Você está na página 1de 4

RESUMO: Psicofármacos Principais Drogas com Ação no Sistema Nervoso Central

1.

BENZODIAZEPÍNICOS:

Raul Barros

São drogas com múltiplas utilidades, agindo através da estimulação de receptores do principal neurotransmissor inibitório do SNC, o GABA-A (exclusivo do SNC), potencializando a resposta GABA ao atuarem em canais de cloreto. Com maiores doses, gera os efeitos progressivos: sedativos hipnóticos Estupor. Outros efeitos: ansiolítico (uso principalmente na ansiedade aguda), miorrelaxante e anticonvulsivante. NÃO SÃO ANTIDEPRESSIVOS (talvez com exceção do Alprazolam). Os efeitos dependem do grau de ocupação dos receptores (miorrelaxamento 100%, ansiolítico 30%) que por sua vez depende da lipossolubilidade. Importantes diferenças farmacocinéticas quanto à meia vida e tempo de ação direcionam os principais usos dessas drogas.

Ação Rápida ou Ultrarrápida

Ação Intermediária

Ação Longa

Midazolam (T1/2 = 1,9h) uso para indução anestésica e sedação em BIC EV (mais associado ao Delirium em UTI). Triazolam (T1/2 = 2,9h) início de ação rápida, boa manutenção e pouco/nenhum efeito residual, é o BZD teoricamente ideal para a insonia.

Estazolam, Lorazepam e Temazepam (T1/2 = 10h). Uso VO na Insônia.

Flurazepam (73h), Diazepam, Alprazolam, Clonazepam (T1/2 =12h até 43h). Uso na ansiedade, relaxamento muscular, pré-anestésico e anticonvulsivante (clonazepam, diazempam no status epilepticus), auxiliar na Mania aguda (clonazepam). Apresentam sedação residual importante (efeito “ressaca”)

*Essa classificação varia muito de livro pra livro, agrupei de um jeito que achei mais lógico. Considerar certeza: Ultracurto = Midazolam, Curto = Triazolam; Intermediário = Temazepam; Longo = Diazempam, Clonazepam, Flurazepam. Lorazepam e Alprazolam é wtf.

Efeitos extra-SNC: RESPIRATÓRIOS: leve depressão respiratória com acidose respiratória, porém geralmente não requer outras medidas (exceto quando uso concomitante de outras substâncias como álcool e opióides). CARDIOVASCULAR: vasodilatação coronariana, queda da PA e aumento da FC. TGI:

Diazepam reduz a secreção noturna de HCl do estômago.

Efeitos adversos: Tolerância (aos efeitos motores, hipnóticos preferir o uso apenas ocasional -,

miorrelaxantes e anticonvulsivantes, principalmente); redução da função motora; amnésia anterógrada,

Efeito

paradoxal: verborragia, ansiedade, irritabilidade é raro acontecer; ocorre mais com Triazolam e Midazolam (ação curta). Os efeitos agudos são relativamente fracos, sem depressão respiratória importante se o uso de BZD for isolado (o que é uma vantagem, pois muita gente tenta se matar tomando BZD).

cefaléia, sedação, náuseas, alergia, confusão mental, redução da habilidade motora, “caducar”

- Drogas semelhantes: Zolpidem e Zaplenona hipnóticos que agem nos receptores GABA; ideias para insônia por má conciliação (não consegue “resfriar a cabeça para dormir”).

- Antagonista dos BZD: Flumazenil uso para reverter sedação pós anestésica, e para overdose de

benzodiazepínicos (1-3mg, aplicados em 3 min aumentar para até 5mg aplicados em 5-10min: se não reverter, verificar se não foi intoxicação por outras drogas).

2. ANTIPSICÓTICOS (PSICOTRÓPICOS OU NEUROLÉPTICOS):

Usados principalmente na esquizofrenia e outros transtornos psicóticos, atuam na dopamina, serotonina e glutamato (principais neurotransmissores potencialmente envolvidos), principalmente bloqueando os receptores dopaminérgicos. Existem dois tipos de Receptores de Dopamina: D1 (engloba D1 e D5) e D2 (engloba D2, D3 e D4) o efeito antipsicótico deriva principalmente do bloqueio D2, quando do bloqueio >=80%. Ação na via mesolímbica = redução de sintomas psicóticos; ação na região nigroestriatal = efeitos motores. No início, podem piorar um pouco os sintomas (uso adjuvante dos benzodiazepínicos para tratamento). A melhora clínica aparece dentro de algumas semanas. As drogas são eficazes em 70% dos pacientes (os 30% restantes são classificados são considerados resistentes pode-se tentar a Clozapina, porém ainda assim continuam sendo um importante problema; a causa da resistência é no momento desconhecida).

Classificação

Principais

Considerações

 

Adversos

representantes

 
 

Clorpromazina

 

Efeitos adversos motores indesejáveis (extrapiramidais) Distonias Agudas (relacionado a bloqueio de receptores dopaminérgicos nigroestriatais, movimentos involuntários e parksonismo; revertem com a suspensão do tratamento em semanas; acatisia) e Discinesias Tardias (relacionada a proliferação de receptores dopaminergicos nigroestriatais; após meses de tratamento, incapacitante, irreversível, piora com

Antipsicóticos

Haloperidol

Desenvolvidos antes de 1980. Apresentam melhora principalmente dos sintomas positivos com pouco efeito sobre os negativos. Bloqueio D2 porém menos seletivo

Típicos

Flufenazina

Tioridazina

Flupentixol

Clopentixol

suspensão do tratamento e é resistente à terapia; é

a

principal desvatagem dos típicos; se manifesta

 

também com movimentos involuntários); efeitos anticolinérgicos estes o haloperidol causa menos

(boca seca, etc); aumento da prolactina (galactorréia

ginecomastia), icterícia obstrutiva (fenotiazinas, como a clorpromazina)

e

 

Clozapina

Drogas mais novas, com menos efeitos indesejáveis sobre a motricidade (extrapiramidais) e melhor ação na melhora dos efeitos negativos e nos pacientes refratários. Bloqueio seletivo mais intenso nos receptores D2*. Clozapina é a droga indicata para os pacientes refratários.

Clozapina tem risco de agranulocitose (necessidade de acompanhar com hemograma semanal) porém é a droga que menos apresenta efeitos extrapiramidais (talvez pelo bloqueio muscarínico que compensa por competir com a dopamina nos gânglios da base); colaterais anticolinérgicos (boca seca, visão turva, olhos secos, constipação, retenção urinária), aumento de peso

(block D4)

Antipsicóticos

Risperidona

Atípicos

Sertindal

Quetiapina

Olanzapina

*Para a professora, se não me engano, Típicos = Bloqueio D2, Atípicos = Bloqueio D2, D3 e D4 (alguém confirme essa info)

**Síndrome Neuroléptica Maligna: rigidez muscular, elevação da temperatura e da pressão arterial; rara porém grave; ocorre com o uso dos típicos; pode matar por falência cardiovascular e/ou renal.

***Prometazina (Fenergan ®) é um antialérgico; habitualmente, no Brasil é usado junto a outros

fármacos, como o haldol, na emergência psiquiátrica.

3. ANTIDEPRESSIVOS E ESTABILIZADORES DE HUMOR:

Atuam em diversos sistemas de neurotransmissão, notadamente nas vias serotoninérgicas e noradrenérgicas.

Fármacos antidepressivos: demoram pelo menos 2 semanas para ter efeitos benéficos (porém podem ter efeitos farmacologicos imediatos e alterações adaptativas) dessensibilização dos receptores beta e alfa adrenérgicos são as principais alteraçoes adaptativas (cai a resposta à clonidina, por exempo, um agonista alfa-adrenérgico)

Classe

Representantes

Considerações

Adversos

Tricíclicos

Imipramina

São “não-seletivos” para noradrenalida e serotonina (alguns pegam mais a noradrenalina; têm um efeito menor sobre a dopamina) inibem a captação facilitando agudamente a transmissão. Não constituem um grupo ideal para uso clínicol pelos muitos efeitos colaterais. Interagem com álcool, anestésicos, hipotensores e AINES. Não associar com IMAO.

Geram sedação e efeitos anticolinérgicos (boca seca, constipação, visão turva, podem deteriorar quadros de demência em idosos), causar hipotensão postural (anticolinérgico tb), piorar/preciptar arritmias cardíacas (principalmente em doses excessivas, com prolongamento o QT). Os efeitos adversos anticolinérgicos tendem a declinar com 1-2 semanas (com o início dos anti-depressivos). Altas doses (intoxicação) = delírio, convulsões, arritmias (usar Fisostigmina anti- colinesterase)

Amitriptilina

Nortriptilina

Imipramina

Inibidores Seletivos da Recaptação da Serotonina (ISRS)

Fluoxetina

Não administrar com IMAOS (reação da serotonina); menos efeitos adversos e eficácia semelhante fazem deste o grupo mais utilizado.

Náuseas, diarréia, agitação, anorgasmo. Baixo risco em doses excessivas. Não associar com IMAO. Uso off-label para perder peso.

Paroxetina

Sertralina

 

Citalopram

Inibidores da

 

Maior custo; uso em pacientes refratários.

Comum efeitos de retirada. Duloxetina é considerada mais potente e reservada para casos refratários.

Recaptação da

Duloxetina

Serotonina e

Venlafaxina

Noradrenalina

 

(Duais)

Inibidores da Monoaminaoxidase (IMAO)

Tranilcipromina

Inibem uma ou ambas as isoformas da MAO, aumentando os estoques citosólicos de nora e serotonina

Reação com alimentos que contêm tiramina (queijos, enlatados, etc) – “reação do queijo”; anticolinérgicos, insônia, ganho de peso, hipotensão postural

Antagonistas dos Receptores Pós- Sinápticos de 5-HT

Trazodona

Considerados não seletivos; ação antidepressiva pouco compreendida. Bupropriona tem bons resultados na cessação do tabagismo.

Variam conforme a droga.

Bupropriona

Mianserina

 

Mirtazapina

Estabilizadores do Humor: usados para evitar oscilações de humor nos pacientes bipolares; o lítio é

o fármaco clássico e de primeira escolha, mas atualmente também são usados anticonvulsivantes como

a carbamazepina, a gabapentina e o valproato de sódio (eficazes e com menos efeitos colaterais).

Carbonato de Lítio: uso profilático de novas viragens; na mania aguda, antipsicóticos agem de maneira mais consistente e rápida. Concentração de 0,5 a 1mmol/L (faixa terapêutica estreita; se > 1,5 = efeitos colaterais; requer monitorização da concentração plasmática, especialmente em doença renal e uso de diuréticos). Adversos: náusea ,sede, poliúria, hipotireoidismo, tremor, fraqueza, confusão mental

e teratogênese. Dose excessiva aguda causa confusão, convulsões e disritmias cardíacas, coma e morte (concentrações > 3mmol/L).

4.

REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS:

1. Manual de Farmacologia e Terapêtica Goodman & Gilmans;

2. Farmacologia H.P. Rang, M.M. Dale

3. Farmacologia: Uma Abordagem Didática - Schellack