Você está na página 1de 86

LEVANTAMENTO DE FONTES PARA A PESQUISA BIBLIOGRÁFICA SOBRE A HISTÓRIA DE JACOBINA E REGIÃO DO ACERVO DO CENTRO CULTURAL EDMUNDO ESIDÓRIO DOS SANTOS, BIBLIOTECA AFONSO COSTA E SEÇÃO MEMÓRIA DO MUNICÍPIO 1

Luiz Henrique dos Santos Blume 2

Nos últimos anos, há uma crescente preocupação nos cursos de graduação em História com a indissociabilidade entre ensino e pesquisa. No entanto, são poucos os momentos dedicados à produção de bases para as pesquisas, ou arquivos em que os pesquisadores possam, com efeito, debruçar-se na análise documental. Inúmeras são as dificuldades enfrentadas. Desde a inexistência de profissionais qualificados, centros de documentação que acabam funcionando como suporte à pesquisa escolar, e até mesmo a ausência de pesquisadores que se dediquem ao estudo de regiões afastadas dos grandes centros urbanos, como Salvador. No entanto, é comum também aos cursos de graduação a ausência de um diálogo entre docência e pesquisa. Muitas vezes, nós professores universitários, nos dedicamos às nossas pesquisas fora da sala de aula, em laboratórios ou núcleos de pesquisadores, mas não conseguimos, por vários motivos, atrair os alunos para a aventura da descoberta. Nossos cursos estão carregados de bibliografias, já consagradas ou não pela comunidade acadêmica, mas são cada vez mais raros os momentos em que produzimos um conhecimento histórico fruto de nossas próprias investigações. Em Jacobina, a situação não é diferente. Os alunos de graduação em História, ao iniciarem-se na pesquisa monográfica, necessitam de um local de pesquisa que possa recebe-los com as mínimas condições de infra-estrutura material e técnica. No entanto, as políticas públicas para a preservação da memória de Jacobina não estão claras, e assim, ficamos à mercê da pesquisa em acervos particulares, nem sempre acessíveis. Destacaria, ainda, a importância da existência de acervos públicos para a construção de

1 Levantamento realizado pela aluna Fabiana Machado da Silva, bolsista de Iniciação Científica, modalidade PICIN-UNEB, sob a coordenação do prof. Luiz Henrique dos Santos Blume, de março a setembro de 2002.

2 Coordenador do projeto Imagens da cidade: a emergência da Modernidade em Jacobina, 1920-1950.

uma identidade e memória coletiva. Conforme Nora, a construção da História da França acompanha um movimento de preservação da memória nacional. 3 Dessa maneira, o levantamento realizado para a pesquisa Imagens da Cidade: a emergência da modernidade em Jacobina, 1920-1950, devolve à comunidade acadêmica um dos produtos da investigação empírica. Procurando demonstrar que além das dificuldades encontradas, é possível a produção de instrumentos de pesquisa em História é que este levantamento de fontes, documentos, bibliografia, foi realizado no Centro Cultural de Jacobina. Este centro de documentação abriga em seu acervo uma riquíssima e desconhecida parte da História de Jacobina, da Bahia e do Brasil. Foi muito importante coordenar e supervisionar este levantamento, que a princípio podia parecer uma catalogação sem nenhum propósito. Porém, no acervo do Centro Cultural de Jacobina encontramos preciosidades da historiografia brasileira, como os trabalhos de Paulo Prado, Francisco Adolfo de Varnhagen, Caio Prado Jr., Sérgio Buarque de Hollanda, entre outros. Além da bibliografia, a seção Memória do Município apresentou uma preciosidade desconhecida dos freqüentadores e do corpo técnico-administrativo do centro cultural. Esta seção abriga vários volumes de coleções, contendo documentos compilados pela Biblioteca Nacional e Arquivo Público do Estado da Bahia. Ao que parece, tratava- se da coleção particular de Afonso Costa, cronista, historiador, membro da Academias de Letras da Bahia e do Instituto Geográfico e Histórico da Bahia. Jacobinense de nascimento, Costa torna-se bibliotecário do IGHBa, cargo com o qual produz inúmeros artigos sobre a formação e povoamento da cidade de Jacobina. Até hoje, os artigos Jacobina de Antanho e de agora, e Jacobina duzentos anos depois, comunicações realizadas no IGHBa, são referência obrigatória e quase exclusiva para o pesquisador que deseja iniciar seus estudos sobre esta região. Rapidamente, poderia aferir que as coleções existentes na Seção Memória do Município são documentos preciosos para a História de Jacobina, da Bahia e do Brasil. Além disso, com a dificuldade de instrumentos de pesquisa em Jacobina, o projeto Imagens da cidade: a emergência da modernidade em Jacobina, 1920-1950, colabora e devolve à comunidade acadêmica um produto dessa pesquisa, uma tarefa árdua que foi

3 Pierre Nora: Entre Memória e História: a problemática dos lugares. São Paulo: Educ, Revista Projeto História, 1992.

coordenada e supervisionada por mim, mas deve os méritos à bolsista de Iniciação Científica do programa PICIN-UNEB, Fabiana Machado da Silva, que realizou pacientemente a catalogação e o sumário, quando foi possível, dessa documentação. Dessa forma, acredito que a universidade estará colaborando para a descoberta e a pesquisa em documentos que podem revelar outras facetas da história de Jacobina e região, contribuindo com a renovação historiográfica, em especial com as pesquisas em andamento sobre a região e o sertão da Bahia. Além disso, destacaria ainda a necessidade do fortalecimento dessa instituição, o Centro Municipal e Cultural Edmundo Esidório dos Santos, como um dos centros regionais de referência à pesquisa em História. Por fim, gostaria de salientar que, com este levantamento de acervos e documentos para a pesquisa histórica, estaremos soerguendo o ideal de fomentar a pesquisa e a iniciação à pesquisa na Universidade do Estado da Bahia.

Jacobina, agosto de 2003.

DADOS DO FUNCIONAMENTO DA BIBLIOTECA DO CENTRO CULTURAL:

CENTRO MUNICIPAL E CULTURAL EDMUNDO ESIDÓRIO DOS SANTOS BIBLIOTECA AFONSO COSTA TELEFONE: 621-3545/621-5944 HORÁRIO DE FUNCIONAMENTO DAS 8:00 ÁS 18:00 FUNCIONÁRIAS: ANA CRISTINA, JÚLIA, MARIA DE FÁTIMA, CÉLIA

SEÇÃO MEMÓRIA DO MUNÍCIPIO:

COLEÇÕES:

1. ANAIS DO ARQUIVO DA MARINHA, NS: I, II, III, IV, V, VI, VII,

VIII, IX, X. (Estão no mesmo volume).

2. ANAIS DO ARQUIVO PÚBLICO DA BAHIA E DO MUSEU DO

ESTADO DA BAHIA, VOLS: 2, 3, 4, 5, 7, 8, 9.

3. ANAIS DO ARQUIVO PÚBLICO DA BAHIA, VOLS: 24, 25, 26,

27(2v), 29, 30, 31.

4. COISAS DA BAHIA, VOLS: IV, VII, VIII, IX, XI, XIV, XV, XIX,

XX, XXI, XXIII, XXIV, XXVI, XXVIII, XXIX, XXX, XXXI, XXXIV, XXXV, XXXVI, XLI, XLII, XLIII, LII, LIII, LVI, S/N, S/N, S/N.

5. DOCUMENTOS HISTÓRICOS DA BIBLIOTECA NACIONAL, NS:

16,17,18,19,66, S/N, S/N, S/N, S/N, 79.

6. ENCICLOPLÉDIA DOS MUNICÍPIOS BRASILEIROS, VOLS: III,

IV, VII, IX, XI, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII, XIX, XXII, XXIII, XXIV, XXV, XXVI,

XXVII, XXVIII, XXIX, XXX, XXXI, XXXII,XXXIII, XXXIV, XXXV, XXXVI.

7.

MEMÓRIAS HISTÓRICAS E POLÍTICAS DA BAHIA, VOLS: III,

IV,V, VI.

LIVROS ENCONTRADOS:

1. RODRIGUES, José Honório A pesquisa Histórica no Brasil: sua evolução e

problemas atuais. Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1952.

2.

ARAGÃO, Antonio Ferrão Muniz. A Bahia e seus governadores na República.

Salvador: Imprensa Official do Estado, 1923.

3. BARLÉU, Gaspar. História dos feitos recentemente praticados durante oito

anos no Brasil e noutras partes do governo do ilustríssimo João Maurício de Nassau

etc.,ora Governador de Wesel, Tenente General de Cavalaria das Províncias - unidas sobre o príncipe de Orange. Tradução e anotações de Cláudio Brandão. Rio de Janeiro:

Serviço Gráfico do Ministério da Educação, s.d.

4. Confissões da Bahia de 1591 a 1592. Primeira visitação de Santo Officio às

partes do Brasil pelo licenciado Heitor Furtado de Mendonça. Prefácio de J. Capistrano de Abreu. Edição da Sociedade Capistrano de Abreu, 1935.

5. Denunciações da Bahia 1591-593. Primeira visitação do Santo Officio ás partes

do Brasil, pelo licenciado Heitor Furtado de Mendonça. Homenagem de Paulo Prado.

São Paulo, 1925.(contém índice escrito por Afonso Costa)

6. JABOATÃO. Catálogo Genealógico. Reimpressão do Instituto Genealógico da

Bahia, 1945. Sumário: Catálogo genealógico das principais famílias que procederam de Albuquerques e Calvacantes em Pernanbuco, e Caramurus na Bahia tirados de memórias, manuscritos antigos e fidedignos, autorizados por alguns escritos e em

especial o theatro genealógico de D.Livisco de Nazão Zarco e Colona, aliás Manoel de Carvalho de Atahide e acrescentado o mais moderno e confirmado, assim moderno, como antigo com assentos dos, livros de baptisados, cazamentos, e enterros, que se guardam na Camara Eccleziastica da Bahia Por Fr. Antonio de S. Maria Jaboatão.

7. LYRA, A.Tavares de. Contribuição para a biographia do imperador (1840-

1850). Rio de Janeiro: Mendonça Machado & Cia., 1926.

8. LYRA, A.Tavares de. Deodoro da Fonseca. Conferência realizada no Instituto

Histórico e Geographico Brasileiro a 5 de agosto de 1925. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1927.

9. LYRA, A.Tavares de. História política A presidência e os presidentes do

Conselho de Ministros (1847-1889). Conferência realizada no Instituto Histórico Brasileiro a 20 de julho de 1923. Rio de Janeiro: Typographia do Jornal do Commercio, de Rodrigues & . C., 1923.

10. LYRA, A.Tavares de. Ministérios e ministros - os ministros de estado da

independência à república. Rio de Janeiro: 1945.

10.

Mensagem apresentada a câmara de vereadores do Município de Jacobina pelo

prefeito Florisvaldo Barberino em 7 de abril de 1963. Salvador: Imprensa Oficial do

Estado Bahia, 1964.

11. MIRANDA, Fontes de. Comentários à constituição de 1946. Vol V (Arts 157 a

218). 2º edição revista e comentada, São Paulo: 1953.

12. ORLANDO, Arthur. Brasil A terra e o homem, empr d’o tempo. Recife, 1913.

13. Política Diplomática do Brasil. s.n.t.

14. SAMPAIO, Theodoro. O Rio São Francisco, trechos de um diário de viagem.

Rio de janeiro: 1936.s.e. Comentário: No final deste livro contém: O Rio São Francisco Notas Bibliographicas

por Tancredo de Barros Paiva da Revista do Instituto Geografico e historico da Bahia pg 263 a 273)

15. TAUNAY, Dr. Affonso de. Revista do Instituto Histórico. Na Bahia colonial,

1610-1764. Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1927.

16. ZWEIG, Stefan. Brasil país do futuro. Rio de Janeiro: editora Guanabara, s.d

17. ZWEIG, Stefan. Fernão de Magalhães, história da primeira circunnvegação. Rio

de Janeiro: editora Guanabara, s.d

1. PERIÓDICOS:

1. REVISTA DA ACADEMIA DE LETRAS DA BAHIA, VOL II. Salvador:

Imprensa Official do Estado, 1932.

2. REVISTA DA ACADEMIA DE LETRAS DA BAHIA. VOL VI, ANOS: VIII,

IX, X, NS: 11, 12, 13. Salvador: Imprensa Oficial do Estado, 1942.

3. REVISTA DA ACADEMIA DE LETRAS DA BAHIA. VOL VIII,

comemorativo do seu 25 o aniversário de fundação. Ano XIII, n o 16, Salvador: Imprensa

Oficial do Estado, 1942.

4. REVISTA DO INSTITUTO GEOGRÁFICO E HISTÓRICO DA BAHIA.

Variações sobre a arte (título provisório). Vol(?). Salvador: Imprensa Oficial do Estado,

1944.

5.

REVISTA DA ACADEMIA DE LETRAS DA BAHIA. nº 36. Salvador:

Academia de Letras, novembro de 1989.

6.

REVISTA DO INSTITUTO GENEALÓGICO DA BAHIA. Ano X. nº 10.

Tipografia Manú, 1958, s.l. Sumário: Neste volume há um estudo sobre a a vida e história de Afonso Costa.

2. DESCRIÇÕES SUMÁRIAS DAS COLEÇÕES ENCONTRADAS NA SESSÃO MEMÓRIA DO MUNICÍPIO:

2.1 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia. Direção de F.

Borges de Barros. nº 2,

Ano II, Vol III, Salvador: 1918.

O

descobrimento

1

Explorações da costa

2

Capitanias hereditárias

21

Thomé de Souza 1º governador geral

27

Os jesuítas a catequese

47

Bandeirantes

49

Sexta Bandeira de Robério Dias, 8ª. bandeira de Dias d’Ávila

51

Invasão holandesa

57

Fundação da casa da moeda na Bahia (fundições em Jacobina e Rio de Contas)

62

Tumulto de 1682 na Bahia

65

Motins nas minas

67

(Obs.* Este tópico contém informações sobre ouro em Jacobina e motim nas minas)

O

comércio na Bahia1723 1801

75

Academias de ciências e letras

85

D. João VI partida de Lisboa

93

A

campanha de independência na Bahia

100

Movimentos sediciosos, A sabinada - Bento Gonçalves da Silva

122

Viagem de D. Pedro II a Bahia

133

Presidentes

139

Guerra do Paraguai, o grande contingente na Bahia

149

Proclamação da República

163

Campanha de Canudos, expedição Pires Ferreira

175

Século XVI, a primeira penetração das terras bahianas

183

 

Os Ávilas

186

O

Castelo da Torre

187

Terras da Casa da Torre

188/189/191

Pedro Barbosa Leal e Pedro Leonino Maris

196

Cartas Régias pelo Conselho Ultramarino

215

Sesmarias

239

Sobre a independência

263

Fundação da cidade de Salvador

271

Museu do Estado - Discurso proferido pelo Sr. Deputado Fiel Fontes, na sessão de 13

de

julho de 1918

285

Relatório

293

Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa e também 3 recortes

de jornais:

1º - uma crônica do tempo do governador geral Antonio de Souza Menezes, escrita por

J. da Silva Campos; 2º- O Jornal, de 1828; 3º- O Jornal de 1831;

2.2 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia. Direção de F. Borges de Barros, nº 3, Ano III- vols IV e V, Salvador: 1919. Sumário: Estes volumes contêm estudos sobre a Penetração das terras baianas; comércio do Pau- Brasil ; Lusitanos e Franceses; atitude da metrópole; ouro, prata e pedra verdes; os missionários; conversão do gentio; templos religiosos.

Penetração das terras baianas

7

As bandeiras

21

Sobre o povoamento de Jacobina

O castelo da torre de Garcia de Ávila

47

A penetração dos sertões do nordeste (os Àvilas)

57

Títulos de nomeação patente de posto de coronel, provido

em Francisco Dias de Avila (o 2º)

71

A estrada do Maranhão (2º Francisco Dias d’AVila)

77

Garcia de Avila Pereira (o 3º Francisco Dias de Avila) - várias reclamações

83

Reclamação de Frei Angelo de Santo Alberto - ordem régia

97

Terras da Casa da Torre

105

Uma doação do 3º Francisco Dias Avila á matriz de Geremoabo

117

Ação decisiva da coroa na repressão dos bárbaros do nordeste

123

Confederação dos índios guerens 1568

173

Casa da Ponte e dos Marqueses de Niza

197

O

grande desbravador do nordeste, uma página de história colonial

247

Revolução de 1798 1799

255

Processo contra Pero Campo Tourinho

279

Descobrimento da América

287

Comentário: Este volume contém um índice escrito por Afonso Costa.

2.3 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de F. Borges de Barros, nº 4, Ano IV, Vols VI e VII, Salvador: 1920. Sumário: Penetração das terras baianas - comercio do pão Brasil - Luzitanos e Franceses atitude da metrópole - ouro, prata e pedra verdes os missionários conversão do gentio - templos religiosos

Primeiras bandeiras

Bandeira de João Coelho de Souza e Gabriel Soares de Souza 1850-1590 que alcançou

21

Jacobina

35

Morgado de Belquior Dias

36

O

castelo da Torre de Garcia d’Vila

53

Testamento de Garcia d’Vila

67

A

penetração dos sertões do nordeste (Os Avilas)

80

Títulos de nomeação (sobre os Garcia d’Vila)

95

A

estrada do Maranhão (2º Francisco Dias d’Vila)

100

Garcia de Avila Pereira (o 3º Francisco Dias d’Vila) - várias reclamações

108

Reclamação de Frei Angelo de Santo Alberto - carta régia

121

Terras da Casa da Torre

129

Uma doação do 3º Francisco Dias Avila á matriz de Geremoabo

147

Ação decisiva da coroa na repressão dos bárbaros do Nordeste

155

Elevação de Jacobina a categoria de vila em 1724

159

Carta de Manoel Álvares de Moraes que descreve a campanha contra os bárbaros do

nordeste

171

Missionários no Ceará de Campos no Canuny e serra do Ibiapaba

197

Roteiro de bandeirantes - Sebastião Tourinho - Dias Adorno -Gabriel Soares - Belquior

Dias Moreya

217

A

conquista do Sergipe

225

Confederação dos índios guerens 1568

233

A

dupla missão Boter os bárbaros descobrir ouro e pedras preciosas

242

Mestre de Campo Antonio Guedes de Brito - casa da ponte

261

Sobre Jacobina

266

As estradas pelos Rios do Sul

273

Rios: Jequitinhanho, Pardo e Verde - sua conquista Rio de Mateus) Rio S. Francisco (sua colonização - o missionário bandeirante Francisco de Mendonça

Mar - os Mocambos)

299

O S. Francisco e as bandeiras

305

A colonização do Rio São Francisco

307

Pedro Leonino (A conquista do Rio de Contas e seus afluentes exploração das Minas

Fundições de Jacobina e Rio de Contas Casa da Moeda)

335

A

casa da moeda

348

Jacobina

348

Diamantes e rubis em Jacobina

350

Carta para o coronel Pedro Barbosa Leal

351

Rio Salitre

373

Sobre Jacobina

375/383/388

Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa e alguns recortes de

jornais

2.4 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de F. Borges de Barros, nº 5, Ano V, Vol III, Salvador: 1921.

Decreto

3

Comentário: contém várias cartas, portarias e patentes Cartas AS.Magestade ano 1798 Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa

39

2.4.1Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de

F. Borges de Barros, nº5, Ano VI, Vol IX, Salvador: 1922.

Sintomas de uma época (período colonial)

3

França convenção Nacional (avisos e reclamações)

31

Avisos e proclamações (Documento nº 1)

45

A

sabinada em Nazareth

77

O

ouro remetido para Lisbôa durante o período colonial (1724-1800)

103

A

quantidade de ouro remetida de Jacobina

104-110

Cartas Régias nº 122

115

2.4.2Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de

F. Borges de Barros, nº5, Ano VII, Vol X, Salvador: 1923.

Ato 1º sessão

1

Documentos sobre a independência (1821e 1822)

5

As

cortes geraes e extraordinárias da nação portuguesa aos habitantes do Brasil

9

O

Doutor presidente, vereadores, procuradores do senado, da camara da cidade da

Bahia, e seu termo, aos habitantes da mesma (1823)

31

Introdução a defesa do Brigadeiro Labatut (1824)

97

Defesa do general Labatut sobre a sua conduta

103

Decreto (1825)

157

Proclamação (1826)

159

Deus e pátria (1923) Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa.

163

2.5 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de F. Borges de Barros, nº 7, Ano VIII, Vol XII, Salvador: 1924.

Sesmarias confirmadas1730 a 1819

7

Cartas Régias nº 82 1740 1760

35

Títulos nobiliárquicos

59

IV

Parte - documentos da independência

67

V

Parte - catálogo de registros de terras

79

Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa

2.5.1 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de

F. Borges de Barros, nº 7, Ano IX, Vol XIII, Salvador: 1925.

Independência ano de 1822

5

Sobre Jacobina

24, 27 e 28

Contrato que se fez no Conselho Ultramarino com João Alvares Vieira do rendimento

das passagens dos rios para as Minas do Rio de Contas, e Jacobina por tempo de três

anos, em preço todos eles de trezentos mil reis livres para a fazenda Real

Comentário: Este capítulo contém algumas cartas, ofícios, ordens régias, provisões e

patentes.

31

Regimento das Intendências e Casas de fundição

106

Casamento do infante D.Pedro de Portugal 1760

128

2.5.2 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de

F. Borges de Barros, nº 7, Ano de 1925, Vol 14, Salvador: 1927.

Catálogo de documentos, notas e comentários para história

da

agricultura na Bahia

1

Cana de açúcar século XVI

1

Algodão século XVI e XVII

41

Laranja

65

Fibras

81

Cacau

87

Apêndice

103

A

agricultura dos nossos dias época republicana

203

As mangas de Itaparica

Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa.

198

2.5.3 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de

F. Borges de Barros, nº 7, Vol XV, Salvador: 1928.

Lei nº 2052, de 20 de março de 1928

1

Regimento da relação da Bahia

5

Antigas capitanias do Brasil

23

Relação dos monumentos históricos

32

Primórdios das sociedades secretas na Bahia

39

Apêndice

57

Sumários dos vols 1 a 13

65

2.6 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de F.

Borges de Barros, nº 8, Vol XVI, Salvador:1929.

Atas do conselho geral de província 1832 a 1833 Heraldica Bahiana Antigas capitanias do Brasil(documentos) Documentos referentes a uma parte do patrimonio territorial do municipio de Itaparica Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa.

2.6.1 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de

F. Borges de Barros, nº 8, Vol XVII, Salvador: 1929.

I Parte - Atas do conselho geral da presidência de 1833 a 1834 II Parte - sequestros dos bens jesuítas

III Parte - cartas e portarias

IV Parte - como foram executados os inconfindentes da sedição de 1798, na Bahia

Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa.

2.7 - Anais do Arquivo Público da Bahia e do Museu do Estado da Bahia, Direção de F.

Borges de Barros, nº 9, Vol XVIII, Salvador:1930.

Comentário: Este volume contém índice escrito por Afonso Costa. Contém uma introdução aos termos de vereações do senado da câmara de Santo Amaro.

2.7.1 - Anais do Arquivo Público da Bahia e inspetoria dos monumentos. Direção e redação do Dr .Alfredo Vieira Pimentel.Vol XIX, Salvador:1931. Comentário: Este volume contém os Termos de vereação do senado da câmara de Santo Amaro continuação, prontuário histórico (continuação) à pág. 193. Este volume contém índice escrito por Afonso Costa e um recorte de jornal que é um artigo de Deolino Amorim, A ata de Santo Amaro e revolução constitucionalista.

3.1 - PIMENTEL, Alfredo Vieira. Anais do Arquivo Público da Bahia, Vol 24, Salvador: Imprensa Oficial do Estado, 1935.

Ïndice:

Primeira parte I-Garcia d’Vila, o velho

1

As três grandes casas senhoriais

1

Criação da Casa da Ponte e da Casa da Torre e a colonização de Jacobina

2

Determinações reais

3

Geografia quinhentista da região desvendada por Garcia d’Vila

7

A

grande empresa de Garcia d’Vila, na conquista do primeiro sertão

11

Os fundamentos da casa da torre

14

A

Casa da Torre em Jacobina, construída pelos Garcia d’Vila

Garcia e os frades de São Bento

20

Testamento de Garcia d’Vila

21

A

obra dos missionários

31

A

queixa do padre Nóbrega

32

II

- Francisco Dias d’Vila, o primeiro

33

O

primeiro Garcia d’Vila adquire uma sesmaria e povoa Jacobina

33 e 35

despacho solicitado por Garcia d’Vila

A construção do castelo (Casa da Torre)

36

 

A capela

38

Descrição pelo Dr. Braz do Amaral Descrição sobre a Casa da Torre

40

O

castelo em 1934

42

Francisco Dias d’Vila e Santo Antonio de Arguim

44

Feira de Capuame

45

Campo histórico de Dias d’Vila

47

Denomina-se Dias d’Vila a estação ferroviária 8 de setembro de 1928, Mudança do nome da feira velha de Capuame para Dias d’Vila

O território

48

A padroeira dos sertanistas (Nossa Senhora da Boa Viagem)

50

A formação da feira de Capuame por romeiros

III-Garcia d’Vila - Duas entradas pelos sertões

53

Sobre os Garcia d’Vila e o desbravamento do sertão Baiano e de Jacobina

A

missão do Rio Salitre guerra aos índios Cariris

54

Povoamento da região do Rio Salitre, povoamento de Jacobina, Serra do Mulato, legendários tesouros de Belquior Dias

56 e 59

Sesmaria do Padre Antonio Pereira

59

Os criadores de gado

61

Povoamento do sertão através da expansão dos currais

62-64

IV - O segundo Francisco Dias d’Vila

65

A jornada do Maranhão

67

A casa da torre e o Padre Martim de Nantes

70

Coronel Francisco Gil de Araújo

76

Comentário: Na página 78 há referências sobre o desbravamento do Sertão Baiano

Resposta do Arcebispo

80

A

estrada pelo pontal

81

Estradas pelo sertão Jacobina

82

V

- Garcia d’ÁVila Pereira

83

Cartas do Conde de Sabugosa para Garcia d’vila Pereira

85

Carta para o Cel. Garcia d’Vila Pereira

86

Munição para continuar a guerra do Piauy

87

Reclamações ao governo

88

Reclamações do 3º Francisco Dias d’Vila em 15 de novembro de 1741 contra a

duplicata do imposto sobre o gado

88

Quanto aos Passaes

90

Reclamações de Jacobina Doação à capela do Rio do Peixe , Parahuyba

92

Escriptura de doação da terra precisa nela se eregir a matriz de Geremoabo feita por

Francisco Dias d’Vila

95

VII-Entreleçamento do Pires de Albuquerque com os Avilas

98

Operoso governo de D. Fernando ao qual José Pires serviu

100

Trapiche grande dos Pires e Albuquerque e o de Barnabé Cardoso

101

Solar do Unhão

102

O

solar do coronel

103

Primeiro titulo feito pelo governo brasileiro

105

O

titulo

105

O

cabo Bartholomeu

105

As últimas luminárias do castelo

107

O

santinho

108

VIII - Da legendária casa, três inteligências devotadas ao serviço do Império

e da

República na política, na alta magistratura e nas letras

110

Garcia Dias Pires de Carvalho e Albuquerque

110

Ministro Pires e Albuquerque

112

Barão de Villa Viçosa

120

Dr. Urbano Pires de Carvalho e Albuquerque

122

Major Salvador Pires de Carvalho e Albuquerque

122

Comentário: Na página 123 há referência sobre a expedição em Jacobina IX- A opinião de Virgilio Brigido

124

A

maior festa do castelo

127

Notas chorographicas

129

Documentos que prova ter Francisco Dias d’Vila vencido os índios anayós e galaches

133

Patente do posto de coronel provida em Francisco Dias d’Vila (o 2º)

135

Patente de capitão - mor da nação dos Fomaquiz provida em Francisco Dias d’Vila

137

Patente de mestre de campo a Francisco Dias d’Vila para vencer

os

índios confederados do Maranhão

140

Escriphtura de composição

142

Questão sobre Santo Amaro de Ipitinga

148

Resposta que deu o coronel

149

A

planta do castello

153

Domingos Pires de Carvalho

154

Patente de capitão de ordenanças provida em Domingos Pires de Carvalho

155

O

morgado de 1833

155

Concessão de sesmaria a Garcia d’Vila

161-162

Instrumento

164

 

Copia

171

Documento Comentário: Nas páginas 166 e 173 há referências sobre Jacobina

172

A Segunda parte foi retirada para completar um volume de J. Silva Campos .

“Deste volume o capítulo sobre “voz dos companários Bahianos”, de J . Silva Campos,

se e juntou a outro do mesmo autor sobre “tempo antigo”, para formação, os dois de um volume de “coisas da Bahia”. [nota redigida por Afonso Costa] Comentário: Neste volume há um índice escrito por Afonso Costa indicando as páginas onde encontramos referências a cada colonizador e desbravador do sertão baiano e também sobre o povoamento de Jacobina em específico.

3. 2 - PIMENTEL, Alfredo Vieira. Anais do Arquivo Público da Bahia, Vol 25, Salvador: Imprensa Oficial do Estado, 1937.

Índice:

I-Parte:

Termos de vereações do senado da camara de Santo Amaro, de1798 a 1802

II- Parte:

Tombo das pertencentes á sua Magestade, desde o Rio até Aqui canavieiras, margem do Tahype e do mar pendipe até Valença

Comentário: neste volume há descrições sobre o povoamento de Ilhéus

1 - 229

235 - 282

Uma Página inédita da história da Bahia (Sobre a sedição militar ocorrida em 1817)

Hospicio do Pilar - Criação de capela dedicada a Nossa Senhora do Pilar

Chronicas bahianas do século XIX , por J. Silva Campos 295 - 365

285 - 287 289 - 293

Relatório apresentado ao Dr . Secretário Do Interior e Justiça

369 - 382

Ïndice

383

Comentário: Este volume contém um recorte de jornal com o título: vida católica a tradicional festa do Divino Espírito Santo

3.3- PIMENTEL, Alfredo Vieira. Anais do Arquivo Público da Bahia, Vol 26, Salvador: Imprensa Oficial do Estado, 1938.

Índice:

I - Parte Creação da vila de Nova Abrantes do Espírito Santo De como viviam os índios de Nova Abrantes do Espírito Santo Crônica dos acontecimentos da Bahia (1809-1828) *nota de Afonso Consta: Interessantíssimo documentoII - Parte

1

5

49

Invasão holandesa na Bahia (1624-1625)- pela testemunha ocular Joham George Adenburg, tradução de D. Clemente Maria

da

Nassau o discurso, por Américo Mendes de Oliveira Castro 153

Silva Nigra

79

Os

holandeses e a cultura artística da Bahia por Godofredo Filho

169

O 3º centenário do ataque de Nassau a Bahia, Pedro Calmon

185

Dúvida que dissipa, J. da Silva Campos

227

D. Fradique de Toledo apontamento biográfico por Frei P. T. Margalho

231

III

- Parte

Os

misteriosos subterrâneos da Bahia , J. da Silva Campos

241

Náufragos e incêndios na Bahia de Todos os Santos, idem, idem

373

Município de Cachoeira (Estado da Bahia). Notas e impressões sobre o distrito de S.Thiago de Iguape, pelo professor Celestino da Silva

Primeira parte - O Thiago de Iguape

391

Segunda parte- O convento de Paraguassú

425

Relatório apresentado ao Exmo. Snr .Dr. Secretário do Interior e

da

justiça , pelo diretor do Arquivo Público em janeiro de 1837

437

461

Inspetoria Estadoal de Monumentos Nacionais Sumário: Este volume 26 contém: Estampa

de Salvador, ano de 1624, seguida de

legenda e quadro dos funcionários do Arquivo Público e Inspetoria dos Monumentos em

1936

3.4 - PIMENTEL, Alfredo Vieira. Anais do Arquivo Público da Bahia, Vol 27(1), Salvador: Imprensa Oficial do Estado, S/D. (Documentos para a história da independência do Brasil)

Não contém índice (índice provisório)

1822- Documentos relativos ao governo da Bahia Governos e bispos lutas entre os poderes da temporal e espiritual

1 a 181

nos séculos XVI e

XVII

185 a 247

Comentário: Importante documento para se estudar sobre a independência da Bahia, trata dos governadores das terras ou regiões do Brasil em que se estabeleceram bispados

e dos prelados que as ocuparam nos séculos que ele indica, assim como das

divergências entre os mesmos com os magistrados representantes do poder real e da

justiça uns e outros expoentes dos poderes espiritual e temporal. Na página 210 há uma referência à Casa da Torre de Garcia d’Vila.

Procissões tradicionais da Bahia J. Silva Campos Antelóquio Procissões extintas Procissões atuais Apêndice

Procissões tradicionais da Bahia – J. Silva Campos Antelóquio Procissões extintas Procissões atuais Apêndice

248

250 a 255 257 a 375 377 a 505 377 a 530

Comentário: Interessante para quem estuda sobre tradições religiosas;

A

procissão de Santo Sangue em Brugues

509 a 512

Quanto a paixão de christo em Roquebrune

512 a 515

O

50 anniversario da lei da abolição(reminicências de um tradicionalista)

517

Notas epigraphicas e iconographicas dos feitos heróicos da campanha de

Independência na Bahia pelo professor Celestino da pág.

Silva-Cachoeira ano de 1934 531- 644

Sumário:Importante para o estudo sobre a independência da Bahia. Neste volume tem um recorte de jornal com o titulo: A festa do corpo de Deus, de 1950.

3.5 - PIMENTEL, Alfredo Vieira. Anais do Arquivo Público da Bahia, Vol 27(2),

Publicações do Arquivo Nacional sob direção de João Alcides Bezerra Cavalcante, Rio de Janeiro, oficina gráfica do Arquivo Nacional, 1931.

Introdução (Comentário sobre o regime de sesmarias) Translado do regimento das sesmarias Translado do foral de Capitª de Duarte Coelho

sobre o regime de sesmarias) Translado do regimento das sesmarias Translado do foral de Capitª de

III a VIII

3 a 6

Synopses das sesmarias registradas nos livros existentes no Arquivo da Tesouraria da

7 a 198

Fazenda da Bahia

Sumário: Este volume contém índice nominástico escrito por Afonso Costa e também um recorte de jornal que fala sobre a exposição comemorativa do 112º aniversário do Arquivo Nacional - livros trazidos da Delegacia Fiscal do Tesouro no Estado da Bahia e pertencentes a antiga Tesouraria da Fazenda da Província e a Junta da Fazenda sesmarias dos sécs .XVII e XVIII 1681-1890) No volume 5 do Arquivo Nacional há um catálogo das sesmarias do Espírito Santo , Rio de Janeiro, São Paulo, Santa Catarina e Rio Grande do Sul Pág VI.

3.6 - Anais do Arquivo Público da Bahia, direção de Alfredo Vieira Pimentel, nº 29,

Vol XXIX, (1943), Salvador: Imprensa Oficial do Estado, 1946.

Índice:

I - Parte Documentos para a história da catequese dos índios e das missões religiosas no Brasil II - Parte

7

Resumo da historia dos países da América por Braz do Amaral

233

Ligeiras notas sobre a vida íntima, costumes e religião dos africanos na Bahia - por J.da Silva Campos

292

A

capelinha dos Quinze Mistérios e a devoção do Rosário entre os

pretos por Maria do Carmo Ponde

313

Datas e tradições cachoeiras pelo prof . Pedro Celestino da Silva

324

Relatório apresentado ao Dr. Secretario do Interior e Justiça pelo Diretor do Arquivo Público

401

3.7- PIMENTEL, Alfredo Vieira. Anais do Arquivo Público da Bahia, Vol 30, Salvador: Imprensa Oficial do Estado, 1947.

Ïndice geral:

I - Parte

Inventário de Clécia de Castro Alves Inventário do Dr. Antônio José Alves

7 a 36 39 a 202

II - Parte

A Bahia de Castro Alves por Waldemar Matos

207 a301

Relatório apresentado ao Diretor do Arquivo Público - por Maria do Carmo Pondé 309 a

332

Indice de A Bahia de Castro Alves Introdução

207

Origem e descendência dos Alves

207

Casa da Fazenda Cabaceira

209

Casa da Rua Direita do Porto de S. Felix

219

Casa da Rua do Rosário nº 1

221

Casa da Rua do Passo 47

229

Casa Nobre da Roça do Jacaré

231

Solar da Bôa Vista

235

Casa do largo do pelourinho 18

247

Solar do Barris

249

Teatro São João

259

Casa da Fazenda Santa Isabel

271

Associação comercial

273

Solar do Sodré

277

Obras

287

A

Bahia ao tempo de Castro Alves

291

Bibliografia Comentário: Este volume contém algumas fotos de Salvador

301

3.8 - PIMENTEL, Alfredo Vieira. Anais do Arquivo Público da Bahia, Vol 31, Salvador: Imprensa Oficial do Estado, 1949.

Sumário: Ordens Régias 1648 a 1718, inventário da matéria contida nos volumes II e

XII procedido pelas funcionárias da seção histórica Zenaide Mota Silva lima, Lucy

Girardi Reis, Alia de Carvalho Sampaio e Nilza Farias da Cunha, revisto pela chefe de seção Maria do Carmo Pondé.

D. Francisca de Sande (a primeira enfermeira do Brasil) por Waldemar Mattos Cronologia do Arquivo Público da Bahia (no final) Comentário: Este volume contém índice nominástico escrito por Afonso Costa.

4.1- Coisas da Bahia, Vol IV, s/d.

Sumário: A restauração da cidade do Salvador, Bahia de todos os Santos na província

do Brasil pelas armas de D. Filippe IV, rei catholico das hespanhas e índias publicado

em 1628 pelo chronista D. Thomas Tamargo de Vargas traduzida do hespanhol,

addicionada com notas e offerecida à sua magestade o imperador o senhor D. Pedro II pelo coronel Ignacio Accioli de Cerqueira e Silva, Salvador: Typographia de Epifanio Pedroza , 1847.

O tradutor

13

ģ - I Grandeza da Hespanha invejada de todos, origem desta empreza e do meu

assumpto

ģ - II Infidelidade dos hollandezes, continuada com o desejo de constituirem se mais

21

poderosos - capitulos de sua nova companhia, e suas emprezas

25

ģ - III Vã pretensão dos hollandeses a cerca da navegação do oceano

29

ģ - IV Designios dos hollandeses sobre a ocupação do Brasil

37

ģ - V Descobrimento, descripção e povoações da provincia da Bahia

45

ģ - VI Viagem dos hollandeses ao Brasil

55

ģ - VII Primeiro descobrimento da armada inimiga, e disposição dos que governavão o

Brasil

ģ - VIII Resistencia dos portugueses e gente da terra aos hollandezes até que occuparão

57

a cidade do Salvador e sua Bahia

63

ģ - IX O que se passou no Brasil até a chegada do socorro Hespanha

71

ģ - X Continuação dos successos no Brasil antes da chegadado socorro da Europa

76

ģ - XI Determina-se enviar ao Brasil uma armada das corôas de Castella e Portuga

l79

ģ - XII Prevenções para o apresto da armada no mez de agosto 84

91

ģ - XIII Mais Prevenções para o apresno mez de setembro

ģ - XIV Mais prevenções até 4 de janeiro, em que se fez á vela a armada hespanhola 96

ģ - XV Pessoas que levarão postos nas armadas de Catsella

100

ģ - XVI Brilhantismo da gente mais assinalada da corôa de Portugal

106

ģ - XVII Parte da bahia de Cadiz a armada de Castella: diario dos successos de sua

viagem até a ilha de Maio

ģ - XVIII Successos da armada Portuguesa até Cabo - Verde

ģ - XIX Juntão - se as armas de ambas as coroas

ģ - XX Proseguem as armadas em sua derrota ao Brasil

ģ - XXI Informa - se a armada catholica do estado e forças do inimigo desde que avistou a Bahia

ģ - XXII Fortificação do inimigo na cidade do Salvador e Bahia de Todos os Santos

ģ - XXIII Entra a armada na Bahia de Todos os Santos da cidade do Salvador: - sua

descripção

ģ - XXIV Desembarque da gente e munições da armada catholica, e assento de seus

reaes

113

119

123

125

130

133

136

140

ģ - XXV Sortida do inimigo e valor dos catholicos

145

ģ - XXVI Fortificação e novo esforço dos catholicos

151

ģ - XXVII Intenta o inimigo incendiar a armada real: frustamento desta pretensão 153

ģ - XXVIII Continuação das baterias e fortificações hespanholas

155

ģ - XXIX Soccorro da terra, e successo do hollandez em Angola

159

ģ - XXX Mais fortificações nos reaes catholicos, e novos damnos nos sitiados

160

ģ - XXXI Valor particular de alguns soldados catholicos

162

ģ - XXXII Levãose tão adiante as fortificações do sitio, que desconfião inteiramente

os sitiados de sua posição

164

ģ - XXXIII Rende se o inimigo, e propoem condições de paz

167

ģ - XXXIV Responde o general aos sitiados sem admittir lhes mais condições

replica destes

ģ - XXXV Assento da capitulação da entrega da cidade pelos sitiados com o general de

171

Hespanha

175

ģ - XXXVI Occupação da cidade, e despojo do hollandez pela gente catholica

177

ģ - XXXVII Acções de graças por este successo e aviso á Hespanha

181

ģ - XXXVIII Memória dos catholicos que morrerão, ou forão feridos na rstauração do

Brasil

184

ģ - XXXIX Nova deposição dos negocios do Brasil

190

ģ - XL Soccorro inutil da Hollanda

194

ģ - XLI Viagem das duas armadas até Pernambuco, e da de Castella até Malaga e

Cadiz

ģ - XLII Viagem da armada de Portugal até Lisboa 206

203

ģ - XLIII Successo da almiranta de Portugal em sua viagem

210

ģ - XLIV Soccorro enviado á ilha de S. Helena

213

ģ - XLV Forças de Hespanha ao tempo da restauração da cidade do Salvador e sua

bahia, prvenidas do seu governo

218

Notas

229

Dr. Gonçalo Moniz. A medicina e sua evolução na Bahia (Do numero especial do Diário Official de 2 de julho de 1923, commemorativo da independencia da Bahia), Imprensa Official do Estado, 1923.

Considerações gerais

3

A praticada medicina nos primeiros tempos coloniaes

11

Fundação do ensino medico no Brasil e desenvolvimento do mesmo na Bahia 18

A literatura e a sciencia medicas, e vultos mais notaveis da medicina, na Bahia

67

Dr.

Theodoro

Fernandes Sampaio

325 a 339

Dr.

Theodoro

Sampaio

340 a 345

Conferencia realizada pelo confrade Dr. Octavio Moniz Barreto na Sessão Magna commemorativa do cincoentenario da Abolição, realizada em 13 de maio de 1938 489 a

507

<<Laudemus viros gloriosos

do Nascimento Junqueira na sessão magna comemorativa do <<cincoentenario da Rosa do Oiro>>, realizado no salão nobre do Instituto Geografico e Historico da Bahia, em 28 de setembro de1938, para colocação na sua << galeria de estadistas>> do retrato do Cons . João José de Oliveira Junqueira, Senador do Império, Ministro da Guerra em 1871 e 1885 e notável parlamentar abolicionista 509 a 520 Discurso pronunciado pelo consocio Dr. Jorge Calmon na sessão solemne efetuada na

<<casa da Bahia>> a 2 de julho de 1939

conferencia pronunciada pelo confrade D. João José

>>,

521 a 532

4.2 - Coisas da Bahia, Vol VII, ano?

Annaes da Imprensa da Bahia - 1º centenario 1811 a 1911, catalogo

socios do Instituto Historico:

Bahia:Typ. Bahiana de Cincinnato Melchiades, 1911.

A Imprensa na Bahia - 1º centenário

Portaria do Conde dos Arcos ao redator da Gazeta da Bahia – Idade D’ouro

Catalogo geral dos jornais, revistas e outras publicações periodicas, 1811

Dados estatísticos

Indice onomastico dos jornaes

Centenario

presidencia do Cons. Carneiro da Rochia Discurso do Sr. Consº . 1º Secretario Discurso do Dr. Octavio Mangabeira. Discurso do Dr. Theodulo dos Prazeres

Discurso do Dr. Araujo Pin

organizado pelos

Cons . João N. Torres e Dr. Alfredo de Carvalho,

sessão

commemorativa

no

Instituto

3 a 26

27 a 278 279 a 284 285 a 302 Historico 47 a 54 57 a 71 73 a 86 87 a 95 97 a 100

da

imprensa

da

Bahia,

4 .3 - Coisas da Bahia, Vol VIII, ano?

Resumo histórico do convento do Carmo de Cachoeira

1

Imissão de posse de imóveis nos tempos coloniais

27

A

Bahia atualidade e futuro (Tem algo sobre Jacobina)

35

Documentos no Arquivo do Instituto

61

Museu do Instituto relíquias dos séculos XVII e XVIII, três inscrições celébres

87

O motim do “maneta” na Bahia

101

Em torno do castelo de Garcia d’Vila (importante)

111

Costumes monasticos na Bahia freiras e recolhidos

139

Revolta dos farrapos

155

O Brasil religioso

209

A conspiração republicana da Bahia de 1798

257

Riqueza do Brasil em madeiras de construção e carpintaria

325

Em torno do hospício do palma

367

A historia e geografia da Bahia na Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro

378

A

Cemiterada

409

Colonização na Bahia

415

Execuções capitaes na Bahia (desde os tempos coloniais)

421

Motim da carne sem osso e farinha sem caroço, ou sedição dos chinelos, ou ainda das

 

pedras

431

Bandeiras gloriosas, relíquias da Bahia, pelo engenheiro Silio Boccaneira Júnior

437

A

catedral basilica um pouco de historia sobre o nosso primeiro templo

451

4. 4 - Coisas da Bahia, Vol IX, s.d. Revista do Instituto Geographico e Historico da Bahia Anno XVIII, 1911,

N 37 - A Bahia colonial, capitulo II

Conferencia do Dr. Braz do Amaral no Instituto Historico Brasileiro 86 a 144 Recordações Patrióticas 1821 1822, por Antonio Pereira Rebouças 455 a 506 Discurso proferido pelo Dr. José Wanderley de Araújo Pinho na sessão solenne realisada no Conselho Municipal de Santo Amaro, a 14 de junho de 1922, para

4 a 45

solemnisar

Independencia

Cachoeira e a independencia - discurso official pronunciado pelo Prof. Bernardino José de Souza, Secretario Perpetuo do Instituto Geographico e Historico da Bahia, na Sessão

solenne do Conselho Municipal de Cachoeira, em 25 de junho de 1922

Noticia historica sobre o 2 de julho de 1823 e sua commemoração na Bahia, Por Manoel

Querino

2 de julho de 1823 conferencia realisada pelo Dr. Afranio Peixoto, presidente da

Academia Brasileira de Letras, no Instituto Historico e Geographico, aos 2 de julho de

participação da villa de S. Amaro na campanha da 1 a 60

o

inicio

da

61 a 75

77 a 105

107 a 127 - Os encourados do Pedrão e o Padre Brayner,

Guerra da independencia na Bahia

trabalho lido no Instituto Geographico e Historico da Bahia, em sua sessão de 21 de

outubro de 1823

Extintas capellas da cidade do Salvador<<communicação do consocio J. Teixeira

Barros>>

Os pescadores na guerra da Independencia - Documentos colhidos por Xavier Marques

559 a 573 Tombamento dos prédios arrendados ou devolutos situados no Sertão do Rio Pardo

pertencentes á casa do Conde da Ponte, copia extrahida do Livro do

que

em

a mando do Instituto

Tombo (original)

1823

373 a 418

333 a 352

se

encontra

na

cidade

Espinosa,

Minas

Geraes,

Geographico e Historico da Bahia, em 1928 As reliquias do Padre Anchieta

431 a 485 101 a 110

4.5 - Coisas da Bahia, Vol XI, s.d.

Fr. Mathias Teves. O.F. M. A Egreja de S. Francisco da Bahia, Bahia: Imprensa official do Estado, 1926.

A Igreja de São Francisco da Bahia

Ligeiros traços Biographicos dos Bispos e Arcebispos da Bahia até o anno de 1891 pelo

P° Christiano Alberto Muller, Bahia: Typ de S. Francisco, 1915

Um enterro dos outros tempos a morte do Marquez de Lavradio, communicação do

Consocio Luiz Vianna Filho

3 a 17

1 a 23

527 a 532

A Bahia em 1847 Duas cartas do Sr. Forth Rouen, enviado e encarregado dos

negocios da França na China

Relatorio apresentado do secretario da agricultura, industria, comercio, viação e obras publicas pelo Engº civil Mario Carquinio encarregado de reunir os elementos esparsos

para a organização de um mapa do Estado, Bahia, 1931 551 a 566 Apresentação e discussão de Theses de historia da Bahia - rápida justificação 665 a 676

A independencia na Bahia conferencia feita na sessão Magna do dia 2 de julho no

Instituto Geographico e Historico da Bahia, pelo coronel Alvaro de Alencastre

Do Archivo do Instituto carta escripta na Bahia, em12 de agosto de 1851, pelo conego Dr. Antonio Joaquim das Mercês(1) compadre Mestre Amaral a respeito dos Primeiros Professores de Philosofia da Bahia, Alagôas e Parahiba 81 a 92 Copia do recurso, e addendo ao mesmo, que ás soberanas cortes de Portugal dirigem mil e cincoenta e dois constitucionaes da notável e sempre fiel cidade da Bahia por seu emissario o cidadão Francisco Mendes da Silva Figueiro, Lisboa: Na Typogr. de

Antonio Rodrigues Galhardo, 1822 Comemoração da magna data bahiana 2 de julho de 1932

Migrações étnicas no Nordeste brasileiro Estudo antropogeografico por Otto Quelle

351 a 363

O escudo de Porto Seguro Trechos de um estudo sobre <<Heraldica Municipal

Brasileira>>, do Dr. Affonso de E. Taunay, publicado no <<jornal do comercio>>,

edição de 10 de abril de 1932

A conspiração dos Busios Artigos publicados no J. do Brasil de 16 e 17 de abril de

1932, por Viriato Corrêa Santa Catharina Furtado e o Diccionario de intellectuais bahianos

Dr. Fabio Luz, por intermedio do consocio Affonso Costa, Rio 20 de janeiro de 1929

387 a 395

369 a 385 - communicação do

533 a 547

3 a 24

295 a 317 335 a 350

365 a 367

O centenario medico de 1932 Faz cem annos foram transformados em Faculdades de Medicina os collegios Medico Cirurgicos do Brasil, Bahia outubro de 1932 443 a 453 Borges dos Reis. A batalha de Tuyuty (24 de maio de 1866), conferencia realisada no

Instituto Geographico e Historico da Bahia a 24 de maio de 1919 oração official, Reis

& Comp. Bahia Brasil

Mario Ferreira Barboza. A prosperidade econômica da Bahia, Salvador: Imprensa

3 a 13

A

Bahia através cem annos, Bahia julho de 1923 40 a 59

Directoria Geral de estatistica. A Bahia e a sua riqueza econômica por Mario Ferreira

Barboza, Director Geral

Directoria Geral de Estatistica e do Bem Estar Público do Estado da Bahia (Brasil),

informações

Imprensa official do Estado, 1929

Comentário: contém dados estatísticos sobre os produtos importados e exportados do Brasil de 1913 a 1927.

O estado da Bahia o seu valor e as suas possibilidades de economicas - Bachavel mria

Ferreira Barboza inspetor de industria commercio e estatistica do Estado, Imprensa

Official do Estado, 1931

Sumário: Dados específicos sobre a população do estado da Bahia entre 1920 e 1927 e

sobre o movimento de importação e exportação da Bahia em 1927 Noticia Historica e informações do Estado da Bahia, Imprensa Oficial do Estado da

Bahia, 1932

Sumário: Importantes dados estatísticos sobre estado da Bahia; Sobre o número da

população

importação e exportação da Bahia pelo porto da capital em 1931; Rede ferroviária, em

referência a cidade de Jacobina; Sobre

estatisticas Bahia - Brasil, Director Geral B. EL Mario Ferreira Barboza,

1 a 17

1 a 6

3 a 17

5 a 43

da

Bahia

em

1932,

fazendo

tráfego, no Estado da Bahia, em 31 de dezembro de 1931; faz referência ao ramal de Bonfim à França.

Comentário: Este volume contém um recorte de jornal com o título: “Um preito de admiração ao nosso passado de cultura artística - o que representam de valor cultural

as obras do convento franciscano de salvador - como fallam daquelle thesouro os deputados Braz do Amaral e Homero Pires”.

4.6 - Coisas da Bahia, Vol XIV, s.d.

A

Bahia seus monumentos memoria escrita pelo Prof .Pedro Celestino da Silva

75

I Parte - memoria do desembarque da Família Real portuguesa

79

II

Parte - Monumentos existentes no interior do estado

155

III

Parte - apêndice telas e bustos

207

Notas

251

Perfil de Pedra Branca comunicação do consócio Afonso Costa (da Academia Carioca

de

Letras)

379

Professor Dr. Manoel Vitorino Pereira

397

José Teixeira Barros - artigo publicado na “A tarde”, edição de 6.6.933 pelo Cel.

Gonçalo de Ataíde Pereira

“Pelas tradições Bahianas” (vários artigos do prof Dr. Luiz Pinto de Carvalho),

publicadas no “O imparcial”

De São Salvador, Não. Do Salvador - crônica da “gaveta de sapateiro” de Veriato

413

417

Corréa (págs 111 a 113) incompleto

73

Claudio de Souza - nosso primeiro comediógrafo

467

A historia e a geografia da Bahia na revista do Instituto Histórico e Geográfico

Brasileiro Em torno da personalidade do Prof. Jonattas Abbtt

Catalogo dos painéis a óleo lithographias, gravuras e photographias que compõem a

26 a 39 242 a 247 275 a 281 283 a 287

*(No volume VIII de coisas da Bahia contém, anotações de Afonso costa e dois recortes

de jornal-1º O “jornal” de 1835 e O “jornal” de 1836)

galeria Abbott- Bahia, 1871

A sala de Castro Alves no Instituto Geográfico e Histórico da Bahia

Agrário de Menezes, centenário de seu nascimento

A galeria dos professores falecidos (da escola normal)

57 a 67 3 a 24

4.7 - Coisas da Bahia Vol XV,ano?

Bahia epigraphica e iconographica (Resenha Histórica), por Silio Boccaneira Junior da “Academia Pernanbucana de Letras”, do “Instituto Geographico e Historico da Bahia”, etc. Bahia, 1928. Inscrições lapidare e Retratos em, Edifícios públicos - Praças e Ruas Templos catholicos Fortalezas - Theatros - Retratos diversos

Ïndice:

Edifícios Públicos

Secretaria da policia(e Gabinetes de Identificação, Investigação e capturas)

12

Secretaria da Fazenda

14

Secretaria da Agricultura (e Directoria de Terras e Minas)

15

Directoria das Rendas do Estado

18

Palacio da Acclamação

21

Paço Municipal

23

Alfandega Federal

41

Tribunal Superior de Justiça

45

Tribunal de Contas

51

Tribunal do Jury (e Fórum)

52

Juizo Federal

55

Correios

57

Praça do commercio

65

Biblioteca Pública

73

Navegação Bahiana

79

Villa Policial

87

Guarda Civil

91

Quartel dos Aflictos

94

Camara dos Deputados

95

Capitania do Porto

101

Penitenciaria

103

Elevador Lacerda

109

Caixa Economica Federal

111

Escola Aprendizes de Marinheiros

115

Archivo Público

119

Senado do Estado

133

Delegacia Fiscal

137

Quartel General da Região Militar

141

Imprensa Official do Estado

147

Quartel do Côrpo de Bombeiros

151

Campo de Experiencia e Demontração dr. Antonio Muniz

155

Praças e Ruas

Dr. Augusto Teixeira de Freitas

161

25 de junho de 1822 (Cachoeira)

175

7 de setembro de 1823 (Itaparica)

185

Ruy Barbosa

189

Praça D. Isabel

213

Rua da Barroquinha

215

Visconde do Rio Branco

217

Barão Homem de Mello

223

Dr. Francisco de Castro

225

Santos Dumont

227

Visconde do Rosário

227

Senador Nabuco de Araújo

229

Dr. Miguel Calmon

233

Dr. Alfredo Barros

235

Avenida 7 de Septembro

237

Praça Castro Alves

239

Monsenhor Theodolindo Ferreira

243

Soror Joana Angelica de Jesús

245

Rua Portugal

251

Pinto Martins e Walter Hinton

261

Gregório de Matos Guerra

265

O

primeiro raid aéreo do Rio á Bahia (Marinha de guerra Nac.)

269

Os libertários Martyres de 1798

271

O

Dia do Caixeiro

275

Dr.Manoel Victorino Pereira

279

 

Tempos cathólicos

Igreja de N.S. da Victória

297

Igreja da Graça

305

Igreja de N. S. da ajuda

325

Igreja da Sé ( e o palacio Archiepiscopal)

341

Mosteiro de S. Bento

357

Convento do Carmo

373

Igreja de S. Francisco

381

Convento de S.Francisco

384

Capella Central da Santa Casa de Misericórdia

395

Mosteiro de Santa Teresa

403

Capella de S. Antonio da Mouraria

409

Basilica do Salvador

415

Igreja do Rosario de João Pereira

431

 

Fortalezas

Forte de S. Marcello

 

435

Fortaleza de S. Antonio

441

Fortaleza do Barbalho

445

Fortaleza de S. Pedro

447

Fortaleza de S. Antonio da Barra

453

Theatros

Theatro S. João

457

Polytheama Bahiano

459

Cine Thetro Guarany

463

 

Retratos Diversos

Retratos diversos - Leis da antiga Província

467

Instituições

469

Telegrapho Nacional

470

Imprensa

470

Obras do mesmo autor

483 a 488

Braz do Amaral. Recordações Históricas, Porto: Typografia Econômica, 1921. Índice

Ao leitor

3

Um capitulo da vida da Bahia no período da Regência

5

Sedição militar de 1824

39

A

Revolução Constitucional da Bahia em 1821

69

Sobre a sabinada

74

Pelos que morreram

79

Cemiterada

84

Evacuação da Bahia pelas tropas de Portugal

89

Subterraneo do Taboão

96

Como expirou o poder hollandez no Brasil

99

Correios na Bahia

104

Sobre a data da abertura dos portos do Brasil ao commercio estrangeiro

114

Protectorado de Cromwell

119

Os conservadores no primeiro dia da Republica

126

O 24 de novembro

139

A casa da camara

143

Casa da Praça do Commercio

146

2 de julho de 1823

150

Administração do Conde dos Arcos na Bahia

158

A

Muralha ou Paredão da Agua de Meninos á Jequitaia

166

Sobre os limites da Bahia e a Carta Geographica

170

Velhos armas! Velhos Glorias!

174

Uma pagina da vida do povo Argentino

179

Como expirou a olygarquia Romana

188

Sobre cousas antigas Comentário: interessante pois fala sobre a remodelação da cidade de Salvador

201

 

1823

212

Revolução da carne ôsso e farinha sem caroço

223

Velhos defeitos, doenças chronicas

228

Outros tempos

230

Sobre o archivo publico da Bahia

232

Duas ideias praticas que podem resultar de uma reunião sicientifica

235

A

Entrada do Exercito Pacificador na Bahia

239

Respeito á Liberdade Feminina

243

Sobre as antigas freguesias da cidade de da Bahia

246

Sobre o valôr do assucar na Bahia ha 16 annos e outras cousas mais

258

A

colonização Extrangeira na Bahia

261

Inconfidencia mineira

266

Em torno da campanha contra o analphabetismo

270

Fundação da Bahia

274

Exposição sobre alguns pontos especiais do periodo colonial

277

Contribuição para o estudo das questões de que trata a these 6º da secção de Historia das Explorações Archeologicas e Ethnographicas e que tem por enunciado: <<As tribus negras importadas. Estudo ethnografico, sua distribuição regional no Brasil: Os grandes

mercados de escravos

290

O

Castelo da torre

322

4.8

Coisas da Bahia, Vol XIX, s.d.

Silva Lisboa (Visconde cayrú) por Alberto Carlos D’Araujo Guimarães Antonio Joaquim Franco Vilasco dados biográficos

683 a 764 237 a 240

Luis Câmara Cascudo-o Doutor Barata político, democrata e jornalista Bahia,1938

1 a 66

Comentário: Nesta parte dois recortes de jornal falando de Cipriano José Barata.

O patriarca da liberdade Bahiana Joaquim Inácio de sequeira Bulcão 1º Barão de

3 a 23 185 a 191 55 a 74 297 a 318 3 a 18 65 a 154

São Francisco, Bahia 1946 Castro Alves no decênio de morte Sátiro Dias Discurso pronunciado pelo Dr. Theodoro Sampaio em 1913

Primeiro Tenente- Francisco Pereira Dutra (1832-1867) Almeida Diniz, por Silício Bocaneira Junior, 1927. Coimbra Médica Ano VI, fevereiro de 1939, Nº 2

4.4 - Coisas da Bahia, Vol XX, s.d.

Carlos Brandão, sua vida e suas obras, por Gonçalo de Athaide Pereira, Bahia 1936

Um sertanejo de valor , Gonçalo de Amarante Costa, por Gonçalo de Athaide Pereira

Bahia, 1938 Dr. Aristides Cezar Spinola Zama centenário do seu nascimento Manoel Querino, palavras proferidas pelo consocio Antonio Viana

Prof. Manoel Querino, sua vida e suas obras, por Gonçalo de Athaide Pereira, Bahia

3 a 34 325 a 345 199 a 220 167 a 184 7 a 9 3 a70

Comentário: Neste volume contém um recorte de jornal falando do centenário de

1932

Dr. Thedoro Fernandes Sampaio Dr. Thedoro Fernandes Sampaio

O busto de Thedoro Sampaio

Thedoro Sampaio espirito orientado e orientador

Relembrando o velho Senado Bahiano Bahia: 1946

1 a 24 137 a 150 305 a 316

nascimento do Marechal José Sotero de Menezes.

4.9 - Coisas da Bahia, Vol XXI, s.d.

A fundação da Bahia, os antigos povoadores

As inscrições lapidares da Igreja de Nossa Senhora da Victoria na cidade do Salvador na

Bahia de Todos os Santos, por Theodoro Sampaio

Francisco Pereira Coutinho e o seu documento 79 a 100

Comentário: Ìndice escrito por Afonso Costa Geologia do Estado da Bahia (escorço), Maximo Macambyra Monte flores, Bahia

1 a 13

13 a 78

1937

5 a 70

Perfil geologico da Bahia

24

Riquezas Minerais da Bahia (escorço)

43 a 70

Comentário: Encontra se algo sobre a mineração em Jacobina Riquezas Minerais do estado da Bahia, por Antonio Joaquim de Souza Carneiro E.G.

1908

7 a 16

Comentário: trata da mineração em Jacobina e contém um mapa de trecho da Chapada

Diamantina Catalogo das riquezas minerais com mapas muito interessantes

Legislação regulando a pesquiza e a lava das jazidas de substancias minerais ou fosseis, existentes no estado da Bahia, lei nº 624 de 9 de setembro de 1905 147 a 157

17

17 a 143

 

Indice

V a VII

A

ilha da madre de Deus na Bahia de Todos os Santos

343 a 363

O

Sul da Bahia, paginas de geografia física e econômica

5 a 68

4.10 - Coisas da Bahia Vol XXIII, s.d.

José Wanderley de Araujo Pinho Testamento de Men de Sá – Separata dos “Anais” do Terceiro congresso de História Nacional (III volume), publicação do Instituto Histórico, Rio de Janeiro: Imprensa Nacional, 1941.

Testamento de Men de Sá Testamento de Men de Sá

Inventário e avaliação do Engenho de Sergipe que foi de Men de Sá

Públicas

arrendamentos de terras em Sergipe do Conde os anos de 1608, 1611, 1613, 1614 e

- formas, datadas de 1774, de escrituras de compra e venda , demarcações e

5 a 79 81 a 92 93 a 113

1618

115 a 141

Extrato de dois volumes de autos judiciais de Ilhéus com o inventário e avaliação do engenho de Santana, que foi de Men de Sá no ano de 1810, e outro inventário e avaliação das terras bemfeitorias introduzidas no mesmo engenho pelo Brigadeiro

Felisberto Caldeira Brant Pontes, ano de 1822 (14)

De Opificio sacchari emversos Hexamatros por prudencio do Amaral e respectiva

traducção

em versos soltos por João Gualberto Ferreira dos Santos Reis com ligeira introducção de Christianamúller.

Introdução

Poesias de João Gualberto dos Santos Reis .Tomo III na Typographia Imperial e

Nacional, anno de1830 Ministério das relações

funcionários da antiga Repartição dos Negócios Estrangeiros

Relações Exteriores e menbros do extinto Conselho de Estado (1808 1939), Rio de j

Janeiro: imprensa Nacional, 1939

1 a 48

- depois Ministério das

24 a 73 Ministros e altos

143 a 161

3 a 13

exteriores, secção de publicações 2

Academia de Letras da Bahia Recepção do Padre Manoel de Aquino Barbosa, em 22 de junho de 1940 A saudação do academico Dr. Magalhães Netto e o discurso do

5 a 13 17 a 62

Academia de Letras da Bahia - Discursos pronunciados na sessão solenne de posse na Academia Edith Mendes da Gama e Abreu, em9 de novembro de 1938, separata da

“Revista de Letras da Bahia”, Bahia: Imprensa oficial, 1941

recipiendario, Bahia,1940 Discurso do Padre Manoel de Aquino Barbosa

149 a 182

4.11 - Coisas da Bahia, Vol XXIV, Salvador, 1937.

Memória Histórica do ensino secundário official na Bahia durante o primeiro século 1837 1937, por Gelasio de Abreu Farias e Francisco da Conceição Menezes

4.12 Coisas da Bahia, Vol. XXVI, s.d.

Publicações do Museu da Bahia, nº 2. tempo antigo, João da Silva Campos, 1942. Crônicas D’Antanho

Bruxas de alto coturno

11

Procurava para si

15

Aventuras da nau “São Francisco”

23

A carraca “Nossa Senhora de Jesus”

27

O

lendario Bangâla

32

Potius mori

37

Piratas do mar que se entendiam com piratas de terra

44

Não há regra sem exceção

47

Famoso missionário do Amazonia na Bahia

50

A

Bahia na Batalha naval do cabo de Matapã

54

São brancos, lá se entendem

58

Amor sacrílego

62

Pelo rei, pela lei e pela grei

66

O

sonho de Paraguassú

79

Fundação da Igreja Paroquial de Brotas

85

Aquele sobrado da avenida sete

93

A casa dos sete candieiros

98

A casa das sete mortes

105

Rua do passo, ou paço?

108

Santo Antonio da Velha Bárbara

111

O menino Deus de Nossa senhora do Carmo da Ordem Terceira

114

A capelinha de Nossa Senhora dos Mares da lagoa

118

Aguas que cantam, pedras que falam

122

Santo Amaro de Ipitinga

131

São José do Genipapo Historias do recôncavo

139

O

tesouro jesuítico da Barra Grande

147

Artes do capiroto

152

Já morreu. Não lhe disse?

155

A capela do engenho Passagem

159

A corrente do tanque de bomba

163

Sacristão de sangue real

166

O

misterioso Pilão de Pouco ponto

170

De como o tinhoso desfechou tão violenta patada num templo, que o deixou penso

175

Barroca

179

Tal pai, tal filho

182

O

homem que tirou ventura com o diabo

185

Notas

189

Comentário: Contém índice escrito de Afonso Costa. A voz dos Companarios Bahianos por J. da Silva Campos, pág 181 a 279, extraído do volume 24 dos Anais do Arquivo

Público da Bahia-1935.

4.13 - Coisas da Bahia, Vol XXVIII, s.d.

Sumário: Memória Histórica sobre as victorias alcançadas pelos Itaparicanos no decurso da campanha Bahia, quando o Brasil proclamou a sua independência, por

Bernardino Ferreira Nobrega Bahia reedição feita pelo Dr. Pirajá da Silva, Bahia 1923.1 a 172

Índice Mapa demonstrativo Notas do Dr. Pirajá da Silva O Marechal Labatut na Grã Colômbia

Índice Mapa demonstrativo Notas do Dr. Pirajá da Silva O Marechal Labatut na Grã – Colômbia
Índice Mapa demonstrativo Notas do Dr. Pirajá da Silva O Marechal Labatut na Grã – Colômbia

173 a 174

175

I a LXX 367 a 379

Diário do capelão da esquadra imperial comandada por Lord Cochrane, Frei Manoel

Moreira da Paixão e Dores (1º de abril a 9 de novembro de 1823) A causa do “2 de julho” (discurso á Bahia) pelo confrade Afrânio Peixoto Frei Raimundo Nonato da Madre de Deus Pontes Oração Fúnebre pelas vítimas da guerra do Paraguai

Discurso de Frei Raimundo Nonato da Madre de Deus Pontes pelas vitórias sobre a

Republica do Paraguai

Defesa do General Labatut sobre a sua conduta enquanto comandou o exercito

1 a 130

pacificador ad Bahia, Rio de Janeiro, 1824

1 a 85 192 a 208 290 a 293 294 a 299

300 a 310

4.14 - Coisas da Bahia, Vol XXIX, s.d.

41 a 47

Historia da independência na Bahia, elaborada para a comemoração do seu primeiro

1 a 509 independencia 1 a 28

Cerimonia

Primordios da independencia

centenário, por Braz do Amaral, Bahia: 1923

Batismal

do

avião

Visconde

brasileira, Rio de Janeiro 1947

de

Pirajá,

a

epopéia

da

4.15- Coisas da Bahia, Vol XXX, s.d.

Arquivo da faculdade de Medicina da Bahia 1916, por Anselmo Pires de Albuquerque Bahia, 1917

4.16 - Coisas da Bahia, Vol XXXI, s.d.

Memória Histórica da Faculdade de Medicina da Bahia, relativa a ano 1924, pelo Dr. Gonçalo Moniz Sodré de Aragão Bahia, 1940

Índice -

Esboço histórico dos acontecimentos mais importantes da vida da Faculdade de

Medicina da Bahia (1808 1946), por Octavio Torres 1946 Índice Índice de fotografias Comentário: Neste volume há um recorte de jornal

I e II

1 a 121 I II a III

4.17 Coisas da Bahia, Vol XXXV, s.d.

Resenha Histórica da Bahia, Braz do Amaral, Governadores e Bispos do Brasil, o Brasil no congresso de Viena, os jesuítas na Bahia, Bahia:1941

Resenha Histórica da Bahia

3

Governadores e Bispos do Brasil

83

O

Brasil no congresso de Viena

141

Os jesuítas na Bahia

163

Fatos da nossa independencia

189

Ação da Bahia na obra da independência

203

Comentário: há referências sobre a estrada de ferro central da Bahia (pg. 67), sobre a Torre de Garcia de Avila (pgs. 107 e 108)

4.18 - Coisas da Bahia, Vol XXXVI, s.d.

Revista trimensal do instituto Histórico, Geográfico e Ethnographico do Brasil, A academia brasílica dos esquecidos, 3º trimestre de 1868, pelo Doutor J. C Fernandes

1 a 215

pinheiro

Estatutos da academia dos academicos renascidos, estabelecida na cidade do Salvador,

Bahia de Todos os Santos

A academia brasílica dos renascidos, estudo histórico e literário (V)

33 a 51 53 a 77

A academia brasílica dos renascidos, sua fundação e trabalhos inéditos, por Alberto

Lamego, 1923

Preliminares para os estatutos da real sociedade Bahiense dos homens de letras, por

Luiz Antonio de Oliveira Mendes

81 a 196

197 a 215

Comentário: “Este volume contem um recorte de jornal com o titulo “instituições

culturais do Brasil colonial, o desenho de uma planta da fortaleza de S. Antonio, na ilha

dos Notones e notas de partituras”. [ Afonso Costa]

4.19 - Coisas da Bahia, Vol XLI, s.d.

Reminicencias da vida Academica, Chronicas publicadas no “Brasil medico” pelo Dr.

1 a 308

Estudo da Bahia Cabralia e Vera-cruz feitos por ordem do governador do estado, Luiz

Vianna

Bahia 1899

Henrique Guedes de Mello(1930 1932) Rio de janeiro, 1932

e

pelo

major

do

exercito

Salvador pires de Carvalho e Aragão,

1 a 104

(contém fotos e planta da Bahia Cabralia)

4.20 - Coisas da Bahia, Vol XLII, s.d.

Estudos da Bahia Cabralia e Vera - Cruz feitos por ordem do governador do Estado

Cons. Luiz Vianna e pelo major do exercito Salvador Pires de Carvalho e Aragão, Bahia

1899

Comentário: Contém algumas fotos e uma planta da Bahia Cabrália

1 a 104

4.21 - Coisas da Bahia, Vol. XLIII,s.d.

Historia da Bahia, do Império a República por Braz do Amaral, Bahia, 1923 1 a 379.

Introdução

Capitulo I Titulo I História da Bahia, do império a republica. Titulo I governo

provisório

assassinato do governador das armas. Tribunal marcial. Projectos do governo portuguez

para reconquistar a Bahia.

e

III a XVIII

effeito

de

dissolução

da

constituinte.

1

presidente.

Sedição

militar

1 - 13.

Titulo II 2 presidente. Falta de farinha e outros gêneros alimentícios. Salteadores. Receio de restauração da monarquia absoluta. Cultivo da pimenta. Visita do Imperador D. Pedro I. Questão da moeda cobre instrucção publica. Organização da policia.

14 - 33. Capitulo II Titulo I 3. Presidente. Receio de revolução restauradoria do governo absoluto. Quilombo de Abrantes. Conselho geral da Província. Exposição do estado della pelo presidente. Banditismo no sertão. Corsários. 35- 48 Titulo II revoltos servis. Moeda de cobre e seu desgaste. Assassinato do presidente Visconde de Camamu. Despesa da província em 1830. 5. presidente. Instrucção popular pág. 48 a 71. Capitulo III Titulo I Perturbações políticas e ciúme dos brasileiros contra os portugueses. 6. Presidente. Túmulos. Agitações e revoltas. 7 presidente. 73-83 Titulo II entrada das mulheres para o magistério do ensino primário. Enterros em

cemiterios. Revoluções federalistas.

Capitulo IV Titulo I Revolta dos índios. Contrabando de navios negreiros. Suspensão dos camaristas. Revolta dos malês. 8 presidente. Pharol da Barra. 9 presidente. Conselho provincial. Separação das rendas. Navegação á vapor na Bahia. Pág. 117 a 131. Capitulo V Titulo I rivalidades de famílias no alto sertão. Desordens e crimes resultantes dellas. 13. presidente creação do Lyceu provincial. Contrabando de africanos escravescidos. Lavros Diomantinas. 14. Presidente. Escassez de alimentos. Exploração do rio Mucury. Descoberta da choeira de santa clara pelo juiz de direito de Caravellas.

Colonisação do Mucury.

Titulo II desfalque na alfândega. Estrada de Valença para Minas Gerais. Desbamento de terras no Pilar. Tumultos no theatro de São João. 15. presidente. Melhoramento no fabrico de assucar. 16. presidente. Separação das rendas da província. 17, 18 e 19. presidente. Substituição do trabalho escravo pelo trabalho livre. Opiniões contrarias. Colonização do salto grande do Jequitinhonha. Navegação do rio São Francisco e do rio Pardo. Trafico do porto feito por homens livres. Tribunal do commercio da província. Pág. 164 a 169. Capitulo VI Titulo I Partidos da Bahia no Império. Obras de interesse publico e de melhoramentos na cidade. Canalização do rio das tripas para formar o leito da rua da valla. Pontes e estradas no interior da província. Epidemia de febre amarela. Navegação do recôncavo pela companhia de Bonfim. Receita e despeza da Província. Fabricas

Aldeiamento de S. Fidelies. Melhoramento do Campo

do rio São

Francisco. Seus estados. Canalização d’água na capital. 20. Presidente colonisação do território entre o rio Pardo e Jequitenhonha. Inicio da construção da estrada de ferro.

Rua da valla. Casa da providencia.

Titulo II Condenação de moedeiros falso. Tumultos theatro São João por melindre nacional. Aldeamento de índios no rio Pardo. Fundação das povoações de Catulês. Minas de ferro em coção e carvão de pedra em Camamú. Companhia de Santa-cruz para navegação de cabotagem na costa da província. O cholera Morbus! Desolação e altruísmo. Alguns valentes e nobre caracteres. Inhumações nos cemitérios. 21. Presidente. Trafico de africanos contra as leis. Pharol do Morro. Estradas para Itapicuru, Geremoabo, Joazeiro, Chique-chique, Caetité e Urubu. Ponte de Valença

Santa Isabel do Paraguassú, de Ilhéus para Conquista e de Maracás para Chapada Diamantina. Collegio de orphãos em conseqüência da peste Cholera. 22. Presidente. Tumulto do carne sem osso. Visita do Imperador. Melhoramentos no interior. pág. 192 a 217.

83- 115

153 - 164

181 - 192

Capitulo VII Titulo I Finanças da província coloniais. Tramways na capital.

Instrucção publica. Aldeamentos de índios. Estrada

de ferro da Bahia ao São Francisco. Estradas de rodagem. Navegação do rio Jequitinhonha. Receio de nova epidemia de cholera. Plantio obrigatório de cereais. Pág. 219 a 242. Titulo II Incovenientes das mudanças freqüentes da presidência. Finanças. Exportação da província em 1862 a 1863. o caso da Florida. Guerra do Paraguay. Grande malfeito por ella a prosperidade da Bahia. Canalisação do Camorogipe. Situação dos que voltaram da Guerra. Estradas. Navegação á vapor do rio São Francisco. Pág. 243 a 258. Capitulo VIII Titulo I Moléstia de canna de assucar e prejuízos dos agricultores. 31. Presidente. Parte tomada pelos capitães ingleses nas estradas de ferro e elementos de

Iluminação. Secca. Trufa

prosperidade na província. Ignácio Acciolli e castro Alves. 32. Presidente. Estrada de ferro Paraguassú. Comunicação entre a cidade alta e cidade baixa. Alagoinhas. Projecto de navegação pelo canal entre as ilhas da costa e os portos de Cayrú e Tapeorá sahindo pela Barra dos Carvalhos para chegar a Marahú. 33. Presidente secca. 34 e 35.

Presidentes.

259-273

Titulo II Primeira viagem do vapor presidente Dantas no rio São Francisco. 36. Presidente. Águas do sipó. Dificuldades financeiras resultantes da dimunuição das produtos da província por causa dos homens que mandou para a guerra do Paraguay. 37. Presidente. Lei do Ventre Livre. Fundo de emancipação. 38. Presidente. Estradas de ferro de Nazareth e Santo Amaro. 39. Presidente. Engenho centraes 40 e 41. Presidentes. A reforma eleitoral do sr. Saraiva pág. 274-304

Capitulo IX Titulo I Planos e projectos sobre a viação transways. Desordens em Chique-chique. Incremento da lavoura de cação. Estrada de ferro Santo amaro. Ponte Pedro II sobre o Paraguassú em Cachoeira e S. Felix. Propaganda republicana e abolição da escravidão. Tumulto de 15 de julho. Proclamação da republica no rio de janeiro e partida de Pedro II e de sua família para o exílio. 305 - 318 Titulo II A republica na Bahia. Attitude do presidente Almeida Couto. Idéias de reação a monarchica. Reunião no palácio do Governo. Sessão da Câmara Municipal. Nomeação do Dr. Manuel Victoriano para governador do novo Estado. Relutância

, comandante do 16 batalhão de infantaria. Proclamação da republica no forte de São Pedro, quartel do batalhão de infantaria 16. Dr Virgilio Damásio. Sua posse confirmação de Manuel Victoriano. Pág 319 a 344.

Capitulo X Titulo I Administração do Sr. Manuel Victoriano. Adminstração do Marechal Hermes. Administração do Sr. José Gonçalves. A constituinte. O Sr José Gonçalves primeiro governador eleito do congresso. 345 a 360 Titulo II Resolução de 24 de novembro de 1891 e deposição do governador José Gonçalves. Adminstração do governador interino Secal Ferreira. Eleição do Sr. Rodrigues Lima. Sua Administração. Acto arbitrário no senado com o apoio do governador. Conseqüências deste mau precedente. O governador Luiz Vianna. Sua administração. Guerra de canudos. Erra do governo em fazel-o transformando em questão política o que nunca deveria ter passado de um incidente resultante de crenças religiosas. Tristes episódios da companhia. Horroroso fim da luta. Firmesa do governador. Seu sentimento da dignidade do cargo. Secca de 1899 e suas

conseqüências.

deste. Ameaças dos monarchistas aos republicanos. Atitude do coronel

360- 379

Comentário: este volume é muito importante, pois aborda vários assuntos referentes à História de Jacobina

Coisas da Bahia Vol. XLIII

Historia da Bahia, do Império a República por Braz do Amaral, Bahia, 1923. pág. 1 a

379.

Introdução III a XVIII Capitulo I Titulo I História da Bahia, do império a republica. Titulo I governo provisório effeito de dissolução da constituinte. 1 presidente. Sedição militar. Assassinato do governador das armas. Tribunal marcial. Projectos do governo portuguez para reconquistar a Bahia. Pág. 1 a 13. Titulo II 2 presidente. Falta de farinha e outros

gêneros alimentícios. Salteadores. Receio de restauração da monarquia absoluta. Cultivo da pimenta. Visita do Imperador D. Pedro I. Questão da moeda cobre instrucção publica. Organização da policia. Pág. 14 a 33. Capitulo II Titulo I 3. Presidente. Receio de revolução restauradoria do governo absoluto. Quilombo de Abrantes. Conselho geral da Província. Exposição do estado della pelo presidente. Banditismo no sertão. Corsários. Pág 35 a 48. Titulo II revoltos servis. Moeda de cobre e seu desgaste. Assassinato do presidente Visconde de Camamu. Despesa da província em 1830. 5. presidente. Instrucção popular pág. 48 a 71. Capitulo III Titulo I Perturbações políticas e ciúme dos brasileiros contra os portugueses. 6. Presidente. Túmulos. Agitações e revoltas. 7 presidente. Pág 73 a 83. Titulo II entrada das mulheres para o magistério do ensino primário. Enterros em cemiterios. Revoluções federalistas. pág. 83 a 115. Capitulo IV Titulo I Revolta dos índios. Contrabando de navios negreiros. Suspensão dos camaristas. Revolta dos males. 8 presidente. Pharol da Barra. 9 presidente. Conselho provincial. Separação das rendas. Navegação á vapor na Bahia. Pág. 117 a 131. Capitulo V Titulo I rivalidades de famílias no alto sertão. Desordens e crimes resultantes dellas. 13. presidente creação do Lyceu provincial. Contrabando de africanos escravescidos. Lavros Diomantinas. 14. Presidente. Escassez de alimentos. Exploração do rio Mucury. Descoberta da choeira de santa clara pelo juiz de direito de Caravellas. Colonisação do Mucury. Pág. 153 a 164. Titulo II desfalque na alfândega. Estrada de Valença para Minas Gerais. Desbamento de terras no Pilar. Tumultos no theatro de São João. 15. presidente. Melhoramento no fabrico de assucar. 16. presidente. Separação das rendas da província. 17, 18 e 19. presidente. Substituição do trabalho escravo pelo trabalho livre. Opiniões contrarias. Colonização do salto grande do Jequitinhonha. Navegação do rio São Francisco e do rio Pardo. Trafico do porto feito por homens livres. Tribunal do commercio da província. Pág. 164 a 169. Capitulo VI Titulo I Partidos da Bahia no Império. Obras de interesse publico e de melhoramentos na cidade. Canalização do rio das tripas para formar o leito da rua da valla. Pontes e estradas no interior da província. Epidemia de febre amarela. Navegação do recôncavo pela companhia de Bonfim. Receita e despeza da Província. Fabricas

Aldeiamento de S. Fidelies. Melhoramento do Campo

do rio São

Francisco. Seus estados. Canalização d’água na capital. 20. Presidente colonisação do território entre o rio Pardo e Jequitenhonha. Inicio da construção da estrada de ferro. Rua da valla. Casa da providencia. Pág 181 a 192. Titulo II Condenação de moedeiros falso. Tumultos theatro São João por melindre nacional. Aldeamento de índios no rio Pardo. Fundação das povoações de Catulês. Minas de ferro em coção e carvão de pedra em Camamú. Companhia de Santa-cruz para navegação de cabotagem

na costa da província. O cholera Morbus! Desolação e altruísmo. Alguns valentes e nobre caracteres. Inhumações nos cemitérios. 21. Presidente. Trafico de africanos contra as leis. Pharol do Morro. Estradas para Itapicuru, Geremoabo, Joazeiro, Chique-chique,

Santa Isabel do Paraguassú, de

Ilhéus para Conquista e de Maracás para Chapada Diamantina. Collegio de orphãos em conseqüência da peste Cholera. 22. Presidente. Tumulto do carne sem osso. Visita do Imperador. Melhoramentos no interior. pág. 192 a 217.

Capitulo VII Titulo I Finanças da província coloniais. Tramways na capital.

Instrucção publica. Aldeamentos de

índios. Estrada de ferro da Bahia ao São Francisco. Estradas de rodagem. Navegação do rio Jequitinhonha. Receio de nova epidemia de cholera. Plantio obrigatório de cereais.

Pág. 219 a 242. Titulo II Incovenientes das mudanças freqüentes da presidência. Finanças. Exportação da província em 1862 a 1863. o caso da Florida. Guerra do Paraguay. Grande malfeito por ella a prosperidade da Bahia. Canalisação do Camorogipe. Situação dos que voltaram da Guerra. Estradas. Navegação á vapor do rio São Francisco. Pág. 243 a 258. Capitulo VIII Titulo I Moléstia de canna de assucar e prejuízos dos agricultores. 31. Presidente. Parte tomada pelos capitães ingleses nas estradas de ferro e elementos de prosperidade na província. Ignácio Acciolli e castro Alves. 32. Presidente. Estrada de ferro Paraguassú. Comunicação entre a cidade alta e cidade baixa. Alagoinhas. Projecto de navegação pelo canal entre as ilhas da costa e os portos de Cayrú e Tapeorá sahindo pela Barra dos Carvalhos para chegar a Marahú. 33. Presidente secca. 34 e 35. Presidentes. Pág. 259 a 273. Titulo II Primeira viagem do vapor presidente Dantas no rio São Francisco. 36. Presidente. Águas do sipó. Dificuldades financeiras resultantes da dimunuição das produtos da província por causa dos homens que mandou para a guerra do Paraguay. 37. Presidente. Lei do Ventre Livre. Fundo de emancipação. 38. Presidente. Estradas de ferro de Nazareth e Santo Amaro. 39. Presidente. Engenho centraes 40 e 41. Presidentes. A reforma eleitoral do sr. Saraiva pág. 274 a 304. Capitulo IX Titulo I Planos e projectos sobre a viação transways. Desordens em Chique-chique. Incremento da lavoura de cação. Estrada de ferro Santo amaro. Ponte Pedro II sobre o Paraguassú em Cachoeira e S. Felix. Propaganda republicana e abolição da escravidão. Tumulto de 15 de julho. Proclamação da republica no rio de janeiro e partida de Pedro II e de sua família para o exílio. Pág. 305 a 318. Titulo II A republica na Bahia. Attitude do presidente Almeida Couto. Idéias de reação a monarchica. Reunião no palácio do Governo. Sessão da Câmara Municipal. Nomeação do Dr. Manuel Victoriano para governador do novo Estado. Relutância deste. Ameaças

, comandante do 16

batalhão de infantaria. Proclamação da republica no forte de São Pedro, quartel do batalhão de infantaria 16. Dr Virgilio Damásio. Sua posse confirmação de Manuel Victoriano. Pág 319 a 344. Capitulo X Titulo I Administração do Sr. Manuel Victoriano. Adminstração do Marechal Hermes. Administração do Sr. José Gonçalves. A constituinte. O Sr José Gonçalves primeiro governador eleito do congresso. Pág. 345 a 360. Titulo II Resolução de 24 de novembro de 1891 e deposição do governador José Gonçalves. Adminstração do governador interino Secal Ferreira. Eleição do Sr. Rodrigues Lima. Sua Administração. Acto arbitrário no senado com o apoio do governador. Conseqüências deste mau precedente. O governador Luiz Vianna. Sua administração. Guerra de canudos. Erra do governo em fazel-o transformando em questão política o que nunca deveria ter passado de um incidente resultante de crenças religiosas. Tristes

Caetité e Urubu. Ponte de Valença

Iluminação. Secca. Trufa

dos monarchistas aos republicanos. Atitude do coronel

episódios da companhia. Horroroso fim da luta. Firmesa do governador. Seu sentimento

da dignidade do cargo. Secca de 1899 e suas conseqüências. Pág 360 a 379 4 .

4.22 - Coisas da Bahia, Vol LII

Tradições Bahianas, narrativas feitas pelo confrade João da Silva Campos

357 a 557

Tradições do Sul da Bahia pelo confrade Enu. da Silva Campos

193 a 255

I - Patrão do diabo

193

II - Nossa Senhora da Luz

197

III - Heroísmo espartano

203

IV O primeiro Rei do Brasil

208

V A Fonte Miraculosa

214

VI

Santo Antonio de Caravelas

218

VII Historia de Trancoso

224

VIII A Fazenda da Volta do Saco

226

IX

O Padroeiro de Alcabaça

231

X-

O caixão de sete chaves

235

XI

- A Fonte de Bedengo

240

XII O Tesouro da Ilha Redonda

245

XIII Lendas de velha Boipeba

251

Tradições Bahianas, narrativas feitas pelo confrade João da Silva Campos. pág. 357 a

557

Tradições do sul da Bahia pelo Confrade

Índice

I Patrão do Diabo. pág. 193. II Nossa Senhora da Luz. pág. 197. III Heroísmo

espartano. pág. 203. IV - O primeiro Rei do Brasil. pág. 208. V A fonte Miraculosa. pág. 214. VI Santo Antonio de Caravelas pág. 218. VII Historia de Trancoso. pág.

da Silva Campos. pág. 193 a 255.

224.

VIII A fazenda de volta do saco. pág. 226. IX O padroeiro de Alcobaça. pág.

231.

X O caixão de sete covas. pág. 235. XI A fonte de Bendegó pág. 240. XII O

tesouro da ilha redonda. pág. 245. XII lendas de velha boi peba. pág. 251.

4.23 - Coisas da Bahia, Vol LIII

4 Este volume faz-se importe, pois, aborda vários assuntos referentes à cidade de Jacobina.

Anais do primeiro congresso de Historia da Bahia II volume Bahia,1950 Ìndice abreviado dos documentos do século XVII do Arquivo Historico Colonial de

Lisboa por Luiza da Fonseca

Para a História dos Àvilas da Bahia por Eduardo Dias 355 a 387

Comentário: Importante documento para o estudo sobre a família Ávila Relações da África Portuguesa com a Bahia, Dr. Luis Silveira 389 a 407

Subsídio para História da cidade da Bahia por Luiza da Fonseca

A situação da Bahia na primeira década da restauração, os “Judas do Brasil” – Hernani

cidade

Navegação entre Portugal e a Bahia de 1801 a 1808 por Maria Izabel de Albuquerque 465 a 474 Documentos de interesse Biográfico para a Bahia copiados do Arquivo Colonial séculos XVI e XVII(Lisboa) Maria Izabel de Albuquerque 475 a 489 Liberdade e limitação dos engenhos D`açúcar Maria Izabel de Albuquerque 491 a 499

7 a 353

409 a 454

455 a 464

4.24 - Coisas da Bahia, Vol LVII, s.d.

Alberto Silva Gloria e sofrimentos de Castro Alves - Primeiro premio no concurso da Academia de Letras da Bahia 1947, Imprensa Oficial do Estado,Salvador - Bahia 9 a 61 Carlos Chiacchio Paginário de Roberto Correa com introdução Biocritica Edições Ala, Bahia, 1945. Paginário de escritores, artistas e poetas idéias para um novo gênero no campo da

crítica I Biocritica de Roberto Correa 1876 1941 II Paginário de Roberto Correa 1903 1941

Visconde de Itaparica - Marechal de Campo Alexandre Gomes de Argolo Ferrão 3 a 14 Maria Quitéria, heroina da independência da Bahia (Algumas apreciações sôbre a

heroína Maria Quitéria de Jesus Medeiros), contribuição da Imprensa Oficial da Bahia às comemorações do 2 de j