of Chemistry (AIQ) by the United Nations, and BASF is supporting the initiative in many ways. “Many products

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

45 45
45
45

ACTUALIDADES

CURRENT

ACTUALIDADES CURRENT AFFAIRS that make our life safer, easier and more enjoyable would not exist without

AFFAIRS

that make our life safer, easier and more enjoyable would not exist without the contributions of chemistry. We want to make people aware of the achievements of chemistry and the solutions it brings to meet future challenges. Chemistry is an essential science to deal with issues such as energy assurance, mobility, nutrition, and housing construction for the growing world population. Demonstrate this contribution is a goal of AIQ, and is why BASF is supporting the initiative,” said Dr. Hans-Ulrich Engel, member of the Board of Directors of BASF SE. As a global sponsor and active participant in the activities of AIQ, BASF has been involved in both the opening ceremony on January 28 and 27, as well as the closure in Brussels on December 1st. The company is also celebrating the AIQ promoting national and international activities:

in the Kids’ Lab (laboratories for youth and children) of the company, students can experience and discover the world of chemistry through several programs, and the multinational will welcome the visitors at its plants in several countries where those interested can experience intimately the world of chemistry. In São Paulo and at BASF sites in Brazil and South America, the AIQ coincides with the celebration of “100 years of the company in the region.” The company is also involved around the world in exhibitions and projects in collaboration with schools and museums of science competitions, debates and events information on the chemistry. In addition, the company is planning several events with participating clients of AIQ in many of its sites around the world.

AbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaço lanzalanzalanzalanzalanza librolibrolibrolibrolibro conmemorativo,conmemorativo,conmemorativo,conmemorativo,conmemorativo, dedededede losloslosloslos 200200200200200 añosañosañosañosaños dedededede laslaslaslaslas lataslataslataslataslatas dedededede aceroaceroaceroaceroacero

Tan comunes en nuestras vidas, las latas de acero combinan practicidad y seguridad y son la mejor opción entre los envases para conservar alimentos, bebidas, pinturas y productos químicos. En 2010, esa invención de Nicolas Appert, que cambió los hábitos de la sociedad del siglo XIX, cumplió 200 años de historia, y para celebrarlo, la Abeaço, Asociación Brasileña del Envase de Acero, lanza el libro “Nuestro Acero – una historia para contarse”. La obra explica un poco más sobre las latas de acero y su importancia en la industria, la economía y el consumo. Uno de los temas del libro es la evolución de estos envases. Desde su creación, para atender las demandas del mercado, los principales cambios de las latas de acero fueron causados por el

46 46
46
46

RTV|02-03|2011

RTV|02-03|2011

progreso tecnológico. A lo largo de 200 años de existencia, la lata se desarrolló con el uso de películas internas elásticas, que protegen los alimentos aunque la lata se abolle, el recubrimiento de estaño de las láminas de acero, hasta el reciente lanzamiento de las latas para microondas. Cambios que mejoraron su desempeño y permitieron que su uso fuese más cómodo, aumentando la practicidad, conveniencia y seguridad de uso. Los envases de acero son ecológicos y sustentables. Se pueden reciclar infinitamente y también degradan por completo en un período de tiempo muy rápido, de tres a diez años, retornando a la naturaleza como óxido de fierro. Además, son seguras y no requieren del uso de conservantes. El alimento en su interior no pierde los nutrientes y no entra en contacto con la luz y con el aire, manteniéndose perfecto para su consumo inclusive por anos.

AbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaçoAbeaço releasesreleasesreleasesreleasesreleases bookbookbookbookbook commemoratingcommemoratingcommemoratingcommemoratingcommemorating thethethethethe 200200200200200 yearsyearsyearsyearsyears ofofofofof steelsteelsteelsteelsteel cancancancancan

So common in our lives, steel cans combine practicality and safety and are the best packaging choice to preserve food, beverages, paints and chemical products. In 2010, the invention of Nicolas Appert, who changed the habits of society in the nineteenth century, has completed 200 years of history and to commemorate, Abeaço, Brazilian Steel Packaging Association, will launch the book “Our Steel - a story to count.” The book explains a little about steel cans and their importance in industry, economy and consumption. One of the themes of the book is the evolution of packages. Since its creation, to meet market demands, major changes of steel cans were caused by the technological progress. Over 200 years of existence, it has evolved with the use of internal elastic films that protect the food even if the can is dented, the tinning of steel sheets, until the recent launch of microwaveable cans. Changes that improved its performance became more comfortable to use, increasing convenience, safety and convenience of use. Steel packaging is environmentally friendly and sustainable. They can be infinitely recycled and also decompose fast - from three to ten years, returning to nature as iron oxide. Moreover, they are safe and do not require the use of preservatives. The food contained does not lose the nutrients and does not come into contact with air and light, keeping perfect for consumption even after years.

ARTIGOARTIGOARTIGOARTIGOARTIGO

TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO

TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO MEDIÇÃO DE VISCOSIDADE ON-LINE! UMA JANELA DIRETA DENTRO

MEDIÇÃO DE VISCOSIDADE ON-LINE! UMA JANELA DIRETA DENTRO DAS OPERAÇÕES UNITÁRIAS

INTRODUÇÃO SOBRE ANÁLISES QUÍMICAS EM CAMPO Em várias operações unitárias dentro da indústria de processo, variá- veis analíticas têm fundamental importância para manter os produtos den- tro das especificações. Contudo não é tão simples o processo de análise, pois se torna um desafio contínuo. Em muitas instalações industriais, mi- lhares de análises em laboratórios são executados durante o período de um ano e comumente este valor tem aumentado anualmente. Cada vez mais os laboratórios estão sendo utilizados para atender requisitos para controle de qualidade, bem como para propósitos de controle de processo. Geralmente a coleta é feita por um técnico de laboratório ou pelo próprio

operador de processo, na qual necessitam ir até o ponto de coleta e retirar

a amostra no campo e levar para análise no laboratório. Posteriormente no laboratório são feitas as preparações destas amos- tras, condicionamento e submetidas às respectivas análises. Em muitas oportunidades, estas amostras são filtradas, analisadas fora das condições de processo, como: pressão, temperatura, densidade, descaracterizando assim o valor real da medição. Contudo, após o término destas análises, são coletadas as informações e disponibilizados os resultados, na qual foram submetidas por horas e alguns casos por vários dias, proporcionando assim o ajuste no processo. As medições on-line podem otimizar as operações unitárias, disponi- bilizando uma análise (informação) em tempo real, ajudando na otimização das operações unitárias. O analisador pode ser condicionado no campo, próximo ao ponto de medição, efetuando de forma on-line esta operação. Com estes resultados on-line, o próprio equipamento ou através de sua informação pode otimizar de forma rápida e confiável um ajuste no pro- cesso. MEDIÇÃO DE VISCOSIDADE EM PROCESSO

A viscosidade pode ser definida como sendo a medida da resistência

de um fluido à deformação causada por um torque ou torção. Comumente

a mesma é percebida como grossura ou resistência ao despejo do fluido

de um determinado compartimento. A abordagem da reologia e de funda- mental importância neste artigo, pois a mesma é o ramo da mecânica dos fluidos que estuda as propriedades físicas que influenciam o transporte de quantidade de movimento num fluido. Os componentes dos fluidos podem apresentar diferentes formas geométricas, características diversas

de ligação, tamanhos variados, que lhe conferem comportamentos distintos. Então devido a sua composição alguns produtos possuem uma única vis- cosidade a uma dada temperatura independente da força de cisalhamento

e são denominados de fluidos Newtonianos, enquanto a maioria dos fluidos apresenta comportamento reológico mais complexo e a determinação da viscosidade não é um tópico simples.

Outros produtos apresentam um comportamento reológico bastante variado dependentes do tempo e ou visco-elástico. Esses comportamentos são o tema central deste artigo. Os dados reológicos nas indústrias são importantes para:

· Determinar a funcionalidade de ingredientes no desenvolvimento

de produtos.

· Controle de qualidade do produto final ou intermediário.

· Avaliação da textura pela correlação com dados sensoriais.

· Cálculo de engenharia de processos englobando uma grande quanti-

dade de equipamentos tais como agitadores, extrusoras, bombas, trocadores

de calor tubulações, homogeneizadores, etc. Existem vários instrumentos disponíveis para a realização das medidas de viscosidade e reologia, com princípio de funcionamento rotacional ou

tubular. Os instrumentos rotacionais podem operar em cisalhamento esta- cionário (velocidade angular constante) ou dinâmico (oscilatório). Os equi- pamentos comerciais mais simples fornecem curvas de escoamento (vis- cosidade), enquanto que instrumentos mais sofisticados fornecem com- portamento reológico e também dão informações de visco-elasticidade do material. Todos os parâmetros, curva de escoamento, tendência reológica e visco-elasticidade, são importantes para a completa caracterização. É importante observar que os comportamentos não são exclusivos, ou seja, um material pode apresentar pseudoplasticidade, tixotropia e visco- elasticidade. TEORIA

A viscosidade é a propriedade dos fluidos correspondente ao transporte

microscópico de quantidade de movimento por difusão molecular. Ou seja, quanto maior a viscosidade, menor a velocidade em que o fluido se movimenta. É a medida da resistência de um fluido à deformação causada por um torque. É comumente percebida como a “grossura”, ou resistência ao despejamento, descreve a resistência interna para fluir de um fluido e deve ser pensada como a medida do atrito do fluido. Assim, a água é “fina”, tendo uma baixa viscosidade, enquanto óleo vegetal é “grosso”, tendo uma alta viscosidade. Define-se pela lei de Newton da viscosidade como:

Define-se pela lei de Newton da viscosidade como: Onde a constante ì é o coeficiente de

Onde a constante ì é o coeficiente de viscosidade, viscosidade ou visco- sidade dinâmica. Muitos fluidos, como a água ou a maioria dos gases,

satisfazem os critérios de Newton e por isso são conhecidos como fluidos newtonianos. Os fluidos não newtonianos têm um comportamento mais complexo e não linear.

O coeficiente de viscosidade pode ser medido através do seguinte

experimento:

• deixa-se uma esfera cair em um fluido, e mede-se a sua velocidade terminal. Então, aplicando-se a Lei de Stokes:

velocidade terminal. Então, aplicando-se a Lei de Stokes: No sistema internacional a unidade de viscosidade ì

No sistema internacional a unidade de viscosidade ì é pascal segundo [Pa.s]. Apesar disso, esta unidade é pouco utilizada. Existem uma enormidade de unidades de engenharia que comumente são utilizadas e uma das mais famosas é o poise [P], em homenagem ao fisiologista francês Jean Louis Poiseuille (1799 – 1869). Sua equivalência seria 10 (dez) poise iguais a um pascal segundo [Pa.s], fazendo um centipoise [cP] e um milipascal segundo [mPa.s] idênticos. Abaixo segue a relação entre as Unidades:

RTV|02-03|2011

47
47
ARTIGOARTIGOARTIGOARTIGOARTIGO TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO Visto as equivalências acima, temos que também

ARTIGOARTIGOARTIGOARTIGOARTIGO

TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO

TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO Visto as equivalências acima, temos que também considerar

Visto as equivalências acima, temos que também considerar os respec- tivos comportamentos dos fluidos e para tanto precisamos entender suas classificações através da tabela abaixo:

entender suas classificações através da tabela abaixo: A seguir, segue algumas definições sobre as respectivas

A seguir, segue algumas definições sobre as respectivas classificações:

FLUIDO NEWTONIANO Um fluido newtoniano é um fluido em que cada componente da tensão cisalhante é proporcional ao gradiente de velocidade na direção normal a essa componente. A constante de proporcionalidade é a viscosidade dinâmica. Fluidos Newtonianos: a tensão é diretamente proporcional à taxa de deformação. Ex: água, ar, óleos FLUIDO NÃO NEWTONIANO

O fluido não Newtoniano é um fluido cuja sua viscosidade varia

proporcionalmente com a cinetica que se imprime a esse mesmo fluido, respondendo de forma quase instantanea. Para exemplo temos a mistura de farinha com água que dependendo da energia cinética que recebe pode ser um sólido ou um liquido. Se o movimento que se lhe imprime for rápido esta mistura torna-se um solido e assim que se cessa o movimento,

esta transforma-se novamente em liquido. Desta forma podemos classificar em 3 sub-grupos, sendo:

• Visco-elástico

• Não-Newtoniano - dependente de tempo

• Não-Newtoniano - independente de tempo FLUIDO VISCO-ELÁSTICO

Material visco-elástico é uma classe de materiais que apresenta reologia visco-elástica, ou seja, são materiais que, ao deformar-se, sofrem simultaneamente deformações elásticas e viscosas.

• MATERIAL ELÁSTICO IDEAL

- Deformações elásticas são deformações reversíveis sofridas por um corpo sob tensão. Ao cessar esta tensão, o corpo retorna à sua forma e

48
48

RTV|02-03|2011

volume originais. A energia de deformação é recuperada quando a tensão

aplicada ao material cessa. É o comportamento típico de muitos sólidos.

• MATERIAL VISCOSO IDEAL

- Deformações viscosas são deformações contínuas e irreversíveis sofridas pelo material enquanto submetido a uma tensão de cisalhamento.

Esta deformação é também conhecida como escoamento. A propriedade que relaciona a taxa de deformação do corpo ao cisalhamento é a viscosidade. FLUIDO DEPENDENTE DE TEMPO

Alguns fluidos apresentam mudança na viscosidade em função do tempo sob condições constantes de taxa de cisalhamento. Há 2 categorias

a serem consideradas.

• Tixotropia: São sistemas cuja viscosidade diminui com o tempo

para uma taxa de cisalhamento constante e aumenta quando esta taxa de cisalhamento diminui por recuperação estrutural do material (reversível).

• Reopexia: são sistemas cuja viscosidade aumenta com o tempo a uma taxa de cisalhamento constante.

FLUIDO INDEPENDENTE DE TEMPO Cujas propriedades reológicas independem do tempo de aplicação da tensão de cisalhamento (deformação que sofre um corpo quando sujeito à ação de forças constantes).

• Fluidos pseudoplasticos (com ou sem tensão de deformação inicial),

a viscosidade decresce com o aumento da taxa de cisalhamento. Isto é

chamado de “cisalhamento fino”. Ao efetuar a leitura em um viscosímetro, rotacionando de baixa para alta velocidade e voltar para a baixa e as leituras nas mesmas velocidades coincidirem, o material é considerado pseudoplasticos independente de tempo e de cisalhamento fino. Este parâmetro deve ser levado em consideração no desenvolvimento de produtos. Ex.: maioria dos alimentos, tintas, emulsões.

• Fluidos dilatantes: a viscosidade aumenta com o aumento da taxa

de cisalhamento. Se o material é medido de baixa para alta velocidade e

a viscosidade aumenta com o aumento da velocidade, o material é

classificado como dilatante. Este tipo de comportamento é mais raro que

a pseudoplasticidade, e observando em fluidos contendo altos níveis de

defloculantes como argilas, lama, amido de milho em água, ingrediente

de balas.

• Fluidos Plásticos: este tipo de fluido comporta-se como sólido em

condições estáticas ou de repouso e após aplicação de uma força começa afluir. Esta força aplicada denomina-se tensão de deformação. Após começara fluir o comportamento pode ser newtoniano, pseudoplástico ou dilatante (ex. catchup). MEDIÇÃO DE VISCOSIDADE ON-LINE! Ao contrário de muitas outras variáveis de processo, como densidade, pH, condutividade e assim por diante. Viscosidade é percebida como sendo uma variável complexa a serem medidas, em várias operações unitárias

dentro de vários segmentos, principalmente para atividades setoriais fabricantes de Alimentos, Colas, Adesivos, Selantes, Corantes, Pigmentos, Poliuretanos, Resinas Termoplásticas, Silicones, Químicos, Petroquímicos

e muitos outros que estamos deixando de citar. Devido a sua complexidade em efetuar a medição de forma on-line, podemos afirmar que atualmente medir viscosidade on-line é um desafio em muitos processos industriais, pois são poucas as alternativas no mercado que disponibilizam este tipo de medição. As barreiras são várias, desde altas temperaturas, altas pressões, até compartimentos fechados, como: tanques, reatores, vasos, torres, colunas, tachos, etc. Como mencionado acima, viscosidade é percebida como sendo uma variável de extrema complexidade em efetuar a medição, pois são várias as formas de abordagem no processo industrial. Isto se deve em parte porque pode ser medida viscosidade de duas formas: Dinâmica ou Cinemática. Viscosidade dinâmica (ou absoluta) geralmente é medida em mPas ou cP e viscosidade Cinemática comumente é medida em cSt. TECNOLOGIAS QUE PODEM SER APLICADAS EM MEDIÇÃO DE VISCOSIDADE São várias as formas de executar a medição de viscosidade on-line e entre eles podemos destacar os princípios: rotativo, capilar, vibratório, entre outros.

VISCOSÍMETRO ROTATIVO Quando o elemento sensor de aço inox (que também pode ser de outro material) é submergido no fluido, o mesmo se faz mover de forma microscópica de um lado para outro em uma alta freqüência. Esta alta freqüência é chamado de “ressonância”. Como a superfície do sensor é torcida pelo líquido, é perdida energia para o mesmo, devido a sua viscosidade e assim é determinada esta grandeza de medição chamada “viscosidade”. A energia dissipada é medida com alta exatidão através da eletrônica micro processada. Sendo a viscosidade mais alta, causa uma maior perda de energia e conseqüentemente uma leitura maior. Este princípio de medição proporciona uma combinação de alta sensibilidade, repetitividade e exatidão. PRESSÃO DIFERENCIAL CAPILAR No viscosímetro capilar, Q, L, DP e D são, respectivamente, a vazão volumétrica, a distância entre as tomadas de pressão, a diferença de

pressão e o diâmetro do tubo capilar, respectivamente. Esta relação aplica- se para um escoamento de Poiseuille, isto é, um escoamento em regime laminar e hidrodinamicamente desenvolvido. Desta forma pode se obter alta exatidão. Contudo não são tão simples de se aplicar em processo, visto que o mesmo varia ao longo do tempo. VIBRATÓRIO

O princípio de operação de um viscosímetro por vibração contempla

um garfo vibrante, mantido em ressonância que quando inserido no fluido, mantém sua vibração, na qual a viscosidade do líquido é então calculada usando uma medida relacionada a largura da banda. OUTRAS TECNOLOGIAS PARA MEDIÇÃO DE VISCOSIDADE Como foi abordado acima, podemos afirmar que historicamente medir viscosidade em processo é feito de forma simples. Contudo, atualmente podemos utilizar princípios de medição que possam suprir várias necessidades existentes. Com o advento tecnológico e o desenvolvimento de equipamentos permite a medição de forma on-line e direta em várias operações unitárias nos mais diferentes processos industriais, melhorando a medição de vis-

cosidade e conseqüentemente a sensibilidade, consistência, repetitividade

e exatidão.

O objetivo deste artigo é descrever sobre a complexidade em efetuar

esta medição de forma on-line e claro poder demonstrar que esta medição

pode ser feita em processo. Abaixo podemos destacar algumas medições que foram implementadas

de forma on-line em processos com faixas de medição variando de 0.01cP

à 2.500.000 cP. Os exemplos abaixo são medições em processos críticos para altas pressões, altas temperaturas, com haste estendida, com revestimento entre outros opcionais:

haste estendida, com revestimento entre outros opcionais: ARTIGOARTIGOARTIGOARTIGOARTIGO

ARTIGOARTIGOARTIGOARTIGOARTIGO

TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO

TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO DIMINUINDO A VARIABILIDADE EM PROCESSO CONTÍNUO E EM
TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO DIMINUINDO A VARIABILIDADE EM PROCESSO CONTÍNUO E EM

DIMINUINDO A VARIABILIDADE EM PROCESSO CONTÍNUO E EM BATELADA Como já abordado a variável “viscosidade” tem uma alta complexidade para ser analisada em processo, pois assim como outras variáveis, ela é dependente da densidade, temperatura, pressão. Entre as ciências envolvidas, pode-se citar: química orgânica e inorgânica, físico-química, química de polímeros, eletroquímica, química de superfície entre outras, onde devemos sempre levar em conta a limitação de custos associados, visto que são formulações com milhares de característica específicas a que se destina efetuar a medição em vários segmentos, na qual o objetivo esta em atender os requisitos na qual o produto final será submetido. Devido a estas interdependências e também pelo fato que as condições de processo não são estáveis e reprodutíveis em laboratório, a maioria destes parâmetros são bastante complexos para efetuar a medição sob aplicações severas. Na maioria das operações unitárias dentro da indústria operam em sistema produtivo, composto por uma série de operações unitárias nas quais as matérias-primas são convertidas em produto final, costuma ser muito suscetível a variações de processo. Destaca-se também a produção em bateladas onde comumente envolve um número grande de ingredientes e vários etapas dentro do processo, o que inclusive dificulta a rastreabilidade, aquisição de dados e informações sobre a receita. A redução da variabilidade dos processos vem sendo considerada prioridade de negócio por várias empresas. Além de ser fundamental na melhoria da qualidade dos produtos, proporciona vários benefícios, bem como maior conhecimento das operações unitárias. Prever o efeito da variabilidade de um parâmetro específico de processo, não é nada fácil. Contudo as variações na qualidade final dos produtos podem ser medidas, estratificadas e analisadas, fornecendo base para estudos e ações de melhoria. Em muitos processos industriais, podemos dizer que a viscosidade é um dos parâmetros mais importantes e mais utilizados como teste de liberação de produtos / lotes. Muitas vezes, a viscosidade acaba inclusive definindo outras características e impactando diretamente no custo do produto. A existência de desvios de viscosidade é por muitas oportunidades responsáveis pelo de retrabalhos envolvidos no processo produtivo. Estes retrabalhos, implicam em gastos adicionais de matéria-prima (não previstos e, portanto não computados no custeio das fórmulas), e em ocupação de operadores e equipamentos para execução de ajustes, resultando em aumento do lead-time fabril sem dizer que também acarreta no consumindo uma parcela considerável das atividades dos setores de Produção e Desenvolvimento. Em muitas oportunidades é gasto um longo

das atividades dos setores de Produção e Desenvolvimento. Em muitas oportunidades é gasto um longo RTV|

RTV|02-03|2011

49
49
ARTIGOARTIGOARTIGOARTIGOARTIGO TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO período de tempo testando os lotes que os

ARTIGOARTIGOARTIGOARTIGOARTIGO

TÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICOTÉCNICO

período de tempo testando os lotes que os manufaturando propriamente dito. Estes ajustes aumentam os custos, tendo impacto considerável na formação de preço do produto final. Abaixo dois exemplos:

formação de preço do produto final. Abaixo dois exemplos: 50 RTV| 02-03 |2011 APLICAÇÕES EM VÁRIOS
50
50

RTV|02-03|2011

APLICAÇÕES EM VÁRIOS SEGMENTOS, COMO:

· Alimentos · Óleo & Gás · Automotivo · Papel · Bebidas · Petroquímico

· Celulose · Químico · Cimento · Refino · Cosmético · Siderúrgico · Farmacêutico · Termo Elétrica · Mineração

PODENDO SER APLICADO EM VÁRIOS TIPOS DE MEDIÇÕES, COMO:

· Adesivos · Manteiga · Aditivos · Margarina · Amido · Mel · Aplicações

em Fundos de Colunas · Molho Temperado em Geral · Asfalto · Mostarda

· Bebidas · Óleos Combustíveis · Cola · Óleos Lubrificantes · Creme Dental

· Óleos Vegetais em Geral · Geléias · Polímeros · Grupos de Resinas ·

Pomadas · Iogurte · Processamento de Chocolate · Catchup · Processos em Bateladas · Leite Condensado · Processos Petroquímicos · Licor Negro · Silicones · Linhas de Óleo Dutos · Tintas de Impressão · Maionese · Tintas Látex Obs.:Obs.:Obs.:Obs.:Obs.: Várias outras aplicações que não estão mencionadas acima podem ser aplicadas ou desenvolvidas

CONCLUSÃO Em resumo podemos dizer que as operações manuais efetuadas em equipamentos limitados e com um número grande de produtos diferentes, certamente ira dificultar padronizações de procedimentos e otimizações de processo que levariam a um menor índice de desvios e retrabalhos. Desta forma podemos afirmar que tão importante quanto aprimorar o processo pode ser a definição de quais parâmetros devem realmente ser controlados. Como podemos observar durante todo o artigo, a viscosidade é um parâmetro variável com o tempo, podendo resultar em não-con- formidades, apesar dos esforços despendidos durante sua produção e controle. Em todas as operações unitárias, a análise das variáveis de pro- cesso de líquidos e vapores está se tornando mais e mais importante. De uma perspectiva econômica, o máximo rendimento do processo, a maior qualidade do produto e a segurança de operação, além do tratamento cri- terioso de recursos limitados, são de vital importância para obtenção dos produtos dentro das mais criteriosas especificações. Não importa se a aplicação envolve a análise de matérias-primas, a garantia de qualidade dos produtos ou meio ambiente, os analisadores hoje podem efetuar as medições sob condições severas de operação, seja em shelters de anali- sadores totalmente planejados ou em rotinas conectadas de laboratório, tanto em aplicações gerais como em áreas eletricamente perigosas. Da matéria-prima ao produto final, a análise de processos fornece dados pre- cisos sobre a composição, concentração ou pureza de um ou vários fluxos de processo, em segundos ou minutos, de traços a grandes concentrações de substâncias. Como resultado, é possível evitar reações indesejáveis, assim como o escape de materiais danosos ao meio ambiente através de águas residuais ou liberação de gases. Hoje com toda a tecnologia imple- mentada aos analisadores, associada aos mais recentes software, assegura uma operação altamente simplificada – a fim de otimizar a disponibilidade dos analisadores e reduzir os custos de manutenção. Sofisticadas ferra- mentas de comunicação transmitem dados de modo amigável para o usuá- rio, para que sejam utilizados por sistemas de operação de processos e gerenciamento de informações.

Autores:

Gilmar Gomes da Silva Leandro Paixão Siqueira

GMG INSTRUMENTAÇÃO E AUTOMAÇÃO INDUSTRIAL LTDA. Tel.: 11 3969-5617 / 5618

RTV|02-03|2011

51
51