Você está na página 1de 11

Prática e Modelos da Auto-avaliação das BE

DREC - Turma 4

Sessão 3 – Apresentação do MABE no C.P.

Formanda:
Deolinda Campos

1
Agrupamento de Escolas de Pedrógão Grande
_________________________________________________________________________________

2
Biblioteca Escolar e Escola

BE – Núcleo de trabalho e aprendizagem ao serviço da Escola.


BE – oferta de serviços ligada aos planos operacionais e à visão e
objectivos da Escola, com um fim comum: o sucesso educativo dos
alunos.

Project o
AGRUPAMENTO Educativo

Sucesso
BE
educativo Projecto
B.E Curricular
Práticas

A BE e a Escola A BE, o currículo e planeamento.

3
Papel
da auto-avaliação da BE
• A auto-avaliação das BE – não constitui um fim em si mesmo, mas
uma ferramenta para o desenvolvimento. (Scott, 2002).

Avalia o trabalho da BE.

A auto-avaliação das BE
Objectivos O impacto do seu trabalho no
funcionamento global da Escola
e nas aprendizagens dos alunos.

Permite identificar as áreas de


Melhoria contínua da BE sucesso e aquelas com resultados
menores.

4
Mais-valias
da auto-avaliação da BE

 A auto-avaliação como um processo pedagógico :


 permite identificar áreas mais fortes e áreas mais fracas tendo em
vista a melhoria dos resultados.

 Auto-avaliação como um processo de gestão:


 permite ao órgão de gestão e às estruturas de gestão pedagógica
avaliar o trabalho da BE e o seu impacto na Escola e nas
aprendizagens dos alunos.

 Auto-avaliar é reflectir sobre o que estamos a fazer e perspectivar


as mudanças necessárias para a melhoria.
 A avaliação é um instrumento de melhoria da qualidade.

5
Processo e envolvimento
do Agrupamento
O processo de auto-avaliação deve enquadrar-se no contexto da escola e ter
em conta as diferentes estruturas com as quais é necessário interagir.

Líder coadjuvante; Catalisador junto


Director Professor
aglutinador de da equipa e outros
vontades e acções. Bibliotecário Agentes.

Aprova o relatório Conselho Professores Colaboram na


final e sugere Pedagógico Alunos implementação
alterações. Pais do processo.

6
Processo e envolvimento
do Agrupamento

Etapas do processo de auto-avaliação:

 Escolha do domínio a avaliar – justificada junto do


director e Conselho Pedagógico;
 Recolha de evidências;
 Gestão e interpretação da informação recolhida;
 Elaboração do relatório final;
 Gestão das evidências ao nível da escola –
divulgação dos resultados da avaliação, aprovação
do relatório final em Conselho Pedagógico.

7
O Modelo de auto-avaliação
Domínios que são objectos de avaliação:

 A. Apoio ao Desenvolvimento Curricular


A.1 Articulação curricular da BE com as estruturas de coordenação
educativa e supervisão pedagógica e os docentes
A. 2 Promoção das literacias da informação, tecnológica e digital
 B. Leitura e Literacia
 C. Projectos, Parcerias e Actividades Livres e de Abertura à
Comunidade
C.1 Apoio a actividades livres, extra-curriculares e de enriquecimento curricular
C.2 Projectos e parcerias
 D. Gestão da Biblioteca Escolar
D.1 Articulação da BE com a escola/ agrupamento. Acesso e serviços prestados
pela BE
D.2 Condições humanas e materiais para a prestação dos serviços
D.3 Gestão da colecção/da informação

8
O Modelo de auto-avaliação
 Os descritores apresentados retratam o padrão de execução da BE em cada
um dos níveis.

Nível Descrição

A BE é muito forte neste domínio. O trabalho desenvolvido é de grande


qualidade e com um impacto bastante positivo.
4

3 A BE desenvolve um trabalho de qualidade neste domínio mas ainda é


possível melhorar alguns aspectos.

A BE começou a desenvolver trabalho neste domínio, sendo necessário


melhorar o desempenho para que o seu impacto seja mais efectivo.
2

A BE desenvolve pouco ou nenhum trabalho neste domínio, o seu impacto é


bastante reduzido, sendo necessário intervir com urgência.
1

9
Integração dos resultados
na auto-avaliação do Agrupamento

A avaliação da BE deve estar ligada ao


processo de avaliação da Escola.

O relatório final da avaliação da BE


deve integrar a avaliação da Escola.

10
BIBLIOGRAFIA

• Scott, Elspth S., How good is your school library resource


centre?,2002
• McNicol, Sarah, Incorporating library provision in school self-
evaluation, 2004
• Johnson, Doug, Getting the most from your school library media
program, 2005
• Texto da sessão 3
• Modelo de auto-avaliação das bibliotecas escolares, Rede das
Bibliotecas Escolares.

11