Você está na página 1de 4

SIMULADO ESTILO FGV

SIMULADO ESTILO FGV

LÍNGUA PORTUGUESA

TEXTO 1 Foi tão grande e variado o número de e-mails, telefonemas e abordagens pessoais que recebi depois de escrever que família deveria ser careta, que resolvi voltar ao assunto, para alegria dos que gostaram e náusea dos que não concordaram ou não entenderam (ai da unanimidade, mãe dos medíocres). Atenção: na minha coluna não usara “careta” como quadrado, estreito, alienado, fiscalizador e moralista, mas humano, aberto, atento, cuidadoso. Obviamente empreguei esse termo de propósito, para enfatizar o que desejava. Houve quem dissesse que minha posição naquele artigo é politicamente conservadora demais. Pensei em responder que minha opinião

sobre família nada tem a ver com postura política, eu que me considero um animal apolítico no sentido de partido ou de conceitos superados, como “a esquerda é inteligente e boa, a direita é grossa e arrogante”. ( )

E assim, sem me pensar de direita ou de esquerda, por ser interessada na minha comunidade, no meu país, no outro em geral, em tudo o

que faço e escrevo (também na ficção), mostro que sou pelos desvalidos. Não apenas no sentido econômico, mas emocional e psíquico: os sem auto-

estima, sem amor, sem sentido de vida, sem esperança e sem projetos. ( ) Voltando à família: acredito profundamente que ter filho é ser responsável, que educar filho é observar, apoiar, dar colo de mãe e ombro de pai, quando preciso. E é também deixar aquele ser humano crescer e desabrochar. Não solto, não desorientado e desamparado, mas amado com

verdade e sensatez. Respeitado e cuidado, num equilíbrio amoroso dessas duas coisas. Vão me perguntar o que é esse equilíbrio, e terei de responder que cada um sabe o que é, ou sabe qual é seu equilíbrio possível. Quem não souber que não tenha filhos. Também me perguntaram se nunca se justifica revirar gavetas e mexer em bolsos de adolescentes. Eventualmente, quando há suspeita séria de perigos como drogas, a relação familiar pode virar um campo de graves conflitos, e muita coisa antes impensável passa a se justificar. ( ) Assim como não considero bons pais ou mães os cobradores ou policialescos, também não acho que os do tipo “amiguinho” sejam muito bons pais. Repito: pais que não sabem onde estão seus filhos de 12 ou 14 anos, que nunca se interessaram pelo que acontece nas festinhas (mesmo infantis), que não conhecem nomes de amigos ou da família com quem seus filhos passam fins de semana (não me refiro a nomes importantes, mas a seres humanos confiáveis), que nada sabem de sua vida escolar, estão sendo tragicamente irresponsáveis. Pais que não arranjam tempo para estar

com os filhos, para saber deles, para conversar com eles

não tenham filhos. Pois, na hora da angústia, não são os amiguinhos que vão orientá-los e

ampará-los, mas o pai e a mãe se tiverem cacife. O que inclui risco, perplexidade, medo, consciência de não sermos infalíveis nem onipotentes. ( )

Mães que se orgulham de vestir a roupeta da filha adolescente, de frequentar os mesmos lugares e até de conquistar os colegas delas são

patéticas. Pais que se consideram parceiros apenas porque bancam os garotões, idem. Nada melhor do que uma casa onde se escutam risadas e se curte estar junto, onde reina a liberdade possível. Nada pior do que a falta de uma autoridade amorosa e firme.

O tema é controverso, mas o bom senso, meio fora de moda, é mais importante do que livros e revistas com receitas de como criar filho

(como agarrar seu homem, como enlouquecer sua amante

É no velhíssimo instinto, na observação atenta e na escuta interessada que resta a

esperança. Se não podemos evitar desgraças porque não somos deuses , é possível preparar melhor esses que amamos para enfrentar seus naturais conflitos, fazendo melhores escolhas vida afora.

(Lya Luft)

).

1 - A ideia central do texto é:

(A) mostrar que a família careta, orientadora e observadora, é a família

ideal.

(B) estabelecer comparação entre a família careta e a família não careta.

(C) destacar que na família não careta não se encontra educação

responsável e séria.

(D) mostrar que a família careta mantém viva suas características de

autoritarismo e amor.

(E) destacar que a família não careta está fora de moda, porque não

prepara os filhos para a vida futura.

2 - Pode-se perceber conotação pejorativa em

(A) Foi tão grande e variado o número de e-mails, telefonemas e

abordagens pessoais que recebi

(B) Voltando à família: acredito profundamente que ter filho é ser

responsável, (linhas )

(C) Também me perguntaram se nunca se justifica revirar gavetas e

mexer em bolsos de adolescentes. (linha 25)

(linhas )

(D)

Quem não souber que não tenha filhos.

(E)

Pois, na hora da angústia, não são os amiguinhos que vão orientá-los

e ampará-los, mas o pai e a mãe se tiverem cacife. (linhas 35 e 36)

3 - Considere o trecho:

Repito: pais que não sabem onde estão seus filhos de 12 ou 14 anos, que nunca se interessaram pelo que acontece nas festinhas (mesmo infantis), que não conhecem nomes de amigos ou da família com quem seus filhos passam fins de semana (não me refiro a nomes importantes, mas a seres humanos confiáveis), que nada sabem de sua vida escolar, estão sendo tragicamente irresponsáveis. (linhas 30 a 34) A palavra “repito”, no início do trecho,

(A)

pode ser substituída pela expressão “Resumindo,”.

(B)

exemplifica, reforçando, parte do que foi dito anteriormente.

(C)

pode ser substituída pela palavra “Conclusão:”.

(D)

introduz uma repetição do que foi dito anteriormente no texto.

(E)

explica a expressão “do tipo „amiguinho‟”.

4 - Leia as afirmações a seguir:

I. A autora desenvolve uma crítica negativa sobre política partidária que inclui conceitos, como “a esquerda é inteligente e boa, a direita é grossa e arrogante”. II. Ao utilizar o exemplo “a esquerda é inteligente e boa, a direita é grossa e arrogante”, a autora propõe uma crítica à situação política brasileira atual, que é tradicionalmente dicotômica. III. A autora mostra seu lado apolítico, sob o ponto de vista partidário, uma vez que se considera dissociada da “esquerda” ou da “direita” e preocupa-se com a sociedade em geral. IV. Para a autora, a política inclui a preocupação não só com os desvalidos financeiramente, mas também emocional e psiquicamente.

Está(ão) correta(s) apenas

mas também emocional e psiquicamente. Está(ão) correta(s) apenas PROFESSORA GRASIELA CABRAL Página 1
mas também emocional e psiquicamente. Está(ão) correta(s) apenas PROFESSORA GRASIELA CABRAL Página 1

SIMULADO ESTILO FGV

SIMULADO ESTILO FGV (A) apenas I.   (B) alegria dos que gostaram (B) apenas II. (C)

(A)

apenas I.

 

(B)

alegria dos que gostaram

(B)

apenas II.

(C)

náusea dos que não concordaram

(C)

apenas III.

(D)

minha opinião sobre família

(D)

apenas II e III.

 

(E)

colo de mãe

(E)

apenas III e IV.

   
 

10

- Voltando à família”; a alternativa em que o emprego do acento

5

- Em “Mães que se orgulham de vestir a roupeta da filha adolescente,

grave está incorreto é:

de frequentar os mesmos lugares e até de conquistar os colegas delas são

(A)

Eis a matéria referente às provas;

patéticas. Pais que se consideram parceiros apenas porque bancam os garotões, idem.”, a autora refere-se

(B)

Esta história está ligada à dos Jesuítas;

(C)

À sua figura, Maria, me vem à lembrança;

(A)

à falta de atitude dos pais atuais.

 

(D)

Os professores ofereceram livros às alunas aplicadas;

(B)

à falta de necessidade de acompanhar os filhos na sua adolescência.

(E)

O funcionário será submetido à inspeção.

(C)

à imaturidade de comportamento de alguns pais.

 

(D)

ao excesso de liberdade que causa problemas na família atual.

11

- A alternativa em que a palavra sublinhada NÃO contém ideia

(E)

à anulação de papéis de pai e filho na família atual.

negativa:

(A)

e náusea dos que não concordaram”;

6

- Indique a opção em que o MAS tem função aditiva.

(B)

(ai da unanimidade, mãe dos medíocres)”;

(A)

Atenção: na minha coluna não usara “careta” como quadrado,

(C)

“considero um animal apolítico”;

estreito, alienado, fiscalizador e moralista, mas humano, aberto, atento,

(D)

Não solto, não desorientado e desamparado”;

cuidadoso. (linhas 3 a 5)

 

(E)

estão sendo tragicamente irresponsáveis”.

(B)

Não apenas no sentido econômico, mas emocional e psíquico: os

 

sem auto-estima, sem amor, sem sentido de vida, sem esperança e sem projetos. (linhas 13 e 14)

12

- Assinale a alternativa em que o termo antecedente do termo

sublinhado NÃO está localizado no mesmo segmento destacado do

(C)

Não solto, não desorientado e desamparado, mas amado com

texto:

verdade e sensatez. (linha 21)

 

(A)

“Foi tão grande e variado o número de e-mails, telefonemas e

(D)

[

]

(não me refiro a nomes importantes, mas a seres humanos

abordagens pessoais que recebi”;

confiáveis) [

].

(linhas 32 e 33)

(B)

“para alegria dos que gostaram”;

(E)

Pois, na hora da angústia, não são os amiguinhos que vão orientá-los

(C)

“(ai da unanimidade, mãe dos medíocres)”;

e ampará-los, mas o pai e a mãe se tiverem cacife. (linhas 35 e 36)

(D)

“Obviamente empreguei esse termo de propósito, para enfatizar o

que desejava.”;

7

- O último parágrafo do texto transmite a(s) seguinte(s) ideia(s):

(E)

“estão seus filhos de 12 ou 14 anos, que nunca se interessaram pelo

 

que acontece nas festinhas”.

I. A vida atual é focada em praticidades, dentre elas o uso de manuais e livros de receitas para a resolução de problemas familiares.

13

- A alternativa em que NÃO ocorre qualquer forma de superlativo de

um adjetivo é:

II. Atualmente, há pais que seguem livros de receitas sobre como criar filhos.

(A)

“Foi tão grande e variado o número de e-mails”;

(B)

“que minha posição naquele artigo é politicamente conservadora

 

demais”;

III. A demonstração de interesse dos pais pelos filhos é a única maneira de formar adultos autoconfiantes.

(C)

“muita coisa antes impensável passa a se justificar”;

(D)

“sejam muito bons pais”;

 

(E)

“É no velhíssimo instinto”.

Está(ão) correta(s) apenas

   

(A)

apenas I.

 

14

Assinale a alternativa em que o conectivo destacado possui seu

(B)

apenas II.

valor semântico incorretamente indicado:

(C)

apenas III.

(A)

para enfatizar o que desejava.” (finalidade);

(D)

apenas I e II.

 

(B)

“dar colo de mãe e ombro de pai, quando preciso.” (tempo);

(E)

apenas II e III.

(C)

e terei de responder” (adição);

 

(D)

“quando há suspeita séria de perigos como drogas” (comparação);

8

- “para alegria dos que gostaram e náusea dos que não concordaram ou

(E)

“acontece nas festinhas (mesmo infantis)” (inclusão).

não entenderam”; nesse segmento linguagem figurada denominada:

há a presença de um tipo de

15

– “Foi tão grande e variado o número de e-mails, telefonemas e

(A)

metáfora;

 

abordagens pessoais que recebi depois de escrever que família deveria ser careta, que resolvi voltar ao assunto”; o conectivo em destaque introduz uma idéia de:

(B)

metonímia;

 

(C)

eufemismo;

(D)

catacrese;

 

(A)

causa;

(E)

paradoxo.

(B)

consequência

 

(C)

conclusão

9 - A alternativa abaixo em que o termo sublinhado representa o paciente do termo anterior:

(D)

explicação

(E)

concessão

(A)

o número de e-mails

   
explicação (E) concessão (A) o número de e-mails     PROFESSORA GRASIELA CABRAL Página 2
explicação (E) concessão (A) o número de e-mails     PROFESSORA GRASIELA CABRAL Página 2

SIMULADO ESTILO FGV

SIMULADO ESTILO FGV 16 – “ que família deveria ser careta ”; a forma verbal sublinhada

16

que

família deveria ser careta

”;

a forma verbal sublinhada

(B)

pronome indefinido

 

indica uma:

 

(C)

pronome pessoal

(A)

certeza absoluta;

 

(D)

pronome demonstrativo

(B)

hipótese possível;

(E)

adjetivo

 

(C)

opinião abalizada;

 

(D)

dúvida permanente;

23

- “Atenção: na minha coluna não usara “careta””; a forma usara pode

(E)

dedução comprovada.

ser

substituída pela equivalente:

 
 

(A)

teria usado;

17

Os segmentos do texto em que o vocábulo SE apresenta um valor

(B)

foi usado;

idêntico são:

 

(C)

terá usado;

I - “Também me perguntaram SE nunca se justifica revirar gavetas e mexer em bolsos de adolescentes.II - “Também me perguntaram se nunca SE justifica revirar gavetas e mexer em bolsos de adolescentes.

(D)

tinha usado;

(E)

fora usado.

24

- A frase abaixo que se apresenta na voz passiva é:

 

III

-

muita

coisa antes impensável passa a SE justificar

(A)

o

número de e-mails, telefonemas e abordagens pessoais que

 

recebi

”.

(A)

I II III;

 

(B)

quando

 

(B)

I II;

(C)

há suspeita séria de perigos como drogas

Pais que não arranjam tempo

(C)

I III;

(D)

Pais que se consideram parceiros

 

(D)

II III

(E)

Nada melhor do que uma casa onde se escutam risadas

”.

(E)

todos os valores são diferentes.

   
 

25

-

escrevo

(também na ficção)

”;

o vocábulo também tem valor

18

- O texto deve ser prioritariamente considerado como:

 

de:

(A)

informativo

 

(A)

acréscimo;

 

(B)

argumentativo

 

(B)

adversidade;

(C)

descritivo

 

(C)

comparação;

(D)

injuntivo

(D)

conclusão;

(E)

narrativo

(E)

explicação.

19

- Pensei em responder que minha opinião sobre família nada tem a

O

texto abaixo é a resposta a uma pergunta dirigida à escritora

ver com postura política, eu que me considero um animal apolítico no

estadunidense Lenore Skenazy, quando entrevistada.

 

sentido de partido ou de conceitos superados, como “a esquerda é inteligente e boa, a direita é grossa e arrogante”.

TEXTO 2 As coisas mudaram muito em termos do que achamos necessário fazer para manter nossos filhos seguros. Um exemplo: só 10% das crianças americanas vão para a escola sozinhas hoje em dia. Mesmo quando vão de ônibus, as crianças são levadas pelos pais até a porta do veículo. Chegou a ponto de colocarem à venda vagas que dão o direito de o pai parar o carro bem em frente à porta na hora de levar e buscar os filhos. Os pais se acham ótimos porque gastam algumas centenas de dólares na segurança das crianças. Mas o que você realmente fez pelo seu filho? Se o seu filho está numa cadeira de rodas, você vai querer estacionar em frente à porta. Essa é a vaga normalmente reservada aos portadores de deficiência. Então, você assegurou ao seu filho saudável a chance de ser tratado como um inválido. Isso é considerado um exemplo de paternidade hoje em dia. (IstoÉ,

Ao

colocar a passagem entre aspas, a autora do texto quer mostrar que:

(A)

a passagem está mal empregada em algumas situações;

 

(B)

os pais não aprovam a utilização dessa passagem;

(C)

palavras de outro texto foram transferidas para o texto presente;

(D)

há palavras fora de seu sentido habitual;

 

(E)

existem termos empregados em linguagem coloquial.

 

20

- A palavra do texto que NÃO é formada pelo mesmo processo das

demais é:

 

(A)

telefonemas

(B)

abordagens

(C)

pessoais

(D)

seres

22/07/2009)

 

(E)

conservadora

   
 

26

- O tema do texto é:

 

21

respectivamente, é:

- O item que não mostra a junção de um substantivo + adjetivo,

(A)

(B)

As atitudes de pais quanto ao transporte escolar dos filhos;

Os perigos aos quais as crianças estão sujeitas no caminho para a escola;

A preocupação dos pais atualmente com a segurança dos filhos;

As maneiras de as crianças se locomoverem de casa para a escola;

A preocupação dos pais em mostrar que têm dinheiro.

(A)

(B)

(C)

(D)

abordagens pessoais;

animal apolítico;

conceitos superados;

sentido econômico;

 

(C)

(D)

(E)

(E)

Nada melhor.

 

22

destaque é classificado como:

- “em tudo o que faço e escrevo (também na ficção)”; o termo em

27

(A)

(B)

- A palavra “isso”, na última linha do texto, retoma o fato de:

as crianças americanas hoje não irem sozinhas à escola;

pais americanos tratarem seus filhos saudáveis como inválidos;

(A)

artigo

   
tratarem seus filhos saudáveis como inválidos; (A) artigo     PROFESSORA GRASIELA CABRAL Página 3
tratarem seus filhos saudáveis como inválidos; (A) artigo     PROFESSORA GRASIELA CABRAL Página 3

SIMULADO ESTILO FGV

SIMULADO ESTILO FGV (C) Os pais gastarem algumas centenas de dólares na segurança das (B) Porquanto,

(C)

Os pais gastarem algumas centenas de dólares na segurança das

(B)

Porquanto, você assegurou ao seu filho saudável a chance de ser

crianças.venderem vagas para os pais pararem o carro em frente à porta da escola;

tratado como um inválido.

(C)

Portanto, você assegurou ao seu filho saudável a chance de ser

(D)

os pais levarem e buscarem seus filhos até a porta do ônibus que os

tratado como um inválido.

leva à escola.

 

(D)

Assim, você assegurou ao seu filho saudável a chance de ser tratado

 

como um inválido.

28

-

como

um inválido.”; a alternativa em que o vocábulo COMO

(E)

Por conseguinte, você assegurou ao seu filho saudável a chance de

possui o mesmo valor semântico dessa frase do texto é:

ser tratado como um inválido.

(A)

Nós deveríamos saber como agir nessas situações;

(B)

Fizemos todas as questões como mandou o professor;

33

- O emprego da palavra SE, em “Os pais se acham ótimos porque

(C)

Não sei como proteger meus interesses;

gastam algumas centenas de dólares na segurança das crianças.”, é o mesmo que se encontra em:

(D)

Quero saber como se deve resolver esse caso;

(E)

Aquele rapaz age como uma criança.

(A)

Ele se vingou do bandido;

 

(B)

Ninguém sabe se isso dará certo;

29

- “Se o seu filho está numa cadeira de rodas,”; em relação ao que é

(C)

Ele se escondeu do bandido;

expresso no texto, esse segmento funciona como:

(D)

Os lutadores se encaravam;

(A)

condição;

 

(E)

Necessita-se de mais compreensão.

(B)

explicação;

 

(C)

comparação;

34

- Assinale a opção em que a ausência da vírgula NÃO altera o

(D)

conclusão;

sentido da frase.

(E)

concessão.

(A)

Não, saia.

 

(B)

Não, quero estudar.

30

- Na leitura de texto, o leitor deve fazer inferências do que ali é

(C)

Quero, obrigado.

afirmado para assim receber todas as informações nele veiculadas; a inferência que não pode ser feita do segmento destacado do texto é:

(D)

Amanhã, viajarei.

(E)

Eu desejo um, sim.

(A)

“As coisas mudaram muito em termos do que achamos necessário

 

fazer para manter nossos filhos seguros”, de onde se infere que, no passado, havia uma visão diferente quanto à segurança dos filhos;

- Os excertos abaixo foram extraídos de uma etiqueta de roupa.

Assinale a opção que NÃO apresenta erro quanto ao emprego da vírgula.

35

(B)

“Um exemplo:”, de onde se infere que há outras situações que

ilustram uma mudança de postura por parte dos pais em relação à segurança dos filhos;

(A)

Para a secagem, as peças confeccionadas com cores claras e escuras,

devem ser estendidas sempre com a cor clara para cima para evitar

(C)

“só 10% das crianças americanas vão para a escola sozinhas hoje em

 

manchas.

dia.”; de onde se infere que o autor apresentava uma expectativa de que mais crianças fossem para a escola sozinhas;

Cuidado com produtos como esmalte, acetona, água oxigenada,

tintura para cabelo, produtos para o rosto entre outros, pois, podem manchar as peças.

(B)

(D)

“Mesmo quando vão de ônibus, as crianças são levadas pelos pais

até a porta do veículo.”; de onde se infere que, apenas quando as crianças vão de ônibus, os pais as levam até a porta do veículo;

(C)

Produtos à base de cloro como água sanitária e água de lavadeira,

atacam o corante desbotando o tecido.

(E)

“Essa é a vaga normalmente reservada aos portadores de

(D)

Peças 100% algodão, não devem ser lavadas com peças que contém

deficiência.”; de onde se infere que há vagas que não são reservadas para os portadores de deficiência.

poliéster, pois podem soltar bolinhas e estas se depositam sobre as fibras naturais.

(E)

Na lavagem, não misturar peças de cor clara com as de cor escura.

31

- “Mesmo quando vão de ônibus, as crianças são levadas pelos pais

 

até a porta do veículo”; uma forma de reescrever-se essa frase do texto

que NÃO mantém o seu sentido original é:

(A)

Mesmo quando vão de ônibus, os pais levam as crianças até a porta

do veículo;

 

(B)

Inclusive quando vão de ônibus, os pais levam as crianças até à

porta do veículo;

 

(C)

Mesmo quando vão de ônibus, até à porta do veículo, são levadas as

crianças pelos pais;

 

(D)

Até quando vão de ônibus, os pais levam, até a porta do veículo, as

crianças;

 

(E)

Até quando vão de ônibus, são levadas, até a porta do veículo, às

crianças pelos pais.

 

32

- Então, você assegurou ao seu filho saudável a chance de ser

tratado como um inválido.”. Assinale a opção que altera o sentido da passagem:

(A)

Logo, você assegurou ao seu filho saudável a chance de ser tratado

como um inválido.