O modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias e operacionalização (Conclusão

)

Como segunda actividade desta semana foi-nos proposto que fizéssemos o levantamento de referências relativas às bibliotecas escolares existentes nos relatórios finais de avaliação elaborados pela IGE e os analisássemos e fizéssemos um comentário crítico. A ssim escolhi o relatório de 3 escolas de locais distintos do país e elaborei um quadro com as referencias que encontrei nesses relatórios que serão posteriormente analisados e comentados. Escolhi 2 Agrupamentos de Escola e uma Escola Secundária que contam em título da tabela.

IGE

Agrupamento de Escolas e Jardins-de-infância de Ribamar (2007/2008)
A EB1 de Ribamar tem uma biblioteca integrada na Rede de Bibliotecas Escolares (única no Concelho)… A Biblioteca Escolar/Centro de Recursos (BE/CRE) está integrada na Rede de Bibliotecas Escolares.

Escola Secundária Poeta António Aleixo Portimão (2006/2007)
… existem outros espaços de apoio: auditório, Biblioteca Escolar/Centro de Recursos (BE/CRE)

Agrupamento de Escolas Professor Agostinho da Silva Casal de Cambra (2006/2007)
Os Centros de Recursos Educativos (CRE), um na escola sede e outro na EB1/JI, revelam-se adequados, embora careçam, ainda, de livros apropriados aos trabalhos a desenvolver pelas crianças nomeadamente as do 1º Ciclo.

Caracterização do Agrupamento/ Escola

Conclusão da avaliação por domínio 1. Resultados 2. A prestação do serviço educativo 3. A organização e gestão escolar 4. Liderança 5. Capacidade de autoregulação e progresso da escola Maria José Godinho Página 1

O modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias e operacionalização (Conclusão)

Avaliação por factor 1.1 Sucesso académico 1.2 Valorização dos saberes e da aprendizagem 1.3 Comportamento e disciplina

O procedimento habitual em caso de indisciplina é o encaminhamento para a biblioteca com uma tarefa específica, sendo apoiados, geralmente, por um dos professores que se encontra em tempo não lectivo.

1.4 Participação e desenvolvimento cívico 2.1 Articulação e sequencialidade 2.2 Diferenciação e apoios 2.3 Abrangência do currículo

O Órgão de Gestão candidatou-se a projectos como o dos computadores portáteis (CRIE) ou o da BE/CRE apetrechada pela Rede Nacional das Bibliotecas Escolares que oferece diversas possibilidades aos alunos, tais como realizarem trabalhos, requisitarem livros e fazerem pesquisas na Internet. Numa das escolas do 1º CEB, existe também uma BE/CRE … o que permite desenvolver actividades de promoção da leitura… Os alunos têm acesso aos equipamentos informáticos, …,

… as actividades desenvolvidas com a comunidade, no âmbito da Rede Nacional de Bibliotecas (Concursos de Poesia e de Fotografia, Feira do Livro, sessões de sensibilização para a Música, exposições, entre outras), são também contributos para tornar a Escola um verdadeiro espaço cultural e formativo.

Maria José Godinho

Página 2

O modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias e operacionalização (Conclusão)

podendo utilizar alguns computadores na Biblioteca, para acesso à Internet. 2.4 Oportunidades de aprendizagem 2.5 Equidade e justiça 2.6 Articulação com as famílias 2.7 Valorização e impacto das aprendizagens na educação escolar 3.1 Concepção, planeamento e desenvolvimento da actividade 3.2 Gestão dos recursos humanos 3.3 Qualidade e acessibilidade dos recursos

O trabalho na BE/CRE é atribuído a uma AAE com formação especializada. Alguns espaços de EB2,3 têm sido alvo de adaptações e apetrechamento, nomeadamente a BE/CRE…

A escola sede dispõe de um Centro de Recursos e uma das escolas do 1º Ciclo tem uma sala multimédia/ centro de recursos, mas o número de retroprojectores existente é considerado insuficiente.

3.4 Ligação às famílias 4.1 Visão e estratégia 4.2 Motivação e empenho 4.3 Abertura à inovação

É de sublinhar a participação em diversos projectos, como o de Bibliotecas Escolares … promotores de novas perspectivas de aprendizagem e de aquisição de Página 3

Maria José Godinho

O modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias e operacionalização (Conclusão)

novas competências e conhecimentos. Na área das Línguas, tem também havido um trabalho importante de promoção da leitura e da escrita, através de actividades criativas, dentro e fora da sala de aula, aproveitando-se o movimento lançado pela Rede de Bibliotecas Escolares e o Plano Nacional de Leitura. 4.4 Parcerias, protocolos e projectos 5.1 Auto-avaliação 5.2 Sustentabilidade do progresso

Como podemos constatar as referências às Bibliotecas Escolares são fracas e pouco consistentes. Praticamente não é feita refe rência ao trabalho desenvolvido por estas em prol da escola ou do agrupamento de escolas. Alguns dos comentários referidos ficam-se pelas instalações escolares e pela referência à sua existência no agrupamento ou na escola. Nota-se que no relatório de 2007/2008 existem mais referências às bibliotecas escolares do que nos relatórios do ano anterior. Considero que talvez o modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares pode contribuir para a sua apreciação por parte da IGE, pois o objectivo final da auto-avaliação é a elaboração de uma síntese a ser integrada nos relatórios anuais da escola.

Maria José Godinho

Página 4

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful