UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA

MILANE SANTANA EDUARDO
CIÊNCIAS ECONÔMICAS 2011.1
RESENHA DO TEXTO A EXISTÊNCIA ÉTICA, MARILENA
CHAUÍ
SALVADOR
Julho. 2011
Introdução
Este trabalho pretende ser um instrumento de aprendizagem, a
sua elaboração foi baseada no texto da Marilena Chauí, A
Existência da Ética, sendo acrescentadas informações
extraídas de fontes relevantes na área das ciências humanas.
Resenha.
Senso moral e consciência moral.
O senso moral é um sentimento imediato e absoluto da ação
prática, ou seja, o sentimento que exprimimos quando somos
movidos algum impulso incontrolável, alguma emoção forte.
Um pai de família desempregado, com vários filhos pequenos e
a esposa doente, recebe uma oferta de emprego, mas que
exige que seja desonesto e cometa irregularidades que
beneficiem seu patrão. Sabe que o trabalho lhe permitirá
sustentar os filhos e pagar o tratamento da esposa. Pode
aceitar o emprego, mesmo sabendo o que será exigido dele?
Ou deve recusá-lo e ver os seus filhos com fome e a mulher
morrendo? (A Existência da Ética, CHAUÍ, Marilena)
Se aceita o pai de família aceita o emprego, elese torna
desonesto, porém, se não aceita os seus filhos e sua esposa
continuam a sofrer com a falta do dinheiro. Logo, ele pensa no
que deve fazer, pensa nos benefícios que o trabalho poderá lhe
proporcionar e nas consequências que virão com ele.
O sentimento manifestado pelo pai de família mediante a
situação em que se encontra é o seu senso moral. A dúvida de
aceitar ou não a oferta de emprego lhe põe a prova a sua

É a apreciação da nossa própria conduta: obriga-nos ou nos desobriga. pode ser o certo pra Y. porém uma pequena parcela o defenderá. as decisões a ser tomadas mediante uma determinada situação. para cada um em particular. lhe exige assumir as conseqüências da sua ação. naturalmente a maioria das pessoas julga como mal o autor da ação. É muito pouco provável que em um determinado grupo todos pensem da mesma forma. Na predominância de valores sociais. 184. A consciência moral. escusa-nos ou nos acusa. art. esse seria um caso a ser julgado no tribunal.consciência moral. Juízo de fato e de valor . Trata-se de um juízo prático pelo qual decidimos o que devemos fazer ou não fazer. da ABNT) Assim como o senso moral. o indivíduo passa a obedecer a uma consciência coletiva. (O direito e a moralidade subjetiva. que condenaria ou absorveria o autor da ação. ou seja. A sociedade é regida pela consciência moral de seus indivíduos. para que assim sejam estabelecidos os valores sociais. o que é certo ou errado. Dessa forma as pessoas se questionam o que seria o bem e o mal. uma justificativa para seu ato. O tribunal seria uma representação de consciência moral. VII e Norma Técnica NBR 6023. que de certa forma precisam concordar entre si. como regra imediata e universal de procedimento. a consciência moral se refere a valores. não apenas a sua consciência individual. lhe exige uma decisão. cada qual possui a sua consciência. No caso de um crime. art. No Brasil. por exemplo. as pessoas costumam discordarem entre si. é que determina. Código Penal. Cada indivíduo obedece a sua consciência moral. Lei 9610/98. o que pode ser considerado extremamente errado por X. a qualidade moral de seus atos. pois. Na sociedade há muitas divergências entre as pessoas em relação ao que seja o certo. 5º.

uma vez que através dele podemos definir os valores como positivos ou negativos. tem por objetivo influir sobre o outro. Os juízos éticos de valor também determinam como a realidade deve ser. a sociedade pode sofrer com a quebra . Juízos de fato e de valor se diferenciam de forma simples.O juízo de fato representa umatomada de conhecimento da realidade. Esse juízo tem relação com o senso e consciência moral. Ex. ele avalia a realidade. eles enunciam obrigações e avaliam intenções. o primeiro remete uma ideia objetiva. os valores construídos também são modificados numa escala de tempo.: “Está nevando”.O juízo de valor representa o contrário. ele tem por objetivo informar ao outro a constatação. que a ideia do que seja o certo para a sociedade. Ex. que levanta uma questão muito importante. estão os juízos éticos. quando isso demora a acontecer. Dentre os juízos de valor. O enunciado está avaliando a beleza da boneca e ao mesmo tempo tentando lhe convencer de que seja feia. Não há o que argumentar nessa constatação. enquanto o segundo uma ideia subjetiva que pode ser questionada.: “A boneca é feia”. Como a sociedade está em constante transformação.