Você está na página 1de 3

Prática e Modelos da Autoavaliação das BE, DREC - Turma 4, Deolinda Campos _ Tabela, IGE/BE

Sessão 6: O Modelo de Auto-Avaliação das Bibliotecas Escolares: metodologias de operacionalização (Conclusão)

“A análise e reconhecimento do papel da BE a nível da auto-avaliação da escola, para a qual tenta contribuir o Modelo de
Auto-Avaliação das BE proposto pela RBE, e a inclusão da BE na informação prestada às equipas de avaliação externa, tendo
em vista a sua valorização, desenvolvimento e melhoria, é fundamental.”
Texto da sessão

1. Elabore um quadro que permita cruzar o tipo de informação resultante da auto-avaliação da BE nos seus diferentes
Domínios com os Campos e Tópicos estabelecidos pela IGE, nos quais aquela informação deve ser enquadrada.

1
Prática e Modelos da Autoavaliação das BE, DREC - Turma 4, Deolinda Campos _ Tabela, IGE/BE

Campos e Tópicos estabelecidos pela IGE Auto-avaliação da BE nos seus diferentes domínios

1. Contexto e caracterização geral da escola

1.2. Dimensão e condições físicas da escola D.2.3. Adequação da BE em termos de espaço às necessidades da
Qualidade e segurança das instalações escola/agrupamento.
Adequada diversidade dos espaços físicos

D.2.1. Liderança do professor bibliotecário na escola/agrupamento


1.4. Pessoal docente D.2.2. Adequação dos recursos humanos às necessidades de
Critérios de distribuição de serviço docente. funcionamento da BE na escola/agrupamento.

1.5. Pessoal não docente


Como estão organizadas as áreas funcionais administrativas e de D.2.2. Adequação dos recursos humanos às necessidades de
funcionamento da BE na escola/agrupamento.
suporte ao ensino e qual a sua capacidade de resposta.

2. O Projecto educativo
D.1.1 Integração/acção da BE na escola/agrupamento.
2.1. Prioridades e objectivos
A.1.1 Cooperação da BE com as estruturas de coordenação educativa e
2.2. Estratégias e planos de acção supervisão pedagógica da escola/agrupamento.

3. A organização e gestão da escola

3.2. Gestão pedagógica D.1.3 Resposta da BE às necessidades da escola/agrupamento.

3.3. Procedimento de auto-avaliação institucional D.1.4 Avaliação da BE na escola/agrupamento.

2
Prática e Modelos da Autoavaliação das BE, DREC - Turma 4, Deolinda Campos _ Tabela, IGE/BE
4. Ligação à comunidade
C.2.4. Estímulo à participação e mobilização dos pais/encarregados de
4.1. Articulação e participação dos pais e encarregados de educação na educação no domínio da promoção da leitura e do desenvolvimento de
vida da escola. competências das crianças e jovens que frequentam a escola /
agrupamento.

4.2. Articulação e participação das autarquias C.2.5 Abertura da BE à comunidade local.

C.2.1 Envolvimento da BE em projectos da respectiva escola/ agrupamento


4.3. Articulação e participação das instituições locais ou desenvolvidos em parceria, a nível local ou mais amplo.

5. Clima e ambiente educativos


A.2.5 Impacto da BE no desenvolvimento de valores e atitudes
5.1. Disciplina e comportamento cívico indispensáveis à formação da cidadania e à aprendizagem ao longo
da vida.

5.2. Motivação e empenho A.2.1 Organização de actividades de formação de utilizadores na


Recepção e acolhimento dos alunos. escola/agrupamento.
Estratégias de integração de novos docentes.
Meios de informação e comunicação para a integração e o D.2.4 Adequação dos computadores e equipamentos tecnológicos ao
envolvimento da comunidade escolar. trabalho da BE e dos utilizadores na escola/agrupamento.
D.3.5 Difusão da informação.

6. Resultados

6.1. Resultados académicos


B.3 Impacto do trabalho da BE nas atitudes e competências dos alunos, no
6.2. Resultados sociais da educação âmbito da leitura e da literacia.
…..Conhecimento sistemático do impacto da sua acção educativa. A.2.4 Impacto da BE nas competências tecnológicas, digitais e de
informação dos alunos na escola/agrupamento.