Você está na página 1de 70
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Escreva uma frase para acompanhá-lo durante todoORGANIZAÇÃOo módulo. E NORMAS
Escreva uma frase para acompanhá-lo durante todoORGANIZAÇÃOo módulo. E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Curso Técnico em Edificações, Tem o objetivo de formar profissionais que atuam no planejamento, execução
Curso Técnico em Edificações, Tem o objetivo de formar profissionais que atuam
no planejamento, execução e manutenção de obras de construção civil, elaborando
desenhos, projetos e orçamentos , especificando materiais, gerenciando obras,
fiscalizando serviços e supervisionando equipes de construção.
O perfil do Técnico em Edificações deverá ser critico, aplicado, atencioso e bem
correto em suas atividades, pois o profissional será responsável por todas as
atividades do meio que se encontra.
bem correto em suas atividades, pois o profissional será responsável por todas as atividades do meio
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Mercado (onde poderá atuar) O mercado para o técnico de edificações é amplo. Tanto o
Mercado (onde poderá atuar)
O mercado para o técnico de edificações é amplo. Tanto o setor público quanto o
privado têm recrutado este profissional. São construtoras (obras de edifícios),
consultoras e escritórios de projetos e de orçamentos (levantamento de materiais
para estimativas de custo: elaboração de orçamentos; planejamento,
gerenciamento e execução de obras); indústrias de construção civil (materiais para
construção, fábricas de pré-moldados); laboratórios de pesquisa e
desenvolvimento, laboratórios de análise de solos e materiais de construção,
empresas de execução de controle tecnológico de concreto, aço, madeira,
materiais cerâmicos, etc; escritórios de levantamentos topográficos. Setor de
manutenção de todos os tipos de indústrias; profissional liberal ou pequeno
empresário (desenho, topografia, instalações domiciliares); estabelecimentos de
ensino; prefeituras, empresas públicas de economia mista e outros órgãos
governamentais.
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

O técnico em Técnico em Edificações deverá ser capaz de:

Planejar a execução e elaborar orçamento; Ler e desenvolver estudos/representações gráficas de projetos preliminares e executivos dos trabalhos; Coordenar equipes de trabalho para elaboração de projetos; Elaborar especificações técnicas e planilhas de custos; Elaborar e acompanhar cronograma físico-financeiro de execução dos trabalhos; Controlar a qualidade de serviços em execução e o emprego dos materiais de acordo com as normas técnicas; Elaborar relatórios, planilhas, gráficos e outros textos técnicos sobre as diversas etapas de execução dos projetos; Coordenar e orientar a utilização de equipamentos; Auxiliar no gerenciamento e fiscalização do emprego das normas tecnicas aplicaveis; Prestar assistência técnica no estudo e desenvolvimento de projetos e pesquisas tecnológicas;

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Orientar e coordenar a execução de serviços de manutenção de equipamentos e de instalações; Orientar
Orientar e coordenar a execução de serviços de manutenção de equipamentos e de
instalações;
Orientar na assistência para compra, venda e utilização de produtos e equipamentos
especializados na área sua área;
Aplicar normas, métodos, técnicas e procedimentos estabelecidos visando à qualidade e
produtividade dos processos;
Propor alternativas de uso de materiais, de técnicas e de fluxos de circulação de materiais,
pessoas e equipamentos, visando à melhoria contínua dos processos;
Fiscalizar e executar as atividades de planejamento, projeto, fabricação, construção e
montagem de instalações, equipamentos e obras de infra-estrutura.
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Realizar as demais tarefas necessárias à execução de suas atividades, como por exemplo:

Planejar, programar, orientar e acompanhar a inspeção em softwares, materiais

e equipamentos durante a fabricação e/ou manutenção nos fornecedores;

Planejar e realizar a fiscalização técnica e atestar laudos de testes e ensaios

destrutivos e não destrutivos; Elaborar análises e pareceres técnicos de execução de serviços e fornecimento de equipamentos e materiais. Atuar no processo para o atendimento das normas relativas a segurança,

proteção ao meio ambiente, saúde, sistemas de gestão e responsabilidade social,

a fim de assegurar a boa operação do negócio e o alcance das metas.

Fiscalização técnica e administrativa de contratos de projetos de engenharia (instalações novas e manutenção) e softwares, atestando o andamento físico- financeiro e realizando medições dos serviços executados. Coordenar o manuseio, o preparo e o armazenamento dos materiais e equipamentos.

medições dos serviços executados. Coordenar o manuseio, o preparo e o armazenamento dos materiais e equipamentos.
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Atividades complementares

Questão 1) A partir do texto apresentado cite pelo menos 10 atribuições do técnico em sua área:

complementares Questão 1) A partir do texto apresentado cite pelo menos 10 atribuições do técnico em
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

A organização é constituída por um conjunto de atores e papéis que desenvolvem atividades concertadas em vista a atingirem objetivos ou, ainda, como sendo tudo que nos cerca e nos oferece bens e serviços. Este conjunto de atores, na organização, está dotado de uma estrutura de autoridade, de uma distribuição de papéis e de um sistema de comunicação, permitindo a coordenação e o controlo das atividades em vista dos objetivos. Pode então tomar-se como conceito, a forma social que, pela aplicação de uma regra e sob autoridade de líderes, assegura a cooperação dos indivíduos numa obra conjunta, de que ela determina a realização.

Norma refere-se a regras de comportamento comuns a um grupo social, sendo que a concretização dos valores faz-se mediante as normas da sociedade. Como conseqüências podemos referir a gratificação, quando há o cumprimento das normas, ou pelo contrário, a punição, quando se verifica a transgressão das normas.

O desenvolvimento é, antes de tudo, um estado de equilíbrio entre fatores econômicos, sociais, ambientais, políticos e estratégicos que propiciam o crescimento material e espiritual da vida humana, individual ou associada. Um povo desenvolvido é um povo equilibrado, que busca o novo por intermédio da participação popular, da adequação dos objetivos da nação e de uma gestão pública que enfatize prioridades às reais necessidades da sociedade.

dos objetivos da nação e de uma gestão pública que enfatize prioridades às reais necessidades da
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
AS ORGANIZAÇÕES COMO GRUPOS DE PESSOAS
AS ORGANIZAÇÕES COMO GRUPOS DE PESSOAS

As organizações são formadas por “regras” que todos os membros da mesma devem seguir e adotar como diretrizes e premissas para guiar seu trabalho.

Cultura organizacional

· Sistema de significados partilhados pelos membros de uma organização distinguindo-a das outras.

Normas de conduta, crenças, hábitos e valores de um povo, em um determinado local e em um determinado momento histórico.

· Transmissível e renovável.

· Pode conflitar com a legislação oficial da organização.

· Pode definir aspectos da vida organizacional.

·

· Pode definir aspectos da vida organizacional. · Obs.: É o aspecto de “significados comuns” da

Obs.: É o aspecto de “significados comuns” da cultura que faz dela um poderoso dispositivo para orientar e moldar o comportamento dentro da organização.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Características básicas que, em conjunto, compõe a cultura de uma organização

· Inovação e ousadia: o grau em que os funcionários são incentivados a serem inovadores e a correrem risco.

· Atenção ao detalhe: o grau em que se espera que os funcionários demonstrem precisão, análise e atenção aos detalhes.

· Busca de resultados: o grau em que a administração se concentra mais em

resultados ou efeitos do que nas técnicas e processos utilizados para alcançar

esses resultados. · Concentração das pessoas: o grau em que as decisões da administração

levam em consideração o efeito dos resultados sobre o pessoal da organização.

· Orientação para equipe: o grau em que as atividades de trabalho são

organizadas mais em torno das equipes do que em torno de indivíduos.

· Agressividade: o grau em que as pessoas são mais agressivas e competitivas do que contemporizadoras.

Estabilidade: o grau em que as atividades organizacionais enfatizam a manutenção do status quo em oposição ao crescimento.

·

do status quo em oposição ao crescimento. · Obs.: Cada uma destas características existe em um

Obs.: Cada uma destas características existe em um continuum, variando muito de empresa para empresa.

Tipos de culturas organizacionais

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Reconhecer que a cultura organizacional possui características comuns não

significa, porém, que não possa haver subculturas em toda cultura considerada.

· Cultura forte: cultura cujos valores centrais são intensamente definidos e

amplamente compartilhados, onde surgirá um alto grau de comunhão de valores no

ambiente interno e de elevado controle comportamental.

no ambiente interno e de elevado controle comportamental. Fatores negativos de uma cultura forte · Em

Fatores negativos de uma cultura forte

· Em função do processo de seleção e socialização organizacional, definido para fortalecer a cultura organizacional vigente, estes acabam por criar uma barreira real à obtenção de diversidade da força de trabalho e ao aproveitamento de seus benefícios.

· A cultura forte exerce considerável pressão para que os funcionários se

conformem. Elas limitam a gama de valores e estilos aceitáveis, criando um dilema:

contratar indivíduos heterogêneos por causa das vantagens alternativas que essas pessoas trazem para o local de trabalho e abdicar de comportamentos e habilidades heterogêneas oriundas da diversidade cultural.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Subculturas organizacionais

· Cultura dominante: sistema que expressa os valores centrais comuns a uma maioria de membros da organização. Quando falamos sobre a cultura de uma organização, estamos nos referindo à cultura dominante.

· Subculturas: miniculturas dentro de uma organização, normalmente definidas por

nomes de departamentos e separação geográfica. Essa subcultura incluirá os valores centrais da cultura dominante além de outros exclusivos aos membros do departamento em questão.

· Valores centrais: valores básicos ou dominantes aceitos em toda a organização.

Cultura organizacional & cultura nacional

· Cultura organizacional: cultura voltada especificamente para a organização.

· Cultura nacional: diz respeito a similaridades e diferenças entre os países.

Obs.: Pesquisas demonstram que a cultura nacional produz um impacto maior sobre os funcionários que a cultura de sua organização.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Origem e formação da cultura organizacional

Os fundadores de uma organização tradicionalmente exercem um impacto importante na cultura inicial da empresa. Eles possuem uma visão daquilo que a organização deve ser. Não são restringidos por costumes ou ideologias anteriores. O pequeno porte que normalmente caracteriza as novas organizações facilita ainda mais a imposição da visão dos fundadores a todos os membros da organização.

Transmissores da cultura organizacional

da organização. Transmissores da cultura organizacional · Histórico da organização. · Rituais organizacionais.

· Histórico da organização.

· Rituais organizacionais.

· Símbolos materiais.

· Linguagem organizacional.

Fatores de manutenção da cultura organizacional

· Práticas de seleção.

· Comportamento da alta administração.

· Métodos de socialização organizacional.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Socialização organizacional

· Representa o processo formal pelo qual uma pessoa passa a conhecer a cultura da

organização na qual irá trabalhar.

· Processo que adapta os funcionários à cultura da organização.

· Pode se dar por intermédio de um passeio pela organização e seus departamentos ou pela

exibição de um vídeo institucional, dentre outras formas e possibilidades para se transmitir a cultura predominante e muitas vezes desejadas dentro da organização.

Condições favoráveis que facilitam a mudança cultural

· Quando dá ocorrência de uma crise grave.

· Quando dá rotatividade na liderança da organização.

· Quando a organização é nova e/ou pequena.

· Quando a cultura da organização é fraca.

Passos para uma mudança cultural

· Realizar uma analise cultural para identificação de divergências entre a cultura

presente e a cultura desejada.

· Esclarecimento aos funcionários, por parte da administração, com relação ao quanto a sobrevivência da organização esta relacionada à necessidade de mudanças culturais. · Apresentar a nova visão e os novos padrões de comportamento desejados.

· Apresentar rapidamente novas histórias, símbolos e rituais, para substituir aqueles que eram anteriormente utilizados para transmitir aos funcionários os valores agora desejados na organização.

· Mudar os processos de seleção e socialização e os sistemas de avaliação e recompensa, para apoiar os funcionários a esboçarem os novos valores perseguidos.

e os sistemas de avaliação e recompensa, para apoiar os funcionários a esboçarem os novos valores
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Elementos que constituem as organizações formais:

· Objetivos.

· Tecnologia.

· Recursos.

· Estrutura.

Elementos informais das organizações:

· Atitudes.

· Sentimentos.

· Amizades.

· Conflitos.

· Valores e normas de conduta.

· Amizades. · Conflitos. · Valores e normas de conduta. Possíveis influências das normas de conduta

Possíveis influências das normas de conduta predominantes nas organizações:

· Qualidade e quantidade da produção.

· Disposição para colaborar ou não com a administração.

· Comportamento ético.

· Forma correta de se vestir.

· “O horário em que as pessoas vão realmente trabalhar”.

· Comportamento ético. · Forma correta de se vestir. · “O horário em que as pessoas
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Como podemos perceber, a organização é um organismo vivo que mantém dinamicidade, cultiva suas tipologias,
Como podemos perceber, a organização é um organismo vivo que
mantém dinamicidade, cultiva suas tipologias, enriquece a interação
entre seus sistemas e subsistemas e tem como orientação seus
objetivos e tudo que reside em torno deles.
seus objetivos e tudo que reside em torno deles. Entrevista com Anne prado

Entrevista com Anne prado

http://www.google.com.br/search?q=entrevista+com+Anne

+Prado&ie=utf-8&oe=utf-8&aq=t&rls=org.mozilla:pt-

BR:official&client=firefox-a

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Inicialmente, o estudo pode não despertar grande interesse, no entanto, devemos considerar que uma pessoa passa a maior parte de sua vida ativa em um ambiente de trabalho, por isso, este deve ser adequado ao desempenho de suas atividades, representado pelos indicativos da chamada Qualidade de Vida no Trabalho (QVT).

Qualidade de vida no trabalho – conjunto de atividades que visam melhorar a satisfação dos empregados no ambiente de trabalho, centrado em segurança, saúde, realização pessoal e profissional, horário flexível de trabalho, autonomia, conforto etc. Fonte: Lacombe (2009).

Hoje, as organizações estão inseridas em um ambiente competitivo e turbulento, e o mundo corporativo já está consciente da importância da qualidade de vida e da necessidade de criar melhores condições para o bem-estar de seus colaboradores. Afinal, o profissional produz melhor quando se sente feliz e motivado. Assim, podemos considerar o layout como um instrumento que organiza o espaço físico, auxilia na execução dos fluxos em operação e empresta elevada contribuição para dinamizar a realização das atividades da organização. Portanto, quando observados os princípios de um layout conjugados com os princípios da arquitetura organizacional, podemos afirmar que o layout pode ser considerado um importante instrumento de integração com diversos elementos atuantes, em diferentes atividades.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Vamos conhecer a seguir os diferentes tipos de layout.

Layout administrativo: por sua natureza, deve ser apresentado em planta baixa com a utilização de escalas. Alguns padrões de medidas estão disponíveis na NB 43 – Normas Brasileiras para a Execução de Desenho e Arquitetura. Veja, um esboço simples de um ambiente administrativo, com característica de espaço aberto que facilita a comunicação. Observe que o layout privilegiou móveis que podem ser tanto para uso individual quanto para estações de trabalho, na tentativa de racionalizar o espaço.

que podem ser tanto para uso individual quanto para estações de trabalho, na tentativa de racionalizar
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Layout industrial: caracteriza-se pelos tipos de equipamentos instalados, de produtos produzidos, de volume de
Layout industrial: caracteriza-se pelos tipos de equipamentos instalados, de
produtos produzidos, de volume de matéria-prima, com característica sequencial ou
não. Os tipos mais comuns são: linear simples, conjugado, no formato “U” e no
formato “L”, normalmente alinhados para melhor aproveitar o espaço físico
disponível, como mostram as Figuras. As unidades de suporte que identificam um
layout conjugado se distribuem segundo as necessidades das células que
compõem o fluxo principal, o qual representa a produção de um bem.
o fluxo principal, o qual representa a produção de um bem. http://www.youtube.com/watch?feature=player_e
o fluxo principal, o qual representa a produção de um bem. http://www.youtube.com/watch?feature=player_e

http://www.youtube.com/watch?feature=player_e

mbedded&v=JSdxG54jkns&noredirect=1

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Lembramos que a evolução de móveis e de equipamentos, em termos de ergonomia, voltada para
Lembramos que a evolução de móveis e de equipamentos, em termos de
ergonomia, voltada para a funcionalidade e para o bem-estar físico, permitiu uma
ocupação racional do espaço organizacional.
A tendência atual é fazer uso de layouts mais abertos e comunicativos visando à
integração de seus agentes e de suas unidades ou mesmo de suas áreas. Daí a
razão em adotar estações de trabalho, sempre que possível, para facilitar o
agrupamento de agentes em um espaço de uso racional que permita o exercício
de práticas de alinhamento no comportamento de convívio profissional.
Para refletir!
Você sabia que o layout tem o poder de contribuir com o desempenho de
atividades e de integração entre unidades, tornando o ambiente de trabalho
mais agradável?
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Instrumentos de organização

Em ambientes organizacionais, cuja visão sistêmica atual requer processos de comunicação entre si, é necessário que os agentes tenham um aprendizado que permita tornar um processo desta natureza em um instrumento de integração, que promova a melhoria das ações e fortaleça o princípio de um legado técnico e documental em uma organização. Nesse sentido, existem alguns instrumentos importantes para uma organização. São eles: fluxograma, formulário, diagnóstico organizacional e análise organizacional.

Fluxograma Na conceituação de fluxograma, encontramos definições como gráfico de procedimentos, ou gráficos de processos, fluxo de pessoas e de papéis, diagrama de fluxo de dados ou ainda diagrama de blocos. Em geral, utilizamos o termo fluxograma para todo e qualquer gráfico construído para representar uma rotina com o uso de simbologias, e o conceituamos como um instrumento que procura apresentar um processo passo a passo, ação por ação.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Formulários Os formulários possuem um papel bem definido na organização, que é o da comunicação organizacional. Por isso, podemos conceituá-lo, de acordo com D’Ascenção (2001), como um documento que contém campos pré-impressos que recebem dados e informações para viabilizar um fluxo de comunicação em uma organização. Todos em uma organização têm a responsabilidade de evitar que esse veículo de divulgação seja inoperante e que possa causar sérias consequências a processos e a toda a organização.

Para refletir! Empowerment – abordagem que sustenta que a motivação individual aumenta e os resultados
Para refletir!
Empowerment – abordagem que sustenta que a motivação
individual aumenta e os resultados melhoram quando são dadas às
pessoas oportunidade de participar não apenas como oportunidade
de decidir em conjunto, mas de realizar algo, a partir de seus
conhecimentos, e de ter maior envolvimento e poder decisório em
seu trabalho e em metas a ele pertinentes, fatores esses que
estabelecem diferenças entre empowerment e delegação de
autoridade.
a ele pertinentes, fatores esses que estabelecem diferenças entre empowerment e delegação de autoridade. Fluxograma

Fluxograma

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Equívocos comuns sobre o conceito e a prática do planejamento:

I. “planejar é uma coisa, fazer é outra

frase utilizada com freqüência para tentar minimizar ou ridicularizar o

esforço de planejamento na organização de sistemas. Esta visão surge normalmente em contextos institucionais que

tem precário ou nenhum planejamento, opõe processos supostamente antagônicos mas que, na verdade, são parte de um único momento, é na ação concreta que o plano se decide e prova sua importância.

ao invés da decisão meramente intuitiva e lotérica, da administração do

dia-a-dia, estabelecem-se critérios, metas, objetivos, diretrizes de longo prazo, enfim, o planejamento é um exercício sistemático de antecipação do futuro e é intensivo em gestão. A crítica ao Planejamento como uma “camisa-de-força” normalmente surge das organizações que perdem a base clientelística ou corporativa quando sistemas de

planejamento participativo são implantados. Uma organização que pensa e planeja estrategicamente cria condições para o surgimento da liderança baseada na democracia interna e na delegação de autoridade, o monolitismo político e o dirigente autoritário surgem, quase sempre, no ambiente de ausência de planejamento estratégico e participativo.

este preconceito está muito

associado com o próprio elitismo intelectual que o planejamento tradicional e seus defensores construíram ao longo de décadas venerando modelos abstratos e inúteis. Neste caso será sempre verdade o ditado que diz ser o improviso sempre preferível ao planejamento malfeito, isto é, burocrático, formalista. O ritualismo mata o “bom” planejamento e

condena à mediocridade dirigentes e funcionários. No mercado das consultorias organizacionais é comum o surgimento de “novas” técnicas e modelos esotéricos de planejamento ou temas afins. As siglas se proliferam e poucas

delas tem realmente conteúdo prático e a aplicabilidade necessária. Quando se caminha para níveis cada vez mais abstrato de raciocínio, variáveis cada vez mais agregadas e grandes sínteses políticas é fácil descolar-se da realidade concreta e esta armadilha tem apanhado muitos planejadores. Nesta situação é sempre recomendável associar a intuição e o bom-senso - a expertise que falta para muitos - com as técnicas e modelos racionais adotados em qualquer manual de planejamento.

é evidente que os planejadores devem ter

conhecimento técnico mínimo sobre o que planejam. Tais conhecimentos podem ser apreendidos de forma padrão e uniforme. Entretanto, planejar é priorizar e resolver problemas e isto pressupõe uma determinada visão-de-mundo, concepção de Estado, de organização social e assim por diante. Planejar estrategicamente implica necessariamente em manipular variáveis políticas, em situações de poder compartilhado, onde os “outros” também planejam e formulam estratégias. A superação da visão tradicional requer uma mudança de postura intelectual e governamental, compreender que não cabe ao planejamento predizer o futuro, mas buscar viabilidade para criar o futuro, como uma ferramenta que amplia o arco de possibilidades humanas, um instrumento de liberdade.

”:

II. “o planejamento engessa a organização

:

III. “O Planejamento é um rito formal, falado em código e desprovido de substância

”:

IV. “o planejamento é obra de pura técnica, deve ser neutro

”:

Atividades complementáres

Questão 1) Defina norma.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Questão 2) As organizações são formadas por ------------------------- que todos os membros da mesma devem seguir e adotar como ------------------------- e ---------------------------- para guiar seu trabalho.

Questão 3) O que é Cultura organizacional?

Questão 4) Quais são os Fatores negativos de uma cultura forte?

Questão 5) Cite quais são os Fatores de manutenção da cultura organizacional?

Questão 6) O que é Socialização organizacional?

Questão 7) Cite quais são as Condições favoráveis que facilitam a mudança cultural?

Questão 8) Quais são os Passos para uma mudança cultural?

Questão 9) São Elementos que constituem as organizações formais:

Questão 10) São Elementos informais das organizações:

Questão 11) O que vem a ser Empowerment?

formais: Questão 10) São Elementos informais das organizações: Questão 11) O que vem a ser Empowerment?
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

SGI - Sistema de Gestão Integrado, que são:

NBR ISO 9001-Sistema de Gestão da Qualidade;

NBR ISO 14001– Gestão Ambiental;

BSI OHSAS 18001– Segurança e Saúde Ocupacional; e

NBR ISO 16001:2004 - Gestão da Responsabilidade Social ou AS - 8000.

- Gestão da Responsabilidade Social ou AS - 8000 . OBJETIVOS DO SGI: - Buscar a
OBJETIVOS DO SGI: - Buscar a eliminação ou redução dos riscos à saúde e segurança
OBJETIVOS DO SGI:
- Buscar a eliminação ou redução dos riscos à saúde e segurança dos
colaboradores;
- Comprometer-se com a prevenção da poluição e redução no
consumo de recursos naturais e geração de resíduos;
- Atender aos requisitos dos clientes e legislação aplicável;
- Melhorar continuamente o sistema de gestão;
- Crescimento lucrativo;
- Clientes encantados;
- Processos eficazes;
- Pessoas motivadas e preparadas.
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

NBR ISO 9001-Sistema de Gestão da Qualidade

Qual a importância da qualidade total nas empresas modernas?

Por muito tempo a palavra chave para uma empresa crescer foi LUCRO, tendo lucro toda empresa cresce. Com o tempo percebeu-se que os lucros ficavam muito maiores quando as empresas cuidavam também da qualidade. Isso reduzia o desperdício, aumentava a produção e, principalmente, fidelizava o cliente.

Qualidade total pode ser lida como: LUCRO total e cliente satisfeito. QUE VOLTA!!!!!

Qualidade é um meio para se chegar a algum lugar e é um processo que não acaba nunca, pelo contrário, se aprimora a cada dia. Para falar de gestão de qualidade, não podemos deixar de fora dois países importantes que contribuíram muito para chegar hoje onde estamos a Alemanha e o Japão. A Alemanha usava o critério ortodoxo, e o Japão foi mais agressivo. Na década de 60 começaram a produzir com alguma qualidade e percebiam que o mercado já queria uma determinada qualidade. Mas foi somente nas décadas de 70 e 80, que começaram a produzir em quantidade com qualidade, onde o mercado começou a oferecer produtos diferenciados. Foi na década de 80 que no Japão surgiu Just In Time, Kanban e Kaisen. A técnica da Qualidade Total tem como uma de suas ferramentas o ciclo do PDCA, método eficaz para desenvolvê-la.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Qualidade total: é produzir tudo com qualidade para satisfazer os nossos clientes.

Administração Japonesa

Para definirmos como nosso gerenciamento de qualidade vai ser elaborado, temos que conhecer algumas situações ou tipos de administração que são efetivamente utilizadas nas empresas.

Certamente um dos países que realmente chama a atenção do mundo é exatamente o Japão.

Hoje a sua força econômica é a segunda do mundo e a sua cultura que é milenar convive lado

a lado com as sofisticações tecnológicas, desenvolvidas pelo próprio esforço de pesquisa e

inovação. Os produtos do Japão possuem grande qualidade principalmente no segmento de veículos, produtos eletrônicos, TI, produtos fotográficos. Para estudarmos a administração

japonesa temos que levar em conta a sua cultura e o seu conceito de pátria, que juntos formam a sociedade japonesa.

Na verdade esses conceitos de pátria, família e trabalho desenvolveram esta cultura de desenvolvimento que conhecemos hoje. A partir destes fatos as empresas japonesas

começam a praticar um conjunto de idéias inovadoras na gestão administrativa, que passaram

a revolucionar o sistema administrativo do mundo.

E o sistema Toyota de produção é o seu maior expoente, onde técnicas inovadoras de envolvimento de pessoas e a rotina de trabalho é minuciosamente especificada.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Gestão da Qualidade Total: Outros elementos importantes

Gestão da Qualidade Total: Outros elementos importantes Melhoria contínua: é a filosofia que busca aperfeiçoar

Melhoria contínua: é a filosofia que busca aperfeiçoar todos os fatores relacionados com o processo de contínua conversão de inputs em outputs. Abrange métodos, materiais, equipamentos e pessoas. O êxito da abordagem japonesa da melhoria contínua (kaizen) levou outras empresas a reexaminarem suas abordagens usuais.

Benchmarking: envolve, por parte de uma empresa, a identificação das organizações que têm mais competência em determinada área e o estudo de como elas obtém essa competência.

Empowerment do funcionário: ao dar ao funcionário a responsabilidade para aperfeiçoar os processos, lhe é conferida autoridade para fazer as mudanças necessárias para a realização das melhorias.

Abordagem de equipes: a formação de equipes para a solução de problemas gera sinergia no grupo, maior envolvimento com o trabalho e estimula o espírito de cooperação e o compartilhamento de valores entre os funcionários.

Decisões baseadas em fatos, em vez de opiniões: coleta e análise de dados são a base para a tomada de decisões.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Gestão da Qualidade Total: Outros elementos importantes (cont.)

da Qualidade Total: Outros elementos importantes (cont.) Conhecimento de ferramentas: treinamento de funcionários e

Conhecimento de ferramentas: treinamento de funcionários e gerentes em ferramentas da qualidade.

Qualidade do fornecedor: os fornecedores devem ser incluídos no esforço de melhoria da qualidade, a fim de que possam fornecer com qualidade e pontualidade. Cada trabalhador passa a ser um inspetor de qualidade em sua própria atividade. Ao passar seu trabalho para o próximo cliente no processo ele está “certificando” que o trabalho atende aos padrões de qualidade estabelecidos.

Isso possibilita:

1. Colocar responsabilidade direta pela qualidade sobre as pessoas que

diretamente a afetam;

2. Eliminar a relação de antagonismo existente entre inspetores e trabalhadores da produção;

3. Motivar os colaboradores, proporcionando-lhes controle e orgulho sobre

seu próprio trabalho.

O Ciclo PDCA

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
O Ciclo PDCA ORGANIZAÇÃO E NORMAS
O Ciclo PDCA ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Os 5S – CONCEITOS BÁSICOS
Os 5S – CONCEITOS BÁSICOS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS Os 5S – CONCEITOS BÁSICOS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Os 5S – CONCEITOS BÁSICOS

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

As pessoas treinam uma virtude conhecida como paciência; E aprendem a ser persistentes e não abandonar os conceitos aprendidos dentro dos 5 S.

Para que a autodisciplina seja alcançada deve haver conscientização e um constante aperfeiçoamento de todos no ambiente de trabalho. Pense nas respostas para as perguntas a seguir, como forma de treinamento do programa 5 S.

1 – O que pode ser jogado fora e o que deve ser guardado?

2 – O que pode ser útil para outro setor?

3 – O que pode ser consertado?

4 – É possível trabalhar de forma a economizar tempo?

5 – Como posso agir para melhorar o ambiente de trabalho?

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Brainstorm é uma palavra em inglês cuja tradução é “tempestade mental”.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Brainstorm é uma palavra em inglês cuja tradução é “tempestade mental”. ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

FerramentasFerramentasFerramentasFerramentas paraparaparapara aaaa QualidadeQualidadeQualidadeQualidade

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
paraparaparapara aaaa QualidadeQualidadeQualidadeQualidade ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Diagrama de processo: seu objetivo é a listagem de todas as fases do processo de forma simples e de rápida visualização e entendimento. Quando há decisões envolvidas pode-se representar o diagrama de processo na forma de fluxograma. A análise crítica dos diagramas e a comparação com as fases e sequenciamentos reais, auxilia na identificação de possíveis problemas de qualidade (desperdícios, etc.)

as fases e sequenciamentos reais, auxilia na identificação de possíveis problemas de qualidade (desperdícios, etc.)
as fases e sequenciamentos reais, auxilia na identificação de possíveis problemas de qualidade (desperdícios, etc.)
as fases e sequenciamentos reais, auxilia na identificação de possíveis problemas de qualidade (desperdícios, etc.)
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Se os 10 mandamentos do 5S fossem aplicados nós teríamos este acidente?

ORGANIZAÇÃO E NORMAS Se os 10 mandamentos do 5S fossem aplicados nós teríamos este acidente?

ISO 14000 - Sistema de Gestão Ambiental – SGA

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ISO 14000 - Sistema de Gestão Ambiental – SGA ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ISO 14000 - Sistema de Gestão Ambiental – SGA ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ISO 14000 - Sistema de Gestão Ambiental – SGA ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ISO 14000 - Sistema de Gestão Ambiental – SGA ORGANIZAÇÃO E NORMAS

ISO 14000 - Sistema de Gestão Ambiental – SGA

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Sistema de Gestão Ambiental – SGA ORGANIZAÇÃO E NORMAS As normas ISO 14000 – Gestão Ambiental,

As normas ISO 14000 – Gestão Ambiental, foram inicialmente elaboradas visando o “manejo ambiental”, que significa “o que a organização faz para minimizar os efeitos nocivos ao ambiente causados pelas suas atividades” (ISO, 2000). Assim sendo, essas normas fomentam a prevenção de processos de contaminações ambientais, uma vez que orientam a organização quanto a sua estrutura, forma de operação e de levantamento, armazenamento, recuperação e disponibilização de dados e resultados (sempre atentando para as necessidades futuras e imediatas de mercado e, conseqüentemente, a satisfação do cliente), entre outras orientações, inserindo a organização no contexto ambiental.

Tal como as normas ISO 9000, as normas ISO 14000 também facultam a implementação prática de seus critérios. Entretanto, devem refletir o pretendido no contexto de Planificação ambiental, que inclui planos dirigidos a tomadas de decisões que favoreçam a prevenção ou mitigação de impactos ambientais de caráter compartimental e inter-compartimental, tais como, contaminações de solo, água, ar, flora e fauna, além de processos escolhidos como significativos no contexto ambiental.

A norma ISO 14001 estabelece o sistema de gestão ambiental da organização e, assim:

• avalia as conseqüências ambientais das atividades, produtos e serviços da organização;

• atende a demanda da sociedade;

• define políticas e objetivos baseados em indicadores ambientais definidos pela organização que podem retratar necessidades desde a redução de emissões de poluentes até a utilização racional dos recursos naturais;

• implicam na redução de custos, na prestação de serviços e em prevenção;

• é aplicada às atividades com potencial de efeito no meio ambiente;

• é aplicável à organização como um todo.

• é aplicada às atividades com potencial de efeito no meio ambiente; • é aplicável à
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Para quem ela é relevante?

Impactos ambientais estão se tornando um tema cada vez mais importante no mundo, com pressão para minimizar esse impacto oriunda de uma série de fontes:

autoridades governamentais locais e nacionais, reguladores, associações comerciais, clientes, colaboradores e acionistas. As pressões sociais também aumentam em função da crescente gama de partes interessadas, tais como consumidores, organizações ambientais e não governamentais de minorias (ONGs), universidades e vizinhos.

Então, a ISO 14001 é relevante para todas as organizações, incluindo desde:

• Sites únicos até grandes companhias multinacionais;

• Companhias de alto risco até organizações de serviço de baixo risco;

• Indústrias de manufatura, de processo e de serviço; incluindo governos locais;

• Todos os setores da indústria incluindo setores públicos e privados;

• Montadoras e seus fornecedores.

locais; • Todos os setores da indústria incluindo setores públicos e privados; • Montadoras e seus
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

BS OHSAS 18001: 2007

Introdução Organizações de todos os tipos estão cada vez mais preocupadas com o atingimento e demonstração de um desempenho de segurança e saúde ocupacional (SSO) correto, por meio do controle dos seus riscos de SSO, coerente com sua política e seus objetivos de SSO. Agem assim dentro de um contexto de legislação cada vez mais exigente, do desenvolvimento de políticas econômicas e outras medidas de boas práticas de SSO e de uma crescente preocupação expressa pelas partes interessadas em relação às questões sobre SSO. Muitas organizações têm efetuado “análises” ou “auditorias” para avaliar seu desempenho de SSO. Por si só, entretanto, tais “análises” ou “auditorias” podem não ser suficientes para proporcionar a uma organização a garantia de que seu desempenho não apenas atenda, mas continuará a atender, aos seus requisitos legais e aos de sua política. Para que sejam eficazes, é necessário que sejam realizados dentro de um sistema da gestão estruturado que esteja integrado na organização. As normas de gestão OHSAS cobrindo gestão SSO têm por objetivo prover as organizações de elementos de um sistema da gestão de SSO eficaz que possam ser integrados a outros requisitos da gestão, e auxiliá-las a alcançar seus objetivos de SSO e econômicos. Não se pretende que estas Normas, tais como outras Normas internacionais, sejam utilizadas para criar barreiras comerciais não-tarifárias, nem para ampliar ou alterar as obrigações legais de uma organização. Esta Norma OHSAS especifica os requisitos para que um sistema da gestão de SSO capacite uma organização a desenvolver e implementar política e objetivos que levem em consideração requisitos legais e informações sobre riscos de SSO. Pretende-se que esta se aplique a todos os tipos e portes de organizações e para adequar-se a diferentes condições geográficas, culturais e sociais.

O

Administração.

sucesso

do

sistema

depende

do

comprometimento

de

todos os

níveis e

funções

e

especialmente da

Alta

Um sistema deste tipo permite a uma organização desenvolver uma política de SSO, estabelecer objetivos e processos para atingir os comprometimentos da política, agir, conforme necessário, para melhorar seu desempenho e demonstrar a conformidade do sistema com os requisitos desta Norma OHSAS. A finalidade geral desta Norma OHSAS é apoiar e promover boas práticas de SSO, de forma balanceada com as necessidades sócio-econômicas. Deve-se notar que muitos desses requisitos podem ser abordados simultaneamente ou reapreciados a qualquer momento.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
Muitas organizações estão implementando um Sistema de Gestão de Saúde e de Segurança Ocupacional (SGSSO)
Muitas organizações estão implementando um Sistema de Gestão de Saúde e de
Segurança Ocupacional (SGSSO) como parte de sua estratégia de gestão de riscos para
lidar com mudanças na legislação e proteger seus colaboradores.
Um SGSSO promove um ambiente de trabalho seguro e saudável através de uma estrutura
que permite à sua organização identificar e controlar consistentemente seus riscos à saúde
e segurança, reduzir o potencial de acidentes, auxiliar na conformidade legislativa e
melhorar o desempenho geral.
A OHSAS 18001 foi desenvolvida com compatibilidade com a ISO 9001 e a ISO 14001,
A OHSAS 18001 foi desenvolvida com compatibilidade com a ISO 9001 e a ISO 14001,
para ajudar a sua organização a cumprir com suas obrigações de saúde e segurança de um
modo eficiente.
As áreas chave a seguir são enfocadas pela OHSAS 18001:
• Planejamento da identificação de perigos, avaliação de riscos e controle dos riscos;
• Estrutura e responsabilidade;
• Treinamento, conscientização e competência;
• Consulta e comunicação;
• Controle operacional;
• Prontidão e resposta a emergências;
• Medição de desempenho, monitoramento e melhoria;
• A OHSAS 18001 pode ser adotada por qualquer organização que deseja implementar um
procedimento formal para redução dos riscos associados com saúde e segurança no
ambiente de trabalho para os colaboradores, clientes e o público em geral.

Benefícios:

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Em um mercado competitivo, seus clientes estão buscando mais do que simplesmente preços justos de seus fornecedores. As companhias precisam demonstrar que seus negócios são gerenciados de forma eficiente e com responsabilidade e que podem fornecer um serviço confiável sem tempos de parada excessivos causados por acidentes e incidentes relacionados a trabalho.

A certificação de seu sistema de gestão OHSAS 18001 permite à sua organização provar que está em conformidade com a especificação e provê os seguintes benefícios:

•Redução potencial no número de acidentes •Redução potencial nos tempos de parada e custos associados •Demonstração de conformidade legal e regulatória •Demonstração às partes interessadas de seu comprometimento com a saúde e a segurança •Demonstração de uma abordagem inovadora e voltada para o futuro •Maior acesso a novos clientes e parceiros de negócios •Melhor gestão dos riscos relativos à saúde e segurança, agora e no futuro Redução potencial de seus custos de seguros por responsabilidade pública.

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

NBR ISO 16001:2004 - Gestão da Responsabilidade Social ou AS - 8000

16001:2004 - Gestão da Responsabilidade Social ou AS - 8000 Certificação Responsabilidade Social Sistema de Gestão

Certificação Responsabilidade Social

Sistema de Gestão de Responabilidade Social NBR 16001:2004

O que é a NBR 16001? A NBR 16001 foi concebida com base nas três dimensões da sustentabilidade - econômica, social e ambiental - estabelecendo os requisitos para a implementação de um Sistema de Gestão de Responsabilidade Social (SGRS) passível de integração com outros sistemas de gestão. Um SGRS eficaz permite promover a cidadania, o desenvolvimento sustentável e a transparência das atividades da organização.

Quem pode se beneficiar com a NBR 16001? Quaisquer empresas que queiram e precisem melhorar os procedimentos internos e que precisam se manter competitivas com processos e produtos de alta qualidade, produzidos dentro de um sistema de gestão que atende a requisitos internacionalmente reconhecidos.

Quais são os benefícios da NBR 16001?

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS

Vários são os benefícios da NBR16001, entre elas estão:

- Aplicabilidade a organizações de todos os tipos e portes. Embora o público usual de normas de

sistemas de gestão sejam as grandes corporações, esta norma foi redigida de forma a aplicar-se

também às pequenas e médias empresas, de qualquer setor, bem como às demais organizações públicas ou do terceiro setor que tiverem interesse em aplicá-la;

- Entendimento amplo do tema “Responsabilidade Social”. Esta norma incorporou o conceito

mais amplo de Responsabilidade Social, ao aproximá-lo do desenvolvimento sustentável e incluir em seu cerne o engajamento e a visão das partes interessadas;

- Necessidade de comprometimento dos funcionários e dirigentes de todos os níveis e funções.

Em diversos pontos da norma ressalta-se a necessidade de comprometimento dos dirigentes e funcionários de todos os níveis e funções, em especial os da alta direção, uma vez que se trata de um tema transversal;

- Necessidade de uma política da Responsabilidade social e o desenvolvimento de programas

com objetivos e metas. A norma prescreve que a alta administração deve definir a política de Responsabilidade Social, “consultando as partes interessadas” e assegurando, dentre outros tópicos, que a mesma “inclua o comprometimento com a promoção da ética e do desenvolvimento sustentável”. Na etapa de planejamento, a organização deverá estabelecer,

implementar e manter objetivos e metas da Responsabilidade Social, com o envolvimento de funções e níveis relevantes dentro da organização e demais partes interessadas.

Obrigado

ORGANIZAÇÃO E NORMAS
ORGANIZAÇÃO E NORMAS