Você está na página 1de 12

t-À

:.---
/3t4
./-: I
:-l: )

Na 6 BOLEï|M DOS AMTGOS DOS AÇORES / ASSOCTAçAO ECOLOGTCA ABR. / JUN. 1991

- ECOLOGIA DE ALCATIFA

- OS CAGARROS

- AQUAROFILIA
Editorial
O Direito à
inÍormação Exposição ..Efeito de Estufa>>
"orientar e criar condiçÕes para que Com o objectivo de alertar a comunidade escolar para a grande ameaça
os cidadâos se motivem e paÌlicipem ao equilÍbrio do ambiente que representa o "eÍeito de estufa", esteve em
activamente na nobre tarela & defen- exposição, nas Escolas Secundárias da Ribeira Grande e das Laranjei-
de r o patri mó n io co mu m q ue a n at u re-
ras-Ponla Delgada, um conjunto de carlazes da Embaixada dos Estados
za nos dá.
(objêcÌivo da S. RegiÕnal do Turismo € Unidos da América alusvos ao tema. Na ocasiáo, íoi distribuído um Íolheto
Ambiente) sobre o "eíeito de eslufa'. De realçar, o apoio do Grupo de Biologia da
Escola Secundária da Laranjeira e do Clube do Património Cultural e
A participaçáo dos cidadãos na d€- Ambienlal da Esmla Secundária da Ribeira Grande.
fesa do meio ambiente e da sua oua-
lidade de vida só se lornará eíicaz se
estes Íorem capazes de se agrupar
em associaçóes. Visitas de Estudo
A imporlância dessas associaçÕes
é tal que, em Abril de 1 987, a Assem-
bleia da R€oública aorovou a Leidas
Associaçóes dê DeÍesa do Ambiênte,
leique "deÍine osdireitos de participa-
ção e de intêrvênção das associa-
çÕes de doÍesa do ambiente junto da
administração central, regional e local
com vista à promoçáo do direilo a um
ambiente dê vida humano, sadio e
ecologicamente êquilibrado" e que
veio, Íinalmente, reconhecer o impor-
tante pap€l que cabe às mais dlversas
organizaçõ6s de cidadãos, dando-
lhes meios para a acção.
Para ooderem desemoenhar ca-
balmentê a sua acção pedagógica e
crÍtica as associaçõês precisam de
ter acesso a loda a inÍormação, entre
ela a oualiÍicada oblida nos trabalhos
.{ê invâcti^â^â^
As três orimeiras visitas de estudo realizadas este ano Íoram
ApesaÍde garantido pela Lei ne 1 0/
87. de 4 de Abril. o direito de consulta
muito concorridas. A primeira, compareceram cerca de quaren-
ê inÍormação junto dos órgãos da ad- ta pessoas, à segunda, cerca de trinta e, à terceira, apesar do
ministração, êntÍe nós, ainda não é estado do tempo, mais de vinte. Todos os interessados em
aceite pelo poder vigêntê.
Segundo o boletim " Factos novos-
participar nos passeios Íuturos (um por mês, até Outubro), de-
natureza". n! 88-1 1. do Conselho da verão entrar em contacto com a Associação, no Íim do respec-
Europa, a Comìssão Europeia apre- tivo mês anterior.
sentou uma Proposla de Directiva que
"dará ao público um direito de acesso
automátrco à inÍormação sobre o meio
ambiente detida oelas autoridades
Lagoas
públicas a nÍvel nacional, regional, e
local e exigirá dos Eslados rn€mbros
que publiquem relatórios regulares Aconvite do Presidente do Governo Regional dos Açores, no passado
sobre o meio ambiente. O públicoterá dia 14 de Abril uma delegação dos AMIGOS DOS AçORES paÍticipou
também o direilo de conhêcêr todos num passeio de barco na Lagoa das Furnas. Duranle o passeio, Íoi apre-
os pormenores dos projêctos senlado ao CheÍe do Governo um documento em que se solicitava, mais
públicos ou privados susceptíveis de uma vez, uma urgente ínlervenção governamental no sentido de imple-
modiÍicar o mêio ambienle, assim
menlar todas as acçÕes de caÍácler'técnico, Íormalivo e informalivo
como lodas as medidas de prot€cção
e de melhoram€nlo do meio am- tendenles a pôr cobro ao grave problemà de eutrofização das lagoas das
biente". Furnas e Sete Cidades.

L
sgg_Lgglâ-zE_A1_9âTIEL
E fino. Dá um certo jeito se puseram a pensar, a de nada, aparecem a botar
decorar o discurso político oensar... palavra metidos em bonitos
com meia dúzia de termos Não precisaram de muito fatinhos, com gravatas vis-
retirados da prateleira da
ecologia. Lá se Íoi o tempo
em que ecologista era
sinónimo de comunista, de
melancia, verde por fora
vermelho por dentro. Com a
queda do muro de Berlim,
com o processo de demo-
cratização dos paises do
Leste Europeu, foi ne-
cessário arranjar outros ar-
gumenÌos porque cada vez
menos gente se deixa iludir
por truques tão primários. tempo para descobrir uma tosas - Íloridas de preferên-
Ja nem os pardais se as- Íórmula mágica de conciliar cia - e com um perÍume de
sustam com o espantalho a ecologia com os inreres- plantas exóticas. Na ecolo-
comuntsÌa. ses dos grandes grupos gia ainda há classesl
Os rapazes que clama- económicos. Pegaram nuns Esla nova geração de eco-
vam por ar puro, águas rapazes ambiciosos com logistas - perdão de eólogos
lÍmpidas e harmonia entre o alguns conhecimentos de - está prestando um belo
Homem e as demais espé- biologia e arredores e co- contributo nas operaçóes de
cles, provaram ter razâo. A meçaram a fabricar ecolo- marketing das empresas,
força da mentira nem os gistas. Perdão: ecólogos. dos partidos políticos e dos
conseguiu derrolar. Nada de confusões, porque candidatos presidenciais.
O pior que, mesmo não ecologistas sáo os que an- Com ecologia é que é bom.
sendo comunistas, travam dam pelas ruas e nos jor- Com ecologia caça-se vo-
o desenvolvimento, oos- nais a acusar o poder político tos. Com ecologia até se
troem o progresso. Sim, e as empresas de agentes vende melhor.
porque o progresso náo se poluidores. Os ecólogos"são Sabão para máquina de
constroi com o canto dos só ciência, nada de mistu- lavar roupa ou loiça? Só bio-
passarinhos. ras. Mesmo quando sabem degradável!
Foi então que os ideólogos pouco ou não sabem nada Na publicidade para ven-
-F99!99 $-D_f 4 L_QâTjFA (continuação)

da de apartamentos em es- obra, produzida com o apoio grro, parece oem nos en-
pantosos monstros de ci- de distintos ecólogos do contros sociais, com muito
mento, as qualidades Serviço Nacional de Par- tabaco, ar condicionado e
ecológicas do sítio são re- ques o cliente Íica automa- sobre alcatifa de marca, falar
feridas com tal veemência ticamente habilitado a três do buraco na camada de
que o potencial comprador excepcionais carros, de car- ozono, nas chuvas ácidas,
Íica convencido que vai viver ro será mais Íácil Denetrar nas espécies em vias de
extinção.
Ah, o romantismo da Na-
turezal o pior são os trilhos
acidentados, a atmosÍera
húmida, o Írio, o calor, a
chuva excessiva, a lama. A
ecologia deveria lutar con-
tra estas falhas da Criação.
, Entre os ecólogos novos,
íervorosos servidores de
seus amos, profetas do sé-
culo XXl, reina grande entu-
num parque natural. na natureza virgem. Com siasmo na elaboraçáo do
E por Íalar em parque na- controlo, naturalmente, por- programa da Associação,
tural. Há bem poucos dias que os canos oferecidos pela que irá pugnar pelos verda-
ao abrir a caixa do correio respeitável editora apenas deiros interesses ecologicos
encontrei um sobrescrilo consomem gasolina sem de governantes, em-
com publicidade dum novo chumbo. presários e jovens aprendi-
livro sobre os Parques Na- Sem chumbo já se po- zes da arte política.
turais Portugueses. Até aqui dem fazer excursões com Ecologistas de AlcatiÍa
tudo normal. Só que, ao dezenas de carros para ver é como se designa a nóvel
Íolhear a propaganda verifi- os passarinhos nas áreas associação. Os seus pro-
quei com espanto, que Por- protegidas do Gerês ou da molores parecem pouco
tugal não englobaa Madei- Arrábida. Andar a pé, para preocupados com as vere-
ra e os Açores. As ilhas quê? das da ilha, que conside-
pouco interessam, o impor- Empresários e políticos es- ram uma herança de pouco
tante é que na compra da tão a curtir a ecologia. E valor da Madeira antiga, pro-
(Conclusão)
-E99!gg|AD-E-âLgârlFA
metendo, no entanto, ba- de um ano e a sua área é luzes psicadélicas, os jo-
ter-se com muita galhardia cerca de dez vezes maior vens descobrem melhor a
nos corredores do poder que a sala onde trabalham natureza. Pela Páscoa.
com vista a uma participa- na preparação das aulas quando o tempo esüver mais
ção activa nos projectos de 38 proÍessores de Inglês e propício para as saídas de
defesa do Ambiente finan- GeograÍia. campo, irão até Benidorm e
ciados pela CEE. Alguns destes proÍissio- Torremolinos.
A sede da Associação
Ecologista localiza-se na
zona turística da cidade,
num prédio que beneficiou
dum índice excepcional de
construção.
Nas escolas onde está a
b
Ir ser testada a nova exDe-
,,:,

riência pedagógica, no
âmbito da Reforma do Sis-
t tema Educativo, a A. E.
redobrará a sua atenção
com o objectivo de fornecer nais do ensino manifesta- Só os pedagogos mais an-
aos jovens sócios uma for- ram várias vezes o seu des- tiquados, aqueles que tra-
mação adequada aos no- contentamento pela falta de balham em cubículos e
vos desaÍios comunitários condiçóes de trabalho. Apos andam com os alunos pelas
em matéria de Ambiente. consultas, troca de ofícios, veredas em vez de lhes
Para atingir tal desiderato visitas de inspectores e ou- mostrar as maravilhas da
os dirigentes da A. E. terão vidores sem qualquer re- floresta de cimento, é que
ao seu dispôr instalaçóes sultado prático, chegaram não acreditam nesta nova
modernas, equipadas com à conclusáo que naquela Ecologia, na Ecologia de
soÍisticado equipamento escola piloto "todos são Alcatifa.
informático. iguais, mas há uns mais
Segundo fonte fidedigna, iguais que os outros". (Raimundo Quintal in
"Diário
numa dessas escolas-pilo- Na escola-piloto o que está de NotÍcias - MadeÍa",41111
to as obras para a sede a dar é a Ecologia de Alca- 90)
definitiva decorrem há mais tifa. No quentinho, sob as :l:::t:.tn:::i!;::::::i;:t:::t:;i;j;:ijj.t:ii.i:i:!:..!.t;llliii*l:lliijittnflJj;ií...1.i1,í.{i;ï.1.
PAISAGEM PROTEGIDA DO MONTE DA GUIA

A necessidade de se preservar conjuntos de Erica azorica (urze) Myrica Faya (Faia daterra)
Ílora de fauna e paisagem que pela intervenção Junioerus breviÍolia (Cedro das ilhas) entre
humana correm o risco de se perderem, levou outros endemismos açoreanos.
à criação da Paisagem Protegida do Monte da Na base sul do Monte Queimado é o local de
Guia, que abrange o conjunto dos Montes eleição da lpomoea stoloniÍera sendo este o
Oueimado e Guia. único local do Arquipélago onde é encontrada.
Situada a sudoeste da cidade da Horta, numa
península de inegável beleza paisagística, donde
dos seus pontos altos se disÍrutam extraor-
dinárias panorâmicas sobre a cidade, baía do
.-- lP l,''',,-

Porto Pim e as vizinhas ilhas do Pico e S. Jorge.


Nesta área de origem vulcânica, pode-se ver
a interessante cratera do Monte da Guia que
estando ligada ao mar, Íorma uma enseada de
grande beleza, com as encostas revestidas de
variadas espécies de árvores. Este Monte de
costas alcantiladas atinge uma altitude máxima
de 145 metros.
O Monte Queimado com uma altitude de 86
meÌros, contrastando Íortemente com o Monte
da Guia, pelo seu diÍerente tipo de constituiÇão
vulcânica abriga no seu lado Oeste a excelente
oraia do Porto Prim.

A Paisagem Protegìda do
Monte da Guia Íoi criada pelo
Dec. Regional 1/80/A de 31 de
Janeiro tendo em vista a con-
serva@o da Ílora e Íauna tÍPicas
dos Açores e evitar a degra-
dação da paisagem. Esta Pai-
sagem Protegida conta com
duas reservas naturais inte-
grais em que todo o acesso é
condicionado. Como zona de
loomoea stoloniÍera Ericca azorica protecção envolvente à Pai-
sagem Protegida criou-se a
Sob o aspecto botânico este coniunto tem grande valor pelas zona de Construção Condicio-
espécies que lá se encontram. naoa.
Nas encostas do Monte da Guia, principalmente no interior da
cÍalera, encoÍìlía-se a flora típica da macaronésia praticamente (extracìos de uÍn folheto editado
pela D. H. U. A. de HoÍta)
na sua íorma primitiva. Podem-se observar exemplares de
O SABUGUEIRO

No sabugueiro todas as suas partes se podem


utilizar: as Íolhas, as flores, a segunda casca,
osÍrutos eataiz.
As Íolhas, fervidas em leite, são purgantes.
Postas em cataplasmas nos Íurunculos, acele-
ram a maturação, convindo renová-las de 3 em
3 horas. O chá das Íolhas, tomado em jejum, e
adoçado com mel, é depurativo. O fumo das
Íolhas queimadas é bom para a erisipela.
As Ílores, em chá Íraco, são boas Dara
lavar os olhos. Acalma-os quando cansados e
inÍlamados. As suas propriedades galactoge-
nias são também de considerar: 5 gr. de Ílores
secas em 150 gr. de água a Íerver, tomadas
três vezes ao dia, aumentam a secreção do
leite, nas mulheres que o necessitam. Os seus
Fervendo 10 gr. de Írutos secos em 100 gr. de
eÍeitos sudoríÍeros Íazem com que se use o
água, é um óptimo relaxante, tomando um
Í chá quente nos resfriados e nas inÍlamações
copo em jejum e outro ao deitar. Os Írutos
dos bronquios. Essa propriedade torna-o útil
Írescos esmagados até dar uma colher de
nas doenças eruptivas como o sarampo, a es-
sopa de sumo, misturado com uma colher de
carlatina, etc. Fazendo um cozimento Íorte,
vinho tinto, tem sido empregado com bons re-
utiliza-se em banhos contra a gota e o reuma-
sultados na ciática, quando tomado 2 vezes ao
tismo. Uma cataplasma de Ílores molhadas em
dia.
vinagre, tira a dor de cabeça.
A 2e casca da raiz é purgante, devendo
A 2e casca dos ramos alivia grandemente
Íazer-se uma inÍusão Íraca.
as dores de queimaduras. 70 gr. por litro de
A raiz, utilizada num cozimento de 3 gÍ. por
água, Íervidas e tomadas na dose de 2 colhe-
chávena de água, aumenta a urina. É acon-
res por dia é aconselhável para o ácido úrico.
selhável contra a hidropisia.
Para a artrite, pôe-se 130 gr. num litro de vinho
Trate, pois, o velho pé de sabugueiro que
branco durante 3 ou 4 dias, Íiltrando depois, é
tem no quintal, ou arranje uma estaca para o
um bom diurético na dose de 4 copos por dia.
plantar, pois a sua presença dar-lhe-á mais es-
A tintura, em alcoó|, tem sido utilizada oara a
perança...
cistite.
O fruto, além da conhecida utilização para
CJN - Santa Maria
dar côr ao vinho, se Íôr tostado e tomado em
chá, é bom para a diarreia. O doce de baga do
sabugueiro limpa o sangue e activa os rins.
r-
ïi

Franca do CamPo
Chacina de Cagarros no llhéu de Vila
(Reserva Natural)

posiçáo
Em recente visita ao llhéu de Vila Franca como se sabe, o cagarro, devido à
de pé
doCampo (Reserva Natural desde o ano das suas patas, náo pode caminhar
Ío- e tem de arrastar-se e levantar
voô apenas
de '1983), os AMIGOS DOS AçORES
ram surpreendidos com um
macabro esPectáculo de
grande número de cagarros
mortos e Pendurados em
árvores e dezenas dos seus
buraco-ninhos violados, rePe-
tindo-se na mesma cena jun-
to de muitos destes: uma cana
ou um Pau comPrido, arma
certamente utilizada Para os
aÍugentar dos buracos"' Mui-
to perto, viam-se latas de

bebidas e muitas Penas'


O ocorrido pareceÍácil de reconstruir:
os quando dispuser de uma p!gl4 suÍiciente
cagarÍos, que chegaram aos Açores
ainda como um aeroPlano.
Íi
há poucos dias, no príncipio deste mês de Os AMIGOS DOS AÇORES condenam
Abril (para desaparecer de novo no Íim
do memente este inaceitável acto de desconhec

Outono, quando as aves novas


já estive- dos e alertam, uma vez mais, as entidade

por responsáveis pelas Reservas Naturais da R'


rem aptas a voar), Íoram já visitados
pela Educaçáo Ambiental para a nece
indivíduos sem escrúpulos, que teráo co- gião e
As sidade de se implementar, com urgência' meir
mido (?) algum e morto muitos mais"'
pelo eficazes de Íiscalizaçáo, penalização e sent
aves penduradas nas árvores terão
ao bilizaçáo da populaçáo para que evitem e d
menos em parte, aíencontrado a morte
os actos do tipo do agora dete
serem aÍugentadas dos buracos e tenta- nunciem todos
levantar, precipitadamente, voo pols' tado.
rem
A Associação portugue- pelo Núcleo de S. Miguel interesse que Íosse reali-
sa de AquaróÍilos, foiÍunda- são diversas: Desde o início zado pelas Entidades com-
da a 1 de Novembro de sensibiliza-se o iniciado para petentes um estudo sis-
1984 e além da Sede em o respeito e protecção da temático da Ílora regional
Alenquer, possui 2 Núcleos, Natureza, que é pródiga na aquática com vista à pro-
1 em Lisboa e o outro nos ilha de S.
Açores, mais precisamente Miguet.
em S. Miguel, e está filiada
na Federaçáo lbérica das
Associações Aquariófi las.
Visitam-
se ragoas
interiores
,fr Ássoc0AçÃo P@lRTtUGtjlES/,\
pte l+@uanlópluos

O Núcleo de S. Miguelda eo mar,le


APA tem por finalidaoe o cais onde
fomento e expansão do
.,ftg[[y" da aquariofilia na
Regiáo, privilegianoo
manutenção em aquário de
espécies da fauna e ílora
a
se Íaz
uma refe-
renciação
e classifi-
cação de espécimes da
lD {
Núcleo de S. Mtguel

tecção de algumas espé-


aquáticas regionais. A nível fauna e flora aquáticas com cies; algumas deveráo ser
internacional e mesmo vista a uma futura e even- endémicas e consequência
nacional, e consequência da tual necessidade da sua pro- do avaçado estrado eutróÍico
destruição e poluição dos tecção, por vezes recolhen- de alguns lagoeiros e la-
habitats naturais pelo ho- do-se exemplares, apenas goas, poderão estar amea-
mem, assiste-se a um cada os estritamente necessários
çadas e mesmo em vias de
vez maior interesse dos para observação, criaçáo e extinção.
aquariófilos, pela manuten- reprodução em aquário. Du- Mantém-se com o Aquário
ção em aquário de espé- rante estas visitas à nature_ Vasco da Gama um inter-
cies regionais, em detrimen- za, habitualmente mensais. câmbio de espécies, divul-
to das exóticas, e sobretu- trocam-se impressões so_ gando desta forma no Con-
do as mais ameaçadas, bre aquariofilia nas suas tinente Português e no Es-
reproduzindo-as e colabo_ diversas facetas, e num trangeiro os nossos bonitos
rando desta forma com as espírito aquariófi lo eÍectuam- peixes marinhos, alguns
Entidades Oficiais no repo- se análises aos meios raros e exclusivamente exis-
voamento dos habitats na- aquáticos (PH, temperatu- tentes nos mares dos Aço-
turais, após a sua recupera_ ra, dureza, nitritos (polui- res e Madeira.
ção. ção química) e potuição O Núcleo da ApA oÍerece
As Actividades paralelas orgânica. ao associado o seguinte:
à aquariologia e praticaoas Pensamos que seria de
Í.-l

- Boletins inÍormativos, - A médio ptazo,local so- lestras nas escolas que


Hobby e CientíÍicos, Pu- cial com sala de exPosi- no-lo solicitem, versando
blicados mensalmente çáo permanente, bibliote- iniciação à aquariofilia e
pelo Núcleo e trimestral- ca e sala de reunioes e sensibilizaçáo aos diver-
mente pela APA. convívio. sos ecosistemas aquáücos
- Orientação na instalação - Num espirito aquariófilo, de S. Miguel.
e manutençáo dos diÍe- pertences a gruPos de Pes- - Realizar nova exPosição
rentes tipos de aquários, quisa na área de reÍeren- de aquários em Junho
aquaterrários e lagos de ciação e classiÍicaçáo de próximo, a ter lugar em
jardim. espécies da fauna e Ílora Vila Franca do CamPo,
- Exposiçoes periódicas aquáticas regionais, com durante as Festas de S.
onde o associado Poderá vista à sua eventual ne- Joáo, exposição essa que
expôr trabalhos, esPécies cessidade de Protecçáo. deverá estar Patente ao
de aquário, terrário e aqua- - Quando da deslocação do público uma semana, de
terrário, socio ao Continente, aPoio forma a permitir a visitas
- Encontros periódicos en- por parte da APA, na visi- de escolas.
tre socios, onde se tro- ta ao Núcleo de Lisboa, - Enüo novamente em Maio
cam idéias e exPeriências Aquário Vasco da Gama, próximo à grande exPosi-
versando aquarioÍilia. €sas comerciais do ramo, ção da APA em Alenquer,
- Compra de materialPara etc. de 1 associado asortear,
aquarofilia na região e no O plano de actividades com passagem e dormida
continente com descon- para o corrente ano de 1991 a expensas do Núcleo de

tos em lojas colaborantes e para além dos menciona- S. Miguel.


da APA (ou Núcleo), con- dos é o seguinte: Náo desejamos terminar,
tra a apresentação de - Publicar uma série de ar- sem antes deixarmos aqui
cartão de sócio. tigos quinzenais num jor- expressos os nossos agra-
- Colaboraçáo com a sec- nal local, versando aqua- decimentos aos "Amigos
rioÍilia nas suas diversas dos Açores',, Pela oportuni-
ção de jornalismo da APA
(ou Núcleo), onde o sócio vertentes, artigos esses dade que nos dão de falar-
poderá apresentar artigos I visando o grande Público, mos de nós no "Vidália",
da sua autoria a Íim de se- I *rn üsta a chamar a aten- com votos de uma Profícua
colaboraçáo Íutura.
rem publicados nos Bole- | çuo de um, cada vez, maior
ti ns Hobby/Científicos. I número de pessoas Para
- Contactos e intercâmbio o nosso belo e relaxante O Secretário Geral do Núcleo de

de espécies entre asso- "hobby". S. Miguel

ciados da Regiáo e do - Realizar, e com início em Emanuel Machado


Continente. Março, uma série de Pa-
10
II ENCONTRO AMBIENTE TURISMO CAMPANHA EM DEFESA
E CULTURA DO POMBO TORCAZ

Oe 25 a 27 de Janeiro de 1991, realizou-se em No passado dia 22 de AbÍil, leve início uma cam-
Angra do Heroísmo o ll Encontro Ambiente Turismo panha em deÍesa ds Pombo Torcaz, iniciativa dos
e Cultura. Das suas conclusões, salienla-se a se- AMIGOS DOS AÇORES que contou com os apoios da
guinte: .A existência de valores extraordináÍios no Secretaria Regionaldo Turismo eAmbiente e do Insti-
Património Natural dos Açores, nomeadamente as lulo Nacional do Ambiente. O acto de lançamento da
últimas Ílorestas sub{ropicais virgens da Europa, campanha realizou-se enlre alunos da Escola
deve merecer uma atenção especial da parte da Primária da Mãe de Deus, em Ponta Delgada.
Comunidade Regional e lnternacional, considerando Todos os interessados em ajudar nesta campanha,
eslas áreas merecedoras do estatuto de Reserva da alravés da dislribuição de folhetos e aulocolantes,
BiosÍera, lal como Angra do Heroísmo meÍeceu a deverão entÍar em conlacÌo com a associacão.
inscrição na lisla do PalÍimónio Mundial da uNESco".
A convite da SRTA, os AMIGOS DOS AÇORES es-
liveÍam presentes através da associada Eduarda
Gomes.

PUBLICAçOES PARA VENDA


Assoc./ouotas em dia Outros
ESTADO ACTUAL E PERSPECTIVAS DAS
ENERGIAS RENOVÁVEIS NOS AÇORES
Francisco M. S. Botelho 1 00$00 200$00
FAUNA DO NOSO AMBIENTE (3).0 POLVO
José Contente 1 00$00 200$00
MONOGRAFIA DO PICO DA PEDRA, Gilberto Bernardo 200$00 300$00
CATALOGO DAS PLANTAS VASCULARES DOS AÇORES,
RuiTelles Palhinha 300$00 400$00
INTRODUçÃO AO ESTUDO E OBSERVAÇÃO DE AVES
Nuno Oliveira 200$00 270$00
AS FLORESTAS TROPICAIS, Charles Secreil ............ 550$00 650$00
A ENERGIA NUCLEAR DEPOIS DE CHERNOBILL,
Âminnc de Torra 600$00 700$00
GUIA ANTIMILITARISTA NA 2 200$00 250$00

Todos os pedidos deverão ssr acompanhados por cheque ou val€ postal dirigido a:
AMIGOS DOS AçORES. Aparrado 29.9500 poNTA DELGADA

ENDEREÇOS:
CORRESPON DÊNC IA: APARTADO 29
95OO PONTA DËLGADA

SEDE: Av.da Paz, 14 (Edifício da Junta de Freguesia)


Pico da Pedra
9600 RIBEIRA GRANDE
CONTACTOS TELEFÔNICOS: ü774
ffeóÍito Braga)
31820 (George Hayes)
27 245 (Gualter Cordeiro)
HUMOR

Este Boletim Íoi editado com o apoio da


Direcção Regionaldo Ambiente - SRTA