Você está na página 1de 25

Ideas Exchange - Áreas Contaminadas

- Estudo Prévio e Regulamentação

Gerenciamento de Áreas

Contaminadas no Estado do Rio de Janeiro

Maio/2013

CONCEITO DE ÁREA CONTAMINADA
CONCEITO DE ÁREA CONTAMINADA

Uma área contaminada pode ser definida como uma área, local ou terreno onde há comprovadamente poluição ou contaminação, causada pela introdução de quaisquer substâncias ou resíduos que nela tenham sido

depositados, acumulados, armazenados, enterrados ou infiltrados de forma

planejada, acidental ou até mesmo natural. Nessa área, os poluentes ou contaminantes podem concentrar-se em subsuperfície nos diferentes compartimentos do ambiente, por exemplo, no solo, nos sedimentos, nas

rochas, nos materiais utilizados para aterrar os terrenos, nas águas

subterrâneas, ou de uma forma geral, nas zonas não saturada e saturada; além de poderem concentrar-se nas paredes, nos pisos e nas estruturas de construções. Os poluentes ou contaminantes podem ser transportados a

partir destes meios, se propagando por diferentes vias, como por exemplo o

ar, o próprio solo, as águas subterrâneas e superficiais, alterando suas características naturais ou qualidades e determinando impactos negativos

e/ou riscos sobre os bens a proteger, localizados na própria área ou em seus

arredores. (GLOEDEN, 1999)

LOVE CANAL
LOVE CANAL
LOVE CANAL
LOVE CANAL o primeiro grande caso de contaminação em águas subterrâneas nos EUA
LOVE CANAL o primeiro grande caso de contaminação em
águas subterrâneas nos EUA

Localização: próxima de Niagara Falls, fronteira dos EUA com CANADA;

área projetada para recreação;

Anos 20 área vendida para a empresa Hooker Chemisol para deposito de resíduos industriais. Entre 1942 e 1953 foram depositados mais de 21.000t de

resíduos com substâncias perigosas, entre as quais DDT, solventes, PCB,

dioxinas e metais pesados.

O terreno foi vendido por 1dolar a administração escolar da cidade e um, centro escolar foi construído no deposito de resíduos.

Residentes começaram a apresentar varias doenças como: leucemia,

problemas respiratórios, nos rins, abortos, deficiência em recém-nascidos etc.

Em agosto/1978 a área foi declarada como “Área de Emergência medica”.

Como consequência da consciência motivada foi criado o superfund, programa Federal americano criado para remediação de áreas contaminadas.

CONDOMINIO BARÃO DE MAUÁ - SP
CONDOMINIO BARÃO DE MAUÁ - SP
CONDOMINIO BARÃO DE MAUÁ - SP
ÁREAS EM PROCESSO DE REABILITAÇÃO
ÁREAS EM PROCESSO DE REABILITAÇÃO
ÁREAS EM PROCESSO DE REABILITAÇÃO
BASES LEGAIS NO GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS
BASES LEGAIS NO GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS

Resolução Conama 420/2009, de 28 de dezembro de

2009

Dispõe sobre critérios e valores orientadores de qualidade do solo quanto à presença de substâncias

químicas e estabelece diretrizes para o gerenciamento

ambiental de áreas contaminadas por essas substâncias em decorrência de atividades antrópicas.

IMPLICAÇÕES DA RESOLUÇÃO CONAMA 420/09

Abrangência: Define diretrizes gerais para o gerenciamento de Áreas

Contaminadas por substâncias químicas decorrentes de atividade antrópica e define procedimento para o estabelecimento de VRQs (Valores de Referência de Qualidade) para o solo.

Art. 8. Estabelecimento de VRQs para o Estado do RJ em até 04 anos. Art.13. Classificação do Solo quanto a concentração de substancias químicas de acordo com o VRQ, VP, VI. Art.14. Obrigatoriedade de toda Atividade com Potencial de Contaminação em

monitorar a água subterrânea e superficial com apresentação dos relatórios aos

órgãos ambientais. Art.23. Para o gerenciamento de áreas contaminadas, o órgão ambiental competente deverá instituir procedimentos e ações de investigação e de gestão, que contemplem as etapas de Investigação, Diagnóstico e Intervenção. Art.38. Os órgãos ambientais competentes, observando o sigilo necessário, previsto em lei, deverão dar publicidade às informações sobre áreas contaminadas identificadas e suas principais características.

NORMAS ABNT RELACIONADAS AO GAC
NORMAS ABNT RELACIONADAS AO GAC

ABNT - Comissão de Estudo Especial Temporária de Avaliação da Qualidade do Solo e da Agua para Levantamento de Passivo Ambiental e Avaliação de Risco a Saúde Humana 2005

ABNT NBR 15495-1:2007 Poços de monitoramento de aguas subterrâneas em aquíferos granulares Parte 1: Projeto e Construção

ABNT NBR 15492:2007 Sondagem de reconhecimento para fins de qualidade ambiental Procedimento

ABNT NBR 15515-1:2007 Passivo ambiental em solo e água subterrânea Parte 1:

Avaliação preliminar

ABNT NBR 15495-2:2008 Poços de monitoramento de águas subterrâneas em aquíferos granulares - Parte 2: Desenvolvimento

ABNT NBR 15515-2:2010 Passivo ambiental em solo e água subterrânea Parte 2:

Investigação confirmatória

ORGANOGRAMA INEA E O GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS
ORGANOGRAMA INEA E O GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS
ORGANOGRAMA INEA E O GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS
LEGISLAÇÃO INEA APLICADA AO GAC
LEGISLAÇÃO INEA APLICADA AO GAC

RESOLUÇÃO CONEMA 44/2012 Obrigatoriedade na

realização de Avaliação Preliminar e Investigação Confirmatória no Licenciamento Ambiental.

DECRETO 42.159/2009 SLAM: Define Licenças

especificas

para

o

Gerenciamento

de

Áreas

Contaminadas.

 

DZ-0077

TERMO

DE

ENCERRAMENTO

DE

ATIVIDADES POTENCIALMENTE POLUIDORAS.

LEI 3467/2000 - sanções administrativas derivadas

de condutas lesivas ao meio ambiente no ERJ.

LICENÇAS ESPECIFICAS DO SLAM DECRETO 42. 159/09

Licença de Operação e Recuperação (LOR): ato administrativo mediante o qual o

órgãoambiental autoriza a operação da atividade ou empreendimento concomitante à recuperação ambiental de passivo existente em sua área, caso não haja perigo à saúde da população e dos trabalhadores;

Licença Ambiental de Recuperação (LAR): ato administrativo mediante o qual o

Órgão ambiental aprova a remediação, recuperação, descontaminação ou eliminação de passivo ambiental existente, na medida do possível e de acordo com os padrões

técnicos exigíveis, em especial aqueles em empreendimentos ou atividades fechados,

desativados ou abandonados;

Termo de Encerramento: ato administrativo mediante o qual o órgão ambiental

atesta a inexistência de passivo ambiental que represente risco ao ambiente ou à saúde da população, quando do encerramento de determinada atividade ou após a

Conclusão

do

procedimento

de

restrições de uso da área;

recuperação

mediante

LAR,

estabelecendo

as

APLICAÇÃO DA RESOLUÇÃO CONEMA 44
APLICAÇÃO DA RESOLUÇÃO CONEMA 44
Identificação
Identificação
Diagnóstico
Diagnóstico
Intervenção
Intervenção

Avaliação Preliminar Investigação Confirmatória

Investigação Detalhada Analise de Risco

Medidas de Controle Institucional Medidas de Controle de Engenharia Medidas de Remediação

de Controle de Engenharia • Medidas de Remediação Area Contaminada NBR 15515-1 Identificação de AP /
de Controle de Engenharia • Medidas de Remediação Area Contaminada NBR 15515-1 Identificação de AP /
de Controle de Engenharia • Medidas de Remediação Area Contaminada NBR 15515-1 Identificação de AP /

Area

Contaminada

NBR 15515-1 Engenharia • Medidas de Remediação Area Contaminada Identificação de AP / AS / AC Avaliação Preliminar

Identificação de AP / AS / AC• Medidas de Remediação Area Contaminada NBR 15515-1 Avaliação Preliminar Identificação NBR 15515-2

Avaliação

Preliminar

Identificação de AP / AS / AC Avaliação Preliminar Identificação NBR 15515-2 Confirmação de Investigação
Identificação de AP / AS / AC Avaliação Preliminar Identificação NBR 15515-2 Confirmação de Investigação

Identificação

NBR 15515-2 de AP / AS / AC Avaliação Preliminar Identificação Confirmação de Investigação Confirmatória Define o

Confirmação deAS / AC Avaliação Preliminar Identificação NBR 15515-2 Investigação Confirmatória Define o Instrumento

Investigação

Confirmatória

Define o Instrumento Licenciatório LO ou LOR
Define o Instrumento Licenciatório
LO ou LOR

AVALIAÇÃO PRELIMINAR

Não

Identificação de AS ou AC

• Declaração de Inexistencia de AS/AC
• Declaração de
Inexistencia
de AS/AC

Identificação

de AS ou AC

• Investigação Confirmatória
• Investigação
Confirmatória

Parecer de Licença sem exigencias de Recuperação da Área

Emissão do Termo de

Encerramento

Necessidade de estudos adicionais

INVESTIGAÇÃO CONFIRMATÓRIA

Não

Constatação

de Concentrações das SQI acima

dos Valores de

Referencia

• Ver necessidade de Monitoramento e permanencia da rede de PMs
• Ver necessidade
de
Monitoramento
e permanencia
da rede de PMs

Constatação

de

Concentrações das SQI acima dos Valores de

Referencia

• Etapa de Diagnóstico = Investigação Detalhada e Avaliação de Risco
• Etapa de
Diagnóstico =
Investigação
Detalhada e
Avaliação de
Risco

Parecer de Licença sem exigencias de Recuperação da Área

Emissão do Termo de Encerramento

Parecer de LOR / LAR com exigencias de

Recuperação da Área.

Em caso de constatação de perigo eminente (Fase livre, indice de explosividade, residuo no solo) antes da emissão da Licença serão exigidas Medidas Emergenciais.

AÇÃO DE INTERVENÇÃO EMERGENCIAL
AÇÃO DE INTERVENÇÃO EMERGENCIAL

Art. 8º - Ao serem constatados indícios de perigo à vida ou à saúde da

população, o responsável legal deverá comunicar imediatamente tal fato aos órgãos ambientais e de saúde, por meio de uma correspondência assinada pelo responsável técnico e pelo responsável do empreendimento e adotar

prontamente Ações de Intervenção Emergenciais (AIE) necessárias para elidir

o perigo. § 1º - Entende-se como AIE qualquer ação necessária para eliminação ou redução de risco imediato, tal como isolamento da área, com proibição de

acesso à área, interdição de edificações, ventilação e exaustão de espaços

confinados, monitoramento do índice de explosividade, interdição ou tamponamento de poços de abastecimento, proibição de consumo de alimentos, remoção de materiais, proibição de escavações, contenção das

plumas de contaminação e bombeamento para eliminação da fase livre, sem

prejuízo de outras ações de igual ou maior eficácia.

FASE LIVRE
FASE LIVRE

Fase livre: ocorrência de substância ou produto

imiscível, em fase separada da água

FASE LIVRE Fase livre: ocorrência de substância ou produto imiscível, em fase separada da água
FASE LIVRE Fase livre: ocorrência de substância ou produto imiscível, em fase separada da água
LEI 3467 E O GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS
LEI 3467 E O GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS

Art 2º - As infrações administrativas serão punidas com as

seguintes sanções, observadas as circunstâncias atenuantes e

agravantes:

I advertência;

II

multa simples;

III

multa diária;

IV

apreensão;

V

destruição ou inutilização do produto;

VI

suspensão de venda e fabricação do produto;

VII embargo de obra ou atividade;

VIII suspensão parcial ou total das atividades;

IX interdição do estabelecimento;

LEI 3467 E O GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS
LEI 3467 E O GERENCIAMENTO DE ÁREAS CONTAMINADAS

Art 2º -§ 11 A aplicação de quaisquer das sanções previstas nesta lei deverá prever a obrigatoriedade do infrator recuperar o meio ambiente e

descontaminar a área ou ecossistema degradado, custeando estas ações

reparadoras com seus próprios recursos.

Art. 61 - Causar poluição de qualquer natureza em níveis tais que resultem ou

possam resultar em danos à saúde humana, ou que provoquem a

mortandade de animais ou a destruição significativa da flora.

Art. 88 - Causar, por poluição da água, do ar ou do solo, incômodo ou danos

materiais ou morais a terceiros.

Art. 92 - Poluir o solo por lançamento de resíduos sólidos ou líquidos.

Art. 93 Poluir, por qualquer forma ou meio, o solo ou corpos hídricos dificultando ou impedindo, ainda que temporariamente, o seu uso por terceiros:

DESAFIOS: VETORES DINÂMICA DE USO DO SOLO
DESAFIOS: VETORES DINÂMICA DE USO DO SOLO

Migração das Industrias liberam imóveis em áreas urbanas.

Imóveis com passivos ambientais.

Passivos ambientais limitam mudança de uso do solo.

Falta de solução gera brownfields.

Pressão urbana gera ocupação clandestina

INGÁ MERCANTIL

Localização: Ilha da Madeira, Sepetiba Itaguaí.

Proprietário: Adquirida em Junho de 2008 pela USIMINAS (Usinas Siderúrgicas de Minas

Gerais) por meio de leilão público assumindo a responsabilidade pela remediação da área.

Status atual: Área reabilitada para uso declarado Industrial.

Uso futuro: Terminal Portuário de Minério.

O Extenso diagnóstico ambiental realizado por empresas contratadas pela USIMINAS

identificou na área da atual USIMINAS uma pilha de aproximadamente 20 metros de altura

onde estão depositados cerca de 2 milhões de toneladas de rejeito impactado, gerado pela produção de zinco e cádmio realizada no passado pela Cia. Mercantil e Industrial Ingá.

As principais fontes de contaminação estão associadas à área industrial, efluentes da Bacia C-130 e Pilha de Rejeito.

Área contaminada por metais (solo, água subterrânea, sedimento, flora e efluentes).

O INEA em 2010 emitiu a LAR NIN002873 para implantação do Projeto de Recuperação da área.

Em Março/2013 foi emitida a certidão Ambiental IN022706 atestando o cumprimento das

condicionantes de validade da LAR.

Atualmente encontra-se em análise o processo de Licenciamento para Operação da Barreira Hidráulica e estação de Tratamento.

PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGÁ-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGA-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGA-USIMINAS
PROJETO INTEGRADO = CASO INGA-USIMINAS

OBRIGADA

alima@inea.rj.gov.br

Proteger, conservar e recuperar o meio ambiente do Estado do Rio de Janeiro para promover o desenvolvimento sustentável.”